quarta-feira, 9 de março de 2016

O Caçador - Mason Cross [Opinião]

Título: O Caçador
Autor: Mason Cross
Páginas: 368
Editor: TopSeller
PVP: 18,79€

Sinopse:
ABRIU A ÉPOCA DE CAÇA.
À HORA DE PONTA, NÃO SAIA DE CASA…

Caleb Wardell, o «Sniper de Chicago», escapa ao corredor da morte duas semanas antes da sua execução, quando a carrinha de transporte de prisioneiros onde segue é impedida de chegar ao seu destino pela máfia russa. O FBI recorre aos serviços de Carter Blake como a única forma de conseguir capturar Wardell.
Blake é um homem com um passado misterioso e um talento especial para encontrar aqueles que não querem ser encontrados. Juntamente com Elaine Banner, uma ambiciosa agente do FBI, os dois irão perseguir Wardell enquanto este, por pura crueldade, começa a matar pessoas, aparentemente ao acaso, nas horas de maior tráfego das cidades.
Mas nem tudo é o que parece. Atrás do assassino esconde-se uma conspiração que ameaça o país. Para Blake conseguir capturar o criminoso e travar a ameaça, ele irá ter de infringir todas as regras…

A minha opinião: 
Com uma ação que decorre em apenas alguns dias, O Caçador começa com a fuga do «Sniper de Chicago» conhecido por ter matado 19 pessoas com 19 tiros. Caleb Wardell escapa ao corredor da morte em circunstâncias algo estranhas quando a carrinha de transporte que o levava para outro local é intercetada pela Máfia Russa e o ajuda a libertar-se. No entanto, tudo parece estranho. Estranho até para o próprio Wardell que não entende o porquê daquela ajuda e acaba por matar toda a gente.

Quando tomam conhecimento que se encontra em fugo um perigoso assassino, ex-marine, o FBI não tem outro remédio senão recorrer a uma pessoa de fora da organização para os ajudar a capturar Wardell. O nome é Carter Blake, conhecido por “encontrar pessoas”. Blake vai fazer parelha com Elaine Banner e vão formar uma dupla extraordinária.
Com uma sinopse que deixa pouco à imaginação, resta-nos focar-nos na ação do próprio livro. E que ação. Mason Cross foca o leitor não só do ponto de vista da investigação, mas também do assassino. O que achei interessante, porque mais parecia um duelo de titãs de forma a ver o mais inteligente.

A procura incessante pelo assassino, o querer desvendar os passos que dará a seguir, é que tornam o livro ainda mais interessante. Todo o pensamento de Blake é passado para o papel o que nos transporta para o local. E Blake torna-se mesmo muito inteligente. O poder dedutivo é excelente e senão fosse o facto de Caleb ter uma ajudinha, mesmo sem a ter pedido, provavelmente teria sido capturado muito mais cedo sem ter feito tantas vítimas pelo caminho. Sim, porque durante o tempo em que esteve solto a sua vontade de matar continuou e foi fazendo vítimas aleatoriamente, o que dificultou o trabalho da polícia. 

Outro senão foi o caso ter escapado para a comunicação social cedo demais. Será que havia um traidor na equipa? Quem seria?
Mason Cross imprimiu ainda o lado pessoal na vida das personagens que me agradou bastante. O facto de sabermos que Elaine ser mãe solteira e querer progredir na carreira fê-la mais humana, e Blake ter um passado que não quer revelar, mas que pode ser descoberto ao longo da série. 

Primeiro livro de uma série, O Caçador proporcionou-me uma leitura com muita acção, suspense e com um friozinho na barriga. Ingredientes que gosto num livro do género. Vou ficar atenta aos próximos livros.

"Por vezes as pessoas dizem que os assassinos são tão loucos que têm o complexo de Deus. Mas pense um pouco. Um assassino decide quem vive e quem morre. Vida ou morte e é ele que escolhe. Imagina realmente que a pessoa que morre saiba a diferença entre o seu assassino e Deus?





Sem comentários: