sábado, 21 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

NASCENTE: Brené Brown, estrela do TED.com, com novo livro



Imperfeição É uma Virtude é o novo livro de Brené Brown, autora da palestra The Power of Vulnerability, uma das cinco palestras TED mais vistas no site TED.com, com mais de 18,7 milhões de visualizações.
Todos os dias nos deparamos com uma imensidão de imagens e mensagens da sociedade e dos media que nos dizem quem, o quê e como devemos ser. Fazem-nos acreditar que se tivermos uma aparência impecável e uma vida perfeita não iremos sentir-nos desadequados.

E assim a maioria das pessoas atua diariamente, fingindo-se feliz e perfeita, ao mesmo tempo que na intimidade pensa em coisas como: «E se eu não conseguir manter tudo aquilo que tenho? O que é que os outros vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando vou poder parar de provar o que valho?»

Ao longo dos dez capítulos de Imperfeição É uma Virtude (Nascente I 240 pp I 15,98€), simples e intuitivos, Brené Brown entra na nossa mente, no nosso coração e espírito e explica como podemos cultivar a coragem, a compaixão e as relações de maneira a acordarmos de manhã e pensarmos: «Não importa o que faço ou o que deixo por fazer, eu sou suficiente.»

E assim à noite, quando nos deitarmos, poderemos dizer: «Sim, às vezes tenho medo, mas também consigo ter coragem. E, sim, eu sou imperfeito e vulnerável, mas isso não altera em nada o facto de eu ser merecedor de AMOR.»

Imperfeição É uma Virtude é um bestseller do New York Times e brilhou na lista de bestsellers da Amazon.com:

· #1 in Books > Self-Help > Creativity
· #1 in Books > Self-Help > Spiritual
· #1 in Books > Self-Help > Self-Esteem


A Nascente disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

Sobre a autora:
Brené Brown é uma oradora de renome internacional e ganhou vários prémios de ensino, incluindo o Outstanding Faculty Award. Fala e escreve com frequência na PBS, CNN, The Washington Post e The New York Times, The Wall Street Journal, Forbes, Financial Times, entre outros reconhecidos meios. Foi considerada uma das 100 personalidades que mais têm contribuído para a melhoria da economia americana.

A autora norte-americana é, também, autora de A Coragem de Ser Imperfeito igualmente publicado pela Nascente.




Lançamento de Spínola e a Revolução, de Francisco Bairrão Ruivo, dia 6 de março, 17h00, na Fundação Mário Soares



Esfera dos Livros: As Mulheres e a Guerra Colonial um livro de Sofia Branco

As Mulheres e a Guerra Colonial de Sofia Branco é um livro sobre um dos mais importantes acontecimentos século XX português. 49 mulheres revelam ao longo de treze capítulos, tantos quantos os anos da guerra, como, entre 1961 e 1974, todo o país foi à guerra e como, depois disso, nada foi como dantes.

Estas mulheres foram a retaguarda dos homens na frente de batalha, arriscaram, protegeram-lhes a retaguarda, contestaram a guerra, rezaram e fizeram promessas por eles, escreveram-lhes centenas de aerogramas, adiaram o amor, tornaram-se madrinhas de guerra de homens que não conheciam, muitas foram com eles para África, onde chegaram mesmo a morrer por eles, organizaram-se para lhes aliviar a saudade, apoiavam as suas famílias, trataram deles quando voltaram, mutilados e traumatizados, e habituaram-se a amar homens diferentes daqueles com quem haviam casado.



A guerra não foi só dos homens, foi também delas que ainda hoje vivem e convivem com homens que, por vezes, têm muita dificuldade em falar sobre o que se passou na guerra.



Sinopse

Rezaram e fizeram promessas por eles. Escreveram-lhes centenas de aerogramas, adiando o amor, às vezes sem volta. Tornaram-se madrinhas de guerra de homens que nem sequer conheciam. Foram com eles para o território desconhecido de África, que amaram ou odiaram, ou resignaram-se a esperar por eles, com filhos nos braços. Voaram para os resgatar do mato, onde chegaram mesmo a morrer por eles, e organizaram-se, com maior ou menor cunho ideológico, para lhes aliviar a saudade, enquanto apoiavam as suas famílias. Arriscaram por eles, protegendo-lhes a retaguarda, contestando a guerra, desertando sem saberem quando voltariam ao seu país, mergulhando na clandestinidade e aderindo à luta armada, sujeitas às sevícias da polícia política e perdendo a juventude nas masmorras da prisão. Trataram deles quando voltaram, mutilados e traumatizados, e habituaram-se a amar homens diferentes daqueles com quem haviam casado. Cada uma à sua maneira, as protagonistas deste livro foram pioneiras, desbravando caminhos outrora vedados às mulheres. Mães, irmãs, filhas, amantes, companheiras, amigas, muitas mulheres viveram a guerra colonial como se também elas tivessem sido mobilizadas. Depois da guerra, também para elas nada foi como dantes.


Sobre a autora:
Sofia Branco nasceu perto do mar, frio e revolto, na Póvoa de Varzim, onde regressa sempre que pode. Jornalista, nada lhe dá mais prazer do que escrever, contar histórias, ouvir o que cada pessoa tem para dizer. A vida trouxe-lhe muitas ondas, o curso em Coimbra, o estágio no Porto, o primeiro emprego em Lisboa, onde, à exceção de um ano no estrangeiro para fazer um mestrado em Direitos Humanos, vive desde então, sem nunca perder o sotaque, nem a têmpera do Norte. É feminista e ativista por um mundo mais justo e paritário, onde a História seja feita do relato de homens e mulheres.







   

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lídia Jorge apresenta novo livro de Isabel do Carmo



«As histórias que aqui se contam são reais. Nada do que aqui é posto na boca destas mulheres é inventado, nem mesmo as expressões ou os comentários. Gosto de ouvir as histórias das pessoas. E acontece que geralmente as mulheres são melhores contadoras das suas histórias pessoais do que os homens. Os homens contam outras histórias, as que se situam fora deles. Mas é difícil 'sacar-lhes'” a história pessoal mais íntima. Por outro lado, todas as histórias que aqui se contam estão relacionadas com a condição feminina, conduzindo muitas vezes a situações dramáticas na vida das mulheres, que são nossas contemporâneas.»

Isabel do Carmo é médica endocrinologista, doutorada pela Universidade de Lisboa. Antes do 25 de Abril, foi membro do PCP, de onde saiu em dissidência, e fundou com Carlos Antunes, o PRP/Brigadas Revolucionárias. Foi dirigente associativa da Ordem dos Médicos. Tem tido múltiplas actividades em organizações de base, tais como o Fórum Ecologista e Alternativo, as Feiras Alternativas, a Comissão Pró-Amnistia, a Associação Abril, a ATTAC Portugal, e outras organizações autónomas. Faz parte do Conselho Editorial do Le Monde Diplomatique – Edição Portuguesa.

Novidade Asa: A Bela e o Vilão, de Julia Quinn (Série Bridgerton)

Título: A Bela e o Vilão
Autor:
Julia Quinn
PVP: 16,90€
N.º de Páginas: 352
Sexto volume, da Série Bridgerton

Agora, Francesca está novamente livre. Infelizmente, ela vê Michael apenas como um ombro amigo – até à fatídica noite em que lhe cai inocentemente nos braços, e a paixão se revela mais poderosa e intensa do que o mais perverso dos segredos…
Libertino. Devasso. Debochado. Três adjetivos que podiam descrever Michael Stirling na perfeição. Bem conhecido nas festas londrinas, quer desempenhasse o papel de sedutor ou o papel de seduzido, uma coisa era certa: nunca entregava o coração.
Ele teria até acrescentado a palavra “pecador” ao seu cartão de visita se não achasse que isso mataria a pobre mãe. Mas ninguém é imune ao amor. Quando a seta de cupido atinge Michael, dá início a uma longa e tortuosa paixão – pois o alvo dos seus afetos, Francesca Bridgerton, tem casamento marcado com o seu primo. Mas isso foi antes.


Sobre a autora:
Julia Quinn começou a escrever e, para alegria dos seus inúmeros fãs em todo o mundo, nunca mais parou. Traduzidos para 26 línguas, todos os seus romances integram de imediato a lista de bestsellers do New York Times, com especial destaque para a Série Bridgerton, da qual a ASA já publicou Crónica de Paixões & Caprichos, Peripécias do Coração, Amor & Enganos, A Grande Revelação e Para Sir Phillip com Amor. A Bela e o Vilão é o 6º volume da história desta inesquecível família. A autora venceu já 2 prémios Romantic Times e três Prémios RITA da Romance Writers of America, tendo sido a mais jovem autora a entrar para o Hall of Fame dessa associação. Vive com a família na costa oeste dos Estados Unidos.

Quetzal presente na 16ª edição das Correntes D'Escritas

Estreias literárias em destaque na presença da Quetzal na 16ª edição das Correntes D’Escritas, evento organizado pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim e que este ano decorre entre 25 e 28 de fevereiro.
Ana de Amsterdam, de Ana Cássia Rebelo, e A Casa das Rosas, de Andréa Zamorano, duas obras de estreia, terão o lançamento oficial no dia 27, às 12h00, no Cine-Teatro Garrett.
Ana Cássia Rebelo participará na mesa 5 (Da escrita em ruínas transpiram as intermitências da vida, dia 27, às 22h00) e Andréa Zamorano estará na mesa 4 (O silêncio é o sal da escrita em construção, dia 27, às 17h30).
Manuel Jorge Marmelo, Sérgio Godinho e Bruno Vieira Amaral serão os outros autores da Quetzal presentes no evento. Participarão, respetivamente, nas mesas A Verdade dos Prémios Literários: O Poder das Narrativas e/ou As Narrativas do Poder (mesa 2, dia 27, 10h00), Literatura: uma questão de inteligência invisível (mesa 7, dia 28 às 15h30) e Da escrita em ruínas transpiram as intermitências da vida (mesa 5, dia 27 às 22h).



Alice no País das Maravilhas e os Pinypon

Na colecção contos Pinypon, não resisti a comprar a Alice. Sendo este o meu conto infantil preferido, "roubei" estes bonequinhos à minha filhota e coloquei-os na minha estante. Ficam lá tão bem.

Caixinhas literárias

Por ocasião do Dia dos Namorados a Dan Cake decidiu lançar três caixas alusivas a três clássicos da literatura: Romeo & Juliet, Jane Eyre e Anna Karenina. Eu consegui duas porque a caixa Anna Karenina no supermercado onde fui estava um pouco estragada e decidi não trazer para casa. As caixas são lindas e ficam lindamente na estante.

O mito de Harper Lee

A propósito do anúncio de um inédito de Harper Lee, o Público de hoje traz uma excelente reportagem sobre o mito à volta da escritora de Mataram a Cotovia para ver aqui
quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Bertrand: Os Últimos Treze - Livro 2

Título: Os Últimos Treze – Livro 2
Autor: James Phelan
Género: Aventura
Tradutor: Dinis Pires
N.º de páginas: 200
Data de lançamento: 20 de fevereiro
PVP: 9,90€

13 Livros. 13 Pesadelos. 1 Destino.
O segundo volume da aventura de Sam.
7 mil milhões de vidas em Perigo.
13 desconhecidos com pesadelos assustadores.
1 inimigo que não olhará a meios para destruir todos.
O meu nome é Sam.
Sou um dos últimos treze.
A nossa batalha começa aqui.
É agora que morres, Sam…
O pesadelo torna-se realidade e Sam enfrenta o seu destino. Será que a aterradora profecia se irá concretizar? A batalha final contra Solaris irá mesmo acontecer?
Nada poderia ter preparado Sam para a sua assustadora nova vida como um dos últimos 13 Sonhadores. De Nova Iorque ao Egito e a Itália, a busca pelos últimos 13 vai levar Sam a percorrer o mundo inteiro. Não o pode fazer sozinho – mas em quem poderá confiar?

Booktrailer:
http://www.youtube.com/watch?v=RpA7ST36kh8&feature=youtu.be

Sobre o autor:
O autor australiano começou a escrever romances e livros de aventuras quando ainda estava no liceu. Agora, dedica o seu tempo a escrever thrillers para adultos e para jovens. Os seus livros são um sucesso internacional.


Sextante Editora - Romain Gary: "As raízes do céu" apresentado em Lisboa

Título: As raízes do céu
Autor:
Romain Gary
Tradutor: João Belchior Viegas
Págs.: 472
PVP: € 17,70


No dia 27 de fevereiro, a Sextante Editora publica aquele que foi o primeiro romance de Romain Gary a ser distinguido com o Prémio Goncourt, As raízes do céu, um livro que tem como ponto de partida a aventura de Morel, um francês que vive na África Equatorial Francesa e pretende lutar contra o massacre de elefantes para o tráfico do marfim.
Myriam Anissimov, biógrafa de Gary (e de Primo Levi e Vassili Grossman), vai estar em Lisboa no início do próximo mês para participar no Festival Judaica, que tem lugar no Cinema São Jorge.

No dia 4 de março, às 18:30, apresentará aí este livro e o seu autor, em conjunto com o escritor e crítico literário Pedro Mexia.

Sinopse:
«Situei o meu relato no que ainda se chamava então, em 1956, a África Equatorial Francesa, porque aí tinha vivido e porque também não tinha esquecido que esse território fora o primeiro a responder outrora a um apelo célebre contra a abdicação e o desespero, e a recusa do meu herói de se submeter à enfermidade de ser homem e à dura lei a que estamos sujeitos juntava-se assim no meu espírito a outras horas lendárias…[…] Quanto ao problema mais geral, universal, da proteção da natureza, esse não tem, bem entendido, nenhum carácter especificamente africano: é em vão que gritamos como desalmados.»
Romain Gary, Prefácio à edição de 1980
Extraordinário e premonitório livro este, o do primeiro Prémio Goncourt de Romain Gary. Só a arte, neste caso a literatura, pode ver assim longe, longe, a perder de vista. Há uma fronteira, entre o humano e o inumano, que não pode ser ultrapassada, diz Gary. E, contra a escravidão imposta em nome de religiões, nacionalismos ou interesses económicos, ergue um livro. Em nome do Homem.

Sobre o autor:
Romain Gary nasceu em 1914 em Vilnius, na Lituânia (então Polónia). Judeu de origem russa, emigra com a sua mãe para Nice em 1928. Em 1940 junta-se ao general de Gaulle e às forças livres francesas em Londres e combate como navegador da esquadrilha «Lorraine» até ao final da guerra. Ferido, recebe a condecoração suprema dos combatentes franceses, Compagnon de la Libération, e será um dos poucos sobreviventes dos duzentos homens da esquadrilha.
O êxito dos seus primeiros romances, Educação europeia e As raízes do céu (Prémio Goncourt 1956) tornam-no imediatamente um escritor famoso em todo o mundo. Ocupa vários postos diplomáticos na Europa e nos EUA. Em 1975, escrevendo sob o pseudónimo Émile Ajar, ganha de novo o Prémio Goncourt (caso «impossível» na história do prémio) com Uma vida à sua frente, editado pela Sextante em 2011. Em 2014, a Sextante publicou Educação europeia e publica agora As raízes do céu.


Desamparo, novo romance de Inês Pedrosa, já à venda


A saga de uma mulher que foi levada do colo da mãe para o Brasil aos três anos e regressa para a conhecer mais de cinquenta anos depois é o ponto de partida do novo romance de Inês Pedrosa que será apresentado no dia 27 de Fevereiro, às 17h00, nas Correntes d'Escrita, na Póvoa de Varzim, e no dia 10 de Março, às 18h30, na Fnac do Chiado, em Lisboa.

Numa escrita inteligente, límpida e plena de humor, a escritora cria um universo singular, uma aldeia em que se cruzam personagens e histórias de vários continentes. Emigrações e imigrações de ontem e de hoje, seres solitários e escorraçados que procuram novas formas de vida, enquanto tentam sobreviver à maior depressão económica das últimas décadas.

O amor, a traição, o poder, a inveja, o ciúme, a amizade, o crime, o medo, a vingança e sobretudo a morte atravessam este livro que faz a radiografia do Portugal contemporâneo, num enredo cheio de força e originalidade.



Quando o Sol Brilha - Novo livro RTP - Já à venda


Título: Quando o Sol Brilha 
Autor: Rui Conceição Silva
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 304
PVP: 17,50 €

«Haverá um dia em que tu perceberás. Que verás claramente a estrela que agora não vês. Que distinguirás o seu brilho na noite de penumbra. Porque só então, quando todas as outras se apagarem, essa pequenina estrela brilhará no céu.


Felismino, a quem alcunharam de Jardins, vive uma vida feliz até encontrar a mulher, morta, na horta de casa. Amava-a muito. A sua perda aprisiona-o, passando a habitar num mundo de sonho e imaginação.

O seu filho Edmundo é um simples operário. Mas tem um segredo que esconde às pessoas da sua aldeia: gosta de ler livros. E ama o seu pai, mesmo doente e ausente de tudo.

Um dia, Edmundo tem um terrível acidente. Preocupada com a sua ausência, a mulher sai com a filha, ainda pequena, à sua procura. Mas o dia estava frio e tempestuoso e a menina apanha uma pneumonia. Morre dias mais tarde. O mundo de Edmundo entra em colapso. Sente-se culpado da morte da filha, que tanto amava.

No lugar mais inesperado de todos, vislumbra o sentido de todas as coisas e compreende o verdadeiro valor do amor, da vida e da amizade.

NAS LIÇÕES SIMPLES DA VIDA RESIDE A ESPERANÇA QUE NOS MOVE

Sobre o autor:
Rui Conceição Silva nasceu em 1963 em Figueiró dos Vinhos, onde reside. É casado e tem dois filhos.
Apesar de ter vivido em Coimbra, Tavira e Lisboa, é na sua terra que se sente completo, convivendo com os afetos e com os rostos de sempre.
Este seu primeiro romance é fruto da necessidade de falar da saudade triste da perda de alguém que se ama, mas também da reconciliação necessária com a vida e com toda a sua beleza.




Hoje, apresentação de "Um Spa em sua casa" de Manuela Nunes



Obra de Luísa Ducla Soares na Porto Editora

Títulos: Uns Óculos para a Rita
Autor:
Luísa Ducla Soares
Ilustração: Rita Duque
Coleção: Luísa Ducla Soares
Público-alvo: 6-10 anos
Págs.: 32
Capa: dura
PVP: 13,30 €

A Porto Editora prepara-se para reeditar grande parte da obra de Luísa Ducla Soares, autora incontornável da literatura portuguesa para crianças, e da qual já publicou 4 livros inéditos nos últimos 3 anos.
Uns Óculos para a Rita chega às livrarias no dia 20 de fevereiro e é o primeiro de 15 títulos a reeditar até ao final de 2015.
Estes e outros livros vão integrar a Coleção Luísa Ducla Soares, que reunirá as mais significativas obras da autora. Pela ampla abordagem de temas atuais e tradicionais e pela originalidade e humor, Luísa Ducla Soares, autora de mais de 130 livros, tornou-se uma figura importante da literatura infantil portuguesa. Foi galardoada com diversos prémios e ocupa um lugar destacado no Plano Nacional de Leitura e nas preferências dos jovens leitores.
A Porto Editora, com 70 anos de tradição nas áreas da educação e da cultura, orgulha-se de publicar uma parte significativa da obra de uma autora que tem desempenhado um papel fundamental no incentivo à leitura, marcando presença constante em escolas e bibliotecas.

Sinopse:
Há crianças que resistem a usar óculos porque acham que eles as desfavorecem. Mas não reparam que os óculos até servem de moldura a uns lindos olhos.
E com eles o mundo, de repente, torna-se mais rico, mais nítido e colorido. Com eles descobrem a formiga atarefada, o botão que caiu na carpete, a pintinha do i, o berlinde que rebolou para longe. Com eles passam de alunos desatentos a garotos interessados. E começam a ter boas notas…

Sobre a autora:
Luísa Ducla Soares nasceu em Lisboa a 20 de julho de 1939. É licenciada em Filologia Germânica pela Universidade Clássica de Lisboa. Iniciou a sua atividade profissional como tradutora, consultora literária e jornalista, tendo sido diretora da revista de divulgação cultural Vida (1971-2). Colaboradora de diversos jornais e revistas, estreou-se com um livro de poemas, Contrato, em 1970.
Foi Adjunta do Gabinete do Ministro da Educação (1976-8).
Trabalhou de 1979 a 2009 na Biblioteca Nacional onde iniciou a sua atividade realizando uma bibliografia da literatura para crianças em Portugal. Foi assessora principal desta instituição e responsável pela Área de Informação Bibliográfica. Aí organizou, no centenário de Andersen, uma exposição, acompanhada de catálogo, sobre Andersen em Portugal e diversas exposições.
Dedicada especialmente à literatura para crianças e jovens, em prosa bem como em poesia, publicou mais de uma centena de obras neste domínio.
Muitos dos seus poemas foram musicados (por Suzana Ralha, Daniel Completo, João Portugal, Óscar Ribeiro e outros compositores) tendo sido editados em diversos CD. Escreveu guiões televisivos sobre língua portuguesa para os mais jovens. É sócia fundadora do Instituto de Apoio à Criança. Realizou todos os sites de Internet da Presidência da República para crianças e jovens no mandato do Presidente Jorge Sampaio. Tem elaborado para o Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e para o Ministério da Educação diversas publicações seletivas da literatura infantil nacional e internacional.
Junto de escolas e bibliotecas, desenvolve regularmente ações de incentivo à leitura. Participa frequentemente em colóquios e encontros, apresentando conferências e comunicações sobre a problemática relacionada com os jovens e a leitura e sobre literatura para os mais novos.
Recusou, por motivos políticos, o Grande Prémio de Literatura Infantil com que o SNI pretendeu distinguir o seu livro História da Papoila em 1973. Recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian para o melhor livro do biénio 1984-5 por 6 Histórias de Encantar e foi galardoada com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua obra em 1996.
Foi candidata de Portugal ao Prémio Andersen.
Em 2004, foi escolhida pela Secção Portuguesa do IBBY (International Board on Books for Young People) como candidata ao Prémio Hans Christian Andersen. Em 2009, a Sociedade Portuguesa de Autores distinguiu-a com a sua Medalha de Honra. Em 2010, foi proposta pela DGLB como candidata de Portugal ao Prémio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil.



Apresentação de livro "O Surto" no Teatro Turim


Baptista-Bastos publicado na Bulgária

A editora Farrago, de Sófia, Bulgária, acaba de publicar o romance de Baptista-Bastos Viagem de um Pai e de um Filho pelas Ruas da Amargura, em tradução de Sidonia Pojarlieva, professora e investigadora de literatura portuguesa.

Esta é a quarta obra deste autor editada naquele país, depois de As Palavras dos Outros, Cão Velho entre Flores e O Cavalo a Tinta-da-China.

A popularidade de Baptista-Bastos na Bulgária é imensa, como o atesta o facto de o romance Cão Velho entre Flores ter sido, em tempos, o livro mais requisitado da Biblioteca Municipal de Sófia.



Passatempo Adivinha Quem Sou Esta Noite e Marcador de Livros

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a Editorial Planeta Portugal e a Loja de Acessórios Gifts & Crafts tem para oferecer 1 exemplar do livro de Megan Maxwell, Adivinha Quem Sou Esta Noite e um Marcador de Livros.

Mais informações sobre o livro aqui
Página da Gifts & Crafts aqui




quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Asa - O Caso do Funeral Fatal, de Agatha Christie

Título: O Caso do Funeral Fatal
Autor: Agatha Christie
PVP: 13,50€
N.º de Páginas: 288

A morte do abastado Richard Abernethie é um acontecimento infeliz, mas não há motivos para crer que se trate de homicídio – pelo menos até ao momento em que a irmã, Cora, é brutalmente assassinada. Só nessa altura é que alguém recorda o comentário que Cora fez a respeito da morte do irmão: «O caso foi todo muito bem abafado... Mas ele foi assassinado, não foi?» Cabe a Hercule Poirot e às suas celulazinhas cinzentas dar algum sentido a tão críptico comentário…

O Caso do Funeral Fatal (After the Funeral) foi originalmente publicado em 1953 nos Estados Unidos, tendo sido editado no mesmo ano na Grã-Bertenha. O livro foi adaptado para o cinema em 1963, com o título Murder at the Gallop e teve Miss Marple (Margaret Rutherford) como protagonista - não Poirot, como foi concebido originalmente por Agatha Christie.

Sobre a autora:
Agatha Christie nasceu Agatha May Clarissa Miller, em Torquay, na Grã-Bretanha, em 1890. Em 1971, a rainha Isabel II consagrou-a com o título de Dame of the British Empire. Deixando para trás um legado universal celebrado em mais de cem línguas, a Rainha do Crime, ou Duquesa da Morte (como ela preferia ser apelidada), morreu em 12 de Janeiro de 1976. Em 2000, a 31st Bouchercon World Mystery Convention galardoou Agatha Christie com dois prémios: ela foi considerada a Melhor Escritora de Livros Policiais do século XX e os livros protagonizados por Hercule Poirot a Melhor Série Policial do mesmo século.



SOS Manipuladores - Saiba identificar as pessoas tóxicas da sua vida

Consegue identificar na sua vida aquela pessoa tóxica e manipuladora que no trabalho, no amor, na família e nas amizades lhe tira a energia e prazer de viver?

A mediadora familiar Margarida Vieitez e o psicólogo Fernando Mesquita trazem-nos um livro, onde explicam tudo o que precisa de saber para evitar ou afastar-se de pessoas que por inúmeros motivos conseguem manipular a sua vida.

Sinopse:
«Aquela pessoa tem o “dom” de mudar tudo, de um momento para o outro! A minha disposição, o meu humor, os meus planos, e até o que penso de mim próprio!
Na presença daquela pessoa sinto-me cansado, irritado, stressado e com uma vontade inexplicável de fugir. Sinto uma pressão imensa, uma espécie de contrariedade, porque me obriga a fazer o que não quero, e o que quero não faço. Por vezes, faz-me sentir culpado, com uma culpa enorme que não consigo “digerir”! Afinal o que é que se está a passar comigo?»
A resposta é simples: provavelmente, tem um manipulador na sua vida. Uma pessoa que no trabalho, numa relação amorosa, familiar ou de amizade não o deixa ser quem é, o subjuga, coloca em causa a sua autoestima e suga a sua energia e prazer de viver. A mediadora familiar Margarida Vieitez e o psicólogo Fernando Mesquita, recorrendo a casos reais e a exercícios práticos, explicam-lhe tudo o que precisa de saber para evitar ou afastar estas pessoas da sua vida: os sinais a que deve estar atento, as estratégias de manipulação geralmente utilizadas e os comportamentos que deve ter para não se deixar «intoxicar».                                                                                          

Sobre os autores:
Margarida Vieitez, especialista em mediação familiar, de conflitos aconselhamento conjugal, dedica-se há mais de 20 anos ao estudo e acompanhamento de conflitos de diversa ordem, nomeadamente, familiares, conjugais e divórcio. Nomeada em 2008 para o Prémio Mulher Activa, é consultora de diversas Instituições e colabora assiduamente com televisão, rádio, revistas e jornais. Colaborou como especialista convidada no programa Tardes da Júlia, da TVI, Querida Júlia, da SIC, Praça da Alegria, da RTP, e Sociedade Civil, da RTP2. Especializada na área da Família, detentora de seis pós-graduações, entre as quais, em Mediação Familiar pela Universidade de Sevilha, em Mediação de Conflitos e, em Saúde Mental, ministrou vários cursos de Mediação Familiar no Instituto de Psicologia Aplicada, estando frequentemente presente em conferências e seminários. Fundadora do Projecto "Espaço Família" e "LoveDoctors". Em 2010 publicou o livro Guerra entre Quatro Paredes, e em 2012, O Melhor da Vida Começa aos 40, ambos editados por A Esfera dos Livros.

Fernando Mesquita,   é psicólogo clínico, sendo responsável pela especialidade de Sexologia Clínica nas clínicas: Psicronos e na Corclínica (ambas em Lisboa). Além disso integra o grupo de Terapeutas Sexuais da APF. É mestre em Sexologia Clínica e terapeuta sexual pela Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica (SPSC). Colabora frequentemente em diversas rubricas de programas de TV, como psicólogo/sexólogo, destacando-se a «Mesa de especialistas sobre Mitos & Verdades do Corpo Humano» do programa Você na TV, da TVI. É responsável, desde 2012, na revista ANA, pela rúbrica Consultório Sentimental. Colabora frequentemente em diversas revistas (tais como Happy Woman; Visão; Saber Viver, Cosmopolitan; Mens Health; LuxWoman; entre outras). É responsável pelo blogue: http://www.terapiassexuais.blogspot.pt.  

 


Novidades quentes quentes do autor do bestseller «O Bibliotecário»

Vem aí o novo thriller do autor do bestseller O Bibliotecário.

O novo livro de A. M. Dean resulta de uma profunda investigação histórica e é baseado em factos e descobertas reais.

A. M. Dean é professor de Teologia e uma referência mundial em culturas antigas. O seu primeiro livro está publicado em 15 países.

Egito, ano de 374. No deserto, um homem executa a última e mais importante missão da sua vida: esconder um precioso artefacto.

A sua chave não pode cair nas mãos erradas.

A professore Emily, especialista em história das religiões, adquire um antigo manuscrito para a universidade sem saber o seu verdadeiro significado. Mas vai ter de descobrir rapidamente a importância, pois há um grupo de criminosos no seu encalço. A chave para resolver o mistério encontra-se algures no deserto e Emily vai ter de ser a primeira a encontrá-la.

O Escriba chega dia 5 de Março às livrarias de todo o país.


Porto de Encontro com João Luís Barreto Guimarães

A edição de fevereiro do “Porto de Encontro” está agendada para o próximo domingo, às 17:00, na Casa das Artes, no Porto. A entrada é gratuita.
O ciclo de conversas com escritores promovido pela Porto Editora regressa à poesia. O convidado para a XXXIII edição do “Porto de Encontro” é o poeta João Luís Barreto Guimarães, estando confirmadas as participações especiais de Rui Lage e António Durães. A conversa será conduzida pelo jornalista Sérgio Almeida e terá lugar na Casa das Artes, no Porto, no próximo domingo, dia 22 de fevereiro, pelas 17:00, com entrada gratuita.
Nascido no Porto a 3 de junho de 1967, João Luís Barreto Guimarães publicou o primeiro livro de poemas, Há Violinos na Tribo, em 1989, a que se seguiram Rua Trinta e Um de Fevereiro (1991), Este Lado para Cima (1994), Lugares Comuns (2000), 3 (poesia 1987-1994), em 2001, Rés-do-Chão (2003), Luz Última (2006), A Parte pelo Todo (2009) e Poesia Reunida (2011). O seu livro mais recente é Você está aqui, de 2013, mas um novo título de poesia de sua autoria deverá chegar às livrarias antes do final do ano.
Esta XXXIII edição do “Porto de Encontro” conta com a colaboração da Direção Regional de Cultura do Norte e tem o apoio do Jornal de Notícias, Antena 1, Porto Canal, Livrarias Bertrand, Sociedade Portuguesa de Autores, Porto Barros e Arcádia.


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

TOPSELLER: Uma história tocante, autêntica e libertadora de Amy Hatvany


«A Linguagem das Irmãs descreve habilmente a experiência de viver e tratar de uma pessoa com necessidades especiais.» - Publishers Weekly
«Amy Hatvany escreve com profundidade e compaixão.» - Luanne Rice, autora bestseller internacional
«Amy Hatvany é uma voz nova e forte na ficção feminina contemporânea.» - Kristin Hannah, autora bestseller internacional

Depois de O Jardim das Memórias e Ao Encontro do Destino, a autora bestseller Amy Hatvany traz-nos um novo e emotivo romance: A Linguagem das Irmãs (Topseller I 304 pp I 16,59€). A Topseller disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

Sinopse:
Há dez anos, Nicole Hunter tomou a difícil decisão de abandonar o seu lar problemático em Seattle. Deixou para trás a sua querida irmã Jenny, possuidora de um distúrbio neurológico que a colocara dependente de uma cadeira de rodas e lhe retirara a capacidade da fala. Após uma década em São Francisco, Nicole tenta convencer-se de que tudo está bem, mas nem a sua vida sentimental nem a profissional são as que ambicionava.
Quando um violento e trágico acontecimento envolve a sua irmã, Nicole é forçada a regressar à casa de infância onde deixou memórias impossíveis de resolver e perdoar. Ali acabará por tomar a decisão mais acertada da sua vida: cuidar da irmã e resolver os conflitos com a mãe e as memórias dolorosas deixadas pelo pai. Só assim conseguirá redimir-se da culpa que a acompanha e tornar-se a irmã que gostaria de ter sido.
Uma história tocante, autêntica e libertadora, sobre as escolhas que é necessário fazer na vida, sobre o poder da amizade e sobre a importância dos laços familiares.

Sobre a autora:
Escritora norte-americana formada em Sociologia, a sua experiência académica possibilitou-lhe um grande conhecimento da natureza humana. Nos seus livros aborda diversos temas controversos, incluindo doenças mentais, violência doméstica e alcoolismo.
É autora bestseller de O Jardim das Memórias e Ao Encontro do Destino, ambos publicados pela Topseller, e ainda de Best Kept Secret e Heart Like Mine. Amy vive em Seattle com o marido (o segundo e o último, pois se este não der certo, kaput, acabou-se, não há mais maridos) os filhos e dois cães.
Mais sobre Amy Hatvany em: www.amyhatvany.com

 





TOPSELLER: O imparável James Patterson regressa com "Private"

«Patterson é imparável.» - USA Today
«James Patterson sabe como gerar emoções e suspense.» - People
«Private: Los Angeles é talvez um dos livros mais cinematográficos de Patterson. Daí o resultado: um thriller intenso e convincente, perfeito para um dia emocionante de leitura.» - BookReporter.com

James Patterson não para de surpreender o mundo editorial. Não só porque continua imparável na publicação de bestsellers, como vai, numa campanha de marketing genial, vai fazer explodir, literalmente, um exemplar do quarto título da série Private, cujo terceiro título chega hoje às livrarias nacionais: Private Los Angeles (Topseller I 384 pp I 17,69€).

Private é uma das séries de maior sucesso do autor mais bem-sucedido em todo o mundo (fonte: Forbes), com adaptação para televisão já em desenvolvimento e da responsabilidade da Sonar Entertainment e Tribeca Productions de Robert De Niro e Jane Rosenthal.

Private Los Angeles é um thriller imparável de ritmo alucinante, com as reviravoltas inesperadas a que James Patterson já nos habituou.

Quatro homens são misteriosamente assassinados numa praia de Malibu, junto a um bairro de multimilionários. Jack Morgan, líder da Private, a conceituada agência internacional de investigação criada para proteger os mais poderosos, chega ao local do crime com o objetivo de ilibar um dos seus clientes e descobrir o verdadeiro assassino.

Mas eis que, a meio da investigação, Jack recebe um telefonema inesperado: Thom e Jennifer Harlow, o casal mais famoso de Hollywood, desapareceram sem deixar rasto, juntamente com os seus três filhos. Por entre revelações incríveis e descobertas chocantes, é missão da Private encontrar a família desaparecida, antes que a notícia chegue aos media e aterrorize o público.

Com dois casos tenebrosos para resolver, perseguições, assassínios, explosões mortíferas e alta velocidade, Jack, Justine e os restantes elementos da Private não terão mãos a medir para provar, mais uma vez, que são os melhores, os mais rápidos e os mais inteligentes.

James Patterson é desde há vários anos o autor n.º 1 absoluto em todo o mundo, segundo a revista Forbes. Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte e cinco anos dentro do género. Entre os seus maiores bestsellers estão também Invisível, Private: Agência Internacional de Investigação, The Women’s Murder Club (O Clube das Investigadoras), NYPD Red e A Amante.

Patterson é o autor que teve mais livros até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, segundo o Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 305 milhões de exemplares.

Em Portugal, James Patterson é publicado pela Topseller (Alex Cross, Private, NYPD Red, Confissões, Maximum Ride, Primeiro Amor, Invisível, A Amante, Um Anjo da Guarda) e pela Booksmile (séries juvenis Escola e Eu Cómico).








Novidade Pergaminho: Como viver com 24 horas por dia Arnold Bennett

Título: Como viver com 24 horas por dia
Autor: Arnold Bennett
Género: Desenvolvimento Pessoal
Tradutor: Maria Lucília Filipe
N.º de páginas: 112
Data de lançamento: 20 de fevereiro
PVP: 9,90€

É um desafio para muitas pessoas e uma tarefa impossível para muitas outras. O tempo é um bem precioso, com ele tudo é possível e sem ele nada. Mas viver com 24 horas por dia pode ser desesperante.
Considerado o primeiro livro de autoajuda alguma vez escrito, e embora publicado pela primeira vez em 1910, é ainda hoje tão atual face às solicitações e ocupações do nosso quotidiano.
Este texto foi publicado pela primeira vez em 1910 – mas é o livro mais atual que alguma vez vai ler: é um livro de economia capaz de fazer frente a qualquer crise; um livro prático capaz de resolver qualquer problema; e um livro de autoajuda que é realmente capaz de o ajudar!
Desde 1910 muita coisa mudou na vida quotidiana, mas um aspeto fundamental permanece inalterado: os dias continuam a ter apenas 24 horas. E, em comparação com 1910, os dias de hoje parecem ter ainda menos horas: as solicitações, distrações e ocupações do nosso quotidiano são muito mais numerosas (e eficazes) do que as que existiam há cem anos.
Não há dúvida: hoje, mais do que nunca, precisamos de aprender a viver com 24 horas por dia.
Ao longo destas páginas, com o seu estilo cativante, inspirador e muito divertido, Arnold Bennett mostra-nos como cada ser humano, independentemente das suas circunstâncias sociais ou económicas, dispõe de uma fonte segura de riqueza: recebe vinte e quatro horas a cada dia. A forma de investir esse capital é a decisão mais importante que alguma vez vai tomar…
«Os filósofos explicaram o espaço. Não explicaram o tempo. Ele é a inexplicável matéria-prima de tudo. Com ele, tudo é possível e sem ele nada. A oferta de tempo é, verdadeiramente, um milagre diário, uma questão absolutamente surpreendente, quando a analisamos. Acorda de manhã e pronto! A sua bolsa fica magicamente cheia de vinte e quatro horas de tecido, não confecionado, do universo da sua vida! É vosso. É o seu bem mais precioso. Ninguém lho pode tirar. Não é passível de ser roubado. E ninguém recebe mais ou menos do que você recebe. Falamos de uma democracia ideal! O génio não é premiado com uma hora extra do dia, sequer. E não há castigo.
Desperdice, tanto quanto quiser, o seu bem mais precioso e o abastecimento nunca lhe será cortado. Mais ainda, não pode levantar por conta do futuro. É impossível ficar a dever! Só pode desperdiçar o momento que passa. Não pode gastar o amanhã. Ele está-lhe reservado. Não pode gastar a próxima hora. Ela está guardada para si. Disse-lhe que se tratava de um milagre. E não é?», p.18.

Sobre o autor:
Arnold Bennett (1867 – 1931) é um dos mais célebres romancistas ingleses do início do século XX, e um dos primeiros escritores da história da literatura a gozar do estatuto de celebridade. Viveu em Londres e em Paris, e trabalhou também como cronista, editor e jornalista.