sábado, 17 de maio de 2014

O Tintureiro Francês - Paulo Larcher [Opinião]

Título: O Tintureiro Francês
Autor: Paulo Larcher
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 384
Editor: Saída de Emergência
PVP: 17.76€

Sinopse:
Nos finais do séc. XVIII, o Marquês de Pombal viu-se a braços com um fracasso na sua política de regeneração industrial: a Real Fábrica de Panos, a menina dos seus olhos, apesar de todos os esforços e despesas não consegue produzir tecidos com a qualidade dos importados. Decide então convidar um tintureiro francês para vir a Portugal ensinar essa grande arte que, à época, fazia a riqueza e o prestígio das nações europeias.
O artista eleito foi o polémico Stéphane Larcher, que mal chega começa a revolucionar práticas e comportamentos. Um ano depois, cores nunca vistas vêm à luz e tecidos até então desconhecidos brilham em todo o seu esplendor. Ao partilhar a sua arte secreta com os portugueses, Stéphane sabia estar a arriscar a vida, a reputação e a fortuna. Mas ninguém o avisou que também comprometia fatalmente o próprio coração. 

A minha opinião: 
No Portugal pós-terramoto de 1755, Marquês de Pombal constata que o negócio dos panos, um negócio em que depositou grandes esperanças, nomeadamente na construção da Real Fábrica de Panos de Portalegre, estava a fracassar. Portugal estava a atrasar-se, em meios tecnológicos, em relação a outros países europeus, que faziam o tecidos num menor espaço de tempo e em mais quantidade.

Acreditando que podia mudar o rumo do descalabro das fábricas portuguesas, Pombal, aconselhado pelos seus homens mais próximos, nomeadamente por José Magalhães, decide "chamar" um célebre tintureiro francês, que se via em maus lençóis no seu país de origem, devido a opiniões políticas e que desejava urgentemente partir para as Américas.

Vendo em Portugal uma hipótese de fuga, Stéphane Larcher, o tintureiro, aceita a proposta feita pelo ministro português, e parte em demanda para o nosso país, ajudado a fugir por uma jovem mulata portuguesa, D. Teresa por quem acaba por morrer de amores.

O nome Larcher, comum entre o o autor e o protagonista do livro, coincidência que o autor descobriu ao fazer uma pesquisa sobre uns tecidos, fez com que a vontade de fazer um romance em que colocaria o tintureiro como personagem principal.

Muito bem escrito e descrito, O Tintureiro Francês é o romance ideal para todos os leitores que gostem de uma descrição de época, de um óptimo enredo e de um pouco de acção à mistura.

Divido em três partes, o leitor faz uma viagem a uma época da história, para mim bastante interessante, em que o desejo de Sebastião José Carvalho e Melo era colocar Portugal no caminho que os países mais desenvolvidos estavam a seguir, como se já tivesse a premonição da Revolução Industrial e do que se lhe iria seguir.

A história, embora que ficcionada de Stéphane Larcher, cativou-me bastante, sobretudo no facto de querer revolucionar tudo o que por cá se fazia, removendo hábitos estabelecidos entre os trabalhadores da fábrica, assim como os encarregados da mesma. Larcher mudou tudo, desde a maquinaria, à forma de fazer as tintas, até ao corropio de soldados que andavam por toda a fábrica.

É ainda de destacar a figura do marquês D. Pedro que, apesar das críticas dos seus semelhantes e até de criados, decide criar uma miúda bastarda, dando-lhe a mesma educação do irmão, tornando-a numa pessoa forte e conhecedora, muito raro naquela época.

Gostei.

Excertos:
"Todos os livros são uma pedra, cada uma com o seu lugar, por mais humilde que seja, no longo e áspero caminho terreno pelo qual todos nos dirigimos para o Pai Celeste."

"O livro vive do seu leitor, sem este é um montinho desprezível de folhas bolorentas. Não há livros que não devam ser lidos, mas nem toda a gente pode ler todos os livros."

Henrique Monteiro apresenta livro de Adriano Mixinge



sexta-feira, 16 de maio de 2014

«Artistas Portugueses em Discurso Directo» é o novo livro da Guerra e Paz

Título: Artistas Portugueses em Discurso Directo
Textos e entrevistas sobre arte contemporânea
Autor: Miguel Matos
N.º de Páginas:  344
PVP: 18,50 €
Género: Não Ficção/Arte
Nas livrarias a 21 de Maio
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Dando voz a alguns dos nossos mais importantes criadores, Artistas Portugueses em Discurso Directo apresenta uma visão particular e única da arte contemporânea portuguesa. Este livro reúne um conjunto de entrevistas realizadas por Miguel Matos, ao longo dos últimos sete anos. Tiveram publicação isolada e parcial em revistas, e agora, em livro, aparecem completas, dando um quadro global do nosso meio artístico e das suas tendências, aproximando os artistas do público interessado. Num registo pessoal, que por vezes roça o confessional, 33 artistas revelam-se e revelam os caminhos da arte do nosso tempo. Um livro que faz História.

Prefácio de Eduardo Nery
«Miguel Matos é um dos raríssimos "resistentes" na crítica escrita sobre as artes visuais. E fá-lo com argúcia, sensibilidade, e com uma boa capacidade de comunicação escrita. E ainda com a honestidade de quem procura entender a arte em diálogo com os artistas, o que me parece fundamental, ao entrevistar alguns deles, ou seja, mais uma faceta rara.
Sempre vi Miguel Matos como um crítico independente no meio de várias formas de poder e de pressão, e contribuindo também para a revalorização de alguns artistas injustiçados pelo nosso meio. Este seu livro irá contribuir para diminuir o fosso tantas vezes existente entre o público e a produção artística contemporânea, e não só.»

Sobre o autor:
É director fundador da revista Umbigo e editor da secção de arte da revista Time Out Lisboa. Ao longo de quase 20 anos como jornalista cultural, tem também acumulado experiências de curadoria e foi autor de diversos catálogos para exposições em galerias e museus de arte contemporânea em Portugal.

Artistas entrevistados
Adriana Molder Ana Fonseca Ana Vidigal Artur Rosa Barahona Possollo Cruzeiro Seixas David
Oliveira Eduardo Nery Emília Nadal Fátima Mendonça Gabriel Garcia Graça Morais Joana Rosa Joana Vasconcelos João Figueiredo João Galrão João Murillo José Pedro Croft Júlio Pomar Lara Torres Leonel Moura Manuel Caeiro Maria Beatriz Nadir Afonso Noronha da Costa Paula Rego Pedro Cabrita Reis Raúl Perez Rui Chafes Sandro Resende São Trindade Sara Maia Teresa Gonçalves Lobo.





Caso Snowden: o livro de Glenn Greenwald, o jornalista que divulgou a história, chega às livrarias a 23 de maio

Título: Edward Snowden – Sem Esconderijo
Autor: Glenn Greenwald
Género: Reportagem / Documentos
N.º de páginas: 360
Data de lançamento: 23 de maio
PVP: 18,80 €

O dia-a-dia de Edward Snowden após as revelações bombásticas que o obrigaram a esconder-se das autoridades norte-americanas.
Uma semana após a publicação internacional, chega a Portugal Sem Esconderijo, um novo olhar sobre o escândalo de vigilância da NSA, do repórter que trouxe a história a público.
O jornalista de investigação do The Guardian e autor best-seller Glenn Greenwald fornece um olhar aprofundado sobre o escândalo NSA, que provocou um debate nos EUA sobre a segurança e a privacidade das informações nacionais. Com novas revelações contidas nos documentos confiados a Glenn Greenwald pelo próprio Edward Snowden, este livro explora a extraordinária cooperação entre a indústria privada e a NSA, e as inumeráveis consequências do programa de vigilância do Governo norte-americano, tanto a nível nacional como mundial.

Entrevista ao autor:
http://www.theguardian.com/world/2014/may/12/glenn-greenwald-uk-arrest-me-edward-snowden-nsa

Recensão:
http://www.telegraph.co.uk/culture/books/10830270/No-Place-to-Hide-by-Glenn-Greenwald-review.html

Sobre o autor:
Glenn Greenwald (1967) é advogado constitucionalista, colunista, blogger, comentador político e escritor americano. As suas análises sobre a vigilância governamental e a separação de poderes foram citadas nos jornais The New York Times e The Washington Post, e em debates no Senado e na Câmara de Representantes dos Estados Unidos.



Assirio & Alvim publica novo livro de Javier Cercas

Título: As Leis da Fronteira
Autor:
Javier Cercas
Tradução: Helena Pitta
N.º de Páginas: 416
PVP: 17,70 €
Coleção: Peninsulares

As Leis da Fronteira confirma o autor como uma das figuras indispensáveis da narrativa contemporânea
No próximo dia 23 de maio chega às livrarias nacionais o mais recente livro de Javier Cercas, um dos mais conceituados autores espanhóis da atualidade. As Leis da Fronteira é uma impetuosa história de amor e desamor, de enganos e violência, de lealdades e traições, de enigmas por resolver e de vinganças inesperadas.
No verão de 1978, com Espanha a sair ainda do franquismo e sem ter entrado definitivamente na democracia, quando as fronteiras sociais e morais parecem mais porosas do que nunca, um adolescente chamado Ignacio Cañas conhece por acaso Zarco e Tere, dois delinquentes da sua idade, e esse encontro mudará para sempre a sua vida. Trinta anos mais tarde, um escritor recebe o encargo de escrever um livro sobre Zarco, transformado nessa altura num mito da delinquência juvenil da Transição. O  que acaba por encontrar não é a verdade concreta de Zarco, mas uma verdade imprevista e universal, que nos diz respeito a todos. Assim, através de um relato que não dá um instante de trégua, escondendo a sua extraordinária complexidade sob uma superfície transparente, o romance transforma-se numa pesquisa apaixonada sobre os limites da nossa liberdade, sobre as motivações impenetráveis dos nossos atos e sobre a natureza inapreensível da verdade.
Escrevendo um romance que pinta, por um lado, um panorama complexo, cruel e detalhado de Espanha na segunda metade do século xx e que, por outro, decompõe esse panorama num número infinito de fragmentos de um caleidoscópio em mudança, Cercas oferece aos seus leitores uma obra prima da narrativa.

Sobre o Autor
Javier Cercas nasceu em Ibahernando, Cáceres, em 1962. Os seus livros foram traduzidos para mais detrinta línguas e obtiveram diversos prémios, de que destacamos: Prémio Nacional de Literatura, Prémio Cidade de Barcelona, Prémio Salambó, Prémio da Crítica do Chile, Prémio Llibreter, Prémio Qué Leer, Prémio Grinzane Cavour, Prémio The Independent Foreign Fiction, Prémio Arcebispo Juan de San Clemente, Prémio Cálamo, Prémio Mondello, Prémio Internacional Terenci Moix e The European Athens Prize for Literature. Em 2011 foi-lhe atribuído o Prémio Internacional do Salão do Livro de Turim pelo  onjunto da sua obra.


quinta-feira, 15 de maio de 2014

«Toda a China» (Vol.II) chega às livrarias a 21 de Maio

Título: Toda a China – Descobrir, Desvendar, Entender o Mundo Chinês (Vol.II)
Autor: António Graça de Abreu
N.º de Páginas: 280 páginas + 32 (cor)
PVP: 23 €
Género: Não Ficção/Viagens
Nas livrarias a 21 de Maio
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Com este segundo volume de Toda a China, fecha-se o ciclo das peregrinações de António Graça de Abreu pelo velho e actual Império do Meio. Após seis anos de vida em Pequim e Xangai, entre 1977 e 1983, o autor continuou a viajar exaustivamente por todo o mundo chinês, da Manchúria às fronteiras com o Laos, da Mongólia Interior a Taiwan, de Macau ao Tibete. Todas as 22 províncias, 5 regiões autónomas, 4 municípios centrais e 2 regiões administrativas especiais, mais Taiwan, foram visitadas ao longo de trinta e sete anos de viagens e estadas na vasta China, tão grande como a Europa. Pouquíssimos estrangeiros e não muitos chineses conhecerão o mundo chinês de forma tão exaustiva: são quase quatro décadas de extraordinárias jornadas contidas em livro.
António Graça de Abreu traz-nos, numa escrita descomplexada e fascinante, o testemunho das suas múltiplas vivências em viagens de terra em terra, pelas grandes cidades ou pelo infindável campo chinês, pelas montanhas sagradas do Império ou por templos budistas e taoistas perdidos nos confins da China, pela magia das terras tibetanas, por desertos inóspitos ou por luxuriantes ilhas e praias do Pacífico. É a completa imersão em todo o mundo chinês, plurifacetado e complexo, na sua história, património cultural, transformações sociais e políticas, na descoberta surpreendente de ligações com Portugal, na vida quotidiana de centenas de milhões de cidadãos tão diferentes de nós mas com um mesmo coração a bater ao compasso de um mesmo tempo.
Toda a China é ilustrado com fotografias do autor.

Sobre o autor:
Nasceu no Porto, em 1947. Licenciado em Filologia Germânica e mestre em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa, foi professor de Língua e Cultura Portuguesa em Pequim e Xangai e tradutor nas Edições de Pequim em Línguas Estrangeiras, entre 1977 e 1981. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Oriente.
Leccionou Sinologia na Universidade Nova de Lisboa, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, em Lisboa, na ex-Missão de Macau, em Lisboa, e fá-lo actualmente no Museu do Oriente e na Universidade de Aveiro.
Traduziu para português O Pavilhão do Ocidente (1985), teatro clássico chinês, os Poemas de Li Bai (1990), Prémio Nacional de Tradução 1991, Poemas de Bai Juyi (1991) Poemas de Wang Wei (1993), Poemas de Han Shan (2009) e o Tao Te Ching, de Lao Zi (2013). É autor dos livros de poesia China de Jade (1997), China de Seda (2001), Terra de Musgo e Alegria (2005), China de Lótus (2006), Cálice de Neblinas e Silêncios (2008), A Cor das Cerejeiras (2010), da biografia de D. Frei Alexandre de Gouveia (1751-1808), bispo de Pequim (2004) e de Toda a China I (2013). É co-autor de Sinica Lusitana, vol. I e II (2000 e 2004).
Entre 1996 e 2002, pertenceu ao board da European Association of Chinese Studies (Heidelberga e Oxford).


“Porto de Encontro” marcado com Jorge Sousa Braga

No próximo domingo, a poesia vai encher a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, com a participação de João Luís Barreto Guimarães, Ana Celeste Ferreira e José Carlos Tinoco
O poeta Jorge Sousa Braga é o convidado do jornalista Sérgio Almeida para a XXVII edição do “Porto de Encontro”, que se realiza no próximo domingo, 18 de maio, pelas 17:00, a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto.
Considerado como um dos principais nomes da poesia  contemporânea, Jorge Sousa Braga é autor de obras como A Ferida Aberta, Porto de Abrigo, O Novíssimo Testamento, Herbário, tendo sido muito recentemente editado o título O Poeta Nu, obra que reúne a poesia de Jorge Sousa Braga e que estará em destaque neste “Porto de Encontro”. De sublinhar, também, o contributo ímpar deste poeta para a divulgação em Portugal de inúmeros autores consagrados, através da tradução e da realização de antologias de obras de escritores como Jorge Luís Borges, Matsu Bashô, Apollinaire, entre outros.
A conversa com Jorge Sousa Braga conta com a participação especial de João Luís Barreto Guimarães e leituras de Ana Celeste Ferreira e José Carlos Tinoco.
Esta XXVII edição do “Porto de Encontro” tem o apoio Câmara Municipal do Porto, Livrarias Bertrand, Jornal de Notícias, Porto Canal, Antena 1, Porto Barros e Arcádia.

O aguardado desfecho da premiada série de fantasia «Percy Jackson e os Olimpianos»

Título: Percy Jackson e o Último Olimpiano
Autor:
Rick Riordan
PVP: 16,90€
N.º de Páginas: 368

Os mestiços passaram o ano inteiro a preparar para a batalha contra os Titãs, sabendo que a vitória é pouco provável. O exército de Cronos está mais forte do que nunca, e a cada novo deus ou mestiço que é recrutado, o poder de Cronos aumenta cada vez mais.

Enquanto os Olimpianos lutam para travar o monstro Tifão, Cronos avança em direção à cidade de Nova Iorque, onde o Monte Olimpo quase não tem vigilância. Cabe agora a Percy Jackson e ao seu exército de jovens semideuses travarem o Senhor do Tempo.

Neste muito aguardado quinto e último livro da série best-seller «Percy Jackson e os Heróis do Olimpo», a profecia envolve o dia do 16.º aniversário de Percy. E, enquanto luta por travar o fim da civilização ocidental nas ruas de Manhattan, Percy enfrenta a terrível sensação de que, na realidade, está a lutar contra o seu próprio destino.

Sobre o autor:
Rick Riordan nasceu em 1964, em San Antonio, Texas, Estados Unidos, onde mora com a mulher e dois filhos. Durante quinze anos ensinou Inglês e História em várias escolas públicas e particulares de São Francisco. Para além da coleção «Percy Jackson», publicou uma coleção de mistério para adultos, «Tres Nevarre», que também obteve vários prémios, «The Kane Chronicles» e iniciou recentemente uma nova série de fantasia chamada «The Heroes of Olympus». Os livros da coleção «Percy Jackson» já venderam milhões de exemplares, estando há mais de 3 anos no top do New York Times. O filme de Chris Columbus, que já realizou dois filmes da série Harry Potter, estreou em Portugal, em fevereiro de 2010 e foi protagonizado por Pierce Brosnan e Uma Thurman.

Novidades Planeta para Maio

FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: Um Amor ao Luar
Autor: Emma Wildes
N.º de Páginas: 296
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 21 de Maio



Um livro verdadeiramente romântico e sensual.» Publishers Weekly


A premiadíssima autora, que conta com uma legião de fãs em Portugal, regressa com um novo livro, o primeiro de uma nova série Whisper of Scandal.
Emma Wildes é já uma referência no romance histórico feminino, e seduziu irremediavelmente os leitores portugueses com os oito livros anteriores, já publicados pela Planeta.
Dona de uma escrita envolvente, que combina na dose certa sensualidade e erotismo, Emma Wildes apimenta esta história de época com muito sexo e paixões avassaladoras até à última página.
Emma Wildes mostrou mais uma vez a sua capacidade para apresentar novas variações do romance em todas as suas infinitas formas. Esteja preparado para sentir crescer as suas paixões, ao ler as cenas de amor maravilhosamente escritas.» Just Erotic Romance Reviews
«Único, magistralmente escrito e viciante.» TwoLips Reviews

«Perversamente deliciosa e ousada, a narrativa de Emma Wildes cativa com uma fantasia erótica que é ao mesmo tempo um romance da época da Regência habilmente trabalhado. A autora apresenta uma obra irresistível que capta a época, os costumes e o comportamento escandaloso que se esconde abaixo da superfície.» Romantic Times

Como reagirá a sociedade quando os seus diamantes de primeira água são apanhados em situações comprometedoras, uma após outra? Conseguirão as jovens senhoras sobreviver à temporada com a reputação intacta ou… causarão os mexericos escandalosos que as rodeiam a sua derradeira desgraça?
Quando Lady Elena Morrow, a beldade reinante do ton, de súbito desaparece, a família está desesperada para a encontrar e, para impedir que a história alastre pela sociedade londrina como um rastilho, antes que a sua reputação seja destruída. Infelizmente, pode ser impossível evitar um escândalo. O visconde Andrews, mais conhecido como o Corvo, o libertino mais célebre de Londres, desapareceu no mesmo momento. Benjamin Wallace, lorde Heathton, está mais habituado a resolver problemas políticos do que os do coração. Mas quando é pressionado para ajudar a encontrar Lady Elena, não pode recusar - o pai desvairado também é tio da sua esposa.
Agora tem de encontrar a bela debutante antes que a associação com o desaparecimento de Andrews lhe ponha fim à inocência – presumindo que a jovem e vulnerável senhora queira ser encontrada…

Sobre a autora:
Emma Wildes cresceu a devorar livros e a escrita nasceu naturalmente. Estudou na Universidade de Illinois é e licenciada em Geologia. Vive em Indiana com o marido e três filhos. Foi a autora n.º 1 do Fictionwise, WisRWA Reader’s Choice Award, vencedora na categoria de Romance Histórico em 2006, do Lories Best Published, e em 2007 vencedora do Eppie para o melhor romance erótico.
Livros publicados pela Planeta: Uma Aposta Perversa, Lições de Sedução, Um Homem Imoral, Um Erro Inconfessável, Pecados Escondidos, Sussurros Ousados, Traída pelo Destino e Paixão Escandalosa.Descubra mais sobre a autora no seu sítio na internet: www.emawildes.com

Título: A Revelação
Autor: Lissa Price
N.º de Páginas: 280
PVP: 18,85€
Disponível a partir de 21 de Maio

Se leu o primeiro livro desta série e ficou com o coração aos saltos, não vai querer perder o grande final desta distopia, que se tornou em poucos meses num best-seller de vendas, a que a crítica não poupou elogios, considerando-o um digno sucessor de Jogos da Fome.

Assustador, emocionante, intenso e com uma história que se passa num hipotético futuro, talvez não muito distante, que nos faz pensar que poderá de facto acontecer. Uma aventura pós-apocalíptica onde os jovens têm de lutar contra uma sociedade fascinada pelas aparências e que se aproveita deles. Uma sociedade onde a juventude é o bem mais apreciado e uma verdadeira mercadoria.
Uma história inteligente, uma narrativa ágil e fluída, uma trama viciante que a autora conseguiu combinar com mestria, e que prende o leitor até à última página.
Este romance, que se transformou de imediato num êxito de vendas, já garantiu a sua adaptação para cinema.

«A única coisa melhor do que um conceito fantástico é o que é tão bem executado como Destinos Interrompidos. Os leitores que têm esperado um digno sucessor de Suzanne Collins vão encontrá-lo aqui. Uma distopia no seu melhor, um excelente pontapé de saída que vai deixar os leitores aos saltos.»
Los Angeles Times

«O lançamento desta série distópica oferece-nos uma mestria notável da técnica e levanta pertinentes questões sobre classes sociais, o corpo como propriedade e a mente como separação.» Publishers Weekly

O FIM ESTÁ PRESTES A CHEGAR
Com o fim da Destinos Primordiais, Callie já não tem de alugar o seu corpo a sinistros Terminantes. Mas o neurochip que lhe implantaram no cérebro torna-a vulnerável a todos os que quiserem entrar dentro da sua cabeça e obrigá-la a fazer coisas contra a sua vontade. Os Iniciantes que contêm este chip tornam-se cobaias nas mãos dos mais poderosos Terminantes, e alguém anda a fazer explodir os dispositivos, transformando-os em bombas humanas. Callie continua a ser perseguida pela voz do Velho, bem como pelas memórias da sua ex-locatária, Helena. Determinada a vencer o medo e dar uma vida normal ao irmão, Callie decide ripostar. Um aliado improvável associa-se à sua busca. Encontrar o Velho e travá-lo talvez seja uma sentença de morte, mas ela está disposta a tudo para descobrir a verdade.

Sobre a autora:
Lissa Price estudou fotografia e escrita, mas o mundo acabou por ser o seu maior professor. Quando se sentou para escrever, percebeu que a mais surpreendente viagem estava dentro da sua cabeça. Vive no sopé das colinas no Norte da Califórnia com o marido e os ocasionais veados.
Visite Lissa em www.lissaprice.com

JUVENIL


Título: Mistério no Museu de Arte Antiga
Autor: Patrícia Reis
N.º de Páginas: 112
PVP: 8,50 €
Nas livrarias a partir de 21 de Maio

O primeiro livro da série de grande sucesso entre os mais novos, O Diário do Micas, esgotado no mercado, agora recuperado pela Planeta

Um livro divertido e didáctico, que integra o Plano Nacional de  Leitura, tal como toda a colecção, que dá a conhecer os museus e espaços culturais portugueses com humor, leveza e muito mistério.

Micas e os seus amigos são um grupo de miúdos curiosos e que aprendem imenso «ao vivo» com estas aventuras, onde há desde os «cromos» sabichões até aos que têm muitas dificuldades na escola. Uma série que integra como heróis crianças comuns e descontraídas, e que vai ajudar os jovens leitores a conhecerem mais um espaço cultural português, de uma forma divertida e cheia de aventura.
Neste primeiro livro o palco da aventura é um local emblemático de Lisboa, o Museu de Arte Antiga.

Nas férias, o Micas costuma ir com o avô, que é jardineiro, para o Museu Nacional de Arte Antiga, onde ele trabalha. É um bocado chato, na verdade – uns toques na bola com amigos de ocasião, e mais nada...
Mas este ano, o avô resolve inscrevê-lo num programa de actividades de Verão que a Directora do Museu criou para os mais novos.
Surpresa das surpresas, o Gugas, o seu melhor amigo, também se inscreve! E, para ajudar, no grupo de inscritos há benfiquistas e miúdas giras.
A coisa prometia um Verão bem mais animado, mas nada que se comparasse ao que os aguardava, quando, dias mais tarde, o Museu é virado do avesso por um mistério que o grupo se une para resolver...
Tal como em todos os volumes da série, o livro termina com um glossário de termos e factos envolvidos na história, fornecendo informação útil e rigorosa.

Sobre a autora:
Nasceu em 1970, começou a sua carreira jornalística em 1988 no semanário O Independente, passou pela revista Sábado e realizou um estágio na revista norte-americana Time, em Nova Iorque. De volta a Portugal, é convidada para o semanário Expresso, fez a produção do programa de televisão Sexualidades, trabalhou nas revistas Marie Claire, e Elle e nos projectos especiais do diário Público. Editora da revista Egoísta, é sócia do ateliê de design e texto 004, participando em projectos de natureza muito variada.







Conheça a biografia "Jorge Coelho. O Todo-Poderoso" de Fernando Esteves

Esta sexta-feira a Esfera dos Livros edita a biografia Jorge Coelho. O Todo Poderoso de Fernando esteves. Uma obra da colecção Actualidade Biográfica que nos leva a conhecer um dos políticos com mais visibilidade nas últimas duas décadas, e cuja influência na tomada de algumas decisões que marcaram o destino recente de Portugal foi crucial, para além de nos mostrar um lado mais pessoal e íntimo de Jorge Coelho.

Ao longo destas páginas vamos conhecer pormenores de episódios que nunca foram divulgados publicamente: a morte de Sousa Franco em plena campanha eleitoral, os bastidores que minaram o guterrismo por dentro, como o Totonegócio e os «jobs for the boys» ou a «cilada» montada a António José Seguro em 2004 para impedir que o atual líder socialista se candidatasse contra José Sócrates à chefia do PS.

Ficamos a conhecer em detalhe a polémica contratação de Jorge Coelho para a liderança executiva do grupo Mota-Engil, a quem adjudicara contratos milionários enquanto ministro e também as suas ligações ao universo da maçonaria.

Sinopse:
«Jorge, ou é internado ou morre.» O aviso chegou através de um fax manuscrito. Era a derradeira tentativa de Helena Boquinhas, médica de Jorge Coelho, para o resgatar da escuridão do quarto de sua casa, o seu refúgio enquanto tratava um cancro que o devastou física e psicologicamente. Estava com uma depressão profunda. A violência das sessões de quimioterapia e radioterapia a que se submetia era avassaladora. E só com a ajuda da sua mulher Cecília e da filha Maria João conseguiu atravessar o calvário do cancro. Quando soube que estava curado, chorou. Mas até hoje permanece em alerta. A luta do ex-dirigente socialista contra a doença súbita que quase o matou é um dos capítulos mais surpreendentes desta biografia, que resulta de cinco anos de investigação, durante os quais o jornalista Fernando Esteves entrevistou mais de 70 pessoas que contaram episódios que nunca partilharam publicamente. Ao longo destas páginas ficamos a conhecer pormenores sobre a morte de Sousa Franco em plena campanha eleitoral para as eleições europeias de 2004, os bastidores de todas as polémicas que minaram o guterrismo por dentro, como o Totonegócio e os «jobs for the boys», ou a «cilada» que foi montada a António José Seguro em 2004 para impedir que o atual líder socialista se candidatasse contra José Sócrates à chefia do PS. Também a polémica contratação de Jorge Coelho para a liderança executiva do grupo Mota-Engil, a quem adjudicara contratos milionários enquanto ministro, é abordada em detalhe, assim como as suas ligações ao universo discreto da maçonaria, com a revelação da loja maçónica em que foi iniciado e dos respetivos membros.
Jorge Coelho, O Todo-Poderoso é um livro imprescindível para conhecer por dentro os últimos 20 anos da política nacional.
                                                                                     
Sobre o autor:
Fernando Esteves nasceu em 1973, em Lisboa. É editor de Política da revista Sábado. Tem dois cursos superiores: Relações Públicas e Ciências da Comunicação. É pós-graduado em Jornalismo pela Universidade Nova de Lisboa, onde também frequentou o mestrado de Ciências da Comunicação. Frequentou ainda o curso de Direito.
Durante dez anos deu aulas de jornalismo em várias universidades portuguesas. Foi também formador do Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas (Cenjor). Hoje utiliza o seu blogue profissional – a que chamou Alter Ego – para partilhar opiniões sobre jornalismo e política.
Foi redator no semanário Euronotícias e redactor e editor n' O Independente, de onde saiu em 2005 para trabalhar na Sábado. Entre 2008 e 2009 apresentou, na RTP 2, o programa «Clube de Jornalistas». Em 2007 foi distinguido com o prémio «Jornalista do Ano», atribuído pela Associação Portuguesa dos Médicos de Clínica Geral. Este é o seu primeiro livro.



Apresentação: Franceses, Marinheiros e Republicanos... de Filomena Marona Beja



Apresentação do livro Acho que posso ajudar, de David Machado e Mafalda Milhões



Novidade Matéria-Prima: Bruno de Carvalho, o Presidente sem medo

Título:  Bruno de Carvalho, o Presidente sem medo
Autor: Bruno Roseiro
Género: Biografia
Número de páginas: 240 + 16 ET
PVP: € 15,00

Quando a esperança começava a faltar, Bruno de Carvalho apareceu. Enfrentou poderes estabelecidos dentro e fora do Sporting, apesar das críticas e da desconfiança. E veio para ficar.

Sobre o livro:
Quando terminou a época 2012/2013, os sportinguistas estavam entre o desânimo e a resignação. A equipa ficou em sétimo lugar, o pior de sempre. O passado de clube grande tinha um presente pequeno.
Poucos se atreviam a prever que, menos de um anos depois, o Sporting tivesse competido pelo primeiro lugar e chegado à Champions. Com frescura, atitude, garra, golos e o apoio crescente dos adeptos que voltaram a rever-se nos seus.
Tem jogadores jovens, motivados e com espírito de compromisso. Um treinador competente e metódico. Acima de tudo, tem um presidente que contraria o perfil de liderança das últimas décadas em Alvalade. Um homem de excepção para um momento de excepção, que enfrentou situações limite no balneário e no clube.
Bruno de Carvalho, que aos seis anos decidiu ser presidente do Sporting, é mais do que um líder voluntarioso, apaixonado pelo clube: comanda com estratégia, coragem e é capaz de tomar decisões difíceis para alcançar um bem maior. É um presidente sem medo, inspirado pelos valores familiares. É controlador e exigente… Principalmente consigo mesmo porque “vive” com o adepto mais fervoroso e ambicioso - ele próprio.
Este livro resulta de uma investigação jornalística feita por Bruno Roseiro
(e iniciada em Setembro de 2013) e de uma série de entrevistas com Bruno de Carvalho onde este fala das situações limite do primeiro ano de mandato, nomeadamente a restruturação financeira e a reorganização do futebol.

Sobre o autor:
Bruno Pinto Roseiro é licenciado em Comunicação Social pela Universidade Católica Portuguesa. Começou a carreira no jornal Record, tendo passado pelas secções Nacional, Revista Dez, Futebol e Sporting, clube que acompanhou diariamente em termos profissionais desde 2006. Fez parte da equipa fundadora do jornal I. Passou para o jornal Expresso, também na secção Desporto. O Presidente sem Medo é o seu primeiro livro, tendo ainda outros projectos em estudo na área do desporto.



quarta-feira, 14 de maio de 2014

A Hipótese do Mal - Donato Carrisi [Opinião]

Título: A Hipótese do Mal
Autor:
Donato Carrisi
Tradução: Carlos Aboim de Brito
Págs.: 424
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

Sinopse:
Todos nós já sentimos, em algum momento, o desejo de desaparecer. De deixar tudo para trás. Para alguns, isso transforma-se numa obsessão que os consome e engole, até que acabam por desaparecer na escuridão. Todos se esquecem deles. Todos, menos Mila Vasquez, investigadora no Gabinete das Pessoas Desaparecidas.
Sem que ninguém o conseguisse prever, indivíduos que se esfumaram no vazio há vários anos regressam com intenções obscuras. Uma série de crimes, sem relação aparente entre si, traz consigo uma descoberta surpreendente: os seus autores são pessoas que se pensava desaparecidas para sempre. Onde estiveram durante tanto tempo? E porque regressaram? Qual o plano maléfico a que obedecem? Mila percebe que para travar este exército das trevas não lhe bastam os indícios. Tem de dar à escuridão uma forma, um sentido, precisa de formular uma hipótese sólida, convincente, racional… A Hipótese do Mal.

A minha opinião:
Depois de O Tribunal das Almas não me ter ficado indiferente, A Hipótese do Mal, publicado recentemente pela Porto Editora, teria de ser de leitura imediata.

O Sopro do Mal, primeiro livro do autor, com muitas críticas positivas, ainda não chegou à minha estante, mas confesso que já esteve bem mais longe de chegar. Ainda para mais, sabendo agora que Carrisi traz para este novo livro a mesma protagonista do primeiro. É que gostei mesmo de Mila Vasquez e da sua vida obscura que, muito provavelmente, é melhor retratada no Sopro.

Mas voltando à A Hipótese do Mal onde o desaparecimento de pessoas está no centro de tudo. Mila, pertence ao Limbo, um departamento da polícia que tenta resolver casos de pessoas desaparecidas, sem deixar rasto. O trabalho é esgotante e, por vezes, incompreendido. Quantas dessas pessoas que desaparecem voltam a aparecer? E o que terá sido feito dessas mesmas pessoas? Terão morrido? Terão desaparecido de livre vontade e refeito a sua vida numa outra localidade, outro país? E o que é feito dos famíliares dos desaparecidos?

E quando alguns desses casos ressurgem 20 anos depois, deixa tudo em alvoroço. Os assassinatos que têm ocorrido com a assainatura de alguns dos desaperecidos do limbo deixam no ar duas questões: Será fruto de uma organização terrorista ou um grupo vingador?

Tantas perguntas para tão poucas respostas...

Carrisi pega num tema fantástico e, com muita psicologia à mistura, e leva Mila por terrenos tenebrosos e por assassinatos horrendos, mesmo do jeito que eu gosto. Pelo meio surge um agente posto de parte pelo resto dos colegas polícias, que fará uma dupla perfeita com a protagonista. Um par sombrio, cheio de problemas do passado, que enriquece ainda mais a trama.

Muito bom, melhor ainda que O Tribunal das Almas, e que nos deixa um gosto amargo no fim. Prenúncio de que queremos saber mais e qual será o desfecho da personagem principal.

Do mesmo autor: 
Pode ler a opinião aqui!



Apresentação de livro Pediatra para Todos


Saiba a resposta a 101 Perguntas Incómodas sobre Portugal em O Economista insurgente

Já alguma vez se perguntou por que é que temos salários tão baixos e dizem que têm de ser ainda mais baixos? Sabe porque é que não se conseguem cobrar dívidas neste país? Porque é que o combustível é mais caro em Portugal? Porque é que há falta de médicos em Portugal? Ou os professores estão sempre em protesto? Ou porque é que as empresas de transportes públicos não funcionam e fazem greve? 

Miguel Botelho Moniz, Carlos Guimarães Pinto e Ricardo Gonçalves Francisco, respondem neste livro a algumas das perguntas mais comuns sobre os problemas que abalam Portugal, em áreas tão distintas como a saúde e a educação, a justiça, os transportes, o sector energético e os combustíveis, não esquecendo, a crise que o país atravessa nos últimos 10 anos e que culminou no pedido de ajuda financeira em 2011, à troika.
   

Sinopse:
Já alguma vez se perguntou por que é que temos salários tão baixos e mesmo assim dizem que têm de ser ainda mais baixos? Porque é que os professores estão sempre a protestar? Porque é que as empresas de transportes públicos não funcionam e andam sempre em greve?  Sabe porque é que não se conseguem cobrar dívidas neste país? De onde vem a dívida do estado? Porque é que os partidos de governo são sempre os mesmos? O combustível é tão caro em Portugal por algum motivo? Será que os patrões em Portugal são menos generosos com os salários do que no resto da Europa? Porque é que há falta de médicos em Portugal? Estas são algumas das 101 perguntas incómodas sobre Portugal que encontram resposta clara, frontal e objetiva nas páginas deste livro. Perguntas que todos nós nos fazemos, no nosso dia-a-dia, e para as quais a economia pode dar uma resposta. A economia é uma disciplina com má reputação, graças à suposta incompetência dos economistas em encontrar soluções para a atual crise económica. O que é certo é que todos os dias cidadãos, políticos e comentadores televisivos opinam sobre economia na comunicação social e graças à sua falta de conhecimento sobre o tema contribuem para criar falácias e mitos que, de tão repetidos que são, acabam por ser aceites como verdadeiros, deturpando a realidade económica do país e o processo de decisão política. Um número surpreendente de problemas no país, mesmo os que parecem fora da esfera económica, devem-se a estas falácias e mitos. Neste livro, Miguel Botelho Moniz, Carlos Guimarães Pinto e Ricardo Gonçalves Francisco, que escrevem sobre economia no controverso blogue O Insurgente, respondem a algumas das perguntas mais comuns sobre os problemas que abalam Portugal, nas suas mais diversas áreas, da saúde e educação à justiça, dos transportes, ao sector energético e dos combustíveis. Não esquecendo a crise que o país tem atravessado nos últimos 10 anos e que culminou no pedido de ajuda financeira em 2011, analisando com isenção e do ponto de vista económico a atual situação portuguesa, as suas causas e os seus efeitos.
Uma obra essencial para compreender aquilo que os políticos não explicam.    

Sobre o autor:
Miguel Botelho Moniz, empreendedor e gestor. Licenciado em Engenharia Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico e MBA pela London Business School. Nasceu em Lisboa, no verão de 1969, mas cresceu como emigrante no Brasil. Quando voltou, tornou-se imigrante na terra natal. Acabou por habituar-se, altura em que foi viver para Inglaterra durante 2 anos. Foi engenheiro de sistemas, webmaster e consultor de estratégia antes de decidir estabelecer-se por conta própria. Divorciado, pai de um filho, vive em Lisboa, onde trabalha nas suas duas empresas de sistemas de informação e toca guitarra nas horas vagas. Escreve habitualmente sobre política, economia e finanças no blogue O Insurgente.

Carlos Guimarães Pinto, economista de formação, consultor de profissão e emigrante por opção. Licenciou-se em Economia pela Faculdade de Economia do Porto no tempo em que se demorava 5 anos a tirar o curso. Começou a vida com o pé direito, mais especificamente com o pé direito de Carlos Manuel, cujo golo pelo Benfica naquela tarde de Verão de 1983 haveria de encerrar de vez a questão do nome a dar à criança nascida minutos depois. Casado há cinco anos, é natural da freguesia de Paramos, Espinho, mas vive no Dubai há sete anos. Visitou mais de cinquenta países nos últimos dez anos, mas só metade em trabalho. Continua a escrever sobre economia e atualidade nacional nos blogues O Insurgente e Portugal Contemporâneo.

Ricardo Gonçalves Francisco, é gestor e empreendedor. Licenciado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa. Nasceu na recentemente independente Angola, em novembro de 1976, onde viveu até 1981, tendo crescido e estudado em Lisboa. Trabalhou na área de marketing e como consultor de estratégia em Espanha e no Brasil, além de Portugal. Casado e pai de uma filha, vive em Lisboa onde gere uma empresa de TI que o está a levar a passar cada vez mais tempo na terra que o viu nascer. Escreve sobre política e economia no blogue O Insurgente e colabora com o jornal Diário Económico.

Clube do Autor: A ciência por trás do boca a boca

Título: Contágio
Autor: Jonah Berger
PVP: 15,50€
N.º de Páginas: 236
Já nas livrarias

Como se criam as mensagens virais? O que torna algumas coisas populares à escala mundial?

A ciência por trás dos fenómenos virais ou como difundir os seus produtos e ideias com êxito.

Contágio, de de Jonah Berger, professor de Marketing na Wharton School, é um livro baseado em pesquisas inovadoras na área das ciências sociais e revela histórias poderosas sobre os nossos hábitos de vida e de consumo. Se alguma vez se interrogou porque são partilhadas certas histórias, porque são reencaminhados alguns e-mails, ou porque há vídeos que se tornam virais, este é o livro certo para si.
Das pulseiras Livestrong ao iogurte grego, passando pela música «Gangnam Style» à moda das dietas, este livro refere alguns dos mais conhecidos exemplos de fenómenos virais. Ou seja, são casos em que certos produtos, ideias ou modos de vida se difundiram pela sociedade em larga escala. Jonah Berger explica quais os passos a seguir para transformar um produto num fenómeno viral.

Sobre o autor:
Jonah Berger é professor de Marketing na The Wharton School e é considerado um prodígio da disciplina. Além de lecionar, o autor dedica-se à investigação sobre a influência social e já publicou vários artigos sobre a temática nos meios académicos e também na imprensa generalista, com destaque para o The New York Times, The Wall Street Journal, The Washington Post, Wired ou BusinessWeek. Berger recebeu várias distinções, nomeadamente os prémios Iron Professor Teaching Award e MBA Curricular Innovation Award da Wharton School.






terça-feira, 13 de maio de 2014

O nono romance de Dorothy Koomson editado em Portugal tem como título Os aromas do amor e é publicado a 20 de maio

Título: Os aromas do amor
Autor:
Dorothy Koomson
Tradução: Irene Ramalho
Págs.: 472
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

O nono romance de Dorothy Koomson editado em Portugal tem como título Os aromas do amor e é publicado a 20 de maio.
A autora vem à Feira do Livro de Lisboa, nos dias 14 e 15 de junho, para sessões de autógrafos.
Desde que, em 2006, deu a conhecer no nosso país A filha da minha melhor amiga – um enorme sucesso, já na 16.ª edição –, a Porto Editora tem vindo a publicar com regularidade a obra de Dorothy Koomson. O sucesso em Portugal é apenas parte do crescente prestígio internacional desta autora, que assinalou, em 2013, dez anos de carreira literária.

Sinopse:
Procuro a combinação perfeita de aromas; o sabor que eras tu. Se o encontrar, sei que voltarás para mim. Há 18 meses atrás, Joel, o marido de Saffron, foi assassinado, e o culpado nunca foi descoberto. Agora, fazendo os possíveis para lidar com a perda, Saffron decide terminar Os aromas do amor, o livro de receitas que Joel tinha começado a escrever antes da sua trágica morte.
Quando, finalmente, tudo parece ter voltado à normalidade, a filha de 14 anos de Saffron faz uma revelação chocante que abala a relação entre ambas. E, ao mesmo tempo, o assassino de Joel começa a enviar cartas afirmando a sua inocência.
Será um grande amor capaz de sobreviver à maior das perdas?

Sobre a autora:
Apaixonada desde sempre pela palavra escrita, Dorothy Koomson escreveu o seu primeiro romance aos 13 anos. A filha da minha melhor amiga foi o seu primeiro livro editado em Portugal. A história comovente de duas amigas separadas pela mentira e unidas por uma criança encantou as leitoras portugueas. Pedaços de ternura, Bons sonhos, meu amor, O amor está no ar e Um erro inocente, O outro amor da vida dela e A praia das pétalas de rosa foram igualmente bem-sucedidos, consagrando a autora como uma referência para as leitoras portuguesas.
Descubra mais em: www.dorothykoomson.co.uk


Lançamento de "Jogo de Vida ou Morte", com apresentação de Paulo Futre e Sousa Martins



Novidades Gradiva para Maio

Título: Os Filhos da Costa do Sol - A nova geraçãoAutor: Manuel Arouca
Colecção: «Gradiva», n.º 150
N.º de Páginas: 444
PVP: €14,00

O 25 de Abril de 1974 foi a época dos primeiros Filhos da Costa do Sol. Quarenta anos depois, Manuel Arouca dá continuidade às personagens dessa louca geração dos anos 70. Onde estão elas agora? Quem são, como vivem, o que sonham os seus filhos? Um livro que traça um retrato em sangue e alma de uma sociedade que voltou a ser poderosa e influente, a par do confronto de gerações e de uma grande história de amor. Um grande, grande livro, com uma autenticidade, uma força narrativa incomum, uma verdade impiedosamente revelada, que toca profunda e inesquecivelmente o leitor.

Título: Horizonte e Mar
Autor: Paula Cristina Rodrigues
Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís
Colecção: «Gradiva», n.º 151
N.º de Páginas: 252
PVP: €14,00

Um livro que é uma homenagem às gentes de Matosinhos e à vida dura do mar em geral, por uma jovem autora que investigou e recolheu informação ao longo de dois anos, dando vida às personagens densas e atormentadas que o povoam. Esta obra constitui, nas palavras da apreciação do júri que lhe atribuiu o Prémio Revelação, «uma narrativa bem conduzida (...), sentimentalmente envolvente e susceptível de atravessar diversos patamares de leitura».

Título: Uma Crise Portuguesa
Autor:
Francisco da Conceição Espadinha
Colecção: «Trajectos Portugueses», n.º 95
N.º de Páginas: 196
PVP: €12,90

Um livro que abre novas perspectivas de debate sobre a crise que o país atravessa. Faz uma leitura abrangente desde o arranque da democracia até à fase actual do cumprimento do programa de resgate em curso. Identifica os principais factores que mais contribuíram para a crise e analisa criticamente as posições políticas em confronto, introduzindo variáveis que constituem uma verdadeira releitura da crise. Um texto surpreendente!

Título: Portugal 2015: Uma Segunda Oportunidade?
Inovação e Desenvolvimento
Autor: Lino Fernandes
Colecção: «Trajectos Portugueses», n.º 96
N.º de Páginas:  264
PVP: €14,50

Trinta anos de intenso investimento com retorno apenas a longo prazo explicam, em parte, a crise financeira do país, mas criaram as condições para a superar, com as mudanças da geografia económica e a evolução tecnológica que proporcionaram. Contudo, para tirarmos partido das novas oportunidades precisamos de novas políticas e o nosso futuro será determinado pelas escolhas que fizemos agora. Um livro para reflexão e debate, que interessará a todos os cidadãos esclarecidos.

Título: O Capitão Cuecas e a Repugnante Vingança das Robô-Boxers Radioactivas
Autor:
Dav Pilkey
Colecção: «Gradiva Júnior», n.º 143
N.º de Páginas: 224
PVP: €12,00

O que se pode fazer depois de tudo acabar? Nada. Nada? Nem por sombras! Pode-se ir ao passado e fazer com que nada acabe. Confuso? Lê a décima novela épica do famoso, charmoso e aventuroso Capitão Cuecas e ficarás ainda mais confuso. Ou talvez não... Já disponível, mais um livro do herói que põe os miúdos a ler (e a chorar de rir).






Os livros estarão disponíveis para venda a partir do dia 23 de Maio.







«As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café» é o novo livro do Clube do Livro SIC

Título: As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café
Autor: Agnès Martin-Lugand
N.º de Páginas: 208 páginas
PVP: 15,50 €
Nas livrarias a 21 de Maio
Guerra e Paz|Clube do Livro SIC

Fenómeno de auto-edição de 2013, As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café, o romance de estreia de Agnès Martin-Lugand, conquistou mais de 150.000 leitores em França desde que foi publicado. Traduzido em 18 países, será brevemente adaptado ao cinema.

Sinopse:
Tantas vezes perguntamos: o que nos faz felizes? E, no entanto, parece ser preciso vir a vida roubar-nos tudo quanto temos, pouco ou muito, para que partamos à procura da nossa verdadeira resposta.

Depois da morte do marido e da filha num brutal acidente de automóvel, Diane fecha-se em casa durante um ano, imersa em recordações, incapaz de reagir. Mas, quando já nada parece poder mudar, é precisamente uma dessas recordações que a faz escolher Mulranny, uma pequeníssima aldeia na Irlanda, como destino.
Instalada numa casa em frente ao mar, Diane é gentilmente recebida por todos os habitantes – todos menos um. Será Edward, o bruto e antipático vizinho, a resgatar Diane da apatia em que parece estar novamente a mergulhar. Primeiro, pela ira e pelo ódio. Mas depois, contra todas as expectativas, pela atracção. Como enfrentar este turbilhão de sentimentos? O que fazer com eles?

Sobre a autora:
Psicóloga clínica, Agnès Martin-Lugand tinha um sonho: ser escritora. Nenhum editor aceitou o seu original. Decidiu publicar o seu primeiro romance por conta própria e o êxito imediato ultrapassou todas as suas expectativas: o e-book tornou-se um best-seller e As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café foi publicado em livro em 2013, alcançando rapidamente a impressionante marca de 150.000 exemplares vendidos.



NYPD Red: À Margem da Lei - James Patterson [Opinião]


Título:NYPD Red: À Margem da Lei
Autor: Marshall Karp, James Patterson
Edição/reimpressão: 2014
Tradução: Rui Azeredo
Páginas: 336
Editor: TopSeller
Coleção: Nypd Red
PVP: 18,79€

Sinopse:
A NYPD Red enfrenta agora o seu inimigo mais perigoso de sempre.
Há um serial killer à solta em Nova Iorque, perseguindo e assassinando criminosos que conseguiram escapar à Justiça. À medida que o número de vítimas deste justiceiro por conta própria aumenta, cada vez mais nova-iorquinos o apoiam.
O detetive Zach Jordan e a sua parceira Kylie MacDonald são destacados para o caso quando mais uma pessoa, uma mulher ligada à campanha eleitoral de um dos candidatos à Câmara de Nova Iorque, é assassinada. Zach e Kylie têm de descobrir quais são as verdadeiras motivações deste assassino, uma vez que por detrás deste último crime se escondem segredos da ordem da vida pública e privada. No entanto, Kylie tem agido de forma estranha, e Zach teme que o que quer que se esteja a passar com a sua parceira possa pôr em risco o maior caso das suas carreiras.

A minha opinião: 
Um assassino em série anda à solta pelas ruas de Nova-Iorque e, quando mata uma figura proeminente da política nova iorquina, Zach Jordan e a equipa do NYPD Red são chamados para coordenar a investigação. No entanto a captura do assassino não gera consenso.

Um pouco ao estilo de Dexter Morgan (quem não conhece a personagem da série com o mesmo nome?), o assassino Hazmat mata apenas criminosos. Tem a particularidade de escolher as suas vítimas a dedo que, depois de torturadas, confessam, em vídeo, o seu crime. As mortes são atrozes e o assassino parece ser implacável. É apelidado de Hazmat porque o assassino coloca nas suas vidas umas espécie de fato macaco peculiar.

A opinião pública divide-se. Por um lado acham que o assassino deve ser encontrado, mas por outro este tem arranjado uma outra forma de fazer justiça: matar os que são realmente criminosos. Mas se em algum caso o próprio assassino estivesse errado e tivesse feito um mal diagnóstico?

A par dessa investigação, está outra ainda mais mediática: o caso de uma mãe solteira cuja filha aparece morta numa lixeira. Todos a acusam de ter assassinado a sua própria filha, mas por falta de provas a jovem mãe é libertada. Será culpada ou inocente?

Durante a investigação vai sendo dado ao leitor algumas pistas, pelo que antes mesmo de se desvendar quem era o assassino já o tinha descoberto. Porém, esse facto, não prejudica em nada a leitura deste livro.

No entanto, a investigação não é só o que preocupa Kylie MacDonald, a parceira de Zach. O seu relacionamento com o marido já teve melhores dias... E a cabeça de Zach também não vai melhor. Com dúvidas em relação ao seu caso amoroso com a psicóloga do departamento, o seu coração ainda pende para Kylie, ficando um pouco esperançado quando descobre que a relação da colega com o seu marido não vai bem.

Segundo livro da série NYPD Red, À Margem da Lei é um livro bem escrito, levezinho bem ao jeito de James Patterson, com um bom enredo e que volta a juntar Zach Jordan e Kylie MacDonald uma dupla imbatível.
Tradução 5*

Primeiro livro da série NYPD Red:

Pode ler a minha opinião aqui!