sábado, 23 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Dia Mundial do Livro 2016

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996, e por decisão da UNESCO, a 23 de abril.
A data foi escolhida tendo por base uma velha tradição catalã segundo a qual, nesse dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha e recebem em troca um livro.
Este dia serve também para prestar homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, precisamente neste mês.
A par disso, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, presta homenagem a alguns autores portugueses, cujos centenários de nascimento ou morte se assinalam: Bocage (as comemorações dos 250 anos do nascimento decorrem de setembro 2015 a setembro de 2016); Mário de Sá Carneiro (1890-1916 – centenário da morte); Mário Dionísio (1916-1993) e Vergílio Ferreira (1916-1996), autores de que se assinala o centenário do nascimento.

Ainda para assinalar este dia, a DGLAB apresenta, no edifício da Torre do Tombo, a exposição «Livros de muitas cores», com uma mostra de documentação antiga e moderna que pretende chamar a atenção para o papel do Livro nas suas muitas vertentes.

Informação retirada do site da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas aqui 
sexta-feira, 22 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: Os Conjurados de 1640, de Charles-Philippe d'Orléans

Depois de Reis no Exílio, o príncipe Charles-Philippe d’Orléans volta a editar com a Esfera dos Livros. Desta vez, o descendente dos reis de França e de Portugal, aventura-se na ficção com uma história de paixão, intriga e coragem na luta pela independência de Portugal.

Durante a última década do poder filipino em Portugal, Manuel Bocarro, um médico cristão-novo, é chamado à corte de Madrid para tentar salvar a vida de D. Baltasar de Zuñiga, conselheiro de Filipe IV e figura grada da nobreza de Castela. Segue consigo o neto que ele muito ama, o jovem João, a quem o avô pretende assim oferecer alguma experiência do mundo. Em Madrid, porém, João não só encontra Miguel de Vasconcelos, que em rapaz retirara das águas do Tejo, como também trava conhecimento com D. Antão Vaz de Almada, que o alicia para a conjura da Restauração portuguesa. João regressa, pois, a Portugal e envolve-se numa série de intrigas que farão dele um dos heróis desconhecidos da revolução de 1 de Dezembro de 1640.

Hoje à venda.

Sobre o autor:
O príncipe Charles-Philippe d’Orléans, duque de Anjou, vive em Portugal e é descendente em linha direta dos reis de França, onde nasceu.

Primo do atual chefe da Casa Real Portuguesa, Dom Duarte, duque de Bragança, é casado com Diana de Cadaval e tem laços familiares ou de amizade com todas as Casas Reais europeias. Estudou Ciências Políticas, Relações Internacionais, Comunicação Institucional e Inteligência Económica em Madrid, Paris e Genebra.

Atualmente, a luta contra as minas antipessoais e a problemática da água norteiam a sua atividade caritativa internacional.

Pel’A Esfera dos Livros, editou Reis no Exílio.








Novo livro de Colleen Hoover - Confesso

Título: Confesso
Autor: Collen Hoover
N.º de Páginas: 264
PVP: 16,99€
Saída a 25 de abril

«Confesso é simultaneamente doce e viciante. Colleen consegue fazer-nos esquecer a ficção e desejar que o destino exista mesmo para unir Owen e Auburn.» - The Guardian

Os leitores escolheram:
PRÉMIO GOODREADS MELHOR ROMANCE 2015

Colleen Hoover é uma autora norte-americana que já atingiu o 1.º lugar no top de vendas do New York Times e comoveu muitas leitoras com os seus doze livros publicados e traduzidos para cerca de 30 línguas. Em Portugal, a autora conta já com milhares de leitoras fiéis, que se renderam aos já publicados Um Caso Perdido, Uma Nova Esperança e Amor Cruel.
Escritora de profissão, Colleen Hoover é já uma das autoras mais requisitadas para tours internacionais, e o entusiasmo é visível nos inúmeros vídeos publicados pela autora nas redes sociais. Confesso chega agora às livrarias e promete não desiludir as fãs.

Sinopse:
Jovens apaixonados com demasiadas verdades escondidas. Porque há segredos que não devem ser revelados.
Auburn Reed tem toda a sua vida planeada. Não há espaço para erros ou imprevistos. Até que, um dia, entra num estúdio de arte e conhece Owen Gentry, o enigmático artista dono do estúdio. Auburn sente, de súbito, que algo muda dentro dela e decide deixar-se levar pelo coração.
Owen, contudo, guarda segredos que não quer ver revelados. As escolhas do seu passado não parecem permitir-lhe um futuro livre, e Auburn tem demasiado a perder se decidir lutar por ele. A única forma de não pôr em risco tudo o que é importante para si é deixar Owen. Confessar é tudo o que ele tem de fazer para salvar a relação de ambos. Mas, neste caso, a confissão pode ser muito mais destrutiva do que o próprio pecado. Será o amor capaz de sobreviver à verdade?
Confesso é uma história de imenso amor e coragem, que nos faz acreditar em segundas oportunidades.
O livro inclui 8 páginas a cores com as ilustrações dos quadros de Owen.

Sobre a autora:
Colleen cresceu numa quinta, no Texas, casou-se aos 20 anos e tirou uma licenciatura em Serviço Social. Trabalhou nos Serviços de Proteção a Crianças, antes de voltar aos estudos para concluir a sua formação em Educação Especial e Nutrição Infantil. Saiba mais sobre a autora em www.colleenhoover.com


Novidade Clube do Autor: Uma Boa Mulher de Jill Alexander Essbaum

Título: Uma Boa Mulher
Autor: Jill Alexander Essbaum
Tradutor: Eugénia Antunes
Páginas: 304
Editor: Clube do Autor
PVP: 17€
Nas livrarias a 3 de Maio

Muito elogiado pela crítica e pelos leitores, Uma Boa Mulher foi eleito LIVRO DO ANO por diversas publicações. A edição portuguesa está disponível a partir de 3 de maio. 

«Anna Karénina com um toque de Madame Bovary.» Time Magazine
«Depois de Madame Bovary e Anna Karénina, Essbaum prova que as histórias de "boas mulheres" continuam relevantes (...) Magistral.» Publishers Weekly
«Um romance lírico e poderoso, com uma heroína capaz de despertar sentimentos de ódio-paixão tal como Emma Bovary.» The Huffington Post
«Há ecos de Anna Karénina, mas a escrita, a estrutura e a intimidade  fazem com que este seja um romance único e marcante.» BBC

Sinopse
Anna é uma mulher casada, à beira dos quarenta anos, com três filhos pequenos. Embora tenha uma vida tranquila e abastada, sente-se a desmoronar. À deriva e cada vez mais incapaz  de se relacionar com o marido, um banqueiro emocionalmente indisponível, ou mesmo com os seus sentimentos, Anna tenta estimular-se com novas experiências, que incluem uma série de aventuras sexuais às quais se entrega com um à-vontade que a surpreende até a si mesma.

O adultério, porém, tem a sua própria moral e quando Anna decide pôr fim aos casos extraconjugais, percebe que desencadeou uma terrível cadeia de eventos. As tensões agravam-se, ela perde o controlo sobre as mentiras que conta e descobre qual o destino de uma mulher que já não pode voltar atrás. 

Profundo e intenso, este romance narra a história inesquecível sobre o casamento, a fidelidade, a sensualidade, a moralidade e, acima de tudo, acerca do eu. Alternando entre o amor e a luxúria, a culpa e a vergonha, as desculpas e as razões, a história de Anna é emocionante e revela, com sinceridade, como nos criamos a nós mesmos, como nos perdemos e as escolhas, por vezes desastrosas, que fazemos para nos encontramos a nós próprios. 

Jill Alexander Essbaum é autora de várias colectâneas de poesia e o seu trabalho  tem surgido em antologias como The Best American Poetry e The Best American Erotic Poems: From 1800 to the Present. Ganhou o prémio de poesia Bakeless Poetry. Uma boa mulher é o seu romance de estreia.   


A Vingança Serve-se Quente - M. J. Arlidge [Opinião]

Título: A Vingança Serve-se Quente
Autor: M. J. Arlidge
Páginas: 352
Editor: TopSeller
PVP: 18,79€

Sinopse:
SEIS INCÊNDIOS EM VINTE E QUATRO HORAS,
DOIS MORTOS E VÁRIOS FERIDOS…

Na calada da noite, três violentos incêndios iluminam os céus da cidade. Para a detetive Helen Grace, as chamas anunciam algo mais do que uma coincidência trágica — este cenário infernal de morte e destruição revela uma ameaça nunca antes vivenciada.
No decurso da investigação, descobre-se que aquele que procuram não é apenas um incendiário em busca de emoções fortes — os atos criminosos denunciam um assassino meticuloso e calculista. Alguém que pretende reduzir as suas vítimas a cinzas…
Uma nuvem negra de medo e desconfiança estende-se sobre a cidade, à espera da faísca que provocará a próxima tragédia. Conseguirá Helen descobrir a tempo quem será a próxima vítima?

A minha opinião: 
Três incêndios na mesma noite, com suspeita de fogo posto, colocam a detective Helen Grace em estado de alerta. Além de ocorridos na mesma noite, os incêndios são deflagrados com pouco tempo entre eles o que leva a detective a suspeitar que dois deles podem ser uma manobra de diversão para ocultar o que o criminoso pretende no terceiro incêndio: fazer vítimas.

Tudo se torna mais evidente quando pouco depois mais três incêndios são reportados aos bombeiros e um deles acaba por fazer nova vítima. Aí já não pode haver coincidência e há um assassino a soldo que é urgente apanhar.

Os crimes são feitos com uma malvadez tal que chega a ser arrepiante só de pensar como é possível alguém ser capaz de fazer uma coisa dessas. Terá de ser alguém com muito desejo de vingança.

A Vingança Serve-se Quente é o quarto livro da série Helen Grace e como apreciadora dos anteriores livros de M. J. Arlidge aguardava ansiosamente por ler este. Com um ritmo considerável, o livro, como aliás todos os outros do escritor, pauta-se por capítulos curtos, como eu gosto, o que nos leva a querer ler mais e mais, desvendar o mistério a cada virar de página.

A par da história principal vamos acompanhando o dia a dia de Helen, os problemas já habituais com a jornalista com um costela portuguesa e o novo chefe...

A sua vida pessoal continua a ensombrá-la e a forma como ela lida com isso pode não ser a melhor, e poderá acabar por levá-la a sérios problemas a nível profissional.

O desfecho deixa uma pista para o que se seguirá nos próximos livros, o que me leva a desejar que seja publicado o quinto livro da série o mais rápido possível. M. J. Arlidge começa a ser viciante. Gosto cada vez mais disso.


O Erro de Deus - Carlos Queirós [Opinião]

Título: O Erro de Deus
Autor: Carlos Queirós
Páginas: 318
Editor: Edita-Me
PVP: 16€

Sinopse
Quando o conde Policarpo de Castelão prendeu na masmorra do Palácio dos Cisnes, em segredo, o jovem Bernardes — seu sobrinho e sucessor por falta de outros herdeiros — pressupôs que ao cabo de poucos meses ele iria morrer no inferno da cela que existia nos fundos do edifício do século XIX. Contrariamente a todos os que por lá haviam passado desde o tempo da escravatura, onde deixaram apenas os ossos e gritos inaudíveis, Bernardes de Castelão viveu por muitos anos.
Um estranho caso de conexão com um poder sinistro, fê-lo desenvolver capacidades supra-humanas, ao ponto da sua condição de homem deixar praticamente de existir. Um imigrante croata que trabalhava na quinta dos Castelão descobriu o terrível prisioneiro, abrindo a caixa de Pandora que viria a despoletar um apocalipse, ao ponto de se tornar mais importante perguntar: quem é a Humanidade? E só depois formular a questão: quem é Deus?

A minha opinião:
Quarto livro de Carlos Queirós, meu conterrâneo do Marco de Canaveses, O Erro de Deus é uma distopia entre uns seres celestiais, muito superiores à raça humana e que quererão mandar no universo e os próprios seres humanos que por cá habitam
.
"A humanidade é um erro de Deus. O ser humano é uma praga do universo."

Tudo começa com Policarpo de Castelão, um conde, dono do Palácio dos Cisnes, que por traição da mulher com o seu único sobrinho, perpetra uma crime que o vai acompanhar até ao fim dos seus dias. À mulher mata-se simulando o seu suicídio. Ao sobrinho prende-o nas masmorras da sua casa, condenando-o a cárcere praticamente eterno.

Contrariamente aos seus antecessores (escravos e antigos empregados), que se viram confinados ao cárcere pelas mais diversas razões, Bernardes, que era alimentado parcamente pelo seu tio, às escondidas de todos, duraria muitos anos. Sem que imagine, Policarpo seria o "condutor" para que Bernardes fosse o eleito a receber uma espécie de super-poder, tornando-o um ser imortal, com o intuito de, no futuro, mudar para sempre o rumo do Universo.

Subitamente vemo-nos mergulhados numa espécie de experiência paranormal, que passa pelas descobertas da Nanotecnologia, sobretudo na área da medicina que vem revolucionar a nossa forma de como vemos Deus e a Humanidade.

"... este planeta é uma porcaria porque está dominado por uma espécie menor, que está a evoluir, é certo, mas no sentido da sua autodestruição."

Para quem leu os anteriores livros do autor, O Erro de Deus é um livro completamente diferente dos demais.

Apesar de não ser o género literário que mais aprecio, este foi um livro que me cativou, tanto pela forma como está escrito, como a estrutura e história que se foi desenvolvendo entre as mais diversas personagens.
Recomendo.

Novidades Marcador já nas livrarias

Título: A Linguagem Secreta das Irmãs
Autor: Luanne Rice
N.º de Páginas: 328
PVP: 17,95 €

Sobre o livro: 
QUANDO A VIDA MUDA NUM SEGUNDO, SÓ NOS RESTA O AMOR INCONDICIONAL.

Quando Ruth Ann (Roo) McCabe, ao volante do seu carro, responde a uma mensagem de texto no telefone, a sua vida tal como era até então termina. O carro capota e Roo acaba numa cama de hospital, paralisada. Silenciosa. Todos pensam que está em coma, mas Roo tem síndrome de encarceramento – consegue ver, ouvir e compreender tudo à sua volta, mas ninguém sabe.
Mathilda (Tilly) é a irmã de Roo e a sua melhor amiga. Foi ela quem enviou a mensagem de texto a Roo e, inadvertidamente, causou o acidente. Tilly tem agora de lidar com a sua culpa avassaladora e com os seus sentimentos crescentes pelo namorado de Roo, Newton – a única pessoa que parece perceber aquilo que Tilly está a passar.
Mas Tilly pode ser a única pessoa capaz de resolver o mistério da situação da sua irmã – aquela que consegue ver a verdade através do silêncio de Roo.

«Luanne Rice seduziu milhões de leitores.» USA Today

Sobre a autora:
Luanne Rice é autora bestseller do The New York Times com vários livros para adultos. Contam-se já mais de vinte e dois milhões de cópias impressas das suas obras por todo o mundo, e cinco delas foram adaptadas a telefilmes e a miniséries televisivas.
«A Linguagem Secreta das Irmãs» é a sua estreia no género Juvenil. Luanne divide o seu tempo entre Nova Iorque, o Connecticut e o Sul da Califórnia. 
Visita a página da autora na Internet em: www.luannerice.net

Título: Dançando Sobre Vidro
Autor: Ka Hancock
Páginas: 368
PVP: 18,50€

Sobre o livro: 
O melhor tipo de amor é aquele que segue as próprias regras...
Poderá o casamento sobreviver a um amor impossível?
 Dançando sobre Vidro ilustra na perfeição o poder do amor. É uma história de grande intensidade e que nos oferece um olhar íntimo sobre uma relação bela, repentinamente afetada pela doença. Sendo o retrato cru de um casamento que é simultaneamente comum e incomum, ilustra também, na perfeição, o poder do amor e leva-nos numa viagem inesquecível.

«A estreia de Ka Hancock leva-nos às lágrimas... uma história íntima e tocante que vai permanecer no coração dos leitores.» Publishers Weekly

Sobre a autora: 
Ka Hancock tem dois cursos de enfermagem e passou grande parte da sua carreira a trabalhar com pacientes psiquiátricos e de abuso de substâncias químicas. Vive em Salt Lake City com o marido e tem quatro filhos. Dançando sobre Vidro é a sua estreia  literária. 

Ka nasceu e cresceu no Utah na sombra das montanhas mais deslumbrantes à face da Terra. A par de cuidar da família, estudar, trabalhar e tratar da roupa, ela conseguiu escrever um livro que nos oferece um olhar íntimo sobre o amor imperfeito, a perda e o transtorno bipolar. A fé inabalável que ela tem na tenacidade do espírito humano brilha na sua estreia com Dançando sobre Vidro. 


Título: A Mãe é que Sabe
Autoras: Joana Gama Freire Pombares, Joana Paixão Brás
Páginas: 360
PVP: 18,85€

Sobre o livro:
A mãe é que sabe. E se há alguém que tem de meter isso na cabeça, somos nós, as mães. Produto de um blogue criado com muito amor este livro que pretende ser a melhor amiga de quem esteja a passar pela maternidade.
Mais do que uma ida à esteticista, o que toda a mãe precisa, ainda para mais nos primeiros tempos, é de se sentir compreendida, acompanhada e confiante. 
Neste livro as autoras contam-nos, de uma forma bastante divertida, como sobrevivem aos primeiros dois anos das suas bebés. Conselhos, opiniões, desabafos que lhes saem do coração. 
http://amaeequesabeblog.blogspot.pt

Lançamento dia 30 de abril, pelas 16 horas, na Fnac de Alfragide conta com a apresentação de António Raminhos

Sobre as autoras: 
Joana Paixão Brás acima de tudo, mãe. Neste momento uma mãe bem grande, com uma filha que adora dizer «cocó malcheiroso» e outra que está no forno. É scalabitana, licenciada, trabalha em televisão, é voz off de um canal e blogger. Tem 29 anos e, pelo menos até aos 89, tem esperança de que o namorado a peça em casamento. Romântica e lamechas que até enjoa, adora viver e todos esses clichés de quem é feliz. 

Joana Gama nascida e criada. Licenciada. Fez e faz de tudo um pouco para chamar a atenção (rádio, televisão, stand-up comedy, comédia de improviso, piercings a mais nas orelhas e até desenvolveu com o tempo uma ligeira deficiência na fala), mas chegou à conclusão de que ter um filho seria provavelmente o que mais a preencheria, literalmente também na fase de incubação. É uma mulher. Para já. 

A Elsinore assinala os 30 anos do desastre de Chernobyl - Dia 26 de abril, às 18h30, FNAC Chiado



quinta-feira, 21 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

TOPSELLER: Trailer do filme «A Rapariga no Comboio» aprovado por milhões de leitores

A Rapariga no Comboio, editado pela Topseller, foi o livro sensação de 2015 em todo o mundo. Segundo dados GFK, foi o livro mais vendido em Portugal o ano passado, somando já 15 edições - 78 mil exemplares editados em apenas nove meses. No início do ano, atingiu a fantástica marca de 10 milhões de livros vendidos em todo o mundo.

A história, recheada de suspense, cativou de imediato o interesse do mundo cinematográfico e o resultado chega às salas de cinema nacionais em outubro. À semelhança do livro, as filmagens estiveram envolvidas em bastante mistério, uma vez que pouco se soube da rodagem do filme e poucas foram as imagens que passaram para o exterior.

A seis meses da estreia de um dos mais aguardados filmes do ano, os muitos milhões de leitores do livro de Paula Hawinks puderam​ finalmente​ satisfazer a curiosidade sobre a adaptação da obra ao grande ecrã. A Universal Pictures divulgou o primeiro trailer de A Rapariga no Comboio, filme realizado por Tate Taylor e com Emily Blunt no papel principal (Rachel). 

Haley Bennett, Luke Evans, Rebecca Ferguson, Laura Prepon, Edgar Ramírez, Allison Janney, Justin Theroux e Lisa Kudrow, são alguns dos conhecidos actores que fazem parte do elenco de A Rapariga no Comboio.




A HISTÓRIA
O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros.

Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.

Até que um dia... Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.
​ 

De leitura compulsiva, este é o thriller do momento, absorvente, perturbador e arrepiante.






Novidades Quinta Essência mês de abril - "Obstinada", de Sylvia Day e "As Piores Intenções", de Elizabeth Hoyt

Título: Obstinada
Autor: Sylvia Day
N.º de Páginas: 328
PVP: 16, 60 €

Até onde vai o desejo de um homem...

Como agente da Coroa, Marcus Ashford, conde de Westfield, travou inúmeras lutas de espada, foi baleado duas vezes e esquivou-se a muitos tiros de canhão. E, no entanto, nada o excita mais do que a fome primitiva que a sua ex-noiva, Elizabeth, desperta nele. Anos antes, ela trocou-o pelo jovem e inexperiente Lorde Hawthorne. Agora, cabe a Marcus defender a elegante viúva, e ele irá fazê-lo enquanto trata das outras necessidades dela, mais carnais, mostrando-lhe a profundidade do desejo de um verdadeiro homem...
Segredos perigosos conduziram ao homicídio do marido de Lady Hawthorne, segredos anotados num diário que muitos matariam para possuir. Mas confiar a sua proteção ao homem mais sedutor que ela já conheceu? Ultrajante. Impensável. Irresistível. Pois foram as paixões fortes e o desejo ardente de Marcus que a assustaram e a levaram a abandoná-lo anos atrás... No entanto, o seu desejo por ele nunca diminuiu. Agora, ele quer estar ao seu serviço, em todos os sentidos. E talvez a atitude mais sensata seja não resistir à tentação, mas entregar-se a ela completamente...

Sobre a autora
Sylvia Day escreveu mais de 20 romances premia dos traduzidos em mais de 40 países. Com dezenas de milhões de cópias de livros impressos, é bestseller em 23 países.Os seus livros entre os 10 livros mais vendidos de 2012 e 2013, tornando-a uma das autoras mais lidas do mundo. Foi nomeada para o Prémio Goodreads Choice Award para Melhor Autora e o seu trabalho foi homenageado pela Amazon como Melhor do Ano na categoria romance. A sua série Crossfira foi adptada para televisão pela Lionsgate.


Título: As Piores Intenções
Autor: Elizabeth Hoyt
N.º de Páginas: 392
PVP: 15, 90 €

Um jogo perigoso que ningém pode recusar...
Série: Maiden Lane - volume 1

Famoso pelos seus desejos selvagem e sensuais, Lazarus Huntington, Lorde Caire, anda à procura de um assassino cruel em St. Giles, o bairro da lata mais famoso de Londres. A viúva Temperance Dews conhece St. Giles como a palma da mão - passou a maior parte da vida a cuidar dos seus habitantes no lar de órfãos que a sua família estabeleceu. Agora essa casa está em risco.
Caire faz uma oferta simples: em troca da ajuda de Temperance para navegar os becos perigosos de St. Giles, ele irá apresentá-la à alta sociedade de Londres para que ela possa encontrar um benfeitor para o lar. Mas Temperance pode não ser tão inocente como parece, e o que começa por ser um calculismo frio em breve se transforma numa paixão que nenhum deles pode controlar – e que pode muito bem destruir ambos.

Sobre a autora
Elizabeth Hoyt nasceu em Nova Orleães, onde a família da mãe vive há várias gerações, mas foi criada nos invernos gélidos de St. Paul, Minnesota. Quando era pequena a família viajou muito na Grã-Bretanha, passando um verão em St. Andrews, na Escócia, e um ano em Oxford. Tem uma licenciatura em Antropologia pela Universidade de Winsconsin, Madison. Winsconsin foi também o local onde conheceu o marido, arqueólogo - numa escavação num campo de milho - e vivem no centro de Illinois, com os seus dois filhos, três cães e um jardim que ela cuida com entusiasmo.





Lançamento do Livro «O Que Tem a Barriga da Mãe?»

Título: O que tem a barriga da mãe? 
Autor: Joana Lopes
N.º de Páginas: 40
Ilustração: Luís Belo
Coleção: Ficção Infantil N.º 5
PVP: 11,90€

Data de Publicação: 20 Abril 2016

ESCRITORA E ILUSTRADOR DESTE LIVRO VENCERAM O PRÉMIO DE LITERATURA INFANTIL DO PINGO DOCE COM O LIVRO DE ONDE VÊM AS BRUXAS

A mãe avisa que tem uma novidade para contar e o filho quer adivinhar o que é. Tem a ver com a barriga da mãe que começa a crescer…


Uma barriga que cresce é motivo de curiosidade.
E se for a barriga da mãe?
Nesse caso a curiosidade aumenta.

A única coisa que sabemos, relacionada com a barriga redondinha da mamã, é que se trata de uma novidade-espantosa-especial.
Aquários com peixinhos, reis maldispostos, ou árvores prontas a emergir do umbigo?
Afinal, qual é a resposta para este mistério?

Sobre a autora:
Joana Lopes é licenciada em animação cultural e mestre em animação artística pela Escola Superior de Educação de Castelo Branco. Sempre gostou de escrever e de pintar. Atualmente é professora na área da animação em contexto turístico. Foi vencedora, na categoria de texto, do Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce.

Sobre o ilustrador:
Luís Belo nasce em 1987 é formado na área da imagem. Desde então divide a sua atenção pela fotografia, vídeo, design e ilustração. Venceu, na categoria de ilustração, o Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce.

GÉNERO: Infantil / Ficção / Ilustrado.
PÚBLICO-ALVO: A partir dos 4 anos, rapazes e raparigas.



Porto de Encontro com Ana Zanatti no próximo domingo

Pouco tempo depois do lançamento do livro O Sexo Inútil, Ana Zanatti vai ao “Porto de Encontro” como convidada de Sérgio Almeida para mais uma sessão deste ciclo de conversas com escritores, que desta vez terá lugar na Casa das Artes, às 17:00, no próximo domingo, 24 de abril.
Ana Zanatti é reconhecida pelo grande público, justa e merecidamente, pelo seu percurso de atriz no teatro, cinema e televisão. Mas neste “Porto de Encontro”, o foco incidirá na escritora Ana Zanatti a propósito do seu livro O Sexo Inútil, publicado recentemente pela Sextante Editora (e já na 2.ª edição), cujo impacto (enorme) junto dos leitores foi antecipado pela escritora Lídia Jorge no posfácio que acompanha o livro:
“O Sexo Inútil veio para fazer refletir, deitar ao chão preconceitos e máscaras, romper o cerco de silêncio em que vive boa parte daqueles a quem a expressão livre da sua identidade é negada”.
De referir que esta sessão contará com vários momentos de leituras, protagonizados pela própria Ana Zanatti e pelos também atores Emília Silvestre e Jorge Pinto.
Este “Porto de Encontro” conta com a colaboração da Direção Regional de Cultura do Norte e tem o apoio do Jornal de Notícias, Antena 1 e das Livrarias Bertrand e acontece na Casa das Artes, no mesmo dia em que decorre, naquele espaço, a 35.ª edição do “FAZER A FESTA - Festival Internacional de Teatro”, organizado pelo Teatro Art'Imagem.
Esta iniciativa está a ser divulgada no sítio do “Porto de Encontro”, em http://www.portoeditora.pt/portodeencontro, e na página Facebook https://www.facebook.com/PortodeEncontro.


Iniciativa Bertrand para o Dia Mundial do Livro

Em abril, histórias para festejar o dia mundial do livro.
Quinhentos livros espalhados por todo o país. Lançamento do histórico Almanaque Bertrand. Cursos de livreiros para os mais pequenos.

No dia 23 de abril, para comemorar o Dia Mundial do Livro, as Livrarias Bertrand vão libertar mais de quinhentos (500) livros por todo o país, em autocarros, jardins, estações de metro e outros transportes públicos das 28 cidades onde a Bertrand está presente. Os leitores são convidados a fotografar os seus achados e publicar a fotografias usando as referências #bookcrossing e #livrariasbertrand, no facebook e instagram.

Ainda para celebrar o mês do Dia Mundial do Livro as livrarias Bertrand publicaram mais um número da Somos Livros, com um conto inédito de Alexandre Andrade entrevista com a cantora Ana Moura e catálogo de descontos. Edição gratuita.

Durante todo o mês de abril a Bertrand abre as portas às escolas do 1º ciclo para a realização de cursos de livreiro. Desta forma, os mais pequenos ficaram a saber o que faz um livreiro, como funciona uma livraria e como se faz um livro.


Lançamento da obra "Em Nome Da Ordem - Os Cavaleiros da Figueira" de Norberto Horta

A Simon's Books vai apresentar o livro Em Nome da Ordem - Os Cavaleiros da Figueira de Norberto Horta, em Figueira de Cavaleiros às 11h30 na Igreja de São Sebastião.

Para além da apresentação da obra, esta data ficará marcada como a estreia da chancela Simon's Books, a sua nova chancela de ficção.


VOGAIS: Elon Musk - O Génio que Está a Inventar o Nosso Futuro

«Um olhar tremendo sobre o empresário mais importante do mundo.» - The Washington Post

«No final deste livro, muitos leitores deixarão de o comparar a Steve Jobs. Temos de reconhecer o mérito de Elon Musk. Não há ninguém como ele.» - New York Times Book Review

«Um retrato fascinante do mais impressionante empresário de Silicon Valley desde Steve Jobs.» - Financial Times

Livro do ano 2015 pela revista Financial Times
Elon Musk é visto em Silicon Valley como o mais excitante, imprevisível e ambicioso empresário da atualidade - uma mistura de Steve Jobs e Bill Gates. Para muitos, este visionário pode mesmo vir a ter um impacto na humanidade sem paralelo. Este é o livro que conta a sua história.

Elon Musk construiu a sua fama e fez fortuna com algumas das mais bem-sucedidas empresas de tecnologia, como a PayPal, vendida à eBay por 1,5 mil milhões de dólares, investindo depois em projetos com potencial para revolucionar o mundo. A Tesla Motors, no fabrico de carros elétricos, a SpaceX, na indústria espacial, e a SolarCity, nos painéis solares, estão a transformar os seus segmentos industriais, provocando um salto evolutivo no setor empresarial americano.

A insistência de Elon Musk nestas áreas de alto risco, tocando em poderes fortemente instituídos, valeu-lhe assombros de falência e ruína; da sua resiliência e visão nasceria, porém, uma das maiores reviravoltas da história empresarial dos EUA, sendo hoje visto como um visionário de sucesso.

Para escrever Elon Musk: O Génio Que Está a Inventar o Nosso Futuro (Vogais l 416 pp + 16 pp extratexto a cores l 21,98€), livro que chega às livrarias a 25 de abril, o experiente jornalista Ashlee Vance (New York Times e Bloomberg Businessweek) obteve a autorização oficial e a colaboração do próprio Elon Musk, com quem teve inúmeras entrevistas e conversas ao longo dos mais de 2 anos em que acompanhou a sua vida. Em paralelo, as conversas com 300 pessoas das esferas pessoal e profissional de Musk permitiram mostrar todos os ângulos que compõem a história deste gestor e empreendedor genial, que está a dedicar a sua vida a inventar um futuro melhor.

Sobre o autor:
Ashlee Vance é atualmente um dos mais proeminentes jornalistas da área da Tecnologia. Depois de trabalhar vários anos para o New York Times, escrevendo sobre o Silicon Valley e a indústria de tecnologia, foi para a revista Bloomberg Businessweek, onde foi responsável por dezenas de artigos de capa e de reportagens sobre temas como a ciberespionagem, a sequenciação do ADN ou a exploração espacial.


Sextante Editora publica a 28 de abril o mais recente livro de Rubem Fonseca, Histórias curtas

Título: Histórias Curtas
Autor: Rubem Fonseca
Págs.: 288
PVP: € 16,60

A Sextante Editora publica a 28 de abril o mais recente livro de Rubem Fonseca, Histórias curtas. Aqui, o escritor brasileiro opta de novo pela concisão, tal como fizera na coletânea Amálgama, com que ganhou, pela sexta vez, o Prémio Jabuti. Prestes a completar 91 anos, Rubem Fonseca continua a revelar a sua mestria na arte do conto e reúne desta vez trinta e oito histórias curtas, por vezes curtíssimas, nas quais volta a abordar brilhantemente, de forma crua mas delicada, temas já recorrentes na sua obra mais recente: o envelhecimento, a obesidade, a loucura e todo o tipo de decadência humana.
Histórias curtas chega às livrarias nas vésperas de estrear nos cinemas portugueses Axilas, o derradeiro filme de José Fonseca e Costa, escrito a partir do conto de Rubem Fonseca incluído no livro Axilas & outras histórias indecorosas.

Sobre o autor: 
Carioca desde os oito anos, Rubem Fonseca nasceu em Juiz de Fora, a 11 de maio de 1925. Contista, romancista, ensaísta, guionista e «cineasta frustrado», é um dos mais originais prosadores brasileiros contemporâneos.
Em 1963, a primeira coletânea de contos, Os prisioneiros, foi reconhecida pela crítica como a obra mais criativa da literatura brasileira em muitos anos; quatro anos depois, Lúcia McCartney, tornou-se um bestseller e ganhou o maior prémio para narrativas curtas do Brasil. Já era considerado o maior contista brasileiro quando, em 1973, publicou o seu primeiro romance, O caso Morel. Em 2003, ganhou o Prémio Juan Rulfo e o Prémio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Recebeu seis vezes o Prémio Jabuti e foi-lhe atribuído o Prémio Correntes d'Escritas/Casino da Póvoa, em 2012, para o romance Bufo & Spallanzani. Com várias das suas histórias adaptadas ao cinema, ao teatro e à televisão, Rubem Fonseca já publicou quinze coletâneas de contos, onze romances e O romance morreu, que reúne crónicas publicadas no Portal Literal.
A Sextante Editora iniciou em 2010, com o romance O seminarista, a publicação regular das obras de Rubem Fonseca em Portugal.


quarta-feira, 20 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Há um pequeno livro vermelho entre a China e Portugal

Título: O Pequeno Livro Vermelho
Autor: Mao Tsé-tung
N.º de Páginas: 264
PVP: 24,00 €
Género: Não Ficção/Política/História
Nas livrarias a 20 de Abril
Guerra e Paz Editores

Sinopse:

Este livro andou nas mãos de milhões de seres humanos: da China à Europa, de acontecimentos histórico míticos como o Maio de 68 a filmes de Jean-Luc Godard, das mãos dos operários e militares chineses, em Pequim, às mãos do estudantes de Direito do MRPP, em Lisboa. Visto como um livro libertador, que poria em causa todo o poder – «Bombardeiem o Quartel-General» era o apelo de Mao – o que na sua construção aforística se esconde é o mais exacerbado culto da personalidade. Fanatismo, tortura, repressão da mais ínfima liberdade de pensamento, e um milhão de mortos, é o balanço que a China faz da influência deste livro. Nele vem desaguar toda a história do comunismo chinês, um comunismo que foi, desde o seu começo, furiosamente estatal e impiedosamente repressivo.



O PEQUENO LIVRO VERMELHO é precedido por um estudo de Manuel S. Fonseca VIOLÊNCIA, FOME E REEDUCAÇÃO NA CHINA DE MAO. Edição profusamente ilustrada







Lançamento do livro «Emagreça com o Poder da Mente» (Lua de Papel), de Miguel Cocco



terça-feira, 19 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: Pessoas que nos Fazem Felizes, de Margarida Vieitez

Depois de, com o seu último livro, SOS Manipuladores, nos ajudar a identificar as “pessoas tóxicas” que nos retiram a energia – no trabalho, no amor, na família – agora, Margarida Vieitez quer ajudar-nos a perceber quem gosta verdadeiramente de nós. Com Pessoas Que Nos Fazem Felizes, a psicóloga traz-nos uma perspectiva totalmente nova sobre as relações e sobre a influência dos outros no nosso equilíbrio, aprofundando a natureza das escolhas que fazemos na nossa esfera mais íntima e pessoal.

Como distinguir as pessoas que nos querem bem daquelas que apenas gostam de nós de uma “forma tóxica” e que tanto podem ser os nossos companheiros, como familiares, amigos ou colegas de trabalho? Como é que podemos perceber quem está genuinamente interessado no nosso bem-estar e felicidade? Quais os sinais a que devemos estar atentos para tirar essas dúvidas que tanto nos inquietam, mas que tendemos a varrer para debaixo do tapete? O que fazer se uma relação de amor, de amizade, familiar ou de trabalho, nos faz mal, nos intoxica e apenas nos desgasta e causa frustração? Que poder e influência permitimos que os outros tenham na nossa vida? O que sentimos quando vivemos uma relação plena, gratificante, com verdadeiro sentido?

Então, porque nos deixamos cair tantas vezes em relações empobrecidas? Qual a influência que elas têm na nossa vida?

Porque é que, por vezes, aceitamos migalhas quando podemos – e merecemos – ter muito mais? Mudar o outro valerá a pena? Não será uma utopia?

À venda no dia 22



Sobre a autora:
Margarida Vieitez, especialista em mediação familiar e de conflitos, e aconselhamento conjugal, dedica-se há mais de 20 anos ao estudo e acompanhamento de conflitos de diversa ordem, nomeadamente, familiares, conjugais e decorrentes do divórcio. Nomeada em 2008 para o Prémio Mulher Activa, é consultora de diversas instituições e colabora assiduamente com a televisão, a rádio, revistas e jornais. Participou, como especialista convidada, no programa Tardes da Júlia, da TVI, Querida Júlia, da SIC, Praça da Alegria, da RTP, e Sociedade Civil, da RTP2. Detém seis pós-graduações, entre as quais, em Mediação Familiar pela Universidade de Sevilha, em Mediação de Conflitos e em Saúde Mental, e ministrou vários cursos de Mediação Familiar no Instituto de Psicologia Aplicada, estando frequentemente presente em conferências e seminários. É fundadora do Projecto "Espaço Família" e "LoveDoctors". Em 2010, publicou Guerra entre Quatro Paredes, em 2012, O Melhor da Vida Começa aos 40, e em 2015, SOS Manipuladores (3ª edição), também editados por A Esfera dos Livros.


segunda-feira, 18 de abril de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Pede-me o que Quiseres e Eu dar-te-ei - Megan Maxwell [Opinião]

Título: Pede-me o que Quiseres e Eu dar-te-ei
Autor: Megan Maxwell
Edição/reimpressão:2016
Páginas: 728
Editor: Editorial Planeta
PVP: 20,90€

Sinopse
A muito aguardada continuação da série PEDE-ME O QUE QUISERES, uma das séries mais "calientes" da atualidade. Os livros da autora são um fenómeno de vendas em Espanha e no Brasil. Em Portugal já vendeu mais de 40000 exemplares. A seguir a E. L. James, Megan Maxwell é a autora que mais vende em Portugal.

A minha opinião: 
Depois do primeiro livro de Megan Maxwell, que li em em outubro de 2013, este é o sexto livro que leio da autora espanhola. Surpreendeu-me muito o Pede-me o que Quiseres, depois de ler bastantes livros eróticos, novidade na altura após a publicação de 50 Sombras de Grey e lembro-me que este foi o livro que mais gostei, dentro do género. Depois deste ficava em pulgas sempre que saía um novo livro da série, que pensei que culminaria com o livro Surpreende-me, uma sequela da série de Judith e Eric, mas dando mais ênfase à relação de Bjorn, amigo de ambos, e Mel, a mulher por quem se apaixona.

Se os três primeiros livros me tinham surpreendido, a sequela de Bjorn já não me agradou assim tanto e este Pede-me o Que Quiseres e eu dar-te-ei ainda menos.

Neste quarto livro da série Pede-me o Que Quiseres vemos a continuação da relação de Judith e Eric, cujo casamento de 5 anos vai de vento em popa. Apesar destes anos volvidos pouco mudou na vida destas duas personagens. Judith continua com o mesmo temperamento, e Eric igual, frio, machista que gosta de fazer prevalecer as suas opiniões de mandão. A espanhola está a tomar conta da família a tempo inteiro, mas insatisfeita pede constantemente a Eric que a deixe (?) trabalhar. Eric mostra-se relutante, mas ao fim de algum tempo cede e dá-lhe um lugar na empresa.

O que achei é que ao longo destas mais de 700 páginas a autora pouco acrescentou à história. Vamo-nos deparando com a vida monótona deste casal, com altos e baixos que já nos ia habituando nos outros livros, com alguns dissabores na educação de Flyn que se encontra em plena adolescência. E, por vezes parece que nem Eric nem Judith sabem lidar muito bem com o jovem adolescente que têm em casa desautorizando-se um ao outro em frente ao próprio rapaz.

A relação com Bjorn e Mel continua forte e este é também um casal bastante presente na história. Será até este casal a dar estabilidade a Judith num momento menos bom que vai acontecer mais para o fim do livro. Esse é mesmo o ponto alto da trama e que faz com que valha a pena ler o livro.

As cenas de sexo e eróticas continuam bem presentes, excelentes para quem gosta de livros do género, as partes hilariantes protagonizadas por Judith acompanhada por Mel também estão lá, mas se tivesse menos páginas e menos chavões como James Bond 007, Iceman, meu alemão, repetidos até à exaustão fazia deste um livro bem divertido.

Opinião de outros livros de Megan Maxwell aqui