quinta-feira, 14 de agosto de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Um ano de mochila às costas a concretizar um sonho


Título: Passagem para o Horizonte
Autor: Gonçalo Cadilhe
N.º de Páginas: 268 Páginas + Extratextos
PVP: 16,00 €

Gonçalo Cadilhe viveu o ano mais feliz da sua vida dando uma volta ao mundo. Este livro é um concentrado de mais de duas décadas a tratar as estradas do globo por tu.

Quando completou 40 anos, Gonçalo Cadilhe arrancou para uma volta ao mundo de um ano que pretendia realizar um sonho antigo e reafirmar o sonho de vida que tem levado: viajar e escrever.

Seguindo um itinerário pelos cinco continentes baseado na localização das melhores ondas de surf do planeta, saltando da pobreza extrema da América Latina e da orla do Índico para o excesso de mordomias da Polinésia e da Califórnia, Gonçalo Cadilhe deixa-nos o relato de um périplo variado e original.

Quando me perguntam o que me fez largar uma vida segura, um trabalho, uma casa, uma família, para viajar pelo mundo, respondo que foi exatamente o mesmo que faz com que outra pessoa não largue uma vida segura, um trabalho, uma casa, uma família — ou seja, uma ideia de nós próprios e de onde reside a nossa felicidade, revela Gonçalo Cadilhe.

Neste novo livro, o escritor e viajante acaba por fazer também uma reflexão sobre a coincidência dos encontros, a importância da amizade, a lentidão da viagem, a passagem do tempo por todos nós, e sobre outras pequenas verdades quotidianas que fluem em paralelo com a dinâmica da viagem, independente e aventurosa, pelo mundo fora.








Passatempo: Ganha a Quinta Viagem ao Reino da Fantasia!(Geronimo Stilton)

Queres ganhar o novo livro do Geronimo Stilton, Quinta Viagem ao Reino da Fantasia?

Já imaginaste se o Stilton te convidasse para ires com ele ao Reino da Fantasia? Daria uma história bem extrarrática, não achas?

Pois é isso que queremos que nos contes: puxa pela imaginação e conta-nos as tuas aventuras com dragões, ogres, fadas, elfos, duendes, gigantes e bruxas!

E se fores um dos autores das 3 melhores histórias adivinha o que vais ganhar? Um livro novinho em folha: Quinta Viagem ao Reino da Fantasia!

Participa aqui até dia 24 de agosto e boa sorte!



Moscas nos Olhos - Luísa Beltrão [Opinião]

Título: Moscas nos Olhos
Autor: Luísa Beltrão
N.º de Páginas: 92
Editora: Glaciar

Sinopse:
Acompanhando o marido, capitão Miguel Menezes, Filippa vai para Arras, em plena frente de batalha da 1.ª Guerra Mundial, como enfermeira voluntária.
No hospital britânico, Bon Secours, ela entra em contacto com os horrores de um confronto cuja violência desumana tem sido abafada pelo que se seguiu em 39/45.
Ali encontra um doente terminal, André, médico escocês que se tornara uma lenda nos campos de batalha, e com quem vai ter uma estranha relação de amor.
Várias personagens entrecruzam-se nos planos individuais, familiares e bélicos, permitindo um olhar sobre este 1.º conflito mundial e a entrada portuguesa na guerra.

A minha opinião:  
Moscas nos Olhos é o segundo livro de uma série cujo cenário é a Primeira Guerra Mundial, publicado pela Revista Sábado.

Este é também o primeiro livro que leio de Luísa Beltrão, não contando com O Código d'Avintes , Eça Agora, 13 Gotas ao Deitar e Os Novos Mistérios de Sintra escrito em conjunto com outros autores portugueses.

Filippa, esposa de um combatente de guerra, Miguel, decide, por insistência da mãe francesa, ir ter com o marido para a frente de batalha. Contrariando os desejos do seu avô, que lhe dá o ultimato de que se partir nunca mais entrará na casa de família, e um pouco também Miguel, que acha perigoso demais o seu desejo, Filippa decide mesmo ir.

O patinho feio da família, acabará por acatar os desejos da mãe e acaba como enfermeira voluntária num hospital britânico.

Moscas nos Olhos retrata sobretudo o dia a dia de Filippa no hospital, ajudando os estropiados da guerra, até que conhece André, um doente em fase terminal, que acaba por arrebatar o seu coração. É junto dele que passa a maior parte dos dias, conversando sobre tudo um pouco, até à sua morte.

A sua relação como o marido continua a mesma, embora o coração de Filippa seja partilhado pelo seu paciente preferido. Privilegiada em relação a outras, Filippa encontra-se com Miguel amiúde, uma forma de matar saudades e de estar com o marido. As transformações do marido também começam a ser evidentes, mostrando o que a guerra faz a um ser humano.

Gostei deste segundo livro, embora não tivesse adorado.
Excerto: 
"Afluíram-lhe rugosas as saudades dos filhos, que má mãe lhes saíra na rifa, deixá-los por uma guerra que não era a sua, uma guerra de morte, de perdição e lama, os filhos eram a vida."



quarta-feira, 13 de agosto de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novo livro da Coleção: Os Livros da Minha Vida nas livrarias a 28 de Agosto


Título: Olhai os Lírios do Campo
Autor:
Erico Veríssimo
Prefácio: Alice Vieira
N.º de Páginas: 376
PVP: 12,90 €
Nas livrarias a 28 de Agosto

Olhai os Lírios do Campo
«Se a história deu prazer a tanta gente (a julgar pelas milhares de cartas que até hoje venho recebendo e por manifestações pessoais de viva voz da parte de incontáveis leitores), não vejo razão para impedir que continue a sua carreira.» Erico Verissimo, 1966

Olhai os lírios do campo é um romance poderoso e comovente que convida à reflexão sobre os valores autênticos da vida, um livro que é uma revelação no campo literário e humano que continua a fazer desta obra um êxito de todos os tempos.

No prefácio, Alice Vieira destaca também a sempre presente valorização do pormenor, a importância dada às coisas aparentemente simples ou banais, o acordar da madrugada com os primeiros ruídos da casa, as tardes douradas pelo sol, o brilhar dos açudes no bosque de eucaliptos….

No livro, Eugênio Fontes recebe uma chamada do hospital que o alerta para o estado de saúde grave de Olívia. Na viagem até ao hospital evoca o seu passado: a infância infeliz e pobre, os traumas vividos na escola e em casa, o desejo de se tornar um homem rico…

É graças aos sacrifícios dos pais que acede a uma educação de excelência e entra na Faculdade de Medicina, onde conhece o amor da sua vida, Olívia.

Incapaz de assumir a relação com a colega de turma, Eugênio casa com a filha de um grande empresário, passa a viver de aparências, adultérios e eternas contradições. Mas será que o passado ficará para sempre lá atrás?

Erico Verissimo nasceu em 1905. Em 1932 publica o primeiro livro de contos e o primeiro romance. Em 1938 tem o seu primeiro grande sucesso com Olhai os lírios do campo. O livro marca o reconhecimento do autor no país inteiro e também internacionalmente. Muitos dos seus romances estão publicados em mais de uma dezena de países. Ao longo da sua carreira Erico Verissimo foi distinguido com diversos prémios literários, incluindo o Jabuti e o Pen Club. Faleceu em 1975.

«Ainda bem que uma amiga me presenteou com uma bolsa cheia de livros antigos que ela não tem mais onde colocar. Escolhi vários e ao me deparar com a 70ª edição do livro Olhai os lírios do campo iniciei-me na beleza da obra deste escritor.» I Bety Orsini, O Globo

Outros livros da Coleção OS LIVROS DA MINHA VIDA

- A Ilha do Tesouro, com prefácio de Miguel Sousa Tavares

- O Corsário Negro, com prefácio de Eduardo Marçal Grilo

- O Grande Gatsby, com prefácio de Francisco Pinto Balsemão

- Mrs. Dalloway, com prefácio de Teresa Patrício Gouveia

- Os Maias, com prefácio de José Eduardo Agualusa

- Noites Brancas, com prefácio de Margarida Rebelo Pinto





Clube do Autor mantém aposta no livro juvenil


A editora Clube do Autor prepara-se para publicar dois novos livros destinados ao público juvenil.

A partir do final deste mês chega às livrarias o segundo volume da coleção Os descendentes de Merlin, de Rita Vilela, autora que se prepara para apresentar A dama do lago na Feira do Livro de Toronto, no Canadá. Depois de Os guardiães dos manuscritos mágicos, no novo livro os leitores acompanham a história de Guinevere, uma mulher de coragem e de palavra que se casou com Artur e se tornou rainha de Camelot, cumprindo assim o juramento que o grande mago Merlin a forçara a fazer. O Palácio Nacional de Mafra, o Convento de Tomar, a Biblioteca da Ajuda, Paris e a sua emblemática Torre Eiffel são alguns dos cenários da nova aventura de Rita Vilela, uma das escritoras portuguesas mais profícuas na área infanto-juvenil e autora de vários livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura.

Já em Setembro fica disponível mais uma aventura da famosa família Macedo criada por Odette de Saint-Maurice.

As meninas do andar de cima, sétimo livro da coleção recuperada pelo Clube do Autor, centra-se nas peripécias da família que vive no andar por cima do da família Macedo. No andar de cima vive o casal Abegorim e as quatro filhas: Lili, a mais velha, de 24 anos, a altiva; Mirita, a inquieta; Rita, a rebelde, e Rosarinho, a meiga. A agitação e as peripécias das meninas do 4º andar traduzem a atmosfera de raparigas com problemas e personalidades distintos mas cujas experiênciase descobertas se mantêm surpreendentemente atuais.




terça-feira, 12 de agosto de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Vestido para a Morte - Donna Leon [Opinião]

Título: Vestido para a Morte
Autor: Donna Leon
N.º de Páginas: 296
PVP: 18,85€

A esperança do Commissario Guido Brunetti de escapar do calor sufocante de Veneza em Agosto e de desfrutar de umas férias em família nas montanhas é gorada quando uma descoberta macabra é feita num campo em Marghera.
Um corpo está tão espancado, que o rosto é irreconhecível. A vítima parece ser uma prostituta transsexual. O comissário começa as buscas em Veneza de alguém que possa identificar o cadáver, mas depara-se com um muro de silêncio.
Então recebe um telefonema prometendo informações, a condição é que se encontre com o interlocutor numa ponte na cidade, a meio da noite. Apesar do perigo, Brunetti continua determinado a descobrir a verdade e quando a desvenda depara-se com uma realidade assustadora.
Veneza é uma das mais visitadas cidades do mundo, célebre pelos seus canais, monumentos e beleza secular. Através das páginas de Donna Leon, é possível visitar uma Veneza que nem todos os turistas conhecem…

A minha opinião:
A Planeta decidiu, há muito, apostar nos livros de Donna Leon e, no que me diz respeito, foi uma aposta ganha.

Vestido para a Morte é uma reedição, já que este livro já tinha sido publicado anteriormente por uma outra editora portuguesa, a Presença. No entanto, e como não li a edição anterior, vi agora uma oportunidade para ler mais um livro, cujo protagonista é Guido Brunetti, um comissário da polícia de Veneza, de quem gosto bastante.

Terceiro livro da série onde entra o comissário, Vestido para a Morte retrata a homossexualidade, o travestismo, uma igreja/religião/seita um tanto ou quanto obscura, a prostituição, corrupção na polícia e infidelidade. No meio disto tudo aparece um homem vestido de mulher e com a cara completamente desfeita. O reconhecimento do corpo é, portanto, difícil, e será uma dor de cabeça para Brunetti, que terá de abdicar das suas férias com Paola e os filhos para resolver mais um caso.

Quando um trabalhador de um matadouro encontra um sapato vermelho, tenta de seguida achar o par para fazer algum dinheiro com ele. No entanto, junto com o par de sapatos encontra também um corpo. Um homem de vestido vermelho jaz num local frequentado por prostitutas. Logo se pensa que poderá ser um dos muitos travestis que existem na zona, mas com o desenrolar da investigação vai-se constatando que é muito para além disso.

Mais uma vez Donna Leon aborda como ninguém os usos e costumes italianos, em alguns casos muito parecidos com os nossos, nomeadamente em relação à corrupção e à forma desleixada dos venezianos, comportamento típicos dos povos do sul da Europa. Os cheiros estão sempre presentes, quer o horrível odor dos canais venezianos, quer das pastas italianas, que adoro. Sempre que leio um livro de Leon engordo pelo menos um quilo, virtualmente, tal a vontade de querer comer comida italiana.

Neste terceiro livro, talvez pelo facto de a família de Guido se encontrar de férias, o aspecto pessoal da sua vida não é tão abordado, mas está sempre presente.

Muito bom.
 

Outros livros de Donna Leon lidos no blogue aqui