sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Asa publica Infiltrado de Jeff Abbott

Título: Infiltrado
Autor: Jeff Abbott
PVP: 17,10€
e-book 11,99€
N.º de Páginas: 224 

Depois de Adrenalina, O Último Minuto e Queda, Jeff Abbott regressa com um empolgante thriller da série protagonizada por Sam Capra.

Quando o melhor cliente de Sam – e amigo – é assassinado à porta do seu bar de Miami, Sam decide procurar justiça. Determinado a descobrir a ligação entre a morte do amigo e uma bela e misteriosa desconhecida, Sam infiltra-se no seio dos Varela, uma das famílias mais importantes e perigosas de Miami.
Agora no seio da família, a desempenhar um papel onde um movimento errado significa a morte, Sam enfrenta um poderoso e instável magnata que tenciona dividir o seu império empresarial entre os três filhos, todos eles muito diferentes e com os seus próprios segredos assassinos.
Sam é implacavelmente arrastado para o drama intenso da família, recordando-se de forma dolorosa das suas próprias relações destroçadas como filho, irmão, pai e marido. E justamente quando acha que compreende por que motivo a família está a autodestruir-se e se prepara para desmascarar o assassino, descobre um segredo mortal tão chocante que os Varela não podem deixá-lo partir com vida...


Sobre o autor:
Jeff Abbott é autor de catorze livros policiais publicado em vinte línguas. Em 2012 venceu o International Thriller Writers Award com o livro O Último Minuto e foi três vezes nomeado para o Edgar Award. Vive em Austin, no Texas, com a família.

Porto Editora publica A maior flor do mundo, de José Saramago

Título: A maior flor do mundo
Autor:
José Saramago
Ilustração: João Caetano
Págs.: 32
PVP: 13,30 €

A maior flor do mundo, livro para crianças de José Saramago, publicado originalmente em 2001, termina com uma questão: se as histórias para crianças fossem de leitura obrigatória para os adultos, seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar? Porque esta é, sem dúvida, uma obra sublime e de leitura obrigatória, a Porto Editora publica uma nova edição deste livro, com as ilustrações originais (e premiadas) de João Caetano, a partir de hoje disponível nas livrarias.
Em A maior flor do mundo, Saramago estabelece um imaginativo jogo com o leitor, transformando-se em personagem. Começa assim: «As histórias para crianças devem ser escritas com palavras muito simples, porque as crianças sendo pequenas, sabem poucas palavras e não gostam de usá-las complicadas. Quem me dera saber escrever essas histórias, mas nunca fui capaz de aprender, e tenho pena.». A verdade é que Prémio Nobel da Literatura 1998 foi realmente capaz, e dessa ideia resultou uma magnífica história, na qual Saramago escreve para crianças sendo fiel ao estilo único que o distingue no mundo inteiro.
A maior flor do mundo é um livro indicado nas Metas Curriculares para o 4.º ano de escolaridade.

Sobre o autor:
Autor de mais de 40 títulos, José Saramago nasceu em 1922, na aldeia de Azinhaga. Até 2010, ano da sua morte, a 18 de junho, em Lanzarote, José Saramago construiu uma obra incontornável na literatura portuguesa e universal, com títulos que vão de Memorial do Convento a Caim, passando por O Ano da Morte de Ricardo Reis, O Evangelho segundo Jesus Cristo, Ensaio sobre a Cegueira, Todos os Nomes ou A Viagem do Elefante, obras traduzidas em todo o mundo.
José Saramago recebeu o Prémio Camões em 1995 e o Prémio


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

TOPSELLER: Um extraordinário olhar sobre a dor de três mulheres

«Amy Hatvany leva o leitor a refletir sobre uma multiplicidade de assuntos — a morte, a doação de órgãos, as famílias monoparentais, os maus tratos e o amor-próprio —, trabalhando cada tema com sensibilidade e compaixão.» - Kirkus Reviews

«À semelhança de Jodi Picoult, Amy Hatvany retrata com sensibilidade momentos da vida real, mantendo o leitor fascinado até à última página. Um livro que permanecerá consigo.» - Allison Winn Scotch, autora bestseller internacional

Depois de O Jardim das Memórias, Amy Hatvany regressa com um novo e comovente romance, Ao Encontro do Destino (Topseller I 368 pp I 18,79€), um extraordinário olhar sobre a dor de três mulheres e a esperança que persiste quando se sobrevive ao inimaginável.

Hannah perde a filha de 12 anos num acidente. Através da doação do fígado da filha, Hannah consegue salvar a
vida de uma adolescente um pouco mais velha, Maddie. Saída da redoma de proteção em que vivia por causa da doença, Maddie ganha uma nova esperança de vida para enfrentar, por fim, o desafio do mundo real.
Olivia, a sua mãe, é vítima da violência do marido, mas planeia um dia fugir de casa com Maddie sem que isso implique perder a custódia da filha.

Numa história arrebatadora e profundamente comovente, os caminhos destas três mulheres vão cruzar-se e as suas vidas irão alterar-se para sempre.

Sobre a autora:
Escritora norte-americana formada em Sociologia, a experiência académica e pessoal de Amy Hatvany possibilitou-lhe um grande conhecimento da natureza humana. Nos seus livros aborda diversos temas controversos, incluindo doenças mentais, violência doméstica e alcoolismo. É autora de livros muito elogiados pela crítica, como The Language of Sisters, Best Kept Secret, Heart Like Mine e O Jardim das Memórias, também publicado pela Topseller. Ao Encontro do Destino é o seu título mais recente. Conheça melhor a autora em: www.amyhatvany.com.






quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Não Digas Nada - Mary Kubica [Opinião]

Título: Não Digas Nada
Autor: Mary Kubica
Páginas: 336
Editor: TopSeller
PVP: 19€

Sinopse:
Um thriller psicológico intenso e de leitura compulsiva, Não Digas Nada revela como, mesmo numa família perfeita, nada é o que parece.
Tenho andado a segui-la nos últimos dias. Sei onde faz as compras de supermercado, a que lavandaria vai, onde trabalha. Nunca falei com ela. Não lhe reconheceria o tom de voz. Não sei a cor dos olhos dela ou como eles ficam quando está assustada. Mas vou saber.
Filha de um juiz de sucesso e de uma figura do jet set reprimida, Mia Dennett sempre lutou contra a vida privilegiada dos pais, e tem um trabalho simples como professora de artes visuais numa escola secundária.
Certa noite, Mia decide, inadvertidamente, sair com um estranho que acabou de conhecer num bar. À primeira vista, Colin Thatcher parece ser um homem modesto e inofensivo. Mas acompanhá-lo acabará por se tornar o pior erro da vida de Mia.

A minha opinião:
Contado através de três narradores (Eve Dennett, mãe de Mia; Gabe Hoffman detective encarregue do caso e Colin Thatcher raptor de Mia) que se centram tanto no presente como no passado Não Digas Nada é um trhiller psicológico profundo.

O facto de cada uma das três personagens nos irem contando a história ajuda-nos a perceber o que cada um está a passar, o que pensam sobre o caso e sobre o passado levando o leitor a fazer uma análise cuidada e psicológica de todos os envolvidos. A fragilidade de cada um é por demais evidente levando-nos a pensar que esta poderia muito bem ser uma história verídica.

Mia está desaparecida. Professora de educação visual numa escola secundária, pouca relação tem com a família, que tem uma vida próspera. Mia é quase como um patinho feio aos olhos do pai, que vê nela um projecto mal sucedido. Por outro lado, a mãe compreende-a e, a seu jeito, ama-a muito.

"James nunca se preocupou com Mia, nem com a origem da sua revolta, e, por consequência, do seu mau comportamento. Apenas lhe interessava o impacto que as suas acções podiam ter sobre ele."

Mary Kubica valoriza a obra ao relatar as vidas de Mia e Colin Thatcher (o seu raptor) antes e depois do rapto. Só assim conseguimos compreender em pleno o sofrimento de ambas as personagens. Pessoas marginais, um tanto que ignoradas no seio familiar, pelo menos por algum membro da família, e "obrigadas" a lutar por si mesmas e pelos objectivos que pretendem alcançar.

Ao mesmo tempo vamos acompanhando a investigação levada a cabo por Gabe Hoffman que, através do seu testemunho e pensamento fica mais clara e lógica.

A família de Mia, os Dennett vivem para as aparências. Eve, a sua mãe, é uma mulher frustrada, infeliz, obrigada a renegar as suas origens britânicas em prol das norte-americanas, apenas porque o seu marido quer. James é um advogado conhecido, com interesses na política, que vê no rapto de Mia um escândalo e nada mais. Apenas Grace seguiu os seus passos e é com ela que se preocupa e orgulha.

Contrariamente à família Denett, Colin Thatcher é um miúdo que cedo aprender a desenvencilhar-se sozinho. Sem pai e com uma mãe bastante doente, cedo se mentalizou que tinha de cuidar dela e deixou os sonhos de infância para trás. Esta foi, sem dúvida, a personagem com quem criei logo empatia.

Muito bom.

TOPSELLER: Um mundo macabro, uma história verídica na Barcelona do início do séc. XX


«Tem um toque de Poe e de Bram Stoker, mas também de Sherlock Holmes e de Raymond Chandler. Este romance catalão, desenhado sordidamente, é a mistura do terror gótico com o crime realista. É horrífico, assustador e incrivelmente apaixonante.» - The Times

«Um enredo frenético e uma escrita extraordinariamente vívida. Altamente recomendado!» - The Independent

Tão cativante quanto assustador. Uma mistura de CSI com Jack, o Estripador, na Barcelona do início do séc. XX.

A Mulher Má (Topseller I 256 pp + 8 ilustradas I 15,98€), de Marc Pastor, CSI de manhã e escritor à noite, revela um mundo macabro, uma história verídica que nos faz duvidar de um dia ter realmente existido uma mulher tão pérfida, capaz de crimes tão monstruosos. Um livro assombroso que agarrará o leitor da primeira à última página.

Barcelona, 1912. Há crianças a desaparecer. Quando um cadáver é encontrado numa viela estreita, dilacerado e sem um pingo de sangue, surgem rumores bizarros sobre um «vampiro» que se move pelas sombras da cidade e que anda a roubar as almas dos inocentes.

Para a polícia trata-se apenas de mais um cadáver, num lugar onde a morte e o crime são tão frequentes que se tornaram banais. E quanto às crianças desaparecidas, ninguém quer saber dos filhos das prostitutas que povoam Barcelona. Mas para o inspetor Moisès Corvo — um polícia rude e dissoluto, com um sexto sentido peculiar — este é um mistério que tem de ser resolvido, com um criminoso que afinal é uma mulher.


Marc Pastor nasceu em Barcelona, em 1977. Estudou criminologia e política criminal, e trabalha atualmente como investigador criminal na sua cidade natal. Autor de vários romances, o livro A Mulher Má valeu-lhe, em 2008, o prémio Crims de Tinta, atribuído ao melhor policial «negro» escrito em língua catalã.



Baseado na história verídica de Enriqueta Martí, uma mulher misteriosa que aterrorizou a cidade de Barcelona no início do século XX, este livro intrigante proporcionou a Marc Pastor projeção internacional ao ser traduzido e publicado em variadíssimas línguas por todo o mundo. As recentes viagens por diversas cidades de Inglaterra e Estados Unidos granjearam-lhe enormes elogios por parte da crítica.​





Porto Editora publica Uma escolha imperfeita, de Louise Doughty

Título: Uma escolha imperfeita
Autor:
Louise Doughty
Tradução: Cláudia Ramos
Págs.: 376
Capa: mole
PVP: 16,60 €

Uma decisão impensada pode mudar o curso de uma vida para sempre.
É essa a mensagem de Uma escolha imperfeita, romance de Louise Doughty, que a Porto Editora publica a 3 de outubro.
Esta é uma história sobre as relações, a verdade e a moralidade de uma sociedade que nos aprisiona, escrita num tom intimista, pleno de emoção, erotismo e com um grau de suspense de tirar o fôlego.
Louise Doughty foi nomeada para prémios importantes, como o Costa Novel Award e o Orange Prize for Fiction. É uma autora respeitada e em ascensão. Confirma-o, por exemplo, Hilary Mantel: «Louise Doughty, cada vez mais segura na sua escrita, leva o inquieto leitor a um território sombrio. Um livro irresistível e cheio de coragem». Também o The Guardian afirmou que a autora possui um «talento especial para histórias inquietantes».

Sinopse:
Yvonne Carmichael trabalhou arduamente para conquistar a vida que sempre quis: uma invejável carreira na área da genética, uma casa fantástica, uma boa relação com o marido e dois filhos crescidos de quem se orgulha.
Um dia, ela cruza-se com um desconhecido e, num impulso, começa uma tórrida aventura amorosa – uma decisão que acabaria por colocar em causa tudo o que ela sempre valorizou. Yvonne acredita que conseguirá manter a relação extramatrimonial sem que tal venha a interferir na sua vida, tal como ela é. Só que, na verdade, ninguém consegue controlar o que acontecerá a seguir.
De conceituada e respeitada cientista a adúltera acusada dos mais variados crimes, Yvonne vê todos os seus planos desmoronarem-se numa espiral de desilusões e violência.

Sobre a autora:
Louise Doughty é autora de sete romances. Uma escolha imperfeita (cujos direitos estão vendidos para 21 países) é o primeiro título a ser publicado depois de Whatever You Love, que foi finalista do Costa Novel Award e do Orange Prize for Fiction.
Vencedora de vários prémios na área da escrita para rádio e contos. Doughty publicou também um trabalho de não-ficção, A Novel in a Year, baseado numa coluna de opinião escreve para um jornal. É ainda autora de vários artigos de fundo para jornais e revistas como The Guardian, The Independent, The Daily Telegraph, The Mail on Sunday e a sua carreira na rádio inclui trabalhos em emissoras como a BBC. Vive em Londres.

Opiniões:
Não há uma única mulher que não tenha percebido alguma vez, num momento de pânico, que está no lugar errado, na hora errada, com o homem errado. Louise Doughty, cada vez mais segura na sua escrita, leva o inquieto leitor a um território sombrio. Um livro irresistível e cheio de coragem Hilary Mantel
A cena de abertura deixa prever que as coisas não vão correr bem para Yvonne. E será fascinante ver como uma mulher brilhante destrói a sua vida com apenas algumas decisões impulsivas. Pela mão de Doughty, as atitudes de Yvonne são simultaneamente chocantes e inacreditavelmente compreensíveis. Entertainment Weekly
Doughty tem um talento especial para histórias inquietantes que nos fazem questionarmo-nos sobre nós próprios, as nossas relações e escolhas (…). Uma leitura absolutamente emocionante. The Guardian


Sabe que alimentos previnem o cancro? A nutricionista Magda Roma explica


Magda Roma, nutricionista especializada em alimentação Anticancro, desmistifica em A Dieta Anticancro (Vogais I 192 pp I 15,49€) os principais mitos associados às doenças oncológicas, revelando os alimentos que previnem o seu aparecimento e as combatem. Sabia, por exemplo, que a forma como confeciona certos ingredientes pode provocar cancro? E que a ingestão exagerada de açúcar pode acelerar o processo oncológico?

A Vogais disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

O lançamento do livro irá realizar-se no dia 4 de outubro, às 21h30, na Fnac do Colombo. Recorde-se que outubro é mês internacional de prevenção do cancro da mama e, por isso, o momento perfeito para se abordar o tema da alimentação saudável.



Sinopse:
Com informação detalhada sobre cada um dos alimentos anticancro e 40 deliciosas receitas para utilizar no dia a dia, este livro irá permitir-lhe planear as suas refeições e seguir um plano de nutrição infalível que revolucionará a sua vida. As revelações que apresenta irão surpreendê-lo e mostrar-lhe que as soluções da medicina tradicional devem ser acompanhadas por uma alimentação anticancro. No fim, irá conseguir viver mais e melhor.

• Conheça os alimentos que aumentam as suas defesas
• Reduzas probabilidades de desenvolver cancro
• Fique a par dos números reveladores
• Conheça histórias reais e inspiradoras
• Siga o plano de alimentação para ter uma vida saudável

A Dieta Anticancro inclui 40 receitas fáceis, económicas e deliciosas, ideais para a sua dieta anticancro, e ainda uma lista de compras destacável para ajudar na ida ao supermercado.

Nesta obra serão divulgados conhecimentos, terapêuticas alimentares, receitas e conselhos práticos sobre o que pode fazer no seu dia a dia para criar, de forma fácil e segura, um estilo de vida saudável. Esta obra indica como pode promover diariamente a sua saúde, com hábitos de vida saudáveis. Mas também lhe indica como proceder, caso sofra de uma doença oncológica, para travar a sua evolução e fomentar a involução, criando um equilíbrio pleno. – Magda Roma

Opinião:
Em discurso direto e incisivo, tem uma tónica informativa acessível a qualquer pessoa e acometedora para a ação. Ficamos a saber como o consumo de alguns alimentos defende o organismo, mediante o reforço do sistema imunitário — o principal sistema de defesa anticancro do nosso corpo, que está ao nosso alcance poder fortalecer. - Prof.ª Dra. Amália Botelho, Médica, especialista de Medicina Interna; Professora Auxiliar da Área de Ensino e Investigação de Medicina Clínica da Faculdade de Ciências Médicas; Pró-Reitora da Universidade Nova de Lisboa.

Sobre a autora:
Magda Roma é licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e pós-graduada em Saúde e Envelhecimento pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
Fundou a Clínica FEM, em Mafra, que também presta serviços em todo o país através das farmácias, e a empresa Wellmeconcept, que atua em clínicas e ginásios. Juntamente com uma equipa de profissionais de saúde das mais diversas áreas — nutrição, fisioterapia, osteopatia, naturopatia, medicina quântica, medicina tradicional chinesa, entre outras —, a autora dá consultas de nutrição e promove novos regimes e estilos de vida a bem da saúde dos seus pacientes.
Entre outros locais, dá consultas na clínica FEM, em Mafra, na Clínica Rio e na CoreClinic, em Lisboa, e na HaloTorres, em Torres Vedras. Escreve regularmente em revistas e sites da área da saúde e bem-estar, como a Prevenir e o Sapo Saúde.




 

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Os Crimes do Monograma -: Sophie Hannah [Opinião]

Título: Os Crimes do Monograma
Autor:
Sophie Hannah
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 320
Editor: Edições Asa
PVP: 13,90€

Sinopse
Sentado no seu café preferido, Hercule Poirot prepara-se para mais um jantar de quinta-feira quando é surpreendido por uma jovem mulher. Ela chama-se Jennie e diz estar prestes a ser assassinada. Mais insólita do que esta afirmação é a sua súplica para que Poirot não investigue o crime. A sua morte é merecida, afirma Jennie, antes de desaparecer noite dentro, deixando o detective perplexo e ansioso por mais informação.
Perto dali, o elegante Hotel Bloxham é palco de três assassinatos. Os crimes têm várias semelhanças entre si: os três corpos estão dispostos em linha reta com os braços junto ao corpo e as palmas das mãos viradas para baixo. E dentro das bocas das vítimas, encontra-se o mais macabro dos pormenores: um botão de punho com o monograma PIJ.
Poirot junta-se ao seu amigo Catchpool, detetive da Scotland Yard, na investigação deste estranho caso. Serão os crimes do monograma obra do mesmo assassino? E poderão de alguma forma estar relacionados com a fugidia Jennie que, por uma razão indecifrável, não abandona os pensamentos do detetive belga? Hercule Poirot está de regresso num mistério diabólico que vai testar ao limite as suas célebres celulazinhas cinzentas.


A minha opinião:
Os fãs de Agatha Christie e do carismático detective das “celulazinhas cinzentas” podem ficar descansados. Sophie Hannah conseguiu retratar o momento de época dos romances de Christie e trazer novamente à ribalta Hercule Poirot.

Apesar de no início estar um pouco céptica em relação a este livro, talvez porque Christie é Christie e é inimitável, talvez porque seja um pouco ultrajante querer fazer passar-se pela mestre da literatura policial, mas o certo é que adorei este livro e mais este caso de Poirot.

Em Os Crimes do Monograma, vamos encontrar Poirot a viver com um agente da Scotland Yard, ainda inexperiente, novato e com pouco mais de trinta anos, Edward Catchpool, que acaba por ser o narrador da história. Obsessivo compulsivo com algumas coisas simples do quotidiano, Poirot adora o café de uma cafetaria perto de sua casa e de estudar as pessoas que o frequentam, incluindo as empregadas de mesa. É numa dessas vezes, quando se prepara para jantar que Poirot acaba a conversar com uma cliente já habitual, que entra no café à pressa e assustada. Sem perceber muito do que se passa Poirot tenta acalmá-la, mas as poucas coisas que a consegue fazer dizer é: “Por favor, não deixe que se ponham a abrir as bocas!”.

Isso torna-se um mistério, tanto para Poirot como para a empregada de mesa, também ela boa a estudar os clientes. E a sua perspicácia vai ajudar Poirot a desvendar mais este mistério em que se vê envolvido, apesar de reformado.

Quando chega a casa encontra o seu companheiro também ele aflito porque um terrível crime aconteceu num dos melhores hotéis da zona, o Bloxham. Três pessoas foram envenenadas e na sua boca colocaram um monograma com as iniciais PIJ.

Poirot, perspicaz como sempre, nota que os crimes podem estar ligados com a cliente misteriosa e começa a ajudar Catchpool, um subsituto de Hastings um pouco mais pobre.

Excerto: 


“Só preciso de mover a mente, não o corpo, para fazer progressos.” – pag. 96
  








Vidadupla: a estreia de Sérgio Godinho na ficção, a 10 de outubro nas livrarias

Título: Vidadupla
Autor: Sérgio Godinho
Género: Literatura / Ficção
N.º de páginas: 112
Data de lançamento: 10 de outubro
PVP: 14,40€

O que esconde e o que revela um velho lençol puído sobre a intimidade de uma mulher? Como se prova a inocência quando um álibi incrimina? O que significa a morte na vida de um carrasco, e o que significa a vida no dia da sua morte? Para onde rolam as bicicletas e caminha a história das duas operárias? O que leva um homem a deixar a sua casa, noite após noite, para dormir na rua?
Estas são algumas questões propostas pelas histórias de Vidadupla: um extraordinário mosaico – poético e operático – em que as figuras se desdobram de pessoas comuns em fantasiosas personagens (e vice-versa), que cumprem um singular destino através do papel que lhes coube no circo da vida.

Sobre o autor:
Sérgio Godinho nasceu no Porto e aí viveu até aos vinte anos, altura em que saiu de Portugal. Estudou Psicologia em Genève durante dois anos, antes de tomar a decisão «para a vida» de se dedicar às artes. Foi actor de teatro e começou a exercitar a escrita de canções nos finais dos anos 60. É de 1971 o seu primeiro álbum, Os Sobreviventes, seguido de mais vinte e sete até aos dias de hoje. Sérgio Godinho é um dos músicos portugueses mais influentes dos últimos quarenta anos.
Sobre si próprio disse: «Não vivo se não criar, não crio se não viver. Essa balança incerta sempre foi a pedra de toque da minha vida.» O seu percurso espelha, precisamente, essa poderosa interacção entre a vida e a arte.

Voz polifónica, Sérgio Godinho levou frequentemente a sua escrita a outras paragens. Guiões de cinema (Kilas, o Mau da Fita), peças de teatro (Eu Tu Ele Nós Vós Eles), séries de televisão, histórias infanto-juvenis (O Pequeno Livro dos Medos), poesia (O Sangue por um Fio), crónicas (Caríssimas Quarenta Canções), entre vários exemplos. Vidadupla é o capítulo presente desse estimulante itinerário pessoal.


Convite e lançamento: A autora Ana Bravo vai ensinar o ABC da Poupança aos portugueses

«Este é um livro que, sem contextos, teorias ou muitas explicações, fornece sugestões práticas e de aplicação imediata, abordando praticamente todas as áreas da nossa vida.» - Pedro Andersson, jornalista da SIC, in Prefácio

Ana R. Bravo, especialista em economia doméstica, desenvolveu o livro ABC da Poupança (Vogais I 288 pp I 15,98€) com o objetivo de tentar ajudar os portugueses a criarem um novo estilo de vida. Um estilo assente na previdência, no controlo das suas despesas e no aumento da poupança, sem perder qualidade de vida.

Para que isso aconteça, comece por criar o seu orçamento — etapa essencial em que fará o diagnóstico das suas finanças — e depois siga as dicas propostas. São mais de 1000 conselhos úteis e práticos que o farão poupar a carteira, a saúde e o planeta. Organizadas por temas ( Compras para o dia-a-dia, Energia, Tarefas Domésticas, Diversão e Lazer, Higiene, Saúde e Beleza, Crianças, Natal, Dinheiro, entre outras), estas sugestões aplicam-se imediatamente a quase todas as situações da sua vida: da alimentação até aos impostos, passando pelas atividades lúdicas ou pela ocupação das crianças.



COMECE A POUPAR JÁ! DESCUBRA A FORMA MAIS PRÁTICA E EFICIENTE DE:
Anotar todas as despesas • Tomar o pequeno-almoço em casa • Reduzir as idas ao restaurante • Aproveitar os cupões de desconto • Escolher marcas brancas • Reduzir a utilização do carro • Fazer os pagamentos online • Comprar em segunda mão … e muito, muito mais!

A VOGAIS disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui. O lançamento do livro irá realizar-se no dia 26 de setembro, às 18h30, na Fnac do Vasco da Gama, e contará com a apresentação de Pedro Andersson, jornalista da SIC e prefaciador do livro.

Sobre a autora:
Ana R. Bravo é licenciada em Relações Públicas e Publicidade e tem ainda formação em consultoria financeira, contabilidade e finanças. Colabora nos sites www.boasnoticias.pt e www.technet.com, nas áreas de finanças pessoais e sustentabilidade.
Fundou, em 2007, a RP Cash, empresa de consultoria financeira de crédito através da qual realiza workshops de economia doméstica e outros serviços complementares, como acompanhamento periódico, apoio às compras, coaching financeiro ou teambuilding. Defende que uma perceção mais focada nas nossas necessidades do que nos nossos desejos, a formação, a informação e a educação são os melhores instrumentos para o conseguir. ​


Novidade: «Banco Bom, Banco Mau» de Rute Sousa Vasco

Título: Banco Bom, Banco Mau
Autor: Rute Sousa Vasco
Género: Economia
Número de páginas: 240
PVP: 16,00 €

Que razões existem para manter a espiral o banco ganha, o contribuinte perde, vezes sem conta?
Sabendo que serão salvos pelos governos, que incentivo têm os bancos para ser um bom banco?
Como chegou a banca portuguesa a este estado? O que distingue os casos BES, BPN e BPP?
O que pode explicar que grandes banqueiros, como Ricardo Salgado, tenham deitado tudo a perder?
Uma história de ganância e de excessos, em que bancos e banqueiros são protagonistas, lado a lado com políticos, empresas tecnológicas e entidades cujo rosto desconhecemos.

CONHEÇA AS ALTERNATIVAS, O QUE DISTINGUE OS BANCOS E OS BANQUEIROS E QUAIS SÃO OS BANCOS DO FUTURO.

Sobre a autora:
Rute Sousa Vasco é jornalista, diretora de conteúdos do Portal SAPO, e coautora do programa de televisão «The Next Big Idea», exibido na SIC Notícias. Iniciou a sua atividade profissional no jornal Público e foi editora na revista Exame, no jornal Euronotícias e na revista Ganhar do Jornal de Negócios. Frequentou o curso de Relações Internacionais no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e tem uma Pós-graduação em Marketing pela Universidade Católica Portuguesa e uma Pós-graduação em Televisão e Cinema pela mesma universidade.


A história de Díli contada por Ximenes Belo

Título: Díli, a cidade que não era
Autor:
Ximenes Belo
Págs: 144
PVP: € 11,00

Nobel da Paz percorre os 150 anos de história de Díli e, de permeio, de Timor-Leste.
“É preciso amar o espaço para o descrever tão minuciosamente” (in Prefácio,
por Marco Dias da Silva).
Díli, a cidade que não era é o novo livro de Monsenhor Ximenes Belo, com o qual o Nobel da Paz consegue fazer desaparecer a distância que separa aquela cidade do nosso país, apresentando aos leitores a “primeira e a única cidade de Timor-Leste”.
Os alicerces da construção de Díli espelham-se neste livro numa vasta tela da memória que se estende desde tempos imemoriais à modernidade. De pequena aldeia piscatória a cidade cosmopolita, esta narrativa acompanha de perto o caminho percorrido ao longo de 150 anos pela primeira e única cidade de Timor-Leste. Nas páginas deste livro testemunha-se também o silêncio das ruínas que, longe de perpetuarem o fim, anunciam a revelação do início da cidade que não era.
Como se pode ler no prefácio assinado por Marco Dias da Silva, este livro “é mais um contributo para a memória coletiva de um jovem país independente, para a criação de referências culturais relativas ao património arquitetónico da cidade de Díli, para o reforço da identidade e entendimento da idiossincrasia timorense e estabelecimento de normas protetoras da diversificação cultural nacional, salvaguardando sempre o património intangível edificado”.
Díli, a cidade que não era será apresentado no próximo dia 26 de setembro, pelas 18:00, no Colégio Salesiano, no Porto.

Novidade Asa: Alexander, de Paullina Simons

Título: Alexander
Autor: Paullina Simons
N.º de Páginas: 224 
PVP 14,90€
e-book 10,98€

Tatiana tropeçou no degrau e quase caiu. De joelhos ao lado dele, fez o que pensava não poder voltar a fazer em toda a sua vida: tocou em Alexander. E beijaram-se. Beijaram-se como se fossem de novo jovens nos bosques do Luga. Beijaram-se até esquecerem a guerra e o comunismo, a América e a Rússia. Beijaram-se e afastaram tudo, deixando ficar apenas o que restava – fragmentos de Tania e Shura.

A viver na América com o filho, Tatiana tentou esquecer a mágoa pela perda do seu grande amor, Alexander. A sua vida seria perfeita se essa memória não estivesse presente a cada momento de cada dia. E quando uma improvável réstia de esperança de encontrar Alexander vivo se apodera dela, Tatiana não hesita.

Deixa o pequeno Anthony aos cuidados da amiga Vikki e parte para uma derradeira e perigosa viagem à Alemanha. Em jogo está tudo o que construiu e a sua própria vida. Se for encontrada, Tatiana sabe que não escapará. É uma mulher marcada.

Mas mais impossível do que o seu sonho é a incapacidade de aceitar a vida sem Alexander. Mais forte do que o medo é a promessa que fizeram um ao outro há tantos anos atrás: “viveremos juntos ou morreremos juntos.”
Tatiana e Alexander protagonizam uma das grandes histórias de amor da ficção contemporânea. Um inesquecível relato de paixão, guerra, coragem e sobrevivência.

Sobre a autora:
Paullina Simons nasceu em 1963 em Leninegrado, na antiga União Soviética, e emigrou para os Estados Unidos aos dez anos. Durante a sua infância sonhava em ser escritora. Após concluir o seu curso universitário em Ciência Política, trabalhou como jornalista financeira e tradutora, até concretizar o seu sonho de menina. O seu primeiro romance foi publicado e tornou-se imediatamente num sucesso internacional. O Grande Amor da Minha Vida, é o primeiro volume da trilogia Tatiana & Alexander, uma saga que conquistou as listas de bestsellers em todo o mundo. Vive actualmente em Nova Iorque com o marido e os quatro filhos.

Feira do Livro do Porto 2014

Este ano apenas fui uma vez à Feira do Livro do Porto. A minha visita foi no primeiro fim de semana de Feira e tive a sorte de conhecer os escritores João Tordo e Afonso Cruz.
Fiquei um pouco (muito) desiludida com a Feira, isto porque muitas das principais editoras não estiveram presentes, o que fez com que esta fosse uma feira mais pobre. Hora H nem vê-la...e as promoções também não eram atraentes.
O ponto forte da Feira é o recinto, os jardins do Palácio de Cristal são lindos e as condições são bem melhores do que as dos Aliados.






segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Porto Editora - Culinária - "As receitas da Mafalda": investir na saúde sem abdicar do sabor

Título: As receitas da Mafalda
Autor:
Mafalda Pinto Leite
Págs.: 208
Capa: dura
PVP: 22,00 €

A 6 de outubro, a Porto Editora publica As Receitas da Mafalda, o muito aguardado novo livro de Mafalda Pinto Leite. Com propostas simples, saudáveis e deliciosas, a primeira obra publicada pela Porto Editora daquela que é uma das chefs mais acarinhadas pelos portugueses ensina a investir na saúde sem abdicar do sabor.
O livro vai ser apresentada em Lisboa e no Porto em datas e locais a anunciar brevemente, mas foram várias as personalidades que já puderam contactar com As receitas da Mafalda e que quiseram pronunciar-se acerca dele. Segundo Sofia Carvalho, diretora da SIC Mulher e da revista Ativa, este é «um livro sobre comida saudável que tem tanto de cor como de sabor». Anna Westerlund, ceramista, salienta que Mafalda Pinto Leite tem o dom de «tornar o simples em especial». Já a nutricionista Iara Rodrigues lança um desafio: «inicie-se nos prazeres e mistérios deste universo fascinante da culinária saudável». Fazendo uma síntese perfeita do livro, Rita Lúcio Martins, da revista Máxima considera que As receitas da Mafalda oferece «a certeza de que estamos a investir na saúde sem abdicar do sabor».
Diariamente, Mafalda Pinto Leite partilha ideias e sugestões na sua página oficial no Facebook, que conta com mais de 170 mil seguidores.

Sinopse:
A chef Mafalda Pinto Leite seleciona as suas receitas preferidas para este livro, que marca um regresso muito aguardado. Dos pequenos-almoços práticos e saudáveis aos pratos de carne e peixe passando pelos deliciosos batidos e irresistíveis sobremesas, nada vai faltar neste As receitas da Mafalda que se tornará imprescindível na sua cozinha. Tendo sempre como grande e principal preocupação a utilização de ingredientes saudáveis, a autora partilha dicas sobre cada uma das receitas e sugere formas para a organização da sua despensa.

Sobre a autora:
Mafalda Pinto Leite tirou o curso de chef no conceituado Natural Gourmet Institute for Health & Culinary Arts, em Nova Iorque, depois de se ter iniciado na Escócia. Fez o estágio no restaurante Chez Panisse, na Califórnia, considerado pela revista Gourmet como o segundo melhor restaurante dos EUA. Passou depois por Maui, onde liderou a cozinha do Manna Foods, um restaurante e mercado de produtos orgânicos. Ainda no início de carreira, mas já em Londres, trabalhou num restaurante com o qual Jamie Oliver também colaborava, o Monte’s, e contactou com Donna Hay, cujas receitas simples, mas especiais, marcaram a  jovem chef portuguesa.
Desde que regressou a Portugal, em 2005, publicou vários livros e apresentou o programa de televisão Dias com Mafalda, na SIC. Acompanhe a autor também através do site www.diascomafalda.com.


Novidade Esfera dos Livros

Nas vésperas das eleições primárias que irão decidir o candidato socialista a primeiro-ministro, a Esfera dos Livros lança A Máquina do Poder, uma viagem aos bastidores das campanhas dos três maiores partidos portugueses, pela mão dos jornalistas Miguel Pinheiro e Gonçalo Bordalo Pinheiro. Um livro que nos ajuda a perceber como se financia, se organiza e se comporta a máquina partidária, que tem por missão eleger os políticos que nos governam. E que decidem o nosso futuro. Na rua a 26 de Setembro.

Sinopse:
O que realmente se passa por dentro das campanhas eleitorais dos três maiores partidos portugueses e ninguém vê? Que truques utilizam? Como enchem os comícios de gente? Como decidem os temas dos discursos consoante as sondagens? Como encenam eventos com militantes que passam por cidadãos independentes? O que, de facto, acontece nos bastidores? As maquilhadoras que andam sempre atrás dos líderes, o champanhe que se abre em centros de idosos, as conversas de charme com os jornalistas que acompanham a caravana eleitoral, a preparação dos diretos para os telejornais ou o polémico dinheiro que serve para pagar as campanhas. Estes são alguns dos temas que nos permitem perceber como funciona A Máquina do Poder. Os jornalistas Miguel Pinheiro e Gonçalo Bordalo Pinheiro levam-nos numa viagem inédita aos bastidores das campanhas dos três maiores partidos políticos: PS, PSD e CDS.

Com um acesso sem precedentes ao interior de uma campanha, nas europeias de 2014 acompanharam durante semanas os três partidos do poder. E mostram como se financia, como se organiza e como se comporta a máquina que tem a missão de eleger os políticos que decidem o seu futuro. Uma máquina que se movimenta pelo País inteiro, umas vezes de forma silenciosa, outras com estrondo, e que pretende obter apenas uma coisa: o seu voto.




Gradiva - Novidades para setembro

Título: Na Senda de Fernão Mendes
Percursos Portugueses no Mundo
Autor: Guilherme d’Oliveira Martins
Género: «Trajectos Portugueses», n.º 98
N.º de Páginas:  292
PVP: €14,50

Neste livro de viagens relatam-se as peregrinações de «Os Portugueses ao Encontro da Sua História» do Centro Nacional de Cultura, em todos os continentes. Um caminho fantástico de múltiplos encontros em que a literatura e a aventura se misturam. É apaixonante ver como os Portugueses e Portugal marcaram presença e ainda se encontram em todos os continentes.

Título: Até que o Mar Acalme
Autor: Miguel Gizzas
Género: «Fora de Colecção», n.º 421
N.º de Págunas: 292
PVP: €14,50

Eduardo, Maria, António, Adriana e Francisco perderam, em momentos distintos, a esperança na felicidade e na sua capacidade de amar. No entanto, a vida vai mostrar-lhes (muitas vezes de forma inesperada) que um coração está sempre preparado para voltar a acreditar.

Um escritor, um compositor e um intérprete. O primeiro romance do mundo com música.

Para ler e para ouvir. Uma surpreendente revelação. Inclui os QR codes para aceder às músicas através do smartphone.

Título: Logicomix
Uma Busca Épica da Verdade
Autores: Apostolos Doxiadis e Christos H. Papadimitriou
Género: «Fora de Colecção», n.º 426
N.º de Páginas: 352
PVP: €16,00

A busca da certeza matemática, na primeira metade do século xx. A vida dramática e o pensamento de Bertrand Russell, lógica matemática, filosofia, na forma mais rigorosa, acessível e cativante. «Não é apenas um livro. É uma obra de arte. No conteúdo, na forma, na estrutura narrativa e no meio de expressão.» J. Buescu, Universidade de Lisboa.

Título: 100 Coisas Simples que Pode Fazer para Prevenir a Doença de Alzheimer e a Perda de Memória Associada à Idade
Autor: Jean Carper
Género: «Fora de Colecção», n.º 422
N.º de Páginas: 392
PVP: €14,95

É possível evitar a Alzheimer. Jean Carper fez uma investigação que a levou a 100 formas cientificamente testadas e simples de reduzir as probabilidades de vir a sofrer de Alzheimer.

«[...] Jean Carper retoma artigos de referência e entrevista alguns dos melhores especialistas nos EUA, apresentando de forma coloquial, mas rigorosa, a informação relacionada com os factores de risco e de protecção associados à doença de Alzheimer e o declínio cognitivo associado à idade.»

Alexandre de Mendonça, Instituto de Medicina Molecular e Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Título: Do Outro Lado das Coisas
(In)Confidências Diplomáticas
Autor: João Rosa Lã
Género: «Fora de Colecção», n.º 420
N.º de Páginas: 632
PVP: €22.00

Cenas da vida diplomática vividas pelo autor, nomeadamente a tentativa desesperada de Marcello Caetano de promover uma independência unilateral de Angola, quando tudo já estava perdido; o modo como foi vivido o 25 de Abril num posto no estrangeiro; em Bruxelas, nas negociações de adesão à CEE; o papel dos americanos nos processos de paz em Angola e na autodeterminação de Timor.












A Segunda Pele da Acácia Mimosa é o novo romance de Ana Gil Campos

A Segunda Pele da Acácia Mimosa é o novo romance de Ana Gil Campos, publicado pela Chiado Editora, e será lançado no dia 24 de Outubro.

Sinopse: 

Sara, uma mulher determinada e ambiciosa, no pico da sua carreira como arquitecta sente um grande vazio interior, uma frustração que a consome apesar de ter uma vida aparentemente perfeita. Assim, desloca-se perturbada a Vieira do Minho, a sua terra natal no norte de Portugal, para procurar ajuda da única pessoa que a pode ajudar, a sua alma gémea. A Sara quer desaparecer da sua vida sem que ninguém perceba! De regresso a Lisboa, vê-se nos meandros da maçonaria feminina onde ser apercebe, em pânico, estar envolvida num caso de corrupção com uma ministra do governo português. O seu casamento também se encontra em crise pois vive de aparências. O casal vive como dois estranhos dentro de casa, completamente desligados um do outro, onde a tensão é constante. O pedro, o seu marido que também é arquitecto, aceita o compromisso de trabalhar em São Paulo e faz-lhe um ultimato: ou vai viver com ele para o Brasil ou o casamento está definitivamente terminado. Desesperada e sem saber o que fazer relativamente à maçonaria, ao seu envolvimento no caso de corrupção e ao próprio casamento, resolve fugir para Barcelona, onde se refugia na casa do seu amigo Barden, alto membro da maçonaria espanhola. Durante estas semanas em Barcelona vai descobrir o verdadeiro segredo maçónico e tomar as decisões mais importantes e determinantes da sua vida.


Guerra & Paz: João Abel Manta n'o fio da memória


Título: João Abel Manta: Não Se Distorce a Cara de Um Homem
Diálogo com José Jorge Letria
N.º de Páginas: 160 páginas
PVP: 13,99 €
Género: Não Ficção/Biografia
Nas livrarias a 24 de Setembro
Guerra e Paz Editores | o fio da memória

Sinopse:
João Abel Manta apresenta-se neste livro como ele é: um pintor liberto, um pintor que não defende nem pertence a grupos.

Numa entrevista apaixonada e sem rodeios, João Abel Manta fala das viagens de infância, do ambiente cultural vibrante em que foi criado, da passagem pelas Belas-Artes, pelo MUD, da arquitectura e da pintura: «Se me perguntarem quantos arquitectos bons é que há, eu digo que há 500 ou 600. E quantos pintores bons é que há? Eu começo a contar pelos dedos e não sei se chego aos dez.»

Um livro para saber como o autor avalia o seu próprio trabalho de cartoonista, que críticos e historiadores julgam ser o melhor retrato do ambiente social e político dos anos da Ditadura e dos anos da Revolução.

João Abel Manta
Pintor, arquitecto, ilustrador e cartoonista, a sua obra atravessa e marca o século XX português. Os seus cartoons são essenciais para compreender, quer o absurdo comportamental da ditadura a que Salazar vergou Portugal, quer o ambiente e as perplexidades que se seguiram à Revolução dos Cravos.

Desde os anos 80, tem-se centrado na pintura. Um pintor liberto, que não defende nem tem grupos, como a si mesmo se apresenta.

o fio da memória
o fio da memória é uma colecção que procura preservar em livro um património cultural precioso: vida e obra de grandes artistas, escritores e pensadores portugueses.

o fio da memória dá voz aos protagonistas da vida cultural portuguesa cujas obras se inscrevem já no nosso imaginário colectivo.

Numa entrevista de José Jorge Letria, o pintor e cartoonista João Abel Manta fala de si, da sua obra e do Portugal que a inspirou. A entrevista de um artista que se recusa a distorcer a cara de um homem.

Próximo volume
José-Augusto França