sexta-feira, 18 de março de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: Os Amores Proibidos de suas Majestades de María Pilar Queralt del Hierro

A História demonstra que os casamentos de reis e rainhas resultaram quase sempre de interesses políticos. Infantes e princesas eram o lacre que selava pactos com objetivos estratégicos e, uma vez que estas uniões preveniam confrontos entre as respetivas coroas, os futuros noivos aceitavam-nas com complacência e a convicção de que cumpriam o seu dever. No entanto, as consequências de um casamento de estado, contraído por obrigação e nunca por amor, afetavam os próprios cônjuges. Como tal, se os reis procuravam a paixão em alcovas alheias, era perfeitamente natural que as rainhas – ou pelo menos algumas delas – também o fizessem. E assim aconteceu com Salomão e a Rainha do Sabá, Henrique VIII e Ana Bolena, Maria Antonieta e os seus chevaliers servants, Victoria de Inglaterra e John Brown, Carlos de Gales e Camila Parker Bowles, e tantos outros… Os Amores Proibidos de Suas Majestades conta-nos as verdadeiras histórias de amor de reis e rainhas do mundo inteiro, do passado e do presente, e dá-nos a conhecer aqueles que reinaram nos seus corações e influenciaram o curso da História.

À venda a 18 de março.


Coimbra 2009 (c) Diego LafuenteSobre a autora:
MARÍA PILAR QUERALT DEL HIERRO é autora de Eu, Leonor Teles, Memórias da Rainha Santa, As Mulheres de D. Manuel I e As Mulheres do Marquês de Pombal, publicados com grande sucesso pela Esfera dos Livros. Nascida em Barcelona, Espanha, editou em 1984, Balaguer, uma biografia do poeta e político catalão sobre o qual incidiu a sua tese de licenciatura. Este livro significou o início de uma carreira dedicada ao romance biográfico de personagens históricas como Fernando VII, que retratou nos livros La Vida y la Época de Fernando VII (1997) e Los Espejos de Fernando VII (2001). Em 1995, publicou o seu primeiro volume de relatos, Cita en azul, uma obra que a crítica espanhola qualificou de «obra-prima absolutamente recomendável». María Pilar Queralt del Hierro licenciou-se em História Moderna e Contemporânea pela Universidade Autónoma de Barcelona. Foi professora de História da Espanha Contemporânea, na Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Autónoma de Barcelona. Colabora com a revista Historia y Vida, desde 1974. Escreve artigos para outras publicações, como a edição espanhola da National Geographic e realiza numerosos trabalhos em obras coletivas sobre temas de arte, cultura e história contemporânea.





Novidade Nuvem de Letras: As Mais Belas Fábulas Africanas - As histórias preferidas de Nelson Mandela

Título: As Mais Belas Fábulas Africanas
Seleção de Nelson Mandela
Edição/reimpressão:2016
Páginas: 336
Editor: Nuvem de Letras
PVP: 13,90€

Sinopse:
"Espero que a voz do contador de histórias nunca deixe de se ouvir em África". 
Estas palavras são de Nelson Mandela, que recolhe nesta magnífica antologia as melhores fábulas da tradição africana. 
Belíssimos contos de todos os tempos, "verdadeiros retalos d alma africana", em que coabitam lebres matreiras, chacais ardilosos, hienas fingidas, serpentes de sete cabeças, reis, sultões e até uma princesa-nuvem. São histórias tão antigas quanto África e tão ricas quanto o seu imaginário, fábulas intemporais e universais na sua capacidade de encantar e deslumbrar. As mais belas fábulas africanas são um convite irrecusável a mergulhar com Nelson Mandela, o maior dos herós africanos, no universo mágico das histórias.

Sobre o autor:
Nelson Rolihlahla Mandela foi um advogado, líder rebelde e presidente da África do Sul de 1994 a 1999, considerado como o mais importante líder da África Negra. Ganhou o Prémio Nobel da Paz em 1993 e foi o pai da moderna nação sul-africana, onde é tratado por Madiba (nome do seu clã) ou Tata (pai).


O livro 5 da série Torre Negra, de Stephen King, chega hoje às livrarias

Título: Os Lobos de Calla
A Torre Negra – Livro 5
Autor: Stephen King
Género: Literatura / Fantástico
Tradução: Rosa Amorim
N.º de páginas: 800
Data de lançamento: 18 de março
PVP: 24,40€

A obra mais visionária do autor.
Roland Deschain e o seu ka-tet atravessam as florestas do Mundo Médio em direção à Torre Negra. O caminho leva-os aos arredores de Calla Bryn Sturgis, onde, sob a calma vida campestre, se esconde algo horrível. A cada geração, vindos das trevas do Trovão, chegam seres com máscaras de lobos montados em cavalos cinzentos, para roubarem as crianças da vila. Resistir-lhes implica arriscar tudo, mas os pistoleiros fazem do risco a sua vida. As suas armas, contudo, não serão suficientes…

«Momentos de fantasia impressionantes, episódios de uma tensão extraordinária e uma cena de terror arrasadora.» Publishers Weekly
«Stephen King no seu melhor.» Library School

Sobre o autor:
Stephen King é um dos mais populares autores contemporâneos. Escreveu mais de quarenta livros, incluindo Carrie, A História de Lisey e Cell, Chamada para a Morte. Muitos desses livros foram adaptados ao cinema por realizadores como Stanly Kubrick, Brian De Palma ou Rob Reiner. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Bram Stoke Award, o World Fantasy Award, o Nebula Award e o prestigiado National Book Award. Conta hoje com mais de trezentos milhões de exemplares vendidos em cerca de trinta e cinco países. Números e um currículo impressionantes a fazerem jus ao seu estatuto de escritor mais bem pago do mundo.
www.stephenking.com



Apresentação de Pequeno Dicionário Caluanda



Coolbooks: O retrato de um quase-pícaro a quem quase tudo corre mal

Título: Onório, o poeta bêbado
Autor: Fernando P. Fernandes
Formato: e-wook
N.º páginas (estimado): 90
PVP: 4,99€

A vida poderia ter sorrido a Onório, nascido numa aldeia do Minho e neto do mais respeitado lavrador de Rubiães. No entanto, quis o destino que a sua vida fosse carregada de mal-entendidos e atribulações – desde logo a que roubou o “H” ao seu nome. Onório, o poeta bêbado, de Fernando P. Fernandes, é a mais recente novidade da chancela digital da Porto Editora e está agora disponível em coolbooks.pt e também na livraria virtual wook.pt. Este é o retrato de um quase-pícaro a quem tudo corre mal. Como não parece haver remédio para emendar a sua vida, o protagonista transforma-se, desde muito cedo, num poeta satírico. Como um repórter do absurdo, Onório ilustra com rudimentares, mas divertidas, quadras as peripécias em que se envolve. Com uma narrativa dinâmica e bem-humorada, esta obra promete arrancar muitos sorrisos aos leitores e proporcionar uma divertida viagem até a um Minho imaginado, com um sotaque tipicamente nortenho. Para ler um excerto deste ebook, clique nesta ligação.

Sobre o autor:
Fernando P. Fernandes nasceu em Lisboa, em 1978.
É professor de Português, tradutor e revisor e, para ele, escrever e narrar vidas caricaturadas são prazeres inigualáveis.
Admira Eça e García Márquez pela fluidez narrativa e pelo sarcasmo sempre à espreita.


quinta-feira, 17 de março de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora publica Letra Aberta, novo livro de Herberto Hélder

Título: Letra Aberta
Autor: Herberto Helder
Págs.: 72
PVP: 16,60 €

No dia 23 de março, assinala-se um ano da morte de Herberto Helder e é precisamente nesse dia que a Porto Editora publica Letra Aberta. Este é um livro de poemas inéditos, recolhidos nos seus cadernos, e cuja edição é de tiragem única, de acordo com o que sempre foi a vontade do autor. Não se trata da edição crítica que a obra inédita de Herberto Helder merece e que certamente será publicada no futuro, agora que o seu espólio está a ser integralmente digitalizado. Letra Aberta é uma escolha realizada pela viúva do poeta, que nos permite uma primeira abordagem à riquíssima «oficina» a partir da qual o poeta foi construindo o seu «poema contínuo».
Disponibilizamos aqui algumas páginas do livro.

Sobre o autor:
Herberto Helder nasceu em 1930 no Funchal. Em 1948 matriculou--se em Direito mas cedo abandonou esse curso para se inscrever em Filologia Românica, que frequentou durante três anos. Teve inúmeros trabalhos e colaborou em vários periódicos como A Briosa, Re-nhau-nhau, Búzio, Folhas de Poesia, Graal, Cadernos do Meio-dia, Pirâmide, Távola Redonda, Jornal de Letras e Artes. Em 1969 trabalhou como diretor literário da Editorial Estampa. Viajou pela Bélgica, Holanda, Dinamarca e em 1971 partiu para África onde fez uma série de reportagens para a revista Notícias. Em 1994 foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa, que recusou. Faleceu em Cascais a 23 de março de 2015, tinha 84 anos.


Novidade Esfera dos Livros: Se7e Vidas de Sara Rodrigues e Maria João Nobre

Seres misteriosos, caçadores exímios e fonte de inspiração de artistas, os gatos são companheiros leais para quem esteja disposto a partilhar com eles a sua vida. Confidentes, amigos e parceiros dedicados nas horas de solidão e nos momentos mais difíceis, por vezes verdadeiros terapeutas, os gatos são, por tudo isso, uma parte fundamental da vida de muitas pessoas. Porque será? O que tem este felino de tão especial? Estas histórias fascinantes falam por si. Em Se7e Vidas, encontrará numerosos relatos que, em certos casos, nos fazem questionar quem habitou a casa de quem: se a pessoa, se o gato. Quem foi salvo por quem. Quem cuidou de quem. Histórias de animais maltratados que descobriram um lar cheio de amor. Histórias de pessoas, umas célebres, outras anónimas, que não gostavam de gatos até se apaixonarem irremediavelmente por um. Relatos de donos que encontraram no seu gato a coragem de que necessitavam para recuperar a alegria de viver ou que sentiram mesmo que os seus animais os ajudaram a curar-se de doenças. E, também, histórias de quem dedica a vida a estudar e a ajudar os gatos, por via da ciência ou apenas por paixão.

“O homem gostaria de ser peixe ou pássaro, a serpente gostaria de ter asas, o cão é um leão confuso... Mas o gato quer ser somente gato, e todo gato é um puro gato desde o bigode ao rabo”. Pablo Neruda

À venda a 18 de março.

Sobre as autoras:
Maria João Nobre
Maria João Nobre nasceu em 1978 e é licenciada em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Colaborou em diversos projetos na área da escrita e é atualmente redatora técnica numa empresa de software, revisora de texto e autora de biografias no projeto Máquina Biográfica. Apaixonada por gatos, em criança chegou a ter dez gatos em casa quando uma das suas três gatas - a siamesa Tina - deu à luz sete gatinhos. Adora escrever e, sobretudo, ouvir e partilhar histórias de vida.




Sara em PBSara Rodrigues nasceu no Porto, em 1978, mas foi em Évora que escreveu as primeiras histórias, numa quinta cheia de animais. Os gatos sempre foram os seus preferidos, e no seu primeiro livro infantil transformou mesmo “Os Maias” de Eça de Queiroz em “Os Miaus”, numa adaptação livre dos clássicos da nossa literatura... com gatos! Para além de diversos livros infantis, é também autora deromances e romances históricos (D. Estefânia – Um Trágico Amor e D. Teresa de Távora – A Amante do Rei, editados pela Esfera dos Livros), livros de não-ficção e guionista em diversos produtos televisivos. Criou também, com Ana Correia Tavares, O Livro da Minha Vida, que se dedica à edição de biografias personalizadas. Mãe de 4 filhos, escreve na companhia dos seus dois gatos, Mia e Ben Ten.http://sararodi.blogspot.pt/p/livros.html



Novidade Suma de Letras: O Discípulo Hans Rosenfeldt , Michael Hjorth o segundo livro da série Sebastian Bergman

Título: O Discípulo
Autor: Hans Rosenfeldt , Michael Hjorth
Páginas: 672
Editor: Suma de Letras
PVP: €21,90
Já nas livrarias

Segundo livro da série SEBASTIAN BERGMAN, o maior sucesso internacional do policial nórdico dos últimos anos, um thriller arrepiante da dupla sueca Hans Rosenfeldt e Michael Hjorth

Sinopse:
Numa Estocolmo em chamas, assolada por uma onda de calor, várias mulheres são encontradas brutalmente assassinadas.

Os assassinatos têm a marca de Edward Hinde, o assassino em série preso por Bergman há quinze anos, e que continua detido.

Sendo um incontestável profiler e perito em Hinde, Sebastian é reintegrado na equipa, e não demora muito a perceber que tem mais ligações com o caso do que pensava. Todas as vítimas estão diretamente ligadas a eles. E a sua filha pode estar em perigo.

Sobre os autores:
MICHAEL HJORTH nasceu em 1963 em Visby. Sempre amou filmes e livros e hoje é um dos guionistas e produtores mais talentosos da Escandinávia. É um dos fundadores da produtora de sucesso Tre Vänner, responsável pela primeira comédia de grande sucesso da Suécia assim como por alguns dos guiões dos filmes da série Wallander de Henning Mankell.


HANS ROSENFELDT nasceu em 1964 em Borås. Trabalhou como tratador de leões-marinhos, motorista, professor e actor até 1992, quando começou a escrever para a televisão. Escreveu guiões para mais de vinte séries e já foi apresentador de programas de rádio e televisão. É o criador da série sueca de maior sucesso - a premiada série policial Bron (“The Bridge”), reproduzida em mais de 170 países e com remakes nos EUA, com o mesmo nome, e em França (“The Tunnel”).

Imprensa:
«Um thriller não pode ser melhor do que isto» NDR (Alemanha)

«Este segundo livro da série Sebastian Bergman é uma leitura cativante e ainda mais emocionante do que o primeiro. A reviravolta final aguça o apetite para mais» Skaraborgs Allehanda (Suécia)


quarta-feira, 16 de março de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Sinais de Fogo: «Mensagem de Deus – Não perceberam nada do que Eu disse» de Neale Donald Walsch

Título: : Mensagem de Deus – Não perceberam nada do que Eu disse
Autor:
Neale Donald Walsch
Colecção: Outro Olhar
Nº páginas: 304
Data de publicação: Março 2016
Tema: Espiritualidade
Preço: € 13,50

Um livro que explora diferentes teses a respeito de Deus, num desafio espiritual e intelectual intrigante e por vezes controverso. Questiona muitas das questões mais prementes em relação a Deus e explica-nos como poderia o nosso planeta mudar rapidamente se os seres humanos repensassem quem é Ele, o que Quer, o que somos em relação a Ele e em relação a nós próprios.

Walsch nunca se aproximou tanto do mistério de Deus
Deus deve ser temido. Deus exige obediência. Deus determina o que está certo e errado.
Deus quer que acreditemos Nele e que O adoremos de determinada maneira.
Deus é vingativo. Tudo começou com a guerra entre Deus e o Demónio.
Deus precisa de perdoar-nos para podermos entrar no Céu.
Deus preza o sofrimento prolongado e o martírio.
Deus responde sempre às nossas orações. Deus julgar‑nos‑á no Dia do Juízo Final.
Deus está separado de nós. Deus Tem um plano para nós.

Todas estas afirmações estão ERRADAS.
Se entendemos mal Deus, entenderemos mal tudo o resto.

Será possível que tudo o que pensamos saber sobre Deus, e sobre o que Ele quer, esteja errado? Serão estas ideias que a Humanidade tem hoje sobre Deus as mais inexactas... de sempre? E se o forem? Será por isso que a nossa espécie se está a revelar um fracasso?

Este livro vai tocar a essência da sua alma.

Sobre o autor:
NEALE DONALD WALSCH é o autor da série Conversas com Deus, que vendeu mais de dez milhões de exemplares em 37 línguas. É um dos principais autores do movimento da nova espiritualidade, com 28 títulos publicados, dos quais oito são bestsellers do New York Times.
A sua vida e o seu trabalho têm ajudado a criar e a sustentar um renascimento espiritual em todo o mundo, viajando para transmitir internacionalmente a mensagem inspiradora de Conversas com Deus.
É um mensageiro espiritual cujas palavras continuam a tocar o mundo das formas mais profundas. Conversas com Deus redefiniu Deus e alterou os paradigmas espirituais, um pouco por todo o mundo.
Vive em Oregon, nos Estados Unidos, com a mulher, a poetisa americana Em Claire. 



Gradiva: Novidades de março

Título: Uma Bondade Perfeita
Autor: Ernesto Rodrigues
Coleção: «Gradiva», n.º 160
N.º de Páginas: 200
PVP: € 15,00

Sinopse:
Enorme qualidade narrativa e um enredo brilhante, uma leitura aliciante. Aqui se semeia surpresa e se avança com a certeza de que as personagens vão crescendo ao longo das páginas, ganhando espessura e interesse. Um carrasco que tem por tarefa executar a mãe, um director de prisão que transpira maldade, um frade com passado de jornalista que assume um papel essencial nesta história.

Título: O Mar Explicado aos Nossos Netos
Autor: Hubert Reeves e Yves Lancelot
Coleção: «Gradiva Júnior», n.º 153
N.º de Páginas: 116 
PVP: € 8,00

Sinopse:
O mar é indispensável. E há tanto para saber sobre ele. Como apareceu na Terra? Podemos encontrar água fora do sistema solar? Porque é que há duas marés diárias se a Lua só passa uma vez por dia por cima de um dado ponto? Estas e muitas outras perguntas são respondidas pelos autores numa linguagem acessível a todos.

Título: Haikus do Japão e do Mundo
Autor: António Graça de Abreu
Coleção: «Cantares de Amigos», n.º 3
N.º de Páginas: 204 
PVP: € 14,00

Sinopse:
Recorrendo a uma forma poética de origem japonesa, o autor apresenta um conjunto de poemas que leva o leitor a viajar pelo Oriente e pelo Ocidente.

«Poemas de infinita delicadeza [...], o pormenor requintado, numa simplicidade luminosa [...], um fulgor do olhar que vê, que acaricia, que ama, sem se assenhorear dos seres e das coisas [...].»







Conquistadores - Como Portugal Criou o Primeiro império Global - Roger Crowley [Opinião]

Título: Conquistadores - Como Portugal Criou o Primeiro império Global
Autor: Roger Crowley
Título Original: Conquerors: How Portugal Forged the First Global Empire
Tradução: Jorge Freire
Páginas: 304
Coleção: Diversos Ensaio N.º 34
PVP: 18,50€

Sinopse:
O historiador Roger Crowley conta-nos como Portugal construiu um grande império marítimo europeu, dando origem à primeira economia global. Numa narrativa empolgante e solidamente documentada, que equilibra a vertente humana e as dimensões geopolítica e religiosa, o aclamado autor aborda a supremacia marítima de Portugal, com a descoberta do caminho marítimo para a Índia no seu âmago, as vitórias sobre governantes muçulmanos e o domínio do comércio das especiarias, revelando-nos o alcance do império português e dando vida a personalidades como D. Manuel I, D. João II, Afonso de Albuquerque e Vasco da Gama. O relato essencial e atualizado de como uma das nações mais pequenas e pobres da Europa pôs em movimento as forças da globalização que hoje dão forma ao mundo. Uma obra que dará a conhecer ao leitor português a sua própria história na perspetiva de um investigador estrangeiro.

A minha opinião:
No início do século XV Portugal via-se com sérias dificuldades na sua subsistência. Tinha falta de cereais e ouro e tinha uma necessidade enorme de alargar a sua área de pesca. O desejo de expandir o comércio e de espalhar a fé cristã por outros países, sobretudo pelos países, levou os Portugueses a criar o primeiro império global. 
Em 1415 conquistam Ceuta, norte de África. 

"Em agosto de 1415, uma frota portuguesa atravessou o Estreito de Gibraltar e atacou o porto muçulmana de Ceuta, em Marrocos, um dos pontos mais fortificadas e estratégicos de todo o Mediterrâneo."

Começa assim a ambição portuguesa, cuja população não era superior a um milhão de habitantes. No entanto, Ceuta, a nível económico revelou-se um autêntico fracasso, levando os navegadores portugueses, dirigidos pelo Infante D. Henrique, a explorar o continente africano em busca de ouro, especiarias e escravos.  


Pelas palavras de Crowley vamos acompanhando as conquistas dos portugueses, relembrando algumas coisas que já conhecemos, aprendendo outras que não sabíamos de uma forma interessante e envolvente. 

Crowley retratou o povo português como empreendedor, obstinado e que aproveitou as fraquezas de outros para poder enriquecer. Até dos vizinhos espanhóis, quando expulsaram de Espanha diversos judeus. 

"Entre os refugiados estava o astrónomo e matemático judeu Abraão Zacuto, cuja criação de uma astrolábio náutico e de um livro de tabelas para permitir determinar a posição dos corpos celestes viria a revolucionar a navegação marítima."

E é no reinado de D. João II que se dá a grande parte das descobertas que culminará com D. Manuel I. D. João II morre sem conseguir descobrir o caminho marítimo para a Índia, mas consegue grandes progressos. Bartolomeu Dias passa o Cabo da Boa Esperança , o Tratado de Tordesilhas é assinado entre Portugal e Espanha, tudo isso é retratado e bem retratado por Crowley. O autor não se esquece da importância de Pêro da Covilhã e de Afonso de Paiva, exploradores portugueses, na sua missão pelo oriente.  

Com D. Manuel I vem a descoberta do caminho marítimo para as Índias,  E Afonso de Albuquerque um homem motivado e movido pelo sonho que partilhava com o reu de destruir o Islão, parecendo que tinha pouco tempo para o fazer. A figura central do livro seria mesmo Albuquerque, pelo menos a mais forte, mostrando-se uma personagem extremamente importante para a época, tendo as suas acções militares e políticas sido foram determinantes para o estabelecimento do Império Português no oriente.

Apesar de todo o seu feito e da sua estratégia militar em ter procurado fechar todas as passagens navais para o Índico, foi destituído de governador por D. Manuel I, o que o deixou desiludido com o monarca, morrendo pouco tempo depois. 

«Os meus pecados certamente são grandes para o rei. Condena-me pelo amor pelos homens, e os homens condem-me pelo amor que tenho ao rei.»

Acompanhado de imagens, cartas e de uma extensa bibliografia. Conquistadores de Roger Crowley é um relato emocionante dos feitos dos portugueses pelos mares nunca dantes navegados. Um povo pobre, mas cuja bravura fez com que desejasse conhecer novos mundos e daí extrair ouro, especiarias e implementar a nossa cultura a outros povos.

Muito bom. 




Novidade HarperCollins Páginas de uma Viagem de Paullina Simons em abril

Título: Páginas de uma Viagem
Autor: Paullina Simons
Publicação: Abril 2016
PVP: 19,90 €
Páginas: 672
Tema: romance contemporáneo

Da autora da trilogia Tatiana & Alexander, chega este novo relato épico; esta dilaceradora e apaixonante história sobre um amor perdido e reencontrado que ficará consigo para sempre…

Apaixonar-se era a parte fácil…

Chloe está a poucas semanas de ir para a universidade quando embarca numa viagem pela Europa com o namorado e os seus dois melhores amigos. O destino é Barcelona, com a sua promessa de romance e mistérios, mas primeiro deverão fazer um périplo pelas históricas cidades da Europa de Leste para saldar uma velha dívida familiar.

Enquanto percorrem os desconhecidos enclaves do mundo póscomunista numa viagem de comboio, Chloe conhece um rapaz que vai para a guerra. Johnny tem uma guitarra, um sorriso contagioso e uma vida inteira de segredos.

O trajeto pelo velho continente converte-se numa perigosa viagem pelo lado obscuro do passado da Europa e de Johnny; uma jornada que ameaça destruir os vínculos que unem os quatro amigos de toda a vida.

De Riga a Trieste, passando por Treblinka, Chloe vai enfrentar os seus mais profundos desejos quando estes põem em risco o futuro que ela pensou que queria.

Para Chloe e Johnny só uma coisa é certa: seja qual for o destino, as suas vidas nunca mais voltarão a ser as mesmas.

«Chloe mal tinha perdido a inocência, quando um misterioso desconhecido chamado Johnny Rainbow entra em cena e lhe dedica toda a sua atenção. A partir daí a história de Simons entra numa espiral de romance, violência, drama e segredos.» NY Daily News.

«Um romance emotivo e convincente sobre o amor perdido e reencontrado com o mpressionante cenário da Europa de leste.» 
USA Today


Sobre a autora:
PAULLINA SIMONS nasceu na União Soviética e migrou para os Estados Unidos com a família em criança. Viveu em Itália, Inglaterra, Kansas e Texas, atualmente vive em Nova Iorque com o marido e alguns dos seus filhos. Publicou nos Estados Unidos as suas memórias e o seu primeiro livro infantil. Em Portugal publicou com grande êxito a trilogia Tatiana & Alexandre. Páginas de uma viagem é o seu décimo segundo romance.




Franscico José Viegas e Jaime Ramos têm um “Porto de Encontro” marcado com os leitores

A 44.ª sessão do “Porto de Encontro” anuncia-se particularmente interessante. Desta vez, o jornalista Sérgio Almeida vai moderar uma conversa com um escritor, Francisco José Viegas, mas também com o personagem principal dos seus livros, o célebre Inspetor Jaime Ramos.
Esse momento único vai ter lugar na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, às 17:00 do próximo domingo, dia 20 de março. Para além dos muitos leitores que estarão presentes, de sublinhar a participação especial de Ferreira Fernandes e Jorge Pinto.
O mais recente livro A Poeira que Cai sobre a Terra e outras histórias de Jaime Ramos será um bom ponto de partida para uma conversa que revisitará o percurso do escritor (mas também professor, jornalista e editor) e, ao mesmo tempo, dará a oportunidade de conhecer melhor o inspetor Jaime Ramos.
Esta edição do “Porto de Encontro” conta com a colaboração da Câmara Municipal do Porto e tem o apoio do Jornal de Notícias, Antena 1, Porto Canal, Livrarias Bertrand e Arcádia.
Esta iniciativa está a ser divulgada no sítio do Porto de Encontro, em http://www.portoeditora.pt/portodeencontro, e na página Facebook https://www.facebook.com/PortodeEncontro.

Hoje: Pimpinha Jardim e Prof.ª Teresa Paiva apresentam livro de Mariana Chaves



Novidade Topseller - A Loucura de Lorde Ian Mackenzie, de Jennifer Ashley

Título: A Loucura de Lorde 
Autor: Ian Mackenzie
N.º de Páginas: 352
PVP: 18,79€ 
Saída a 14 de março

«Uma história de amor e redenção romântica, deliciosamente misteriosa e agradavelmente sexy, que irá cativar os leitores com as suas personagens complexas e o seu enredo cheio de suspense.» - Booklist

«Absolutamente brilhante!» - Eloisa James, escritora

Sinopse: 
A maioria das mulheres prestaria atenção aos avisos. Beth decidiu ignorá-los…
Por toda a sociedade londrina correm rumores de que Lorde Ian Mackenzie é louco, que terá passado a sua juventude num asilo, e que não é de confiança, especialmente com senhoras. Beth é uma jovem viúva, herdeira de uma fortuna, que está outra vez noiva e que deseja voltar a ser tão feliz quanto foi com o primeiro marido. Quando é apresentada a Lorde Ian Mackenzie, este apaixona-se imediatamente e não tem dúvidas de que a quer para si. Procura, então, convencê-la a deixar o noivo e a casar-se consigo.
Beth acaba por se deixar seduzir e decide fazer tudo para ajudar Lorde Ian a superar o sofrimento que carrega, devido a um passado tormentoso.
A partir de então, só uma coisa faz sentido na vida de Beth… a loucura de Lorde Ian Mackenzie.

Sobre a autora: 
Jennifer Ashley é uma autora norte-americana, bestseller do New York Times e do USA Today, que já conta com mais de 80 obras publicadas.
Os seus livros têm-lhe garantido vários elogios e prémios, incluindo o Prémio RITA para Melhor Romance, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance, o Prémio Romantic Times Reviewer’s Choice, entre muitos outros.
Com mais de cinco milhões de livros vendidos, e traduzida em mais de dez línguas, Jennifer Ashley é hoje uma das autores preferidas no género Romance.
Descubra mais sobre a autora em www.jenniferashley.com


Nascente: Papa Francisco e as suas reflexões sobre o estado do Mundo

«O grau de progresso de uma civilização mede-se precisamente pela capacidade de salvaguardar a vida,
sobretudo nas suas fases mais frágeis, mais do que pela difusão de instrumentos tecnológicos.»
- Papa Francisco

Fez, no dia 13 de março, três anos que Jorge Mário Bergoglio foi eleito Papa. Três anos de pontificado marcado por inúmeras reformas e ideias inéditas, nem todas bem aceites pela ala mais conservadora da Igreja.

Através do seu carisma, simpatia, intimidade e afabilidade paterna — unidos à desarmante normalidade das suas palavras e dos seus gestos, nada calculistas, livres de toda a formalidade e por vezes até de toda a prudência diplomá­tica, o Papa Francisco quer sensibilizar os crentes e todos os homens de boa vontade sobre as dramáticas condições atuais do planeta; um apelo para que a criação volte a ser uma bela casa e uma família fraternal capaz de gerar um futuro de justiça e de paz para todos.

A pergunta-chave é esta: como se deve agir, a nível político e económico, ético e espiritual, para corrigir os desvios de um desenvolvimento que não ameaça apenas prejudicar a Terra, mas também empobrecer e degradar o Homem que a habita?

A sua advertência e o seu apelo são dirigidos às responsabilidades individuais e coletivas no uso racional dos recursos naturais, que a todos pertencem e que devem, portanto, ser distribuídos e utilizados em proveito de todos. É este o humanismo que Francisco tem vindo a traçar com toda a lucidez como projeto de civilização para a casa comum, apelando ao empenho e contributo de cada um, para que o mesmo se torne possível.

Proteger a Criação: Reflexões sobre o Estado do Mundo (Nascente l 208 pp l 14,39€), já à venda em todo o país, é um livro que nos fala precisamente das ideias de Papa Francisco. 


Novidade Presença: O Livro de Aron de Jim Shepard hoje nas livrarias

Título: O Livro de Aron
Autor: Jim Shepard
Coleção: Grandes Narrativas
Nº na Coleção: 630
Nº de Páginas: 176
PVP: 12,90 €

Sinopse:
Pela mão do pequeno Aron, somos levados a conhecer a Polónia de 1939, onde ele e a família vivem.
Pouco tempo depois, enquanto judeus, são conduzidos ao gueto de Varsóvia, onde a crueldade, a fome e a doença destroem as vidas de quem aí foi aprisionado. Porém, Aron e um grupo de amigos conseguem ajudar as famílias, esgueirando-se do gueto para fazer contrabando.
Num relato comovente e intenso, Jim Shepard mostra-nos, através da voz de uma criança, como é possível manter a dignidade humana nas condições mais adversas.
Um romance notável destinado a juntar-se aos clássicos sobre o holocausto escritos na perspetiva de uma criança .

O Livro de Aron foi finalista da Andrew Carnegie Medal for Excellence in Fiction 2016 e um dos 10 melhores livros de 2015 pela Amazon.

Citações
«Um romance notável destinado a juntar-se aos clássicos sobre o holocausto.» - The Washington Post
«Uma obra de arte comovente. Jim Shepard mostra como o amor e o sacrifício prevalecem no sofrimento.» - The Guardian
«O romance de Jim Shepard junta-se a outros livros tocantes sobre o holocausto escritos da perspetiva de uma criança, como O Diário de Anne Frank.» - Livro do Mês do jornal Times

Sobre o autor:
Jim Shepard é um dos escritores norte-americanos mais aclamados. É autor de vários romances e coletâneas de contos. Foi distinguido com o The Story Prize e chegou a finalista do National Book Award. Os seus contos têm saído em publicações de renome, entre as quais The New Yorker, Harper’s Magazine, The Paris Review, The Atlantic e Esquire.


Para mais informações consulte o site da Editorial Presença aqui


terça-feira, 15 de março de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Morreu Anita Brookner

Morreu a escritora britânica Anita Brookner, tinha 87 anos. 
A autora conquistou o galardão literário Booker em 1984 com o romance "Hotel du Lac", um dos 25 livros que escreveria ao longo da sua vida.
Segundo o "The Times", a escritora morreu quando dormia no passado dia 10.
Brookner nasceu em 1928 e era filha de polacos judeus, que ajudaram refugiados a escaparem da perseguição dos nazis durante a II Guerra Mundial. 
Depois de ter escrito vários livros sobre arte durante a década de 60 e 70 do século passado, os seus livros começaram a centrar-se na ficção, destacando temas que exploram o isolamento social através de personagens femininas. O seu primeiro romance "A Start in life" seria publicado em 1981, tendo, depois disso, escrito um livro por ano. O seu último livro "At the hairdresser's saiu em 2011.
Além de "Hotel du Lac" foram editados em Portugal "Desconhecidos", "Fraude" (Bertrand), "Visitas" e "A Baía dos Anjos" (Casa das Letras) e "As Regras dos Compromisso" (Ulisseia). 

A minha opinião de "Hotel du Lac"

Porto Editora publica Os Deuses da Culpa, um novo thriller jurídico de Michael Connelly

Título: Os Deuses da Culpa
Autor: Michael Connelly
Tradução: José Vieira de Lima
Págs.: 392
PVP: 16,60 €

No dia 17 de março, a Porto Editora publica Os Deuses da Culpa, um novo thriller jurídico de Michael Connelly, unanimemente considerado pelos leitores e pela crítica um dos grandes nomes do policial contemporâneo, com livros traduzidos para 39 línguas e 60 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. De acordo com o Los Angeles Times, «Michael Connelly atinge a excelência, superando a mestria de John Grisham na construção de um ambiente de suspense numa sala de tribunal». Em Os Deuses da Culpa, o autor oferece-nos um thriller onde Mickey Haller, o protagonista advogado cujo escritório é o banco de trás do seu automóvel, tem agora em mãos um caso que, em última instância, o poderá redimir de todos os pecados ou provar a sua culpa.

Sinopse:
Depois de ter perdido a corrida para o lugar de procurador distrital, Mickey Haller, advogado de defesa em Los Angeles, antevê o fim da sua carreira. A relação com a sua ex-mulher é cada vez mais distante e a filha de ambos recusa-se a falar com um pai que defende sempre o mau da fita. Mas quando recebe uma mensagem no telemóvel, «Liga-me depressa – 187», aludindo ao artigo do código penal da Califórnia que contém a definição de homicídio, Mickey não pensa duas vezes e aceita um caso que, espera, o trará de novo para os grandes palcos das salas de audiência. Rapidamente descobrirá que a vítima era uma antiga cliente sua, uma prostituta que em tempos defendera e julgara ter resgatado das ruas, naquele que será apenas o primeiro indício de um jogo de sombras entre a DEA e o mais temível dos cartéis mexicanos: o de Sinaloa.

Primeiras páginas:
Disponíveis aqui.

Sobre o autor:
Admirado por Stephen King e com 50 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Michael Connelly é um dos nomes incontornáveis da literatura policial moderna e uma presença constante nos tops de vendas mundiais. Autor da série de livros protagonizados pelo detetive Harry Bosch, alguns dos quais já adaptados ao cinema, está traduzido em 36 línguas e recebeu alguns dos mais importantes prémios literários, quer nos Estados Unidos, quer em diversos países estrangeiros. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus livros O Veredicto e A Reviravolta, também protagonizados pelo advogado Mickey Haller e o famoso detetive Bosch.
Página do autor: www.michaelconnelly.com

Imprensa:
Connelly tem o dom de dar vida a uma sala de audiências. Booklist
Connelly propôs-se um desafio tremendo. E mostrou-se à altura. New York Daily News
Connelly é um dos maiores escritores de policiais, um romancista capaz de criar um mundo ficcional tão verdadeiro e de o habitar de forma tão indelével que o leitor fica convencido de que é real. Daily Mail
Michael Connelly é um dos mais importantes escritores da atualidade. Um moderno Raymond Chandler para o que ele apelida de “o mundo sem verdade”. Carlos Ruiz Zafón


O primeiro livro de Alessandro Baricco na Quetzal chega às livrarias a 18 de março

Título: A Jovem Noiva
Autor: Alessandro Baricco
Género: Romance
Tradução: Sara Ludovico
N.º de páginas: 208
Data de lançamento: 18 de março
PVP: 16,60€

A estreia do escritor italiano, autor de Seda, na Quetzal.
Estamos em 1900. A jovem Noiva chega. Vem de longe e a sua nova família acolhe-a distraidamente na elegante mansão de campo. O Filho (e noivo) está ausente, cuidando dos negócios familiares. Todos os dias, durante a manhã e pela tarde dentro, o Pai, a Mãe, a Filha e o Tio juntam-se em torno de um festivo e extravagante pequeno-almoço, sempre com muitos e variados convivas ocasionais: celebram a vida e o terem escapado às garras da morte, que durante gerações levou os homens e as mulheres da família, sempre nas horas noturnas. O leal mordomo Modesto é quem garante os hábitos e os ritmos desta excêntrica comunidade.
Entretanto, tudo converge cada vez mais intensamente para a espera do Filho, que tarda. E enquanto isso, a inquieta e curiosa noiva vai entrando nos segredos e mistérios da história da família.
A Jovem Noiva envolve o leitor num ambiente quase onírico, de sedução e de mistério. Altamente sugestivo e nunca previsível.

Sobre o autor:
Alessandro Baricco nasceu em Turim, em 1958. Os seus romances receberam inúmeros prémios e alguns foram adaptados ao cinema, como por exemplo Seda (a reeditar em breve pela Quetzal), cujo filme estreou em 2007 e contou com a participação de Keira Knightley, entre outros.
A Quetzal publicará outros títulos ainda inéditos em Portugal, entre eles, Tre volte all’alba e Mr. Gwyn.


Topseller lança novo livro de Monica Murphy - Não É Tarde Para Amar

Título: Não É Tarde Para Amar
Autor: Monica Murphy
N.º de Páginas: 320
PVP: 17,69€
Saída a 14 de março

«A história de Owen é tudo o que eu esperava que fosse! Dou a Não É Tarde para Amar cinco estrelas! É um grande final de uma série incrível!» - A Booklist Escape
«Não É Tarde para Amar está repleto de tensão e desejo! A história de Owen e Chelsea é comovente e apaixonada, e no final do livro, seguramente, vai suspirar de contentamento.» -Waves of Fiction

Sinopse: 
Sem rumo. Isto resume a minha vida. Suspenso da equipa de futebol da faculdade e forçado a diminuir o número de horas de trabalho por causa das minhas más notas, não posso continuar a correr para o colo da minha irmã, Fable, e do seu marido, Drew, à procura de ajuda. Sinto que não consigo encontrar o meu próprio caminho – droga e sexo são tentações irresistíveis. Um explicador é a última coisa que eu quero, até a ver.
Chelsea não é de todo o meu tipo. Ela é inteligente e muito tímida. Tenho a certeza de que é ainda virgem. Mas quando ela me olha com aqueles penetrantes olhos azuis, eu fico completamente perdido. Não vou negar que o corpo dela é de morrer, mas é a sua cabeça e o modo como ela parece necessitar de amor – como se nunca tivesse sido amada – que me faz desejá-la mais do que a qualquer rapariga que já conheci.
O que é que alguém aparentemente tão certinha como ela pode ver num tipo sem rumo como eu?

Sobre a autora:
Monica Murphy é uma autora norte-americana, cujos livros Uma Semana para Te Amar , Vou Amar te para Sempre e Prometes Amar-me? foram bestsellers do New York Times e do USA Today. Em Portugal, é já uma das autoras de romances que maior expectativa cria nas leitoras.
Monica Murphy escreve ficção para jovens adultos, além de romances contemporâneos. Vive com o marido e os três filhos no sopé das montanhas de Yosemite, na Califórnia. Adora livros e, por isso, considera que tem o melhor trabalho do mundo.
Descubra mais sobre a autora em www.monicamurphyauthor.com