sábado, 15 de agosto de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Wook dá 5€


quinta-feira, 13 de agosto de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Ondas de Calor - Richard Castle [Opinião]

Título: Ondas de Calor
Tradução:
Dina Antunes
N.º de páginas: 280
PVP: 15,00 €

Sinopse:
A história não podia ser mais escaldante. Ou não fosse ela protagonizada pela sensual e decidida Nikki Heat, personagem inspirada em Kate. No meio de uma vaga de calor, a detetive tem um duplo desafio pela frente: desenredar o nó que lhe permitirá desvendar os segredos dos mais poderosos e decidir o que fazer perante a faísca escaldante que surgiu entre ela e Rook, o jornalista presunçoso e bem-parecido com a mania de que é polícia, que a acompanha nesta investigação. Será que esta dupla inusitada vai ser eficaz?

A minha opinião:
Tal como gosto de livros policiais também sigo as séries que passam no AXN e Fox. Como tal já conheço há bastante tempo a série que tem como protagonistas Richard Castle e a detective Kate Beckett.

Para quem segue a série sabe que Castle é uma escritor de livros policiais famoso que se "infiltra" na polícia de Nova Iorque, assim que um assassino decide copiar as mortes descritas nos seus livros. Castle acaba por ser um elemento fundamental na equipa de Beckett ajudando-a na resolução dos crimes.

Ondas de Calor coloca o livro da própria personagem, Castle, como real, surgindo a Nikki Heat, o alter ego de Kate Beckett como personagem principal. Já Castle aparece como um  jornalista famoso, Rook.


A relação entre ambas as personagens é muito parecida com a série de televisão, embora a atração de ambos evolua muito mais depressa do que na série.

Neste primeiro livro da série Heat tem um grande desafio pela frente: resolver o assassinato de um empresário de construção civil que cai de um sexto andar do prédio onde vive.

Sem ser uma obra-prima este é um livro leve, que se lê bem e numa tarde de sol. Para os amantes da série, recomendo.






Segredos Obscuros - Hans Rosenfeldt & Michael Hjorth [Opinião]

Título: Segredos Obscuros
Autor: Hans Rosenfeldt & Michael Hjorth
Edição/reimpressão:2015
Páginas: 544
Editor: Suma de Letras
PVP: 19,90€

Sinopse:
Sebastian Bergman é um homem à deriva.
Psicólogo de formação, trabalhava como profiler para a polícia e era um dos grandes especialistas do país em serial killers. Perdeu tudo quando o tsunami no continente indiano lhe levou a mulher e a filha.
Tudo muda com uma chamada para a polícia.
Um rapaz de dezasseis anos, Roger Eriksson, desapareceu na cidade de Västerås. Organiza-se uma busca e um grupo de jovens escuteiros faz uma descoberta macabra no meio de um pântano: Roger está morto e falta-lhe o coração.
É o momento de Sebastian se confrontar com um mundo que conhece demasiado bem.
O Departamento de Investigação Criminal pede ajuda a Sebastian. Os modos bruscos e revoltados de Sebastian não impedem a investigação de avançar. E as descobertas sobre a escola que Roger frequentava são aterradoras.

A minha opinião:
Quando cheguei a casa de férias e me deparei com as fotografias que a Suma de Letras me enviou acerca daquilo que seria o lançamento de um livro fiquei muito curiosa. Mais tarde viria a receber o livro que só agora tive oportunidade de ler: Segredos Obscuros, um policial escrito por mais uma dupla nórdica que tem tudo para ser um sucesso.

O assassinato de Roger Eriksson vai trazer Sebastian Bergman, um psicólogo que trabalhava como profiler para a polícia, de novo à ribalta. Sebastian, alcoólico em reabilitação depois do tsunami lhe ter tirado a mulher e a filha, tinha sido um autor e conferencista bastante conhecido assim como um profiler de renome, não obstante o seu feitio difícil. Daí não ter sido bem aceite pela equipa de polícias da pequena cidade de origem quando se oferece para ajudar no caso. Porém, o interesse de Sebastian é outro. A ajuda que pretende é para si próprio e não para a descoberta do assassino de Roger...

O facto de o cadáver de Roger ter sido mutilado, faltando-lhe o coração, vai levar a investigação por caminhos obscuros, terminando no colégio que o jovem de 16 anos frequentava. O que a equipa policial vai descobrindo é devastador para a pequena localidade, mostrando-nos, a nós leitores, uma série de personagens intrigantes e desafiadoras.



E quem será o homem que não é o assassino? Esta personagem é-nos apresentada ao longo do livro e parece que sabe mais do que qualquer outra, embora não o possa revelar... será que está a encobrir alguém? Será que sofre de algum distúrbio mental?

E o final? Bem, o final é surpreendente e deixou-me a falar sozinha. E sabem? Adoro quando um livro me deixa a falar sozinha.

Segredos Obscuros tem tudo para ser um excelente livro: uma história intrigante e escrita a um ritmo alucinante, com personagens atípicas, uma morte atroz e um investigador que, apesar de não ser simpático, seduz.
Aguardo ansiosamente o segundo livro da série.







quarta-feira, 12 de agosto de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes
segunda-feira, 10 de agosto de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Um Homem sem Passado - Peter May [Opinião]

Título: Um Homem sem Passado
Autor: Peter May
Tradução: Ana Mendes Lopes
Edição/reimpressão:2015
Páginas: 360
Editor: Marcador
Coleção: Marcador Literatura
PVP: 18,80€

Sinopse:
Fin Macleod está de regresso à ilha que o viu nascer. Deixou a mulher, a vida e a carreira na Polícia de Edimburgo e está determinado a recuperar as suas relações antigas e a restaurar a quinta abandonada dos pais.
Entretanto, um cadáver não identificado é recuperado de um campo na ilha de Lewis. O corpo, perfeitamente preservado, está marcado por hediondos golpes de esfaqueamento. É inicialmente classificado pelos investigadores como o cadáver de um homem que viveu há dois mil anos. Até encontrarem uma tatuagem de Elvis no seu braço direito.
Quando os testes de ADN indicam um parentesco entre o cadáver recuperado da turfa e o pai de Marsaili, a paixão de infância de Fin, este vê o seu regresso assumir contornos mais turbulentos do que aquilo que inicialmente esperava.
Como Fin acabará por descobrir, é uma mentira que Tormod manteve por uma boa razão.

A minha opinião:
Se A Casa Negra, o primeiro livro da trilogia de Peter May, me tinha surpreendido, Um Homem sem Passado superou todas as expectativas.

Depois de se divorciar Fin Macleod decide viver definitivamente na ilha onde nasceu com o intuito de começar uma nova vida. 

"Os nossos pais são as rochas sobre as quais construímos a nossa vida."

Nessa mesma altura aparece um cadáver, onde durante mais de um século ocorreram apenas dois assassinatos, e isso suscita interesse em Fin que, apesar de ter terminado a carreira na Polícia de Edimburgo, carrega em si a sua veia detectivesca e acaba por ajudar a polícia local a descobrir o mistério do cadáver aparecido no paul. A turfeira tinha preservado a pele e os órgãos, o que facilitou a sua identificação. No entanto, ninguém parecia conhecer semelhante criatura.



O maior problema é que a chave para o dilema do jovem cadáver, assassinado há cerca de 50 anos, é um homem, doente de Alzheimer, que vive entre o presente e o passado, não distinguindo bem o que era um ou outro, confundindo o lar onde teve de ir quando os seus pais morreram. 

Toda essa relação entre o passado e o presente é que faz com o Um Homem Sem Passado seja um livro altamente viciante e envolvente. Neste segundo livro da trilogia conhecemos melhor Fin e as personagens que o rodeiam, deixando um pouco o lado mais obscuro pela qual foram retratadas no primeiro livro. 
Aguardo ansiosamente que a Marcador publique o último livro da trilogia.


Primeiro livro da trilogia: 
A minha opinião aqui