sexta-feira, 17 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Conheça "Os Segredos de Lisboa"

Hoje, a Esfera dos Livros, coloca à venda um livro muito útil para quem gosta de passear por Lisboa e descobrir os seus segredos mais bem guardados: os vestígios arqueológicos da capital portuguesa.

As arqueólogas Inês Ribeiro e Raquel Policarpo guiam-nos ao longo deste guia indispensável, por uma Lisboa repleta de segredos, através de vestígios arqueológicos que nos desvendam a cidade de outras eras, de outras gentes, de outras culturas, de outras religiões. Conheça com este livro séculos de vivência de fenícios, romanos, muçulmanos e cristãos

Por exemplo:
No Largo da Sé se descer até à casa de banho pública vai deparar-se com os vestígios de um prédio anterior ao terramoto de 1755.

Na Igreja de Santo António, por entre portas e escadinhas, pode aceder ao subsolo por baixo do altar-mor, que é o local mais importante de toda a igreja, onde teve início a história do templo e do santo padroeiro de Lisboa.

Sinopse:
Uma Lisboa desconhecida está à nossa espera num museu, num parque de estacionamento ou até numa improvável casa de banho pública no Largo da Sé. Passear pela Lisboa de hoje é caminhar sobre todo um passado desaparecido. Sob os nossos pés, debaixo de linhas de elétrico, ruas asfaltadas e túneis de metro, camadas e camadas de terra revelam histórias de quem por aqui passou, viveu e morreu. Contam momentos, eras, séculos de vivência de fenícios, romanos, muçulmanos, cristãos, uma imensidão de pessoas que nestas colinas deixou a sua marca. No Largo da Sé desça à casa de banho pública e depare-se com os vestígios de um prédio anterior ao terramoto de 1755. Na Rua da Prata, embrenhe-se nas galerias romanas e descubra o que resta do complexo subterrâneo de um antigo fórum romano. Na Igreja de Santo António, por entre portas e escadinhas, aceda ao subsolo por baixo do altar-mor, que é o local mais importante de toda a igreja, onde teve início a história do templo e do santo padroeiro de Lisboa. Inês Ribeiro e Raquel Policarpo guiam-nos por uma Lisboa repleta de segredos, através de vestígios arqueológicos que nos desvendam a cidade de outras eras e de outras gentes. Nestas páginas, alguns locais e momentos regressam à luz do dia e partilham o conhecimento de épocas e sítios que muitos desconhecem. Alguns deles desapareceram para sempre, mas outros ainda estão à espera de ser visitados.

Sobre as autoras:

Inês Ribeiro nasceu a 28 de abril de 1984. Em 2007, licenciou-se em História, variante de Arqueologia, pela Faculade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa. É mestre em Arqueologia desde 2008, com especialização em Arqueologia/Época Romana. O seu percurso profissional está sobretudo relacionado com a investigação em Arqueologia, com participação em diversas escavações arqueológicas e co-responsável pelo Projeto Arqueológico dos Fornos Romanos do Morraçal da Ajuda, Peniche. Em 2011, fundou, juntamente com Raquel Policarpo, a Time Travellers, uma agência de animação turística dedicada à divulgação da História, Cultura e Arqueologia de Portugal.


Raquel Policarpo nasceu a 20 de junho de 1984. Em 2006, licenciou-se em História, variante de Arqueologia, pela Faculade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa. É mestre em Arqueologia desde 2008, com especialização em Arqueologia/Época Romana. O seu percurso profissional está sobretudo relacionado com a Arqueologia Preventiva. É arqueóloga freelancer e trabalha em vários pontos do país no acompanhamento arqueológico de obras e escavações arqueológicas de emergência. Em 2011, fundou, juntamente com Inês Ribeiro, a Time Travellers, uma agência de animação turística dedicada à divulgação da História, Cultura e Arqueologia de Portugal.




Apresentação de "Confissões de uma Mulher Madura" de Maria Elisa Domingues. Dia 21 de Julho, 18h30, na Fnac do Chiado



quinta-feira, 16 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Passatempo A Espia do Oriente

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a simpatia do autor Nuno Nepomuceno tem para oferecer, em passatempo, um exemplar do livro A Espia do Oriente.

Mais informações sobre o livro aqui.







quarta-feira, 15 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Rainhas Malditas - Cristina Morató [Opinião]

Título: Rainhas Malditas
Autor:
Cristina Morató
N.º de Páginas: 528
PVP: 24,40 €


Seis histórias de seis rainhas que se transformaram em lendas.
Excêntricas, voluntariosas, rebeldes, corajosas, ambiciosas... seis mulheres reais que não puderam escolher o seu destino.

A fascinante vida de seis mulheres que deixaram uma marca profunda na história.
Descubra como viviam as seis rainhas lendárias que inspiraram Hollywood: Sissi, Alexandra Romanov, Cristina da Suécia, Eugénia de Montijo, a rainha Vitória, e Maria Antonieta.
Por detrás das paredes dos palácios nem sempre existem contos de fadas. Para muitos dos membros da realeza essas paredes não passaram de gaiolas douradas
A vida destas rainhas está longe de ser um romântico conto de fadas.

A minha opinião:
Rainhas Malditas foi um livro que me demorou muito tempo a ler. Não porque não estivesse a gostar, não por falta de tempo, mas porque um livro tão bom e tão bem escrito e sobre um tema que aprecio muito leva o seu tempo e a ser degustado.
Através de cartas, diários. Cristina Morató consegue seis biografias, de seis rainhas surpreendentes, que fizeram casamentos de interesse , que apesar de estar na sombra do império, tiveram papéis determinantes em certos momentos da História.
A autora conta, sobretudo, a história infeliz das mulheres dos mais poderosos do mundo, que tiveram que deixar os seus países de origem e partir ao desconhecido, sem conhecer o povo, nem língua, nem costumes do país de acolhimentos, tendo de enfrentar, na maior parte das vezes, uma sogra que não gosta delas e um povo que é contra aquela aliança.
Além da solidão que têm de enfrentar, ainda têm sobre si o fardo de ter de dar à luz um filho barão para suceder ao trono, o que nem sempre foi fácil... 


«A casar com Francisco José, caem sobre ela o peso e a glória de todo o império. A jovem imperatriz da Áustria perdeu o que mais aprecia: a sua liberdade.» - Sissi, imperatriz da Áustria

Sissi, vinha de uma ambiente liberal e boémio e passa a enfrentar a corte mais pomposa e antiquada de toda a Europa. Sentia-se prisioneira. Dava-se mal com a sogra, sua tia direita, que cria ter sempre ao seu cuidado a educação dos seus netos e Sissi assim o fez, a partir do momento em que a sua filha primogénita morreu. Refugia-se nas viagens, na ilha da Madeira, em Corfu, na Grécia e em Budapesta, num castelo de que era proprietária. 

  «A calúnia, é isso que me vai matar.»
«Nada posso dizer sobre o estado da minha alma; existimos, é tudo.» - Maria Antonieta


Afilhada dos reis de Portugal, Maria Antonieta acreditou que a sua vida estava marcada pela fatalidade. A começar pelo dia do seu nascimento: o dia de finados.
Foi a melhor representante da moda rococó, tendo gasto muito dinheiro na moda. Mas era uma pessoa muito vulnerável e infeliz. Vive em completa solidão, com intrigas na corte e lutas entre as suas favoritas, além das imensas dívidas de jogo. 

Cristina da Suécia foi uma rainha com várias sequelas devido à morte prematura do pai, de quem gostava muito e à instabilidade emocional da mãe.
Era muito curiosa em relação ao estudos e tinha uma memória prodigiosa.
Com uma figura completamente masculina, nunca se interessou por nenhum homem. Acabaria por abdicar do trono e aliar-se ao catolicismo.






«Dorme-se com uma menina Montijo, não se casa com ela.» - Eugénia de Montijo

Eugénia de Montijo, 2.ª filha dos condes de Teba, haveria de casar com o imperador de França, Luís Napoleão III. Apesar de ter sido bastante contestada por parte da família do imperador e mesmo por parte dos franceses criaria orfanatos e asilos, impulsionaria a educação gratuita para raparigas órfãs e para pais sem recursos. Instaurou o ensino público superior feminino e lutou, à sua maneira, pelos direitos das mulheres, defendendo o sufrágio feminino. 



Usaria a coroa durante mais de seis décadas e com pulso de ferro. Vitória de Inglaterra era uma mulher de armas e só foi abaixo com a morte precoce do seu marido, tendo pensado em desistir. No entanto, acabou por não fazer e acabou por levar o reinado em frente. Teve muitos filhos, mas não gostava muito deles.


Neta de Vitória de Inglaterra, Alexandra Romanov acabaria por ter um fim trágico, tal como Maria Antonieta, uma rainha que tanto admirava. Não era dada a luxos, muito tímida e acabaria por se casar com o homem por quem estava apaixonada. No entanto, a sociedade russa não gostava dela chamando-a de puritana, provinciana, desinteressante a altaneira.
Apesar de tímida e um pouco fechada, dentro de portas influenciava muito o czar na tomada de decisões. Viviam alheios às necessidades do povo russo e acabariam por pagar caro. A Rússia estava muito atrasada em relação ao resto da Europa e não lhes restou mais nada do que fazer uma revolução: em 1918 a polícia secreta mataria tos czares e seus descendentes tendo apenas os seus corpos sido encontrados nos anos de 1980. 


Este pequeno "resumo" que fiz destas seis rainhas que muito me alegraram descobrir um pouco mais, espero que aumentem a curiosidade de leitura deste fantástico livro.
Recomendo sem reservas para os amantes de biografias e de história.

 


Salazar. O Fim e a Morte - Últimos dias do ditador. Relato pormenorizado do seu médico pessoal

No dia 27 de julho assinalam-se os 45 anos sobre a morte de Salazar. Para destacar esta data A Esfera dos Livros publica uma 2ª edição ampliada e com documentos inéditos da obra Salazar. O Fim e a Morte, livro escrito por Eduardo Coelho (pai) e António Macieira Coelho (filho).

Eduardo Coelho, médico pessoal do ditador, e o seu filho, António Macieira Coelho, mostram neste livro as circunstâncias que originaram o final da longa governação do ditador, desde a queda de uma cadeira no Forte de São João do Estoril até à sua morte, bem como o declínio da ditadura.

Os autores respondem a algumas das muitas especulações sobre a operação de Salazar e os seus contornos, depois de lhe ter sido diagnosticado um hematoma intracraniano subdural. O que realmente se passou na sala de operações? Quem operou na realidade Salazar? Os diagnósticos dos diferentes médicos que observaram Salazar nunca foram consensuais.

Este livro é um retracto humano de Salazar, enquanto doente e moribundo, mas também uma perspectiva do conflito de interesses que giravam à volta do político, que nesta obra surge numa intimidade nunca antes revelada.

Sinopse:
A 27 de Julho de 1970, morria António de Oliveira Salazar, que havia governado Portugal durante 36 anos. Escrito pelo médico pessoal do Presidente do Conselho, este livro é um documento fundamental para compreender as circunstâncias que originaram o final da longa governação do ditador e a sua morte.

Em Setembro de 1968, Salazar cai de uma cadeira no Forte de São João do Estoril. Alguns dias depois, o seu médico, Eduardo Coelho, diagnostica-lhe um hematoma intracraniano subdural e defende que o chefe do Conselho tem de ser operado com a máxima urgência. A ditadura entrava em declínio bem como a sua figura máxima. Muito se especulou sobre esta operação e sobre os seus contornos. Os diagnósticos dos diferentes médicos que observaram Salazar não eram consensuais. O que realmente se passou na sala de operações? Quem operou na realidade Salazar?


Sobre os autores:
Eduardo Coelho, médico pessoal do ditador, e o seu filho, António Macieira Coelho, respondem a estas questões e apresentam-nos um retrato humano de Salazar, enquanto doente e moribundo, mas também um retrato do conflito de interesses que gravitavam à volta do político, que nesta obra surge numa intimidade nunca antes revelada. Um documento notável que traz luz sobre um momento decisivo da História recente de Portugal.

Eduardo Coelho nasceu a 7 de Dezembro de 1895 no lugar do Tanque, concelho de Santo Tirso. Casou em 18 de Julho de 1925 com Maria Matilde de Macedo Dias Macieira, de quem teve cinco filhos. Faleceu em 10 de Julho de 1974. Fez os estudos liceais no Porto. Inicia os estudos de Medicina em Coimbra, que termina em Lisboa. Em 1923, defende a dissertação de doutoramento Das Relações do Estado Cerebral com o Estado Mental. Em 1927, colabora com Egas Moniz na investigação que conduziu à descoberta da angiografia cerebral. Em 1949, depois do concurso de provas públicas, é nomeado professor catedrático de Medicina Interna e, no mesmo ano, vice-presidente da então constituída Sociedade Europeia de Cardiologia. Pertenceu aos comités de redacção das principais revistas internacionais de cardiologia. Sob a sua direcção, as Clínicas de Propedêutica Médica e de Cardiologia e o Centro de Estudos de Cardiologia produzem grande número de trabalhos científicos. Em 1952, com os seus colaboradores, realiza a primeira visualização das artérias coronárias no homem. Foi ainda o impulsionador da Escola Portuguesa de Cardiologia e o fundador da Escola de Cardiologia de Lisboa. Principais livros científicos: Trombose das Coronárias e Enfarte do Miocárdio (1933, Bertrand, Lisboa), publicado em 1934, pela Masson em Paris, com o título L'Infartus du Myocard, e que é o primeiro livro na Europa sobre enfarte do miocárdio; A Patologia da Circulação Coronária (Bertrand, 1937); La Pathogénie des Alterations Electrocardiographiques de la Pericardite (Paris, 1947); Vinte e Cinco Anos de Trabalhos Científicos de Patologia e Clínica Médica (Lisboa, 1949); Cursos de Cardiologia, 5 volumes, e Fisiopatologia e Diagnóstico das Cardiopatias Congénitas (1970). Principais livros de ensaio e cultura: Da Filosofia da Medicina e Outros Ensaios; Da Problemática da Universidade; Temas Universitários; Sob os Plátanos de Cós.



Sucesso.pt dá origem a livro

Criado em 2006, o programa de televisão “Sucesso.pt” vai ser publicado no formato de livro já em Setembro. O magazine da SIC Notícias, apresentado pelo editor de Economia Luís Ferreira Lopes, apresenta semanalmente casos de empreendorismo, empresas e negócios que estão a conseguir fazer face à crise financeira e apresentam resultados bastante satisfatórios atendendo às dificuldades da conjuntura actual. Em Setembro, a Guerra e Paz faz chegar às livrarias a adaptação em livro das temporadas de 2013 e 2014, curiosamente, também estas verdadeiros casos de sucesso de audiências televisivas. «Neste livro, o foco é descrever os protagonistas dos casos de sucesso empresarial: quem são, como gerem, que soluções encontram para os problemas, como inovam e se diferenciam da concorrência, como gerem os seus recursos, que estratégia/visão/método têm», explica o autor Luís Ferreira Lopes, acrescentando: «É a resiliência de gente empreendedora que mostramos neste livro».


Livraria Lello quer cobrar 3€ por entrada aos visitantes

A Livraria Lello, uma das mais bonitas livrarias do mundo, quer agora cobrar 3€ de entrada ao comum mortal para pôr o pé naquele espaço mui nobre.
Justificam-se que com quatro mil visitantes por dia não têm a tranquilidade que uma livrara comum devia ter...  
E será que agora deixarão tirar fotografias? A última vez que lá estive nem sequer isso deixaram... e eu como amante de livros, gostaria de me ter sentido em casa, como é normal numa livraria....
E confesso que nem todas as vezes que entro numa livraria é para comprar livros. Gosto de entrar porque gosto de sentir o seu cheiro, de folhear os livros, de ver as novidades, de ver os blocos de notas, marcadores e afins.  
Entendo que ter quatro mil visitantes por dia, muitos deles sem comprar nada, é frustrante, mas não será também um orgulho?

Podem ver a notícia aqui
terça-feira, 14 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora publica novo livro de Terry Goodkind

Título: A Pedra das Lágrimas – Parte II
Autor: Terry Goodkind
Tradução: Ângelo dos Santos Pereira
Págs.: 432
PVP: 17,70 €


Dois meses depois da primeira, a Porto Editora publica, a 16 de julho, a segunda parte de A Pedra das Lágrimas, de Terry Goodkind.
A Pedra das Lágrimas é a sequela de A Primeira Regra dos Feiticeiros, livro publicado pela primeira vez em 1994 e que dá início à saga A Espada da Verdade, que surpreendeu pela sua originalidade e marcou o género da literatura de fantasia. Atualmente, está publicada em mais de 20 países, vendeu mais de 26 milhões de exemplares e já foi adaptada para uma série de televisão, Legend of the Seeker.

Sinopse:
Os caminhos de Richard e Kahlan separaram-se: forçado a submeter--se aos desejos da Madre Confessora, o portador da Espada da Verdade encaminha-se para o Palácio dos Profetas, em Tanimura, a fim de aprender a controlar o seu dom, antes que este o mate. Por outro lado, a última das Confessoras, enredada numa trama de mentiras piedosas cujo único objetivo é salvar a vida do homem que ama, dirige-se para a Fortaleza dos Feiticeiros, em Aydindril, onde espera encontrar Zedd e, juntos, ajudarem Richard a cumprir o seu destino.
Todavia, num mundo em que a magia é, simultaneamente, uma bênção e uma maldição, e em que qualquer um pode ser um agente do Guardião disfarçado, distinguir aliados de inimigos revela-se uma tarefa hercúlea. Através dos seus próprios erros, o seeker e a Madre Confessora vão descobrir, da forma mais dolorosa, que a maior das bondades e a melhor das intenções podem constituir um caminho insidioso para a destruição.


Novidades Gradiva a partir de 22 de julho

Título: Janela do Futuro # Portugal 2016
Autor: Paulo Morais
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 448
N.º de Páginas:  132 
PVP: €10,00


Os Portugueses andam a sobreviver na Barca do Inferno. O autor argumenta que a culpa não é do território, nem das pessoas, mas da falta de estratégia e do modelo de gestão que, num país, dá pelo nome de política. Paulo de Morais, candidato à PR, apresenta um retrato de Portugal com enorme frontalidade:

«O regime constitucional está agonizante: a AR, sede da democracia, abastardou-se, os governantes mentem todos os dias, o povo tem sede duma justiça que nunca chega.» Claro e corajoso, um livro que interessará a todos, seja qual for a posição assumida.

Título: Submarinos.pt - Guia para os perplexos de todas as convicções
Autor: José Magalhães
Género: «Fora de Colecção», n.º 447
N.º de Páginas: 280 
PVP: €14,00

No «caso dos submarinos», o passado trouxe muito ruído e escassa informação. Este livro ajuda a perceber o que aconteceu, revelando factos e textos que os cidadãos foram impedidos de conhecer, pelo sistemático uso do segredo ou pela eliminação cirúrgica de documentos comprometedores. No âmbito de uma comissão de inquérito parlamentar, o autor conheceu de perto os expedientes usados pelos interessados na ocultação da verdade. E traz à luz do dia o que estava submerso.

Título: O Nosso Homem no Estoril
Autor: A. Travers
Coleção: «Entre Crimes», n.º 2
N.º de Páginas: 176 
PVP: €13,50

A 20 de Julho de 1936 despenhou-se uma avioneta na Quinta da Marinha. Seguia nela José Sanjurjo, o general que ia dirigir o «levantamento nacional» contra o governo republicano de Madrid. Acidente ou sabotagem? O inspector Miguel Neves é pressionado pela PVDE e recebe instruções para seguir uma «pista comunista»... Um thriller político surpreendente que revela o que a história nunca contou!~

Título: Cosmicomix - A descoberta do Big BangAutor: Amedeo Balbi e Rossano Piccioni
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 446
N.º de páginas: 152 
PVP: €14,90

1964. Arno Penzias e Robert Wilson, radioastrónomos, captam um zumbido de fundo misterioso. Começa assim uma investigação que culminará numa das descobertas maiores da humanidade. Trata-se da resposta à pergunta que a humanidade se colocara desde as suas origens: como e quando nasceu o Universo? Depois do êxito de Logicomix, a Gradiva publica uma história da descoberta do Big Bang, provando que a ciência pode servir-se dos quadradinhos para chegar a um espectro mais largo de leitores. Com um rigor e uma expressividade admiráveis.


Novidade Esfera dos Livros: Saiba o que acontece "Quando os Animais vão ao Médico"

A veterinária Célia Palma conta-nos neste livro histórias recheadas de humor, emoções, alegrias, tristezas. A veterinária de animais de companhia, sobretudo de cães e gatos, mas também de hamsters, coelhos, porquinhos da Índia, papagaios, canários, tartarugas, ovelhas, furões e até ratazanas e raposas, conta-nos inúmeras histórias e experiências que vive no seu consultório. 

Sou veterinária de animais de companhia, sobretudo de cães e gatos. Mas a porta está aberta para todos os outros. Hamsters, coelhos, porquinhos da Índia, papagaios, canários, tartarugas, ovelhas, furões, ratazanas e até raposas passam pelo meu consultório. E vêm sempre acompanhados dos respetivos tutores. Ambos, mascote e seu amigo humano, preenchem a minha vida, fazem-me rir, chorar e acreditar que o meu pequeno contributo poderá, de alguma forma, mudar o mundo para melhor… O meu dia é pleno de experiências gratificantes, quando consigo salvar animais, apaziguar o seu sofrimento e contribuir para os manter saudáveis. E quando isto acontece sinto-me imensamente feliz. Mas também me deparo com histórias insólitas, simplesmente divertidas ou hilariantes, que aliviam a tensão inerente a uma profissão naturalmente desgastante:

. Uma operação a um furão que infestou o consultório, durante dias, com um cheiro pestilento.

. Uma cadela supostamente em trabalho de parto e que acabou por «dar à luz» apenas gases.

. O estranho pedido do dono de uma cadela que, depois de eu destartarizar a sua mascote, me pediu para lhe fazer o mesmo.

. Uma pergunta chocante, colocada depois de tratar durante imenso tempo uma ferida grave na perna de uma ovelha: «Agora, quanto tempo é que tenho de esperar até a carne poder ser consumida? É que a Páscoa está a chegar e tinha pensado vendê la para o talho!»

. Uma ratazana atropelada, transportada numa caixa de sapatos.
Estas são algumas das histórias que a veterinária Célia Palma nos conta neste livro recheado de humor, emoções, alegrias, tristezas e que nos apresenta o mundo dos animais e seus tutores, na sua verdadeira essência.

Sobre a autora:
Célia Palma nasceu a 27 de junho de 1968, em Setúbal, cidade onde passou toda a infância e adolescência. Desde muito cedo sentiu uma forte empatia por todos os animais, tomando precocemente a decisão de ser veterinária. Durante o Ensino Secundário, destacou-se na área da escrita criativa, recebendo alguns prémios literários. Terminou o curso de Medicina Veterinária, na Universidade Técnica de Lisboa, em 1993, iniciando de imediato a sua carreira profissional. Trabalha, desde 1994, na Liga Portuguesa dos Direitos do Animal, na área da medicina e cirurgia de animais de companhia. É casada com um colega de profissão, mãe de duas filhas, de 16 e 6 anos. Atualmente é tutora de 4 gatos, 1 cão, 1 cabra anã e 3 tartarugas, mas no passado, porquinhos da India, coelhos e até um bode fizeram parte do seu agregado familiar.






O Livro dos Seres Imaginários, de Jorge Luis Borges, nas livrarias a 17 de julho

Título: O Livro dos Seres Imaginários
Autor: Jorge Luis Borges
Género: Literatura
Tradução: Crstina Rodriguez e Artur Guerra
N.º de páginas: 232
Data de lançamento: 17 de julho
PVP: 14,40€

Centauros, dragões, esfinges, gnomos, fadas, lémures, ninfas, quimeras, sereias, valquírias: um repositório fantástico de seres criados pela imaginação humana.
Produto de uma vasta cultura e da assombrosa erudição de Jorge Luis Borges, este livro peculiar é uma espécie de bestiário moderno em que se reúne uma grande parte de «os estranhos seres que, ao longo dos tempos, foram engendrados pela fantasia dos homens».
Provenientes de fontes muito diversas, cuja linguagem é transformada e enriquecida pelo inimitável estilo do mestre argentino, nestas páginas desfilam criaturas iluminadas pelas mitologias e doutrinas que deram forma – ao longo dos séculos – aos sonhos, desejos e medos dos homens, bem como as que foram criadas por autores como Kafka, Lewis Carroll, Wells ou Flaubert.

Sobre o autor:
Jorge Luis Borges nasceu em Buenos Aires, em 1899. Vivou alguns anos com a família na Europa. Regressou a Buenos Aires em 1921 e, em 1923, publica o seu primeiro livro.
A par da poesia, Borges escreveu ficção, género que praticou com grande originalidade e lucidez. A sua obra é como um mise en abîme de uma enorme biblioteca, uma construção fantástica e metafísica que cruza todos os saberes, e a súmula dos grandes temas universais: o tempo, o «eu e o outro», Deus, o infinito, o sonho.
Borges dirigiu a Biblioteca Nacional de Buenos Aires, entre 1955 e 1973. Morreu em Genebra em junho de 1986.



segunda-feira, 13 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

As minhas capas de livros



A minha última capa de livro suscitou tanto interesse que decidi fazer um post sobre uma das minhas paixões. Não tenho muitas, é certo, mas as que tenho gosto muito delas e são escolhidas criteriosamente.
O que é certo é que têm feito sucesso no facebook e sempre que coloco fotografia delas há sempre bastante gente a perguntar onde as compro. Por isso mesmo, aqui vou colocar alguns links de locais na internet ou no facebook que comercializam as capas de livros (alguns dos quais onde comprei as minhas) para poderem também comprar as vossas.


Esta capa de livro com padrão de azulejos portugueses comprei-a na área de serviço de Pombal quando regressava de férias. Foi a que mais sucesso fez e foi a última aquisição. É da marca Portugifts e podem vem mais sobre a marca aqui


Da última para a primeira. Esta capa de livro com asas, muito prática porque se anda com o livro como se de uma malinha se tratasse foi a minha primeira capa. Foi comprada na Barbarecos. Podem ver mais sobre a marca aqui




 Gostei tanto do conceito da capa com asas e com o fecho para guardar notas ou marcadores, que não resisti e fiz uma segunda encomenda à Barbarecos num padrão diferente. Esta mais colorida.




Esta capa, a lembrar uma ovelhinha e ótima para o inverno, foi oferta do meu marido e é da marca Dub. Adapta-se muito bem aos livros e é linda! Podem saber mais sobre a marca aqui e aqui.
Algumas Fnac's também vendem algumas capas da marca.


 Logo que vi esta capa não consegui resistir. Uma capa a fazer lembrar notícias de jornais para uma jornalista não podia ser mais indicada. Teve que vir cá para casa. Foi feita pela Artes Minhas e é perfeitinha. Adoro. Podem ver mais sobre a marca aqui

Esta capa comprei-a na Fnac e achei-a maravilhosa. Primeiro porque tem o Pessoa, depois porque adoro esta tonalidade de verda da relva e depois porque é impermeável. Da marca Princess Pea. Mais informações aqui


Outras capas de livros no facebook
Pelo facebook proliferam pessoas que fazem capas de livros lindíssimas. Ainda não tive oportunidade de comprar (o dinheiro não dá para tudo), mas que tenho muito curiosidade pelo seu trabalho. Eis algumas páginas a visitar:
https://www.facebook.com/genycartes
https://www.facebook.com/artidar.pt (na artidar comprei um marcador de livros, que é fantástico)
https://www.facebook.com/pages/Pontos-com-arte/926683697344867
https://www.facebook.com/pages/Capas-para-Livros/135813049940832


A 16 de julho, a Porto Editora publica dois livros para colorir, O Jardim do Tempo e A Câmara do Tempo de Daria Song

Título: O Jardim do Tempo e A Câmara do Tempo
Autor: Daria Song
Págs.: 88
PVP: 9,90 €


A 16 de julho, a Porto Editora publica dois livros para colorir, O Jardim do Tempo e A Câmara do Tempo, da autoria da artista sul-coreana Daria Song. Bestsellers internacionais, estes títulos destacam-se não só pela qualidade dos seus desenhos, mas também pela história que contam.

Em O Jardim do Tempo, assistimos à aventura de uma menina curiosa que decide explorar um mundo de fadas que está escondido dentro de um misterioso relógio de cuco. A Câmara do Tempo vem dar continuidade a essa história de fantasia, trazendo novos cenários por descobrir. Através dos seus desenhos primorosos, a artista Daria Song abre portas a um lugar fantástico que vai inspirar a criatividade de leitores-artistas de todas as idades e evocar a imaginação da infância.

Sobre a autora:
Daria Song é uma autora e artista sul-coreana. Formada em Artes da Fibra pela Universidade Feminina de Ewha, na Coreia do Sul, a sua obra tem marcado presença em galerias e museus não só do seu país mas também de Singapura, Turquia ou Hong Kong. Inspirada pelos cinco anos da sua infância passados em São Francisco, nos Estados Unidos, e pelo sentido de maravilha e mistério que surge quando se habita um espaço desconhecido, lançou em 2014 o seu primeiro livro para colorir, O Jardim do Tempo. Professora na Escola de Artes e Design de Kaywon, Daria Song organiza também workshops em academias artísticas prestigiadas, abrindo-as a artistas amadores.


Novidade Bertrand: Entre Irmãs de Kristin Hannah

Título: Entre Irmãs
Autor: Kristin Hannah
Género: Romance
Tradução: Ana Maria Pinto da Silva
N.º de páginas: 440
Data de publicação: 10 de julho
PVP: 16,60 €

Uma história sobre a força dos laços de sangue.
Há anos, Meghann Dontess fez uma escolha terrível que lhe custou tudo, incluindo o amor da irmã, Claire. Agora Meghann é uma advogada de sucesso que não acredita no amor… até encontrar o único homem que a pode fazer mudar de ideias.
Claire Cavenaugh apaixonou-se pela primeira vez na vida. À medida que a data do casamento se aproxima, ela prepara-se para enfrentar a obstinada irmã. Reencontram-se depois de mais de duas décadas afastadas e estas duas mulheres que parecem não ter nada em comum vão tentar finalmente ser uma família.
Um livro terno e comovente, que explora as alegrias e tristezas partilhadas pelas irmãs, os erros cometidos em nome do amor e a promessa de salvação.

«Histórias formidáveis de pessoas nas encruzilhadas da vida… são verdadeiras lições contadas na primeira pessoa, condimentadas com verdade, humor e coragem. Vão adorar os seus livros. Kristin Hannah é uma voz muito forte na ficção feminina.» Booklist
«Hannah é magistral na construção dos protagonistas, no delinear do seu perfil psicológico e no esboço de todas as nuances de sentimentos que os habitam.» Washington Post

Sobre a autora:
É autora de inúmeros sucessos de vendas do New York Times. Nasceu em 1960 no sul da Califórnia, cresceu a brincar na praia e a fazer surf. Aos oito anos, a família mudou-se para o estado de Washington. Trabalhou em publicidade, licenciou-se em Direito e exerceu advocacia em Seattle. Quando a gravidez a obrigou a ficar de cama durante vários meses, Kristin retomou alguns textos antigos que tinha escrito em parceria com a falecida mãe, que sempre dissera que ela seria escritora. O marido encorajou-a e, assim que o filho nasceu, Kristin abandonou a anterior atividade profissional e dedicou-se à escrita a tempo inteiro. O primeiro êxito surgiu em 1990 e desde então que a sua profissão é escrever.
Já publicou 19 romances e ganhou prestigiados prémios como um Rita Award, em 2004, e o National Reader’s Choice. A sua obra está traduzida em várias línguas. Vive com o marido e o filho na costa noroeste dos Estados Unidos.
http://kristinhannah.com/