sexta-feira, 22 de abril de 2016

O Erro de Deus - Carlos Queirós [Opinião]

Título: O Erro de Deus
Autor: Carlos Queirós
Páginas: 318
Editor: Edita-Me
PVP: 16€

Sinopse
Quando o conde Policarpo de Castelão prendeu na masmorra do Palácio dos Cisnes, em segredo, o jovem Bernardes — seu sobrinho e sucessor por falta de outros herdeiros — pressupôs que ao cabo de poucos meses ele iria morrer no inferno da cela que existia nos fundos do edifício do século XIX. Contrariamente a todos os que por lá haviam passado desde o tempo da escravatura, onde deixaram apenas os ossos e gritos inaudíveis, Bernardes de Castelão viveu por muitos anos.
Um estranho caso de conexão com um poder sinistro, fê-lo desenvolver capacidades supra-humanas, ao ponto da sua condição de homem deixar praticamente de existir. Um imigrante croata que trabalhava na quinta dos Castelão descobriu o terrível prisioneiro, abrindo a caixa de Pandora que viria a despoletar um apocalipse, ao ponto de se tornar mais importante perguntar: quem é a Humanidade? E só depois formular a questão: quem é Deus?

A minha opinião:
Quarto livro de Carlos Queirós, meu conterrâneo do Marco de Canaveses, O Erro de Deus é uma distopia entre uns seres celestiais, muito superiores à raça humana e que quererão mandar no universo e os próprios seres humanos que por cá habitam
.
"A humanidade é um erro de Deus. O ser humano é uma praga do universo."

Tudo começa com Policarpo de Castelão, um conde, dono do Palácio dos Cisnes, que por traição da mulher com o seu único sobrinho, perpetra uma crime que o vai acompanhar até ao fim dos seus dias. À mulher mata-se simulando o seu suicídio. Ao sobrinho prende-o nas masmorras da sua casa, condenando-o a cárcere praticamente eterno.

Contrariamente aos seus antecessores (escravos e antigos empregados), que se viram confinados ao cárcere pelas mais diversas razões, Bernardes, que era alimentado parcamente pelo seu tio, às escondidas de todos, duraria muitos anos. Sem que imagine, Policarpo seria o "condutor" para que Bernardes fosse o eleito a receber uma espécie de super-poder, tornando-o um ser imortal, com o intuito de, no futuro, mudar para sempre o rumo do Universo.

Subitamente vemo-nos mergulhados numa espécie de experiência paranormal, que passa pelas descobertas da Nanotecnologia, sobretudo na área da medicina que vem revolucionar a nossa forma de como vemos Deus e a Humanidade.

"... este planeta é uma porcaria porque está dominado por uma espécie menor, que está a evoluir, é certo, mas no sentido da sua autodestruição."

Para quem leu os anteriores livros do autor, O Erro de Deus é um livro completamente diferente dos demais.

Apesar de não ser o género literário que mais aprecio, este foi um livro que me cativou, tanto pela forma como está escrito, como a estrutura e história que se foi desenvolvendo entre as mais diversas personagens.
Recomendo.

Sem comentários: