sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sobre o Acordo Ortográfico

Rádio Comercial - Mixórdia de Temáticas - Samantha Fox explica acordo ortográfico

Vale a pena ver o vídeo :)



Novidade Guerra e Paz Trabalho, sexo, mentira e computadores...


Título: A Máquina não Gosta de Gatos
Autor: Mário Santos
N.º de Páginas: 408
PVP: 17,99 €
Género: Ficção/Romance
Nas livrarias a 20 de Maio
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Nascido numa geração pós 25 de Abril, Ricardo S. é um consultor que trabalha numa multinacional de tecnologias de informação.

Insatisfeito com a vida profissional e pessoal, viciado nas salas de chat e nas redes sociais, na droga, no consumismo desenfreado, nos speed datings, no trabalho em excesso, vê-se preso numa vida high-tech, onde tudo é reciclável e efémero: os empregos, os casamentos, as rela­ções, as amizades, as ideologias, os cursos superiores, os bens materiais.

Toma consciência de que não está a viver a sua própria vida. Está, sim, a viver uma vida ilusória, pensada e projectada por outros. Vai transformar-se num dissidente.

Quer purificar-se de toda a contaminação cultural e tecnológica. Quer recuperar o tempo perdido e encontrar-se a si próprio. Mas ele sabe que a liberdade tem um preço. E o preço é sempre elevado.

Sobre o autor:
Nasceu em Lisboa, em 1969. Terminado o ensino secundário, trabalhou em di­versos sectores de actividade: da cons­trução civil à indústria naval, passando pela hotelaria, vendas ao domicílio, clubes de vídeo e restaurantes de fast food. Vindo de Humanísticas, mas apai­xonado pelas novas tecnologias, ingres­sou num curso superior de Engenharia Multimédia. Desiludido com o que não estava a aprender, abandonou as aulas após o primeiro ano.

Depois de longos anos a exercer a acti­vidade de analista/programador em di­versas software houses nacionais e estran­geiras, desempregou-se, entrando num período sabático, e escreveu o seu pri­meiro romance, este A Máqui­na não Gosta de Gatos.



BOOKSMILE: A pobreza infantil vista pelo olhar de uma criança

Há muitos anos, Lois Brandt espreitou o frigorífico da sua melhor amiga e encontrou nas prateleiras quase vazias apenas um pequeno pacote de leite. A família da melhor amiga não tinha dinheiro suficiente para comprar comida.

Este episódio inspirou a autora a escrever O Frigorífico da Magui como forma de abordar o tema da fome e da pobreza infantil, um flagelo que afeta milhões de crianças em todo o mundo, não só nos países em desenvolvimento mas também nos países desenvolvidos, principalmente naqueles afetados pela crise de 2008, como Portugal.

Lois Brandt procurou com este livro chamar a atenção para a questão da pobreza infantil, bem como desenvolver iniciativas que ajudassem a transformar palavras em ações.
A Sofia e a Magui vivem no mesmo bairro, brincam no mesmo parque e andam na mesma escola. Mas, enquanto o frigorífico da casa da Sofia está cheio, o da casa da Magui está vazio — completamente vazio.
A Sofia descobre que a família da Magui não tem dinheiro, e que é por esse motivo que tem o frigorífico tão vazio. A Sofia quer muito ajudar a amiga, mas como prometeu não contar a ninguém, vê-se perante um dilema: manter a promessa que fez, ou contar à mãe que a Magui precisa de ajuda.

O Frigorífico da Magui (Booksmile | 40pp | 12,99€ | 5+) aborda estes temas bem atuais, com extrema sensibilidade, e mostra igualmente como a força da amizade pode ajudar a superar os momentos mais difíceis.

«Este livro é notável. As ilustrações luminosas e agradáveis suavizam o tema da história, ao mesmo tempo que transmitem os complicados sentimentos das personagens, como a preocupação e a vergonha. Uma forma profunda de tratar o tema da fome infantil.» - Kirkus Reviews

«Uma história que poderia ser apenas uma mensagem sobre a fome. Em vez disso é um livro sobre duas melhores amigas que cuidam uma da outra.» - Kid-Lit-Reviews.com

Vencedor do Christopher Award, em 2015, está nomeado para o Washington Children's Picture Book Award. Em 2014 foi distinguido com o Top Mighty Girl Book For Younger Readers.

O Frigorífico da Magui é pois um livro relevante que pode ser lido em casa ou na sala de aula, sensibilizando crianças e adultos para o tema.

Lois é professora e inspira-se muito em imagens e em acontecimentos da vida para criar histórias para crianças. Vive em Seattle, nos EUA, com o marido e os filhos. O Frigorífico da Magui é o seu primeiro livro infantil ilustrado, com o qual já venceu inúmeros prémios. Visite o site oficial da autora em www.loisbrandt.com.






Novidades Bizâncio disponíveis a partir de dia 22

Título: Que Esperam os Macacos
Autor:
Yasmina Khadra
N.º de Páginas: 272
PVP: 14,00
Colecção: Montanha Mágica


Sinopse:
Uma jovem estudante é encontrada assassinada na floresta de Baïnem, perto de Argel. Uma mulher, Nora Bilal, é encarregada de conduzir a investigação, longe de pensar que a sua rectidão é um perigo mortal num país entregue aos tubarões de águas turvas.

Que Esperam os Macacos é uma viagem pela Argélia de hoje onde o Mal e o Bem se sentem constrangidos no meio dos malefícios naturais dos homens.


Título: O Pacífico de Lés-a-Lés
Autor:
Michael Palin
N.º de páginas: 384
PVP: 15,90
Fora de Colecção
Literatura de Viagens

Sinopse:
Michael Palin viajou por dezoito países do Pacífico, o maior oceano do mundo. Desde caçadores de cabeças em Bornéu até uma refeição de gusanos no México, o seu itinerário leva-o a alguns dos locais politicamente mais instáveis e fisicamente mais exigentes que existem à face da Terra. Escala uma das Montanhas Sagradas da China, navega entre icebergues no Chile e comove-se nas margens do Amazonas, nesta espectacular viagem de contrastes, dramatismo e beleza.

As Viagens de Michael Palin - Volume 6





Coolbooks publica dois novos livros de terror

Títulos: A bela é o monstro e
O jogo da meia-noite 2.
Autor: Rui Péricles
Formato: e-wook
PVP: 2,99 €


Já estão disponíveis em coolbooks.pt e na livraria virtual wook.pt. dois novos livros de terror da coleção juvenil Criptocontos, da autoria de Rui Péricles, intitulados A bela é o monstro e O jogo da meia-noite 2.
Esta coleção, iniciada com o lançamento da Coolbooks, no final de abril de 2014, apresenta histórias de terror direcionadas para um público jovem (inspiradas pela famosa série “Arrepios”), com muito suspense e também elementos sobrenaturais: fantasmas, monstros e seres fantásticos. Com estas duas novidades, a coleção Criptocontos passa a contar com oito títulos.
Nascido em 1994, Rui Péricles adquiriu desde cedo o gosto pela leitura e pela escrita. Foi vencedor do Concurso Ortográfico nos seus quinto e sexto anos letivos e tirou o curso de Humanidades. A paixão pelo género do terror inspirou-o a escrever a coleção Criptocontos. R. L. Stine e J. K. Rowling são dois dos seus autores preferidos. É fã de séries como Sobrenatural e Family Guy e gosta de ver programas de fantasmas A Coolbooks acaba de assinalar 1 ano de existência, durante o qual publicou 33 livros de 23 autores portugueses.


A Bela e o Monstro
Quando Magui perde a sua melhor amiga num acidente bizarro, usa um feitiço para trazê-la de volta à vida. No entanto, Magui descobre que o que vitimou a sua amiga não foi exatamente um acidente... e alguém queria que ela fizesse o feitiço. Mas, quem? E para quê? Sem se aperceber, torna-se um peão num jogo muito, muito perigoso.

O Jogo da Meia-Noite 2
Pedro jurou que nunca mais jogaria o Jogo da Meia-Noite. No entanto, quando algo o convence a repetir a experiência, ele cai de novo nas mãos do temível Homem da Meia-Noite... que o assombra com um novo conjunto de tenebrosas alucinações. Desta vez, Pedro tem de evitar uma tribo de indígenas cruéis, um monstro pré-histórico e esqueletos dançantes... Conseguirá voltar ao mundo real?


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Reinaldo Moraes, autor de Pornopopeia, regressa com as crónicas de O Cheirinho do Amor, nas livrarias a 22 de maio

Título: O Cheirinho do Amor
Autor: Reinaldo Moraes
Género: Crónicas
N.º de páginas: 232
Data de lançamento: 22 de maio
PVP: 16,60€

As crónicas safadas do autor de Pornopopeia.
Estas «crónicas safadas» reúnem tudo o que está de alguma forma relacionado com sexo. Se não está, Reinaldo Moraes arranja maneira de fazer a ligação: Serge Gainsbourg, feministas a fazer topless, carros de corrida, viagens espaciais, Marquês de Sade, tartarugas, retiro para artistas, futebol, psicanálise. A lista é quase infinita. O humor de Reinaldo, e a sua capacidade de entroncar assuntos aparentemente díspares, também. O resultado é um livro único, surpreendente e cómico, de um dos autores mais originais da literatura brasileira.

Sobre o autor:
Reinaldo Moraes nasceu em São Paulo, em Janeiro de 1950. É escritor, radialista e guionista. Estreou-se na literatura em 1981, com o romance Tanto Faz. Em 1985 publicou Abacaxi, uma noveleta nada exemplar. Depois de longos anos sem publicar, voltou à cena literária a partir de 2003, com o romance de aventuras Órbita dos Caracóis, seguido da narrativa de viagem Estrangeiros em Casa (com fotografias de Roberto Linsker), do livro de contos Umidade, da novela infantil Barata! e do romance Pornopopeia, publicado pela Quetzal em 2011 e que se tornou um estrondoso sucesso junto da crítica e dos leitores.



quarta-feira, 13 de maio de 2015

A dividir leituras...

Com tantos livros bons que chegaram recentemente pelo correio não me consegui decidir apenas por um, e ainda ficou de fora A Espia do Oriente que será o próximo.





Porto Editora publica "A Erva das Noite", de Patrick Modiano

Título: A Erva das Noites
Autor:
Patrick Modiano
Tradutor: Carlos Sousa de Almeida
Págs.: 104
PVP: 15,50 €

Classificaram-no como «o mais belo poema em prosa da literatura francesa atual» (Livres Hebdo) e o Le Monde escreveu mesmo que, com este romance, o autor havia atingido «o cume de um género que ele próprio criou: a autoficção poético-policial»: A Erva das Noites é um dos mais recentes romances de Patrick Modiano, estava até agora inédito em Portugal e será publicado pela Porto Editora a 22 de maio. Documentando um período turbulento da História francesa, Modiano apresenta, com a «musicalidade» de pequena orquestra por que é conhecido, um romance negro e enigmático protagonizado por um escritor sexagenário que poderá mesmo ser reconhecido como o alter-ego do autor.
Na Porto Editora foram já publicados outros quatro romances de Patrick Modiano, o escritor vencedor do Prémio Nobel da Literatura 2014: Para Que não Te Percas no Bairro, Dora Bruder, As Avenidas Periféricas e O Horizonte.

Sinopse:
De certo modo ligado a uma ocorrência criminal no início dos anos 60, Jean tenta clarificar as circunstâncias que o levaram a conviver com o grupo do Hotel Unic, em Montparnasse, e com uma certa Dannie, por quem estava apaixonado.
Juntando os seus fragmentos de memória com as peças soltas de um dossier da Brigada de Costumes, ele reabre um inquérito há muito arquivado, de que é, no fundo, a última testemunha.

Sobre o autor:
Patrick Modiano nasceu em Boulogne-Billancourt, nos arredores de Paris, em julho de 1945, e publicou o seu primeiro romance (La Place de l’Étoile) em 1968. Com Rue des Boutiques Obscures, obteve em 1978 o Prémio Goncourt. Em 1972, recebeu o Grande Prémio de Romance da Academia Francesa com As Avenidas Periféricas.
Considerado hoje um dos mais importantes escritores franceses, e autor de uma vasta obra, foi distinguido com o Grande Prémio Nacional das Letras e com o Prémio Nobel da Literatura de 2014.


E Eu Ali é o mais recente romance de João Bruno

Título: E Eu Ali
Autor: João Bruno
Data de publicação: Abril de 2015
N.º de páginas: 98
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Romance


Sinopse:
Duas pessoas, duas almas, dois corpos a viver num mundo, a viver uma vida carregada de dúvidas, medos, agitações, percalços.
 Um amor capaz de sobreviver a tudo ou quase tudo, o amor visto de uma forma quase esquizofrénica, quando o passado se mistura com o futuro, o que é verdade? O que é mentira?

Conseguirá descobrir?

“As lembranças de ti cortavam a minha pele, Rasgavam-me a alma em gritos” João Bruno

Sobre o autor:
João Bruno de Sá Gonçalves de 31 anos, natural de Viana do Castelo, licenciou-se em Enfermagem.
Desde muito novo começou a escrever principalmente poesia e em 2009 lança o seu primeiro livro de poesia "Amor, Revolta e um pouco de mim".
Cronista num jornal regional, lança agora o seu mais novo romance, uma literatura diferente e alternativa fazendo jus ao seu autor.

Lançamento do livro Yggdrasil , Profecia do Sangue , de Madalena Barreto Condado


Sobre a autora:
Madalena Barreto Condado nasceu em Moçambique. Desde cedo descobriu que adora contar histórias, criar situações, personagens e locais que nos consigam despertar diferentes sentimentos transportando-nos através do tempo a sítios fantásticos onde só mesmo a imaginação consegue chegar. Sempre encorajada pela sua avó materna a nunca desistir dos seus sonhos, ganhou a coragem que lhe faltava para publicar o primeiro dos seus contos, embarcou assim em mais uma aventura mas desta feita no vasto mundo da Literatura Fantástica.

Sobre o livro:
Yggrasil , Profecia do Sangue E se a vida como a conheces pudesse ser muito mais?
Desde o início do tempo dos clãs, que os MacCumhaill se mantinham unidos. Família de poderosas mulheres e orgulhosos guerreiros. Tinha-lhes sido exigido um único sacrifício em troca da sua imortalidade, manter o equilíbrio entre os três mundos. E esse equilíbrio tinha sido quebrado. As portas estavam abertas facilitando a passagem de todos os seres sobrenaturais.

Seria Maria, uma jovem estudante portuguesa acabada de chegar a Dublin, a ajuda poderosa pela qual aguardavam há tanto tempo? Conseguiria ela aceitar tudo o que lhe era pedido? Acreditar neles e lutar ao seu lado? Dividida entre o seu dever e o amor que sente pelo herdeiro do clã irá descobrir que deve seguir o seu coração, mas esse também já não é seu. Tinha-o entregue àquele homem ainda antes de lho dizer.

Este era o início de uma nova Era… da Profecia do Sangue.







terça-feira, 12 de maio de 2015

Porto Editora: Ficção internacional - "O bizarro incidente do tempo roubado"

Título: O bizarro incidente do tempo roubado
Autor:
Rachel Joyce
Tradução: José Vieira de Lima
Págs.: 360
Capa: mole
PVP: 16,60 €

Em maio de 2014, a Porto Editora publicou o vencedor do National Book
Award, na categoria New Writer of the Year, e finalista do Man Booker Prize, o extraordinário A improvável viagem de Harold Fry, da inglesa Rachel Joyce, que vendeu mais de 2 milhões de exemplares em todo o mundo. Um ano depois, a 15 de maio, chega às livrarias portuguesas o segundo romance desta talentosa escritora britânica, intitulado O bizarro incidente do tempo roubado.
Com esta obra, Rachel Joyce traça o retrato de uma família levada ao desespero pela obsessão de uma criança e confirma o seu talento de grande romancista. A autora está traduzida em quase 40 países e é considerada uma das mais interessantes vozes da ficção britânica contemporânea.

Sinopse:
Em 1972, foram adicionados ao tempo dois segundos para compensar o movimento de rotação da Terra. Byron Hemmings está fascinado por este fenómeno. Nesse mesmo ano, envolve-se num acidente de consequências devastadoras. Byron e James Lowe, o seu melhor amigo, estão convencidos de que a culpa foi daqueles dois segundos. Assim, decidem iniciar uma investigação para apurar as verdadeiras razões de tal acidente. Mas desafiar o destino pode ser perigoso…

Sobre a autora:
Rachel Joyce vive numa quinta do Gloucestershire, em Inglaterra. Durante vinte anos escreveu argumentos para rádio, televisão e teatro. Também passou pelo palco, experiência que lhe valeu alguns prémios. A improvável viagem de Harold Fry foi o seu primeiro romance. Este livro recebeu o National Book Award para primeira obra e foi considerado em vários meios de comunicação um dos melhores livros de 2012. Foi também finalista do Man Booker Prize desse ano.


Porto Editora publica novo livro de Terry Goodkind

Título: A Pedra das Lágrimas – Parte I
Autor:
Terry Goodkind
Tradução: Ângelo dos Santos Pereira
Págs.: 488
PVP: 17,70 €

Depois de publicar A Primeira Regra dos Feiticeiros (partes I e II), de Terry Goodkind, a Porto Editora lança a sequela: A Pedra das Lágrimas – Parte I. Esta aguardada novidade chega às livrarias no dia 15 de maio.
Desde que começou a ser publicada, em 1994, esta saga alcançou o sucesso internacional, foi traduzida para 20 línguas e conta com mais de 26 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Só em França, estima-se que as vendas desta série sejam superiores a um milhão de livros e, dentro do género, é a saga com maior sucesso do país, depois de A Guerra dos Tronos de George R. R. Martin.
A publicação da segunda parte deste livro está prevista para julho deste ano.

Sinopse:
Richard e Kahlan conseguiram finalmente vencer o poderoso Darken Rahl. Contra todas as probabilidades, encontram também uma forma de viver algo que julgavam impossível: o seu amor.
No entanto, o que parecia ser o início de um longo idílio é bruscamente interrompido: o véu para o mundo inferior foi rasgado. Darken Rahl, agora no reino dos mortos, é colocado ao serviço de um poder ainda mais sinistro, pior do que qualquer outro: o Guardião do mundo inferior pretende governar também os vivos, aprisionando-os num limbo eterno. O único capaz de o deter é Richard, o homem que nasceu para a verdade e que foi marcado pela morte.
Guerra, sofrimento, tortura e mentiras envolvem nas suas teias o seeker e a Madre Confessora. Um destino de morte violenta – ou uma existência condenada ao calvário perpétuo – parece certo, a menos que a sua coragem e fé, e um pouco de sorte, os conduzam à chave que pode circunscrever o poder do Guardião: a Pedra das Lágrimas.

Sobre o autor:
Terry Goodkind nasceu em 1948 em Omaha, no Nebrasca. Em 1994 publicou o primeiro livro da série de fantasia épica A Espada da Verdade, que viria a ter um sucesso retumbante, com mais de 26 milhões de exemplares vendidos e traduções em mais de 20 línguas.


Lançamento do livro de Alice Brito «O Dia em que Estaline Encontrou Picasso na Biblioteca»



Lançamento do livro «Cercado», de Fernando Esteves



SPA celebra 90 anos com edição de luxo


Título: Isto de Ser Autor – 90 Anos da SPA
Autores: Vários Autores
N.º de Páginas: 224
PVP: 28,00 €
Género: Não Ficção/Literatura/História
Nas livrarias a 6 de Maio
Guerra e Paz Editores | Sociedade Portuguesa de Autores

Sinopse:
Este é o livro da celebração dos 90 anos da Sociedade Portuguesa de Autores, uma das poucas sociedades de autores multifacetada no mundo, por juntar os maiores nomes das diferentes áreas da cultura portuguesa, da música ao teatro, da literatura às artes visuais e ao cinema, entre outras. Muito do prestígio de Portugal resulta do trabalho e da criação destas mulheres e destes homens que se entregaram à missão de ser autores.

José Jorge Letria

Ninguém é obrigado, como se de acto religioso se tratasse, a entrar no tipo de sociedade singular que é a dos Autores. É uma opção livre. Ao mesmo tempo solidária, solitária e, no sentido mais «poético», estruturalmente «onírica».

Eduardo Lourenço

Em termos de balanço sobre o que foram os 90 anos de vida da Sociedade Portuguesa de Autores, este é o livro que dá voz e rosto a muitos daqueles que tão bem a representam. Assim, nasceu a ideia de construir este livro que, sem querer esgotar o elenco dos autores activos, pretende mostrar quem são, o que fazem e o que vem afinal a ser ISTO DE SER AUTOR. A recolha dos depoimentos esteve a cargo da Jornalista Dina Gusmão e a organização do material fotográfico, apenas com fotografias inéditas, foi da responsabilidade de Inácio Ludgero.

Apresentação de Livro Rui Rio - Raízes de Aço



Elsinore, a nova chancela literária da 20l20 Editora


Em maio de 2015, a literatura regressa a casa. Geografia literária por excelência, Elsinore seduziu Shakespeare e Cesariny, William e Mário, João e Marta. Tiago, Diogo e Luísa, Sofia, Bruno e Madalena. Gerações de escritores e leitores rendidos à força de um território de criação, de iluminação.

Inspirada por este património, esta é a nova chancela da 20|20 Editora, "uma chancela de vocação literária sem fronteiras. De género, de região, de época."

É por isso que, durante este ano, a Elsinore irá publicar títulos que são referências e autores que é urgente descobrir. Até ao final de maio, ficaremos a conhecer A Eterna Demanda, romance inédito da norte-americana Pearl S. Buck, vencedora do Prémio Nobel de Literatura (segue, em anexo, a capa), e Lorde, ficção do autor brasileiro João Gilberto Noll, reconhecido com cinco prémios Jabuti.

Em junho chega Escravas do Poder, de Lydia Cacho, a estreia da não-ficção da Elsinore, bem como Na Presença de Um Palhaço, de Andrés Barba, apontado pela revista Granta como um dos melhores ficcionistas contemporâneos em língua espanhola.

Durante 2015, a geografia de Elsinore será visitada por dez títulos. E de maio em diante, há perfis ardentes, espaços cheios de gente de costas altas flores venenosas, portas por abrir.

A Elsinore vem, assim, juntar-se às chancelas Booksmile, Nascente, Topseller e Vogais que já integravam o universo da 20l20 Editora.







Laurentino Gomes e Richard Zimler levam a Viagem a Vila Real

É com o brasileiro Laurentino Gomes, o autor de maior sucesso no Brasil nos anos mais recentes e vencedor de 6 prémios Jabuti, e com o escritor norte-americano Richard Zimler, autor de bestsellers como O último cabalista de Lisboa ou A Sentinela, que a Porto Editora leva a Viagem Literária a apresentar-se em Vila Real, no dia 22 de maio, às 21:30.
Depois de, no passado dia 25 de abril, a primeira paragem da Viagem ter lotado os 400 lugares do Teatro Municipal de Bragança, com Luis Sepúlveda e Valter Hugo Mãe, a segunda etapa leva estes dois autores internacionais ao Teatro de Vila Real, para uma conversa sobre literatura e atualidade, moderada por João Paulo Sacadura. A entrada é livre e os ingressos já estão disponíveis na bilheteira do Teatro.
De Vila Real, a Viagem Literária segue para Viseu, a 2 de junho, para uma sessão no Teatro Viriato (bilhetes também já disponíveis), à boleia do escritor Francisco José Viegas, ex-Diretor da Casa Fernando  Pessoa e ex-Secretário de Estado da Cultura, e José Paulo Cavalcanti Filho, biógrafo de Fernando Pessoa e ex-Ministro da Justiça do Brasil.
Até setembro de 2016, esta iniciativa vai percorrer mais 14 capitais de distrito e as duas capitais das Regiões Autónomas, levando os escritores ao encontro dos seus leitores, contribuindo para a descentralização e democratização do acesso à cultura.
Recorde-se que, em cada cidade, estarão à conversa dois escritores, com moderação do jornalista João Paulo Sacadura. Os espaços em que decorrerão as sessões serão, preferencialmente, os teatros municipais,
por forma a permitir a participação de centenas de leitores, e os bilhetes serão gratuitos.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

A Invenção da Vida - Lourença Baldaque [Opinião]

Título: A Invenção da Vida
Autor:
Lourença Baldaque
Género: Romance
PVP: 13,99 €
Editora: Verso da História

Ao longo de um percurso que se divide entre o Recife e Lisboa, entre a realidade e a imaginação, dois irmãos tentam reinventar
a vida e ganhar as suas batalhas interiores.

“Éramos uma espécie de degenerados com demasiado talento para podermos vingar numa sociedade que se queria ordeira. Nós não queríamos ser motineiros contudo desejávamos incendiar uma tradição estabelecida. Digamos que nos sentíamos oprimidos porque sabíamos que a nossa fatalidade era a de nunca nos cumprirmos, não aqui.”Ao longo da noite de 31 de Dezembro, Mauro recorda as pessoas e os eventos mais marcantes da sua vida desde o ano em que deixou o Recife para viver em Portugal motivado pelo período conturbado do fim da Monarquia e implantação da República.
A invenção da vida revela-nos como os lugares e os encontros são um factor decisivo para a descoberta de uma vocação, onde a revolução republicana surge como uma metáfora das batalhas que se travam intimamente como sendo as mais determinantes no decurso de toda uma existência.


A minha opinião:
Foi com uma enorme surpresa que conheci esta obra de uma autora para mim desconhecida, Lourença Baldaque. A Invenção da Vida conta a história de Mauro e de Joaquim, dois irmãos luso brasileiros moradores em Recife, tão parecidos, mas ao mesmo tempo tão diferentes que, por isso mesmo, escolhem vidas tão díspares que os afastam completamente.

Filhos de pai brasileiro e de mãe portuguesa, Mauro e Joaquim têm duas visões diferentes da vida. Mauro pretende conhecer a terra natal da mãe e decide mudar-se definitivamente para Portugal. No entanto, não podia ter escolhido pior altura (ou teria sido pior?). Portugal vivia um conturbado período histórico: a passagem da monarquia para a república, estando o país no caos total: o seu senhorio tinha sido preso, as informações ainda não estavam bem assentes, próprias de uma viragem de regime. Mas Mauro não desanimou e permaneceu.


Ao mesmo tempo, estabelece correspondência com o irmão que também acha que o Recife se torna pequeno para as suas ambições de realizador de cinema e decide partir para a Europa onde o cinema está a dar os primeiros passos. No entanto, os dois irmãos pouco de cruzam...

A Invenção da Vida de Lourença Baldaque transportou-me para a um Portugal de início de século XX, um Portugal que se queria ver livre da monarquia, que queria ter o poder da decisão, que queria ter o poder da república, mas também me levou ao Recife, a Olinda, onde estive há uns anos, e imaginei como seria também nos idos anos de 1900, quando Mauro de lá saiu.

Ao longo de 178 páginas Mauro envolve-nos com a história da sua longa vida, sim uma vida longa de 100 anos, onde constam a passagem a monarquia a república, a ditadura, o maio de 68, a revolução dos cravos... uma vida cheia de histórias, de História e memórias.

Recomendo!



Porto Editora publica a 15 de maio o último livro de Herberto Helder

Título: Poemas Canhotos
Autor: Herberto Helder
Págs.: 56
Capa: Dura
PVP: 16,60 €

Na próxima sexta-feira, dia 15 de maio, a Porto Editora orgulha-se de publicar Poemas Canhotos, o último livro de poemas inéditos de Herberto Helder, que o terminou pouco antes de morrer. Esta edição inclui uma bibliografia completa dos livros publicados pelo autor, cuidadosamente preparada por Luis Manuel Gaspar.
De acordo com a vontade de Herberto Helder, Poemas Canhotos terá uma edição de tiragem única.
Um dos poemas deste livro, «[fico tão feliz quando vejo como os golfinhos são…]», está disponível para leitura aqui e o índice aqui.
O AUTOR
Herberto Helder nasceu em 1930 no Funchal, onde concluiu o 5.º ano. Em 1948 matriculou-se em Direito mas cedo abandonou esse curso para se inscrever em Filologia Românica, que frequentou durante três anos. Teve inúmeros trabalhos e colaborou em vários periódicos como A Briosa, Re-nhau-nhau, Búzio, Folhas de Poesia, Graal, Cadernos do Meio-dia, Pirâmide, Távola Redonda, Jornal de Letras e Artes. Em 1969 trabalhou como diretor literário da editorial Estampa. Viajou pela Bélgica, Holanda, Dinamarca e em 1971 partiu para África onde fez uma série de reportagens para a revista Notícias. Em 1994 foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa, que recusou.
Faleceu em Cascais a 23 de março de 2015, tinha 84 anos.


O primeiro livro de Rita Redshoes: tem sonhos, tem música para dormir


Título: Sonhos de Uma Rapariga Quase Normal
Autor: Rita Redshoes
N.º de Páginas: 192
PVP: 18,00 €
Nas livrarias a 20 de Maio
Guerra e Paz|Clube do Livro SIC

Sinopse:
Rita Redshoes sonha. Pode sonhar com Obama ou Maria Callas, com Passos Coelho ou António Costa, pode sonhar com uma orquestra de animais, uma chuva de balas, uma valente chapada. Rita sonha e lembra-se de tudo. Para cada sonho fez uma ilustração. 40 ilustrações, 40 sonhos: era destes sonhos que queríamos ser feitos.

«Nem queria acreditar: estava grávida, com uma barriga avantajada e era Verão. Estava na antiga casa dos meus pais a conversar com a minha mãe, o meu irmão e a prima Mafalda. «É que não faço ideia como é que fiquei tão grávida de repente!», de um sonho de Rita Redshoes

Oferta do download de música inédita, criada por Rita Redshoes para dormir e sonhar.

Sobre a autora:
O mundo descobriu-a com “Dream On Girl”, a sua primeira afirmação a solo na colectânea “Novos Talentos – FNAC 2007” mas o seu percurso iniciou-se uns tempos antes quando, ainda “Rita Pereira”, integrou alguns projectos musicais dos quais se destacou o grupo Atomic Bees com o qual gravou, em 2000, o disco “love.noises.and.kisses”. Integrou ainda a banda de David Fonseca com quem gravou “Hold Still” incluído no disco “Our Hearts Will Beat As One”, o segundo disco a solo do músico.

A solo publicou três discos – “Golden Era” (2008), “Lights & Darks” (2010) e este ano “Life Is A Second Of Love”. É no panorama musical actual um caso raro talento contando até à data com um impressionante conjunto de canções – “The Beginning Song”, “Choose Love”, “I Should Go”, “Captain Of My Soul” ou as mais recentes “Broken Bond” e “White Lies”, são apenas alguns dos exemplos do talento e sensibilidade de Rita Redshoes.

Ao vivo, efectuou apresentações em Portugal, Espanha, França, Hungria, Bélgica, Holanda, Suécia, Brasil e Estados Unidos. Em parceria com The Legendary Tigerman compôs as bandas sonoras ´da peça de teatro “O Jogador” (Tolstoi enc. Gonçalo Amorim) e dos filmes “O Facínora” (Paulo Abreu) e “Estrada de Palha” (Rodrigo Areias) com o qual recebeu o “Prémio Sophia” da Academia do Cinema Português entre outras distinções.

Encontra-se neste momento em fase de apresentação de “Life Is A Second Of Love”, um disco gravado entre Portugal e o Brasil

Discografia:
Golden Era (2008)
Lights & Darks (2010)
Life Is A Second Of Love (2014)

www.ritaredshoes.com
www.youtube.com/user/ritaredshoes
www.facebook.com/ritaredshoesmusic
www.instagram.com/ritardeshoes