sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Booksmile: O Número das Estrelas - um dos 100 melhores livros de sempre para jovens

Título: O Número das Estrelas
Autor: Lois Lowry
N.º de Páginas: 144
PVP: 10,99€
Saída 15 fevereiro

Com mais de 2,5 milhões de livros vendidos, O Número das Estrelas é um êxito mundial. Distinguido com a medalha Newbery, o mais importante prémio infantojuvenil norte americano, este clássico foi considerado pela revista Time um dos 100 melhores livros de sempre para jovens.
Lois Lowry, vencedora de duas medalhas Newbery, com os títulos O Número das Estrelas e The Giver, entre muitos outros prémios, é conhecida pela sua versatilidade e criatividade como escritora, sendo autora de mais de 30 livros para jovens.
Nasceu no Havai, mas viveu em diversos locais dos Estados Unidos e também no Japão. Casou-se cedo e, durante muito tempo, dedicou-se quase exclusivamente à família. Só mais tarde se voltou para a escrita profissional. Vive no nordeste dos EUA, numa quinta do século XVIII.

Sinopse:
Estamos em 1943. Para Annemarie, a vida em Copenhaga passa-se entre a casa e a escola, dificultada pela escassez de comida e pela presença constante de soldados nazis nas ruas. A coragem parece uma virtude distante, apenas ao alcance dos cavaleiros das histórias de príncipes e princesas que Annemarie conta à irmã Kirsti, antes de ela adormecer.
Quando as tropas alemãs intensificam a campanha para «transferir» todos os judeus da Dinamarca, os pais de Annemarie acolhem Ellen, a sua melhor amiga, fingindo que têm três filhas. As meninas vivem como irmãs até ao dia em que se torna evidente que algo mais precisa de ser feito para salvar Ellen e a respetiva família, assim como os restantes judeus da Dinamarca.
Vista pelos olhos de uma menina de 10 anos, esta é uma história baseada em factos reais que conta os esforços da Resistência dinamarquesa para salvar todos os judeus do país - perto de 700 mil pessoas,
fazendo-os atravessar o mar até à Suécia. Um livro recheado de esperança e heroísmo, que nos mostra como a solidariedade é possível, mesmo em tempos de guerra e horror.

«Um livro essencial e comovente.» - John Boyne, autor de O Rapaz do Pijama às Riscas


Novidade Coolbooks - O último encore de Paulo Costa

Título: O último encore
Autor: Paulo Costa
Formato: e-wook
N.º páginas (estimado): 316
PVP: 6.99€

Em O último encore, romance de estreia de Paulo Costa, fala-se sobre a passagem para a vida adulta, acompanhada de uma banda sonora que vai deixar o leitor agarrado. Uma viagem ao mundo da música e das bandas de garagem, disponível agora em coolbooks.pt e também na livraria virtual wook.pt. Ao mudar-se de Nova Iorque com o pai, o adolescente Cliff nada mais espera do que tédio quando chega a uma pequena cidade de Portugal. Como poderá prosseguir os seus sonhos de formar uma banda de sucesso num país tão pequeno? Porém, o jovem protagonista não desiste e decide espantar a revolta e o tédio que sente criando uma banda de rock. E na cidade que julgava o fim do mundo vai encontrar não só a música, ao descobrir colegas de escola que partilham os mesmos gostos, mas também a amizade, o amor e uma história familiar que todos pensaram estar enterrada.

Sobre o autor:
Paulo Costa tem 28 anos e é natural de Porto da Espada, uma pequena aldeia no concelho de Marvão. Foi neste concelho que realizou os estudos no Ensino Básico, nomeadamente na Escola Básica e Integrada da Ammaia, na Portagem. É no 5.º ano que começa a escrever com mais assiduidade, estimulado pelas leituras que ia fazendo. Foi em Portalegre que, por incentivo de um amigo, aprendeu a tocar viola baixo na Escola de Música Adagio e, depois, por conta própria.
Jurista de formação, com Mestrado em Ciências Jurídico Forenses, viveu de 2014-2016 na Península de Setúbal, primeiro na muito humana cidade do Barreiro e depois junto de uma das baías mais belas do mundo em Setúbal. Atualmente, reside em Bruxelas, onde trabalha.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

VOGAIS: Sabia que Obama e Michelle dançaram ao som de Mary J. Blige na sua primeira noite na Casa Branca?

Título: O Mundo Privado dos Presidentes dos Estados Unidos
Autor: Kate Andersen-Brower

Elogios:
“A revealing look at life inside the White House…it’s Downtown Abbey for the White House staff.” – The Today Show

“A work of great historical interest that is also quite entertaining.” – Kirkus Reviews

“The tell-all The Residence, featuring intimate anecdotes collected from past and current White House staff members, is absolutely delicious.” – The Washington Post

“If you’ve been geeking out over the details of the Underwoods’ residence on House of Cards, or you loved that centerpiece story line on Sunday’s Veep remière, prepare to encounter the motherlode: The Residence.” – Glamour

Os Estados Unidos vivem, por esta altura, uma verdadeira loucura fruto da animada campanha para as eleições presidenciais. São muitos os que sonham um dia vir a habitar a Casa Branca, mas apenas um, ou uma, irá substituir aquele que foi um dos mais carismáticos presidentes dos EUA: Barack Obama.

Kate Andersen Brower, jornalista da Bloomberg News, esteve destacada para a Casa Branca durante a administração Obama. Repórter da CBS News e produtora na Fox News, o seu trabalho permitiu-lhe conhecer de perto o staff do presidente dos EUA e, entre paredes, muitas das histórias que se viveram ao longo de anos nesta emblemática mansão. Em A Vida Privada dos Presidentes dos Estados Unidos da América (Vogais l 320 pp l 18,79€), à venda a partir de dia 15 de fevereiro, Kate Andersen Brower oferece, numa mistura perfeita entre as obras The Butlere In The President’s Secret Service, um relato inédito da equipa de serviço que acompanha há décadas as famílias presidenciais, desde os Kennedys aos Obamas.

A Vogais disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.



Sinopse:
O Mundo Privado dos Presidentes dos Estados Unidos é um registo surpreendente e detalhado do dia a dia na mansão mais famosa de sempre. Uma espécie de Downtown Abbey recheado de factos curiosos.

A Casa Branca é o símbolo mais poderoso e duradouro dos EUA. Lar da família presidencial, é também o local de trabalho do staff que acompanha todos os dias o Presidente e os seus familiares. Esses homens e mulheres cuidam dos 132 quartos, 35 casas de banho, 28 lareiras, três elevadores e oito escadarias da residência, presenciando os problemas, alegrias, segredos e a intimidade da família presidencial.

Agora, e pela primeira vez, são tornadas públicas as suas histórias de cinquenta anos de experiência, dez presidentes e inúmeras crises, de menor ou maior relevância. Histórias com contornos dramáticos, íntimos, cómicos e, por vezes, comoventes, reveladas através das vozes dos mordomos, cozinheiros, floristas, porteiros ou do pessoal da limpeza, bem como de assessores e ex-primeiras damas.

Conheça, entre muitos outros relatos inéditos:

• Os dias dramáticos após o assassinato de JFK;

• O período tumultuoso da resignação de Nixon à Presidência;

• Os momentos difíceis do casal Clinton durante o caso Monica Lewinsky;

• As partidas que George W. Bush pregava aos empregados;

• O carinho do casal Obama.


Excertos:
«As famílias presidenciais ficam muitas vezes por conhecer. A sua privacidade é protegida elos assessores da Ala Oeste, onde se situa o gabinete político da presidência, e por uma equipa de cerca de cem pessoas que se mantém deliberadamente na sombra: são funcionários que trabalham na residência oficial do Presidente, na Ala Leste da Casa Branca. (…)»
«As pessoas que trabalham na residência oficial trazem aos sete hectares mais famosos do mundo um sentido de humanidade e de valores próprio do Velho Mundo. Levantando-se ainda de madrugada, sacrificam as suas vidas pessoais ao serviço da Primeira Família com uma dignidade silenciosa e que inspira admiração. Para elas, trabalhar na Casa Branca, independentemente da função, é uma grande honra.»
«Desde as brincadeiras com os filhos de Kennedy na Sala Oval ao momento em que o primeiro presidente afro-americano chegou à Casa Branca; desde o pedido de Nancy Reagan para que todas as suas 25 caixas de porcelana de Limoges ficassem no exato local em que se encontravam antes da limpeza ao momento de privacidade de Hillary Clinton durante o escândalo sexual e o pedido de destituição que lhe atingiram o marido, o pessoal da residência vê facetas da família presidencial de que mais ninguém se apercebe.»
«Os empregados da residência têm, por vezes, a oportunidade de serem testemunhas da mais pura alegria que um presidente recém--empossado pode sentir ao alcançar o pico mais alto da política americana. Em 2009, depois de terem finalmente terminado os bailes inaugurais, os Obamas começaram a preparar-se para passar a sua primeira noite na Casa Branca. Ainda se estavam a preparar para se deitarem quando White lhes foi levar alguns documentos de última hora. Quando chegou ao 2.° andar, ouviu uma coisa fora do comum. «Ouvi de repente o Presidente Obama a dizer: “Já sei, já sei. Já sei como funciona.” Subitamente comecei a ouvir música e era Mary J. Blige.» Os novos inquilinos tinham despido o vestuário mais formal, estando o Presidente em mangas de camisa e a primeira-dama com uma t-shirt e calças de treino. O Presidente pegou na primeira-dama, recorda White, e «começaram os dois a dançar» ao som de Real Love, de Blige. O secretário-geral adjunto fez uma pausa antes de continuar: «Foi a coisa mais bonita e adorável que se pode imaginar.»

— Aposto que nunca viu nada como isto nesta casa, pois não? — perguntou-lhe Obama, enquanto o primeiro casal dançava.»

— Muito sinceramente, posso dizer que nunca ouvi nada de Mary J. Blige a tocar aqui neste andar — retorquiu White.

Sem saber quanto tempo é que os Obamas terão estado assim a dançar, foi no entanto claro para o meu interlocutor que eles tencionavam aproveitar por completo o momento.»



Piratas, caveiras e um mapa, num tesouro da Guerra e Paz

Título: A Ilha do Tesouro
Autor: Robert Louis Stevenson
N.º de Páginas: 288
PVP: 13,00 €
Género: Ficção/Literatura Estrangeira
Nas livrarias a 17 de Fevereiro
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Esta é a mais popular história de piratas de todos os tempos. Um marinheiro morre, numa estalagem, em circunstâncias misteriosas. O jovem Jim Hawkins fica com um baú que ele lhe deixa, onde descobre um mapa. É o mapa que revela o caminho para se chegar a um valioso tesouro. Só que o jovem Jim não é o único a saber da existência do mapa. Há outras personagens pérfidas, capazes de tudo, que também querem o mapa. Os maus são terríveis, mas os bons – o honesto Capi­tão Smollett, o heróico Dr. Livesey e o bondoso mas pouco in­teligente Squire Trelawney – estão do lado dele. Juntos, bons e maus, vivem com Jim uma história de traição e heroísmo. Um história em que Jim chega à idade adulta e aprende que para se ganhar a experiência da coragem talvez tenha de se perder a inocência.

Sobre o autor:
Nasceu na Escócia, em Edimburgo, a 13 de Novembro de 1850. O pai, talvez por ser um engenheiro civil bem-sucedido, queria que ele seguisse a mesma carreira. Nem a saúde de Stevenson ajudava, nem a vontade dele era muita. Foi, do mal o menos, para Direito, muito embora o que verdadeiramente orientava os seus interesses fosse a vida de boémia que muito o atraía. Entrou em conflito com a família, de moral presbiteriana, muito estrita. Chegou, ainda assim, ao fim do curso de Direito, sabendo embora, inspirado pelas figuras que ia encontrando na sua vida de rua e dissipação, que tinha de ser escritor.

Mas, já ficou dito, Stevenson era um homem doente. Tinha aflitivos problemas respiratórios e o rigoroso clima escocês não era o que ele precisava. Foi à procura de paragens mais quentes. Em França, onde foi parar, conheceu Fanny Osbourne, americana, casada e dez anos mais velha. Sempre à procura de mais calor, foi com ela para a Califórnia. Casaram-se depois de Fanny se divorciar do marido.

Vivia da escrita. Escrevia artigos e ensaios e, tomando por base viagens e aventuras pessoais, publicou Viagem pelo Interior (1878) e Viagens com Um Burro nas Cervennes (1879).

A Ilha do Tesouro foi o seu primeiro romance. Publicou-o em 1883. A tuberculose é que não o largava. Num período de convalescença, em Bournemouth, conheceu o escritor Henry James, com quem estabeleceu uma relação de grande amizade. Publicou, entretanto, O Médico e o Monstro e Raptado, em 1886. O êxito destes seus romances reforçou a popularidade que já

A Ilha do Tesouro lhe granjeara.

Mas os seus pulmões precisavam ainda de mais calor. Viajou, por isso, em 1888, para os Mares do Sul. Ficou a morar em Samoa. Os nativos gostaram dele. Sabia contar uma história e eles gostavam de o ouvir.

A 3 de Dezembro de 1894, uma hemorragia cerebral foi a sua barca para o outro mundo. Morreu não completando já Weir of Hermiston, obra em que trabalhava. Hoje, mais de um século depois, é um dos autores mais traduzidos e publicados em todo o mundo.

Há uma máxima de Stevenson que bem pode servir de brasão ao conjunto da sua obra: «A ficção é para o homem adulto o que o brinquedo representa para a criança.»


O Que Fazem Mulheres - Camilo Castelo Branco [Opinião]

Título: O Que Fazem Mulheres
Autor:
Camilo Castelo Branco
N.º de Páginas: 224
PVP: 15,50 €
Género: Ficção/Literatura Portuguesa
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Escrito como paródia aos folhetins românticos, O Que Fazem Mulheres começa com um diálogo entre mãe e filha: a primei­ra tenta convencer a segunda a casar-se por dinheiro e não por amor.

Esta é a história de Ludovina, uma jovem bela, de origem fidalga, mas sem dote que lhe possa arranjar marido. Sem intenções sérias, namora-a Ricardo de Sá, ambíguo «homem fatal», que dela diz esta frase desonrosa: «Lisonjeia um aman­te, mas não pode satisfazer as complicadas necessidades dum marido.» E há outro homem, João José Dias, regressado do Brasil, muito rico, muito velho, muito gordo.

Esta é, afinal, a história em que o fortuito arremesso de um charuto desencadeia excessos emocionais, nos quais en­contraremos, como Camilo anuncia, «bacamartes e pistolas, lágrimas e sangue, gemidos e berros, anjos e demónios».

Publicado em 1858, O Que Fazem Mulheres é um «romance fi­losófico», no sentido em que dele se podem retirar lições, por meio de máximas que exprimem uma filosofia da vida ou que proclamam ideias gerais sobre os dramas e os sentimentos do ser humano.

A minha opinião: 
O Que Fazem Mulheres trouxe-me novamente as leituras de Camilo Castelo Branco. Li quase toda a obra de Camilo ainda na adolescência quando a biblioteca da cidade onde vivi pouca oferta tinha que não os clássicos. Pode ser pouco, porque de facto novidades não tinha praticamente nenhumas, e os leitores ávidos também gostam, sobretudo, de ler os livros que estão a sair no momento, mas isso deu-me a possibilidade de ler os clássicos. Assim, devorei tudo o que tinha a biblioteca desde Eça, Torga, Júlio Dinis, completando com muitos dos livros que os meus pais tinham em casa também. Mas o que eu mais gostava de ler naquela altura era Camilo. E mesmo aí a biblioteca tinha falhas, ou então eu passei a interessar-me por outras leituras porque acabei por não ler tudo o que tinha de ler do autor. 

Esta edição de Guerra & Paz saltou-me logo à vista. Primeiro porque tenho estado atenta a esta coleção, que é magnífica, as capas são brilhantes e, não sei se tem acontecido nos anteriores livros, mas aqui a editora teve a preocupação em "satisfazer as vontades de Camilo" e imprimir o prólogo como um encarte assim como encaixar um capítulo não numerado entre os capítulos XIV e XV intitulado «Cinco páginas que é melhor não se lerem.» 


De facto, para quem não leu uma destas obras porque além de serem clássicos, a edição é linda. Feliz ou infelizmente já li (e tenho) as outras obras que já figuram da coleção, Os Maias e A Cidade e as Serras, ambas de Eça de Queirós, senão teria um gosto enorme em comprá-las. Ficariam lindos, os três.

Voltemos à obra.
Camilo é sublime no que toca à crítica social de época. Naquele tempo, (sec. XIX,) era prática comum os pais arranjarem os casamentos, um matrimónio que deixasse as filhas numa situação boa, já que a maioria das mulheres não trabalhava. Logo, o amor era relegado para segundo plano. A sátira é que a mãe da jovem, tão cheia de moralismos, mostrando que o ideal era mesmo a filha casar com um homem rico que o amor vem depois, é uma mulher que não pensa realmente dessa forma, o que se vai descobrindo ao longo da narrativa. 

Os diálogos entre as personagens Ludovina e a sua mãe são hilariantes, e no que toca ao amor D. Angélica tem sempre uma boa filosofia: "- Isso é romance, menina. Nunca é feliz com uma vestido de chita a mulher que tem amigas com vestido de seda."Assim convence a filha a casar com um homem rico, que fez fortuna no Brasil, mas muito feio, velho, gordo, cujo ciúme doentio vai deitar tudo a perder.

Que saudades tinha de um livro assim!


 


Porto Editora publica livro póstumo de Luís Miguel Rocha

Título: Curiosidades do Vaticano
Autor: Luís Miguel Rocha Págs.: 184
Capa: mole com badanas
PVP: 15,50 €

Autor bestseller do referencial The New York Times, Luís Miguel Rocha apaixonou milhares de leitores em todo o mundo, com histórias de intriga e mistério passadas no seio da Igreja Católica. Mas partiu demasiado cedo. Cumprindo a vontade do autor, a família e a Porto Editora anunciam a publicação, a 18 de fevereiro, de um livro inédito de não ficção da autoria de Luís Miguel Rocha, intitulado Curiosidades do Vaticano.
Nesta obra, os leitores podem encontrar textos, parte deles publicada pelo autor na respetiva página no Facebook, sobre as mulheres que influenciaram os papas, o interior do Palácio Apostólico, o Papa implacável que transformou Roma, as forças de segurança do Vaticano, os Papas assassinados, a história do conclave e muitos outros temas.

NOTA DO EDITOR
Luís Miguel Rocha prezava particularmente o contacto com os leitores e raramente recusava um convite para uma apresentação, uma palestra, uma sessão com o público. Respeitava cada opinião, cada comentário e fazia questão de responder a todas as perguntas sobre os seus livros e sobre o que se passava «para lá dos altos muros do Vaticano».
Para satisfazer as muitas solicitações que recebia no contacto com quem o lia, bem como dos seguidores que tinha nas redes sociais, Luís Miguel Rocha decidiu criar, no início de 2012, uma rubrica semanal na sua página de Facebook onde partilhou o conhecimento que detinha sobre o Vaticano.
Era intenção de Luís Miguel Rocha escrever muitos outros textos sobre o tema, partilhar outras curiosidades, mas infelizmente a vida não lhe deu oportunidade.
Por saberem que era vontade de Luís Miguel Rocha um dia publicar todos estes textos em livro, a família e a Porto Editora quiseram respeitar essa intenção, publicando agora Curiosidades do Vaticano.

Sobre o autor:
Luís Miguel Rocha nasceu na cidade do Porto, em 1976. Foi técnico de imagem, tradutor, editor e guionista, até se dedicar em exclusivo à escrita. Publicou seis títulos: Um País Encantado, O Último Papa, Bala Santa, A Virgem, A Mentira Sagrada e A Filha do Papa. As suas obras estão traduzidas em mais de 30 países. O Último Papa marcou presença no top do The New York Times e vendeu meio milhão de exemplares em todo o mundo. Luís Miguel Rocha morreu a 26 de março de 2015, em Viana do Castelo.

Opiniões:
Há por aí a moda de classificar os livros com estrelas. Cinco para os muito bons. Aos que li de Luís Miguel Rocha, não daria eu essas cinco, que são de pechisbeque e coitadinhas, mas as três com que a Michelin distingue a qualidade e o talento dos cozinheiros do topo. Porque não haja dúvida: no uso dos ingredientes, no preparo das cenas, no ritmo, no desenho dos personagens, no "cozinhar" do enredo, Luís Miguel Rocha é um grand chef. José Rentes de Carvalho

Um mestre de contar histórias. Exímio a mostrar cada instante e cada pormenor, como se projetasse cinema na nossa imaginação. Este livro é um vírus. Domina-nos. Valter Hugo Mãe, sobre A filha do Papa

Luís Miguel Rocha sabe tudo sobre Papas. Jô Soares


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

«Uma Escolha por Amor» - Bestseller de Nicholas Sparks chega agora aos cinemas

Título: Uma escolha por amor
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 352
PVP: 16,90€
A ASA publica o bestseller de Nicholas Sparks  no qual se baseia o filme homónimo que estreia esta semana em Portugal.

Amanhã, dia 11 de fevereiro, irá estrear em Portugal Uma Escolha por Amor (The Choice), o filme baseado no bestseller homónimo de Nicholas Sparks agora publicado em Portugal pela ASA. A adaptação cinematográfica de Uma Escolha por Amor é realizada por Ross Katz (Lost in Translation) e conta com as participações de Benjamim Walker, Teresa Palmer, Maggie Grace e Tom Wilkinson.

Uma Escolha por Amor é uma lição de vida sobre o poder do amor, da perseverança e da fé. Este é o 11.º romance de Nicholas Sparks a ser adaptado para cinema. Com 18 romances publicados, Nicholas Sparks já vendeu cerca de 90 milhões de livros em todo o mundo. Todos os seus livros são bestsellers do New York Times.

Sobre o livro: 
Travis Parker tinha tudo o que um homem podia desejar: um bom emprego, grandes amigos e uma casa de sonho. Não encontrara ainda a sua alma gémea, mas também não sentia a sua falta... pelo menos, até ao dia em que um mal-entendido levou Gabby Holland, a nova vizinha, a bater-lhe à porta.
Gabby também não tencionava sucumbir aos encantos de Travis. Para começar, tinha uma relação estável com um namorado de longa data… e o novo vizinho irritava-a imenso. Mas a animosidade depressa deu lugar a uma cordial amizade, e, aos poucos, a algo muito mais sério. Juntos, vão empreender uma jornada que dificilmente poderiam ter antecipado.
Agora, anos mais tarde, Travis está no hospital, a sua vida despedaçada, o futuro uma incógnita. Ele recorda o passado, todos os momentos que o levaram ali. Se ao menos pudesse fazer com que o tempo voltasse atrás... Pois Travis encontra-se perante uma escolha que ninguém deveria ter de fazer… nunca!
Valerá a pena quebrar a promessa que fez ao amor da sua vida?

Sobre o autor:
Nicholas Sparks nasceu em Omaha, no Nebraska, Estados Unidos, a 31 de dezembro de 1965. Licenciado em Finanças Empresariais pela Universidade de Notre Dame, escreveu o livro que deu início à sua carreira meteórica e um dos seus títulos mais famosos – O Diário da Nossa Paixão - com apenas 28 anos. E, para alegria dos seus inúmeros fãs, nunca mais parou de contar as histórias que o consolidaram como um dos mais aclamados escritores da atualidade.
Todos os seus livros integram de imediato o Top 5 da lista de bestsellers do New York Times e estão traduzidos para mais de cinquenta línguas, tendo vendido cerca de 90 milhões de exemplares até à data.
Leitor compulsivo e ávido praticante de desporto, Nicholas Sparks apoia ativamente diversas instituições de beneficiência e contribui para o programa de Escrita Criativa da Universidade de Notre Dame. Vive na Carolina do Norte, Estados Unidos, com a família.
Na ASA estão já publicados os seus romances No Teu Olhar, Uma Vida ao Teu Lado, Quem Ama Acredita, Uma Promessa para Toda a Vida, Laços que Perduram, O Sorriso das Estrelas, À Primeira Vista, Três Semanas com o Meu Irmão e Alquimia do Amor.

Assírio & Alvim: Novo livro de Filipa Leal - "Vem à Quinta-Feira"

Título: Vem à Quinta-Feira
Autor: Filipa Leal
N.º de Páginas: 80
PVP: 11,00 €
Coleção: Poesia Inédita Portuguesa

Vem à Quinta-Feira é o mais recente livro de Filipa Leal e o primeiro na Assírio & Alvim. Aqui a poeta fala-nos com uma voz muito própria de problemas e sobressaltos, dos dramas da sua geração mas também dos tumultos por que passaram as anteriores. «Havemos de ir ao futuro e, no futuro, estará finalmente tudo como dantes.» Desfia memórias e cartografa emoções, porque afinal «[…] buscamos no quotidiano uma estrada onde se repita o amor e a casa de algum Verão.»
Vem à quinta-feira chega amanhã às livrarias e será apresentado no próximo encontro Correntes d’Escritas, no dia 27 de fevereiro, na Póvoa de Varzim.

NOCTURNO PARA VARSÓVIA
Gostava de te convidar para minha casa,
como aos amigos nos velhos tempos.
Abria uma garrafa de vinho e contava-te de quando era pequeno
e tu contavas-me como te corre o emprego, o amor.
Vemo-nos todos os dias e falamos tão pouco.
Estendo-te a mão e às vezes dás-me uma moeda,
mas falamos tão pouco.
Gostava de te convidar para minha casa
mas não tenho casa, vai ter de ficar para a próxima.

Sobre a autora:
Nasceu no Porto, em 1979. Formou-se em Jornalismo na Universidade de Westminster, Londres, e concluiu o Mestrado em Literatura (Estudos Portugueses e Brasileiros) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Publicou o seu primeiro livro, «lua-polaroid» (ficção), em 2003, e estreou-se na poesia no ano seguinte com «Talvez os Lírios Compreendam» (Cadernos do Campo Alegre). Seguiram-se, na editora Deriva, «A Cidade Líquida», «O Problema de Ser Norte», «A Inexistência de Eva» (finalista do Prémio Correntes d’Escritas) e «Vale Formoso» (2012). Em 2014, publicou Adília Lopes Lopes», com a não-edições e, em 2015, o manifesto «Pelos Leitores de Poesia», na editora Abysmo. Em 2014 escreveu o seu primeiro guião para longa-metragem de cinema, realizado por Patrícia Sequeira. «Jogo de Damas» estreou em 2015 no Lisbon & Estoril Film Festival.



Novidade Planeta: «ATRACÇÃO MAGNÉTICA - HACKER, vol. 1», de Meredith Wild

Título: Atracção Magnética - Série Hacker 1
Autor: Meredith Wild
N.º de Páginas: 256
PVP: 16,95 €
Nas livrarias a partir de 17 de Fevereiro

Este é o primeiro livro de uma série sexy, repleta de segredos, mentiras, traições e vícios, no mundo da alta tecnologia.
Tal como Jodi Malpas, também Meredith Wild começou por autopublicar a sua obra, com um impacto estrondoso junto das leitoras.
Os livros da série Hacker já venderam mais de 1 milhão de e books e dois milhões de livros impressos.
«Se existir um espaço no seu coração para outro bilionário sensual, o hacker Blake Landon vai preencher esse vazio.” Publish News
«Este livro fez-me apaixonar por Meredith Wild.
Super sexy e perturbador, assim que se começa a ler o primeiro livro não se consegue parar até se acabar toda a série.» Sexy Book Reviews

Decidida a ultrapassar um passado difícil, Erica Hathaway aprende muito cedo a fazer tudo sozinha. Dias após a licenciatura a jovem vê-se perante um painel de investidores que poderão, ou não, influenciar o seu início incipiente.
A única coisa para que não está preparada é o aparecimento de um investidor lindo e arrogante, que parece determinado a fazer-lhe a vida negra.
Bilionário e supostamente um hacker, Blake Landon, que fez fortuna com um software e que está habituado a conseguir aquilo que quer, atraído pelo dinamismo e pela beleza tímida de Erica, só pensa em possuí-la assim que a vê na sala de reuniões.
Decidido a conquistá-la, o bilionário quebra-lhe as defesas e luta por ela, a ponto de quase perder o controlo de que tanto se orgulha.
Mas, quando descobre um segredo no passado de Erica, Blake ameaça a confiança da jovem e também a vida que ela criou a tanto custo.


Sobre a autora
Meredith Wild é a autora best-seller do do New York Times e do USA Today.
Vive nas em New Hampshire com o marido e três filhos, Meredith define-se como techie, apreciadora de uísque e romântica incurável.
Quando não está no mundo de fantasia das suas personagens, Meredith pode ser encontrada em: www.facebook.com/meredithwild
Pode saber mais sobre os seus projectos em: www.meredithwild.com



segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Flávio Capuleto está de volta com Corrupção

Título: Corrupção
Autor: Flávio Capuleto
N.º de Páginas: 232
PVP: 15,50 €
Género: Ficção/Romance
Nas livrarias a 17 de Fevereiro
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Ribadouro é uma aldeia do Douro Vinhateiro que tem como pano de fundo a vida austera dos cavadores de vinha, que, num espaço curto de tempo, passam de uma situação confortável a uma situa­ção de pobreza envergonhada. As personagens marcantes desta história são a todo-poderosa Ana Francisca, que se torna amante de uma figura política de peso a quem paga luvas para que lhe facilite a construção de um resort de luxo numa área protegida; Bernardo Castela, enólogo e homossexual; e Imaculada, estudante universitária fogosa, comprometida com um rapaz da sua idade. A morte repentina dos pais deixa sem recursos a jovem, que aceita uma proposta de casamento de Bernardo Castela, que tem ape­nas o propósito de esconder a sua autêntica sexualidade. Mas a impotência do milionário, que tem o dobro da sua idade, conduz Imaculada à frustração. Desfazendo o enlace, procura emprego, mas espera-a uma segunda armadilha: sob promessa de uma vida esplendorosa em Angola, é levada ao engano para um bar de al­terne na restinga de Luanda, onde acaba por ser resgatada pelo antigo namorado, o homem da sua vida.

Sobre o autor:
Sempre quis ser escritor. Depois de conhe­cer a dura experiência da Guerra Colonial em Angola, teve vários ofícios, sem nunca deixar de ler e escrever. Só em 2012, porém, conseguiria ver publicado o seu primeiro romance, No Calor dos Trópicos, lançado pelo Clube do Autor. Mas o sucesso só chegaria em 2014 com a publicação pela Guerra e Paz Editores do romance Inferno no Vaticano, best-seller que viria a figurar no TOP 10 dos livros mais vendidos na área da ficção. Com o romance Corrupção, Flávio Ca­puleto aspira a seguir com sucesso o cami­nho trilhado.


Apresentação da colecção "Os Aventureiros" de Isabel Ricardo, dia 13 de fev. às 16h30, Fnac do Chiado



Porto Editora lança nova edição de O Quarto de Jack

Título: O Quarto de Jack
Autor: Emma Donoghue
Tradução: Cristina Correia
Págs: 336
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

No final de 2011, a Porto Editora publicou um livro que conseguiu reunir um raro consenso entre a crítica e um público bastante vasto: O Quarto de Jack, de Emma Donoghue. Finalista do Man Booker Prize e do Orange Prize, líder de tops de vendas em todo o mundo, este romance deu origem a um filme – Quarto – nomeado para quatro Óscares, que chega às salas portuguesas esta quinta-feira. Com o filme, dá entrada nas livrarias nacionais uma nova edição do livro de Emma Donoghue.
Após quase duas décadas de vida literária, esta autora alcançou o reconhecimento internacional com O Quarto de Jack. A crítica rendeu-se de imediato ao livro. O também escritor Michael Cunningham afirmou, lapidarmente: «O Quarto de Jack é uma raridade, uma completa e original obra de arte». Por cá, o jornalista e crítico literário José Mário Silva considerou-o «um romance espantoso», «poderoso e comovente, sem ser sentimental».
O Quarto de Jack (Room, na versão original) foi apontado como favorito a prémios como o Orange ou o Booker (cujo vencedor foi A Questão Finkler, de Howard Jacobson, também publicado pela Porto Editora). Não ganhou, mas conseguiu a principal vitória: o reconhecimento dos leitores. Em Portugal, passou a integrar o Plano Nacional de Leitura.

Sinopse:
Para Jack, de cinco anos, o quarto é o mundo todo. É onde ele e a Mamã comem, dormem, brincam e aprendem. Embora Jack não saiba, o sítio onde ele se sente completamente seguro e protegido, aquele quarto é também a prisão onde a mãe tem sido mantida contra a sua vontade. Contada na divertida e comovente voz de Jack, esta é uma história de um amor imenso que sobrevive a circunstâncias aterradoras, e da ligação umbilical que une mãe e filho.



Sobre a autora:
Emma Donoghue é escritora de romances históricos e contemporâneos. Nasceu em Dublin, onde viveu durante vinte anos, até ir viver para Inglaterra – para estudar em Cambridge – e depois para o Canadá. Mudou-se recentemente para França.
O Quarto de Jack é o seu título mais conhecido, mas Emma já escreve desde os vinte e três anos e a sua carreira como escritora conta com alguns bestsellers, como Slammerkin, The sealed letter, Landing, Life-Mask, Hood e Stir-Fry.
A título de curiosidade, refira-se que o pai de Emma Donoghue, que também era crítico literário, foi professor de Henry James na faculdade.
Ligações: www.emmadonoghue.com e www.roomthebook.com.




NASCENTE: «Permita não só que a imaginação do seu filho corra livremente, mas a sua também» - Wayne Dyer

Um fascinante vislumbre do que existe antes da vida. Recordações de crianças antes da sua vida na Terra.

Wayne W. Dyer é um autor bestseller do New York Times. Doutorado em Aconselhamento Educacional, foi professor associado na St. John’s University, em Nova Iorque. Faleceu em 2015, com 75 anos, vítima de doença. Memórias do Céu: Recordações de Crianças Antes da Sua Vida na Terra (Nascente l 240 pp l 15,98€) foi o último livro que escreveu.

Wayne W. Dyer e o seu assistente iniciaram a pesquisa para este livro em 2014, pedindo a pais em todo o mundo que partilhassem histórias de filhos que tivessem recordações de factos ocorridos antes do nascimento.. Milhares de histórias sobre memórias pré-natal, vidas passadas, memórias de escolhas de pais, reencarnações em família e reversão de papéis, sabedoria mística e cognitiva, amigos invisíveis e visitas inesperadas e histórias de anjos, chegaram às mãos de Wayne W. Dyer. Se é mãe ou pai, e nunca passou por nenhuma experiência deste género com o seu/seus filhos, não feche a mente. As crianças são fascinantes.

A Nascente disponibiliza os primeiros capítulos de memórias do Ceú para leitura imediata, aqui.

Toda a experiência humana é como um sonho: dormimos, sonhamos e depois acordamos, esquecendo todas aquelas experiências maravilhosas que experienciámos. Mas, às vezes, recordamos alguns pedaços desse sonho, particularmente se tivermos acabado de acordar. O nosso nascimento pode ser um sono, mas nem todas as crianças o esquecem.

Foi graças a essa ideia que esta obra nasceu. A Dee e eu percorremos milhares de relatos pessoais relacionados com as memórias que as crianças têm do céu. Muitas das histórias que os meus filhos me passaram quando estavam a aprender a falar, que eu pensava serem únicas para mim e para a minha família, afinal eram bastante universais. Inúmeras pessoas transmitiram-nos histórias quase idênticas de crianças que contam como se lembram de escolherem os pais para esta viagem, como tinham amigos que só elas viam, memórias de vidas passadas na mesma família, visitas a Deus e muito mais.

Um livro fascinante que nos ajuda a perceber que existe muito mais do que aquilo que conseguimos captar com os nossos cinco sentidos. “O maior dom que nos foi dado é a nossa imaginação. Tudo o que existe agora no universo físico foi uma vez imaginado. Peço ao leitor que permita não só que a imaginação do seu filho corra livremente, mas a sua também. Eis o que um dos humanos mais inteligentes que algum dia viveu neste planeta, o Dr. Albert Einstein, tinha para dizer sobre isto: «Se quer que os seus filhos sejam inteligentes, leia‑lhes contos de fadas. Se quer que eles sejam mais inteligentes, leia‑lhes mais contos de fadas.» As excursões fantasiosas de uma criança ao mundo dos amigos invisíveis e à visão de aparições pode muito bem ser como ler‑lhes contos de fadas. Em vez de julgar, permita que a imaginação do seu filho se eleve na direção que deseja para se expressar. E lembre‑se sempre que, só porque você não vê aquilo para que uma criança aponta, não quer dizer que o que eles veem não seja real. Como Albert Einstein indicou na sua observação famosa, uma criança ao usar a sua imaginação sem crítica é uma das maneiras mais seguras de poder tor­nar‑se ainda «mais inteligente». As crianças podem também ter alguma coisa a ensinar‑lhe, a si, sobre como usar a sua pró­pria imaginação de forma mais criativa. Talvez esteja na hora de você ler mais contos de fadas.” - Wayne W. Dyer

​ 
Sobre o autor:
Wayne W. Dyer deixou cerca de 40 livros publicados, além de ter sido uma presença frequente na rádio e na televisão, onde apresentou vários programas relacionados com os temas dos seus livros, entre os quais se destacam os bestsellers Crie o Seu Próprio Destino e Novos Pensamentos para Uma Nova Vida (ambos publicados pela Nascente).

A vida de Wayne W. Dyer, que passou a infância em orfanatos e centros de acolhimento, é a prova de que é possível ultrapassar muitos obstáculos e transformar os sonhos em realidade. O seu trabalho consistia em demonstrar aos outros de que modo é possível conseguir fazer o mesmo. Por essa razão, os fãs chamam-lhe carinhosamente «o pai da motivação».