sexta-feira, 7 de março de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

BOOKSMILE: Receitas Saudáveis e Práticas de fazer crescer água na boca!

500 Receitas: Refeições Saudáveis e 500 Receitas: Refeições Rápidas (Booksmile I 288 pp a cores, ilustradas I 13,29€) são o 13.º e 14.º volumes da coleção 500 Receitas a chegarem às livrarias, uma coleção composta por livros práticos de usar, fáceis de arrumar (157 x 156 x 24 mm), e que vêm dar uma ajuda preciosa a quem precisa de elaborar de forma rápida e com qualidade refeições simples e saborosas.

Não precisa de ser um chef para as confecionar, pois são fáceis de realizar e perfeitas para todas as ocasiões. Foram também imaginados para aqueles que têm menos prática na cozinha, pois nestes livros encontram-se as técnicas essenciais, os melhores ingredientes e os utensílios indispensáveis. Com estas refeições saudáveis e rápidas vai deixar os seus amigos roídos de inveja. A partir de agora, cozinhar vai passar a ser bem mais divertido!

500 Receitas: Refeições Saudáveis: «Este é livro ideal para quem se preocupa com o consumo calórico, mas não pretende sacrificar o sabor nem a apresentação dos pratos. Repleto de receitas deliciosas, claras e fáceis de seguir, inclui um capítulo Introdutório completo sobre alimentação saudável, que explica quando e como reduzir a gordura, o açúcar e as calorias sem perder o sabor dos ingredientes.

Não só tem receitas pouco calóricas, como também opções sem laticínios ou glúten, vegetarianas, adequadas para o coração, pobres em hidratos de carbono e ricas em vitaminas e minerais essenciais para uma boa saúde. Este é o único livro de cozinha saudável de que vai precisar!»

500 Receitas: Refeições Rápidas: «Se tem pouco tempo para cozinhar, este é o livro ideal para si, ao oferecer soluções práticas e rápidas para o seu dia a dia. Recheado de conselhos, ideias inspiradoras e receitas fáceis de preparar, permitir-lhe-á tratar rapidamente das refeições após um dia de trabalho, ou fazer um prato nutritivo e completo para levar consigo.

Estas receitas são deliciosas e apropriadas para quaisquer ocasiões, permitindo uma alimentação equilibrada e completa. Inclui variantes menos gordas, vegetarianas e sem glúten. Cozinhe com ingredientes frescos e prepare refeições saudáveis e deliciosas, para si e para a sua família, tudo em 30 minutos ou menos! »





"Manual de Sobrevivência para Pais e Maridos" de João Miguel Tavares



Lançamento de «Por um punhado de dólares», de Rui Sousa Basto



Romances a preços muito baixos com a revista Sábado

Mais uma vez a revista Sábado vai trazer as leitores livros de J.D. Robb, Jill Mansell, Kim Harrison, entre outros a preços muito apetecíveis. Em vez de pagar cerca de 18.85 euros por cada um, pode adquiri-los por 4.99 euros cada.

Resultado do passatempo Inferno no Vaticano

Obrigada a todos que participaram no passatempo "Inferno no Vaticano" realizado pelo Marcador de Livros e a Guerra & Paz.

A feliz contemplada com um exemplar do livro é:
Tânia Alves (Cacém)


Além do seu nome figurar no blogue, a contemplada foi ainda avisada através de email.

As Mulheres do Marquês de Pombal - María Pilar Queralt del Hierro [Opinião]

Título: As Mulheres do Marquês de Pombal
Autor: María Pilar Queral del Hierro
N.º de Páginas: 160+8
PVP: 19€
Editora: Esfera dos Livros

Sinopse:
Por detrás de um grande homem de Estado como Sebastião José de Carvalho e Melo não está uma grande mulher, mas sim várias. Umas unidas por laços de sangue, como a sua mãe Maria Teresa Luiza de Mendonça e Melo, outras por laços afetivos como as suas duas esposas. A primeira, dez anos mais velha que o jovem Sebastião, foi a viúva Teresa de Mendonça e Almada. O namoro não foi bem aceite, mas Sebastião José não hesitou, raptou a noiva e casou em segredo, escandalizando tudo e todos. Amor ou ambição por um casamento com uma mulher de uma classe superior à sua? O casamento foi curto, a mulher morreu de doença enquanto o jovem ascendia na carreira diplomática. Primeiro Londres, depois Viena. Foi aqui que conheceu a sua segunda mulher, companheira de uma vida e mãe dos seus quatro filhos, Maria Leonor Ernestina Daun. Mas Sebastião José era um homem inteligente, frio, mais dado às suas ambições políticas que às artes do coração. Há uma mulher que fica na história como a grande protetora e responsável pela sua ascensão ao poder: a rainha Maria Ana de Áustria que o colocou ao lado de D. João V e depois do filho D. José I. Mas também foram as mulheres as responsáveis pela sua queda. O seu confronto com a Marquesa de Távora, D. Leonor, o processo sangrento daquela família e o desafeto de D. Maria I por este homem levaram-no à desgraça. A autora bestseller María Pilar Queralt del Hierro traz-nos a história destas mulheres que, de uma forma ou de outra, estiveram presentes na vida do Marquês de Pombal, o estadista ilustrado que soube fazer com que Lisboa renascesse das cinzas em 1755. Viajamos pela sua escrita através do século XVIII, pelos palácios reais, pelas intrigas da corte, pelos salões onde se reuniam escritores, artistas, políticos unidos pelos ventos do Iluminismo, é aqui neste ambiente que conhecemos Teresa Margarida da Silva ou Leonor de Almeida Lorena, Marquesa de Alorna.


A minha opinião: 
Sebastião José de Carvalho e Melo foi um grande estadista, isso não gera a menor dúvida. Adorado por uns, odiado por outros, o certo é que o Marquês de Pombal foi uma grande visionário e esteve muito à frente do seu tempo, como se comprova actualmente, ao ter feito ruas largas na baixa de Lisboa, apesar de muitos terem contestado isso na altura.

Inteligente, sempre soube rodear-se de pessoas influentes para ascender onde realmente queria, e acabou por se tornar o braço direito do rei D. José I, aumentando o protagonismo aquando do terramoto de 1755.

O processo sangrento dos Távoras e a expulsão dos Jesuítas iriam pô-lo em desgraça, mas María Pilar Queralt del Hierro quis enfatizar as mulheres que estiveram por detrás deste grande homem, mas também as mulheres daquele tempo, algumas delas letradas, apaixonadas pelas letras e também pela escrita, que se dedicavam a tertúlias com grandes escritores da época como Alexandre Herculano, Bocage e Almeida Garrett entre muitos outros.

Escrito de uma forma simples e bastante resumida, este podia ser um livro incompleto no que diz respeito à vida de Marquês de Pombal assim como à relação que teve com tantas mulheres, amigas e inimigas. Mas não se dá o caso. A autora consegue, além de fazer uma breve biografia, mas de forma eficaz, de Sebastião José, consegue situar o tempo em que se vivia, os costumes, o reinado existente na altura em que o estadista nasceu e o reinado que o viria a tornar conhecido, passando pelos seus dois casamentos.

Órfão de pai desde tenra idade, e a relação de amor/ódio com a sua mãe viria a influenciar a própria vida do futuro Marquês de Pombal. Casou com uma mulher mais velha dez anos, mas que terá sido o seu único amor, mas o interesse pela subida na escala social terá sido o principal motivo do casamento. Depois de enviuvar casaria segunda vez com a mulher que lhe daria quatro filhos. E seria essa que lhe estabeleceria a relação com a Maria Ana de Áustria, rainha de Portugal e esposa de D. João V.

María Pilar Queralt del Hierro é uma das minhas autoras preferidas em romance histórico. Depois de ter lido Inês de Castro e As Mulheres de D. Manuel I fiquei ainda mais rendida aos seus livros.






quinta-feira, 6 de março de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Saiba quem foi a Rainha inglesa que mais tempo reinou....




É já na terça-feira que pode assistir à apresentação do romance histórico sobre a rainha Vitória de Inglaterra de Isabel Machado.

Vitória reinou mais tempo do que qualquer outro monarca inglês: 63 anos. Viu no trono de Portugal 5 reis: D. Maria II, D. Fernando II, D. Pedro V, D. Luís e Carlos. Nunca a proximidade entre as duas Casas Reais foi maior. Mas é também durante o seu reinado que acontecerá o maior conflito de sempre entre Portugal e Inglaterra: o Ultimato Britânico, que acaba com o grandioso sonho português em África.




Guerra & Paz: «O Ocaso dos Pirilampos», vencedor do Prémio Literário Sagrada Esperança 2013 chega a Portugal

O vencedor do Prémio Literário Sagrada Esperança 2013, o romance «O Ocaso dos Pirilampos», de Adriano Mixinge, vai ser editado em Portugal, pela Guerra e Paz Editores.

«O Ocaso dos Pirilampos», fortemente alegórico, exemplo de uma literatura consciente e interventiva, receberá um dos maiores prémios literários angolanos em cerimónia a realizar em Luanda, no próximo dia 7 de Março. Adriano Mixinge, o autor premiado, junta-se assim a um conjunto de escritores de mérito que inclui, entre outros, Manuel Rui Monteiro e Ondjaki, vencedores de anos anteriores.

A Guerra e Paz Editores publicará «O Ocaso dos Pirilampos» em Maio. “Queremos que a saída da obra coincida com a Feira do Livro e que a vinda de Adriano Mixinge possa ser um verdadeiro acontecimento”, explica o editor, Manuel S. Fonseca. Para Adriano Mixinge, “a publicação em Portugal faz parte de uma vontade de internacionalização de que as edições espanhola e brasileira vão ser os próximos passos.”

Monólogo de um homem de grandes poderes, «O Ocaso dos Pirilampos» é uma obra de uma imagética surreal, que revela delírios perversos e megalómanos de posse, posse dos objectos, dos bens e dos outros seres humanos, como se pode ler neste breve excerto: “Promovo a promiscuidade como um modo de vida, uma forma de criar interdependências profundas, infinitas. Moro na perversão e assumo isso sem problemas.” Um livro singular, uma viagem pela mente e pelo corpo do Poder.

Sobre o autor:
Adriano Mixinge publicou o seu primeiro romance, «Tanda», em 2006, e é também autor de «Made in Angola: arte contemporânea, artistas e debates», um inventário da arte angolana contemporânea, área a que a sua licenciatura em História de Arte o liga.

Além da Literatura, de João Bigotte Chorão, nas livrarias a 21 de março

Título: Além da Literatura
Autor: João Bigotte Chorão
Género: Ensaio
N.º de páginas: 216
Data de lançamento: 21 de março
PVP: 15,50 €

A literatura que não seja apenas exercício linguístico ou texto sem contexto persegue um alto objectivo: é uma aventura espiritual que, sem descurar a importância da linguagem e a circunstância histórica, se preocupa sobretudo com o destino do homem e com o fim dos tempos.
O debate de ideias pressupõe cultura e senso cívico, e nós somos um povo de apaixonados e repentistas. Não conversamos: discutimos. Temos fé e temos rasgo, e a fé dispensa da procura e o rasgo dispensa do estudo.
João Bigotte Chorão pertence ao número de autores que privilegiam as «grandes famílias» de que falava Raïssa Maritain, em que se integram Almeida Garrett, Camilo, Malheiro Dias, João de Araújo Correia, Torga, Tomaz de Figueiredo, Eliade, Papini, Machado de Assis.

Sobre o autor:
João Bigotte Chorão, crítico e ensaísta, tem procurado dar à obra o que é da obra e ao autor o que é do autor. Crítico humanista ou ontológico, parte da obra para o homem, tantas vezes esquecido numa visão apenas formalista da literatura. Escritores sobre os quais tem escrito são como companheiros de viagem. Publicou vários estudos sobre Camilo Castelo Branco.
Estudioso da literatura autobiográfica, é autor de um Diário quase Completo, a que foi atribuído, em 2008, o Grande Prémio de Literatura Biográfica pela Associação Portuguesa de Escritores. Compilou o álbum Nossa Lisboa dos Outros, com testemunhos de autores estrangeiros sobre a capital portuguesa, entre eles Unamuno e Pla.
Director do Departamento de Enciclopédias da Editorial Verbo, coordenou a Enciclopédia do Século XXI, a Enciclopédia da Sociedade e do Estado, a Enciclopédia Luso-Brasileira de Filosofia Logos, a Enciclopédia das Literaturas de Língua Portuguesa Biblos.
Membro efectivo da Academia das Ciências de Lisboa (Classe de Letras) e do Instituto Luso-Brasileiro de Filosofia, foi Presidente do Círculo Eça de Queiroz e distinguido pelo Instituto Romeno de Cultura com o título de Amicus Romaniae. Pertence ao Conselho Científico da revista Estudos Italianos em Portugal.


NASCENTE: Jack Canfield, "America's #1 Success Coach", regressa com "Pérolas de Sabedoria"

Jack Canfield é um dos autores de maior prestígio na área da transformação pessoal e coautor de Canja de Galinha para a Alma, a série de livros de autoajuda mais populares de sempre, tendo vendido mais de 120 milhões de exemplares em 47 idiomas (500 milhões de inprints), impulsionando um negócio de mais de 1 bilião de dólares.

Agora, Jack Canfield está de regresso às livrarias portuguesas com um novo título: Pérolas de Sabedoria (Nascente I 192 pp I 14,99€).

«30 ideias inspiradoras para iluminar a sua vida! Como é que a minha vida chegou a este ponto? Estarei a usar todo o meu potencial?
Todos nós, em determinados momentos, já questionámos os caminhos que seguimos. Especialmente para si, para o ajudar a responder a estas perguntas, Jack Canfield reuniu neste livro 30 textos com ideias inspiradoras para mudar e melhorar a sua vida.

Neste novo livro, repleto de sabedoria, ele irá iluminar o seu coração e ajudá-lo-á a usar todo o potencial da sua vida.

Descubra o Segredo para transformar as suas fraquezas em forças:
Desperte o seu amor-próprio • Faça escolhas conscientes • Encontre o seu espírito-guia Conceda o verdadeiro perdão • Desenvolva a sua intuição • Aprenda a relaxar»

A Nascente disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

Por detrás do império que a revista Time apelidou de “o fenómeno da década no mundo da edição”, está um líder capaz de motivar desde presidentes e diretores de grande empresas, ao funcionário com o mais baixo salário. Afetuosamente apelidado como “America's #1 Success Coach”, Jack Canfield tem um dom para perceber o que que motiva as pessoas, e o que as inspira. Ao longo dos últimos 30 anos tem ajudado milhares de pessoas a evoluir pessoal e profissionalmente, alcançando, entre livros, programas de formação, e merchandising, mais 100 milhões de pessoas em todo o mundo.

Sobre o autor:
Jack Canfield é o presidente do Canfield Training Group e o fundador do Transformational Leadership Council, concebidos para ajudar as pessoas a alcançar os seus objetivos pessoais e profissionais. Participou no livro bestseller "O Segredo", e apareceu em oito filmes, nomeadamente em O Segredo e Tapping the Source. É presença assídua em programas de televisão como Oprah e Larry King Live.




quarta-feira, 5 de março de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Afinal, vai haver Feira do Livro do Porto

A Feira do Livro do Porto vai realizar-se, embora ainda não se saiba bem em que condições, já que será a Câmara do Porto a assumir, na sua totalidade, a organização do certame.
A feira vai ter lugar nos jardins do Palácio de Cristal, entre os dias 5 e 21 de setembro (tão tarde!) e terá o apoio da Biblioteca Almeida Garrett, localizada naquele local.
Mais informações aqui: JN

Saiba quem foram as "Mulheres do Marquês de Pombal"



Dia 7 de março, a Assírio & Alvim publica o mais recente livro de Luis Quintais, O Vidro

Título: O Vidro
Autor:
Luís Quintais
N.º de Páginas: 96
PVP: 12,20 €
Coleção: Poesia Inédita Portuguesa

No dia 7 de março, sexta-feira, a Assírio & Alvim publica o mais recente livro de Luis Quintais, O Vidro. Visitando, com grande fulgor, alguns dos lugares paradigmáticos na poesia do autor, O Vidro faz alusão a fragmentos de Anna Calvi, António Damásio, Edmond Jabès, Fernando Pessoa, Martin Amis e T.S. Eliot.
«Haverá biografia? Quando tinha seis ou sete anos, por aí, lançava bolas a uma parede, batia-as violentamente com uma raquete empenada, batia-as desalmadamente. As bolas voltavam a mim, agressivas, rápidas, capazes de me matar, não fosse eu hábil no desvio do momento que em mim se antecipava como uma voz que já não reconheço nem escuto. O demónio virá como uma bola de ténis quebrando o vidro da biografia. Milimetricamente, recordo-me. Por duas vezes não era uma bola de ténis, mas balas à procura de uma vítima, eu próprio, sentado no muro fronteiro à casa. Quero ainda quebrar o vidro. Vou quebrá-lo. Vou quebrar esta mão do lembrar.»

Sobre o autor:
Luís Quintais nasceu em 1968 em Angola. Antropólogo, poeta e ensaísta, leciona no Departamento de Antropologia da Universidade de Coimbra. Como antropólogo tem publicado ensaios em diversas revistas da especialidade sobre as implicações sociais e culturais do conhecimento biomédico, em particular sobre a psiquiatria e seus contextos. Desenvolve atualmente investigação sobre as interações entre biotecnologias, arte e cognição. Como poeta, publicou diversos livros e tem vindo a conquistar vários prémios, de que são exemplo o Prémio Pen Clube de Poesia e o Prémio Luís Miguel Nava - Poesia 2005.


Regresso de Chakall com receitas por menos de 10 euros

Título: 10 POR 10
Autor: Chakall
10 minutos por menos de 10 euros
e-book: 11,99€
PVP: 16,90€
N.º de Páginas: 160

"A inspiração para estas receitas nasceu num dia em que, subitamente, havia dez pessoas para jantar e não tinha previsto tanta gente, dispunha de cerca de meia hora para criar um prato capaz de surpreender os meus convidados – eu queria surpreendê-los." Chakall

Sobre o Livro:
Para esta época acelerada e de poupança, tempo é dinheiro mais do que nunca. Com a sua habitual criatividade e humor, o chef Chakall propõe-lhe um conjunto de receitas rápidas e pouco dispendiosas.
É o resultado de um trabalho em que a arte do improviso e a vontade de confeccionar pratos com o que sobra de outras refeições se juntam numa combinação eficaz, económica e surpreendente.
Por menos de 10 euros e em menos de 10 minutos, cozinhe estes pratos deliciosos e imaginativos para a família e para os amigos – e saboreie a vida em boa companhia.
Comece a cozinhar sem gastar muito tempo e dinheiro!

Sobre o autor:
Chakall nasceu em Tigre, Buenos Aires.
Neste momento é chef dos restaurantes: Volver, Blend e Gant Gourmet em Lisboa, O restaurante Praya no Algarve e Sudaka, em Berlim.
É, ainda, chef executivo da Cozinha Divina Catering, da SATA Airlines, consultor de várias marcas e produtos.
Tem programas de televisão em Portugal, China e Alemanha em simultâneo.
Este é quinto livro de culinária que publica na Oficina do Livro.



Passatempo O Escândalo de Modigliani de Ken Follett

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a Editoral Presença tem para oferecer 1 exemplar do livro de Ken Follett, O Escândalo Modigliani

Mais informações sobre o livro aqui e no site da Presença aqui



TOPSELLER: James Patterson, o autor recordista do Guinness, regressa com "Private: Principal Suspeito"


James Patterson foi o autor escolhido para o arranque da Topseller, a nova chancela da 20I20 Editora, em novembro de 2012. Dezasseis meses volvidos, e após 16 livros do autor publicados em Portugal (adulto, jovem adulto e juvenil), acreditamos que se trata de uma aposta ganha.

James Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte anos dentro do seu género. Entre os seus maiores bestsellers estão também as coleções Private: Agência Internacional de Investigação, The Women's Murder Club (O Clube das Investigadoras) e Michael Bennett. E é precisamente da série Private que chega agora às livrarias um novo livro: Private: Principal Supeito (Topseller I 384 pp I 17,69€)

A Private é a agência de investigação mais eficiente do mundo, criada para resolver de forma discreta os problemas dos ricos e poderosos. Jack Morgan, antigo fuzileiro naval e agente da CIA, é o seu dono. Os agentes da Private são os mais inteligentes e rápidos, e dispõem das tecnologias mais avançadas.

Desta vez, é o próprio Jack Morgan que se torna o principal suspeito da morte da sua ex-namorada. Ao mesmo tempo que é vigiado pela polícia, a Máfia obriga-o a recuperar 30 milhões de dólares em material farmacêutico roubado, e a bela presidente de uma cadeia de hotéis pede-lhe que investigue uma série de assassínios ocorridos nas suas propriedades. Numa luta contra o tempo para provar a sua inocência, Jack tem de enfrentar os inimigos mais fortes e inteligentes de sempre.

Com mais ação, intriga e surpresas do que nunca, Private: Principal Suspeito é James Patterson ao seu melhor nível.


James Patterson é, segundo o Guinness World Records, o autor que mais livros colocou no topo da lista de bestsellers do New York Times. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 295 milhões de exemplares. Para além do sucesso alcançado com os seus policiais e romances para adultos, James Patterson escreveu também diversos livros de grande êxito para jovens, entre os quais estão as séries Confissões, Maximum Ride, Escola e Eu Cómico. Em Portugal, James Patterson é publicado pela Topseller (Alex Cross, Private, NYPD Red,Confissões,Maximum Ride e Primeiro Amor) e pela Booksmile (séries juvenis Escola e Eu Cómico).






VOGAIS: KAKEBO - O sistema japonês que vai ajudar os portugueses a poupar!

O método japonês de poupança que está a fazer sucesso em todo o mundo!

Com a crise instalada, fazer contas às despesas mensais passou a fazer parte do dia a dia das famílias portuguesas. Em janeiro de 2013, dados estatísticos oficiais apontavam que três em cada quatro portugueses tinham dificuldades em pagar as suas contas ao final do mês. Um ano volvido, pouco mudou, e as dificuldades continuam para a maioria dos portugueses.

Mas será que alguma das estratégias aplicadas pelas famílias foi verdadeiramente eficaz e suficientemente motivadora?

Pois os japoneses, cuja economia é reconhecida como das mais eficientes e competitivas, há mais de 100 anos que são fiéis a um método de poupança: o Kakebo. Usado por milhões no Japão, e agora divulgado massivamente pelo resto do mundo, Kakebo já chegou a Portugal (Vogais I 208 pp, capa dura I 14,39€) – Kakebo significa, em português, livro de contas da poupança doméstica.
Fácil e muito prático, o Kakebo irá tornar-se o maior aliado da sua carteira!

«Tem um controlo total das suas despesas e receitas? Em que produtos e serviços gasta o seu dinheiro? Sabe valorizar as coisas para além do seu preço? Chega ao final do mês sempre de bolsos vazios?
O Kakebo, livro de contas da poupança doméstica, é a solução inovadora que os japoneses usam todos os dias para gerir as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro. Esta é a ferramenta que o ajudará a controlar a economia do seu lar e da sua família, e gerir o seu consumo de uma forma mais adequada. No fim do plano simples de 12 meses terá aprendido a poupar e a gastar melhor o seu dinheiro — para obter uma vida melhor! Os objetivos serão definidos por si, e o Kakebo ajuda-o a alcançá-los.
Registe e controle todas as suas despesas e receitaAnalise os seus resultados mês a mês e resuma-os em gráficos anuais.
Mantenha um registo atualizado de todas as suas contas, sem ter de recorrer a folhas de cálculo complexas e confusas.
Perceba quais são as suas despesas menos necessárias e mais dispensáveis.
Saiba claramente quanto, como e em que produtos e serviços pode e deve gastar o seu dinheiro.»

O Kakebo é um método perfeito para pessoas com emprego estável, por conta própria ou desempregadas, casados, solteiros, adolescentes ou adultos — a forma mais simples, acessível e eficaz de gerir o seu dinheiro.






 

Novidade Opera Omnia: O Falcão de Bonaparte

Título: O Falcão de Bonaparte
Autor: Mariana Morais Pinheiro

O Falcão de Bonaparte é uma história de guerra, mas é, sobretudo, uma história de amor. É a história de um amor proibido entre um tenente francês e uma enfermeira portuguesa. E é também a história de amor de um povo pela sua pátria. O Falcão de Bonaparte leva-nos numa viagem pelos bastidores da guerra; pelos quartéis e pelos acampamentos militares onde se decidiam as estratégias; e pelos cenários terríveis dos campos de batalha. Com a II Invasão Francesa como pano de fundo, o romance espelha o triunfo do amor sobre a guerra e o sacrifício de um povo que batalhou de peito aberto contra o inimigo.

A quem se destina?
Escrita segundo o novo acordo ortográfico, O Falcão de Bonaparte é uma história cheia de romance e ação, destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos, mas que pode ser lida por toda a gente. Pautada pela busca do rigor histórico, foi minha intenção escrever um livro que pudesse andar de mãos dadas com o programa escolar do 6º, 8º e 11º anos, em que os temas da Revolução Francesa e das Invasões são abordados nas disciplinas de História.

Sobre a autora:
Mariana Morais Pinheiro nasceu em Braga, em 1985. Apaixonada pela imprensa escrita, há mais de uma década que se dedica ao jornalismo e a escrever a tempo inteiro. Começou a colaborar com jornais locais e regionais e estagiou no jornal Público depois de concluir o mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho. Passou ainda pelas redações do jornal Record, da revista Sábado e do jornal i, antes de emigrar para o Reino Unido em 2012. O Falcão de Bonaparte é o seu romance de estreia.










Historiador contesta o misterioso desaparecimento da Biblioteca de Alexandria

Título: O Bibliotecário
Autor: A. M. Dena
Tradução.: Dina Antunes
N.º de Páginas: 404
PVP: 17,90 €

A. M. Dean é um conceituado historiador especializado em culturas antigas, há muito fascinado pela Biblioteca Real de Alexandria, o maior arquivo de conhecimento da Antiguidade, e autor do romance O Bibliotecário.

Os pormenores fornecidos no romance acerca deste milagre do mundo antigo são fiéis à realidade, bem como a atmosfera de mistério que rodeia o derradeiro destino do extraordinário legado literário egípcio, confirma o autor.

Emily Wess e Arno Holmstrand são os protagonistas da história, que desde as primeiras páginas conduzem o leitor até à biblioteca perdida de Alexandria, um importante centro de estudos no Egito entre o século III a. C. e até cerca de 30 a. C., e acerca do qual deixam de existir referências a partir do século VI.

O que terá sucedido? Será possível a biblioteca ter passado à clandestinidade? Será possível ter sobrevivido, de alguma forma, até aos nossos dias? Será possível ainda existir, mas noutro local? E se sim, onde poderá estar?

O intruso inspirou e, sem sequer pestanejar, disparou dois tiros consecutivos, que se alojaram no peito de Arno. A escuridão da sala cresceu. Arno Holmstrand ficou a ver a silhueta do seu assassino perder a nitidez. Depois pareceu afastar-se. A escuridão aumentou. E depois mais nada.

Ou, pelo contrário, tudo sucede a partir daqui no enredo construído por A. M. Dean. Com a morte de Arno, o leitor acompanha Emily na descodificação de várias pistas, por lugares e tempos historicamente magníficos e bem documentados, até que todas as respostas estejam finalmente respondidas.

O Bibliotecário é o romance de estreia de A. M. Dean, e foi muito bem recebido pela crítica e pelos leitores. Já está traduzido para 16 línguas.





segunda-feira, 3 de março de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Romance de Valter Hugo Mãe inspira peça de teatro

A máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe, inspirou a peça O Fascismo dos Bons Homens da companhia de teatro Trigo Limpo ACERT.

Publicado em 2010 pela Alfaguara, A máquina de fazer espanhóis é o quarto romance de Valter Hugo Mãe, vencedor do Prémio Portugal Telecom de Literatura e do Grande Prémio Portugal Telecom.

Entre 5 e 8 de Março, estará em cena, às 21h30 no Teatro Cinearte – A Barraca, em Lisboa.

Entre o trágico e o cómico, esta aventura de final de vida ganha, em palco, uma dimensão que nos remete novamente para o mundo do “faz de conta”, essa fantástica brincadeira que, em pequenos, nos permite “reinar” e, já adultos, nos reaproxima da menoridade.

  eterminada altura, o Américo, ao ralhar com os utentes do lar, exclama: “Parecem putos… Não têm vergonha na cara, estes homens desta idade, parecem putos…”, o que nos remete para um universo onde as idades e os comportamentos se confundem porque, como diz o povo, "de velho se torna a menino". E é neste universo que nos vamos mover e onde, num jogo de “faz de conta”, vão “reinar” as palavras de Valter Hugo Mãe dando vida ao triste e divertido lar Feliz Idade.

Adaptação e encenação de Pompeu José
Composição e direcção musical de Filipe Melo
Cenografia de Zétavares e Pompeu José
Desenho de luz de Luís Viegas e Paulo Neto
Interpretação de António Rebelo, Hugo Gonzalez, João Silva, Pedro Sousa, Pompeu José, Raquel Costa e Sandra Santos

Fiquei maravilhado com o trabalho que a Trigo Limpo apresenta. Não podia esperar receber o meu livro devolvido desta forma, simultaneamente tão competente e amável. […]

Em certo sentido, uma encenação brilhante como a que a Trigo Limpo faz agora é o modo mais prudente para que eu, enquanto autor, regresse ao meu livro. […]

Voltamos a casa com vontade de colocar em cada vazio um sinal contrário. Porque, momentaneamente, estamos repletos. Fortes para muito mais do que o habitual.

Crónica de Valter Hugo Mãe in JL a 22-01-2014

No dia 5 de Março, quarta-feira, às 18h30, a Fundação José Saramago organiza um encontro dos actores com Valter Hugo Mãe. Um momento para se falar da peça, que nesse dia se apresenta pela primeira vez em Lisboa, e dos livros do escritor, Prémio José Saramago.

O Confidente de Hitler - Peter Conradi [Opinião]

Título: O Confidente de Hitler
Autor: Peter Conradi
N.º de Páginas: 408
PVP: 19,50€
Editora: Matéria-Prima

Sinopse:
A ascensão e queda de Ernst Hanfstaengl, cúmplice de Hitler, aliado de Roosevelt. A incrível história de Ernst Hanfstaengl, o homem que foi confidente de Hitler e que, mais tarde, viria a colaborar com as forças norte-americanas.Com acesso a documentação até então privada, Peter Conradi consegue levar-nos ao convívio íntimo com Adolf Hitler e com os seus colaboradores mais próximos.


A minha opinião: 
O Confidente de Hitler é a prova de que por muitos livros que se leiam sobre a Segunda Guerra Mundial há sempre algo que fica por dizer. Já perdi a conta aos livros que li sobre esta época atroz da história mundial, mas nunca tinha ouvido falar de Ernst Hanfstaengl, mais conhecido como Putzi.

Forte aliado de Hitler, tendo-o ajudado na ascensão do poder, Putzi foi uma peça chave para a formação do partido nazi. Foi Putzi que ensinou a Hitler a saudação Sieg Heil, uma cópia directa da técnica usada pelos animadores das claques de futebol americano, assim como a música ao estilo dos cânticos das universidades americanas. Tudo porque o confidente de Hitler estudou em Harvard, viveu nos EUA muito tempo tendo "bebido" muitas suas ideias nos americanos.

Depois de ter concluído os estudos, Putzi decide rumar para a Alemanha, onde estabelece relações com Hitler através do piano... foi através dele que se conhecem e se tornam próximos.

O que à partida se pode considerar que esta amizade colocará um pouco de bom senso nas ideias de Hitler, depressa constatamos que Putzi se revia na maior parte das ideias fascistas do líder nazi. E só foi afastado do seu cargo de confidente e amigo quando não alinhou em muitas das ideias de Goring e Goebbels. Caso tivesse concordado com tudo teria, muito provavelmente, sido um dos protagonistas do massacre ao povo judeu e outras minorias.

Portanto, a minha opinião sobre esta pessoa foi-se alterando ao longo do livro. Achei-o simpático, inteligente, mas depois fui descobrindo que era uma ser desprezível, vaidoso e que acreditava e apoiava a maior parte das ideias de Hitler.

Depois de desprezado pelo seu "amigo" decide sair da Alemanha, tendo sido mais tarde preso pelos aliados. É aí que decide trabalhar para as autoridades americanas, ajudando a decifrar códigos alemães. No entanto, nem os americanos convenceu.

O retrato íntimo de Hiter foi apenas uma das dezenas de relatórios que Putzi escreveu para os norte-americanos, mas mesmo assim mantinha o anti-semitismo e o anticomunismo.

O homem que descreveu a sua vida como um "teatro de revista melancólica" morreria aos 88 anos praticamente só.

Excerto:
"Assim como o piano tinha sido central na sua relação com Hitler, nos anos seguintes, Putzi imaginou-se a tocar também para Roosevelt."



Novidades Planeta para Março

NÃO FICÇÃO NACIONAL

Título: Dicionário de Insultos
Autor: Sérgio Luís de Carvalho
N.º de Páginas: 216
PVP: 16,65€
Nas livrarias a partir de 05 de Março

O primeiro dicionário do género que dá a conhecer a história e a origem de mais de quinhentos insultos que todos nós conhecemos, melhor ou pior.

A vida não anda fácil e a vontade de insultar é muita? Pois faça-o com estilo, faça-o com arte e conhecimento. Porque insultar bem é uma arte. Alguns dos insultos descritos neste livro já os proferimos,  em voz alta ou à sorrelfa; de outros já fomos alvo.
Alguns, de tão elaborados, nem dão jeito proferir. Se o leitor não acredita, experimente chamar iconoclasta ou sevandija a alguém. Outros são comuns, brejeiros, reles mesmo. Perdem em elegância o que ganham em javardice.
O facto de resultarem, diz bem da decadência a que chegou a nobre e vetusta arte de achincalhar o próximo. São insultos que estão ao nível daquele provérbio árabe que afirma que até os coelhos são capazes de insultar um leão morto. Neste livro falamos de todos eles. Ou enfim, se não de todos, pelo menos de muitos, dos mais acutilantes aos mais arredondados. E também explicamos a origem de algumas expressões que, aplicadas a alguém, são injuriosas; afinal dizer de outrem que anda à gandaia ou que está com a careca à mostra em nada a abona a seu favor...

Por que vale a pena ler este livro
. Pode insultar com classe e de forma certeira.
. É de utilidade social, pois ao insultar evita a violência física.
. Aumenta e melhora o nosso vocabulário de insultos, e por isso insultar deixa de ser monótono e sempre igual.

Sobre o autor:
Sérgio Luís de Carvalho nasceu em Lisboa em 1959. Licenciado em História e com um mestrado em História Medieval, tem até ao momento mais de 30 livros publicados em várias áreas: estudos históricos, livros infanto-juvenis e romances.
Na Planeta publicou, até à data, o romance O Destino do Capitão Blanc (2009), os livros para os mais novos O Caminho dos Reis de Portugal (2011), O Caminho dos Presidentes da República (2011) e A Minha Primeira História de Portugal (2012) e os livros de pesquisa e divulgação cultural e histórica Nas Bocas do Mundo – Uma viagem pelas histórias das expressões portuguesas (2010) e O Rei Embevedado de Amor, a Rainha Pé de Cabra, as Amantes Feiticeiras do Rei que Casou com a Cunhada e outras 208 histórias bizarras, trágicas e curiosas dos nossos reis e rainhas
Visite o site do autor em: www.sergioluisdecarvalho.com 

NÃO FICÇÃO ESTRANGEIRA
Título: Bíblia - Diálogo Vigente
Autores: Jorge Mario Bergoglio, Abraham Skorka, Marcelo Figueroa
N.º de Páginas: 296
PVP: 16,90€
Nas livrarias a partir de 05 de Março

Um livro único, fruto de mais de trinta encontros televisivos que Jorge Mario Bergoglio manteve, durante quase dois anos e meio, com o rabi Abraham Skorka e o bíblico protestante Marcelo Figueroa, na televisão argentina.



Dessas conversas luminosas e intensas, desse intercâmbio inter-religioso entre três amigos notáveis de credos diferentes, surgiu uma série de programas de televisão, transmitidos em Buenos Aires, no Canal 21 del Arzobispado, que foi premiado entre outros galardões, com o famoso Martín Fierro. Um livro de referência.
Vibrante, emotivo, lúcido e espiritual. Tendo por base a Bíblia, estes diálogos dão-nos uma visão moderna e única do pensamento do papa Francisco sobre variados assuntos: da esperança à solidariedade, passando pelo sofrimento, a verdade, a violência, o fanatismo, o sentido da vida, os medos, a família, a velhice, a dignidade, a razão e a relevância da fé nos tempos que correm.

«Este não é apenas um livro sobre um programa de televisão. Espero que tenha para todos o mesmo significado que tem para mim, um documento literário de um feito literário histórico e irrepetível, o único ciclo da televisão mundial que teve um papa como participante (…)» Marcelo Figueroa, compilador, in Prólogo


Através de longas e esclarecedoras conversas com o amigo e rabino Abraham Skorka, o novo papa partilha a sua visão do mundo e o futuro da religião e assume as suas opiniões sobre os principais temas da actualidade, mesmo os mais polémicos.
O novo líder da Igreja Católica revela ainda a sua posição, frontal e sincera, sobre a política e o poder, o comunismo e o capitalismo, o dinheiro, o Holocausto e o conflito israelo-árabe.

«Que acontece à volta desta mesa? É reunirmo-nos para falar de coisas religiosas, através das nossas atitudes? É jogar às visitas para sermos civilizados? Estamos a afirmar em público, enquanto cristãos, que a nossa identidade não se compreende sem a ligar à identidade judaica. Daí que o anti-semitismo seja uma monstruosidade para um cristão. 
 «A prova que os cristãos estão incluídos e não são superiores, embora afirmemos que o Messias já veio e vocês continuam a esperá-lo, mas os dois esperamos, nós que volte e vós que venha e isso não nos torna maiores. Creio que estamos a dar um sinal, um exemplo do que é incluir-nos mutuamente no caminho da eleição que Deus nos tem.» Jorge Mario Bergoglio Papa FRANCISCO

«Em suma, três religiões em consonância para construírem, em relação a um tema em particular, alguns acordos que ultrapassavam as visões e posições de cada um de nós. Do mesmo modo, as nossas diferenças doutrinais e confessionais, que nunca foram negadas ou escondidas, deviam permitir-nos aprender com elas e considerá-las oportunidades de conhecimento e encontro e não pretexto para obsessões e divisões. (…)
«(…) Notará o leitor que, em geral, se privilegiam histórias pessoais com o cardeal Jorge Mario Bergoglio que me serviram ou surgiram como fontes de inspiração às questões introduzidas. O meu desejo e confiança, que me permito dizer serem também partilhadas pelo papa Francisco e pelo rabi Skorka, é que, a quem mergulhe na leitura destas páginas, estas lhe façam bem à alma, que produzam nele ou nela o desejo de continuar e aprofundar os debates apresentados e abram na sua mente e no seu coração caminhos novos por onde transitem temas actuais, à luz da Bíblia.»
Marcelo Figueroa, compilador, in Prólogo


Sobre os autores:
JORGE MARIO BERGOGLIO nasceu em Buenos Aires a 17 de Dezembro de 1936. Em 1969 foi ordenado sacerdote, e em 1992, bispo auxiliar de Buenos Aires.
Em 1998 arcebispo de Buenos Aires e, desde 2001, bispo titular de Auca e primaz da Argentina. Também foi presidente da Conferencia Episcopal Argentina. A 13 de Março de 2013, o Conclave Cardinalício elege-o o 266.º papa da História. Adoptou o nome Francisco. É o primeiro pontífice latino-americano e o primeiro jesuíta.
ABRAHAM SKORKA nasceu em Buenos Aires a 5 de Julho de 1950. Doutor em Ciências Químicas (UBA), rabi, professor de Bíblia e Literatura Rabínica no Seminario Rabínico local e no Jewish Theological Seminary of America, professor honorário de Direito Hebreu (USAL). Criador das cátedras de Direito Hebreu na USAL e UBA. É reitor do Seminario Rabínico Latino-americano e rabi da Comunidade Benei Tikva. Em 2012, a Universidad Católica Argentina agraciou-o com o doutoramento honoris causa.
MARCELO FIGUEROA nasceu em Buenos Aires a 30 de Março de 1957. Licenciado em Contabilidade (UBA). Membro da Iglesia Presbiteriana San Andrés. Ex-director da Sociedad Bíblica Argentina e membro das Sociedades Bíblicas Unidas. Conferencista, biblista e teólogo protestante. Autor denumeros os artigos  relacionados com a Bíblia e o diálogo ecuménico. Referência evangélica no diálogo ecuménico argentino.Interlocutor e produtor do programa de televisão Bíblia. Diálogo Vigente.


FICÇÃO ESTRANGEIRA
Título: A Partir deste Momento - Os Sullivan
Autor: Bella Andre
N.º de Páginas:  200
PVP: 14,95 €
Disponível a 5 de Março

O segundo livro de uma série onde o sexo e a paixão estão ao virar de cada página.

A autora best-seller do The New York Times e USA Today, com mais de um milhão e meio de exemplares vendidos, narra nesta saga, e em cada livro, a história de cada um dos sete irmãos da família Sullivan.
Este romance, vencedor do Award of Excellence é é tão quente que vai derreter a sua imaginação.

Marcus Sullivan é o irmão mais velho responsável, há trinta e seis anos, desde a morte do pai, pelos sete irmãos, mas quando o seu futuro perfeito não passa, afinal, de uma mentira, decide afogar as mágoas numa noite estouvada.
Nicola Harding é conhecida por um único nome – Nico – devido às canções sensuais e arrebatadoras, só que ninguém sabe que a sua imagem de ingénua é falsa. Após a traição de um homem que gostava mais da fama do que dela, a cantora de vinte e cinco anos decide que nunca mais ninguém a magoará ou descobrirá quem é na realidade, em especial o belo estranho que conhece num nightclub apesar da fome e das promessas pecaminosas que lê nos olhos escuros, que lhe dão vontade de lhe revelar todos os segredos.
Nicola e Marcus decidem partilhar apenas uma noite, mas descobrem que se sentem atraídos e, apesar de não quererem, as emoções cada vez maiores e a atracção escaldante aproxima-os cada vez mais, ao ponto de se perguntarem se lhes basta uns momentos de união.

«Uma história sensual, com um argumento inebriante.» Publishers Weekley
«Bella Andre escreve romances quentes, sensuais e modernos. Ler cada um deles é realmente um prazer.» Maya Banks, autora best-seller do The New York Times

Sobre a autora:
Bella Andre tem um bacharelato em Economia pela Universidade de Stanford. Trabalhou como directora de marketing, mas sempre gostou de escrever. É autora de vários romances eróticos de grande êxito.
Vive no Norte da Califórnia com o marido e os filhos.
Descubra mais no seu sítio na internet: www.bellaandre.com

Título: Uma Família Feliz
Autor: David Safier
N.º de Páginas: 280
PVP: 16,95€
Disponível a 5 de Março



O novo e divertidíssimo romance do mesmo autor que fez rir mais de um milhão de leitores com Maldito Karma e Jesus Amam-me.

Tudo pode acontecer quando uma bruxa transforma uma família nos monstros em que iam mascarados a uma festa.

LER SEM MODERAÇÃO EM DIAS MUITO, MESMO MUITO MAUS!

Um romance hilariante, que é uma sátira ácida e impediosa que nos mostra como muitas vezes não damos valor ao que temos enquanto não o vemos com outros olhos.
Safier anima o leitor em cada linha, consegue que se ria e se divirta imenso. O livro está escrito com uma comicidade magnífica e a transbordar de jogos de palavras. A família Von Kieren é tão extraordinariamente  cómica e tão normal que o leitor compreenderá os seus problemas, mas também está sempre a rir-se deles.
A família Von Kieren está à beira do caos. A livraria da mãe, Emma, está na falência; o pai trabalha demasiado; a filha adolescente não consegue passar a uma única disciplina e o filho mais novo é humilhado pela rapariga de quem gosta.
Para cúmulo, depois de uma festa, uma bruxa enfeitiça os Von Kieren e condena-os a converterem-se nas personagens de que estão mascarados: de repente tornam-se uma vampira, um monstro, uma múmia e um lobisomem.
Para quebrar o feitiço, este singular quarteto partirá atrás da bruxa ao longo de meio mundo. E no caminho encontrarão muitos monstros autênticos: vampiros, lagartos gigantes e turistas alemães em excursão. Mas por muito que procurem, os Von Kieren não poderão deixar de ser monstros enquanto não voltarem a acreditar na felicidade familiar.

O que diz a crítica:
«David Safier volta a recorrer aos seus truques de magia… faz com que aconteçam coisas incríveis e comove os seus leitores. Arranca-nos um sorriso praticamente em todas as páginas.» Buchwurm
«Ninguém escreve como David Safier… O autor de Maldito Karma regressa com uma sátira de transformação, que aponta impiedosamente e com acerto para a realidade da vida familiar. É que ao fim de poucas páginas torna-se mais claro do que a água: em todas as famílias há monstros como estes.»
Buch Journal
«Com a sua nova obra, Safier demonstra que é um mestre do exagero sem contemplações.» Schweriner Volkszeitung

Sobre o autor:
Nasceu em Bremen, em 1966 e é nesta cidade que vive e trabalha. Conhecido guionista de séries de êxito de televisão, como Mein Leben und Ich (A Minha Vida e Eu), Nikola e Berlim, Berlim, foi galardoado com o Prémio Grimme e com o Prémio TV da Alemanha, e com um Emmy, nos Estados Unidos. Maldito Karma  (Planeta, 2011) o seu primeiro romance, foi um êxito internacional, que vendeu mais de um milhão e quinhentos mil exemplares na Alemanha e está já publicado em várias línguas. Em Portugal, em poucos meses chegou às cinco edições. Na Alemanha, um ano depois da sua publicação, permanecia na lista dos  mais vendidos, com um outro romance Jesus Ama-me (Planeta, 2012).

O Despertar do Mundo - Rhidian Brook [Opinião]

Título: O Despertar do Mundo
Autor: Rhidian Brook
Editora: Asa
N.º de Páginas: 328
PVP: 17,90€


Sinopse:
Em 1945, enquanto o mundo celebra a vitória sobre o exército nazi, a Alemanha derrotada é dividida. De um lado, a União Soviética. Do outro, os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a França. A Guerra Fria está prestes a começar.
Em Hamburgo, grupos de crianças esfomeadas vasculham os destroços em busca de alimentos, famílias desalojadas lutam por abrigos imundos. É nesta cidade arruinada que o coronel Lewis Morgan é encarregado de repor a paz. O governo inglês requisita uma casa para o acolher a ele e à família. Aos proprietários da mansão resta a indigência. É então que o coronel propõe uma solução inédita: a partilha do espaço. Mas ao contrário do que coronel espera, este pacto vai ser explosivo. A sua mulher, Rachel, vive fechada em si própria. O filho de ambos, Edmund, debate-se com uma solidão extrema. A alemã Freda é a adolescente rebelde, filha de Herr Lubert, um homem de elite inconformado com a submissão que lhe é imposta. Entre segredos e traições, a vida na casa é uma bomba-relógio que uma paixão proibida ameaça ativar..
Baseado no extraordinário ato de bondade do avô do autor, O Despertar do Mundo pinta um retrato único da guerra vista do lado dos perdedores.


A minha opinião: 
O Despertar do Mundo relata a história, tão raras vezes abordada do pós-Segunda Guerra Mundial. Do estado em que ficou a Alemanha, da ocupação deste país por parte dos ingleses, e da forma como estas duas populações se viam entre si.

Baseado em factos reais, da própria família de Rhidian Brook, este livro prendeu-me desde o início. Rico nas personagens, mais rico ainda na história de crianças sem pais, votadas ao abandono, desnutridas, vagando em busca de cigarros que lhes podem almejar a refeição diária.

Mas também mostra o dia a dia de famílias inglesas que são quase que forçadas partir de Inglaterra para se juntarem aos maridos e pais, que ali trabalham como militares, ocupando as casas outrora pertencentes a alemães.

Lewis é um desses homens. Coronel inglês, vê-se forçado a permanecer na Alemanha do pós-guerra para manter a ordem e levar aquele país a levantar-se novamente. Mas Lewis é uma pessoa diferente. Não vê todos os alemães como o inimigo, mas sim como vítimas de um governo fascista onde muitos deles nunca se identificaram. E, como tal, quando lhe destinam um casa senhorial para viver, Lewis não tem coragem para expulsar o seus verdadeiros donos de casa, um pai e uma filha adolescente. É aqui que se estabelece uma relação, não diria de amizade, mas de respeito, onde ingleses e alemães podem conviver sem que haja conflito.

Ambas as famílias são vítimas de uma guerra cruel, a ambas lhes foi retirada uma parte de si, uma parte da família. A Lewis o seu filho mais velho, a Lubert, a sua esposa que se encontra desaparecida...

Este é uma excelente base para se desenrolar uma trama, com relações escondidas, com conspirações para acabar com a ocupação inglesa e também para dar a conhecer alguns dos órfãos de guerra.

Muito bom.

Excerto: 
"Deem graças por não nos terem calhado os russos. Os ingleses podem ser incultos, mas não são cruéis."