sábado, 12 de setembro de 2015

A Caminho acaba de enviar para impressão o romance Mulheres de Cinza, o novo livro de Mia Couto

Este romance – Mulheres de Cinza - é o primeiro livro de uma trilogia, “As Areias do Imperador”, sobre os derradeiros dias do chamado Estado de Gaza, o segundo maior império em África dirigido por um africano. Ngungunyane (ou Gungunhane como ficou conhecido pelos portugueses) foi o último dos imperadores que governou toda a metade Sul do território de Moçambique. Derrotado em 1895 pelas forças portuguesas comandadas por Mouzinho de Albuquerque, o imperador Ngungunyane foi deportado para os Açores onde veio a morrer em 1906. Os seus restos mortais terão sido trasladados para Moçambique em 1985.

Existem, no entanto, versões que sugerem que não foram as ossadas do imperador que voltaram dentro da urna. Foram torrões de areia. Do grande adversário de Portugal restam areias recolhidas em solo português.

A editora prevê publicar em 2016 e 2017 os dois restantes romances desta trilogia. O livro Mulheres de Cinzachega às livrarias no dia 17 de outubro.


Volfrâmio, de Aquilino Ribeiro, com prefácio de Baptista-Bastos, nas livrarias a 18 de setembro

Título: Volfrâmio
Autor: Aquilino Ribeiro
Prefácio: Baptista-Bastos
Género: Romance
N.º de páginas: 312
Data de lançamento: 18 de setembro
PVP: 16,60€

Romance de 1943, Volfrâmio é a imagem do Portugal rural profundo que de um momento para o outro, com a Segunda Guerra Mundial, vê o volfrâmio das terras de paupérrimos recursos valorizado, permitindo que o dinheiro comece a jorrar a ritmos nunca previstos nas aldeias do interior do território.
A obra, escrita por um homem com uma verve inigualável nas letras lusófonas, faz a descrição minuciosa do ridículo desse período fugaz de abastança no «Portugal dos tamancos», e os gastos em festas, verdadeiras loas ao bacoquismo, em carros que as pessoas nem faziam ideia sequer como trabalhavam, mas que punham na loja, a par do burro ou da junta de bois, não longe do porco para a matança, no jogo, artefactos de joalharia, nalguns casos pagos como tal e mais não eram que pechisbeque, roupas caras e meretrizes, mandadas vir de Espanha para volúpias pouco coincidentes com os códigos sexuais restritos da moral católica.

«Aquilino possuía, como nenhum outro, a sabedoria da língua e dos segredos gramaticais e estilísticos: metáforas, sinédoques, parábolas, fábulas, analogias, um arsenal de conhecimentos que aplicava nos livros com alegre desenvoltura.» Do Prefácio de Baptista-Bastos

Sobre o autor:
Aquilino Ribeiro nasceu na Beira Alta, em 1885 e morreu em Lisboa em 1963. Deixou uma vasta obra em que cultivou todos os géneros literários, partilhando com Fernando Pessoa, nas palavras de Óscar Lopes, lugar cimeiro nas Letras Portuguesas. Sócio de número da Academia das Ciências, foi reintegrado após o 25 de Abril, a título póstumo, na Biblioteca Nacional, condecorado com a Ordem da Liberdade e homenageado aquando do seu centenário pelo Ministério da Cultura. Em Setembro de 2007, por votação unânime da Assembleia da República, o seu corpo foi depositado no Panteão Nacional.


Porto Editora: João Pedro Marques publica "Do Outro Lado do Mar", uma viagem por Angola, Brasil e Portugal

Título: Do Outro Lado do Mar
Autor: João Pedro Marques
Págs.: 368
Capa: Mole com badanas
PVP: 16,60 €

A 21 de setembro, a Porto Editora publica Do Outro Lado do Mar, um novo romance de João Pedro Marques, que nos leva numa viagem impiedosa, de África ao Brasil. Tendo como pano de fundo a escravatura na primeira metade do século XIX, João Pedro Marques faz um retrato duro deste universo, tema em que baseou grande parte da sua carreira de investigador, acrescentando-lhe uma dose de histórias de intriga, vingança e romance. Este é o quarto romance de João Pedro Marques e todos eles têm sido bem recebidos pela crítica, que enaltece os seus ambientes hipnóticos, as suas personagens cativantes, o rigor factual e, naturalmente, a trama que une toda a história. Os Dias da Febre, o seu primeiro livro, vai inclusivamente ter uma nova edição, pela chancela 11x17, que é lançada a 2 de outubro.
A sessão de lançamento deste livro está agendada para dia 7 de outubro, às 18:30, no El Corte Inglés de Lisboa, e a apresentação estará a cargo de Adriano Moreira.

Sobre o livro:
Tudo começa na Primavera de 1833. Profundamente abalado por um desgosto de amor, o doutor Vasco Lacerda decide abandonar Lisboa para tentar curar o coração ao sol de uma nova vida, nos trópicos. Contudo, no decurso da sua viagem, vê-se arrastado, contra vontade, para o mundo da escravatura e toma contacto direto com realidades de que já ouvira falar, mas que nunca tinha sentido e percebido na sua verdadeira natureza. E trava, também, conhecimento com a gente que, para o melhor e o pior, povoa esse bárbaro mundo.
Do Outro Lado do Mar leva-nos numa viagem emocionante por esse universo, dos sertões de Angola às fazendas do Brasil, do ventre do navio negreiro à fábrica de açúcar, e mostra-nos como mesmo nos sítios mais improváveis e nas situações mais extremas podem nascer e crescer a solidariedade, a abnegação e fortíssimas relações de amor.

Sobre o autor:
João Pedro Marques nasceu em Lisboa, em 1949. Foi professor do ensino secundário e, depois, durante mais de duas décadas, investigador do Instituto de Investigação Científica Tropical e Presidente do Conselho Científico desse Instituto, em 2007-2008. Doutorado em História pela Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou durante a década de 1990, é autor de dezenas de artigos sobre temas de história colonial, e de vários livros, dois dos quais publicados em Nova Iorque e Oxford (The Sounds of Silence, 2006; e, em co-autoria, Who Abolished Slavery? A debate with João Pedro Marques, 2010).
Em 2010 a Porto Editora publicou o seu primeiro romance, Os Dias da Febre, ao qual se seguiu, em 2012, Uma Fazenda em África (que, com várias edições, constituiu um dos grandes sucessos do ano) e, já em 2014, O Estranho Caso de Sebastião Moncada.



Leya participa no Assalto a Lisboa

Em parceria com a Rede Municipal de Bibliotecas de Lisboa, a LEYA disponibiliza duas bicicletas com livros, na 3.ª edição do projecto Assalto a Lisboa: por palavras, imagens e sons, até domingo (13 de setembro), no Jardim da Estrela. Por entre sussurros, histórias e animações, a leitura será tecida, pintada e recriada de muitas e diversas formas.

As bicicletas e promotores da “Leya Sobre Rodas”, devidamente identificados, irão circular no Jardim da Estrela, possibilitando o empréstimo de livros para leitura ou, caso o leitor preferir, a compra do livro seleccionado.

Com o objectivo de dar continuidade à promoção da leitura e das literacias na cidade de Lisboa, a Rede de Bibliotecas de Lisboa, apresenta um programa com diversas oficinas de promoção da leitura, envolvendo prestigiados mediadores culturais da cidade, serviços educativos de diversos equipamentos culturais, entre outros parceiros públicos e privado. Saiba mais em Bibliotecas Municipais de Lisboa.

O convite é dirigido a bebés, crianças, adolescentes e adultos rebeldes, em família ou com amigos, para participar gratuitamente nas vários actividades.

Horários:
12 Set, sábado: 10h-20h

13 Set, domingo: 10h-19h

Problemas no Paraíso, de Slavoj Žižek, nas livrarias a 18 de setembro


Título: Problemas no Paraíso – O Comunismo Depois do Fim da História
Autor: Slavoj Žižek
Género: Ciências Sociais e Humanas / Filosofia
Tradução: C. Santos
N.º de páginas: 312
Data de lançamento: 18 de setembro
PVP: 17,70€

«O filósofo mais perigoso do Ocidente.» New Republic

Apesar de vivermos num mundo em crise constante, continuamos a acreditar que o capitalismo ainda representa o melhor de todos os mundos possíveis. As alternativas, tais como maior igualdade, democracia e solidariedade, parecem, por sua vez, pesadas e aborrecidas, se não mesmo totalmente perigosas: seguir um tal caminho só nos pode levar a uma sociedade cinzenta e excessivamente regulada.
No entanto, para Žižek, isso não poderia estar mais longe da verdade. Se queremos realmente imaginar um caminho melhor, teremos de compreender que o capitalismo nos oferece o pior dos futuros – continuando a oferecer mais do mesmo sob a aparência de mudanças constantes – e que a luta pela emancipação é, por oposição, a mais ousada das demandas. Expondo os mecanismos do sistema capitalista, recorrendo a videoclipes e a Batman, Marx ou Lacan, Problemas no Paraíso estabelece os traços marcantes do futuro que nos espera e explora as possibilidades existentes – e armadilhas – das novas batalhas emancipatórias. Os nossos novos heróis, explica Žižek, deverão ser Julian Assange, Chelsea Manning e Edward Snowden. Mas seremos nós capazes de seguir os seus exemplos e escapar aos nossos constrangimentos ideológicos? Se não queremos viver num mundo habitado por zombies e vampiros, é exatamente isso que temos de fazer.

Sobre o autor:
Slavoj Žižek é um filósofo hegeliano, um psicanalista lacaniano e um ativista político, autor de inúmeros livros sobre o materialismo dialético e crítica da ideologia e arte. É o diretor internacional do Instituto de Humanidades de Birbeck, na Universidade de Londres, trabalhando atualmente como investigado sénior no Instituto de Sociologia e Filosofia da Universidade de Liubliana e como professor de Alemão na Universidade de Nova Iorque.


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Quase, quase a chegar


Despenteando Parágrafos, de Onésimo Teotónio Almeida, nas livrarias a 18 de setembro


Título: Despenteando Parágrafos
Autor: Onésimo Teotónio Almeida
Género: Ensaio
N.º de páginas: 392
Data de lançamento: 18 de setembro
PVP: 18,80€

Observação bem-humorada e provocadora da realidade cultural portuguesa.

Onésimo Teotónio Almeida, ou apenas Onésimo, é tão conhecido pelo seu nome invulgar, como pela erudição temperada com um sentido de humor raramente encontrado nos círculos académicos. Neste conjunto de polémicas suaves, o leitor desprevenido poderá ter alguma dificuldade em acompanhar o andamento intelectual do professor Onésimo, mas com a certeza de que o estilo, a graça e o rigor são abundantemente servidos em doses equilibradas.

Comentários e reflexões suscitados pelas polémicas de Camilo, o humor de Eça, o determinismo geográfico de Miguel Torga, a pobre tradição filosófica portuguesa ou a América vista por Natália Correia, surgem neste livro que desrespeita o velho hábito português de se discutir pessoas em vez de ideias.

«O que falta, todavia, no nosso prato da balança, quando nos comparamos com outras tradições culturais, é o debate de ideias desinibido e centrado sobretudo na argumentação e no avanço do entendimento das questões em causa, que a nossa tradicional tendência fácil para resvalar na polémica agressiva e insultuosa não tem deixado florescer. Ficamos assim culturalmente limitados nessa nossa quase incapacidade de manter, por escrito e em público, um diálogo civilizado sobre questões, quer de fundo, quer de relativo interesse teórico ou prático, na literatura, na filosofia, na política e em tantas outras áreas.»

Sobre o autor:
Onésimo Teotónio Almeida (São Miguel, Açores, 1946) estudou no Seminário de Angra do Heroísmo e na Universidade Católica de Lisboa. Desde 1972 nos Estados Unidos, fez mestrado e doutoramento em Filosofia na Universidade Brown, onde é catedrático no Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros (foi director durante doze anos) e no Wayland Collegium for Liberal Learning Renaissance and Early Modern Studies, leccionando cursos interdisciplinares sobre valores e história cultural e das ideias. Na sua vasta bibliografia há estudos sobre literatura portuguesa e americana, filosofia, emigração e história das ideias. É doutor Honoris Causa pela Universidade de Aveiro. 


Asa publica novo livro de Joanne Harris, O Reino do Fogo

Título: O Reino do Fogo
Autor: 
Joanne Harris
N.º de Páginas: 336
PVP: 17,50€

O Reino do Fogo é uma recriação das lendas que, ao longo dos séculos, têm inspirado a arte, a música e a literatura mundiais.

Em segredo, prepara-se a batalha que alterará o destino dos Mundos. Deuses e deusas, gigantes, anões e demónios, unem-se numa narrativa poderosa pela mão de Joanne Harris, conhecedora profunda da mitologia nórdica.

UMA VIAGEM AO CORAÇÃO DAS LENDAS NÓRDICAS. Na Cidadela do Céu, longe dos hostis povos do Gelo e das Rochas, os deuses conspiram, sussurram na penumbra, dedicam-se a jogos de poder, cedem às suas paixões.

Loki é um deus nórdico sem par. Desde que o deus Odin, o Pai de Todos, o convenceu a abandonar o reino do Caos para se lhe juntar, Loki é alvo da desconfiança de todos. Perspicaz e melífluo como nenhum outro, desfruta dos favores das deusas mais ousadas e cede à luxúria sem quaisquer escrúpulos. É usado para pôr em prática as mais complexas maquinações mas, por ter nascido como demónio, é mantido à margem das esferas de influência. Contra tudo e todos, Loki está determinado a vingar. Mas ao mesmo tempo que ele planeia a derradeira humilhação dos seus adversários, forças mais poderosas conspiram contra os deuses.

Sobre o autor:
Joanne Harris nasceu no Yorkshire, de mãe francesa e pai inglês. Estudou Línguas Modernas e Medievais em Cambridge e foi professora durante quinze anos. A sua obra está atualmente publicada em quarenta países e foi galardoada com inúmeros prémios literários internacionais. Todos os seus livros integram o catálogo da ASA. Joanne Harris vive com o marido, Kevin, e a filha, Anouchka, a cerca de vinte quilómetros do sítio onde nasceu.


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Edição Especial de Pré-Lançamento: Sveva Casati Modignani - A Vinha do Anjo

Hoje a tarde foi de surpresa. O carteiro trouxe uma caixa da Porto Editora com uma Edição Especial de Pré-Lançamento: Sveva Casati Modignani - A Vinha do Anjo. Claro que esta será a minha leitura de momento, uma vez que adoro a escrita da autora italiana.
Obrigada Porto Editora pela surpresa e pelo miminho.

Porto Editora publica duas novas edições na obra de Mário de Carvalho

No dia 10 de setembro chega às livrarias O Homem que Engoliu a Lua, assinado por Mário de Carvalho e com ilustrações de Pierre Pratt. Este livro infantojuvenil de Mário de Carvalho é baseado num dos contos do clássico Casos do Beco das Sardinheiras, já publicado pela Porto Editora, mas adaptado às características do público mais jovem.
Ainda em setembro, mas dia 17, a Porto Editora lança uma nova edição de A Paixão do Conde de Fróis, o primeiro romance histórico de Mário de Carvalho, publicado pela primeira vez em 1986 e vencedor do Prémio Dom Diniz, um livro que nos remete para Guerra Fantástica, nome pelo qual ficou conhecida a participação portuguesa na Guerra dos Sete Anos.

Título: O Homem que Engoliu a Lua
Autor: Mário de Carvalho
Ilustração: Pierre Pratt
Págs.: 32
PVP: 10,90 €
No Beco das Sardinheiras tudo pode acontecer. O que está em cima é igual ao que está em baixo, o que é estreito pode ser largo, o que é pequeno é grande também. É uma alegria permanente – olhem os desenhos de Pierre Pratt – de uma rua em festa que entende que nunca, mas nunca, se deve confundir género humano com Manuel Germano.

Título: A Paixão do Conde de Fróis
Autor: Mário de Carvalho
Págs.: 216
PVP: 14,40 €
Século XVIII. Reina D. José, governa o Marquês de Pombal. O irrequieto conde de Fróis é desterrado para a longínqua praça de S. Gens. Declara-se a guerra entre Portugal e os exércitos coligados de Espanha e França. O jovem conde tudo fará para defender a insignificante fortaleza, indo muito para além do que lhe é exigível. Instala-se uma guerra de cerco feroz e movimentada, com grande aparato e violência. Mas a vontade popular é fátua e inconstante. E até os mais próximos e insuspeitos optam pela sua conveniência pessoal. Em todas as muralhas há uma porta da traição.

Sobre o autor: 
Mário de Carvalho nasceu em Lisboa em 1944. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico. Desde então, tem praticado diversos géneros literários, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Nas diversas modalidades de Romance, Conto e Teatro, foram atribuídos a Mário de Carvalho os prémios literários portugueses mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance, Conto e Teatro da APE, o prémio do PEN Clube e o prémio internacional Pégaso). Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas.


Novidade Marcador: Trono de Vidro Sarah J. Maas

Título: Trono de Vidro 
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Marcador 
Nº de Páginas: 400
PVP: 17,50€ 
À venda a partir de 16 de setembro 

Numa terra em que a magia foi banida e em que o rei governa com mão de ferro, uma assassina é chamada ao castelo. Ela vai, não para matar o rei, mas para conquistar a sua própria liberdade. Se derrotar os vinte e três oponentes em competição, será libertada da prisão para servir a Coroa. O seu nome é Celaena Sardothien.

Durante a competição, alguns dos concorrentes são encontrados mortos. Celaena irá mergulhar numa investigação solitária que a levará a alcançar descobertas surpreendentes. Conseguirá ela descobrir quem é o assassino antes de se tornar a próxima vitima?

«Sarah J. Maas criou uma heroína notável que não sacrifica a força que a torna real para no final fazer o que é correto.»
USA Today

Sobre a autora:
SARAH J. MAAS está entre os autores de maior sucesso nos tops de vendas do The New York Times e do USA Today com a série Trono de Vidro.

Sarah vive em Bucks County, na Pensilvânia. Ao longo dos anos, desenvolveu uma paixão pouco assolapada por filmes da Disney e por música pop de qualidade duvidável. Adora contos de fadas e ballet, bebe muito chá e vê muita televisão. Quando não está ocupada a escrever, pode ser vista a explorar as belíssimas zonas históricas da Pensilvânia rural na companhia do marido e do seu cão.






Verso da História: Novidades de Setembro

Título: Menino da Mamã
Autor: Álvaro Magalhães
Ilustração: Carlos J. Campos
Temática: Ficção/Humor
Nr. de páginas: 144
PVP: 14.95 euros

Um retrato “politicamente incorreto” de Cristiano Ronaldo e da sua família.
Um livro que mistura humor e futebol, ficção e realidade, para nos contar a história do melhor jogador de futebol da atualidade.
Mourinho, Ferguson, Messi e Irina Shayk são algumas das personalidades cujos segredos na relação com o CR7 são revelados.
Com ilustrações humorísticas de Carlos J. Campos.
Menino da Mamã é um diário ficcionado (ou seja, ainda mais real) da mãe do melhor jogador do mundo. Ela revela-nos na primeira pessoa tudo o que nunca nos tinham dito e nós sempre quisemos saber sobre o melhor jogador do mundo, os seus rivais e as suas namoradas, ao mesmo tempo que lança luz sobre os mistérios mais persistentes do jogo.

Título: O Tibete de África
Autor: Margarida Paredes
Temática: Romance
Nr. de páginas: 136
PVP: 13.95 euros€

Um romance que cruza tempos e territórios: o Portugal asfixiado pelo Estado Novo, antes do 25 de Abril; a; Luanda nos anos 70; Lisboa moderna e sofisticada dos anos 90; e o Ruanda na altura da guerra civil.
A história explosiva de um triângulo amoroso vivido sob a sombra do passado e de um presente de risco, tensão e guerra.
Lisboa, anos 90. Ana Sousa é gestora de topo numa empresa de telecomunicações e está casada com Amândio, um homem mais velho que fugiu de Portugal «a salto» durante a ditadura. Nascida em Angola, Ana regressou a Portugal ainda criança,
na ponte aérea de 1975. Num país pequeno onde os «retornados» eram tratados com desprezo, Ana compreende desde cedo que está por sua conta e risco, e acaba por desenvolver
uma personalidade forte e ambiciosa.
A estabilidade de Ana é posta em causa quando Justino, um engenheiro angolano, integra a sua equipa e quando ela é destacada para liderar o investimento da sua empresa no Ruanda, país de grande beleza natural, conhecido como
«o Tibete de África».
É no Ruanda que Ana e Justino se encontram quando o presidente do país é assassinado e a guerra civil recomeça, dando início a um genocídio. Debaixo de fogo, o presente e o passado confundem-se e os fantasmas da infância de Ana ressurgem
na paixão que sente por Justino.

Título: O Adeus a Angola
Autor: Rogério Amorim
Temática: Romance
Nr. de páginas: 250
Preço: 14.95 euros€

Um relato comovente do amor por África.
Um depoimento perturbador sobre um dos períodos mais marcantes da nossa História – a Descolonização.
O 25 de Abril de 1974 o país mudou. Acabou a Ditadura. Chegou ao fim cinco séculos de Império colonial em África. O Portugal imenso – o que incluía Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe – desfez-se. E, juntamente com o Império, desfizeram-se também os sonhos de milhares de portugueses radicados nas ex-colónias, então forçados a regressar à Metrópole. O caso mais dramático foi o de Angola.
No verão de 1975 o pânico estava instalado entre os colonos. Era preciso fugir rapidamente daquele ambiente de quase guerra civil entre os três movimentos de libertação. Mas, por aqueles dias, sair de Angola, fosse de avião, de barco ou de carro, era uma verdadeira proeza.
Muitos não conseguiram lugar num dos aviões da Ponte Aérea e tentaram a sorte na Ponte Marítima, mas também nos navios e cargueiros estacionados nos portos de Lobito, Moçâmedes e Luanda não havia espaço para todos, nem comida nem condições sanitárias.
Houve, então, os que decidiram fugir por terra, arriscando a vida ao atravessar o rio Cunene e a Costa dos Esqueletos, uma das regiões mais inóspitas do planeta, para chegar a África do Sul. Um percurso de 800 quilómetros, sem estradas ou picadas, feito pela praia ou pelo deserto, sob temperaturas extremas e sem comida. É esta aventura, simultaneamente história de sobrevivência, que nos conta Rogério Amorim.


Viagem Literária chega a Portalegre

A Viagem Literária ruma ao Alentejo para uma paragem no Centro de Artes e Espetáculos de Portalegre, às 17:00 do dia 20 de setembro.

A primeira de três paragens Viagem Literária no Alentejo faz-se no dia 20 de setembro, na cidade de Portalegre, a partir das 17:00. O Centro de Artes e Espetáculos é o palco escolhido para mais uma grande conversa entre dois grandes autores nacionais: Teolinda Gersão e Valter Hugo Mãe.
Na estrada desde abril, a Viagem Literária passou já por cinco distritos, sempre à boleia de grandes escritores. Ao “volante” desta Viagem, o jornalista João Paulo Sacadura conduz as conversas por entre temas da atualidade, as afinidades e diferenças entre os convidados, os seus livros e a literatura. Pelo meio, há ainda espaço para as questões da plateia e, no final, para as já habituais sessões de autógrafos e contacto mais direto com os escritores.
Teolinda Gersão estudou nas universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi leitora de português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada. A partir de 1995 passou a dedicar-se exclusivamente à escrita literária. Viveu três anos na Alemanha, dois anos em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique, onde se passa o romance A árvore das palavras (1997). É autora de 12 livros de ficção, traduzidos em 11 línguas.
Foram-lhe atribuídos os seguintes prémios: por duas vezes o Prémio de Ficção do PEN Clube (O silêncio, 1981, e O cavalo de sol, 1989), o Grande Prémio de Romance e Novela da APE (A casa da cabeça de cavalo, 1995), o Prémio Fernando Namora (Os teclados, 1999), o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco (Histórias de ver e andar, 2002), o Prémio Máxima de Literatura (A mulher que prendeu a chuva e outras histórias, 2008), o Prémio da Fundação Inês de Castro (2008), o Prémio Ciranda e o Prémio da Fundação António Quadros (A Cidade de Ulisses, 2011). Três dos seus livros foram adaptados ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia. Foi escritora-residente na Universidade de Berkley em 2004. O seu romance mais recente é Passagens (Sextante Editora, 2014).
Valter Hugo Mãe é um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. A sua obra está traduzida em várias línguas, merecendo um prestigiado acolhimento em países como o Brasil, a Alemanha, a Espanha, a França ou a Croácia. Publicou seis romances: A desumanização; O filho de mil homens; a máquina de fazer espanhóis (Grande Prémio Portugal Telecom – Melhor Livro do Ano e Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano); o apocalipse dos trabalhadores; o remorso de baltazar serapião (Prémio Literário José Saramago) e o nosso reino.
Escreveu alguns livros para todas as idades, entre os quais: O paraíso são os outros; As mais belas coisas do mundo e O rosto. A sua poesia foi reunida no volume contabilidade, entretanto esgotado.
Até setembro de 2016, esta iniciativa vai percorrer mais 10 capitais de distrito e as duas capitais das Regiões Autónomas, levando os escritores ao encontro dos seus leitores, contribuindo para a descentralização e democratização do acesso à cultura. Em cada cidade estarão à conversa dois escritores, com moderação do jornalista João Paulo Sacadura. Os espaços em que decorrerão as sessões serão, preferencialmente, os teatros municipais, por forma a permitir a participação de centenas de leitores, e os bilhetes serão gratuitos.

Assírio & Alvim - Novos livros de Almada Negreiros e Gastão Cruz

Título: Identificar Almada
Autor: Maria José Almada Negreiros
N.º de Páginas: 144
PVP: 14,40 €

José de Almada Negreiros, falecido há 45 anos, foi uma das grandes figuras do modernismo português e, pela primeira vez, um dos seus familiares, Maria José de Almada Negreiros, nora do artista e escritor, assina uma biografia sua: Identificar Almada, que chega às livrarias a 10 de setembro pela Assírio & Alvim.
Este documento único é uma magnífica viagem pela vida e obra de Almada Negreiros onde somos conduzidos por alguém que o conheceu de perto e teve acesso a material até aqui desconhecido. Como diz Maria José Almada Negreiros, «[…] não estava a fazer uma biografia morosa mas, em contrapartida, apareceu tanta coisa nova que foi como se fosse. Todo aquele vazio de Paris, e a sua vida entre 1920 e 1930, que não eram públicos, são novidades. Novidades — tanto tempo guardadas em caixas de cartão, em prateleiras de armários onde não se mexe».

Sobre a autora:
Nora de Almada Negreiros, Maria José Almada Negreiros conviveu de perto com o Mestre e teve acesso privilegiado ao arquivo familiar. É também a autora do livro Conversas com Sarah Affonso, publicado em 1993 pela editora Dom Quixote e já esgotado.

Título: Almada – Os Painéis, a Geometria e tudo
Autor: Almada Negreiros e António Valdemar
N.º de Páginas: 224
PVP: 15,50 €

A Assírio & Alvim publica, a 10 de setembro, Almada – Os Painéis, a Geometria e tudo, o livro que compila as entrevistas (uma delas inédita até hoje) feitas pelo prestigiado jornalista António Valdemar a Almada Negreiros a respeito da sua obra e, muito concretamente, acerca dos intensos e maravilhosos estudos que este fez sobre os Painéis de São Vicente de Fora.
Conforme diz José Manuel dos Santos, no Prefácio a esta edição, «É preciso que o leitor saiba que, ao escolher este livro, acertou em cheio. Este é um livro que desfaz a nossa falta dele. É um livro que torna próximo, reunido e nítido o que até agora estava distante, disperso e desfocado. É um livro que, 55 anos depois, restitui à voz de Almada o seu som escrito mais sonoro, mais sucinto, mais sucessivo (“alto e bom som”, gostava ele de dizer). É um livro atravessado por uma estrada que passa em todos os lugares onde aquele para quem a arte era um todo e o artista um tudo firmou a sua soberania, a sua sabedoria, o seu saque. É um livro de palavras que procuram uma verdade que não é o contrário de uma mentira, mas o oposto de uma outra verdade. É um livro por onde o tempo corre para acompanhar a sua fuga: garrafa arrebatada ao mar fundo do passado, lança atirada à terra seca do presente, nave apontada ao céu alto do futuro (“Até hoje fui sempre futuro”, Almada). É um livro (documento, depoimento e testemunho) que fala da geometria que fala — que fala da geometria que “assim fala”».

Sobre os autores:
 Almada Negreiros nasceu em São Tomé em 1893, viveu em Portugal e revelou-se como um artista e um escritor polifacetado: artista plástico, poeta, ensaísta, romancista e dramaturgo, associou-se em 1913 ao grupo modernista tendo vindo a formar, com Pessoa e Sá-Carneiro, o grupo da revista Orpheu. Ao nível da prosa literária, deve-se destacar o seu romance Nome de Guerra, também publicado pela Assírio & Alvim. Faleceu em 1970 em Lisboa.
António Valdemar é um reconhecido jornalista e investigador que, ao longo da sua carreira, trabalhou para diversos jornais de referência em Portugal, tendo entrevistado José de Almada Negreiros em diversas ocasiões. Em 2008 foi laureado com a medalha de honra da Sociedade Portuguesa de Autores.

Título: Óxido
Autor: Gastão Cruz
N.º de Páginas: 72
PVP: 11,00 €

A 10 de setembro, a Assírio & Alvim publica Óxido, o mais recente livro de poesia de Gastão Cruz.
Vencedor do prestigiado Prémio PT Literatura 2014, no género poesia, com o livro Observação do Verão seguido de Fogo, e do Prémio P.E.N. Clube 2014 com Fogo (Assírio & Alvim, 2013), Gastão Cruz é autor de uma vasta obra e um dos nossos mais notáveis poetas contemporâneos.

CORDA
Ninguém tem nome: apenas uma escura
corda de sons que prende o corpo e deixa
queimaduras na pele, esse é o preço
de ser nomeado porque o chamamento

de cada vez se torna mais ardente
até ser casa ou roupa ou outra pele
que fere o corpo e finalmente o veste
do nome que é o dele

Sobre o autor:
Gastão Cruz nasceu em 1941 na cidade de Faro e licenciou-se em Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Professor do ensino secundário, exerceu paralelamente, entre 1980 e 1986, a carreira de leitor de Português no King’s College de Londres e dirigiu, durante muitos anos, o grupo de teatro Teatro Hoje / Teatro da Graça, que ajudou a fundar.
Ainda muito jovem, com apenas 19 anos, publica A Morte Percutiva no histórico volume coletivo Poesia 61. Nome central na poesia portuguesa contemporânea, publica assiduamente na Assírio & Alvim e a sua obra tem sido distinguida com diversos prémios, entre eles o Grande Prémio de Poesia da APE, o Prémio Correntes d’Escritas e, mais recentemente, o Prémio PT Literatura 2014 no género poesia.


Novidade Bertrand: J, de Howard Jacobson

Título: J
Autor: Howard Jacobson
Género: Ficção
Tradução: Ana Ribeiro
N.º de páginas: 352
Data de publicação: 25 de setembro
PVP: 17,70 €

Depois de ter ganho o Man Booker Prize em 2010, Howard Jacobson foi finalista da shortlist de 2014 com esta distopia literária.
Passado num lugar onde a memória coletiva desapareceu e o passado é um território perigoso, que não deve ser visitado e de que não se deve falar, J é uma história de amor estranha e inventiva, terna e aterradora.
Kevern não sabe por que razão o seu pai levava dois dedos aos lábios sempre que dizia uma palavra começada por jota. Não era o tempo nem o lugar certos, e continuam a não ser, para se fazer perguntas. Ailinn também cresceu sem saber quem era ou de onde vinha. Quando se conhecem, Kevern sente-se imediatamente atraído por ela e, apesar de desconfiados por natureza, aquilo que os une é de tal forma poderoso que parecem ter sido feitos um para ou outro.
Juntos, formam um refúgio contra a brutalidade corriqueira deixada por uma catástrofe histórica envolta em desconfiança e negação, conhecida simplesmente como AQUILO QUE ACONTECEU, SE É QUE ACONTECEU. À medida que as ações do casal os vão aproximando cada vez mais do perigo, há uma força desconhecida que os quer manter juntos, custe o que custar. Mas a história de amor que os une pode ter consequências devastadoras para a espécie humana.

Sobre o autor:
Howard Jacobson é um escritor britânico de ascendência judaica. Nascido em 1942, estudou em Cambridge.
Em 2010, venceu o Man Booker Prize com A Questão Finkler.
É autor de treze romances e cinco obras de não ficção.


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Lançamento do Livro: Menino da Mamã



Novidade Planeta: Pares Difíceis de Sandra Duarte Tavares & Sara de Almeida Leite a partir de hoje nas livrarias

Título: Pares Difíceis 
Autoras: Sandra Duarte Tavares & Sara de Almeida Leite
N.º de Páginas: 160
PVP: 14,39€
Nas livrarias a partir de 9 de Setembro

Um «utilitário» essencial para todos os falantes de português.
Um livro prático muito fácil de consultar, para esclarecer dúvidas, dissipar erros frequentes e elucidar os falantes sobre as subtis diferenças e as inesperadas semelhanças entre alguns parónimos da nossa língua.
Já alguma vez hesitou, quando estava prestes a utilizar a palavra renitente, e considerou que talvez fosse mais adequado dizer reticente?
Sabe qual a diferença entre os verbos deferir e diferir?
Nunca teve dúvidas sobre os contextos em que as palavras cota e quota podem ser sinónimas?
E nunca se atrapalhou na escrita de palavras homófonas, como estrato e extrato?
Nós já, muitas vezes! E não temos qualquer problema em admiti-lo, pois, como é usual dizer-se, a língua portuguesa é muito traiçoeira...
Um dos motivos que levam tantos falantes a dizer essa frase é a semelhança que existe entre certas palavras, às quais se dá o nome de parónimos, cujas parecenças – que abrangem a pronúncia e a grafia – levam a que se torne difícil diferenciá-las e usá-las com rigor em todas as ocasiões.
Este livro não é um dicionário.
Mas tal como nos dicionários, o conteúdo está ordenado alfabeticamente e, para maior facilidade de consulta, os 320 pares de palavras são listados no índice inicial.

Sobre as autoras:
Sandra Duarte Tavares é doutoranda, mestre e licenciada em Linguística Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
É docente no Instituto Superior de Educação e Ciências, em Lisboa. É consultora linguística e colaboradora da RTP em programas radiofónicos de Língua Portuguesa: Jogo da Língua (Antena 1), Pontapés na Gramática (Antena 3) e Consultório Linguístico (RDP Internacional).
Sara de Almeida Leite doutorou-se em Estudos Portugueses, especialidade de Ensino do Português, mestre em Estudos Anglo-Portugueses e licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É docente no Instituto Superior de Educação e Ciências, em Lisboa. É consultora linguística e colaborou em vários programas radiofónicos da RTP.


terça-feira, 8 de setembro de 2015

Guerra & Paz: Cavaco Silva recebe o jornalista Luís Ferreira Lopes



VOGAIS: Os originais livros de colorir que inspiraram a moda da arte-terapia

Com um acabamento incomum, de capa dura e lombada isolada das capas, estes são os livros originais que deram origem à onda de loucura é à clonagem de dezenas de livros de colorir para adultos que entretanto chegaram às livrarias.

Impresso a cores, com páginas pré-coloridas e inspiradoras, recheadas de ilustrações complexas, associados à terapia anti-stress, estes livros vão deliciar quem já se rendeu à arte-terapia. Afinal, colorir ajuda a reduzir a ansiedade, a dormir mais relaxado, a melhorar o humor e a concentração.

Terapia Criativa: Livro de Colorir Anti-Stress e Terapia das Cores: Livro de Colorir Anti-stress (Vogais l 128 pp l 11,99€), dois dos títulos deste género mais vendidos em todo o mundo, chegam finalmente a Portugal e já se encontram à venda nas livrarias.

Sinopses:
Terapia Criativa: Livro de Colorir Anti-Stress (Vogais l 128 pp l 11,99€)


Desenhar e colorir ilustrações maravilhosas, de grande beleza, é uma atividade que liberta o stress e acalma. Neste livro poderá colorir ou desenhar livremente sobre dezenas de imagens fascinantes, com padrões elegantes e pormenores elaborados, que lhe oferecerão momentos de prazer e o libertarão das preocupações do dia a dia. Inclui ilustrações para todos os gostos, desde padrões geométricos deslumbrantes a desenhos de elementos da Natureza relaxantes e inspiradores. Expresse a sua criatividade, crie as suas próprias obras de arte e desfrute de uma experiência terapêutica única.

Terapia das Cores: Livro de Colorir Anti-stress (Vogais l 128 pp l 11,99€)


​ 
A cor é terapêutica. Desenhar e colorir ilustrações maravilhosas, de grande beleza e tons vibrantes, é uma atividade que liberta o stress e relaxa. Este livro está dividido em sete secções, cada uma correspondendo a uma cor. Escolha a que mais lhe agrada e complete as imagens deslumbrantes, com padrões elegantes e pormenores elaborados, que lhe oferecerão momentos de prazer e o libertarão das preocupações do dia a dia. Expresse a sua criatividade, crie as suas próprias obras de arte e desfrute de uma experiência relaxante e única.


5 Sentidos: Sylvia Day regressa com "Eve e a Destruição"

Título: Eve e a Destruição
Autor: Sylvia Day
Tradução: Leonor Bizarro Marques
Págs: 360
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

A 5 Sentidos publica, no dia 17 de setembro, Eve e a Destruição, segundo título da série fantástica Marcados de Sylvia Day.
Depois de iniciar a trilogia com Eve e as Trevas, publicado em maio pela 5 Sentidos, Sylvia Day regressa a este universo repleto de anjos, demónios e criaturas mitológicas.
Eve e a Destruição apresenta a sensualidade e os principais ingredientes que fazem de Sylvia Day líder das mais importantes listas de vendas internacionais (com a série Crossfire, também publicada pela 5 Sentidos, a encabeçar as preferências das leitoras) e desenvolve um enredo repleto de ação e fantasia.

Sinopse:
Para Evangeline Hollis, uma noite com o misterioso homem vestido de cabedal foi quanto bastou para a punição divina.
Ao mesmo tempo que inicia uma escaldante relação com o infame Caim, Eve faz os possíveis para suportar os treinos intensivos que a tornarão oficialmente numa Marcada, entre milhares de outros pecadores forçados a caçar demónios. Mas quando a turma parte numa viagem de estudo a uma base militar abandonada, o Mal surge do seu covil: um demónio infiltrado está a matar, um a um, todos os colegas de Eve. Para piorar a situação, o corpo de Eve está a passar por uma difícil adaptação à Marca e aos seus desafios, entre os quais um incontrolável desejo carnal que a deixa à mercê dos seus instintos mais obscuros e da forte atração que sente por Abel, irmão de Caim. Emoções que a deixarão ainda mais vulnerável.
Com Caim ausente numa missão e Abel a investigar uma nova e terrível espécie de demónios, Eve terá de controlar sozinha a sua adrenalina e manter a calma no momento em que o assassino voltar a atacar.

Sobre a autora:
Sylvia Day é autora n.º 1 nas listas de bestsellers do New York Times e bestseller internacional de cerca de 20 romances premiados e publicados em mais de 40 países. Autora de eleição para seguidores de vários géneros, é bestseller em 28 países e conta já com dezenas de milhões de livros impressos em todo o mundo.
Os direitos para televisão da série Crossfire foram adquiridos pela Lionsgate.
Saiba mais sobre a autora em www.sylviaday.com e
facebook.com/authorsylviaday e ainda twitter.com/sylday