sábado, 28 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Encerrado para férias


Sessão de lançamento do romance Mil Novencentos e Setenta e Cinco de Tiago Patrício em LISBOA

Conversa em torno do novo romance de Tiago Patrício, Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, Mil Novecentos e Setenta e Cinco, no dia 28 de Junho de 2014, sábado, pelas 18h45m nos jardins da biblioteca do Palácio Galveias, ao Campo Pequeno, em Lisboa. Com a participação da jornalista e crítica literária Filipa Melo e do cineasta Leonel Brito que começou a filmar Trás-os-Montes nos anos 70 e realizou o documentário Gente do Norte ou A História de Vila Rica para a RTP, em 1977.

Frei Bento Domingues apresenta «Francisco, o Argentino»



sexta-feira, 27 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Livros para as férias

As minhas férias começam amanhã e comigo levo uma selecção de livros. A maior parte policiais porque, além de ser um dos géneros que mais aprecio, são mais leves de ler.
O blogue vai estar também de férias, porque o computador vai ficar em casa, também a descansar, mas ou estar sempre atenta às novidades e tudo o que diga respeito aos livros.
Aqui ficam as minhas escolhas:

O que acham?


A estante está mais cheia #16

O último livro da trilogia Neblina, As Luzes de Setembro de Carlos Ruiz Zafón chegou até mim através da generosidade da Planeta, assim como Na Cama das Rainhas de Juliette Benzoni, cuja opinião podem ver aqui

D Topseller chegaram A Amante de James Patterson (opinião aqui) e Até que Sejas Minha de Samantha Hayes, que vai comigo de férias.

Desaparecida de Katy Gardner foi comprado na Feira do Livro de Lisboa, pela minha amiga Odete Silva do blogue Destante. Obrigada pelo favor ;)
Depois de ter lido críticas tão boas, nomeadamente da Vera Brandão do blogue Menina dos Policiais não consegui resistir à sua compra. Também irá comigo de férias.

Da Asa chegou Quem Matou o Almirante? escrito pelo The Detection Club no qual fazem parte Agatha Chistie, Dorothy L. Sayers entro outros. Já o comecei a ler e estou a gostar mesmo muito. Adoro livros escritos por vários autores.

Morte Numa Noite de Verão de K. O. Dahl foi oferta gentil da Porto Editora e vai ser uma das minhas próximas leituras.




A Porto Editora publica, a 4 de julho, o novo romance do escritor argentino Lázaro Covadlo: As aventuras de Marina Pons

Título: As aventuras de Marina Pons
Autor:
Lázaro Covadlo
Tradução: Fernando Dias Antunes
Págs.: 160
Capa: mole com badanas
PVP: 14,40 €

A Porto Editora publica, a 4 de julho, um excelente novo romance do escritor argentino Lázaro Covadlo: As aventuras de Marina Pons narra a ligação improvável entre uma bióloga e um stripper – ela profundamente apaixonada e ele um fingidor.
Com um estilo conciso, mas rico, Covadlo aborda os submundos da droga e da prostituição. Um pequeno romance – uma história muito bem narrada –, cuja leitura proporciona momentos de puro gozo. O autor vive em Espanha desde 1975, ano de grande agitação na Argentina e que antecedeu o golpe militar que derrubou o governo de Isabel Perón. Viveu também em Inglaterra, no Chile e no Brasil. Escreve regularmente em publicações prestigiadas como os jornais El Mundo e El País e ainda na revista Qué leer.

Sinopse:
Marina é uma mulher inquieta: com a vida, com a descoberta dos outros e dela própria. Professora de biologia e órfã, desde cedo foi criada pelo muito extremoso tio Hilário, proprietário de um negócio de próteses, cadeiras de rodas e material sanitário. Marina, trintona habituada ao celibato e à solidão, encanta-se com José Serra, um exibicionista profissional com um sorriso tímido.
José Serra sempre achou melhor poupar Marina às imundícies da sua vida. A atração não foi coisa imediata: quando conheceu Marina, José pensou que com aquela rapariga poderia envolver-se por uns tempos. O que não imaginava era que ela viria a transformar a sua vida. Nem em sonhos teria conseguido imaginar. José morre prematuramente e Marina, viúva e com o negócio do tio em mãos, nunca deixa de pensar no seu adorado marido: «se é certo que desde pouco tempo depois de enviuvar estive com muitos homens e, na maior parte desses encontros, não passei mal, ninguém mais do que o José, que descanse em paz, é capaz de fazer cócegas na minha imaginação e na minha memória.»

Sobre o autor:
Escritor argentino radicado em Espanha, país no qual se exilou, em 1975, devido à situação política da Argentina. Viveu também em Inglaterra, Chile e Brasil.
Em 1997 publica o livro de crónicas Agujeros negros e, mais tarde, as novelas Remington Rand, uma infancia extraordinaria (1998), Conversación con el monstruo (1998), La casa de Patrick Childers (1999), Bolero (2001), Las salvajes muchachas del Partido (2009), Taimir (2013), assim como outros livros de contos, Animalitos de Dios (2000) e Nadie desaparece del todo (2014).
Lázaro Covadlo é também autor de La bodrioteca de Covadlo, um ensaio humorístico que faz uma compilação comentada de excertos de livros antigos e extravagantes. É colunista na edição catalã do diário El Mundo. Em 1992 foi finalista do Prémio Planeta Biblioteca del Sur (Buenos Aires) com o romance Conversación con el monstruo. Em 2004, a novela Criaturas de la noche foi agraciada com o Prémio Café Gijón. Os seus contos constam de antologias publicadas por editoras como Mondadori, Alfaguara e Ediciones Siruela. Colabora com a Revista Qué leer e tem publicado vários artigos no suplemento Babelia do diário El País, assim como no suplemento literário do diário El Periódico e nas revistas literárias Caleta, Lateral e Turia.







500 Frases que Mudaram a Nossa História, João Ferreira

O livro de citações é um género literário tão antigo que ainda Cristo andava na terra e já os romanos compilavam frases feitas para ilustrar pensamentos diversos.

O problema é que muitas vezes a alegada autoria de célebres citações é duvidosa e induz em erro. Foi com o objectivo de desmistificar a autoria errada de algumas das mais célebres frases do mundo que João Ferreira se lançou na busca dos autores de frases famosas da história e chegou a conclusões que surpreendem: sabia que a célebre frase "Enterrar os mortos e cuidar dos vivos" é erradamente atribuída ao Marquês de Pombal? E que não foi a malograda rainha francesa Maria Antonieta quem proferiu "Comam brioche" perante os lamentos dos camponeses esfomeados?

Título: 500 Frases que Mudaram a Nossa História
Autor:
João Ferreira
Coleção: História Divulgativa
P.V.P: 19 €
Páginas: +/- 304
Data de Distribuição: 04 de julho

Sinopse:
Da Antiguidade até aos nossos dias. Sobre o amor, ódio, vida e morte, amizade e família, guerra e paz, sexo, religião, inveja, política, mentira, bem e mal, sabedoria… De autores dos quatro cantos da Terra. De políticos a artistas, humoristas, escritores, ativistas, filósofos antigos e modernos, reis e rainhas. Aqui encontra 500 frases fundamentais que mudaram, de alguma forma, a nossa História de Portugal e do Mundo. João Ferreira, autor dos bestsellers Histórias Rocambolescas da História de Portugal e Histórias Bizarras de um Mundo Absurdo, percorreu livros, arquivos nacionais e internacionais para nos trazer este grande livro de citações, cada uma delas contextualizada na época e na sua autoria. Sim, porque há frases que estamos habituados a atribuir a determinada pessoa que nunca a proferiu. A frase atribuída ao Marquês de Pombal, «Enterrar os mortos e cuidar dos vivos», afinal foi proferida por D. Pedro de Almeida, Marquês de Alorna. Já a famosa frase atribuída a Maria Antonieta em plena Revolução Francesa sobre os camponeses esfomeados, queixando-se da falta de pão, «Comam brioche.» existe, mas não tem nada que ver com a infeliz rainha. Foi escrita anos antes da tomada da Bastilha, quando Maria Antonieta ainda se chamava Maria Antónia e vivia na corte da mãe, a imperatriz austríaca Maria Teresa, em Viena, a milhares de quilómetros de Paris. Este é um livro de «frases feitas», escrito de forma a partilhar informação, divulgar conhecimento e alargar a cultura geral do leitor. São frases que nos surpreendem, nos fazem parar para refletir, nos divertem, nos ajudam, arrancam um sorriso, ou até mesmo uma lágrima. Dos tempos bíblicos ao século XXI. Mais de 2500 anos de bom senso, cultura, bons conselhos, autoajuda e… alguma boa disposição.

Sobre o autor:
João Ferreira é jornalista. Mestre em História Cultural e Política, concluiu o curso de doutoramento em História e Teoria das Ideias na Universidade Nova de Lisboa e obteve o título de especialista em Informação e Jornalismo pelo Instituto Politécnico de Leiria. Investigador do Centro de História da Cultura, apresentou comunicações em conferências internacionais em Portugal e no estrangeiro e colabora com as revistas Cultura: História e Teoria das Ideias e História Viva (Brasil). É autor dos livros Histórias Rocambolescas da História de Portugal (9.ª edição), Histórias Bizarras de um Mundo Absurdo e Jornalismo na Emigração. Ideologia e Política no Correio Braziliense e coautor, com Ferreira Fernandes, de Frases Que Fizeram a História de Portugal (4.ª edição). Foi editor executivo da revista NS’, editor do Correio da Manhã, diretor da revista Focus e do jornal Tal & Qual. Foi professor convidado da European University.

. João Ferreira, autor dos bestsellers Histórias Rocambolescas da História de Portugal e Histórias Bizarras de um Mundo Absurdo, depois de muita pesquisa em livros, arquivos nacionais e internacionais, presenteia-nos desta vez com as 500 frases que mudaram a nossa História.

. Um grande livro de citações, de autores dos quatro cantos da Terra. De políticos a artistas, humoristas, escritores, ativistas, filósofos antigos e modernos, reis e rainhas, sobre diversas temáticas, cada uma delas contextualizada na época e na sua autoria.

. Um livro de «frases feitas», escrito de forma a partilhar informação, divulgar conhecimento e alargar a cultura geral do leitor. Frases que nos surpreendem, nos fazem parar para refletir, nos divertem, nos ajudam e arrancam um sorriso ou uma lágrima.

. Destaque: Dos tempos bíblicos ao século XXI. Mais de 2500 anos de bom senso, cultura, bons conselhos, autoajuda e… alguma boa disposição.



A Amante - James Patterson e David Ellis [Opinião]

Título: A Amante
Autor: James Patterson, David Ellis
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 352
PVP: 18,79€

Sinopse:
O jornalista Ben Casper é paranoico e obsessivo. E a maior e mais compulsiva das suas fixações é Diana, a bela mas inacessível mulher dos seus sonhos.
Quando ela é encontrada morta, após uma queda da varanda do seu apartamento, as autoridades não hesitam em considerar que é um suicídio. Mas Ben conhecia bem Diana e sabe que ela nunca se mataria. Convence-se de que a amiga foi assassinada e embarca numa aventura arriscada para conseguir prová-lo.
O jornalista descobre, porém, que ela levava uma vida dupla, e à medida que outras pessoas envolvidas na vida de Diana morrem em circunstâncias questionáveis, torna-se evidente que alguém não quer que a verdade venha ao de cima. E, a menos que Ben desista da sua investigação, ele pode ser o próximo a «sair de cena»...

No seu thriller mais excitante, James Patterson mergulha-nos nas profundezas de uma mente torturada. Uma perseguição implacável através de um mundo de perigos e enganos.


A minha opinião:
Benjamin Casper é um homem cheio de paranóias e obsessessões. Sabe tudo sobre Diana, a mulher que idolatra, chegando mesmo a espionar a sua vida sem que ela tenha conhecimento. Espia a casa dela às escondidas e acaba por presenciar o seu aparente suicídio quando esta cai da varanda do seu apartamento. Tem morte imediata.

Apesar de as autoridades concluírem a sua morte como suicídio, Ben sabe que isso é impossível. Conhece bem demais Diana para saber que ela não é suicida. A sua persistência em saber mais sobre aquela morte leva-o para caminhas perigosos que envolvem a CIA e um milionário russo. Obviamente, só no fim do livro é que se descobre qual o envolvimento da agência americana e do russo.

No entanto, uma história que até poderia ser boa, tornou-se um pouco chata. Não criei qualquer empatia com o Ben. Ao longo de toda a investigação mostra junta a vida real com a vida ficcionada de várias personagens de filmes, aliando ainda a vida dos vários presidentes dos Estados Unidos (estes últimos influenciados pelo pai que foi professor universitário de História, especialista em presidentes americanos). Esta é a parte em que se tornou deveras irritante. Engraçado no início, mas a referência a uma ou a outra aborreceu-me.


Dono de uma fortuna considerável e director de um jornal online Benjamin junta os seus conhecimentos nas diversas áreas para conseguir descobrir mais sobre a morte de Diana, mas todos com quem se relaciona morrem.

Com a investigação Ben vai também perceber que a mulher que ele sempre idealizou e idolatrou pode não ser aquela pessoa perfeita que ele sempre julgou.

A parte forte do livro é a referência ao próprio passado de Benjamin e ao suicídio (?) da mãe. Depressa tiramos conclusões dos relatos esporádicos que vão aparecendo no livro e a sua conclusão deixou-me simplesmente de boca aberta.

Capítulos curtos e escrita leve que tanto caracterizam James Patterson este é o livro ideal para umas férias, para a praia ou piscina.


Excerto:
"É possível fazer um assassínio parecer suicídio e um suicídio parecer um assassínio."


quinta-feira, 26 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

O Andamento dos Dias é o livro de estreia do escritor marcoense, Jorge Madureira

O Andamento Dos Dias
Todos os dias acordamos e fazemos (quase) as mesmas coisas: a que horas nos levantamos, trabalhamos ou estudamos; quantas reuniões, quantos telefonemas; quando almoçamos e com quem… estes são alguns dos “rituais” diários. Existe uma parte do dia e da semana em que podemos fazer várias coisas que gostamos, que nos dão prazer e nos trazem paz e serenidade. Esses momentos são nossos.

Há dias em que nos apetece esvaziar de nós mesmos. Das coisas marcadas na pele e na alma pelo tempo, por vezes com tantas lágrimas e tanta dor, ou com alegria e sorrisos. Dos pedaços de nós que fomos guardando e para os quais, por vezes, não temos mais espaço, porque nos ferem. Tenho vivido uma experiencia fantástica. Decidi passar para a escrita esses momentos. São estados de espirito, momentos de reflexão, momentos que perceciono, estados d’alma… assim tenho oportunidade de partilhar (parte) desses momentos com quem queira ler e até se identifique. Sinto-me um descobridor por ter a certeza que ao fazer isto me sinto melhor.

 
Porquê este livro?

Escrever ajuda-me a lidar com as emoções. As emoções, vivências e sentimentos ajudam abrir espaço para um melhor autoconhecimento. Ao escrever sobre vivências e experiências ajuda-me a lidar com as próprias emoções.

Ao buscar significado e palavras para descrever determinado acontecimento e ou determinada situação, consigo restruturar o trauma e processar os sentimentos que envolvem esse enredo, e assim poder superar. Escrever é uma maneira eficaz de superar situações difíceis. Tem impacto (fortemente) positivo.

Sempre gostei de escrever, mas nunca foi meu objetivo ser escritor. Este livro não nasceu porque eu me lembrei um dia e disse: “ hoje vou escrever um livro”. O livro nasceu da minha preocupação, vontade e necessidade diária de viver melhor, encontrar a força necessária, o equilíbrio e suportar melhor os problemas de todos os dias. É uma terapia? Não sei. Se calhar sim!

Comecei por escrever para mim. Depois partilhei por aí o que escrevia e começou a tomar proporções maiores, foi quando decidi que o ideal seria um livro para todos que desejam viver melhor as suas vidas.

Passamos a viver melhor e de uma maneira presente e mais completa quando vivemos um dia de cada vez. Aqui e agora. Desfrutar de momentos únicos com a família. Agradecer pela saúde e pelas pequenas conquistas diárias. Todas, mesmo as mais pequeninas e em qualquer parte do dia. Aprender a viver com toda a entrega em todos os momentos.

Cada um traça a sua linha, o seu caminho, mas a experiência de outras pessoas ajuda-nos sempre a traçar os nossos próprios caminhos.

Escrever é conhecer a si mesmo. Os sentimentos colocados no papel são aprendizagens de nós mesmo. Com as palavras traduzimos o que pensamos e mostramos reflexo daquilo que somos. Sou uma pessoa comum e simples como qualquer outra. Escrevo este livro porque acho que pode ajudar outras pessoas. Acho que tudo o que é positivo deve ser partilhado.




O livro pode, neste momento, ser encontrado nas seguintes livrarias:
Livraria Les Enfants Terribles, Cinema Nimas, Av. 5 de Outubro, 42B Lisboa; Livraria Nun’Álvares,
Rua 5 de Outubro, n.º 59 Portalegre; Livraria Papelaria 115, Praça 8 de Maio, n.º 29 Coimbra; Livraria Branco, Rua Dr. Roque Silveira, n.º 95 Vila Real; Livraria Caminho, Rua Pedro Santarém, n.º 41 Santarém;
Representações Online, Praça do Comércio, n.º 108 Ferreiros AMR; Livraria BrincoLivro, Rua Alexandre Herculano, 301 Viseu; Livraria Universo, Rua do Concelho, n.º 13 Setúbal; Livraria de José Alves, Rua da Fábrica, n.º 74 Porto; Livraria Esperança, Rua dos Ferreiros, 119 Funchal; Nazareth e Filho, Praça do Giraldo, 46 Évora; Livraria Graça, Rua da Junqueira, n.º 46 Póvoa do Varzim; Aliete S Clara Brito
Avenida 25 de Abril, lote 24 R/C Portimão; Livraria Caravana, Av. 25 de Abril, Edf. Vila Flôr 6º Loulé;
Livraria Papelaria Meneses, Rua da Sobreira, n.º 206 Paços de Brandão Aveiro; Livraria Lusíada, Rua Teófilo Braga, nº 110 Vila Nova Santo António
Está disponível online no nosso site e na FNAC.PT, Wook, na Bertrand Online e no Sítio do Livro.
É possível, também, encomendá-lo em qualquer balcão Fnac, Book.it e Bertrand.


Mais informações na página do livro no facebook: https://www.facebook.com/pages/O-Andamento-Dos-Dias/426866674094322?fref=ts



quarta-feira, 25 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Assírio & Alvim: Apresentação de "As Leis da Fronteira", de Javier Cercas



Planeta: Novidades para o início de Julho

FICÇÃO ESTRANGEIRA


Título: Quando o Ódio Matar
Autor:
Carina Bergfeldt
N.º de Páginas: 384
PVP: 18,85 €
Disponível a partir de 2 de Julho

«Um romance importante… leia este thriller psicológico e recorde que o que conta é real.» Amelia’s Magazine

Um thriller diferente de tudo o que já leu.
Um homicídio é investigado por três mulheres.
Uma delas planeia matar o pai, sem que nunca saiba qual é.
Não conseguirá parar de ler até descobrir de qual das três se trata!
O leitor vai querer resolver o enigma do assassínio, mas também vai querer saber qual das três mulheres - Júlia, Ing-Marie ou Anna - planeia matar o pai.
Terá a sensação de estar a cooperar com as investigações, percebendo pistas escondidas e tirando conclusões com a protagonista.
Um thriller negro e psicológico, que marca a estreia literária de Carina Bergfeldt, a jornalista sueca que foi a única repórter que passou a noite com as vítimas da matança na Noruega, onde morreram 76 pessoas, em 2011. Uma experiência que mudou totalmente a sua visão como jornalista e a sua forma de enfrentar o mundo «que é tão terrível como o policial mais negro.»
A violência doméstica e o abuso de menores são expostos neste livro, que retrata com realismo, o que uma vítima de maus-tratos pode acabar por fazer para ter paz de espírito.
Um livro, que segundo a autora, desperta as consciências para este problema social à escala mundial. Na Suécia, a cada 40 minutos uma mulher denuncia maus-tratos em casa e uma em cada quatro sofre-os.

Como fazer justiça poética com os males do mundo e ser bem sucedido é a ideia-base deste thriller. Uma ideia inspiradora que surgiu da série televisiva Dexter, cujo protagonista cometia crimes-perfeitos e saía sempre impune. Em Quando o Ódio Matar, a protagonista olha para trás e relembra todos os anos em que planeia matar o seu pai. Ao contrário de Dexter, é uma pessoa sofrida que deseja fazer do mundo um lugar melhor.

Com grande minúcia, uma mulher planeia a morte da pessoa que converteu a sua vida num inferno, o pai. O macabro plano toma forma num bloco-notas em que a capa tem umas apetitosas madalenas. Uma nota no frigorífico com as palavras: «Matar o papá» recorda-lhe qual o motor que impulsiona a sua vida.
Enquanto o plano parricida avança, é encontrado o cadáver de uma mulher num lago da cidade de Skövde. A inspectora Anna Eiler trabalha no caso, mas não é a única: duas jornalistas locais, Ing-Marie Andersson e Julia Almliden, realizam a sua própria investigação. As três têm razões pessoais para resolver o assassínio, as três escondem algo, mas só uma delas é capaz de preparar a sangue-frio um crime mais atroz do que aquele que pretende resolver.

Sobre a autora:
Nasceu em 1980 e cresceu em Götene, uma aldeia no centro da Suécia. É a jornalista-estrela do principal jornal sueco Aftonbladet. Foi galardoada com o Swedish Grand Journalism Prize 2012, por ser a única jornalista que se infiltrou entre as vítimas da matança da Noruega, com quem passou a primeira noite, e com o Premio Årets Stilist pela qualidade estilística do seu trabalho jornalístico.  

Título: Enquanto Dormes
Autor:
Alberto MariniN.º de Páginas: 304
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 2 de Julho

DEPOIS DO FILME, CHEGA AGORA O LIVRO.

Um thriller psicológico de alta tensão que vai deixar o leitor com suores frios e sem fôlego.

Enquanto dorme, alguém olha por si.
Esse alguém pode ser um assassino.
Ao contrário do que costuma acontecer, o filme Enquanto Dormes deu origem a este livro, que explora os problemas da sociedade de hoje, onde nem tudo é o que parece e onde pessoas com graves problemas mentais andam à solta e conseguem enganar os que o rodeiam. Enquanto dorme, muitas são as coisas desagradáveis que acontecem no mundo. O que não espera é que lhe aconteçam a si. A sua casa, o seu apartamento ou o seu quarto são locais onde se sente seguro, onde baixa a guarda, porque o perigo está do outro lado da porta. Ou, pelo menos, assim devia ser. Enquanto dorme, Cillian está junto de si. É o porteiro do seu prédio, e não é boa pessoa.
Enquanto dorme, Cillian detém as chaves de todos os apartamentos, possuindo uma boa razão para estar perto de si.
Enquanto dorme
Tudo pode acontecer…
Cillian, porteiro de um edifício de Nova Iorque, sente prazer em prejudicar as pessoas que o rodeiam. Ele conhece a fundo todos os inquilinos do prédio. Controla as suas idas e vindas, estuda-os, descobre os seus pontos fracos, os seus segredos.
Clara, a condómina do 5.º B, é a sua próxima vítima, e ele não parará enquanto não conseguir destruir-lhe a vida. Todas as manhãs, Cillian faz um jogo consigo próprio a que chama «roleta russa»: coloca a sua vida no abismo, procurando um motivo para viver mais um dia. Incapaz de ser feliz, o seu único conforto é impedir que os outros o sejam.
Clara é a sua antítese: uma mulher feliz, em paz, que reage com um sorriso a tudo o que a vida lhe oferece. A sua indestrutível vitalidade transtorna Cillian, que levará o seu jogo ao extremo. Um jogo que se revelará mais complexo do que alguma vez podia imaginar.

Sobre o autor:
Alberto Marini, nasceu em Turim, em 1972, tem uma licenciatura em Direito e uma pós-graduação em Administração de Projectos Audiovisuais. Reside em Barcelona desde 1999, com a mulher e as duas filhas. Na cidade condal, desempenhou o cargo de director de projectos na produtora audiovisual Filmax e, depois, o de produtor executivo, no mesmo grupo empresarial, em produções como o filme de terror [REC], de Jaume Balagueró e Paco Plaza, ou The Way, de Emílio Estévez. Em 2010, fundou a produtora Rebelión Terrestre Filmes. Alberto Marini foi consultor de guião para os filmes El Lobo, de Miguel Courtois, Fragile, de Jaume Balagueró, e La caja Kovak, de Daniel Monzón, entre outros. É co-autor das curtas-metragens Romasanta, realizada por Placa Plaza, e Para entrar a vivir, de Jaume Balagueró, bem como autor e produtor executivo da adaptação cinematográfica de Enquanto Dormes, do mesmo realizador. Enquanto Dormes é o seu primeiro romance.

Título: A Voz
Autor: Juliet Marillier
N.º de Páginas: 456
PVP: 20,95 €
Disponível a partir de 2 de Julho

Chega agora o surpreendente final desta trilogia, que começou com Shadowfell, e que seduziu definitivamente os fãs desta autora best-seller do romance fantástico.

Com a maestria e talento a que já nos habituou e uma narrativa empolgante, Juliet Marillier constrói um mundo fantástico excepcional.
Uma história de amizade, amor, sobrevivência e, acima de tudo, esperança.
Há um ano, Neryn nada tinha a não ser um Dom Iluminado que mal compreendia e o sonho vago de que a mítica base rebelde de Shadowfell pudesse ser real.
Agora, é a arma secreta dos Rebeldes e a sua grande esperança de fazerem vingar essa revolta secreta contra o rei Keldec, que terá lugar no dia do Solstício de Verão.
O destino de Alban está nas suas mãos. No entanto, para se preparar para a batalha sangrenta que a espera mais adiante, Neryn terá de procurar primeiro o ensinamento de mais dois Guardiães. Entretanto, Flint, o homem por quem se apaixonou, está no limite das suas forças enquanto espião na corte do rei e acumulam-se as suspeitas da sua traição.
A confiança dissipa-se de dia para dia quando a notícia da existência de uma outra Voz chega aos ouvidos dos Rebeldes: uma Voz leal a Keldec, que possui todo o poder de Neryn e nenhuma da sua benevolência ou autoridade arduamente conquistada. Nas vésperas da insurreição, Neryn terá de descobrir uma forma de reconhecer – e explorar – a fragilidade do seu adversário.
Em jogo, está a liberdade do povo de Alban, a possibilidade de os Boa Gente saírem dos esconderijos e a oportunidade de Flint e Neryn se unirem finalmente.

Sobre a autora:
Juliet Marillier nasceu na Nova Zelândia, em Dunedin, uma cidade com fortes raízes na tradição escocesa.
Licenciou-se com distinção em Linguística e Música, na Universidade de Otago, e tem tido uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais.
Actualmente, Juliet vive numa casa de campo centenária, perto do rio, em Perth, na Austrália, onde escreve a tempo inteiro. É membro da ordem druídica OBOD. Partilha a sua casa com dois cães e um gato.
Juliet Marillier é uma autora internacionalmente reconhecida e os seus romances já conquistaram vários prémios. Visite o sítio da autora em: www.julietmarillier.com

Título: Deusa - Predestinados III
Autor: Josephine Angelini 
N.º de Páginas: 328
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 2 de Julho

A saga emocionante de Predestinados chega agora ao fim.
Uma história de amor, magistralmente tecida, inspirada na mitologia grega, em que uma deusa se deve elevar acima de tudo e de todos para mudar um destino que foi escrito nas estrelas.

«Delicioso… uma reformulação inteligente da mitologia grega.» Newsday

Após libertar por acidente os deuses do seu cativeiro no Olimpo, Helena tem de encontrar uma forma de os voltar a aprisionar, sem dar origem a uma guerra devastadora. Mas os deuses estão zangados, e sua sede de sangue já fez vítimas mortais.
Para piorar a situação, o Oráculo revela que um tirano diabólico se esconde no seu seio e que fomenta a discórdia entre o grupo outrora sólido de amigos.
Assim como os deuses usam os Rebentos uns contra os outros, a vida de Lucas está confusa. Ainda não tem certeza se Helena o ama ou se prefere Oríon, Helena é forçado a tomar uma decisão terrível, pois a guerra está à porta.

«Esta série fantástica apresenta-nos a um mundo de criaturas mitológicas e semi-humanas e leva-nos a reviver a mitologia grega e os deuses do Olimpo.» Booklist

«Convincente… Brutal… Esta história repleta de acção romântica irá deliciar os fãs de Percy Jackson, que estão prontos para um nível mais maduro.» School Library Journal

«Um dos livros mais cinematográficos que já li. Dramático e intenso. Não consigo dizer quantas vezes suspirei ao lê-lo. Predestinados tornou-se um filme na minha cabeça.» Sophie Jordan, autora best-seller do The New York Times

Sobre a autora:
Nasceu no Massachusetts e é a mais nova de oito irmãos. Filha de um verdadeiro agricultor, Josie formou-se na Tish School de artes cénicas da Universidade de Nova Iorque, especializando-se nos clássicos. Vive em Los Angeles com o marido guionista… e ainda sabe conduzir um tractor.

Título: A Conjura de Cortés
Autor: Matilde Asensi
N.º de Páginas: 274
PVP: 16,65 €
Disponível a partir de 02 de Julho


Um romance épico arrebatador.
O final de uma trilogia histórica de aventuras e acção trepidantes que recria a atmosfera e a vida quotidiana das colónias espanholas dos princípios do século XVII.

Uma apoteose extraordinária para a trilogia de Martín, Olho de Prata, o livro pelo qual todos esperavam. A Conjura de Cortés culmina o percurso de Matilde Asensi pelo Século de Ouro espanhol, quando Espanha era o centro do mundo, visto desta vez a partir da Nova Espanha. Uma maneira de contemplar a História que a tornou credora do reconhecimento dos leitores e da crítica e que, claro, está cheia de intrigas, corrupção, aventuras e imaginação. Esta trilogia Martín, Olho de Prata é protagonizada pela intrépida Catalina Solís que, depois de embarcar rumo às ilhas do Caribe, se converterá num dos muitos contrabandistas que na época navegavam naqueles mares. Sobrevivendo numa ilha deserta durante dois anos, Catalina começa uma nova vida sob o nome de Martín, Olho de Prata.
Neste romance, Catalina vê-se obrigada a desmascarar uma grande conjura concebida pelos inimigos para derrubar o rei de Espanha. A aparição de um mapa que revela onde se pode encontrar o lendário tesouro de Hernán Cortés desempenhará um papel essencial no plano de Catalina para descobrir os traidores e cumprir o seu juramento de acabar com os Curvos.
A dupla personalidade de Catalina Solís / Martín Nevares enfrentará, além disso, um grave risco para o seu equilíbrio: o amor. Uma vez mais, Matilde Asensi irá surpreender os leitores com um fim inesperado.

Mais de 3 000 000 de leitores em todo o mundo!

Sobre a autora:
Matilde Asensi nasceu em Alicante. Em 1999, publicou o seu primeiro romance, El Salón de Ámbar, que se encontra traduzido em várias línguas. O seu romance seguinte, Iacobus (2000), chegou aos primeiros lugares das listas dos livros mais vendidos e O Último Catão (2001) confirmou-a como a autora da sua geração com maior êxito de crítica e de público. Em 2003, com El Origen Perdido, Matilde Asensi reinventou o género do romance de aventuras. E em Peregrinatio (2004), recuperou as personagens de Iacobus e levou-as ao Caminho de Santiago. Tudo debaixo do Céu (2006) transportou os seus leitores à China do Grande Imperador.
Matilde Asensi foi finalista dos Prémios Literários Ciudad de San Sabastián (1995) e Gabriel Miró (1996) e ganhou o primeiro prémio de contos no XV Certamen Literario Juan Ortiz del Barco (1996), de Cádiz, e o XVI Premio de Novela Corta Felipe Trigo (1997), de Badajoz.
Como reconhecimento dos seus romances históricos ganhou o Prémio de Honor de Novela Histórica Ciudad de Zaragoza.
Mais informações sobre a autora em www.matildeasensi.net 

NÃO FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: Mandela - Meu Prisioneiro, Meu Amigo
Autor: Christo Brand e Barbara Jones
N.º de Páginas: 280
PVP: 17,95 €
Disponível a partir de 2 de Julho

Pela primeira vez a história inédita sobre a vida do grande líder Nelson Mandela, na cadeia de Robben Island, contada pelo seu carcereiro Christo Brand.

«A história de uma amizade improvável e comovedora, que todos
devem ler.»
Mail on Sunday

Um testemunho que narra os sacrifícios a que Mandela foi sujeito com pormenores vívidos, contados pelo guarda prisional Christo Brand. Christo Brand é filho do capataz de uma fazenda. Passou os primeiros anos a brincar com crianças negras e mestiças numa propriedade da Província do Cabo Ocidental, e pouco sabia sobre o cruel regime do apartheid, que vigorava no resto do país.
Ao completar a escolaridade, teve de cumprir o serviço militar obrigatório. Amante da paz e educado nos valores cristãos, Christo sentiu relutância em se alistar na polícia. Em vez disso, optou por ingressar nos serviços prisionais e acabou por ser destacado para Robben Island, para guardar os homens mais perigosos da África do Sul – Nelson Mandela e os seus camaradas revolucionários –, os endurecidos combatentes do Congresso Nacional Africano (ANC).
Contra todas as probabilidades, Christo e Mandela criaram uma amizade duradoura. Mandela aconselhou o jovem sobre a necessidade de estudar e felicitou-o por ocasião do seu casamento e do nascimento dos filhos. Christo tornou possível a Mandela contornar algumas regras para transmitir a sua mensagem a outros activistas e ajudou-o a suportar a dureza das condições de vida na prisão.

Neste livro, Christo conta-nos pela primeira vez a história incrível e comovedora desta amizade tão invulgar. Christo Brand era um rapaz sul-africano, educado na cultura africânder, que engendrou o apartheid. Nelson Mandela, negro e filho de um chefe tribal, foi criado numa aldeia, estudou Direito e assumiu a luta contra o apartheid em defesa de uma nação. Os seus universos opostos colidiram quando Christo foi enviado para Robben Island para guardar os perigosos e infames terroristas, dos quais Mandela era o chefe incontestado. Os dois homens estariam destinados a ser inimigos. Em vez disso, travaram uma extraordinária amizade, assente em pequenos gestos de humanidade: Christo, jovem honesto que prezava a decência e as boas maneiras, despertou a atenção do sensato combatente da liberdade. Quando a mãe morreu, não lhe foi dada autorização para ir ao funeral e chorou de vergonha e desespero. Christo testemunhou muitos desses momentos de desesperança ao longo dos anos, quando Winnie levou em segredo a neta a Robben Island, arriscou a liberdade para que Mandela a segurasse nos braços por instantes.
A amizade entre os dois homens cimentou-se pelos momentos partilhados ao longo dos anos.

Sobre os autores:
Christo Brand de 53 anos, trabalha em Robben Island. Dirige a livraria e conta pacientemente as suas recordações às centenas de milhar de visitantes desejosos de conhecer o seu quotidiano com Mandela. Hoje em dia, Robben Island faz parte do Património Cultural da Humanidade e é dedicado à prolongada luta de Mandela pela libertação do seu povo. Vive na Cidade do Cabo com a mulher, Estelle, na companhia do filho, Heinrich, de 25 anos. Riian, o filho mais velho de Christo, morreu há vários anos num acidente de automóvel. Teria agora 29 anos.
Barbara Jones é correspondente em África do jornal Mail on Sunday e tem viajado por todo o continente para cobrir notícias destinadas aos leitores ingleses. Fez também reportagens no Afeganistão e Iraque nos períodos da invasão e da guerra civil, e esteve na Líbia durante a revolução de 2011. Aprendeu a fazer jornalismo à maneira antiga, tendo começado num semanário de Hasting, East Sussex, de onde passou para periódicos provinciais em Leicester, Oldham e Preston.
Gosta de trabalhar no Mail on Sunday, com as suas incansáveis exigências de histórias exclusivas. Em 2000, o jornal enviou-a à África do Sul, onde uma das suas primeiras experiências foi um encontro com Nelson Mandela, a quem cumprimentou por ocasião de uma visita ao seu antigo cárcere.
Vive na Cidade do Cabo e tem dois filhos.

BOOKET 
O seu livro de bolso
Livros pequenos com grandes histórias

Prático, modernos e quase do tamanho do seu bolso para lhe fazer companhia onde quer que vá.
Leve na sua bagagem de férias três grandes livros, pequenos no tamanho e no preço. 


Título: Sangue Derramado
Autor:
Asa Larsson
PVP: €9,95
Da consagrada autora do policial sueco, um thriller emocionante com cenas capazes de deixar o leitor sem fôlego. Um policial negro construído de maneira inteligente em que as protagonistas são mulheres: uma advogada e uma detective. Muito suspense e uma forte carga emocional.
Disponível: a partir de 2 de Julho

Título: Um Toque de Escândalo
Autor: Jennifer Haymore
PVP: €9,95
Cenas escaldantes de amor e paixão, uma história com reviravoltas intrigantes, num romance passado na época da Regência em Inglaterra, onde não falta um toque de erotismo e sexo q.b., bem ao estilo desta autora de top do romance feminino erótico.
Disponível: a partir de 2 de Julho

Título: A Profecia do Juízo Final
Autor: Scott Mariani
PVP: €9,95
Um thriller histórico vibrante, escrito com ritmo e mestria. Uma aventura passada entre a Grécia, os EUA e a cidade de Jerusalém, que envolve o leitor nos antigos segredos bíblicos.
Disponível: a partir de 2 de Julho

Ainda este mês não perca mais três títulos, agora em Booket: A Cidade dos Ossos,
de Cassandra Clare; Três Segundos, de Roslund & Hellstrom; e A Conquistadora, de Teresa Medeiros.

JUVENIL

Título: O Pó de Puns do Doutor Proctor
Autor: Jo Nesbo
N.º de Páginas: 240
PVP: 12,90 €
Disponível a partir de 2 de Julho

O primeiro livro de uma série hilariante que promete fazer soltar muitas gargalhadas aos jovens leitores.

Uma história hilariante para crianças a partir dos 9 anos.
O elenco de personagens deste livro é memorável e os diálogos e a trama vão ser responsáveis por muitas gargalhadas, ou não fosse o seu autor, Jo Nesbo, reconhecido no mundo inteiro, com mais de 20 milhões de livros vendidos.
Esta história norueguesa, dirigida ao público infantil, transformou-se logo numa prestigiada série na Noruega, com mais de 150 mil exemplares vendidos, estando já traduzida em mais de 20 línguas.

E tudo começou quando o Nicles, um miúdo tão minorca que nem espaço tem para o nome, se mudou para a casa em frente à de Lisa, na Avenida do Canhão, na pacífica cidade de Oslo, capital da Noruega. Se eles não tivessem ficado amigos, se não tivessem encontrado o Doutor Proctor e se os brutamontes dos gémeos Truls e Trym não tivessem tentado roubar a novíssima descoberta do famoso inventor, a verdade – sejamos honestos – é que o universalmente famoso Pó de Puns do Dr. Proctor não seria... bem... universalmente famoso!
Mas depois desta aventura louca e cheia de puns e gargalhadas, que leva os amigos a sítios inesperados e mete polícias, prisões e uma anaconda gigante à solta, o Pó de Puns do Doctor Proctor já pôs milhões de  leitores literalmente nas nuvens (mal-cheirosas) e é um sucesso capaz de fazer tremer de gases o planeta inteiro!
A próxima aventura, que se vai chamar O Pó de Puns do Doutor Proctor - Bolhas no Banho, chegará brevemente.

Título: One Direction - Manual da Perfeita Directioner
N.º de Páginas: 96
PVP: 6,99€
Disponível a 02 de Julho

Um livro pequeno, em formato de bolso, que as grandes fãs da banda-sensação do momento vão querer levar para todo o lado.

Este é um livro para Directioners, sobre a vida como Directioner.
Recheado de contribuições de fãs de todo o mundo que amam tanto os 1D como tu!
Quem melhor saberá as últimas cusquices, o que é boato ou verdade de quem já foi aos bastidores, soube de informações em primeira mão e, nalguns casos, esteve MESMO com os rapazes?
Um livro que reúne experiências, dicas e conhecimentos de fãs de todo o mundo sobre a melhor maneira de ser a fã que os 1D merecem: porque eles adoram as suas fãs e merecem as melhores fãs do mundo! Neste livro, vai haver testes e espaços em branco para se fazer anotações sobre as experiências, sonhos e aventuras com os 1D! As fãs podem transformar este livro num registo pessoal e guardá-lo para sempre. E, claro, vão querer levá-lo para o concerto da banda no dia 13 de Julho, no Estádio do Dragão, no Porto.

Quatro mulheres, uma promessa de prazer. A aventura de uma vida! - O Livro dos Sabores Perdidos - de Nicky Pellegrino

Título: O Livro dos Sabores Perdidos
Autor:
Nicky Pellegrino
N.º de Páginas: 320
PVP: 16,90€

Quatro mulheres, uma promessa de prazer. A aventura de uma vida!

As colinas de Favio, uma pequena vila siciliana, escondem um tesouro inesperado: a Escola de Culinária de Luca Amore. Ao pendurar quatro aventais limpos para o novo curso que se avizinha, Luca antecipa a rotina do costume: preparar belas refeições com iguarias locais, visitar aromáticas vinhas e olivais a perder de vista, proporcionar momentos agradáveis às suas quatro alunas e desejar-lhes uma boa viagem de regresso a casa.

Ao dirigir-se ao aeroporto, o jovem não imagina que a sua vida está prestes a mudar… e muito. Acabadas de chegar, Moll, Tricia, Valerie e Poppy são muito especiais. Eis o que Luca ainda não sabe sobre elas: uma esconde um segredo, outra espera voltar a encontrar o amor, outra tenta desespe­radamente fugir à sua própria vida e a última já o conseguiu.

E quando lhes dá as boas-vindas e coloca gentilmente sobre a mesa uma garrafa de Pro­secco e cinco copos, Luca inicia um curso de culinária muito diferente dos anteriores. Mas essa é mais uma coisa que ele não pode saber… ainda.

Sobre a autora:
O pai de Nicky Pellegrino partiu de Itália para Inglaterra, onde se apaixonou por uma jovem de Liverpool. Com ele, levou também a paixão pela gastronomia, que partilhou com a sua nova família. A sua máxima de que se deve viver para comer e não comer para viver é uma das inspirações por detrás dos saborosos romances de Nicky Pellegrino. A viver atualmente na Nova Zelândia, onde trabalha como editora da New Zealand Woman’s Weekly, Nicky Pellegrino planeia as suas férias de forma a viajar anualmente com o marido para Itália, para visitar a família, comer a melhor mozzarella e buscar inspiração para os seus livros.







 

VOGAIS: "Dar e Receber" - "Melhor Livro do Ano" para o Financial Times, Wall Street Journal e Fortune

«Provavelmente um dos mais importantes livros deste século. Uma preciosidade, de leitura agradável e que destrói o mito de que a ganância é o caminho para o êxito.» - Robert Sutton, autor de Scaling Up Excellence

«Um livro entusiasmante, que irá destruir as suas premissas sobre como o mundo funciona e manterá o seu cérebro a fervilhar semanas depois de ler a última página.» - Daniel H. Pink, autor de Drive, Vender é Humano e A Nova Inteligência

Porque chegam alguns ao topo, enquanto outros não passam da mediocridade?

Como podemos ser bem-sucedidos na vida pessoal e profissional?

A partir dos resultados das suas investigações pioneiras na Wharton School, onde é professor titular, Adam Grant revela em Dar e Receber (Vogais I 352 pp I 19,99€) que, ao contrário do que muitos pensam, as pessoas mais bem-sucedidas não são as mais egoístas e implacáveis nem as que agem com base em trocas mútuas. Os que chegam mais longe são os doadores, que dão o seu melhor aos outros sem reservas nem exigências.

Aclamado pela crítica e elogiado por gestores, líderes empresariais e professores universitários um pouco por todo o mundo, Adam Grant mostra o que os doadores bem-sucedidos fazem de diferente em cinco áreas-chave — networking, colaboração, influência, negociação e liderança —, e o que as restantes pessoas podem aprender com os métodos deles.

Sobre o autor:
Adam Grant, com apenas 31 anos, é o professor titular mais jovem de sempre da prestigiada Wharton School, tendo recebido o prémio de Excellence in Teaching por todas as cadeiras que deu nesta universidade. É consultor de empresas como a Apple, Google, Facebook, Pixar, Merck ou Goldman Sachs. Tem mais de 60 artigos publicados em algumas das revistas científicas de Psicologia e Gestão mais prestigiadas do mundo.
Venceu os prémios de excelência académica da American Psychological Association, da Academy of Management e da Society for Industrial and Organizational Psychology. Os seus estudos têm sido destacados em livros bestsellers como Silêncio, de Susan Cain, Drive e Vender é Humano, de Daniel H. Pink, Thrive, de Arianna Huffington, e David e Golias, de Malcolm Gladwell.
Toda a sua carreira foi construída sobre a teoria que apresenta em Dar e Receber: as pessoas mais bem-sucedidas e os colaboradores mais produtivos são também os mais generosos e altruístas.





Silvia Avallone, autora de "Aço" em Lisboa a 24 e 25 de julho

A Esfera dos Livros convidou a escritora italiana Silvia Avallone para vir a Lisboa nos dias 24 e 25 de julho para promover o seu romance “Aço”.

Trata-se de uma obra literária que foi bastante aclamada pela crítica internacional e que se traduziu num fenómeno de vendas na Europa e no Brasil. Com este trabalho a jovem escritora recebeu diversos prémios, entre eles o Prémio Strega 2010, o Prémio Fregene 2010 e o Prémio dos Leitores do jornal francês L’Express em 2011.

No seu texto, Silvia Avallone transporta o leitor a uma Itália periférica, industrial, nos anos da governação de Berlusconi, captando com mestria as contradições da nossa época. É nesta época de falta de esperança e de perspectivas que decorre a história de amizade intensa entre duas jovens que buscam desesperadamente a sua identidade.

“Um murro no estômago”, publicou o Corriere della Sera, enquanto o le Parisien o considerou “Aço” uma obra “Potente. Cortante e Sincera”.


Sobre a autora:
Silvia Avallone (Biela, Itália, 1984), licenciada em Filosofia e Letras pela Universidade de Bolonha, iniciou a sua carreira literária escrevendo contos e poemas para revistas prestigiadas como ClanDestino e Nuevo Argomenti. Em 2007 publicou a sua primeira obra, a antologia poética Il libro dei vent’anni, com que venceu o prémio Alfonso Gatto, 2008. O seu verdadeiro reconhecimento chegou em 2010 com a publicação de De acero, a sua primeira incursão pelo mundo da narrativa. Um êxito de vendas e de crítica. Ganhou diversos prémios como o Prémio Campiello Pera Prima, 2010, o Prémio Flaiano 2010 de narrativa e o Prémio Fregene 2010. A obra foi ainda finalista do Prémio Strega 2010, considerado o mais prestigiado prémio literário em Itália. Recebeu ainda o Prémio dos Leitores do L’Express em 2011. Aço vendeu mais de 350 mil exemplares em Itália e converteu-se num êxito na Holanda, França e Espanha. Os direitos de tradução foram vendidos a 14 países.
terça-feira, 24 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Na Cama das Rainhas - Juliette Benzoni [Opinião]

Título: Na Cama das Rainhas
Autor: Juliette Benzoni
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 232

Sinopse:
Um livro que despertará a curiosidade das leitoras que querem conhecer os amores secretos das rainhas que «fizeram» a História. De Messalina a Maria Luísa, passando por Isabel da Baviera, Maria Antonieta e Josefina, o destino galante das rainhas que marcaram a História. Rainhas ou imperatrizes, o casamento foi-lhes quase sempre imposto por razões de Estado e foi na paixão, na excentricidade ou na libertinagem que tentaram viver as suas aventuras pessoais. A maior parte das vezes estas rainhas, cuja função é sagrada, foram desmascaradas e o crime dos seus cúmplices lavados com sangue.

A minha opinião: 

O amor de uma rainha faz sonhar os homens. A rainha estava a meio caminho entre a divindade e a mulher. "Bela? Sem dúvida, porque até a mais feia entre as feias tinha um certo brilho."

Obrigadas a casar sem amor, colocando os interesses de Estado em primeiro lugar, as rainhas ou futuras rainhas não resistiam às tentações que as assolavam todos os dias. Homens bonitos, com corpo escultural eram uma constante na corte, portanto era mais que natural que uma jovem mulher, por vezes sem chegar sequer à fase adulta se apaixonasse. Os amores proibidos das rainhas, apesar de reprovados pela lei, são emocionantes e tornaram-se lendários.

Desde Messalina, imperatriz e quarta mulher do imperador Cláudio (ano 43), uma ninfomaníaca perversa, até ao inusitado casamento de Isabel de Inglaterra que aquando da cerimónia do seu matrimonio com um outro homem faz apaixonar o rei João que pede naquele preciso momento a sua mão, Juliette Benzoni faz um retrato vívido de muitas rainhas, muitas conhecidas outras nem tanto, e da forma como elas viviam as suas relações amorosas.

De ressalvar que estas aventuras extra-maritais nunca correm bem, tanto para a soberana como para os seus amantes, que vêem a maior parte das vezes a cabeça a prémio. A maior parte é enforcado ou mesmo decapitado, tendo o restos dos seu corpo espalhados um pouco por todo o lado.

Mas "Na Cama das Rainhas" não conta apenas as aventuras amorosas das diferentes mulheres que fizeram história. O papel preponderante de muitas delas nas tomadas de decisões, passando pelo ódio que muitas delas causam na população sobretudo por intrigas orquestradas pelos seus inimigos. Exemplo disso é a francesa Margarida, que quando chega a Inglaterra para se casar com Henrique VI é completamente ignorada.

Juliette Benzoni tem uma forma muito própria de contar a história. Sem se esquecer de todos os aspectos importantes que fizeram parte do passado, Benzoni sabe contar a História como ninguém, de uma forma apelativa e apaixonante. Ao lê-la parece que de um romance se tratasse.
 

Novidade Presença: Livro de pintar para Adultos

Título: Jardins 100 imagens para colorir
PVP: 10,90€
Páginas: 128
Coleção: Diversos Guias Práticos Nº 69
Género: Lazer/Tempos Livres.
Público-Alvo: Principalmente sexo feminino.

Em França, os livros para colorir são uma das maiores modas anti-stress entre adultos. As mulheres de todas as idades, têm sido adeptas de uma ideia importada em 2012 do Reino Unido que chega agora a Portugal.

Este é um livro de grande beleza , que se tornará ainda mais bonito à medida que o for colorindo. Centenas de padrões maravilhosos, com pormenores elaborados, para lhe proporcionar muitas horas de prazer e entretenimento.
Há padrões para todos os gostos - desde folhas  e flores a desenhos abstratos e geométricos.


segunda-feira, 23 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora publica Morte numa noite de verão, o grande "thriller" de K. O. Dahl

Título: Morte numa Noite de Verão
Autor:
Kjell Ola Dahl
Tradução: Miguel Caldas
Págs.: 368
PVP: 16,60 €

O conhecido escritor norueguês Kjell Ola Dahl vai deixar de estar inédito em Portugal a partir de 27 de junho, dia em que a Porto Editora publica o seu mais conhecido thriller, Morte numa Noite de Verão. Para além do suspense de toda a investigação policial, este é um livro que mantém uma reflexão permanente sobre temas fraturantes da sociedade, como a ambição, o amor e a violência.
Aquando da sua publicação, Morte Numa Noite de Verão foi distinguido como o Melhor Policial Norueguês do Ano e nomeado para o Brage Literary Award, para o Glass Key Award e o Martin Beck Award.

Sinopse:
De tronco nu e cabelo ao vento, Katrine Bratterud está eufórica: celebra a conquista de uma nova liberdade, agora que está prestes a terminar com sucesso um programa de reabilitação para toxicodependentes. Mas é no culminar dessa noite de furor e romance que Katrine se afasta para se refrescar num lago e morre brutalmente às mãos de um estranho, desaparecendo com ela os segredos que lhe trouxeram aquela felicidade recente.
Os inspetores Frølich e Gunnarstranda não acreditam em coincidências e, por isso, também não vêm a morte de Katrine como uma mera questão de azar. Rapidamente mergulham numa série de investigações, cada vez mais profundas, que não descuram nem a vida de drogas e de prostituição de Katrine, nem tão pouco as intervenções de médicos e funcionários na sua reabilitação. Todos os homens que conheceu e amou são imediatamente suspeitos e só de uma certeza os inspetores podem estar seguros: uma mulher cativante e vulnerável como Katrine transforma até o mais reto dos seres em pecador.

Sobre o autor:
Kjell Ola Dahl nasceu em 1958 na Noruega e iniciou a sua carreira literária em 1993 com Dødens More Investeringer, que rapidamente se converteu num dos policiais mais conhecidos do seu país.

Imprensa:
Tal como nos livros anteriores de Dahl, somos agora confrontados com uma síntese perfeita entre a linguagem dos policiais clássicos e a dos romances sociais. The Independent
Dahl, o autor da série dos Detetives de Oslo (…), aborda o género [policial] de um ângulo sociopsicológico, analisando as condições sociais e motivações das suas personagens em narrativas robustas e apaixonantes. The Guardian
Recomendado aos fãs de Karin Fossum e Kjell Eriksson. Dahl é um talento formidável. Booklist
Dahl é uma estrela brilhante do género [policial]. Hamar Arbeiderblad
[Dahl] pertence a uma liga só sua. Aftenposten