quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Um Caso Tipicamente Inglês - Elizabeth Edmonson [Opinião]

Título: Um Caso Tipicamente Inglês
Autor:
Elizabeth Edmonson (1948-2016)
Páginas: 368
PVP: 16,90€

Sinopse: 
Após o falecimento do marido, Elizabeth Edmondson interrompeu a sua carreira. Regressou às letras em 2015 com a Série Selchester que a ASA publica este ano em sua homenagem.

Com a elegância de Downton Abbey e a astúcia de Agatha Christie, Um Caso Tipicamente Inglês é o primeiro volume da série Selchester que ficará completa com a publicação do livro Uma Questão de Herança (a ser lançado no segundo semestre de 2016).

A minha opinião: 
De Elizabeth Edmonson apenas tinha lido "Uma Menina de Boas Famílias" e tinha gostado muito, daí ter-lhe dado 5* no Goodreads. Não sei porquê, nunca mais li nada da autora, mas o facto de "Um Caso Tipicamente Inglês" juntar um bom mistério a um romance de época despertou-me a curiosidade e decidiu voltar à leitura da autora que, infelizmente, faleceu este ano. 

Inserido na Série Selshester, o romance começa com o desaparecimento do Conde de Selchester, em 1947, pessoa muito influente naquela localidade. Sete anos depois, o corpo do conde (já em ossada) é descoberto numa capela, pertença do castelo. Dono do Castelo e com bastante dinheiro depressa se começa a suspeitar de quem poderá ter sido o assassino. 

À primeira vista poderá haver apenas dois ou três suspeitos: os dois filhos do conde e a sobrinha. Um dos filhos morre na guerra da Palestina, sobrando uma filha rebelde e pouco desejada e uma sobrinha que se refugia na torre do castelo a escrever não se sabe bem o quê. 

Na altura da descoberta das ossadas, dois quartos do castelo são arrendados a Hugh e Georgia, um casal de irmãos, que decide "fugir" da agitada vida londrina e estabelecer-se em Selchester. Georgia tem apenas 13 anos, mas Hugh que manca de uma perna, consequências da guerra e que actualmente trabalha para os serviços secretos britânicos, tem naquele local um trabalho também ele secreto. No entanto, decide também aliar-se na descoberta do assassino do conde. 

Com o decorrer da investigação, os três suspeitos iniciais passam para muitos mais e há muita gente a ter motivos para quererem o conde morto. 

Elizabeth Edmonson, qual Agatha Christie vai expondo, ao longo do livro, vários motivos para cada uma das personagens quererem Selshester morto e colocá-las no local do crime à hora do mesmo.
O contexto histórico é relevante, a ruralidade, os resquícios da Segunda Guerra Mundial, o senhor das terras, o poder do nome e dos títulos nobiliárquicos, os mexericos próprios numa região tão pequena, tudo a autora soube descrever na perfeição.

Gostei muito e aguardo ansiosamente pelo segundo livro da série, até porque ainda ficaram muitos mistérios por desvendar. 



3 comentários:

Inês Santos disse...

Não sabia que a escritora tinha falecido =( Por acaso nunca li nada dela, mas também não parece ser o meu género.
A tua sinopse não acrescenta nada da história, mas de qualquer maneira acabas por o fazer na opinião. Também nunca li Agatha, mas pelas mesmas razões de Elizabeth tambem nao o devo fazer.

Beijinhos e boas leituras

Maria Manuel Magalhaes disse...

Este livro da autora tem um toque de mistério, mas nem todos têm. Se calhar os anteriores até podem fazer o teu género já que são romances.
De facto a sinopse dada pela editora pouca acrescenta daí ter dado "um" cheirinho na minha opinião daquilo que se passa no livro.
Eu gostei, mas também sou fã de Agatha Christie de romances de época...

Beijinhos e boas leituras também para ti

Isabel Rodrigues disse...

Estou a ler neste momento e estou a gostar...acho que o glamour e o mistério conjugam bem, também sou escritora de ensaios sobre sociedade e uma pitada de mistério apesar de ser diferente só nos enriquece juntando outro tipo de leituras.
Boas leituras.
Isabel Rodrigues