sexta-feira, 5 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Maze Runner - antestreia aberta ao público - 9 de setembro

Dia 9 de Setembro, a partir das 21h00, no Jardim da Estrela, sejam todos bem-vindos à Clareira!
Uma das antestreias mais esperadas deste ano! Entrada livre

O FOX Movies e a Junta de Freguesia da Estrela, em colaboração com a Big Picture Portugal, apresentam-lhe a 11ª edição do Cine Lapa, que se realizará de 9 a 14 de Setembro, no Jardim da Estrela, em Lisboa, com entrada livre.
A abertura do evento, a 9 de Setembro, pelas 21h00, irá consistir na antestreia exclusiva de um dos filmes mais esperados do ano: Maze Runner, Correr ou Morrer, de James Dashner, cuja obra homónima é publicada em Portugal com a chancela da Editorial Presença.

O LIVRO:
Thomas percebe então que se encontra num elevador e que chegou a um lugar estranho, um espaço que se abre entre muros altíssimos e que o enche de pânico. Lá fora, como se estivessem à sua espera, uma pequena multidão de rapazes adolescentes como ele. As suas vozes saúdam-no com piadas juvenis, proferidas numa linguagem que lhe parece estranha. Dizem-lhe que aquele lugar se chama a Clareira e ensinam-lhe o que sabem a respeito daquele mundo. Tal como acontece com Thomas, não se lembram da sua vida anterior, mas ali estão perfeitamente organizados, cumprindo preceitos que ninguém deve quebrar. No fim desse primeiro dia de Thomas naquele lugar, acontece algo inesperado — a chegada da primeira e única rapariga, que traz uma mensagem que mudará todas as regras do jogo. Uma série de grande sucesso, que agradará tanto aos fãs de Os Jogos da Fome como a todos os apreciadores do género fantástico ou de distopias apocalípticas.




O FILME:
Trailer:


O Demónio na Cidade Branca, de Erik Larson, a 12 de setembro nas livrarias

Título: O Demónio na Cidade Branca
Autor: Erik Larson
Género: Não Ficção
Tradução: Raquel Dutra Lopes
N.º de páginas: 488
Data de lançamento: 12 de setembro
PVP: 19,90€

Chicago. 1893. Um homem construiu um paraíso na terra. Outro construiu um inferno ao lado.
Em O Demónio na Cidade Branca, Erik Larson, autor do best-seller No Jardim dos Monstros, cruza a história da Feira Mundial de 1893 com o percurso de H. H. Holmes, um serial killer astuto que, através da feira, atraiu dezenas de pessoas para a morte. Um livro que combina uma pesquisa meticulosa da recém-descoberta História e as emoções da melhor ficção, dignas de um thriller.



Sobre o autor:
Erik Larson cresceu em Freeport, Long Island, e licenciou-se em História Russa na Universidade da Pensilvânia e em Jornalismo na Universidade de Columbia. Escreve para vários jornais e revistas americanos. Vive em Seattle com a mulher e três filhas.

«Um livro dinâmico e fascinante (…). Fundindo História e emoção, este livro de não-ficção tem o efeito dramático de um romance. E não faz mal nenhum que, nele, a verdade seja mais estranha do que a ficção.» The New York Times
«Larson consegue equilibrar com mestria os pormenores mais macabros com as vastas implicações da Feira Mundial.» USA Today


A estante está mais cheia #20

A Secretária de Sidónio Pais, de Rita Ferro; Benigno, de João Tordo e A Morte Milagreira, de Pedro Teixeira Neves são os últimos livros de um coleção da revista Sábado que retratam, ficcionadamente, a I Guerra Mundial. O livro de Rita Ferro já li e a minha opinião encontra-se aqui. Benigno será a minha próxima leitura.

Depois de ter visto filme no ano passado não podia deixar de ler Florbela, Apeles e Eu de Vicente Alves do Ó, baseado no mesmo. Oferecido gentilmente pela Saída de Emergência. Opinião aqui.

A Porta do Destino é o mais recente livro editado pela Asa da mestre do crime, Agatha Christie. Ofericido gentilmente pela editora será uma das minhas próximas leituras.

Viagem ao Fim do Coração, o mais recente livro de Ana Casaca é a minha leitura actual. Estou a gostar esmo muito desta leitura e recomendo. Profiler de Pat Brown chegou hoje mesmo pelo correio e estou em pulgas para começar a lê-lo. Ambas as leituras são oferta da Guerra & Paz.

Não Digas Nada de Mary Kubica é a nova aposta da Topseller. A sinopse promete e espero que o livro também. Oferecido pela editora.

Hoje chegou ainda O Pintassilgo de Donna Tartt ganho num passatempo da Bertrand Livreiros no facebook. Adorei a surpresa do saco e da fitinha que vinha a acompanhar o livro.




quinta-feira, 4 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento - "Mourinho Rockstar: As Duas Faces do Treinador Mais Polémico do Mundo"



«Mourinho é daqueles que deviam ser tratados à bastonada nos dentes. Toda a gente em Itália o trata com respeito. Precisa de aprender a fazer o mesmo com R os seus adversários.» - PIETRO LO MONACO

«É o líder do seu exército. Mas também se preocupa. Tornou-se um homem por quem, basicamente, estaria disposto a morrer.» - ZLATAN IBRAHIMOVIC

Mourinho Rockstar: As Duas Faces do Treinador Mais Polémico do Mundo (Vogais I 208 pp I 14,39€), do escritor e jornalista Luís Aguilar, chega às livrarias a 11 de setembro, dia em que será igualmente apresentado ao público num evento a realizar na Livraria Ler Devagar (LX Factory), às 19 horas, com apresentação do jornalista José Manuel Freitas e o ex-jogador Maniche.

Mourinho Rockstar: As Duas Faces do Treinador Mais Polémico do Mundo é a biografia profissional e passional de Mourinho através das maiores controvérsias que teve com jogadores, treinadores, dirigentes e jornalistas.

Em 2011, quando era treinador do Real Madrid, JOSÉ MOURINHO foi considerado a «estrela rock do ano» pela edição espanhola da revista Rolling Stone. Foi a primeira vez que esta publicação elegeu como rockstar uma figura não pertencente ao mundo da música. Motivo? «Pela arte maquiavélica de irritar toda a gente.» Por encarnar um espírito rock'n'roll na forma como lida com os desafios da sua profissão. Um homem que se ama ou se odeia. Sem meio-termo. Mourinho nunca provoca indiferença. Para o bem e para o mal.

Mourinho Rockstar mostra os dois lados deste homem. Um anti-herói dos tempos modernos. Retratado por aqueles que privaram com ele. De Ibrahimovic a Pep Guardiola, passando por Alex Ferguson, Jorge Costa e Sergio Ramos, entre muitos outros. De um lado, os que o admiram. Do outro, aqueles que não o suportam.

Sobre o autor:
Luís Aguilar nasceu a 23 de Fevereiro de 1982. Começou por estudar Antropologia, mas foi no jornalismo que desenvolveu os seus primeiros trabalhos e o gosto pela literatura.

Publicou Jogo Sujo (2009), a biografia do ex-futebolista Fernando Mendes; o romance Sexo, Morte e Futebol (2010); a biografia de Paulo Futre, El Portugués parte I (2011) e parte II (2012); Correio de Droga (2011), uma história de narcotráfico internacional baseada em relatos verídicos; Jogada Ilegal (2013), sobre os grandes casos de corrupção na FIFA e no futebol internacional; e Jogo de Vida ou Morte (Vogais, 2014), sobre os heróis e os vilões das histórias mais negras dos Mundiais de futebol.


Porto Editora - O inédito de Saramago e outras grandes novidades para a "rentrée"

A Porto Editora apresentou, esta manhã, no Museu da Fundação Oriente, em Lisboa, as novidades das várias chancelas para a rentrée literária. O grande destaque vai para a publicação do inédito de José Saramago: Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas.
Foram anunciadas também obras de grandes autores portugueses, como Gonçalo M. Tavares, na ficção, Mário de Carvalho num registo de não ficção, e Valter Hugo Mãe na literatura infantil.
A sessão começou com uma retrospetiva do primeiro semestre de 2014, no qual foram publicadas obras de autores tão importantes como Aleksandr Soljenítsin, Herberto Helder, Isabel Allende, Miguel Esteves Cardoso, Richard Ford ou Teolinda Gersão. No que respeita a novidades para a rentrée, Cláudia Gomes destacou o lançamento, pela Porto Editora, de uma coleção de livros infantis da autoria de Valter Hugo Mãe, cujo primeiro título será O paraíso são os outros, e a publicação de uma nova obra do famoso chef inglês Jamie Oliver.
Também no âmbito da Porto Editora, Manuel Alberto Valente evidenciou, naturalmente, Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas, o inédito do Prémio Nobel José Saramago, o mais recente romance de Gonçalo M. Tavares, Uma menina está perdida no seu século à procura do pai, e ainda Quem disser o contrário é porque tem razão, de Mário de Carvalho, um guia prático para a escrita de ficção.
João Rodrigues salientou a publicação, pela Sextante Editora, de uma nova obra do grande escritor brasileiro Rubem Fonseca, intitulada Amálgama.
Pela Assírio & Alvim, Vasco David deu ênfase a Poesia Presente – Antologia, de António Ramos Rosa, uma antologia preparada pela filha do poeta, com um prefácio de José Tolentino  Mendonça, e a uma nova edição do Livro do Desassossego. Foram apresentados 50 títulos, distribuídos por quatro chancelas: Porto Editora, 5 Sentidos, Sextante Editora e Assírio & Alvim.

Novidades Editoriais do Grupo BertrandCírculo



Até dezembro ficará disponível mais de meia centena de novos títulos na Bertrand, Quetzal, Temas e Debates, Pergaminho, GestãoPlus e ArtePlural.

Este ano, a Temas e Debates, dirigida por Guilhermina Gomes, celebra 20 anos de atividade. Entre os títulos que são publicados por esta chancela está O Capital no século XXI, do economista francês Thomas Piketty, apontado como o melhor livro de economia desta década: ao alcance dos leitores portugueses em outubro. No mesmo mês chega às livrarias A República dos Sonhos, de Nelida Piñon, numa celebração do 30º aniversário de um dos livros mais aclamados da escritora, e também o novo título de um autor que tem vindo a publicar com a Temas e Debates: Cartas e Intervenções Políticas do Exílio junta textos de Mário Soares escritos antes de abril de 1974. Em novembro, publica-se O Passageiro Clandestino, ensaio de Leonor Xavier, e Bom dia, Sr. Mandela, o testemunho de como pequenas escolhas podem determinar uma vida: Zelda de la Grange conta como viu a sua vida e o seu mundo de africander serem influenciados por Nelson Mandela, de quem foi assistente.
O primeiro romance de José Luís Peixoto trazia também o carimbo da Temas e Debates, mas nos últimos anos o autor de Livro tem publicado com a Quetzal. Este ano, José Luís Peixoto publica um novo romance: sairá em outubro. Na senda do que tem vindo a fazer, a Quetzal publica também o primeiro romance de J. Rentes de Carvalho, devolvendo aos leitores portugueses a possibilidade de lerem Montedor, obra de 1968. A chancela dirigida por Francisco José Viegas continua a publicar autores portugueses e apresenta em setembro Mustang Branco, o primeiro romance de Filipa Martins na casa, mas o terceiro desta escritora distinguida em 2004 com o Prémio Revelação APE. Em outubro chega VidaDupla, a estreia de Sérgio Godinho na ficção. Herzog de Saul Bellow, em setembro, e O Rei Pálido, o romance inacabado de David Foster Wallace, em novembro, completam a oferta de ficção traduzida na Quetzal. Foram ainda anunciados os novos títulos de Eduardo Paz Ferreira: Da Europa de Schumann à Não Europa de Merkel; de Ricardo Saavedra: O Puto; e a biografia de Marcello Caetano por Luís Menezes Leitão, todos não-ficção. No mesmo género, traduzido, a Quetzal publica ainda em outubro, e de uma enorme atualidade, A Mística de Putin, de Anna Arutunyan.

Este é também ano de Daniel Silva. Desta feita, o livro que saiu na rentrée nos Estados Unidos chega em versão portuguesa, publicada pela Bertrand Editora poucos meses depois, em novembro, com o título O Assalto. Vítor Pavão dos Santos leva quem o lê numa viagem ao mundo do fado e da poesia, letra a letra analisa os poemas cantados por Amália Rodrigues e recorre à sua memória para reconstruir a história de cada fado, em O Fado da Tua Voz. Amália e os Poetas., a publicar, também, em novembro. E para não se terminar o ano sem um título de Aquilino Ribeiro, em outubro publica-se novamente a tradução que o escritor português fez de A Retirada dos Dez Mil, de Xenofonte. Nesta edição, o escritor Mário de Carvalho assina o prefácio.
Depois de anunciar a publicação em outubro do vencedor do Man Booker Prize mais recente, Os Luminares, de Eleanor Catton, Eduardo Boavida falou ainda de autores de ficção que fazem parte do catálogo habitual da Bertrand Editora como Stephen King, John Grisham, Steven Saylor, Colleen McCullough e Julia Navarro. Ainda no que à literatura traduzida diz respeito, três anos depois do sucesso de Ferrugem Americana, o jovem ficcionista Philipp Meyer regressa às livrarias com O Filho, um épico do Oeste americano que o New York Times descreve como «magistral». Nigelissima (Bertrand), o livro de inspiração italiana de Nigella Lawson, Petiscos do Ramsay (ArtePlural) e o novo título da Bimby com receitas de chefes internacionais (In the Mix, no original), completam o cardápio.
Guilhermina Gomes deu também conta aos presentes da publicação dos últimos três livros da Obra Completa de Padre António Vieira (trinta volumes) e do início de uma nova coleção dedicada à literatura tradicional portuguesa, da autoria de José Viale Moutinho – no Círculo de Leitores.
quarta-feira, 3 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

No Limiar da Eternidade, terceiro livro da trilogia O Século de Ken Follett, publicado a 16 de Setembro

Título: No Limiar da Eternidade - Trilogia O Século - Livro 3
Título Original: The Edge of Eternity - The Century Trilogy - Book 3
Tradução: Isabel Nunes e Helena Sobral
N.º de Páginas: 1024
Coleção: Grandes Narrativas n.º 589
PVP: 29,99€
Data de Publicação: 16 Setembro 2014

Conclusão da Trilogia Épica «O Século»

SAVE THE DATE: 16 DE SETEMBRO

A 16 de setembro de 2014 será publicada a obra No Limiar da Eternidade, de Ken Follett, que inclui as décadas de 60, 70 e 80 de um dos mais turbulentos e sangrentos séculos da história da humanidade.

A Queda dos Gigantes, o primeiro livro da trilogia, foca a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa. O Inverno do Mundo, o segundo volume, abarca a Segunda Guerra Mundial e as alterações económicas e sociais que se lhe seguiram.

Sinopse:
Este terceiro volume da trilogia O Século começa em 1961 com a construção do Muro de Berlim já em plena Guerra Fria. As figuras principais são os descendentes das cinco famílias de diferentes nacionalidades (americana, alemã, russa, inglesa e galesa), que conhecemos em A Queda dos Gigantes e continuámos a seguir em O Inverno do Mundo. Estas personagens estão de alguma forma envolvidas na crise dos mísseis de Cuba, na luta pelos direitos civis e outros grandes movimentos de massas, nos assassinatos do presidente Kennedy e do seu irmão Robert, de Martin Luther King. A partir dos anos sessenta assistem ao nascimento da música pop e à difusão do rock. Tomam parte, enfim, de movimentos contra os escândalos presidenciais nos Estados Unidos, e encontramo-los combatendo os regimes comunistas nos anos oitenta. Este volume termina com a queda do Muro de Berlim, em 1989. Ao abraçar um projeto tão ambicioso como relatar um dos séculos mais dramáticos da história da humanidade, Ken Follett faz um trabalho admirável ao entrecruzar o dramatismo das histórias pessoais e a complexa intriga que se desenrola num palco global.

O Autor:
O britânico Ken Follett é um dos mais bem-sucedidos autores contemporâneos. Dos vinte e nove livros que escreveu, foram já vendidos mais de 150 milhões de exemplares. A trilogia «O Século», o seu projeto mais ambicioso até ao presente, conta a história do século XX através do olhar de cinco famílias relacionadas entre si. No Limiar da Eternidade, o volume final da trilogia, inclui as décadas de 60, 70 e 80 do mais turbulento e sangrento século da história da humanidade. Antes desta trilogia, o maior e mais inesperado êxito do autor foi a epopeia medieval Os Pilares da Terra (1989). Altamente aclamada pela crítica e pelos leitores e vendendo sucessivas edições, motivou Follett a escrever a sequela, O Mundo sem Fim (2008), tornando-se ambos livros de culto no mundo inteiro. A Presença tem publicado outros grandes êxitos do autor: A Ameaça, Triplo, O Voo das Águias, Voo Final, O Escândalo Modigliani.
http://www.ken-follett.com

Género: Ficção e Literatura/Romance Histórico.
Público-Alvo: Leitores de Ken Follett e de Romances Históricos.

Citações: 
«Ken Follett reconstrói uma era com todo o pormenor e conduz-nos através dos atos insensatos e por vezes excessivos dos seus protagonistas, reais e imaginários, entrelaçando magistralmente episódios dramáticos e uma vasta informação histórica numa narrativa vibrante e irresistível do princípio ao fim.»  The New York Times, sobre A Queda dos Gigantes

«Follett é um mestre. Preenche as suas páginas com personagens fascinantes e usa os grandes acontecimentos do nosso tempo para construir uma narrativa empolgante. Exemplar a todos os níveis.» The Huffington Post, sobre O Inverno do Mundo

«O fascinante volume final da trilogia «O Século» é uma experiência de leitura exaustiva mas gratificante, de uma grande densidade temática, que flui num enredo habilmente urdido entre a caracterização das personagens, os dramas familiares e a intriga internacional.» Publishers Weekly

Para mais informações consulte o site da Presença aqui


BOOKSMILE: Treine o seu cão e gato para que faça tudo o que lhe pedir. Em 21 dias!



Ter um cão ou um gato para nos fazer companhia é, sem dúvida, reconfortante. Mas existem algumas regras que os donos têm de aprender para garantir um convívio saudável com crianças, adultos e outros animais de estimação.

Treine o Seu Cão em 21 Dias e Treine o Seu Gato em 21 Dias, livros das reconhecidas especialistas em comportamento animal Karen Wild e Kim Houston, respetivamente, vão ser uma ajuda preciosa para os donos ensinarem os seus melhores amigos a cumprir regras e a fortalecer laços.



Treine o Seu Cão em 21 Dias (Booksmile I 96 pp I 9,99€)

Sonha com o dia em que o seu cão aceitará ordens como «busca» ou «dá a pata»? Procura soluções instantâneas para problemas como escavar buracos no jardim, pedinchar comida à mesa ou rosnar? E se lhe prometermos que irá consegui-lo em apenas 21 dias?

Os cães são animais sociais, mas precisam de treino para garantir que cumprem as regras necessárias ao convívio saudável com crianças, adultos e outros cães. Ao longo de 21 dias de treino iremos guiá-lo por uma série de temas que selecionámos depois de muitos anos a ouvir donos de cães e a lidar diretamente com centenas de problemas comportamentais destes animais. Os exercícios são divertidos e estimulantes: ao aplicá-los, estará a enriquecer a vida do seu cão e a fortalecer os laços consigo. No final do livro encontrará ainda 50 soluções rápidas para 50 problemas comuns, uma ajuda essencial para qualquer dono de cães.

Em apenas 21 dias conseguirá treinar o seu cão para que faça tudo o que lhe pedir. Para sempre!



Treine o Seu Gato em 21 Dias (Booksmile I 96 pp I 9,99€)

Sonha com o dia em que o seu gato aceitará ordens como «senta» ou «dá a pata»? Procura soluções imediatas para problemas como beber água da sanita, trepar pelos cortinados ou ir ao caixote do lixo? E se lhe prometermos que irá consegui-lo em apenas 21 dias?

Se alguma vez perguntou a si próprio se seria possível treinar um gato, com este livro tirará todas as dúvidas. Ao longo de 21 dias iremos guiá-lo por uma série de temas que selecionámos depois de muitos anos a ouvir donos de gatos e a lidar diretamente com centenas de problemas de comportamento destes animais. Os exercícios são divertidos e estimulantes: ao aplicá-los, estará a enriquecer a vida do seu gato e a fortalecer os laços consigo. No final do livro encontrará ainda 50 soluções rápidas para 50 problemas comuns, uma ajuda essencial para qualquer dono de gatos.

Em apenas 21 dias conseguirá treinar o seu gato para que faça tudo o que lhe pedir. Para sempre!
 


Novo romance de Sveva Casati Modignani publicado a 19 de setembro: A Família Sogliano

Título: A Família Sogliano
Autor:
Sveva Casati Modignani
Tradução: Regina Valente
Págs.: 384
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

A 19 de setembro, a Porto Editora publica A Família Sogliano, o novo romance da autora Sveva Casati Modignani.
Ao longo dos últimos seis anos, a Porto Editora tem vindo a publicar a obra daquela que é, sem dúvida, uma das autoras de maior sucesso em Portugal, graças a obras como Baunilha e Chocolate e Um Dia  Naquele Inverno.
A Família Sogliano traça o retrato de uma mulher inesquecível e de uma família poderosa do mundo fascinante e pouco conhecido do coral.

Sinopse:
É um fim de dia de maio quando na residência setecentista da família Sogliano, toca o telefone. A família está reunida para o jantar: Orsola, mulher de Edoardo, os cinco filhos do casal, a sogra, Margherita, e as suas duas filhas. Estão à espera de Edoardo. É Orsola quem atende, e toma conhecimento da morte do marido num acidente de automóvel. O golpe é tremendo: trinta anos de amor despedaçados num instante. Mas Orsola não pode saber que aquela mágoa avassaladora se vai transformar em breve numa dor ainda mais profunda, no momento em que descobre uma série de fotografias recentes do marido na companhia de um bonito rapazinho de olhos amendoados, que assina: «O teu filho Steve». A partir deste início fulgurante, Sveva conta-nos a história daquela família ligada à indústria do coral nos últimos dois séculos. A história de Orsola – uma mulher livre e independente de Milão; de Edoardo – o herdeiro da mais importante família do coral de Torre del Greco, mas também a história de Margherita – uma mulher do sul, orgulhosa e de coração generoso. Está é uma história apaixonante, entre amores, luzes e sombras, alegrias e sofrimentos, sucessos e falhanços, tendo como pano de fundo um ambiente tão insólito quanto fascinante e pouco conhecido: o mundo do coral, essa matéria-prima que nos encanta há milhares de anos.

Sobre a autora:
Reconhecida como a grande signora do bestseller italiano, com mais de 11 milhões de exemplares vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular, Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia, O Esplendor da Vida, A Siciliana, Mister Gregory, A Viela da Duquesa, Um Dia Naquele Inverno e O Barão. A sua obra autobiográfica, O Diabo e a Gemada também já se encontra publicada no catálogo da Porto Editora. Sveva Casati Modignani está no Facebook.




Outras obras da autora:



A Rainha da Neve - Michael Cunningham [Opinião]

Título: A Rainha da Neve
Autor: Michael Cunningham
Coleção: «Gradiva», n.º 152
N.º de Páginas: 284
PVP: €14,00

Este romance luminoso começa com uma visão. A partir dela, seguiremos o protagonista num percurso torturado e incerto. Michael Cunningham, com a sua prosa subtil e lúcida, demonstra uma profunda empatia pelas personagens e uma compreensão singular do que constitui o âmago da alma humana. «A Rainha da Neve» é uma obra bela e comovente, cómica e trágica, que vem reafirmar o autor como um dos maiores romancistas da sua geração.

A minha opinião: 
Conheço Michael Cunningham apenas de As Horas, um dos melhores livros, e já agora filmes, que li/vi até agora. E, como tal, estava com grandes expectativas em relação ao novo livro do autor publicado em Portugal, A Rainha da Neve.

Mais uma vez, Michael Cunningham é exímio em criar personagens com conteúdo psicológico intenso, fortes mas ao mesmo tempo frágeis, com vidas complicadas.

O livro começa com a visão de uma luz celestial, no Central Park, Nova Iorque, num dia de inverno, em 2004. Quem a vê é o protagonista, Barrett, e essa visão vai deixá-lo, de certa forma, incomodado. Fragilizado pelo fim de mais uma relação, Barrett, tenta seguir caminho, apesar da péssima fase que está a atravessar. As suas relações nunca terminam da melhor maneira e a pessoa que ama parece-lhe sempre inalcansável.

Por outro lado, Tyler, o seu irmão, vive momentos dramáticos com a doença da sua noiva. Beth sofre de cancro em fase terminal.

O que há partida poderia revelar que os irmão Meets eram bafejados pela sorte, já que um tem talento musical nato e outro uma cultura acumulada ao longo dos seus 40 anos (formado em Yale e leitor compulsivo), é completamente falso. Barrett apenas conseguiu um trabalho numa loja e Tyler trabalha num bar à noite acrescentando que é dependente de drogas.



Apesar de não ter criado empatia, em nenhuma altura do livro com alguma das personagens, tenho de admitir que Cunningham oferece ao leitor uma leitura complexa, forte em relações humanas.

Curiosamente o título A Rainha da Neve foi inspirado no conto de Hans Christian Andersen homónimo, que foi uma das minhas leituras referência de quando era mais nova.



terça-feira, 2 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

BOOKSMILE: Já chegou a Agenda Escolar 2015 do banana mais famoso do mundo!

A partir de agora acabaram-se as desculpas para esquecimentos e atrasos! Porque chegou, finalmente, a Agenda Escolar 2015 da coleção infantojuvenil mais vendida em Portugal O DIÁRIO DE UM BANANA.

A Booksmile edita, pela primeira vez em Portugal, a Agenda Escolar do Greg, que vem então juntar-se à coleção de livros que já vendeu mais de 115 milhões de exemplares em todo o mundo, 580 mil editados em Portugal. Uma agenda imaginada pelo autor Jeff Kinney que vai, com certeza, ajudar a criançada a organizar as tarefas da escola de uma forma bem mais divertida e motivacional. Os pais... agradecem.




Sinopse: de O Diário de um Banana: Agenda Escolar 2015 (Booksmile I 192 pp, ilustradas I 11,99€)
A partir de agora acabaram-se as desculpas para esquecimentos e atrasos! Porque chegou, finalmente, a agenda escolar de O DIÁRIO DE UM BANANA!

É aqui que vais começar a anotar a data e hora de testes, trabalhos de grupo, atividades desportivas, encontros com amigos, e mil e um outros compromissos ou interesses, para que não percas o fio à meada. As tuas personagens preferidas estão todas lá, para que te vás divertindo com piadas e situações de partir o coco a rir. E para te recordar de que, na companhia do Greg e das suas bananices, vai ser muito mais fácil sobreviver a mais um ano letivo!

Sobre o autor:
Jeff Kinney, criador da série O Diário de um Banana, foi nomeado pela revista Time como uma das pessoas mais influentes em todo o mundo.

Produzidos pela Twentieth Century Fox, os diários de Greg chegaram ao grande ecrã, com três filmes que renderam 250 milhões de dólares. A coleção venceu o prestigiado prémio Nickelodeon Kids’ Choice Awards em 2010, 2011, 2012 e 2014. Jeff Kinney conquistou o prémio Children’s Choice Book Award em 2012 e 2013. A série O Diário de um Banana, mantém-se ininterruptamente na lista de bestsellers do New York Times desde 2007 e já foi traduzida para mais de 44 países, em 42 línguas.







Porto Editora: Alexander Söderberg finalmente publicado em Portugal

Título: O amigo andaluz
Autor:
Alexander Söderberg
Tradução: Ana Diniz
Págs.: 488
Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €

A Porto Editora publica, a 12 de setembro, O Amigo Andaluz, primeiro livro de uma trilogia de grande sucesso internacional do sueco Alexander Söderberg, a nova voz do policial nórdico, autor já editado em 35 países.
Nesta primeira obra de Söderberg, traduzida diretamente do sueco por Ana Diniz (que também traduz Lars Kepler), o leitor conhece Sophie Brinkmann, uma enfermeira que se vê enredada numa teia de crimes, envolvendo o tráfico de armas e de droga. Não comprometendo de forma alguma a ação constante habitualmente presente em livros deste género, O Amigo Andaluz oferece também um interessante retrato da sociedade sueca.
O segundo volume desta trilogia é publicado na Suécia nesta rentrée literária e está neste momento a ser traduzido para português.

Sinopse:
Sophie Brinkmann é uma viúva que leva uma vida tranquila nos subúrbios de Estocolmo até conhecer Hector Guzman, um homem sofisticado e elegante. Ela não faz ideia de que sob o charme daquele homem se esconde algo sinistro. Hector é o cabecilha de uma organização criminosa. Ele está habituado a obter tudo o que quer, e o que ele agora quer é aniquilar os seus rivais.
Antes de se aperceber do verdadeiro mundo em que Hector se move, Sophie vê-se enredada numa implacável teia. Com a casa sob vigilância e a família em risco, em quem poderá ela confiar, quando a própria polícia é tão perigosa quanto os criminosos?
Neste primeiro volume da trilogia «Brinkmann», Alexander Söderberg presenteia-nos com um magnífico romance sobre o mundo sórdido do tráfico de armas e droga, dando-nos ao mesmo tempo um retratomagistral da fragilidade humana. 


Sobre o autor:
Alexander Söderberg nasceu e cresceu em Estocolmo. Trabalhou para a televisão sueca como argumentista, tendo adaptado, entre outras, obras de Camilla Läckberg. Vive atualmente no campo, no Sul da Suécia, com a mulher, três filhos e um labrador. O Amigo Andaluz é o primeiro romance da trilogia Brinkmann, e recebeu o aplauso unânime da crítica internacional, tendo sido traduzido em 35 países.


Imprensa:
Épico… O Amigo Andaluz é um policial que mistura drama  familiar, guerra entre gangues criminosos, tráfico de armas e droga, polícias pouco escrupulosos e violência. O ambiente é, por vezes, por aterrador, mas sempre fascinante.
USA Today
Um romance de estreia, tenso, brilhante e complexo, bem escrito e por vezes macabro. The Wall Street Journal
Söderberg é mestre em subverter o perfil moral esperado naqueles personagens. Kirkus






O Grande Jacques Coeur é publicado no dia 5 de setembro, pela Porto Editora

Título: O Grande Jacques Coeur
Autor:
Jean-Cristophe Rufin
Tradução: Isabel St. Aubyn
Págs.: 416
PVP: 16,60 €

Jean-Cristophe Rufin, vencedor do Prémio Goncourt 2001, é o autor do notável romance biográfico de uma das grandes figuras do século XV. O Grande Jacques Coeur é publicado no dia 5 de setembro, pela Porto Editora.
Comerciante e banqueiro audacioso, ponte entre Oriente e Ocidente, Jacques Coeur foi o pilar financeiro da unificação da França no reinado de Carlos VII. O núcleo dramático do romance é o seu envolvimento com a amante favorita do rei, Agnès Sorel, o famoso modelo de Jean Fouquet para o quadro «A Virgem e o Menino rodeados de anjos». Esta relação conduzirá à rutura com Carlos VII e à sua prisão e exílio no Vaticano e no Mediterrâneo, na ilha de Cos.

Sinopse:
Sob o calor de uma ilha grega, um homem esconde-se para escapar aos perseguidores e recorda a sua vida desenrolando o novelo do seu extraordinário destino. O seu nome é Jacques Coeur.
Filho de um modesto negociante de peles, tornou-se o homem mais rico de França. Financiou Carlos VII ajudando-o a acabar com a Guerra dos Cem Anos. Mudou o olhar sobre o Oriente e viajou através de todo o mundo então conhecido. Com ele, a Europa passou do tempo das Cruzadas ao tempo do comércio. Tal como o seu palácio de Bourges, metade castelo medieval e metade palácio renascentista, ele é uma figura de duas faces: tão familiar dos reis e do papa como das casas modestas.
Ao cume da glória sucederam-se a queda, a miséria e a tortura, antes de encontrar de novo a liberdade e a fortuna.
Entre as paixões da sua vida, a mais perturbadora foi a que o uniu a Agnès Sorel, a beleza suprema da sua época, modelo dos famosos
quadros de Jean Fouquet, primeira favorita real, desaparecida aos vinte e oito anos.
É preciso esquecer tudo o que sabemos sobre a Idade Média e mergulhar na frescura deste livro. Ele possui simultaneamente a força de um romance picaresco, a precisão de uma biografia e o charme melancólico de uma confissão.


Sobre o autor:
Jean-Christophe Rufin, médico, viajante, escritor, membro da Academia Francesa, é autor de vários romances famosos, entre os quais O abissínio e Pau-brasil, Prémio Goncourt 2001.
IMPRENSA
Rufin define com tal força e vitalidade este gigante da finança que chegamos a ouvir o som da sua voz. E é de novo o amor de uma mulher, a divina Agnès Sorel, favorita (também) do rei Carlos VII, que marcará o seu destino…
Prisioneiro, evadido, Jacques Coeur desembarca nessa ilha de Quios para esperar a morte. E para nos contar a vida. Intensamente político, financeiro e romanesco.
Fabienne Pascaud, Télérama


Ana Casaca regressa com Viagem ao Fim do Coração

Título: Viagem ao Fim do Coração
Autor: Ana Casaca
N.º de Páginas: 328
PVP: 14,99 €
Nas livrarias a 10 de Setembro
Guerra e Paz|Clube do Livro SIC
Página do Facebook: www.facebook.com/viagemaofimdocoracao

Sinopse:
Luísa ainda era uma adolescente. Tiago já era um jovem adulto. Conheceram-se na solidão de uma pequena praia, na margem de um rio. Tinham em comum uma relação familiar traumática. Num caso, o trauma do amor dos pais. No outro, o trauma do ódio dos pais.
Conheceram-se num dia que pareceu conter uma vida inteira. Mas teriam ficado separados para sempre, se a invisível linha de uma doença que rói o corpo e anuncia a morte não os tivesse voltado a ligar, dezasseis anos depois.
Luísa e Tiago podem até redescobrir o amor, mas apenas se a silenciosa presença das metástases não se alastrar aos seus corações.
Viagem ao Fim do Coração é mais do que uma comovente história de amor. É a recriação de um admirável mundo de pais e mães, filhos e irmãos, ódios e amores. Revela os pesadelos de um cancro injusto, mas não abdica do que é humano e essencial, o sonho.

Num romance toda a nossa vida: como a queremos, como às vezes não a queremos.

Sobre a autora:
Tem 39 anos e é natural de Lisboa. Licenciou-se em Direito, mas sempre soube que era na escrita que residia a sua verdadeira vocação. Troca as leis pelas letras e, em 2002, inicia-se no guionismo pela mão de Manuel Arouca, que a convida a integrar a equipa de escrita da telenovela Filha do Mar (TVI, 2002).
Participou na escrita de Baía das Mulheres (TVI, 2005), Tu e Eu (TVI, 2007), Podia Acabar o Mundo (SIC, 2008), Rosa Fogo (SIC, 2011) e Bem-vindos a Beirais (RTP, 2013-2014). Adaptou, com Tomás Múrias, o guião para a série O Regresso a Sizalinda (RTP, 2006). Neste momento, integra a equipa de argumentistas da sequela de Jardins Proibidos (TVI, 2014).
É autora dos romances A Vontade de Regresso (2002) e Todas as Palavras de Amor (2013).

Um exemplar do livro chegou hoje mesmo ao Marcador de Livros. Será uma das minhas próximas leituras.




"Educar com Amor", de Mário Cordeiro, no regresso às aulas

Na rentrée de mais um ano escolar, uma altura em que as crianças se sentem particularmente nervosas, eufóricas ou até deprimidas, chega-nos o novo livro de Mário Cordeiro, “Educar com Amor”. Trata-se de um guia de afetos e sentimentos para ajudar os nossos filhos a crescerem felizes e equilibrados, onde o pediatra mais lido em Portugal responde a questões que se colocam a todos os pais: Como ensinar os nossos filhos a lidar com os seus sentimentos?; Como ajudá-los a enfrentar os problemas do dia a dia?, Como construir uma auto-estima forte?

Sinopse:
«Educar exige amor, respeito, tolerância, exige (uff, tanta coisa!) saber quem são os nossos filhos, o que esperam de nós e nós deles, quais os comportamentos esperados e esperáveis, mas principalmente um fio condutor lógico, sensível, repleto de amor.» In Introdução

Educar é um ato de amor e uma das tarefas mais exigentes com que os pais se deparam. Devo castigar? Estou a mimar demais o meu filho? As regras em excesso são positivas? Como devo impor limites à minha filha? Que valores devo transmitir aos meus filhos? Que tipo de ser humano estou a criar? Somos assaltados diariamente por dúvidas sobre como devemos agir no nosso papel de pais. Mário Cordeiro, o pediatra mais lido em Portugal, recorrendo a casos práticos e à sua longa experiência profissional, explica-nos que educar é a maior prova de amor que os pais podem dar a um filho. Educar implica impor regras, pautas definidas, objectivos claros, deixando sempre espaço para o carinho, o afeto, os sentimentos, mas também para a imaginação e a fantasia, o génio humano, as especificidades de cada um dos nossos filhos. Porque os filhos não são o nosso livro, são o livro deles, escrito por eles com crescente liberdade criativa. Para este pediatra, pai de 5 filhos, os pais são o melhor exemplo para os filhos e é para eles que as crianças olharão sempre que quiserem aprender. Educar é por isso uma construção conjunta, feita lado a lado, partilhada todos os dias, de mãos dadas. Uma criança que se sente amada é uma criança que se sente segura e com coragem para enfrentar o mundo.

Sobre o autor:
Mário Cordeiro, doutorado em pediatria, foi professor de Saúde Pública na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e membro da Sociedade Portuguesa de Pediatria e da British Association for Community Child Health. É membro e consultor de diversas organizações de pais e familiares de crianças com doença crónica. Foi também presidente da European Society for Social Pediatrics e da secção de Pediatria Social e Comunitária da Sociedade Portuguesa de Pediatria. Foi membro da Comissão Nacional da Mulher e da Criança, da Comissão Nacional dos Direitos da Criança e da Comissão para as Boas Práticas em Lares de Crianças, tendo representado o país em diversos comités especializados da União Europeia e trabalhado com o governo do Reino Unido na elaboração de programas de promoção da saúde e na execução do Boletim de Saúde Infantil e Juvenil. Dirigiu o Observatório Nacional de Saúde e fundou a Associação para a Promoção da Segurança Infantil e a Associação pela Saúde dos Adolescentes, intervindo regularmente em prol dos direitos das crianças, enquanto pessoas e cidadãos. Associando à sua vasta formação pediátrica, conhecimentos nas áreas da Psicologia e da Sociologia e Antropologia, Mário Cordeiro é autor dos livros O Grande Livro do Bebé (10.ª edição), O Livro da Criança (7ª edição), O Grande Livro do Adolescente, Dormir Tranquilo (3.ª edição), O Grande Livro dos Medos e das Birras (3.ª edição) e 1333 Perguntas para Fazer ao Seu Pediatra publicados pela Esfera dos Livros.






segunda-feira, 1 de setembro de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Secretária de Sidónio Pais - Rita Ferro [Opinião]

Título: A Secretária de Sidónio Pais
Autor: Rita Ferro
N.º de Páginas: 89

Sinopse:
Durante quatro anos, entre 1912 e 1916, Sidónio Paes desempenhou o cargo de ministro plenipotenciário em Berlim. É lá que assiste ao início da I Guerra Mundial e, dois anos depois, à entrada de Portugal na hecatombe. Para o secretariar, leva consigo uma minhota virgem, bela e letrada, filha de um amigo da mocidade.
Embora inspirada em factos e personagens históricos, esta é uma obra de ficção.


A minha opinião: 
Quando Sidónio Pais é nomeado para o cargo de ministro plenipotenciário de Portugal, uma espécie de embaixador, em Berlim, a 17 de Agosto de 1912 surge a oportunidade de levar uma minhota, filha de um amigo seu, com o intuito de ser sua secretária. E é sobre esta secretária, letrada, virgem como se queria numa menina de família, oriunda de uma família humilde, que trata este livro de Rita Ferro, inserido na colecção da revista Sábado sobre a Primeira Guerra Mundial.

A autora faz um retrato leve da Grande Guerra, centrando-se mais na vivência de Alcídia Maria como residente de Berlim, embora o seu papel de secretariado também seja relegado para segundo plano.

Apesar da primeira recusa, sobretudo por parte do pai em viajar para Berlim, o que se compreende na época retratada, a jovem lá acompanha Sidónio e, posteriormente a amante deste, para o seu cargo na embaixada, que se estenderá até 1916. Alcídia transforma-se numa jovem vivida, apaixonada, da moda, mudando completamente. A jovem virgem que saíra de Portugal, regressava uma mulher.

A Secretrária de Sidónio Pais é uma história de amor entre Alcídia e um jovem que irá combater na frente de guerra, terminando de uma forma trágica...

Leve, pequeno mas com uma história envolvente este é um livro que se lê num ápice.

«Um amor perdido » de Anna McPartlin (Quinta Essência)

Título: Um Amor Perdido
Autor: Anna McPartlin
Tradução: Dina Antunes
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 356
Editor: Quinta Essência
PVP: 15,90€

Sinopse:
A 21 de junho de 2007 Alexandra Kavanagh saiu de casa, falou com a vizinha, meteu-se no comboio, chegou à estação de Dalkey e desapareceu... Tom está destroçado. Não encontra a mulher, o seu mundo desmoronou e o seu único objetivo é localizá-la. Durante dezassete anos, Jane cuidou do filho Kurt, da excêntrica irmã Elle, e da rabugenta mãe Rose. A única pessoa de que não cuida é dela própria. Elle é artista e considerada um génio. Como tal, o seu comportamento um tanto errático é tolerado. Embora a sua vida pareça perfeita, a tristeza de Elle é por vezes profunda. Leslie perdeu toda a família para o cancro. Passou vinte anos à espera de morrer, mas após uma operação radical está determinada a viver de novo. Quatro meses depois do desaparecimento de Alexandra. Tom entra num elevador com Jane, Elle e Leslie para um concerto de Jack Lukeman. Uma hora mais tarde, os quatro desconhecidos saem de lá com as suas vidas entrelaçadas para sempre.
Um Amor Perdido aborda o alcoolismo, a depressão, a negação e a dor e ainda assim irá dar por si a sorrir e até a rir.

Imprensa:
«Personagens com que sentimos afinidade e muito riso e lágrimas.» Prima

«Fácil de ler, divertido e emocionalmente cativante.» The Irish Times

«Perspicaz e irresistível, às vezes profundo, comovente e muito divertido.» Image

«O quarto romance de McPartlin é um espelho brutalmente sincero que reflete o intrigante modo como a tristeza e a felicidade coexistem.»  Booklist Image

Sobre a autora:
Anna McPartlin nasceu em Dublin, em 1972. Estarás sempre Comigo, o seu primeiro livro publicado na Quinta Essência, é inspirado na própria experiência de perda da autora e na capacidade de sobrevivência necessária para superar os desgostos da vida. Em 2007, foi vencedor do prémio Revelação do Ano nos Irish Book Awards.
Anna McPartlin viveu parte da infância em Dublin, até se mudar para Kerry, na adolescência, onde foi criada pelos tios. Após concluir o ensino secundário, entrou para a faculdade onde estudou Marketing, mas manteve o seu amor pela stand-up comedy e pela escrita. Enquanto trabalhava nas artes conheceu o marido, Donal. Actualmente vivem em Dublin.
Para mais informações visite www.annamcpartlin.com