sábado, 20 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Encerrado para Férias :)


Até 1 de Julho, o Marcador de Livros vai a banhos. Muitos livros vão para a praia, piscina e esplanadas para depois surgirem opiniões fresquinhas. 
Boas leituras seguidores fiéis.
sexta-feira, 19 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação de "Heróis do Mar. A História dos Símbolos Nacionais" de Nuno Severiano Teixeira



TOPSELLER: «Confissões de Catarina de Médicis», uma das rainhas mais difamadas da História


«Os fãs de Philippa Gregory vão devorar este livro.» - Booklist

Pela voz da própria Catarina de Médicis, C. W. Gortner relata, no seu mais recente romance Confissões de Catarina de Médicis (Topseller l 400 pp l 21,98€) a extraordinária viagem de uma das mais amaldiçoadas, incompreendidas, mas também mais poderosas e controversas mulheres da História. Para uns ela foi uma rainha impiedosa que conduziu França através de uma era de violência sangrenta. Para outros foi uma salvadora apaixonada da monarquia francesa.

Última descendente legítima da ilustre linhagem dos Médicis, foi prometida ainda adolescente a Henrique, filho de Francisco I de França, e enviada de Itália para um reino desconhecido, onde foi ofuscada e humilhada pela poderosa amante do marido, Diana de Poitiers. Perseverante, Catarina lutou por criar o seu papel no reino que lhe pertencia por direito, com uma força e determinação inatas que a transformavam numa mulher notável.

Além de uma forte personalidade, Catarina possuía ainda, segundo testemunhos, visões premonitórias, as quais, aliadas à orientação do clarividente Nostradamus, a ajudaram a traçar as linhas do seu destino e da sua família. Mas no seu 40.º aniversário, Catarina enviúva e é deixada sozinha, com seis filhos jovens, como regente de um reino dilacerado pela discórdia religiosa entre católicos e huguenotes e as ambições desmedidas de uma família traiçoeira de nobres, os Guise.

Confiando apenas na sua tenacidade, Catarina toma o poder para garantir o trono dos filhos. Mas para salvar França, ela terá de sacrificar os seus ideais, a sua reputação e os segredos mais profundos de um coração agrilhoado.

Sobre o autor:
C. W. Gortner possui um mestrado em Escrita na especialidade de Estudos Renascentistas, pelo New College of California. Os seus romances históricos, sempre fruto de intenso trabalho de pesquisa, têm-lhe granjeado elogios por parte da crítica internacional. Já foram traduzidos para 21 línguas com mais de 400 mil exemplares vendidos. Em Portugal, editados pela Topseller, já se encontram publicados O Juramento da Rainha, um romance sobre Isabel, a Católica, e O Segredo dos Tudor. De ascendência espanhola, C. W. Gortner vive atualmente na Califórnia. Saiba mais sobre o autor em: www.cwgortner.com.





TOPSELLER:«Uma história poderosa e emocionante!» - Booklist


«Uma história poderosa e emocionante!» - Booklist

«O Segredo da Minha Irmã mantém o leitor fascinado até ao fim. Para todos os que adoram um bom mistério e para os que gostam de ler sobre emocionantes disputas familiares.» - Library Journal

De Diane Chamberlain, autora bestseller norte-americana com 23 títulos publicados em mais de 20 línguas e premiada com o prémio RITA pela Associação Americana de Escritores de Romance, chega às livrarias nacionais uma história poderosa e emocionante: O Segredo da Minha Irmã (Topseller l 384 l 18,79€).

Uma perda devastadora. Um segredo escondido durante mais de 20 anos. Mas… estará a verdade prestes a emergir?

Depois da morte do pai, Riley MacPherson regressa a casa para organizar as cerimónias fúnebres e tratar da divisão dos bens. No entanto, em vez de conseguir fechar um ciclo doloroso e encontrar a tranquilidade de que tanto precisa, Riley depara-se com a possibilidade de, afinal, ter sido adotada.

Teria, realmente, vivido 25 anos a acreditar numa mentira? Que outras revelações estarão ali, prontas para serem descobertas? Confusa e sedenta de respostas, inicia uma investigação arriscada para encontrar toda a verdade sobre a sua origem. Uma busca emocionante que acaba por desenterrar informações e factos misteriosos acerca da sua irmã Lisa, uma violinista-prodígio que, dizem, teria cometido suicídio há mais de 20 anos.

À medida que as peças do puzzle se encaixam, Riley percebe que nada é o que parece. Resta saber se estará preparada para a verdade e se será capaz de a aceitar de braços abertos. Uma história arrebatadora, com personagens apaixonantes e reviravoltas inesperadas. Um enredo misterioso que nos prende a cada virar de página.

Sobre a autora:
Diane Chamberlain é uma autora bestseller norte-americana, com 23 títulos publicados em mais de 20 línguas. Apaixonada pela leitura e pela escrita desde criança, viu o seu primeiro romance publicado em 1989, título esse que lhe valeu um prémio RITA, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance.
É licenciada em Serviço Social pela Universidade de San Diego, ainda que já não exerça a sua profissão para poder dedicar-se inteiramente à escrita e aos livros. Para a autora, a verdadeira magia da escrita está na possibilidade de tocar os leitores com as suas palavras. Saiba mais sobre a autora em: www.dianechamberlain.com.

quinta-feira, 18 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação de livro: «A Menina Dentro da Cereja», Álvaro Manuel Machado



Novidades Gradiva para Julho

Título: A Democracia e o País
Previsões Cristalinas sem Bola de Cristal
Coleção: «Trajectos Portugueses», n.º 101 


A Segurança Social vai mesmo colapsar? Quantos seremos daqui a 30 anos? O aumento da fecundidade resolve os nossos problemas? Há vários anos que estas questões suscitam debate. O que aqui se apresenta é uma contribuição séria e fundamentada, rigorosa, matemática, sem politiquice, para perceber as respostas a essas e outras perguntas.


Título: Amnésia
Autor: Peter Carey
Coleção: «Gradiva», n.º 156
N.º de Páginas: 452
PVP: € 16,00

Venceu o Booker Prize por duas vezes, foi distinguido com o prémio Commonwealth outras duas e ganhou o Miles Franklin em três anos distintos. Este novo romance, de sabor policial, apresenta Peter Carey no seu melhor, com uma história negra, divertida, profunda e inesquecível.

Título: Identidade, Valores, Modernidade
O Pensamento de Onésimo Teotónio Almeida
Autor: João Maurício Brás
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 444
N.º de Páginas:  332
PVP: € 12,00

O sucesso de Onésimo Teotónio Almeida como autor de ensaios certeiros e bem‑humorados sobre o Portugal cultural e social tem escondido, junto do público menos informado sobre o seu percurso, o brilho da sua carreira académica nos EUA e no mundo. Onésimo é um pensador com uma obra notável no domínio da filosofia. Este livro traduz‑se numa excelente oportunidade para conhecer essa obra, um caso singular e original no panorama cultural português.

Título: Liberdade de Expressão
Uma breve introdução
Autor: Nigel Warburton
Coleção: «Filosofia Aberta», n.º 28 
N.º de Páginas: 132 
PVP: € 14,00

Até onde deve ir a liberdade de expressão? Este livro analisa os principais argumentos, a favor e contra. Aborda temas controversos e combina áreas tradicionais de discussão filosófica com novos desafios. Simultaneamente actual, acessível e interessante, é uma obra essencial para perceber o real valor da liberdade de expressão. Uma leitura urgente!

Título: Os Marcianos Somos Nós
Autor: Nuno Galopim
Coleção: «Ciência Aberta», n.º 212
N.º de Páginas: 364
PVP: € 13,00

Carl Sagan defendeu que para contar a história desse astro há que juntar a ciência e a imaginação. Este livro fá-lo com habilidade. Repleto de factos e informações de ciência, pelo meio apresenta pequenos marcianos que chegam à Terra maldispostos e colónias humanas que encontram em Marte uma nova casa. Uma leitura entusiasmante, para seguir viagem até ao planeta vermelho. Vá a Marte antes dos Estados Unidos!

Título: Zits em Concerto
Autor: Jerry Scott e Jim Borgman
Coleção: «Zits», n.º 20
N .º de Páginas: 208
PVP:  € 23,00

As populares tiras Zits estão de volta, com retratos de adolescentes ao mesmo tempo realistas e divertidos. A expressividade do desenho, o humor e o fundo psicossocial estão garantidos. Para adolescentes, pais, professores, psicólogos e sociólogos, e todos os leitores apreciadores de piadas inteligentes.






Porto Editora publica, a 2 de julho, Os muitos nomes do amor, o novo romance de Dorothy Koomson

Título: Os muitos nomes do amor
Coleção:
Dorothy Koomson
Tradução: Irene Ramalho
Págs.: 472
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

Um ano depois da lançamento do sucesso Os aromas do amor, a Porto Editora publica, a 2 de julho, Os muitos nomes do amor, o novo romance de Dorothy Koomson.
Nesta obra, um drama familiar de grande densidade psicológica, a protagonista vive um poderoso encontro com o passado, quadro que faz desta uma das mais marcantes histórias da autora.
Desde que, em 2006, deu a conhecer no nosso país A filha da minha melhor amiga – um enorme sucesso, já na 16.ª edição –, a Porto Editora tem vindo a publicar com regularidade a obra de Dorothy Koomson. O sucesso em Portugal é apenas parte do crescente prestígio internacional desta autora, que assinalou, em 2013, dez anos de carreira literária.

Sinopse:
Clemency Smittson foi adotada em bebé, e a única ligação à mãe biológica é um berço de cartão com borboletas pintadas à mão. Agora adulta, e em constante conflito com sentimentos de perda e rejeição, decide mudar drasticamente de vida e voltar a Brighton, a cidade onde nasceu.
Mas Clem não sonha que é lá que vai encontrar alguém que sabe tudo sobre a sua caixa das borboletas e a verdadeira história dos seus pais biológicos.
E quando Clemency percebe que nem tudo é o que parece, e que talvez tenha sido injusta com aqueles que mais a amam, haverá tempo para recuperar o que foi perdido?

Primeiras páginas aqui: 
http://recursos.wook.pt/recurso?&id=10352171

Sobre a autora:
Traduzida em 30 línguas e com mais de 2 milhões de livros vendidos em todo o mundo, Dorothy Koomson é hoje uma das maiores referências do romance feminino. Ao livro mais emblemático – A filha da minha melhor amiga – seguiram-se outros sucessos que a tornaram uma das autoras preferidas dos leitores portugueses.


VOGAIS: O mais cobiçado livro de colorir chega finalmente a Portugal - «Animorphia»



Animorphia é o primeiro a fazer verdadeiro furor entre os livros de pintar para adultos que já foram lançados até ao momento.

Trata-se do livro de colorir mais cobiçado pelas editoras nas Feiras de Bolonha e Londres.

Kerby Rosanes tem 1,3 milhões de seguidores no Facebook e é um dos ilustradores mais conhecidos na Europa.

Animorphia (Vogais | 96 pp | 10,99€) é o livro de pintar mais falado nas redes sociais e o mais aguardado nas dezenas de países onde será publicado. Após pintadas, as imagens são verdadeiras obras de arte, com uma qualidade extraordinária, muito acima do habitual para este tipo de livros.

Bem-vindo ao estranho e fabuloso universo de Kerby Rosanes, um dos artistas de doodles mais populares em todo o mundo. O seu universo é composto de espantosas criaturas e objetos que se fundem e transformam em animais de uma beleza ofuscante.

Neste livro encontra imagens assombrosas para completar e colorir, que o ajudarão a relaxar e a melhorar a sua capacidade de concentração. Animorphia é um livro para colorir, desenhar e explorar.

Kerby Rosanes é um jovem desenhador filipino que utiliza vulgares canetas pretas na criação do seu mundo encantado de desenhos exaustivamente detalhados. O jovem artista considera as suas criações como um hobby que se transformou em trabalho assim que surgiu o reconhecimento por parte de blogues de design, revistas e comunidades online. É hoje um dos desenhadores de doodles mais populares em todo o mundo, com 1,3 milhões de seguidores na sua página de Facebook.

Abandonou recentemente o seu emprego como designer gráfico para abraçar finalmente a sua paixão: criar mais arte para projetos pessoais e para diversos clientes, entre os quais se encontram empresas como a Nike, a Ford, a Mazda ou a Huawei.

Saiba mais sobre o autor em:

· Sketchystoriesblog

· instagram.com/kerbyrosanes

· kerbyrosanes.com



quarta-feira, 17 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Reprodução, a estreia de Bernardo Carvalho na Quetzal, a 19 de junho nas livrarias

Título: Reprodução
Autor: Bernardo Carvalho
Género: Romance
N.º de páginas: 184
Data de lançamento: 19 de junho
PVP: 15,50 €

Um olhar irónico sobre os tempos atuais nas páginas de um dos mais destacados narradores brasileiros contemporâneos.
Neste romance, Bernardo Carvalho parece fazer «picadinho» – com um humor convulsivo – de um típico personagem da nossa era: o comentador de blogues e portais da internet. O «estudante de chinês» que é protagonista deste romance vive entre a realidade e a paranoia, dividido entre a visão distorcida do mundo e a espera pelo dia em que a China dominará o planeta – e então ele, iniciado no estudo do intrincado idioma, poderá integrar as fileiras de uma nova classe dominante. Vítima de um equívoco na altura em que pretendia embarcar para Pequim, ao ser detido pela polícia, desata a falar venenosamente sobre tudo e todos.
À história do protagonista ligam-se a da professora de chinês, que tenta levar uma criança órfã para a China, a do inspetor da Polícia Federal às voltas com o seu próprio caso bicudo de paternidade e a da psicótica inspetora que vive as suas operações de infiltrada com particular emoção; todos são personagens de uma comédia de enganos, feita de diálogos, em que só um dos lados tem o direito de falar. A linguagem é também um tema central de Reprodução: é o que expressa a mente do indivíduo perante o resto da sociedade, mas é também o que reproduz discursos, estereótipos e a própria vida. É poder – e não apenas redentor, mas também aniquilador.

Sobre o autor:
Jornalista, Bernardo Carvalho (Rio de Janeiro, 1960) foi correspondente da Folha de São Paulo em Paris e Nova Iorque. Como o próprio conta, em 1992 (durante a crise do governo Collor), o jornal fechou o escritório em Manhattan, o que ele transformou numa vantagem: «Meu apartamento já estava pago por mais seis meses, resolvi ficar na cidade.» Foi nessa altura que decidiu retomar alguns textos escritos antes («Eu nunca quis ser jornalista. Sempre tive a tendência para a narrativa ficcional. Paralelamente ao trabalho no jornal, eu escrevia o primeiro parágrafo de romances. Acumulei centenas deles.») e transformá-los no seu primeiro livro, Aberração (1993). Vinte anos depois, Bernardo Carvalho é um dos mais importantes e originais escritores brasileiros, autor de romances tão singulares como Teatro (1998), Nove Noites (2002, Prémio Portugal Telecom), Mongólia (2003, Prémio Jabuti) ou O Filho da Mãe (2009).


terça-feira, 16 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

o remorso de baltazar serapião - valter hugo mãe [Opinião]

Título: o remorso de baltazar serapião
Autor: valter hugo mãe
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 280
Editor: Porto Editora

Sinopse:
As mulheres assistem ao mundo como presas dos homens. A história do mundo revela tempos em que a mulher mais não é do que um instrumento da vida do homem. Neste romance, valter hugo mãe torna impossível ignorar este facto.

Criador de uma linguagem exuberante, e deitando mão à mais rica imaginação, o autor explica o amor a partir do ponto de vista tremendo do machismo. Esta é a aventura de um homem que, casando com a moça mais bonita da sua terra, se deixa corromper pelo preconceito e pela pobre tradição.

Entre ser divertido e cruel, o remorso de baltazar serapião é um marco fundamental na literatura portuguesa contemporânea.


A minha opinião:
«o remorso de baltazar serapião é um tsunami», disse Saramago, acrescentando que o este livro de valter hugo mãe «vai ter uma vida longa.».

Passado na idade média, onde a mulher era tratada abaixo de um qualquer animal irracional, facilmente me dei por mim a fazer trejeitos ao ler certas partes do livro, cuja violência é explorada até ao limite pelo autor. Certo é que a condição da mulher na altura era essa, e baltazar nada de errado fazia para com ermesinda, a rapariga mais bonita da região. Bela aquando o seu casamento, mas que foi ficando feia devido aos maus tratos infligidos por baltazar, mais conhecido como o sarga dos sargas, por causa da vaca, acarinhada pela família, de quem se dizia que ser mãe de baltazar e seus irmãos...

"...homem de verdade consome-se de carnes, é normal. nada normal para mim que recuso ser de homem, nada quero que homem algum me toque. e porque te casaste. sempre fui casada por pais ou homens que me mandassem, mulher solteira é má de vida e fica sem trabalho nem amizades. pois mulher minha apanha tanto quanto deve, até que se ensine de tudo o que lhe digo."



Ermesinda é espancada todas as vezes que baltazar suspeita das suas infidelidades. E de nada vale defender-se... de cada pancadaria fica deficiente de qualquer parte do corpo, ou um pé que fica torto, ou um olho que sai..., mas baltazar ama-a à sua maneira (?) ou assim pensa amar. E vive na incerteza se é corno ou não.

No meio de tudo isto é difícil destrinçar qual o mais animalesco. Se a teresa diaba que se dava a qualquer homem, se baltazar e o pai, brutos com as mulheres, se ermesinda, que se deixava subjugar sem dizer um ai. valter hugo mãe expõe a Idade Média com sabedoria de um contador de histórias. E, ao fazê-lo, trazendo-a para nós, leitores, transporta-a para o dia a dia que depressa constatamos que em muitos locais não estamos tão longe dela como gostaríamos. Há ainda quem pense que:

"mulher é coisa de pouca sabedoria e nenhuma estabilidade, o que pensam hoje, amanhã não sabem."

E é por isso que o remorso de baltazar serapião funciona como um murro no estômago para quem o lê.

Muito bom.


Porto Editora publica a 18 de junho o novo livro de Jeff Abbott, Beijo Fatal

Título: Beijo Fatal
Autor:
Jeff Abbott
Tradutor: José Vieira de Lima
Págs.: 368
PVP: 16,60 €

No dia 18 de junho chega às livrarias um novo livro do escritor bestseller Jeff Abbott, Beijo Fatal, onde o autor revela a sua mestria na arte do suspense e ação. Este é o primeiro thriller de uma série que tem como pano de fundo o Texas profundo e como protagonista Whit Mosley, um jovem juiz de paz que procura manter-se incorruptível numa cidade imersa em tentações e ameaças.
Jeff Abbott, que conta com vinte anos de carreira e uma longa lista de thrillers com sucesso mundial, é uma presença assídua nas listas de candidatos para prémios de literatura policial: esteve nomeado três vezes para o Mystery Writers of America's Edgar Allan Poe Award e duas vezes para o Anthony Award, atribuído pela World Mystery Conference.
Na Porto Editora foi já publicado, no ano passado, o livro Queda.

Sinopse:
Whit Mosley, juiz de paz na cidade de Port Leo, Texas, é um rapaz novo e descontraído, tanto na vida como no cargo. Em ano de reeleição, não parece muito interessado em lutar pelo seu emprego, o último numa longa lista de falhanços profissionais.
No entanto, as águas da pacata cidade costeira não vão demorar muito a agitar-se: uma noite, Whit é convocado para atestar um óbito. O cadáver pertence ao filho de uma senadora, regressado à terra natal depois de uma carreira no mundo da pornografia. Terá sido suicídio, alimentado por uma antiga tragédia familiar? Ou será que um assassino obcecado o usou como peão num jogo deturpado? Quando Whit desafia a pressão política e começa a investigar, ele e a detetive Claudia Salazar põem as suas carreiras e as suas vidas em perigo, expondo um ninho de barões da droga, vigaristas e tubarões sedentos de poder, todos em busca de sangue. Mas nas areias quentes de Port Leo há segredos ainda mais obscuros enterrados… e ninguém é o que parece ser.

Sobre o autor:
Escritor norte-americano, Jeff Abbott é licenciado em História e Inglês pela Universidade de Rice e trabalhou como diretor criativo numa agência de publicidade antes de se dedicar à escrita. Autor de vários livros de suspense e mistério, já esteve nomeado três vezes para o Edgar Allan Poe Award e duas vezes para o Anthony Award, atribuído pela World Mystery Conference. Atualmente vive em Austin com a mulher e os dois filhos.
Mais informações: http://jeffabbott.com


As crónicas de futebol de Dinis Machado chegam às livrarias a 19 de junho

Título: A Liberdade do Drible – Crónicas de Futebol
Autor: Dinis Machado
Género: Crónicas
N.º de páginas: 104
Data de lançamento: 19 de junho
PVP: 14,40€
Edição de Marta Navarro

«A Liberdade do Drible é um reencontro com Dinis Machado, com o “cronista de serviço” apaixonado pelo futebol, pelo lugar da infância, pela escrita, pelo gesto de escrever como forma de pensar e de conversar. Da recolha de crónicas publicadas ao longo de décadas na imprensa portuguesa, rapidamente se tornou clara a composição deste livro como um jogo de memórias, jogado em ambiente de conversa: uma história convoca outra, e depois outra, a seguir vem à baila um velho amigo, inventa-se uma personagem, que leva a outra história.» Da nota introdutória

Com o romance O Que Diz Molero, Dinis Machado mudou de forma permanente o panorama literário português.
Mais de quarenta anos volvidos, esse objecto raro das nossas letras mantém a sua imensa originalidade e frescura. Dinis Machado não publicou outros romances (a não ser os policiais que escreveu com o pseudónimo Dennis McShade), mas continuou a escrever regularmente, durante mais de três décadas, em jornais e revistas sobre os mais variados temas, de entre eles duas das suas grandes paixões: futebol e cinema.
Depois de Reduto Quase Final, seguido de Discurso de Alfredo Marceneiro a Gabriel García Márquez e de Gráfico de Vendas com Orquídea, a Quetzal dá continuidade à recolha dos melhores textos dispersos de Dinis Machado com este livro, um tratado em fragmentos sobre a amizade, a infância e o futebol.

Sobre o autor:
Dinis Ramos e Machado nasceu em março de 1930, em Lisboa, onde viveu no Bairro Alto até ao fim da sua juventude. Foi jornalista desportivo no Record, no Norte Desportivo, no Diário Ilustrado e no Diário de Lisboa. No início da década de 1960, organizou os primeiros ciclos de cinema da Casa da Imprensa e começou a escrever crítica para a revista Filme. Praticou de tudo um pouco, do poema à entrevista, e escreveu três livros policiais, com o pseudónimo Dennis McShade. Em 1977 publicou O Que Diz Molero, um livro com um estrondoso sucesso (e mais de vinte edições até ao presente), que mudou definitivamente a maneira de fazer e receber literatura em Portugal. Dinis Machado morreu em outubro de 2008.


Novidades Planeta a partir de amanhã

FICÇÃO ESTRANGEIRA


Título: A Rainha Branca
A Guerra dos Primos
Autor: Philippa Gregory
N.º de Páginas: 472
PVP: 18,85 €
Disponível a partir de 17 de Junho

«A maior autora contemporânea de romance histórico. Os seus romances caracterizam-se por mulheres fortes e determinadas que tomam as rédeas do destino nas suas mãos.» Financial Times

Intriga, romance, história, com uma pesquisa rigorosa narrada de forma soberba, neste primeiro volume da série A Guerra dos Primos, reeditado pela Planeta, tal como todos os livros da série. A Guerra dos Primos desenrola-se em plena Guerra das Rosas, agitada por tumultos, intrigas e traição.
Philippa Gregory dá vida a este drama familiar através do ponto de vista das suas mulheres, começando pela história fascinante de Isabel Woodville, a rainha esquecida, a Rainha Branca.
«Philippa Gregory é de facto a maior autora de romance histórico! É difícil tornar a história mais intensa, envolvente e vívida.» Sunday Express
«Gregory retrata mulheres de garra, discordando de homens poderosos, dando aos acontecimentos históricos grandes doses de dramatismo. Misturando figuras históricas ou inventadas, narra os seus defeitos e falhas assim como as emoções. Faz com que a história…ganhe de facto vida para os leitores.» Publishers Weekly


A GUERRA DOS PRIMOS
A Guerra das Rosas ou a Guerra dos Primos foi uma série de lutas dinásticas pelo trono de Inglaterra, durante os reinados de Henrique VI, Eduardo IV e Ricardo III. Em campos opostos encontravam-se as casas de York e de Lencastre, ambas da dinastia Plantageneta e descendentes de Eduardo III.
Teve origem nos problemas sociais e financeiros decorrentes da Guerra dos Cem Anos e no facto de Henrique VI ter perdido terras francesas conquistadas. A sua queda surge quando um candidato Lencastre, Henrique Tudor, derrotou o último rei de York, Ricardo III, conquistando o trono.

RAINHA BRANCA
A história de uma plebeia de grande beleza, que ascende à realeza, servindo-se dos seus trunfos e que casa com o rei Eduardo IV. Embora de origens humildes, ela mostra estar à altura da sua elevada posição social e que luta tenazmente pelo êxito da sua família. Uma mulher cujos filhos estarão no âmago de um mistério que há séculos intriga os historiadores: o misterioso desaparecimento dos dois príncipes encarcerados na Torre.
Através da sua visão única, Philippa Gregory explora o maior mistério por resolver, baseando-se numa investigação rigorosa e recorrendo ao seu inimitável talento como contadora de histórias.

Sobre a autora
Nascida no Quénia a 9 de Janeiro de 1954, esta famosa escritora de romances históricos, mudou-se para Bristol, Inglaterra, quando tinha dois anos. Formada em História pela Universidade de Sussex e doutorada em Literatura do Século XVIII pela Universidade de Edimburgo. 
Além de escritora de romances, também escreve críticas para jornais britânicos e revistas. É também conhecida pelos programas de rádio e televisão.
Philippa vive com a família – o marido, dois filhos e enteados – numa quinta do Yorkshire, onde cria cavalos, galinhas e patos. Gosta de jardinagem, equitação e caminhadas. Também é activa em projectos de caridade e fundou o Gardens for the Gambia. O seu período preferido da História é a Era Tudor, sobre o qual já escreveu vários romances, alguns adaptados para televisão e cinema. Philippa Gregory também tem vários livros infantis publicados, além de romances com histórias modernas. 


Título: O Chefe Deslumbrante Vol. 1
Autor: Abigail Barnette
N.º de Páginas: 360
PVP: 17,77 €
Nas livrarias a partir de 17 de Junho



Intenso. Arrebatador. Realista
Do alter ego da autora best-seller Jenny Trout, este é o primeiro livro de uma trilogia erótica diferente, onde se abordam problemas reais.
As questões sociais e de saúde são descritas nesta série.
O mundo deixa de ser apenas cor-de-rosa, em que através do sexo escaldante vivem felizes para sempre.
Uma série muito bem escrita, com personagens bem construídas e com uma trama que não é apenas regida pelas cenas de sexo.

Sophie Scaife quase tinha fugido ao destino, quando trocou o bilhete que a levaria para a faculdade por um bilhete para Tóquio. Mas um atraso no voo e um encontro escaldante com um desconhecido fê-la mudar de ideias, colocando-a no bom caminho para alcançar um ambicionado emprego numa revista de moda em Nova Iorque.

Quando o irresistível desconhecido daquela noite extraordinária se revela como o novo chefe, o milionário magnata da comunicação Neil Elwood, Sophie não resiste à oportunidade para reacender a chama entre os dois… e a oportunidade para explorar o seu lado submisso com o homem mais dominador que alguma vez conheceu.
Neil é o único homem que compreendeu a sua necessidade de se submeter sexualmente, o único homem que conseguiu satisfazer esses desejos. Quando a sua relação tórrida e descomprometida se transforma em algo mais, Sophie terá de escolher entre a carreira e o coração… ou arriscar-se a perder ambas as coisas.

Sobre a autora
Abigail Barnette é o alter ego da autora, bloguista e humorista Jenny Trout. Escrevendo sob o pseudónimo Jennifer Armintrout, entrou na lista de best-sellers do USA Today com o romance de estreia Blood Ties Book One: The Turning.
O livro American Vampire foi considerado uma das melhores obras de terror de 2011 pela Booklist Magazine Online. Como Abigail Barnette, escreve romances eróticos premiados. Quando não está a escrever, está a dormir ou incapacitada de alguma outra forma. É uma orgulhosa nativa do Michigan, mãe de duas crianças e mulher da única pessoa na terra capaz de passar extensos períodos de tempo com ela sem ter vontade de a assassinar.


Título: A Guerra dos Tronos Vol. 4
Autor: George R. R. Martin
N.º de Páginas: 192
PVP: 17,95€
Disponível a 17 de Junho

Chega agora mais um livro da aclamada série da adaptação em banda desenhada de A Guerra dos Tronos, a quarta parte da saga best-seller em todo o mundo, que conta com quatro volumes.
Este quarto livro finaliza o primeiro volume da série.
George R. R. Martin junta-se ao conhecido romancista Daniel Abraham e ao ilustrador Tommy Patterson para dar uma nova vida à obra prima da fantasia heróica A Guerra dos Tronos, como nunca foi visto em graphic novels a cores, dando uma visão única do mundo idealizado por Martin.
George R. R. Martin trabalhou dez anos em Hollywood como escritor e produtor de diversas séries e filmes de grande sucesso.
Autor de muitos best-sellers, foi em meados dos anos 90 que começou a sua mais famosa obra: A Guerra dos Tronos, que se tornou na saga de fantasia mais vendida dos últimos anos.


Sobre o autor:
Nasceu em 1948, em New Jersey. Trabalhou dez anos em Hollywood como argumentista e produtor de diversas séries e filmes de grande sucesso.
Em meados de anos 90 que começou a sua obra mais famosa, As Crónicas de Gelo e Fogo. Com cinco volumes já publicados, é o maior sucesso do escritor e a saga de fantasia mais vendida dos últimos anos.
A primeira obra da colectânea, A Guerra dos Tronos, publicada em 1996, foi adaptada para formato televisivo, pelo canal norte-americano HBO, em 2011.
Além da série de televisão, os livros de George R. R. Martin foram adaptados para um grande número de formatos, como jogos de computador ou livros de banda-desenhada. George R.R. Martin é tido como um dos escritores de literatura fantástica de maior sucesso da actualidade, considerado pela revista Time como um dos 100 homens mais influentes do mundo. O autor tem as suas obras traduzidas em 20 línguas e cerca de 15 milhões de livros vendidos em todo o mundo.


NÃO FICÇÃO 
Título: John Cleese
Ora, Como eu Dizia...
N.º de Páginas: 440 páginas + 24 extratextos
PVP: 24,40 €
Disponível a partir de 17 de Junho

Humor garantido na história da vida de um homem fascinante, ídolo das gerações de 60, 70 e 80, e mestre de muitos dos humoristas com quem hoje convivemos.
«A aguardada história de vida do actor, contada da forma que ele entendeu contá-la» The Guardian
«A autobiografia de John Cleese tem quase tudo aquilo porque podíamos esperar do seu autor – inteligência, sensatez, provocação e, acima de tudo, divertimento» Washington Post

Sincera, brilhante e divertida, esta é a história de um jovem tímido de Weston-super-Mare que se tornou numa verdadeira lenda. Desse percurso, John Cleese descreve: A sua primeira aparição pública – uma camada de nervos! – , na Escola Preparatória St. Peter, aos oito anos e cinco sextos; A sua infinitamente peripatética vida com os pais,incapazes de permanecer em qualquer casa por mais de seis meses; As suas primeiras experiências no mundo do trabalho, como professor que nada sabe sobre os  assuntos que era suposto ensinar; Os dias em Cambridge, quando tinha um hámster; e o primeiro encontro com o homem que seria o seu parceiro de escrita por mais de duas décadas, Graham Chapman. E assim por diante até à sua notável ascensão, escrevendo guiões para Peter Sellers, David Frost, Marty Feldman e outros, até aos históricos e marcantes Monty Python. Pontuada pelos pensamentos de John Cleese sobre temas tão diversos como a natureza da comédia, os méritos relativos do cricket e do esqui aquático, bem como a importância de conhecer as datas dos reinados de todos os reis e rainhas da Inglaterra, eis o desempenho magistral de um ex-professor.
Este livro contém fotografias de John Cleese, da família e de colegas de trabalho.

Título: Mindfulness - O Diário
Autor: Corinne Sweet
N.º de Páginas: 224
PVP: 14,35 €
Disponível a partir de 17 de Junho

O único livro que trata a mindfullness, o mais recente fenómeno para alcançar o bem-estar, de uma forma inédita ainda em Portugal: com exercícios e orientações para o dia-a-dia. Mindfulness (atenção plena) é uma prática de meditação que tem como finalidade melhorar a sua qualidade de vida, através da colocação da atenção e do foco naquilo que pretende atrair para si. Com belíssimas ilustrações e páginas para registar os seus pensamentos, Mindfulness – O Diário oferece uma iniciação à prática de mindfulness e exercícios fáceis que podem ser feitos sentado à secretária, no comboio, ou numa fila no supermercado, com o objectivo de reduzir o desânimo e cansaço que sentimos no final de um longo dia.
Este livro ensina a aplicar a mindfulness nas mais simples tarefas do dia-a-dia: como começar o seu dia, de que forma saborear os alimentos, a melhor maneira de caminhar, de organizar um espaço tranquilo e de lidar com emoções difíceis.

Por exemplo: o livro propõe que quando chegarmos de viagem reservemos um momento para desfrutarmos sozinhos a volta ao nosso lar. Simplesmente pensar na viagem que chegou ao fim e sentirmo-nos em casa. Depois, desfazer as malas lentamente, deixando os pertences trazerem à tona lembranças dos momentos vividos no último destino.
Este livro é o companheiro ideal para a prática de mindfulness:
. Formato pequeno,
. Texto claro e assertivo,
. Indicações precisas,
. Citações inspiradoras,
. Espaço para as suas próprias reflexões.
Existem provas científicas crescentes da eficácia da mindfulness:
Ansiedade e a depressão diminuem.
Imunidade a constipações, gripes e outras doenças é reforçada
Dor crónica, mesmo a do cancro, pode ser reduzida
Sensações de «felicidade» aumentam
Stress, que leva à hipertensão e à doença cardíaca, pode diminuir
Concentração, a memória e a energia física aumentam

Sobre a autora
Corine Sweet é psicóloga, psicoterapeuta e autora de obras de não ficção incluindo Change Your Life with CBT.
Jornalista e participante em programas de rádio, é uma figura muito respeitada em auto-ajuda e a consciência plena é uma das suas áreas de especialidade.





segunda-feira, 15 de junho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

José de Guimarães:a Arte, o Mundo e as influências


Título: José de Guimarães: Um Museu com a Forma do Mundo
Diálogo com José Jorge Letria
N.º de Páginas: 160
PVP: 13,99 €
Género: Não Ficção/Biografia
Nas livrarias a 17 de Junho
Guerra e Paz Editores | o fio da memória

Sinopse:
José de Guimarães é o criador de um dos mais singulares e originais universos plásticos das artes visuais portuguesas. Nesta conversa com José Jorge Letria, o artista revisita a sua infância – «a minha mãe desenhava tão bem» – revela as suas influências, evocando a sua relação com a escultura dos povos angolanos ou com a estética mexicana. Fala dos museus, e do seu museu ideal, aquele que tenha a forma do mundo. A crítica, as galerias, a forma como os governos pensam a cultura e a relação com as artes são temas debatidos com vivacidade e originalidade. E este livro, José de Guimarães: Um Museu com a Forma do Mundo, é também um álbum de fotografias de vida e obra.

Sobre o autor:
Nascido em Guimarães, estudou no Porto e veio formar-se em Lisboa na Academia Militar e fez o curso de Engenharia no Técnico. Estudou gravura na Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses. Em Angola, onde esteve como oficial, a sua relação com a escultura tribal inspiraria o que chamou «alfabeto africano», aspecto central da construção da sua obra artística. Incorporou também na sua criação elementos estéticos da América Latina, em particular do México e do Japão. É, hoje, um dos principais artistas portugueses, tendo a sua obra sido premiada em todo o mundo.

Sobre a colecção
o fio da memória é uma colecção que procura preservar em livro um património precioso: o retrato da vida e o combate das ideias que definem um tempo. Numa entrevista a José Jorge Letria, Isabel do Carmo, sem omitir factos, sem omitir nomes, pinta com as cores vivas da sua memória um período conturbado da história portuguesa, antes e depois do 25 de Abril. Uma conversa feita com o coração.

Próximo volume
José Manuel Tengarrinha

Como Ser Feliz (ou mais feliz) nas livraias a 17 de Junho


Título: Como ser Feliz
O caderno criativo da felicidade
De Lee Crutchley
Será que um livro pode criar felicidade?
A resposta está nas tuas mãos.

Anima-te
Qual é o teu problema
Pensa Positivo!
Este não é um livro de auto-ajuda

Sobre este livro:
Através de desafios simples, surpreendentes e divertidos, este livro vai ajudar-te a ver a vida de uma nova perspectiva e a redescobrir a alegria de cada dia.

Mais do que um livro de exercícios, um caderno criativo ou um diário secreto, este livro é um bom amigo, um porto seguro, um confidente. Como no ombro de um amigo, encontrarás nestas páginas consolo, bem-estar e energia.

Abre a primeira página e prepara-te para um novo começo, cheio de promessa e esperança. Vamos a isso?

Sobre o autor:
Lee Crutchley faz livros e desenha numa pequena cidade em Inglaterra. Está a escrever este livro na terceira pessoa, embora lhe pareça esquisito fazê-lo. Neste momento, não sabe se deve dar‑lhe um tom imperativo e
autoritário ou engraçado e simpático. Vai desistir de ambos.

Não é médico nem tem habilitações na área da saúde mental; só fica muito triste de vez em quando. Pensa que deves procurar ajuda e aconselhamento de um profissional se pensares que precisas e, provavelmente, mesmo que penses que não precisas.

O que dizem:
“Estava à espera de mais um livro de auto-ajuda, mas é diferente do qualquer outro livro deste tipo.”
In This is a Depression Blog

“Esta é uma ferramente maravilhosa para todas as pessoas a lutarem contra uma depressão ou que se sentem apenas ‘blah.’” In Publishers Weekly

“É difícil dizer do que gostei mais neste livro. Adorei o facto de não ser um livro de auto-ajuda no sentido tradicional.” In Geoffwhaley

“Crutchley oferece um ponto de vista honesto que a felicidade não é uma mudança imediata ou constante. Há dias em que nos sentimos tristes e não há problema nenhum com isso.” In Mind Your Mind

Novidade Guerra e Paz Adeus, África – A História do Soldado Esquecido de João Céu e Silva


Título: Adeus, África – A História do Soldado Esquecido
Autor:  João Céu e Silva
N.º de Páginas: 320
PVP: 16,90 €
Género: Ficção/Romance
Nas livrarias a 17 de Junho
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
De 1961 a 1986, uma história de amor e guerra que atravessa os vários cenários do conflito colonial e regressa a Portugal com Afonso, o soldado esquecido. Sangue, paixão visceral e o retrato de um tempo que parece estar já longe demais. Um romance de fôlego.


Dez de Novembro de 1975: ao cair da noite, as últimas autoridades mili­tares portuguesas abandonam Angola no paquete Niassa, horas antes da independência. O atirador especial Afonso está nas praias de Porto Am­boim a vigiar a chegada de centenas de cubanos e não embarca no navio português que deixa para trás uma presença de quase cinco séculos. Afonso sobreviverá à guerra civil escondido durante onze anos, até ser capturado e repatriado. O psiquiatra que o acompanha no regresso a Lisboa quer saber tudo o que lhe aconteceu durante as sucessivas comissões nos três cenários da Guerra Colonial e não vai descansar enquanto não desvendar a história por detrás do soldado esquecido.

Recorrendo a testemunhos de cinco amigos e a consultas com o ati­rador especial para compreender o passado de quem se vai confrontar no regresso com um país tão distante do império colonial como é o Portugal de 1986, Adeus, África – A História do Soldado Esquecido refaz o mundo bru­tal dos jovens que foram combater sem saber o que lhes estava reservado – guerras em que matar inocentes e morrer em emboscadas eram situações triviais. Pelo meio, a história de amor a uma mulher que divide dois ir­mãos, um encontro com Che Guevara, um affaire com a jornalista francesa que encantou Salazar e muitas outras peripécias, numa narrativa baseada em factos e testemunhos reais.

Sobre o autor:
Nasceu em Alpiarça, em 1959, e viveu no Rio de Janeiro, onde se licenciou em História. É, desde 1989, jornalista do Diário de Notícias.

Adeus, África – A História do Soldado Esquecido é o seu terceiro romance, pu­blicado depois de ter recebido, em 2013, o Prémio Literário Alves Redol por A Sereia Muçulmana. É autor de vários títulos, que vão da investigação histó­rica à literária, dos quais se destaca a série Uma Longa Viagem, com volumes dedicados aos escritores José Saramago, António Lobo Antunes, Manuel Alegre, Álvaro Cunhal e Miguel Torga.