sexta-feira, 29 de janeiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Planeta: Novidades Fevereiro

FICÇÃO

Título: MAIS MALDITO KARMA
Autor: David Safier
N.º de Páginas: 288
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 3 de Fevereiro

Mais Maldito Karma é uma fábula divertida e engenhosa, que nos ensina a lição mais importante da vida: não vale a pena viver se não o fazemos em pleno.
Baseado em algumas premissas bastante bizarras e absurdas, David Safier constrói um romance com duas camadas: uma exterior, divertida e superficial; outra interior, que nos faz pensar quais são as nossas prioridades na vida e se valem a pena.
Esta sequela de Maldito Karma, traz novas personagens hilariantes, como Daisy Becker, uma actriz falhada e maluca, que bebe, fuma e rouba os companheiros de casa; e o actor Steve Barton, supersexy, mas bastante estúpido.
Maldito Karma vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares na Alemanha.
Em Portugal, em poucos meses, chegou às 5 edições.

Daisy Becker é uma actriz de segunda, a sua carreira está acabada e a vida pessoal é um caos. A ponto de ficar na rua porque não consegue pagar a renda.
Daisy conhece a estrela de Hollywood do momento, o arrogante Marc Barton, que está em Berlim a rodar o novo filme de James Bond. A sua relação começa da pior maneira.
E piora quando, depois de morrerem num acidente de carro, recebem o castigo por acumularem mau durante a vida: voltam a nascer como formigas.
Nenhum deles tem muita vontade de partir para a guerra como insectos. Além disso inteiram-se que o melhor amigo de Daisy e a mulher de Marc estão a sair juntos. 
Que fazer? Ir em busca de bom e subir os degraus da escada da reencarnação até voltarem a ser humanos. Mas não é assim tão fácil, principalmente com as armadilhas amorosas.
Sobre o autor
Nasceu em Bremen, em 1966. Conhecido guionista de séries de televisão de êxito, como Mein Leben und Ich (A Minha Vida e Eu), Nikola e Berlim, Berlim, foi galardoado com o Prémio Grimme e com o Prémio TV da Alemanha, bem como com um Emmy, nos Estados Unidos. Vive e trabalha em Bremen.
Maldito Karma (Planeta, 2011), o seu primeiro romance, foi um êxito internacional, que vendeu mais de um milhão e quinhentos mil exemplares na Alemanha e que conta com várias edições em diversos países. Em Portugal, em poucos meses chegou às cinco edições.
Depois de Jesus Ama-me, Uma Família Feliz e 28 Dias, Mais Maldito Karma é a nova aposta do autor na Planeta, um livro com uma história que não nos deixará indiferentes.

Sobre o autor:
«O esforço de escrita é muito maior para escrever uma linha com graça do que uma com emoção.»
O humor é sem dúvida o ingrediente-estrela dos seus romances. Mas os alemães não são conhecidos pelo seu humor. Abriu caminho na literatura alemã para este género? É difícil escrever com humor?
Bom, temos alguns escritores que escrevem com humor, eu não sou o único.
No entanto, o que distingue os meus romances é que para além do humor falam muito sobre emoções. Escrever com humor é muito difícil, o esforço de escrita é muito maior para escrever uma linha com graça do que uma com emoção.
Nos seus romances há sempre uma personagem que vive uma experiência extraordinária que a faz encontrar a si própria e a descobrir o segredo da felicidade. Considera que os seus livros seguem uma espécie de padrão? Têm algo em comum?
Todos eles, incluindo o meu romance sobre o Holocausto - 28 Dias - são sempre sobre como queremos viver uns com os outros e o que torna a vida boa e má.
Os seus romances estão narrados do ponto de vista feminino e consegue que o leitor se sinta na pele das protagonistas.
Sendo homem, onde se inspira para ir buscar esse lado feminino?
Eu tenho uma visão bastante incomum do mundo. Acho que os homens e as mulheres não são assim tão diferentes. Pode ser uma surpresa para as leitoras, mas nós homens também temos sentimentos.
Temos é dificuldade em expressá-los. Para mim é muito natural que eu escreva sob a perspectiva de uma mulher, porque os meus romances são sobre sentimentos.
Neste romance, Mais Maldito Karma, volta a recuperar o tema da reencarnação. Há alguma razão especial para o fazer? Foi um risco calculado esta sequela?
Logo a seguir ao meu primeiro romance, as pessoas perguntaram-me:
‘Quando é que escreves um segundo?’. A minha resposta foi: ‘Quando eu tiver uma grande ideia!’. Levei oito anos para ter uma. Por isso, e como podem ver, não sou muito rápido a pensar.
Na sua opinião em quem encarnaria Angela Merkel?
As pessoas de esquerda diriam numa formiga, por causa da sua política financeira. Muitas pessoas diriam que seguirá o caminho do Nirvana por ser uma boa alma, e ter ajudado todos os refugiados. As pessoas de direita pensariam o oposto. Pessoalmente, penso que é no meio que está a virtude e a verdade, e, por isso, Angela Merkel encarnaria provavelmente num peixinho dourado.
Os seus livros além de fazerem rir também fazem pensar o leitor. Neste livro que mensagem quer fazer passar?
Este livro é sobre não ter medo do amor, porque a vida é demasiado curta para termos medo dos nossos próprios sentimentos.
Já recebeu ofertas para adaptar os seus livros ao cinema?
Jesus Ama-me já foi filmado. Uma Família Feliz vai ser um fantástico filme de animação – como os da Pixar – em 2017. E 28 Dias está a ser produzido.
Quanto ao Karma, veremos…
É guionista e jornalista. O processo de escrita de romances é diferente?
Qual prefere?
Escrever romances dá-me muito mais liberdade. Não preciso de pensar em orçamentos, pois uma página impressa custa o mesmo, não importa o quê.
Todo o escritor tem um autor em que se inspira e um livro que o marcou. Quais são os seus?
Quando tinha 17 anos vi num supermercado em Amesterdão a brochura de À Boleia pela Galáxia, de Douglas Adams. Li as primeiras páginas ali mesmo no supermercado e soube a partir desse momento que queria fazer da escrita o meu modo de vida, como aquele escritor.
Que conselhos daria a todos os que sentem uma paixão pela escrita?
Escrevam, escrevam, escrevam. Escrever é como um músculo que precisa de ser treinado.

NÃO FICÇÃO
Título: COMO ENCONTRAR O CÉUAutor: Theresa Cheung
PVP: 17,76€ 
N.º de Páginas: 280
Nas livrarias a partir de 3 de Fevereiro

Quase nove em cada dez pessoas acreditam na promessa do paraíso ou na vida após a morte.
Mas o que é o céu e como o pode encontrar?
Há prova de que o céu existe?
É possível conversar com os seus entes queridos falecidos?
É possível encontrar o paraíso na Terra?
Teresa Cheung oferece respostas a todas estas perguntas eternas e mais.
O livro trata da antiquíssima busca para o sentido da vida até hoje com conselhos sobre como reconhecer a presença de espíritos na vida quotidiana e decifrar as mensagens divinas que nos enviam constantemente.
Com diversas informações sobre o caminho para o céu que pode ser tomado (com ou sem credo ou crença em Deus), os leitores irão aprender que o céu não é só «lá fora», mas que também pode ser descoberto dentro de nós. Qualquer pessoa que anseie por orientação espiritual que transcenda a religião encontrará neste livro um guia de referência e uma constante fonte de alimento e inspiração.
A obra tem como tema uma viagem, apresentando a procura do céu como a busca de um tesouro escondido – fácil de descobrir se tiver o mapa certo – e pode ser usado para força, orientação e incentivo, sempre que tiver necessidade de conforto, esperança e amor.
Sempre que precisar de se lembrar que o céu existe e que pode encontrá-lo sempre que desejar, aqui e agora.
Theresa Cheung é uma estudiosa de anjos, guias espirituais, sonhos e visões da outra vida, e sente que os anjos guiam e orientam a sua vida e escrita. Ela própria teve também várias experiências angélicas, algumas das quais partilha neste livro.

Sobre a autora
Theresa Cheung nasceu numa família de espiritualistas com poderes psíquicos. Desde que se formou no King’s College, em Cambridge, tem estado envolvida no estudo sério dos fenómenos paranormais, há mais de 25 anos, tendo sido aluna do College of Psychic Studies, em Londres.
É autora de diversos livros, incluindo o best-seller internacional The Element Encyclopedia of 20,000 Dreams, bem como The Element Encyclopedia of the Psychic World, The Element Encyclopedia of Birthdays e Working with Your Sixth Sense.
Os seus livros já foram traduzidos em mais de 20 línguas e objecto de artigos nas revistas It’s Fate, Spirit and Destiny e Prediction.
Colaborou também em livros de Derek Acorah, Yvette Fielding e Tony Stockwell.
Se já teve uma experiência angélica e deseja partilhá-la com Teresa, ela terá muito gosto que lhe escreva. Por favor contacte-a ao cuidado de HarperElement, Editorial Department, 77-85 Fulham Palace Road, London W6 8JB ou envie-lhe directamente quaisquer histórias inspiradoras e exaltantes para: angeltalk710@aol.com

JUVENIL 
Título: A FEITICEIRA DAS TEMPESTADES
Autor: Tea Stilton
N.º de Páginas: 280 + 16 páginas a cores
PVP: 16,65€
Nas livrarias a partir de 3 de Fevereiro
Após a derrota do Príncipe sem Nome, as princesas têm de enfrentar um novo e aguerrido inimigo: as Feiticeiras Cinzentas.
Antigas aliadas do Rei Malvado, estas criaturas sem tempo estão determinadas a combater as Princesas com as armas da Magia sem Cor.
Numa batalha sem precedentes, as cinco filhas do Rei Sábio irão descobrir que algo no passado das feiticeiras, um segredo escondido no tempo, será revelado para as poder derrotar.

Neste novo livro, o céu está a ficar escuro, e o vento fustiga as nuvens: o feitiço da Tempestade Final está para começar.
Chegou a hora de as Princesas enfrentarem a terrível Feiticeira Etérea, Senhora das Tempestades e Soberana do Raio…
Uma clássica luta entre o Bem e o Mal, recheada de valores de solidariedade, bravura e romantismo, onde o amor à natureza, a fraternidade e a valentia vencem os maiores obstáculos.
Recomendado para crianças a partir dos 8 anos.
Este livro, tal como os anteriores da série, é ilustrado a preto e branco, e inclui dezasseis páginas a cores com todos os segredos da Rainha.
E há mais uma surpresa: a parte interior da sobrecapa transforma-se num fantástico poster da Feiticeira.
Mais de 35.000 exemplares vendidos em Portugal desta colecção
Desta colecção Princesas do Reino da Fantasia fazem parte os seguintes livros:
Princesa dos Gelos;
Princesa dos Corais;
Princesa do Deserto;
Princesa das Florestas;
Princesa da Escuridão;
Rainha do Sono;
Feiticeira das Marés;
Feiticeira das Chamas;
Feiticeira do Som.


No dia 4 de fevereiro, a Porto Editora lança A Sala Magenta, um romance de Mário de Carvalho

Título: A Sala Magenta
Autor: Mário de Carvalho
Págs.: 184
PVP: 14,40 €

No dia 4 de fevereiro, a Porto Editora lança A Sala Magenta, um romance de Mário de Carvalho sobre uma paixão devastadora e obsessiva, protagonizada por um homem derrotado e uma mulher inalcançável. Neste livro, vencedor do Prémio Fernando Namora, o autor procurou «começar a construir um universo ficcional povoado de homens mal-amados, sobre a relação sobremaneira equivocada e frustrante entre homens e mulheres. Sobre o desconsolo. Sobre a tristeza. Sobre todos nós». Retratando uma geração de artistas falhados, de intelectuais boémios iludidos, A Sala Magenta é um marco na obra de Mário de Carvalho e romance de que o autor mais se orgulha de ter escrito. Deixa porém uma advertência: «Procurar moldes da vida real para acontecimentos e personagens é ter em má conta a imaginação do autor. Pode ser que ele o mereça, mas não os lesados por equívocos de leitura.» A Sala Magenta vai ser publicado em França este ano pela editora Les Allusifs, numa tradução de Marie-Hélène Piwnik.

Sinopse:
Paixão, luxúria e erotismo. Raiva, crueldade e regelo. Dois tempos. O presente, numa casa na floresta, perto da Lagoa Moura, onde pena Gustavo Miguel Dias, um cineasta em fim de carreira, lambendo as suas feridas e rememorando tempos gloriosos. O passado, impante na capital. As festas. O álcool. Os quartos de hotel. O rol interminável de mulheres e amantes. E aquela sala magenta, duma tal Maria Alfreda, antecâmara da felicidade, conchego alcatifado, jogo perverso entre o desdém, o apaziguamento e a ameaça.

Sobre o autor:
Mário de Carvalho nasceu em Lisboa em 1944. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico. Desde então, tem praticado diversos géneros literários, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Nas diversas modalidades de Romance, Conto e Teatro, foram atribuídos a Mário de Carvalho os prémios literários portugueses mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance, Conto e Teatro da APE, o prémio do PEN Clube e o prémio internacional Pégaso). Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas.
Página do autor: www.mariodecarvalho.com


Novidade Booksmile: O Pombo mais rebelde e teimoso está de regresso!

Título: O Pombo Precisa de um banho!
N.º de Páginas: 40
PVP: 9,99€ 
Saída 1 fevereiro

O pombo mais rebelde, mais teimoso, e que quer, porque quer, fazer coisas que não pode, está de volta para continuar a causar confusão!

Com mais de 7 milhões de livros vendidos, os livros do Pombo, de Mo Willems, são um êxito mundial. Todos os volumes já editados foram bestsellers do New York Times. Não Deixes o Pombo Guiar o Autocarro, já editado pela Booksmile, foi considerado um dos 100 melhores livros para crianças pela revista Time.
Mo Willems é um autor e ilustrador que já ganhou três menções honrosas do Caldecott Award, o mais importante prémio de literatura infantil nos EUA.
Começou a sua carreira na Rua Sésamo, onde ganhou seis prémios Emmy como argumentista. Os seus desenhos e esculturas já foram exibidas em inúmeras galerias e museus nos EUA, incluindo The Eric Carle Museum of Picture Book Art, o High Museum, em Atlanta, e no The New York Historical Society. A novela gráfica que fez para a DC Comics, sobre a experiência da sua família durante o 11 de novembro, integra uma coleção permanente na Livraria do Congresso. Vive com a família, e o Pombo, no estado do Massachusetts, nos EUA.
Curiosidade: Em todos os livros que Mo Willems ilustrou existe um pombo escondido. 
«O Pombo odeia os livros que não são sobre ele. Por isso, ele esconde-se em todos os livros que eu ilustro.» - Mo Willems.
O Pombo está mesmo sujo! Não achas que ele está a precisar de um banho? O problema é que ele é tão teimoso que vai arranjar mil e uma desculpas para fugir da água. Será que vais conseguir convencer o Pombo a entrar na banheira?


Guerra & Paz: Vem aí um livro sem papas na língua

Título: O Livro do Filho da Puta
Autor: Manuel Maria Tolentino
N.º de Páginas: 112
PVP: 12,00 €
Nas livrarias a 3 de Fevereiro
Guerra e Paz

Sinopse
Este livrinho não é um tratado, uma tese ou uma bio­grafia. É somente um guia prático, o que significa que vai guiar-nos através do singular mundo do F. da P. Extraordinário livro que nos ajuda a conhecer melhor o país, o nosso tempo e até todos os sexos (os poli­valentes e os de multiusos) que proliferam nas nossas cidades. Embora possa não parecer, trata-se de um livro afectuoso que deve ser lido em Portugal ou em qualquer país.

Inclui 14 admiráveis listas, que vão da lista de «Des­tinos turísticos filhos da puta» até à «Lista com que o filho da puta exemplifica o seu humor raivoso».

Sobre o autor:
Não tem pai, nem mãe. É au­tor de um livro filho da puta. Ou, dito de outra ma­neira para que se guarde o conveniente pudor e um sossegado bom gosto, um livro F. da P. Tomando por imprestáveis os ensinamentos de Eça, Manuel Maria Tolentino escreveu este livro, mas recusou-se a plantar uma árvore e, sobretudo, a fazer filhos. Dele dir-se-á, no futuro: não deixou descendência e levou vida quase conventual em Lisboa.


Coolbooks publica Padre-homem, segundo volume de trilogia de Carlos Soares

Título: Padre-homem
Autor: Carlos Soares
Formato: e-wook
N.º páginas (estimado): 272
PVP: 5,99 €

Padre-homem, segundo volume da trilogia de Carlos Soares (publicada postumamente) que explora de forma desassombrada as fantasias ocultas na nossa sociedade, está agora disponível em coolbooks.pt e na livraria virtual wook.pt.
Esta obra transporta os leitores para o Portugal rural do final dos anos 50, num cenário em que a influência da religião molda a moral e os costumes do dia a dia. Raul, o jovem pároco de Pedra Grande, vê as suas crenças serem abaladas quando conhece Susana e cede perante a sua condição de homem. Criada com a disciplina rigorosa de um convento, Susana desde cedo encontrou formas pouco ortodoxas de escapar à rotina enfadonha, tornando-se manipuladora, independente e impulsiva. O romance tórrido une-os em sentimentos de culpa, proibição e fragilidade. Poderá o amor florescer no isolamento e na aridez emocional imposta pelas obrigações eclesiásticas? A trilogia dedicada às parafilias e tabus é completada por A menina (obra já publicada em 2015) e Pontos de não-retorno (a publicar no final do primeiro semestre).

Sobre o autor:
Falecido em 2011, aos 76 anos, Carlos Soares levou uma vida ligada ao mundo da comunicação. Mário Zambujal elogiou o seu «rigor de jornalista, pelo domínio sábio do sentido de cada palavra» e, como demonstram as obras agora publicadas pela Coolbooks, a «arte de bem escrever». Para ler um excerto deste ebook, clique nesta ligação.
Carlos Soares dedicou toda a sua vida ao jornalismo, tendo trabalhado, entre outros, no jornal O Século, na RTP e na produtora televisiva de Manolo Bello. Um AVC quando o autor tinha 45 anos foi ensejo para afadigado escrever-escrever visando a recuperação possível. O erotismo e as parafilias marcaram a sua escrita, num controverso e precioso legado agora publicado pela Coolbooks.


Novidade TOPSELLER: P.S. Ainda Te Amo de Jenny Han

Título: P.S. Ainda Te Amo
Autor: Jenny Han
N.º de Páginas: 272
PVP: 15,98€
Saída a 1 de fevereiro

A Topseller dá continuidade à história de A Todos os Rapazes que Amei , com a publicação de P.S. Ainda Te Amo, livro finalista do Goodreads Choice Awards para Melhor Romance Young Adult. Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito atribulada, pelo menos na sua imaginação. Ela jamais imaginou que as cartas que escreveu a despedir-se dos rapazes por quem se apaixonou, mas a quem nunca teve coragem de confessar o seu amor, chegassem às mãos dos seus destinatários. E por causa disso meteu-se numa grande confusão. Para escapar à vergonha, começou um namoro a fingir com o Peter Kavinsky. Lara nunca esperou apaixonar-se a sério pelo Peter. E por isso está mais confusa do que nunca.
Agora, ela terá de aprender a estar num relacionamento que, pela primeira vez, não é a fingir. Porém, quando um outro rapaz do seu passado reaparece na sua vida, Lara percebe que também nutre por ele sentimentos mais profundos. Será possível uma rapariga estar apaixonada por dois rapazes ao mesmo tempo?
Uma história delicada e encantadora, que nos mostra que o amor não é fácil, mas que é por isso mesmo que é tão fascinante apaixonarmo-nos.

Elogios
«Uma história envolvente sobre amadurecimento e o primeiro amor.» —Kirkus Reviews
«Lara Jean, com seu humor e inocência, confere uma individualidade singular a esta charmosa história de amor.» —Publishers Weekly

Sobre a autora:
Jenny Han nasceu e cresceu na costa leste dos Estados Unidos da América. Estudou na Universidade da Carolina do Norte e fez um mestrado em Escrita para Crianças em Nova Iorque, onde mora atualmente.
Se pudesse escolher um emprego, Jenny Han gostaria de ser ajudante do Pai Natal, provadora de gelados ou a melhor amiga da Oprah, entre outras coisas perfeitamente vulgares. Tem uma predileção por meias até ao joelho e come qualquer sobremesa, desde que seja de maracujá.
É autora da trilogia The Summer I Turned Pretty, bestseller doNew York Times. O primeiro livro da autora editado pela Topseller, A Todos os Rapazes que Amei , será em breve adaptado ao cinema. Chega agora a sua continuação que promete conquistar os leitores apaixonados.


Novembro, de Jaime Nogueira Pinto, Relançamento com nova capa

Novembro não é um livro de História, é um romance que se lê como um romance, um xadrez de personagens, lugares, paixões, segredos, intrigas. E também a memória de um Portugal desaparecido.

Em Novembro tudo acaba: o Império, a Revolução e os sonhos dos que, dos dois lados, não ficaram no meio e deram tudo por tudo.

Na sua 4ª edição. A Esfera dos Livros relança o romance de Jaime Nogueira Pinto com uma nova capa.

Sobre o autor: 
Jaime Nogueira Pinto colabora regularmente na imprensa portuguesa. Publicou por A Esfera dos LivrosAntónio de Oliveira Salazar, Jogos Africanos, Nuno Álvares Pereira e Nobre Povo. É autor de obras de História Contemporânea, como O Fim do Estado Novo e as Origens do 25 de Abril. Nasceu no Porto em 1946, licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa e é doutorado em Ciências Sociais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, onde leciona Ciência Política e Relações Internacionais. Foi administrador da Bertrand, S.A. e diretor de O Século. É administrador de empresas na área de segurança,business intelligence e aconselhamento estratégico.


Perguntem a Sarah Gross - João Pinto Coelho [Opinião]

Título: Perguntem a Sarah Gross
Autor: João Pinto Coelho
Páginas: 448
Editor: Dom Quixote
PVP: 16,90€

Sinopse:
Em 1968, Kimberly Parker, uma jovem professora de Literatura, atravessa os Estados Unidos para ir ensinar no colégio mais elitista da Nova Inglaterra, dirigido por uma mulher carismática e misteriosa chamada Sarah Gross. Foge de um segredo terrível e procura em St. Oswald’s a paz possível com a companhia da exuberante Miranda, o encanto e a sensibilidade de Clement e sobretudo a cumplicidade de Sarah. Mas a verdade persegue Kimberly até ali e, no dia em que toma a decisão que a poderia salvar, uma tragédia abala inesperadamente a instituição centenária, abrindo as portas a um passado avassalador.
Nos corredores da universidade ou no apertado gueto de Cracóvia; à sombra dos choupos de Birkenau ou pelas ruas de Auschwitz quando ainda era uma cidade feliz, Kimberly mergulha numa história brutal de dor e sobrevivência para a qual ninguém a preparou.
Rigoroso, imaginativo e profundamente cinematográfico, com diálogos magistrais e personagens inesquecíveis, Perguntem a Sarah Gross é um romance trepidante que nos dá a conhecer a cidade que se tornou o mais famoso campo de extermínio da História. A obra foi finalista do prémio LeYa em 2014.

A minha opinião: 
Logo que li a sinopse de "Perguntem a Sarah Gross" que decidi que tinha que ler este livro. Não o consegui comprar logo, mas mais cedo ou mais tarde ele veio parar à minha estante e, logo que chegou, da estante saltou para as minhas mãos, pois então. 

Muito se tem falado deste "Perguntem a Sarah Gross". De facto, estava curiosa para saber se tantas opiniões favoráveis tinham fundamento. Daí ter partido com expectativas demasiado altas em relação ao livro, o que nem sempre é bom. A desilusão podia ser grande. Felizmente foi uma verdadeira surpresa. 

Ao longo de uma semana as cerca de 450 páginas foram-me acompanhando, dando-me a conhecer a história arrebatadora de Sarah, Daniel, Esther, Kimberly. Desejei apreciar o livro, senti-lo de uma forma diferente, não queria abandoná-lo logo. É difícil dizer adeus a um livro que nos consegue envolver desta forma. 

Desenrolada entre os anos 20 e os 60 do século passado, entre a Polónia e os EUA, em campos de concentração, ou num colégio privado que estava a dar os primeiros passos para o fim da segregação racial, a história surpreende completamente, até com um toque policial pelo meio. O final brutal e sem estar à espera deixou-me boquiaberta. Muito bom. 

Quanto às descrições de tal forma cruas e demasiados vividas deixaram-me muitas vezes às lágrimas, lembrando-me que este horror foi há bem pouco tempo e esteve bem perto de nós. 

Ou melhor, que este horror ainda acontece bem perto de nós, apenas perpetrado por outras pessoas a outras pessoas. Só muda a figura... 

Uma leitura que recomendo sem quaisquer reservas.

Excertos:
"...O que vale uma hipérbole quando o verbo é de encher?" pag. 15

"Quando o dia de trabalho de Sabina chegou ao fim, Esther despediu-se de Sarah e prometeram voltar a ver-se, Nenhuma das duas poderia adivinhar quantas vezes o fariam, nem o que ali acabara de nascer," pag. 107

"Para quem ama, a única concessão que a verdade permite é mesmo essa, o tempo." pag. 232

"Como será que vê o mundo quem já presenciou uma coisa assim?" pag. 388

"E depois havia a fome... Como se descreve a fome em Auschwitz?
Por palavras? Haveria que as inventar, primeiro. 
Não, a fome naquele lugar não se media pelo verbo, antes pela aritmética das horas. As horas que passavam desde a última refeição e as horas que faltavam até à próxima." pag, 396

"Sair com vida de Auschwitz não é o fim de nada. Acho que só se sobrevive aos campos na hora em que se morre, O verdadeiro problema está nos dias em que têm de ser vividos, mas uma coisa é certa: sempre que um desses monstros é apanhados, tudo se torna um bocadinho menos sombrio." pag. 432



Depois da publicação de Os Maias, de Eça de Queiroz, e O Que Fazem Mulheres, de Camilo Castelo Branco, a Guerra e Paz prossegue a edição de Clássicos da Literatura Portuguesa com A Cidade e as Serras

Título: A Cidade e as Serras
Autor: Eça de Queiroz
N.º de Páginas: 264
PVP: 9,50 €
Género: Ficção/Literatura Portuguesa
Nas livrarias a 3 de FevereiroGuerra e Paz Editores

Sinopse:
No fim da vida, numa carta a uma parenta aristocrata que conhecera Paris nos tempos áureos, terminava Eça: «Deus nos dê paciência para aturar a civilização.» A par da descrença, que se ia insinuando naquele fim de século, na ciência e na técnica, a visão da vida e do mundo de Eça, a caminho dos 60 anos, também já era outra.

A Cidade e as Serras é o último romance de Eça de Queiroz, obra que o autor não viu publicada em vida, nem tão pouco pôde rever com a minúcia e o engenho que lhe eram carac­terísticos. São dezasseis capítulos os que constituem o livro que é muitas vezes apontado como o marco de viragem no corpus queirosiano e onde assistimos à gradual transformação de Jacinto de Tormes, personagem não menos vezes tida, por leitores e estudiosos, como reflexo do próprio autor.

De homem citadino e adepto incondicional da civilização e do progresso, representados pela cidade de Paris, então ca­pital do mundo, entregue a um fastio e a um tédio inexplicá­veis, Jacinto metamorfoseia-se em apaixonado pela Natureza e pelo campo (e, concretamente, as serras de Tormes), cheio de entusiasmo, vitalidade e apetite pela vida. O desenlace vem, pois, desmentir o citadino do início da intriga, que jurava que «o homem só é superiormente feliz quando é superiormente civilizado». Jacinto nunca mais voltaria a Paris.

Sobre o autor:
Nasceu a 25 de Novembro de 1845 na Póvoa do Varzim. Por não ser reconhecido pela mãe, viveu até aos 4 anos em Vila do Conde, com a madrinha. Em 1849, os pais casaram-se e Eça mudou-se para casa dos avós paternos, em Aveiro. Só aos 10 anos regressou ao Porto e se juntou aos pais. Concluídos os estudos liceais no Colégio da Lapa, ruma a Coimbra em 1861 para cursar Direito. É aí que conhece Antero de Quental e Teófilo Braga. Já formado, vai de malas e bagagens para Lisboa em 1866, e é na capital que se dedica à advocacia, mas também ao jornalismo, dirigindo o Distrito de Évora e publicando folhetins na Gazeta de Portugal, que seriam reunidos anos mais tarde em Prosas Bárbaras. Depois de viajar pela Palestina, Síria e Egipto e assistir à inauguração do Canal do Suez, em 1869 – viagem que desaguaria, mais tarde, em títulos como O Egipto e A Relíquia – envolve-se nas Conferências do Casino e começa a espalhar As Farpas, em 1871, um ano depois de ter publicado O Mistério da Estrada de Sintra, no Diário de Notícias, ambos a quatro mãos, com Ramalho Ortigão.

Ingressa depois na carreira diplomática, e é em Leiria, como administrador do concelho, que escreve O Crime do Padre Amaro. Entre 1873 e 1875, exerce o cargo de cônsul em Havana, Cuba, e é depois transferido para Inglaterra. Durante os dois anos que se seguem, envia textos de Bristol e Newcastle para a imprensa nacional e brasileira, inicia a escrita de O Primo Basílio e faz os primeiros esboços para Os Maias, O Mandarim. Regressa à pátria com 40 anos e casa-se, em 1886, com Emília de Castro Pamplona, onze anos mais jovem. Em 1888, é enviado para o consulado de Paris. Segue-se a publicação dos Maias e, nos periódicos, da Correspondência de Fradique Mendes e A Ilustre Casa de Ramires. Fundador da Revista de Portugal, de que é também director, visita frequentemente o país, aproveitando as estadas para jantar com os Vencidos da Vida. É no Paris de Jacinto, de A Cidade e as Serras – título que, como muitos da sua obra, só viria a ser publicado postumamente –, que vem a falecer a 16 de Agosto de 1900, vítima de doença prolongada.

Adoro esta coleção. As capas são lindíssimas. E este livro é dos melhores que Eça escreveu. Depois de o lerem é obrigatório uma visita a Tormes ;) Já o li há anos, quando foi obrigatório na minha altura do secundário e gostei. Depois, anos mais tarde visitei Tormes, Baião, concelho ao lado do meu, com os meus pais. Anos depois, quis mostrar o cenário de Eça ao meu futuro marido e visitei novamente Tormes, mas o gosto pelos livros não se entranhou nele... Daqui a uns anos, poucos, quero levar a minha filha, porque Eça é obrigatório!


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

TOPSELLER publica Chama-me de J. Kenner

Título: Chama-me 
Autor: J. Kenner
N.º de Páginas: 352
PVP: 17,69€
Saída a 1 de fevereiro

Chama-me é o primeiro livro de uma nova trilogia no excitante universo Stark , com novas personagens e uma nova história escaldante, da escritora que já conquistou milhares de fãs em Portugal.
Ele é o único homem que a fez sentir-se viva. Mas também é aquele que a poderá destruir.
Sylvia Brooks, assistente pessoal de Damien Stark, não vai deixar que nada nem ninguém atrapalhe o seu primeiro grande projeto imobiliário, mesmo que isso signifique ter de pedir ajuda ao homem que jurou nunca mais querer encontrar.
Jackson Steele tornou-se um dos mais famosos e desejados arquitetos, mas não consegue tirar Sylvia do pensamento, bem como o facto de ela o ter abandonado após um caso escaldante entre os dois. Magoado e com desejos de vingança, ele só aceitará ajudá-la com uma condição: tê-la na sua cama, possui-la por completo.
Determinada a fazer quase tudo por aquele projeto, que poderá ser decisivo para a sua carreira, Sylvia terá de decidir se arrisca os seus mais profundos e íntimos desejos, cedendo o controlo do seu corpo, e talvez até da sua alma, ao único homem que poderá significar a sua salvação – ou a sua perdição.
Depois da publicação das séries Most Wanted e Stark, a Topseller dá início à nova série Stark International com o livro Chama-me, da autora vencedora do prémio RITA para Melhor Romance Erótico, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance.

Elogios;
«As leitoras que queriam mais histórias sensuais da série Stark vão ficar em delírio com esta nova série, passada no mesmo universo de luxúria. Este primeiro livro da série irá cativar os fãs de romances eróticos intensos.» —RT Book Reviews

Sobre a autora:
J. Kenner é uma autora norte-americana cujas obras estão em todas as listas de bestsellers do seu país, incluindo as do New York Times e do USA Today. Entre os mais de quarenta romances, novelas e contos que já publicou, a série Stark – Liberta-me, Deseja-me, Ama-me, Possui-me, Captura-me, todos publicados pela Topseller – é a que tem maior êxito.
Deseja-me venceu em 2014 o Prémio RITA para Melhor Romance Erótico, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance.
A Topseller, que tem vindo a publicar a sérieMost Wanted, com o romance Desejo-te e Seduzo-te, começa agora uma nova série, Stark International , comChama-me. A revista Publishers Weekly elogia J. Kenner enquanto escritora com um «imenso talento para os diálogos e para criar personagens originais».


Hoje é dia de momentos Wook

Booksmile: Queres ser um cientista ou um inventor?


Que criança nunca imaginou vir a ser, um dia, cientista ou inventor? A curiosidade constante pelo meio que as rodeia leva, naturalmente, as crianças a fazerem perguntas. O que é, claro, saudável. E este dois novos livros, cheios de atividades acompanhadas com explicações, vão ajudar os mais pequenos a aprender e compreender diversos factos sobre ciências e invenções.
Uma viagem ao conhecimento que promete ser muito surpreendente!
Invenções: Descobre a Brincar
Sabes o que acontece quando abres a torneira para lavares as mãos? Porque é que abrir uma porta é tão fácil e ela não cai? Como é que as pontes ficam suspensas sobre os rios?
Embarca nesta viagem do conhecimento e supera desafios divertidos e surpreendentes.
Vais descobrir que tudo tem uma explicação inteligente. No fim, serás um pequeno grande inventor!

N.º de Páginas: 32
PVP: 6,99 €
Saída a 1 de fevereiro


Novidades Booksmile a partir de 1 de fevereiro

Título: Eu Cómico 4: Na TV
Autor: James Patterson
N.º de Páginas:320
PVP: 15,49€
Saída 1 fevereiro

O miúdo mais cómico do mundo está de regresso e desta vez vai à televisão! Prepara-te
que as gargalhadas vão ser muitas!

EU SOU O JAMIE GRIMM, E… VOU APARECER NA TV!!!
Sim, leste bem! Vou ter o meu próprio programa de TV, inspirado nos episódios engraçados da minha vida.
Brutal, certo? Só há um pequeno problema… É que a minha vida não é propriamente de partir o coco a rir, e a malta de Hollywood está à espera de um programa mega cómico! Para piorar, a ideia deles de piadas só me dá vontade de chorar!
O que achas? Ponho-me a milhas? Ou mostro a esta malta QUEM ESCREVEU O MANUAL DAS PIADAS? Carrega no Play e vais ler automaticamente as melhores piadas de sempre! Desde que vires as páginas à mão…

Eu Cómico na TV 4: O Maior Maluco do Riso é o quarto volume de uma coleção de grande sucesso em Portugal, com mais de 27 mil exemplares editados.

Sobre o autor: 
James Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor  da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte e cinco anos dentro do seu género. Entre os seus maiores bestsellers estão também as coleções Private: Agência Internacional de Investigação, The Women's Murder Club (O Clube das Investigadoras) eMichael Bennett .
James Patterson é o autor que mais livros teve até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, segundo o Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 280 milhões de exemplares. Patterson escreveu também diversos livros para leitores jovens e jovens adultos, de grande êxito, entre os quais estão as séries Confissões, Maximum Ride, Escola e Eu Cómico.
Em Portugal, James Patterson é publicado pela Topseller (adulto e jovem adulto) e pela Booksmile (juvenil).

Título: O Diário de Dennis, O Pimentinha 4: O Bandido Misterioso
Autor: Steven Butler
N.º de Páginas: 176
PVP: 10,49€
Saída 1 fevereiro

As terríveis partidas e histórias que o Pimentinha tem para pregar e contar continuam no novo: O Diário de Dennis, o Pimentinha 4: O Bandido Misterioso. Uma coleção inspirada na clássica personagem de Banda Desenhada, da autoria de Steven Butler. Dramaturgo, romancista e autor (www.stevenbutlerbooks.com), Steven Butler foi nomeado para o prestigiante prémio humorístico Roald Dahl Funny Prize pela sua coleção The Wrong Pong. Ator, dançarino, artista de circo e fã de banda desenhada desde a infância, o autor desta divertida coleção entrou em várias peças como O Feiticeiro de Oz ou The Tempest (ao lado de Ralph Fiennes) nos famosos teatros londrinos de West End.


Sinopse:
Não sei se já disse isto, mas: AAARRRGGGHHHHH!!!! Querem um diário? Muito bem, vão ter um. O diário mais terrível de sempre. E também vão descobrir que ser mestre em pregar partidas não é nada fácil. Mas nem imaginam os truques e partidas que eu e os meus amigos temos na manga. Estão preparados?
Ao que parece estou (ultra)passado! Anda por aí alguém a pregar partidas TERRÍVEIS que deveria ter sido eu a inventar. Como pode estar isto a acontecer? Não sei quem é este bandido, ma vou usar as minhas armas para descobrir e desmascarar. Alguém devia avisá-lo que nesta cidade só há lugar para um de nós! E ESSE LUGAR É MEU, OBVIAMENTE!


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A ASA lança o segundo volume da série «Academia de Etiqueta», de Marion Chesney

Título: A Perfeição de Fiona
Autor:
Marion Chesney
N.º de Páginas: 240
Coleção: Série Academia de Etiqueta #2
PVP: 15,50€

No seguimento da publicação do livro A Educação de Felicity, a Asa apresenta A Perfeição de Fiona, o segundo volume da aclamada série Academia de Etiqueta. 
Da autoria de Marion Chesney (M. C. Beaton), uma das escritoras mais queridas dos leitores britânicos,Academia de Etiqueta é uma série de seis livros protagonizada pelas formidáveis irmãs Tribble que colocam a sua educação esmerada ao serviço das jovens, apresentando-as à alta-sociedade e arranjando-lhes casamento.

Sinopse:
As formidáveis irmãs Tribble estão intrigadas. Por um lado, estão contentes por terem nas mãos mais uma jovem a quem preparar para a vida na alta-sociedade. Mas por outro, a sua nova cliente, Fiona Macleod, parece ser tudo menos intratável. Precisará mesmo da ajuda da Academia de Etiqueta? A lindíssima e abastada herdeira escocesa não tem um único defeito que se lhe aponte: é educada, graciosa, recatada, e fluente em italiano! Infelizmente, aos dezanove anos, ainda não arranjou marido, e é esse o plano de Mr. e Mrs. Burgess, tios e guardiões de Fiona.
A única recomendação? Que ela se mantenha afastada de Lord Peter Harvard.
Mas a verdadeira Fiona está prestes a revelar-se. E escolhe logo o seu primeiro baile para o fazer. Namorisca despudoradamente com os seus inúmeros pretendentes e aborda assuntos proibidos para qualquer jovem que se preze. Pois a verdade é que Fiona não tenciona casar-se... e nem mesmo as atenções de Lord Peter, o solteiro mais cobiçado da sociedade, a farão mudar de ideias. Mas quando as discussões acaloradas entre ambos dão lugar a beijos escaldantes, é possível que Fiona esteja prestes a reconsiderar...

Sobre a autora:
Marion Chesney (também conhecida pelo pseudónimo M.C. Beaton) nasceu na Escócia. Autora de uma vasta obra que se divide em romances de época e livros policiais, é uma das escritoras mais queridas dos leitores britânicos. Divide o seu tempo entre uma pequena vila nas Cotswolds e Paris.






O Mapa dos Ossos, de James Rollins, nas livrarias a 5 de fevereiro

Título: O Mapa dos Ossos
Autor: James Rollins
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Rui Viana Pereira
N.º de páginas: 504
Data de lançamento: 5 de fevereiro
PVP: 17,70€

Alguns segredos deveriam permanecer enterrados.
Durante um serviço religioso apinhado numa catedral da Alemanha, intrusos armados com vestes de monges desencadeiam um pesadelo de sangue e destruição. Não vão à procura de ouro, mas sim de algo bem mais valioso: os ossos dos Reis Magos que prestaram homenagem ao Salvador, um tesouro que pode dar novos contornos ao mundo.
Com o Vaticano em tumulto, os operacionais da Força Sigma de Grayson Pierce entra em ação, tentando desvendar um antigo mistério que os leva através das Sete Maravilhas do Mundo e termina à porta de uma antiga ordem secreta, mística e aterradora, que tem planos para as relíquias roubadas e para alterar o futuro da humanidade… quando a ciência e a religião se unem para libertar um horror nunca visto desde os primórdios do tempo…

Sobre o autor:
James Rollins é autor de perto de vinte livros, todos eles best-sellers do New York Times. Os seus livros estão publicados em mais de quarenta países. A sua série Força Sigma, na qual se inclui A Sexta Extinção, foi considerada «no topo das boas leituras» (New York Times) e uma das «melhores leituras de verão» (revista People). Em cada romance revelam-se mundos invisíveis, descobertas científicas e segredos históricos, com a acção a um ritmo alucinante e uma narrativa completamente original.
www.jamesrollins.com


terça-feira, 26 de janeiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora - Francisco José Viegas - 25 anos de mistérios de Jaime Ramos

Título: A Poeira que Cai sobre a Terra e outras histórias de Jaime Ramos
Autor: Francisco José Viegas
Págs.: 296
PVP: 15,50 €

Em 1991, Francisco José Viegas apresentava pela primeira vez ao público aquele que é provavelmente o mais conhecido inspetor português, Jaime Ramos.
25 anos e oito romances depois, a Porto Editora lança, a 4 de fevereiro, aquela que é a primeira compilação de histórias protagonizada por este «anti-herói», A Poeira que Cai sobre a Terra e outras histórias de Jaime Ramos. Aqui encontramos cinco histórias policiais, género que o autor reconstruiu à sua maneira, muito distintas no seu enredo, todas partindo ou chegando do Porto, cidade de muitos segredos, e onde o protagonismo de Jaime Ramos acaba por ser partilhado com fortes personagens femininas, algumas já conhecidas dos leitores. Com uma escrita inteligente, ritmada, oscilando entre a esperança e a melancolia, Francisco José Viegas traz de volta, em cinco episódios, o icónico inspetor que, na verdade, nunca nos abandonou.

Sinopse:
O cenário de um crime e uma mulher: que é um misto de insatisfação e independência. Ora é uma jovem em roda livre, entregue à noite do Porto, ou uma mãe condecorada com as divisas e medalhas da aristocracia inglesa que se deslumbra com o Douro. Uma mulher arrebatadora que é um romance rock’n’roll, uma estrada de pó, ou uma atleta olímpica cujo corpo não pede explicações. Um corpo sem vida no meio de uma livraria, limpo, no meio dos romances – e Jaime Ramos lia romances, era uma vergonha –, ou uma mulher que espera o regresso do marido que não chega, o beijo de todos os dias, o cheiro do cigarro que lhe proibiu.
Cinco histórias reunidas agora em livro pela primeira vez. A todas elas é comum a figura da mulher e todas são guiadas pela voz do inspetor Jaime Ramos, cujo olhar, pela mão de mestre do autor, paira aqui como uma sombra, uma intromissão na vida interrompida, um vulto vigilante que se confunde com o fumo da cigarrilha ou do charuto. Um Jaime Ramos sozinho que conhece as mulheres e os homens demasiado bem.

Sobre o autor:
Francisco José Viegas nasceu em 1962. Professor, jornalista e editor, é responsável pela revista Ler e foi também diretor da revista Grande Reportagem e da Casa Fernando Pessoa. Colaborou em vários jornais e revistas, e foi autor de vários programas na rádio e televisão. Da sua obra destacam-se livros de poesia (Metade da Vida, O Puro e o Impuro, Se Me Comovesse o Amor) e os romances Regresso por um Rio, Crime em Ponta Delgada, Morte no Estádio, As Duas Águas do Mar, Um Céu Demasiado Azul, Um Crime na Exposição, Um Crime Capital, Lourenço Marques, Longe de Manaus (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005), O Mar em Casablanca e O Colecionador de Erva. Os seus livros estão publicados na Itália, Alemanha, Brasil, França, Colômbia, Sérvia e República Checa.

Sobre Jaime Ramos:
Jaime Ramos é um inspetor, responsável pela secção de homicídios, da Polícia Judiciária do Porto, cidade onde vive. Algo solitário, pessimista e ligeiramente conservador, mas que nunca se escandaliza com nada e, portanto, para quem tudo o que acontece no mundo é tão humano que não suscita grandes reparos. Tem uma namorada, que vive no mesmo prédio, dois andares acima, e a sua vida afetiva fica reduzida um bocadinho a essa simulação de um casamento sem casa em comum. Gosta de ler, fumar os charutos que compra em Espanha, de cozinhar e de bem comer, e basicamente é um portuense burguês a viver no Porto como uma ilha dentro de outra ilha.
Saiba mais em www.jaimeramos.booktailors.com

Imprensa:
«Contam-se pelos dedos (de uma mão?) os anti-heróis da ficção portuguesa que perduram, ganhando substância na memória dos leitores. Um desses heróis é Jaime Ramos.» Visão
«Com os seus livros, Francisco José Viegas dá uma reviravolta no modelo do romance policial. Um estilo de alto voo.» Le Point
«A sua meteorologia atormentada transforma-se numa metáfora do destino humano.» Le Monde
«Viegas reinventa um género (o policial), e, acima de tudo, faz uma notável biografia de Portugal.» Expresso
«O que menos interessa é o enigma policial. Viegas constrói seus personagens como seres abandonados no mundo, e desenha paisagens únicas, de cinema.» Folha de São Paulo


José Jorge Letria lança livro no Hospital de Santa Marta



segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Alix Christie autora de "O Aprendiz de Gutenberg" em Lisboa

A Saída de Emergência vai trazer a Portugal, no dia 19 de fevereiro, Alix Christie autora do aclamado livro O Aprendiz de Gutenberg.

Depois de ter estudado filosofia no colégio Vassar, Alix Christie tirou jornalismo na Universidade de Berkeley. Tem trabalhado como correspondente para o Washington Post, The Guardian, San Francisco Chronicle. Escreve também para o Economist na área da cultura.

Por volta 1990 começou a escrever ficção. O Aprendiz de Gutenberg é o seu primeiro romance. Veja aqui mais informações sobre a autora e livro. http://www.gutenbergsapprentice.com/reviews/

Sinopse:
Peter Schoeffer é um jovem ambicioso à beira de alcançar o sucesso como escriba em Paris quando o seu pai adotivo, o rico mercador Johann Fust, o convoca à cidade de Mainz para conhecer um homem extraordinário.

Gutenberg, inventor de profissão, criou um método revolucionário – há quem diga blasfemo – de produção de livros: uma máquina a que chama de prensa. Fust está a financiar a oficina de Gutenberg e ordena a Peter que se torne o seu aprendiz. Ressentido por ser forçado a abandonar uma carreira tão prestigiante como escriba, Peter inicia a sua aprendizagem na “arte mais negra”.

À medida que as suas habilidades crescem, assim também cresce a admiração por Gutenberg e a dedicação a um projeto ousado: a impressão de cópias da Bíblia Sagrada.

Mas quando forças externas se alinham contra eles, Peter vê-se num dilema entre os velhos costumes e as novas criações que ameaçam transformar o mundo. Conseguirá ele encontrar uma forma de superar os obstáculos numa batalha que poderá mudar a História?


Convite para a sessão de lançamento de «Praça do Império», de Maria João Carrilho



Porto Editora publica a 1 de fevereiro Milagre de Deborah Smith

Título: Milagre
Autor: Deborah Smith
Tradutor: Elsa T. S. Vieira
Págs.: 456
PVP: 16,60 €

No dia 1 de fevereiro, chega às livrarias Milagre, um novo livro da escritora bestseller Deborah Smith, de quem a Porto Editora publicou já A Doçura da Chuva, Segredos do Passado e O Café do Amor, que obtiveram assinalável êxito junto dos leitores portugueses. Este novo livro, cuja ação se desenrola ao longo de vários anos, tem no seu epicentro uma história de amor entre pessoas aparentemente incompatíveis, narrada no estilo realista, cativante e romântico com que a autora tem alcançado o seu sucesso. Bestseller do The New York Times, Deborah Smith tem já mais de 35 livros publicados e trabalha atualmente enquanto diretora editorial na editora BelleBooks, de que é co-fundadora.

Sinopse:
Sebastien de Savin é um brilhante cirurgião cuja habilidade e arrogância representam uma mistura explosiva. No passado, um segredo obscuro foi o responsável pelo endurecer do seu coração, até que um milagre acontece. O milagre dá pelo nome de Amy Miracle, uma rapariga tímida com um emprego de verão nas vinhas da família de Savin e a última pessoa pela qual alguém como Sebastien esperaria apaixonar-se.
Um acaso junta-os: graças a Sebastien, Amy escapa de uma vida de pobreza e abusos psicológicos, adquire autoconfiança e progride numa carreira de sucesso. Graças a Amy, Sebastien reaprende a rir e desperta para o amor. No entanto, a vida real separa-os. Embora tendo passado pouco tempo juntos, a memória desses preciosos momentos assombra-os durante anos. Até ao dia em que os seus caminhos se cruzam novamente…
Repleto de personagens bem-humoradas e apaixonantes, Milagre é sobretudo uma história de amor e de conflito inesquecível, que mostra como o amor pode parecer improvável, mas nunca é impossível.

Sobre a autora:
Deborah Smith é uma das autoras americanas mais lidas em todo o mundo: a sua obra já vendeu mais de três milhões de exemplares. Nomeada para diversos prémios importantes, como o RITA Award da Romance Writers of America e o Best Contemporary Fiction da Romance Reviews Today, foi distinguida com o Prémio de Carreira atribuído pela Romantic Times Magazine.

Imprensa:
«Deborah Smith escreve cada vez melhor.» Publishers Weekly
«Um livro apaixonante! Engraçado, comovente, com um enredo que nunca se resigna... Um romance esplêndido!» Susan Elizabeth Phillips, autora bestseller do The New York Times
«Este livro incrivelmente mágico vai fazê-lo chorar e sorrir!» Romantic Times
«Uma história de amor autêntica e bela.» Chicago Tribune
«Uma autora extraordinariamente talentosa.» Mary Alice Monroe, autora bestseller do The New York Times
«Uma narradora excecional.» Booklist


A Porto Editora publica, a 1 de fevereiro, o mais recente romance de Catherine Clément, Amemo-nos uns aos outros

Título: Amemo-nos uns aos outros
Autor: Catherine Clément
Tradução: Manuela Torres
Págs.: 272
PVP: 16,60 €

A Porto Editora publica, a 1 de fevereiro, o mais recente romance de Catherine Clément, Amemo-nos uns aos outros, que retrata e desmistifica os tempos agitados da Comuna de Paris e cruza personagens ficcionadas com personalidades históricas como Karl Marx, Victor Hugo ou Louise Michel. No decorrer da narrativa, acompanhamos a emoção das batalhas e motins, a discussão de direitos há muito adiados, a instauração de um novo regime, e uma história de amor marcada pela revolução.
Da longa obra de Catherine Clément, que conta com mais de 30 livros publicados, foi no romance histórico que a autora ganhou o seu grande protagonismo. No catálogo da Porto Editora estão já os romances Dez Mil Guitarras e A Rainha dos Sipaios.

Sinopse:
Em 1871, a Comuna de Paris, a mais nobre revolução que o mundo já conheceu, incendiou os corações e as ruas.
Élisabeth Dmitrieff é a enviada e representante de Karl Marx na capital francesa. Jovem, tão frágil quanto arrebatadora, recusa-se a amar algo ou alguém que não a revolução. Léo Frankel, revolucionário húngaro e também ele membro da Primeira Internacional, tem o sonho de construir um modelo ideal de sociedade sem exploradores nem explorados. Mas poderá o amor nascer na insurreição e sobreviver no coração da barricada?
Numa escrita apaixonada e de ritmo alucinante, Catherine Clément faz o retrato literário destes dias trágicos e gloriosos, «que começaram com a alegria e terminaram com o sangue», oferecendo--nos uma narrativa de esperança e de sonho, numa homenagem a todos cujas vidas foram tocadas pelo Génio da Liberdade.

Sobre a autora:
Filósofa e romancista, Catherine Clément nasceu em 1939, em Paris.
Depois de ter publicado obras de filosofia, antropologia e psicanálise, converteu-se, com sucesso, à ficção. Entre as suas obras mais populares, contam-se A Senhora, Por Amor da Índia, A Valsa Inacabada, A Rameira do Diabo, A Viagem de Théo e O Último Encontro. No catálogo da Porto Editora figuram os seus romances Dez Mil Guitarras e A Rainha dos Sipaios.

Imprensa:
A Comuna de Paris como nunca antes nos foi contada. Marie Claire Um olhar desmistificado e original sobre um acontecimento que marcou indelevelmente a sua época. Le Courrier de l’Ouest Uma homenagem à solidariedade que norteava os partidários da Comuna. Numa escrita entusiasmante, Catherine Clément faz-nos viver os dias sangrentos da Comuna de Paris. Psychologies Magazine
Uma narrativa palpitante, longe da lenda mas próxima das pessoas. L’Echo des Vosges


Novidade Clube do Autor: O novo thriller de Joel C. Rosenberg, o autor de «A Fuga de Auschwitz», chega amanhã às livrarias

Título: Ameaça Global
Autor: Joel C. Rosenberg
N.º de Páginas: 408
PVP: 17,00 €
Tradução: Eugénia Antunes

E se o Estado Islâmico obtivesse armas de destruição em massa? Como seria o nosso mundo? Ameaça Global é um thriller intenso e perturbadoramente atual sobre os bastidores do mundo dos serviços secretos, da intriga política e da ameaça terrorista à escala global. Baseado em factos reais.
O estado Islâmico atacou os governos do Iraque e a Síria, controla armas químicas e tem um terceiro alvo em mira. Será possível evitar o seu plano apocalítico?

«Ameaça Global é mais do que um romance; é um alerta poderoso para o perigo da complacência face à ameaça do radicalismo islâmico.» CBN News

Sobre o autor:
Joel C. Rosenberg é autor de vários bestsellers centrados em temáticas internacionais, com mais de três milhões de exemplares vendidos. Além de ficcionista, dedica-se à não ficção, sendo especialista nas temáticas do Médio Oriente.




Novidade Clube do Autor: Rosa Brava de José Manuel Saraiva

Título: Rosa Brava
Autor: José Manuel Saraiva
N.º de páginas: 348
PVP: 16,00 €

Rosa Brava é um romance baseado numa investigação histórica que reinventa, numa linguagem cativante, uma das personagens mais fascinantes da História de Portugal: Dona Leonor Teles. Desenrola-se por entre intrigas palacianas, traições, assassínios e guerras com Castela.
Perversa e ambiciosa, mulher fora do seu tempo, foge para Lisboa de um casamento que a obrigava a uma vida no campo, e na capital não tem dificuldade em seduzir o jovem monarca, D. Fernando, alcançando, desse modo, o poder que sempre desejou. Mas a nobreza, o clero e o povo não veem com bons olhos esta aliança de adultério com o Rei. E menos ainda quando a formosa Leonor Teles se envolve com o conde Andeiro...

A VIDA DE D. LEONOR TELES,
UMA MULHER EMANCIPADA NUMA CORTE DE LUXÚRIA E CONSPIRAÇÃO

Sobre o autor:
José Manuel Saraiva nasceu na aldeia de Santo António d'Alva, em 1946. Dedicou a sua vida profissional ao jornalismo, tendo pertencido aos quadros de O Diário, Diário de Lisboa, Grande Reportagem e Expresso.