terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Só Nós Dois - Nicholas Sparks [Opinião]

Título: Só Nós Dois
Autor: Nicholas Sparks
Editor: Edições Asa
Páginas: 568

Sinopse:
Por vezes, basta um segundo para mudar a nossa vida. E nesse instante avassalador, tudo aquilo que pensamos saber - e possuir - perde o seu valor.
Russell Green tem trinta e dois anos, é casado com Vivian, uma mulher lindíssima e dedicada; tem uma filha encantadora e uma carreira de sucesso. Dir-se-ia que a sua vida é de sonho. Mas o sonho vai dar lugar a um pesadelo… De um momento para o outro, Russ perde a mulher e o emprego e fica a sós com a filha de seis anos, London. Pela primeira vez, percebe que não pode entregar-se à sua própria dor pois London depende agora unicamente dele. Russ vai ter de se superar, de desbravar caminho, começar de novo…

Mas não é fácil cuidar de uma criança sozinho, fundar um negócio próprio, e lidar com as emoções contraditórias que ameaçam paralisá-lo. O dia a dia com a filha é uma montanha-russa de escolhas, consequências e anseios. É muito mais difícil do que alguma vez imaginara. Mas é também infinitamente mais gratificante do que a correria de outrora.
E quando o imprevisível destino abre novamente a porta ao amor, deixa entrar algo mais. Algo para o qual Russ - mais uma vez - não está preparado.
Só Nós Dois é um retrato da experiência simultaneamente aterradora e gratificante de ser pai solteiro: dos desafios aos riscos, e, claro, às recompensas. Relembra-nos a importância dos laços de família e do amor.

A minha opinião: 
Já há algum tempo que não pegava num livro de Nicholas Sparks, mas depois de lida a sinopse e as primeiras páginas de Só Nós Dois fiquei completamente rendida à história de London, Vivian e Russel. 

Mais do que um romance lamechas a que Sparks já nos habituou, este seu novo livro é realmente tocante porque aborda vários temas como amor, traição, dedicação a um filho, doença... chorei em algumas partes (felizmente estava sozinha), irritei-me outras tantas (a Vivian consegue ser exasperante) e enterneci-me muito mais com o amor que Russ dedica à filha. 

Um amor verdadeiro a contrastar com o amor de Vivian, que vê na filha o seu próprio espelho e vontade que a pequenita seja igual a si ou até mesmo superior. Então coloca-a nas mais diversas atividades, algumas delas que são odiadas pela mais nova. 

"Hoje em dia, as crianças têm compromissos de manhã à noite e a London não era excepção porque os pais o exigiam. 
Mas como é que isso aconteceu? E porquê? O que foi que alterou a perspectiva dos pais na minha geração? Pressão dos pares? Viver por delegação o sucesso de um filho? A criação de currículo para a universidade? Ou seria apenas medo de que não fosse bom os filhos descobrirem o mundo sozinhos? 
Não sei. 
Porém, estou convencido de que houve uma coisa que se perdeu durante o processo: a alegria simples de acordar pela manhã e não ter absolutamente nada para fazer."

Definindo-se como um hino ao amor, amor entre homem e mulher, entre pai e filha entre filha e mãe, entre amigos, Só nós Dois é mais do que isso. Mostra o lado negro do divórcio, a transformação de um dos membros do casal para obter tudo o que deseja, sobretudo o poder paternal, revelando que tudo vale para chegar a um final feliz... pelo menos para uma duas partes. 

Sparks coloca o homem como protagonista, e bem, transferindo o papel de má da fita para Vivian uma mulher que depois da filha nascer deixou de trabalhar para cuidar dela, fazendo de Russ um homem subserviente, que faz tudo para a agradar à mulher que ama. 

Sabem aquele livro que quando pegamos nele não o queremos largar até chegar ao fim? Este é o livro!

Recomendo. 


 

Sem comentários: