sábado, 26 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento Boon Complex, de Laura Araújo hoje, em Lisboa


Autor vai estar em Lisboa: A incrível história de Martin Pistorius, um caso raro de Síndrome do Encarceramento


Porto Editora - Lançamentos de "Ainda não tive tempo", de Gonçalo Gil Mata



Lançamento do livro "O Doutor Grilo" dia 9 de Outubro às 18h30 na Biblioteca Municipal de Ovar

O Doutor Grilo da autoria de Carlos Nuno Granja (texto) e Vasco Gargalo(ilustração), edição Opera Omnia.

A apresentação desta obra estará a cargo do escritor António Mota.

"Fulano de Tal e Grilo era um pobre carvoeiro que carregava o seu burro com carvão para o vender pelas aldeias, aproveitando para contar as suas histórias, inventadas ou realizadas. O que é certo é que este Grilo chegou a Doutor e nem ele sabe bem ao certo como o conseguiu. No imaginário dos Contos Tradicionais Portugueses temos histórias de encantar que soubemos preservar e assinalam a imaginação de um povo cheio de vivências e ensinamentos. Este reconto vem reformulado com ideias novas, mas não deixa de registar a verdadeira história do Grilo que se fez Doutor."

Fala com a autora de «After»!


Se és fã dos livros do After e da autora Anna Todd, não percas esta oportunidade!

No dia 2 de outubro, às 17:00, a autora vai estar online no Twitter para responder às tuas perguntas.

A única coisa que tens de fazer é escrever a tua pergunta em inglês com #askAnnaTodd e @presenca.

Junta-te aos outros fãs aqui!

Mais informações sobre os livros aqui


sexta-feira, 25 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Nick Hornby na Porto Editora com Uma Rapariga Endiabrada

Título: Uma Rapariga Endiabrada
Autor: Nick Hornby
Tradução: Elsa T. S. Vieira
Págs.: 352
PVP: 16,60 €

Conhecido por livros como Era uma vez um Rapaz e Alta Fidelidade, Nick Hornby é um dos grandes escritores e argumentistas ingleses, e tanto os seus romances como os guiões são presença assídua nas listas de nomeados para prémios em ambas as áreas. Uma Rapariga Endiabrada é o seu romance mais recente e é com ele que o autor se estreia, a 1 de outubro, no catálogo da Porto Editora.
Neste novo livro, que tem como pano de fundo a cidade de Londres dos anos 60, Nick Hornby fala-nos sobre cultura popular, juventude e velhice, fama, homossexualidade, luta de classes e trabalho de equipa; e oferece um retrato cativante de uma época em que a própria Grã- -Bretanha passava por um dos booms criativos mais entusiasmantes da sua história.

Sinopse:
Barbara Parker é Miss Blackpool 1964, mas as suas aspirações são outras e vão para além do mundo dos concursos de beleza. O seu maior desejo é fazer rir as pessoas. Assim, deixa Blackpool e a família e muda--se para Londres, onde arranja emprego na secção de cosmética de um grande armazém, enquanto tenta descobrir como chegar à ribalta. Um encontro acidental com um agente resulta numa nova identidade e numa audição para a mais recente comédia da BBC – chegou a hora de Sophie Straw brilhar.
Uma Rapariga Endiabrada é a história de um programa de televisão e das pessoas por detrás dele: os argumentistas, Tony e Bill, amigos desde o serviço militar e obcecados por comédia; o produtor, Dennis, inteligente, calmo e dedicado à equipa em geral, e a Sophie em particular; e o atraente Clive, que contracena com Sophie na série e se acha destinado a coisas melhores.

Sobre o autor:
Nick Hornby é autor de cinco bestsellers: Alta Fidelidade, Era Uma Vez Um Rapaz, Como Ser Bom, Um Grande Salto e Juliet, Nua, bem como de um romance para jovens, Slam – A Vida Como Ela É. As suas obras de não-ficção incluem Febre no Estádio, 31 Canções, The Complete Polysyllabic Spree e Stuff I’ve Been Reading. O seu argumento para o filme Uma Outra Educação foi nomeado para um Óscar.
Página do autor: www.nickhornbyofficial.com

Imprensa:
Tal como convém a um romance sobre uma sitcom famosa, [Uma Rapariga Endiabrada] provoca gargalhadas, mas tem muito mais profundidade do que o tema poderia sugerir. The New York Times
Cativante [...]. A evocação ficcionada daquela época é perfeita. Entertainment Weekly
O mais ambicioso romance [de Hornby] até à data [...]. Ele faz com que o leitor goste tanto das personagens como o próprio autor. Starred Kirkus Review
Enternecedor, divertido e comovente. Sunday Mirror
Lida a primeira página, é difícil de largar. Newsweek


Hoje é dia de compras na net, aproveite portes grátis na Wook

Link direto aqui
quinta-feira, 24 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: "Os Códigos e as Operações dos Espiões Portugueses"

Frequentemente vistos como personagens de filmes e livros, os espiões são homens e mulheres bem reais, que circulam entre nós, apesar do manto de secretismo e mistério que os envolve. António José Vilela, mostra-nos neste livro como é a vida dos espiões portugueses, através de casos e episódios que nos proporcionam uma visão abrangente sobre o extraordinário mundo dos serviços secretos nacionais.

Os Códigos e As Operações dos Espiões Portugueses é uma obra decisiva para conhecer e compreender uma das realidades mais escondidas do nosso país: quais as suas regras, como é feito o recrutamento, como são treinados, como nos vigiam e se infiltram, quais as técnicas utilizadas, quais as principais operações, que homens são estes...?

Sinopse:
Frequentemente vistos como personagens de filmes e livros, os espiões são homens e mulheres bem reais, que circulam entre nós, apesar do manto de secretismo e mistério que os envolve. O jornalista António José Vilela mostra-nos neste livro como é a vida dos espiões portugueses, através de uma série de casos e episódios que nos proporcionam uma visão abrangente sobre o extraordinário mundo dos serviços secretos nacionais:

- O acesso ilegal a dados telefónicos nas secretas e a operação montada pelo antigo chefe dos espiões Silva Carvalho.

- A vigilância dos agentes do SIS aos sírios vindos da prisão de Guantánamo.

- Os negócios angolanos sob vigilância e a burla milionária que trouxe os espiões de Angola a Portugal.

- O dinheiro da Al-Qaeda em Lisboa e o ataque terrorista ao Euro 2004.

- O espião português fascinado por Khadafi que acabou debaixo de fogo em plena revolução líbia.

- Os encontros com os espiões da CIA e o alvo chamado Pedro Santana Lopes.

Estas são apenas algumas das muitas histórias de um livro que nos revela, ainda, alguns dos segredos mais bem guardados dos espiões portugueses e o modo como se movem na sombra para garantir a segurança nacional. Quais as suas regras, como é feito o recrutamento, como são treinados, quais as técnicas utilizadas, quais as principais operações, que homens são estes...? Os Códigos e As Operações dos Espiões Portugueses é uma obra decisiva para conhecer e compreender uma das realidades mais escondidas do nosso país.

Sobre o autor:
António José Vilela Jornalista desde 1992, 47 anos, é grande repórter da revista Sábado. Licenciado e doutorando em Comunicação Social, mestre em Ciência Política, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), da Universidade de Lisboa. É professor auxiliar convidado, desde 1999, no ISCSP. No curso de Ciências da Comunicação, é docente das cadeiras de Técnicas de Imprensa e Jornalismo Digital. No mestrado de Comunicação Social, leciona Jornalismo de Investigação e Produção Jornalística. Venceu dois prémios nacionais de jornalismo: Prémio Reportagem Segurança Rodoviária (1999) e Prémio Reportagem Orlando Gonçalves (2004), ambos com trabalhos publicados na Notícias Magazine (Diário de Notícias/Jornal de Notícias). É autor dos livros Viver e Morrer em Nome das FP 25 de Abril (2005); Segredos e Corrupção: o Negócio das Armas em Portugal (2009); Salazar e a Conspiração do Opus Dei (2011) e Segredos da Maçonaria Portuguesa, editado pela Esfera dos Livros, em 2013.


Novidade Clube do Autor: Os Crematórios de Auschwitz de Jean-Claude Pressac

Título: Os Crematórios de Auschwitz
Autor: Jean-Claude Pressac
Tradução: António Moreira
N.º de Páginas: 300 
PVP: 17,00 €

Baseado em documentos históricos oficiais este livro reproduz rigorosamente os métodos e meios de extermínio em massa aplicados pelos nazis em Auschwitz-Birkenau. Uma obra fundamental para combater o esquecimento.

Quando o campo de Auschwitz foi libertado, em Janeiro de 1945, grande parte dos arquivos da Direção de Construções SS foram parar às mãos dos soviéticos, intactos. Jean-Claude Pressac traça a história da «solução final» de uma forma detalhada, rigorosa e impressionante.

As ordens de Hitler, Himmler e Eichman e as ações dos engenheiros e responsáveis de empresas privadas que contribuíram para a «solução final».

«Um documento impressionante sobre a construção e o funcionamento de Auschwitz. Uma obra de referência.» L’ Express

Sobre o autor:
Jean-Claude Pressac, nascido em 1944 e falecido em 2003, era farmacêutico de formação. A paixão pela história do século XX orientou-o para o estudo do Holocausto. Foi conselheiro do Museu dol Holocausto, em Washington.




Clube do Autor: "Chegou o romance anti-depressão"

Título: Deixa-me Odiar-te
Autor: Anna Premoli
Tradução: Catarina Mourão
N.º de Páginas: 312 
PVP: 16,00 €

Bestseller internacional que começou como fenómeno na internet e acabou consagrado com o Prémio Literário Bancarella

Jennifer e Ian são rivais no escritório onde trabalham. Mas o que acontece quando são forçados a passar mais tempo juntos do que o habitual?

Um romance irónico e afetuoso sobre as relações entre homens e mulheres no local de trabalho.

Um romance divertido e romântico como alguns dos mais populares filmes de Hollywood, recomendado para todos os que precisam de um momento de evasão.

«O maior destaque vai para a sua escrita fresca e cativante.» Corriere della Sera

Sobre a autora:
Anna Premoli nasceu em 1980 na Croácia. Deixa-me odiar-te foi publicado inicialmente em ebook transformando-se num fenómeno do passa-a-palavra. A posterior publicação em livro valeu-lhe o Prémio Literário Bancarella e a liderança do top de vendas.







Coolbooks - Sobreviver a um amor perfeito

Título: Pelas ruas de uma cidade sem nome
Autor: Carla Ramalho
Formato: e-wook
N.º páginas (estimado): 132
PVP: 4,99 €

Uma prostituta que encontra na escrita um refúgio para a dura vida e um escritor perseguido pelos seus fantasmas dão o mote para o romance de estreia de Carla Ramalho, Pelas ruas de uma cidade sem nome, já disponível em coolbooks.pt e na livraria virtual wook.pt.
Pelas ruas de uma cidade sem nome é o primeiro título da rentrée a ser publicado pela chancela digital da Porto Editora, consolidando a aposta em novos autores. Madalena, prostituta, de noite suporta o peso dos homens que a procuram, e de dia vagueia entre a solidão sufocante e o preconceito dos conservadores vizinhos. E é quando pensa que a vida já não a poderia surpreender que conhece João, um escritor que liberta os seus demónios no papel. As palavras que trocam e o combate aos pesadelos que os atormentam acabam por os levar numa sedutora mas perigosa descoberta. Quanto vale um amor verdadeiro? Quanto vale uma história com princípio, meio e fim?

Sobre o autor:
Carla Ramalho nasceu em Évora, em 1976. Acredita que foi por ter nascido alentejana que lhe veio o gosto pela escrita – a prosa das gentes e a poesia da planície tinham de extravasar. Licenciou-se em Sociologia e trabalha há vários anos na área social. A investigação, a formação profissional e os projetos de desenvolvimento local já a fizeram viajar um pouco pelo país e pela Europa. Mas é sempre à escrita que regressa.
Nunca deixou de escrever. Para ela, acima de tudo. E para os mais chegados que, simpaticamente e sem pensarem muito nas consequências, lhe elogiaram continuamente o jeito. Este é o primeiro romance que publica.




Apresentação de "FAZ ACONTECER" - Uma volta ao mundo a conhecer empreendedores



quarta-feira, 23 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação do livro História Prodigiosa de Portugal Vol. II Magias & Mistérios



Sextante Editora publica "O último dos colonos", de João Afonso dos Santos

Título: O último dos colonos
Autor: João Afonso dos Santos
Págs.: 336
PVP: € 16,60

A Sextante Editora publica a 30 de setembro O último dos colonos, um livro de memórias de João Afonso dos Santos, irmão de Zeca Afonso. Aqui, mais do que recordar as histórias familiares da sua infância e adolescência, o autor faz um retrato da sociedade portuguesa no Estado Novo, em Portugal e nas colónias, e recorre às memórias dos pais e da irmã Mariazinha para ilustrar a vida em Timor no início dos anos 40, onde estes viveram durante a invasão japonesa, enquanto João e Zeca se mudaram de Lourenço Marques para Portugal.
Para além das fotografias exclusivas, este livro inclui um notável documento sobre o processo levantado ao pai do autor, na altura juiz em Díli, que ilustra a arbitrariedade da administração portuguesa na época do salazarismo.~

Sinopse:
Memórias de infância e adolescência, retrato de uma família mas também de uma sociedade: a ditadura, o regime colonial e a ilusória eternidade de tudo isso, inscrita no catecismo oficial e nos costumes de então. A dada altura, a família divide-se entre Portugal e Timor. Cá, em Portugal, para onde o autor e o irmão, Zeca Afonso, depois de uma infância africana, se mudam, ainda crianças; lá, em Timor, a onde aportam os pais e a irmã Mariazinha no mesmo dia em que deflagra a guerra, que rapidamente arrebatará a ilha no seu vórtice. Ao contrário do que anunciou ao tempo a propaganda oficial, a neutralidade portuguesa na II Guerra Mundial não foi respeitada. Portugal entrou na guerra, com Timor-Leste ocupado pela força das armas, com órgãos de soberania e administração suprimidos, com populações martirizadas, assassinadas ou encarceradas, com património público ou privado esbulhado ou destruído. Até que a grande catástrofe chegou ao fim e o percurso familiar se restabeleceu na conjunção feliz dos seus membros.

Sobre o autor:
João Afonso dos Santos foi advogado em Lourenço Marques e Beira (Moçambique), desde janeiro de 1955 a setembro de 1975. Presidiu ao Cine-Clube da Beira e ao Auditório-Galeria de Arte dessa cidade, cuja comissão construtora antes dirigira. Foi diretor do jornal Notícias da Beira, após a revolução de 25 de Abril de 1974. Integrou a comissão de descolonização de Moçambique em 1974 e 1975. A partir de setembro deste último ano, passou a exercer funções profissionais em Lisboa, onde reside. É autor, em parceria com Carlos Adrião Rodrigues, António Pereira Leite e William Gerard Pott, de O julgamento dos padres de Macúti (Edições Afrontamento), de algumas obras de carácter jurídico e ainda de José Afonso – Um olhar fraterno (Editorial Caminho).



Novidades Marcador

Título: OS NÚMEROS QUE VENCERAM OS NOMES 
Autor: Samuel Pimenta
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 176
PVP: 15,00€ 
À venda a partir de 16 de setembro 
O novo livro de Samuel Pimenta 
Um romance empolgante

Eles sabem quem ele é...
Andam à sua procura...
Um, Nove, Um, Seis, é a resposta
Para um mundo novo.
Sem limites, nem fronteiras, onde...
Tudo é possível

Em Os Números Que Venceram os Nomes, Samuel Pimenta consegue, com uma destreza literária que nos prende do início ao fim, contar uma história empolgante, que, embora passando-se num futuro imaginário, questiona muitos dos problemas das sociedades contemporâneas – a substituição estéril de um mundo espiritual por uma realidade puramente material.

Num futuro distante, comprovada matematicamente a existência de Deus, os homens são obrigados a trocar os seus nomes por números. Ergue-se uma ditadura global, em que todos são controlados e descaracterizados, uma sociedade de uma única religião, em que os algarismos definem tudo – pessoas, países, ruas, animais -, em detrimento da essência de cada um.

Sobre o autor:
Samuel Pimenta nasceu a 26 de Fevereiro de 1990, em Alcanhões, Santarém. Começou a escrever com dez anos e licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Em 2012, venceu o Prémio Jovens Criadores na vertente de Literatura, promovido pelo Governo de Portugal e pelo Clube Português de Artes e Ideias. Recebeu, em 2014, a Comenda Luís Vaz de Camões, atribuída pela “Literarte – Associação Internacional de Escritores e Artistas”, no Brasil, assim como o Prémio Liberdade de Expressão 2014, atribuído pela Associação de Escritores de Angra dos Reis, Brasil. Tem participado em diversas conferências e encontros literários nacionais e internacionais e tem colaborado com publicações em Portugal, Brasil, Angola, Moçambique e Galiza. Atualmente, divide-se entre Lisboa e o Ribatejo, é cronista e escreve regularmente para o seu blog pessoal.


Título: Jogo Sujo 
Autor: Dick Lehr e Gerard O`Neill 
Editora: Marcador 
Nº de Páginas: 384
PVP: 19,50€
JÁ À VENDA 
Uma história arrepiante de crime e corrupção 

O livro que deu origem ao filme

BLACK MASS – JOGO SUJO

8 DE OUTUBRO NOS CINEMAS

Graças à escrita poderosa dos dois repórteres, que acompanharam o caso desde o início, Jogo Sujo é simultaneamente uma história de crime fascinante, e um alerta para os abusos de poder e um olhar penetrante sobre Boston.

John Connoly, e James «Whitey» Bulger, o maior, cresceram juntos nas ruas de South Boston. Décadas mais tarde, em meados dos anos 1970, voltaram a encontrar-se. Então, Connolly era uma figura importante na delegação do FBI de Boston e Whitey tornara-se padrinho da Máfia irlandesa. O que aconteceu depois – um negócio sujo para derrubar a máfia italiana em troca de proteção para Bulger – depressa escapou ao controlo do FBI, dando origem a homicídios, tráfico de droga, acusações e extorsão e, por fim, ao maior escândalo envolvendo informadores, em toda a história do FBI.

«O melhor trabalho de toda a carreira de Johnny Depp» VARIETY
«Um grande filme, ousado e arrepiante. Um retrato de uma extraordinária história real» THE GUARDIAN

Sobre o autor:
Lehr E O´Neill são os autores de The Underboss: The Rise e Fall of a Mafia Family. Inicialmente publicado em 2000 e Jogo Sujo, o livro que deu origem ao filme e foi produto da investigação destes dois jornalistas, foi um bestseller do New York Times e do Boston Globe durante quarenta e oito semanas consecutivas. 



segunda-feira, 21 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes
domingo, 20 de setembro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Assírio & Alvim - Novos livros de Ana Marques Gastão e Sophia de Mello Breyner Andresen

No próximo dia 24 de setembro chegam às livrarias portuguesas duas novas edições dos livros O Nome das Coisas e Navegações, de Sophia de Mello Breyner Andresen, editados pela Assírio & Alvim. Publicado pela primeira vez em 1977, pela Moraes Editores, O Nome das Coisas, diz-nos Fernando Cabral Martins no prefácio que preparou para esta edição, «[…] parece procurar uma geografia portuguesa e europeia, mas que logo se torna aérea, um espaço misturado de ideias, transmutado em alguma coisa de mais transparente. Desenha uma realidade que serve a uma habitação religiosa do mundo. […].»
O livro Navegações foi publicado pela primeira vez em 1983 pela Imprensa Nacional Casa da Moeda e conta agora com um prefácio de Eucanaã Ferraz, que deste livro certeiramente nos diz que «[…] Aqui, os poemas trazem à cena a gesta ultramarina empreendida pelos portugueses ao longo do que se convencionou chamar expansão marítima, mas também a própria experiência de Sophia como viajante, e de modo mais ou menos explícito, as andanças de outras personagens arrancadas de tempos e situações diversas, como o mítico Preste João, o célebre nauta Bartolomeu Dias e os poetas Luís de Camões, Jorge de Sena e Fernando Pessoa. Assim, os poemas de Navegações formam, de um modo muito livre, uma narrativa de viagem, ou de viagens.» Estes dois livros mantêm a antiga ortografia e seguem a fixação de texto conduzida por Carlos Mendes de Sousa e Maria Andresen Sousa Tavares.

Título: O Nome das Coisas
Autor: Sophia de Mello Breyner Andresen
Prefácio: Fernando Cabral Martins
N.º de Páginas: 112
Acabamento: edição fresada
PVP: 13,30 €

Título: Navegações
Autor: Sophia de Mello Breyner Andresen
Prefácio: Eucanaã Ferraz
N.º de Páginas: 80
Acabamento: edição fresada
PVP: 12,20 €


Sobre a autora:
Sophia de Mello Breyner Andresen nasce a 6 de novembro de 1919 no Porto, onde passa a infância. Entre 1936 e 1939 estuda Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publica os primeiros versos
em 1940, nos Cadernos de Poesia. Casada com Francisco Sousa Tavares, passa a viver em Lisboa.
Tem cinco filhos. Participa ativamente na oposição ao Estado Novo e é eleita, depois do 25 de abril, deputada à Assembleia Constituinte.
Autora de catorze livros de poesia, publicados entre 1944 e 1997, escreve também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. Recebeu entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana. A sua obra está traduzida em várias línguas. Faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa.


Título: L de Lisboa
Autor: Ana Marques Gastão
N.º de Páginas: 64
Acabamento: edição fresada
PVP: 10,00 €

L de Lisboa é o primeiro livro de poesia a solo que Ana Marques Gastão publica na Assírio & Alvim, após a sua estreia no catálogo da editora em 2001 com o livro Três Vezes Deus, em coautoria com Armando Silva Carvalho e António Rego Chaves. E embora a cidade de Lisboa esteja aqui omnipresente este é um livro que transcende largamente essa unidade temática. Portugal, História e identidade, os tempos presentes, o impuro e a beleza. «Lisboa sim ou talvez não.»
Este livro chega às livrarias no próximo dia 24 de setembro e a sessão de lançamento ocorrerá alguns dias depois, a 29 de setembro, no Centro Nacional de Cultura, em Lisboa, pelas 18:30.

Sobre a autora:
Nasceu em Lisboa em 1962. É poeta, crítica literária, ensaísta e investigadora do CLEPUL.
Escreveu Tempo de Morrer, Tempo para Viver (1998), Terra sem Mãe (2000), Três Vezes Deus, em coautoria com António Rego Chaves e Armando Silva Carvalho (2001), Nocturnos (2002), Nós/Nudos, 25 poemas sobre imagens de Paula Rego (traduzido para castelhano por Floriano Martins, Prémio Pen Clube 2004), Lápis Mínimo (2008) e Adornos (2011). Organizou o livro de entrevistas O Falar dos Poetas (2011) e é autora do volume de ensaios As Palavras Fracturadas (2013). Nós/Nudos foi publicado em França com o título Noeuds (2007), tradução de Catherine Dumas. Editou no Brasil a antologia A Definição da Noite (2003). Alguns dos seus poemas estão traduzidos para castelhano, catalão, francês, inglês, alemão, romeno e esloveno. Coordena a revista Colóquio Letras da Fundação Gulbenkian desde 2009. Licenciada em Direito pela Universidade Católica Portuguesa e advogada, foi jornalista cultural, durante mais de vinte anos, no Diário Popular e no Diário de Notícias, e cronista nas revistas Paralelo e Artes e Leilões. Dirige, no âmbito da Festa do Chiado, desde 2008, a iniciativa «Cinco Livros/Cinco Autores», do Centro Nacional de Cultura.


TOPSELLER: «A Conspiração dos Tudor» - Um romance onde nada nem ninguém é o que parece

«O cenário histórico, pormenorizadamente detalhado, pulsa num ambiente de traição, agitação política, medo e loucura, que foram parte integrante do reinado de Maria Tudor. Nas mãos de Gortner, tudo isto se torna real e o leitor é facilmente atraído pelo suspense e intriga. Um livro bem feito e envolvente.» - RT Book Reviews

A época ​dos Tudor é um dos períodos que mais fascina os amantes d​e romance​s​ históricos. Paixão, traição, intriga, assassinatos. Ingredientes que tanto têm encantado os leitores ao longo dos anos.
​C. W. Gortner, autor e investigador do período renascentista, também se apaixonou pela Casa dos Tudor, e desse fascínio nasceram os livros O Segredo dos Tudor, já editado em Portugal, e a sequela deste, ​recém-chegado ​às livrarias

A Conspiração dos Tudor (Topseller l 336 pp l 19,99€).

A Topseller disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

Sinopse:
No inverno de 1554, Maria Tudor é a rainha de Inglaterra e os seus inimigos estão aprisionados na Torre de Londres. O seu iminente noivado com Filipe de Espanha, com o objetivo de assegurar o catolicismo no reino, coloca os súbditos protestantes em perigo. Então, os rumores de uma conspiração para levar ao trono a sua irmã, a princesa Isabel, adensam-se.

O tempo de refúgio do espião Brendan Prescott chega ao fim quando inquietantes notícias o fazem partir numa arriscada missão e ajudar Isabel em cativeiro. Prescott regressa assim ao palácio, onde quase perdeu a vida, sob a identidade de Daniel Beecham, e enceta um jogo mortal de gato e rato com um perigoso e enigmático adversário.

Numa corrida contra o tempo para recuperar um maço de cartas cujo conteúdo pode conduzir Isabel ao trono ou condená-la à morte, Prescott descobre que, num submundo de traições e intrigas, os amigos e os inimigos facilmente se confundem e o poder é de tal maneira supremo que pode levar uma irmã a voltar-se contra outra.


Sobre o autor:
C. W. Gortner possui um mestrado em Escrita na especialidade de Estudos Renascentistas, pelo New College of California. Os seus romances históricos, sempre fruto de intenso trabalho de pesquisa, têm-lhe granjeado elogios por parte da crítica internacional. Já foram traduzidos para 20 línguas.

De ascendência espanhola, C. W. Gortner vive atualmente na Califórnia. Saiba mais sobre o autor em: www.cwgortner.com