sexta-feira, 20 de maio de 2016

Perguntem ao Polícia - The Detection Club [Opinião]

Título: Perguntem ao Polícia
Autores: The Detection Club
Editor: Edições Asa
Páginas: 312
Coleção: Crime À Hora do Chá
PVP: 14,90€

Sinopse: 
Lord Comstock, o tirânico magnata da imprensa, é assassinado na sua casa de campo, o que deixa o ministro do Interior britânico perante um enorme dilema. Não era segredo nenhum que Comstock tinha uma longa lista de inimigos. Para complicar ainda mais as coisas, recebeu, poucas horas antes de morrer, a visita de um arcebispo, de um político, e de uma figura proeminente da Scotland Yard. Uma vez que a suspeita recai sobre todos, é quase impossível conduzir a investigação de forma imparcial. O ministro resolve então recorrer à ajuda de quatro detetives de renome: Mrs. Adela Bradley, Sir John Saumarez, Mr. Roger Sheringham e Lord Peter Wimsey. Todos diferentes, todos competentes, todos ilustres - e nenhum deles disposto a recorrer à polícia…

Um policial escrito a várias mãos não é tarefa fácil, mas os membros do Detection Club provaram mais uma vez serem capazes de combinar esforços com mestria e humor. Para além de uma introdução de Martin Edwards e de um maravilhoso prefácio de Agatha Christie, Perguntem ao Polícia conta com a colaboração de Anthony Berkeley, Milward Kennedy, Gladys Mitchell, John Rhode, Dorothy L. Sayers e Helen Simpson.

A minha opinião: 
Depois de Quem Matou o Almirante?, publicado em 2014, a coleção Crime à Hora do Chá aposta novamente na escrita a várias mãos do The Detection Club com este Perguntem ao Polícia. Lembro-me de já não ter ficado maravilhada com o anterior livro, mas este Perguntem ao Polícia deixou-me ainda mais decepcionada. E eu que já estou fã desta série...

Mas parece que não sou a única. Já naquela época Agatha Christie tecia duras críticas a alguns membros do clube, do qual também ela fazia parte. Este foi o quarto livro do clube, criado três anos antes e apenas seis membros (a rainha do policial já não entrou neste) o escreveram. Mesmo assim achei-o bastante confuso talvez por trocarem de detectives sempre que era um autor novo a escrever. No fim de cada capítulo estava o caso solucionado, com a justificação do crime bem fundamentada e descoberto o assassino, sempre diferente em cada caso. Confuso?



Mas vamos à história. Lord Comstock, magnata da imprensa não muito querido, é assassinado na sua própria casa. Naquela altura estavam dentro da propriedade quatro pessoas, logo quatro suspeitos. Farrant e Mills, mordomo e secretário respectivamente, estavam na casa e não se dão lá muito bem. Farrant, acusa inclusive o colega de ter sido despedido pelo colega por, alegadamente ter vendido informação aos jornais rivais.

Juntamente com os dois empregados esteve naquela casa Sir Charles Hope-Fairweather e Littleton, este último polícia na Sctoland Yard.

A primeira parte, onde é explicada a morte e os suspeitos é toda relatada por Sir Peter, personagem de John Rhode. A segunda parte surge pelas mãos de Helen Simpson com a personagem Mrs. Bradley a tentar resolver o caso, numa espécie de Miss Marple. E sucessivamente entram as personagens dos outros quatro escritores que faltam. Confesso que as que mais gostei de ler foram as de Helen Simpson e de Dorothy L. Sayers com o seu Mr. Roger Sheringham, mas mesmo assim não me encheram as medidas.

Perguntem ao Polícia parte de uma premissa engraçada. Juntar escritores que têm a paixão pelo crime, e juntamente com as personagens principais do seus próprios livros tentarem resolver um assassinato à sua maneira, mas o resultado não foi o mais brilhante.


Sinto a Tua Falta - Harlan Coben [Opinião]

Título: Sinto a Tua Falta
Autor:
Harlan Coben
Páginas: 368
Editor: Editorial Presença
PVP: 18,90€

Sinopse:
Kat Donovan, uma detetive de Nova Iorque, observa os perfis de um site de encontros amorosos. Subitamente depara-se com uma fotografia que a perturba: ali está a cara do homem que, anos antes, a abandonou em pleno noivado. Nisto, ao enviar-lhe uma mensagem, Kat vê-se enredada numa inesperada e tenebrosa conspiração. À medida que investiga, apercebe-se de que a sua vida e a dos seus pais assenta numa mentira. O mistério estende-se ao próprio homicídio do pai que permanece inexplicado. Mas Kat está disposta a tudo para desmantelar esta rede criminosa que opera através da Internet, nem que isso a force a remexer num passado doloroso.

A minha opinião: 
Quando pego num livro de Harlan Coben sei que não me vai decepcionar e que me vai proporcionar óptimos momentos de leitura. O seu mais recente policial, publicado como habitualmente pela Presença, centra a sua trama num site de encontros amorosos, que será o ponto de partida para um sem fim de crimes, que só muito mais tarde será descoberto.

Kat Donovan, 40 anos, é uma mulher solitária. Detective no departamento de polícia de Nova Iorque vive naturalmente para o trabalho. Até que uma amiga de longa data decide inscrevê-la num site de encontros amorosos. Um pouco renitente, Kate decide por explorar o site e para sua surpresa encontra um perfil com a fotografia do amor da sua vida. Um amor que acabou há 20 anos, mas que deixou marcas profundas em Kate.

A visão da fotografia vai despoletar uma troca de mensagens, mas que deixam Kate inquieta. E tudo se adensa mais quando a detective é abordada por um jovem que lhe pede ajuda para encontrar a sua mãe que se encontra desaparecida. Tudo parece estranho até porque estando desaparecida, o crime não pertence à sua jurisdição, mas o rapaz diz que a conhece, porque a viu no site de encontros...

Mas esta não é a única coisa que deixa a detective consternada. O assassino do pai, também ele polícia, está em fase terminal e Kate precisa de respostas em relação à noite da sua morte.
Persistente e mostrando o quão boa polícia é Kate segue os instintos e decide explorar, por conta própria o que se passou na morte do pai. O assassino que agora está às portas da morte pode ter sido pago, como já tinha sido habitualmente, para o fazer. Aliás, ele próprio confessou que matou o polícia. Mas isso não satisfaz a detective que decide ir até ao âmago da questão.

Alternando entre estas duas histórias Sinto a tua falta resulta num policial envolvente e viciante, cujo desfecho apenas se dá na última página do livro.



Momentos Wook


Novidade Booksmile: Chegou a Jacky Ha-Ha! Vai ser uma verdadeira diversão

Título: Jacky Ha-Ha 
Autor: James Patterson
N.º de Páginas: 384
PVP: 15,49€
Saída 23 maio

James Patterson é, com 325 milhões de livros editados, o autor mais bem-sucedido em todo o mundo. Estranhamente, e ao contrário da maioria dos autores, há algo a que James Patterson não aspira no mundo editorial: ganhar o Nobel de Literatura.
Porquê? Porque a sua missão como escritor, e de vida, é pôr os miúdos a ler. Uma missão, aliás, que coloca em prática todos os dias, com donativos na ordem dos milhões de dólares a escolas, professores, livrarias e instituições.
E, pese ser com os livros para adultos que Patterson mais lucra, é para as crianças que mais gosta de escrever. Igualmente bestsellers de vendas, as coleções Escola , Eu Cómico e A Casa de Robots, editadas pela Booksmile, têm conquistado os leitores mais jovens em todo o mundo.
Às livrarias chega agora o novo livro juvenil de James Patterson. Jacky Ha-Ha é ideal para todas as raparigas que gostam de dar umas valentes gargalhadas. Vai ser uma verdadeira diversão!

Não estranhes o nome! É que eu nasci apenas com um objetivo: fazer rir. Sou uma «palhacita» especialista em piadas (algumas boas e outras apenas parvas), partidas, disparates e basicamente qualquer coisa que provoque lágrimas... de tanto rir. O problema é que, às vezes, este meu humor tão explosivo acaba por me meter em grandes sarilhos.
Tenho 12 anos, sou uma adolescente como tu e estou aqui para te contar uma história: a minha, das minhas seis irmãs, do meu pai, que é nadador-salvador, da minha mãe, que é sargento no Exército e está do outro lado do mundo a combater, e de um monte de gente (riscar o que não interessa) fixe/não tão fixe/assim-assim, que contribui para tornar este livro uma super-híper-mega-comédia.
Se achas mesmo que aguentas as dores de barriga de tanto rir, então este livro é perfeito para ti. Palavra de Jacky Ha-Ha!

Sobre o autor: 
James Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte e cinco anos dentro do seu género. Entre os seus maiores bestsellers estão também as coleções Private: Agência Internacional de Investigação, The Women's Murder Club (O Clube das Investigadoras), A Amante, Zoo e Primeiro Amor.

James Patterson é o autor que mais livros teve até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, segundo o Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 325 milhões de exemplares.

Patterson escreveu também diversos livros para leitores jovens e jovens adultos, entre os quais estão as séries Confissões, Maximum Ride, Escola e Eu Cómico. Em Portugal, James Patterson é publicado pela Topseller (adulto e jovem adulto) e pela Booksmile (juvenil).




«A Girafa que Comia Estrelas»: Espetáculo musical para crianças, com narrador e orquestra de câmara, sobre a obra de José Eduardo Agualusa



Apresentação de Conheces Sancho?



quinta-feira, 19 de maio de 2016

Presença na Feira do Livro de Lisboa

Podem ver a lista de todas as sessões de autógrafos e eventos através do link: http://www.presenca.pt/editorial/vejam-que-autores-vao-estar-na-feira-do-livro/


Novidades Gradiva para maio - à venda a partir de hoje

Título: O Pavilhão Púrpura
Autor: José Rodrigues dos Santos
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 469
N.º de Páginas: 704 
PVP: € 22,00

O segundo livro de uma saga única na literatura portuguesa. Assente numa pesquisa de uma ambição, um rigor e um labor tão exemplares quanto raros na ficção portuguesa, José Rodrigues dos Santos transporta o leitor a uma época dramática e matricial da História do mundo e do país: a década de 1930. Com o empenho na clareza narrativa que cultiva nos seus livros, e que neste leva ainda mais longe, o autor constrói uma obra (que não se consegue parar de ler) que nos traz as palavras, os actos, o pensamento e a acção, de figuras históricas como Salazar, Chiang Kai‑shek e mui­tas outras, retratadas ou recriadas com uma fidelidade que só a melhor ficção permite.

Depois de, em Nova Iorque, a bolsa entrar em colapso, um pouco por todo o mundo instalou‑se a crise. Este novo grande romance retrata esse período da história, ilustrando, designa­damente, a forma como Salazar governou com a Grande Depressão, a aventura militarista que incendiaria o Oriente e estigmatizaria o Japão, as consequências da invasão japonesa da Manchúria, a intensificação das colectivizações e da crueldade no país de Estaline, as convulsões que dilaceraram a China e seriam, afi­nal, as origens da sua história futura, que marcaria o nosso tempo. Histórias e figuras, muitas trazidas de novo à vida pela magia da fic­ção, actores desse tempo e desse espaço que foi planetário.

Pode uma ideia mudar o mundo?

Sessão de lançamento:
Sábado, 21 de Maio, 17 horas • Sociedade de Geografia de Lisboa
Rua das Portas de Santo Antão, 100, Lisboa (ao lado do Coliseu dos Recreios)
Apresentação de Jorge Rangel

Título: O Pêndulo de Foucault
Autor: Umberto Eco
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 468
N.º de Páginas:  720 
PVP: € 22,00

O romance imperdível de Eco, há muito es­gotado e há muito solicitado. São mais de 700 páginas de absorvente prazer e enri­quecimento intelectual e histórico. Sus­pense, ironia q.b., e intriga no seu me­lhor. Três colaboradores de uma editora, ao lerem manuscritos sobre o esoterismo e o oculto, entrevêem algo grandio­so que retoma a história de um se­gredo dos Templários. Mergulham numa investigação palpitante, onde não falta o nosso Convento de Cris­to, com tantos aspectos, revela o li­vro, desconhecidos de nós.

Edição integralmente revista pelo autor.

Título: Socialismo. Porque Não? - Em defesa do socialismo
Autor: G. A. Cohen
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 472
N.º de Páginas: 84 
PVP: € 9,00 

Socialismo. Porque Não? - Em defesa do socialismo . Capitalismo. Porque Não? - Em defesa do capitalismo

De dois nomes maiores da Filosofia Política do nosso tempo, dois pequenos ENORMES livros que a Gradiva edita em simultâneo como um contributo para que também entre nós haja debate de ideias, para também nós podermos fundamentada e elevadamen­te reflectir sobre a grande questão política que desde o séc. xviii domina, de forma apaixonada, o debate político e divide, por vezes tão dramaticamente, as sociedades. Para revermos a nossa posição ou a consolidarmos. Sobretudo para não incorrermos na menti­ra mais devastadora, que é a que dizemos a nós próprios.

O socialismo é viável? E, sendo‑o, é desejável? Muitos afirmam que o so­cialismo é impraticável. Para Cohen, o principal obstáculo a esse regime não é o egoísmo humano invetera­do, mas a ausência dos meios óbvios para dirigir correctamente a genero­sidade humana. Uma ponderada de­fesa do socialismo, por um dos mais conceituados filó­sofos políticos da esquerda contemporânea.

Título: Capitalismo. Porque Não? - Em defesa do capitalismo
Autor: Jason Brennan
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 473 
N.º de Páginas: 180 
PVP:  € 14,00 

Brennan responde com argumentos incisivos, e com uma tese para muitos surpreendente, ao li­vro, à posição de Cohen de defesa do socialismo. «Não», diz, o socialismo conduz às manifestações horrorosas que todas as suas aplicações na Histó­ria documentam. Mas mesmo que não conduzisse, mesmo que fosse viável, defende que o capitalismo seria, idealmente, superior e mais desejável. Ainda que fôssemos moral e humanamente perfeitos.

Num debate exemplar, sem batota, ouvindo, repro­duzindo e assumindo o argumento do outro, Bren­nan reconhece o grande mérito de Cohen.

Título: Crónicas Quase Marcianas
Autor: Eduardo Lourenço
Coleção: «Obras de Eduardo Lourenço», n.º 23
N.º de Páginas: 200 
PVP: € 13,50

Um conjunto de textos que são uma refle­xão sobre o Portugal e o mundo dos últi­mos anos, como só Eduardo Lourenço tem instrumentos, cultura, talento, amplitude de visão para fazer.

Título: Entre a Dívida e o Diabo - Moeda, Crédito e Recuperação do Sistema Financeiro Internacional
Autor: Adair Turner
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 470
N.º de Páginas: 400 
PVP: € 22,00

O autor é uma grande figura da finança mundial. Sabe do que fala quando afirma que o culpado desta crise é a dependên­cia do crédito privado. Desafia crenças — de que é preciso aumentar o crédito para impulsionar o crescimento económico e de que o incremento da dívida não é problemático se a inflação permanecer baixa —, analisa mitos e apresenta soluções

«A análise mais perspicaz [...] que surge desde o colapso de 2008.» — George Soros

Título: Dieta para Sedentários (disponível na semana de 23 de Maio)
Autor: Ana Carvalhas
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 471
N.º de Páginas: 144 
PVP: € 15,00

«Não estamos a comer os alimentos certos e é por isso que estamos a en­gordar e a ficar doentes.» — Tim Noakes

Emagrecer é possível, independente­mente da idade, do exercício físico, da vida sedentária; e ainda comendo muito bem! A autora, nutricionista experiente, propõe um plano alimen­tar baseado num baixo teor de hidratos de carbono. Com funda­mentos teóricos sólidos, de orientação prática, inclui um plano nu­tricional e receitas, variadas e saborosas — que nós, na Gradiva, estamos a testar e a adorar. Uhmmm!




Novo livro de Joel Neto à venda desde ontem e já em 2ª Edição

Título: A Vida no Campo
Autor: Joel Neto
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 232
PVP: 17,50€


A Vida no Campo traz-nos gentes, saberes e sabores ancestrais.
Traz-nos a amizade, o amor e a perda também. Traz-nos cães, traz-nos vários cães, como nos traz outros animais. Traz-nos hortas domésticas e flores. Piqueniques, caminhadas a perder de vista e barcos navegando no horizonte. Crepúsculos românticos e dias de frio à lareira.
Ao fim de duas décadas na grande cidade, o escritor Joel Neto voltou ao pequeno lugar dos Dois Caminhos, freguesia da Terra Chã, ilha Terceira. Rodeado de uma paisagem estonteante, das memórias da infância e de uma panóplia de vizinhos de modos simples e vocação filosófica, descobriu que a vida pode, afinal, ser melhor. Muito melhor.

«Hoje, ando com meia dúzia de euros no bolso, se é que ando com dinheiro.
Aproveito o pão de um dia para o outro: não porque me tenha esquecido de comprar pão fresco, mas porque quero fazê-lo. Aponto o frasco de champô à palma da mão e meço uma noz – e, quando me ocorre comprar um casaco novo, ou um telefone, ou uns sapatos, pergunto-me se serão ao menos satisfatórios, ou se os compro apenas por vício. Não é gosto na privação, nem tão-pouco será ainda o dom da avareza: é horror ao desperdício. Podia ter sido a cidade a ensinar-mo. Foi o campo.»

Sobre o autor:
JOEL NETO é autor de mais de uma dezena de livros, como O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas e Os Sítios Sem Resposta. Nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e escreveu para quase todos os grandes jornais portugueses. Ainda hoje escreve crónicas e colunas em vários desses jornais – nomeadamente no Diário de Notícias. Depois do sucesso de Arquipélago, torna a provar que num pequeno lugar no meio do oceano pode, afinal, caber o mundo inteiro.




quarta-feira, 18 de maio de 2016

Planeta: Programação Feira do Livro de Lisboa

Sessões de autógrafos
30 Maio – 16h
Maria Inês Almeida
Livros editados: Quando Eu For Grande; A Última Árvore; Agenda Literária; A Admirável
Aventura de Malala; A Admirável Aventura de Mandela

António Mateus
Livros editados: Mandela – O Rebelde Exemplar»; «Angola – O Regresso do Fim do Mundo»

28 Maio – 16h
Cristina Carvalho
Livros editados: Casa das Auroras; Marginal; Quatro Cantos do Mundo; O Olhar e a Alma

Alice Brito
Livro editado: As Mulheres da Fonte Nova; O dia em que Estaline encontrou Picasso
na biblioteca

4 Junho – 16h
Claudia Clemente
Livro editado: A Casa Azul

Fausta Cardoso Pereira
Livros editados: Bom Caminho; O Homem do Puzzle

Sérgio Luís de Carvalho
Livros editados: Nas Bocas do Mundo; o Destino do Capitão Blanc; O Caminho dos Reis de
Portugal; O Caminho dos Presidentes da República; A Minha Primeira História de Portugal;
O Rei Embevedado de Amor; Os Descobridores do Mundo; Dicionário de Insultos; Equívocos,
Enganos e Falsificações da História de Portugal

5 Junho – 16h
Marta Mertens
Livro editado: 100 Mandamentos para a Felicidade

10 Junho – 16h
Cesário Borga
Livros editados: O Agente da Catalunha; O Movimento dos Capitães e o 25 de Abril; Ethel- Amanhã em Lisboa

Frederico Duarte Carvalho
Livros editados: Camarate – Sá Carneiro e as Armas para o Irão; O Terceiro Bispo

13 Junho – 16h
Maria Inês Almeida
Livros editados: Quando Eu For Grande; A Última Árvore; Agenda Literária; A Admirável
Aventura de Malala; A Admirável Aventura de Mandela

António Mateus
Livros editados: Mandela – O Rebelde Exemplar»; «Angola – O Regresso do Fim do Mundo»



Príncipes da Medicina - Mário Cordeiro [Opinião]

Título: Príncipes da Medicina
Autor: Mário Cordeiro
Editor: Saída de Emergência
N.º de Páginas: 474
PVP: 16,90€


A vida e obra de alguns dos mais fascinantes e inspiradores médicos da História Na medicina sempre existiram pessoas que se dedicaram ao próximo de forma abnegada, sem outro desejo que não o de melhorar a sua arte, dando apoio nas horas mais terríveis de qualquer ser humano, como a falta de saúde e o sofrimento físico, psicológico e social. Entre este incontável número de pessoas extraordinárias, sobressaíram algumas que adicionaram à arte médica outras faces do prisma complexo que é o ser humano. E que foram, para além disso, mestres na pintura, escultura, poesia, música, literatura, política, filosofia, história ou na defesa intransigente e corajosa dos direitos humanos. São verdadeiros príncipes, que representam exemplos a analisar, admirar e seguir. Neste livro, Mário Cordeiro conta o percurso de vida de alguns destes Príncipes da Medicina desde a Antiguidade até aos nossos dias. Conheça um pouco mais da vida deste conjunto de pessoas extraordinárias cujo legado permanece até aos dias de hoje.

A minha opinião: 
Ao longo de quase 500 páginas o pediatra Mário Cordeiro reuniu as histórias de 93 médicos que se destacaram na área da medicina, mas também na literatura, na pintura e na política. 

De alguns destaquei algumas curiosidades que retive ao longo da leitura que achei engraçadas.
Interessante saber que Galeno, médico e filósofo de origem grega, nascido no ano 129, foi o primeiro a descobrir que as respostas do corpo eram comandas pelo cérebro. 

Apesar de a maioria da sobra obra e estudos se terem perdido ao longo dos tempos, o que perdurou foi que Galeno conseguia distinguir veias de artérias, o sangue venoso do arterial, e os nervos sensoriais dos motores. 

O nosso único Papa, Pedro Hispano, nascido Pedro Julião, leccionou nas mais importantes universidades da época. Diz-se que quando Miguel Ângelo adoeceu gravemente com uma lesão ocular, devido ao esforço da visão, decorrente da pintura do tecto da Capela Sistina, terá sido Pedro Julião quem o terá assistido. 

Gabriel Fallopio que deu nome às trompas femininas e que descreveu pela primeira vez o clitóris como uma das zonas erógenas. Foi também o inventor do preservativo para combater a sífilis, no século XVI. 

Edward Jenner foi considerado o pai das vacinas. No século XVIII a variola (vulgarmente conhecida como a doença das bexigas) afectava grande parte da população. Até que ao observar as tetas de uma vaca Jenner apercebeu-se que as mesmas tinham o aspecto semelhante às que a varíola deixavam no corpo humano. O médico decidiu fazer a experiência: inoculou o filho do jardineiro com pus extraído de feridas de vacas contaminadas e, apesar da criança de oito anos ter feito febre recuperou rapidamente. Posteriormente exposto ao vírus da doença o rapaz não a desenvolveu. Estava descoberto o princípio da vacinação. A varíola seria a primeira doença a desaparecer por ação do homem. 

Nascido no Porto mas incompreendido pelos seus conterrâneos por ter vontade em querer implementar uma melhor higienização nos seus costumes a fim de evitar doenças tão comuns na época (inícios do séc. XX), para a eliminação da peste, sugeriu o isolamento dos doentes e a desinfecção das suas casas, Ricardo Jorge viu-se obrigado a ir viver para Lisboa onde fez carreira.
Carolina Beatriz Ângelo foi a primeira cirurgiã portuguesa. Politicamente também teve destaque e defendeu os direitos políticos aderindo aos ideiais feminisitas, defendendo a emancipação da mulher, a sua educação para a independência e o divórcio. 

Não se destacaram na medicina, mas deram cartas no mundo da literatura e das artes. Foram eles Júlio Diniz, Arthur Connan Doyle, Anton Tchekhov, William Somerset Maugham, Céline, Miguel Torga, Fernando Namora, Carlos Paião. 

Príncipes da Medicina é um livro para saborear, para ir lendo. Foi um livro que me deu muito prazer ler. Ao longo de XX séculos de História vamos percorrendo o avanço da medicina e os génios que nela habitam. Recomendo. 





A coleção Vampiro está de volta!


Livros do Brasil relança a 26 de maio a emblemática coleção de clássicos do policial.

Um ano depois do relançamento da coleção Dois Mundos, a Livros do Brasil cumpre agora uma promessa já feita aos leitores: o relançamento da coleção Vampiro, que se iniciará com dois livros, Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine (n.º 1) e Vivenda Calamidade, de Ellery Queen (n.º 2). Numerados, em formato de bolso e com um preço acessível – como sempre foi característico desta coleção –, regressam a partir do dia 26 de maio às livrarias os clássicos da literatura policial.
Criada no final dos anos 40 e com mais de 700 títulos, a coleção Vampiro marcou gerações de leitores e a história da edição em Portugal, lançando livros dos grandes autores do policial, como Raymond Chandler, Agatha Christie, Dashiell Hammett, Rex Stout, Erle Stanley Gardner, Georges Simenon ou Van Dine e Ellery Queen, muitos deles pioneiros no género e criadores de detetives marcantes que tinham a dedução como principal arma contra o crime.

Título: Os Crimes do Bispo
Autor: S. S. Van Dine
Tradução: Peri Pinto Diniz
N.º de Páginas: 328
PVP: 7,70 €

Os Crimes do Bispo
Quando um homem conhecido como Cock Robin aparece assassinado com uma flecha cravada no peito, John Markham, procurador do distrito judicial de Nova Iorque, chama para a investigação Philo Vance. Detetive amador de olho apurado e fraca crença em coincidências, Vance logo assinala a referência a uma conhecida lengalenga infantil. E rapidamente se torna claro que este será o padrão numa série de crimes extraordinários, arquitetados por um assassino de mente perversa, que mantém uma provocação constante à polícia através de cartas enviadas aos jornais, todas elas com a assinatura «O Bispo».
Num estilo simples e direto, construído pela mão hábil de S. S. van Dine, esta é uma história recheada de mortes, de suspeitos e de detalhes surpreendentes – como as peças de xadrez ou as de teatro.
Um policial brilhante, uma obra clássica da literatura de mistério.

Sobre o autor:
S. S. Van Dine (pseudónimo de Willard Huntington Wright) nasceu a 15 de outubro de 1888, em Charlottesville, EUA. Aluno brilhante, estudou em Harvard antes de partir para Paris e Munique, onde prosseguiu a sua formação em artes e letras e iniciou carreira como editor e crítico de arte. Em 1923, na convalescença de uma tuberculose, lê uma série de romances policiais e fica fascinado pelo género. Três anos mais tarde, lança o seu primeiro romance com assinatura S. S. van Dine, O Caso Benson, que se revela um bestseller imediato. Este será o primeiro de uma série de romances protagonizados por Philo Vance, um detetive amador algo arrogante que privilegia os indícios psicológicos dos casos a que se dedica. Com várias adaptações de obras suas ao cinema, Van Dine torna-se um nome fundamental da literatura policial norte-americana dos anos 20 e 30. Morre a 11 de abril de 1939 em Nova Iorque.

Título: Vivenda Calamidade
Autor: Ellery Queen
Tradução: Lino Vallandro
N.º de Páginas: 344
PVP: 7,70 €

Vivenda Calamidade
Decidido a iniciar a redação do seu próximo romance policial num ambiente de tranquilidade, Ellery Queen deixa Nova Iorque e a porta a Wrightsville, típica cidade provinciana onde os dias parecem correr sem que nada de diferente aconteça. Os hotéis, porém, estão totalmente ocupados e não parece existir uma única casa para arrendar – à exceção de um pequeno anexo à mansão da poderosa família Wright, originalmente construído para acolher a filha Nora e o seu noivo, Jim Haight, antes de este desaparecer na véspera do casamento havia já três anos. Primeiro livro de Ellery Queen que tem como cenário esta cidade ficcionada, considerado o melhor da série Wrightsville, Vivenda Calamidade é um romance de grande riqueza psicológica, revelador de uma estrutura notável, onde as mortes se sucedem numa lógica irrepreensível e onde um elegante cocktail numa festa de passagem de ano pode ser a arma do crime.

Sobre o autor:
Ellery Queen é o pseudónimo conjunto de Frederic Dannay (de seu verdadeiro nome Daniel Nathan, nascido em 1905 e falecido em 1982, em Nova Iorque) e do seu primo Manfred B. Lee (Manford Lepofsky, também nascido em 1905 e falecido em 1971, naquela mesma cidade). A dupla escreveu o seu primeiro romance, O Mistério do Chapéu Romano, em 1929, apresentando então o detetive Ellery Queen, ele próprio escritor de romances policiais, formado em Harvard, dono de uma genialidade tão grandiosa quanto a sua arrogância. Até 1971, Ellery Queen foi autor e herói de mais de trinta romances, numerosas novelas, peças radiofónicas, filmes e séries de televisão. Dannay e Lee deixaram também a sua marca na história da literatura policial pela criação, em 1941, da Ellery Queen’s Mystery Magazine, famosa revista policial ainda hoje em atividade.





Penguin Random House na Feira do Livro de Lisboa

Sessão de autógrafos: 
27 de maio
19h - Helena Sacadura Cabral assina Gosto do Gostar e Caminhos para Deus 

28 de maio
16 h- Helena Sacadura Cabral assina Gosto do Gostar e Caminhos para Deus 
17h - João Tordo assina O Luto de Elias Gro e O Paraíso Segundo Lars D
17h - David Machado assina Uma Noite Caiu uma Estrela e Eu Acredito
29 de maio
17h - Joël Dicker assina A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert e O Livro dos Baltimore
1 de junho
14h30 - Ana Soares e Bárbara Wong assinam a coleção Olimpvs.Net
3 de junho
18h - Os Livros da Nossa Vida, de Mendo Henrique e Bárbara Wong, com apresentação de Annabela Rita (Professora universitária); Dinheiro das Nossas (Dí)Vidas, de Mendo Henriques e Nazaré Barros, com apresentação de Eugénio Fonseca (Presidente da Cáritas Portuguesa)
4 de junho
15h - David Machado assina Uma Noite Caiu uma Estrela e Eu Acredito
16h - Afonso Cruz assina Flores e Cruzada das Crianças, entre outros
18h - Helena Sacadura Cabral assina Gosto do Gostar e Caminhos para Deus 

5 de junho
16h- Maria Martins assina Cenas de Uma Adolescente - vol. I e II
16h- Carolina Patrocínio assina Stay Active
17h - David Machado assina Uma Noite Caiu uma Estrela e Eu Acredito
17h- Nuno Markl assina O Homem que Mordeu po Cão, entre outros
10 de junho
15h - Otelo Saraiva de Carvalho assina O Dia Inicial
11 de junho
15h - Afonso Cruz assina Flores e Cruzada das Crianças, entre outros
16h - João Tordo assina O Luto de Elias Gro e O Paraíso Segundo Lars D
12 de junho
16h - Luís Coelho assina Faz-te Homem
17h - Helena Sacadura Cabral assina Gosto do Gostar e Caminhos para Deus
18h - João Tordo assina O Luto de Elias Gro e O Paraíso Segundo Lars D


Álvaro Costa e Cândido Costa apresentam Relato. Histórias de Futebol de Hugo Vinagre e Tiago Beato


terça-feira, 17 de maio de 2016

"A Guerra do Fim do Mundo", de Mario Vargas Llosa é o 2º livro da Coleção Essencial - Livros RTP e chega hoje às livrarias

"A Guerra do Fim do Mundo", de Mario Vargas Llosa chega hoje às livrarias, com prefácio de António Mega Ferreira

Chega hoje às livrarias portuguesas o segundo livro da Coleção Essencial - Livros RTP, parceria entre a RTP e a LeYa. 
"A Guerra do Fim do Mundo", grande obra do escritor peruano, Premio Nobel da Literatura, Mario Vargas Llosa, sucede assim a Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago, com o qual a colecção se estreou, em abril de 2016. O prefácio é de António Mega Ferreira.

«O romance (…) é um vasto fresco que aborda temas aparentemente tão diversos como a corrupção das elites e o oportunismo dos políticos, a sobranceria militar e a inaptidão das forças desencadeadas, a nua humanidade dos deserdados e a sua disponibilidade para seguirem os vendedores de ilusões. » (Antonio Mega Ferreira, prefácio)


Novidade Esfera dos Livros: Lugares Santos de Portugal

Título: Lugares Santos de Portugal
Autor: Alberto Júlio Silva
À venda a 20 de maio.
P.V.P: 18 €

Pensado para um público não especializado, que procure referências a locais, tradições e devoções, o livro Lugares Santos de Portugal leva-nos numa viagem pela vivência religiosa histórica e tradicional portuguesa. De norte a sul de Portugal, nos Açores e na Madeira, dá-nos a conhecer não só alguns dos nossos mais belos santuários mas também a sua História e as lendas e festas religiosas a eles associadas. Um Guia útil para descobrir locais de peregrinação desconhecidos do grande público e o conduzir por recantos de fé e beleza natural.


Sin títuloSobre o autor: 
Alberto Júlio Silva, nasceu em São Miguel de Poiares, Peso da Régua em 1946.
Em 1994, publicou a ficção literária Silêncio do Lado de Lá.
Em 2012, publicou Os Nossos Santos e Beatos, e Outros que Portugal adoptou, também na Esfera dos Livros.




Lançamento do livro «100 Mandamentos para a Felicidade», de Marta Davies Mertens



Han Kang vence o Man Booker International

LEON NEAL/AFP/Getty Images
A escritora sul-coreana Han Kang foi a vencedora do Man Booker International 2016 com o romance "A Vegetariana",  um livro político sobre a revolta doméstica de uma mulher que se torna vegetariana para combater a rotina.
José Eduardo Agualusa estava entre os finalistas com Teoria Geral do Esquecimento. 

 


segunda-feira, 16 de maio de 2016

O Livro dos Baltimore é o novo livro de Joël Dicker

Título: O Livro dos Baltimore
Autor: Joël Dicker
Editor: Alfaguara 
Páginas: 552
PVP: 21,90€

Descubra o que aconteceu a Marcus Goldman antes d' A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert

Depois de conquistar 3 milhões de leitores em todo o mundo, Joël Dicker e Marcus Goldman estão de volta, na prequela d' A Verdade sobre o Caso Harry Quebert.

Sobre o livro:
Se encontrar este livro, por favor leia-o. Queria que alguém conhecesse a história dos Goldman de Baltimore.

Até ao dia do Drama, existiam dois ramos da família Goldman: os de Baltimore e os de Montclair. O ramo de Baltimore, próspero e bafejado pela sorte, mora numa luxuosa mansão. Encarna a imagem da elite americana, abastada e influente, que vive nos bairros exclusivos, passa férias nos Hamptons e frequenta colégios privados.. Já os Goldman de Montclair são uma típica família de classe média e vivem numa casa banal em Nova Jérsia. É a esta família modesta que pertence Marcus Goldman, autor do romance A Verdade sobre o Caso Harry Quebert. mas era à família feliz e privilegiada de Baltimore que Marcus secretamente desejava pertencer. Mas tudo isto se transforma com o Drama. 
Oito anos depois do dia que tudo mudou, é a história da sua família que Marcus Goldman decide investigar. Movido pelas memórias felizes dos tempos áureos de Baltimore, procura descobrir o que se passou no dia do Drama, que mudaria para sempre o destino da família. 
O que aconteceu realmente aos Goldman de Baltimore?

O que diz a imprensa:
«O novo golpe de mestre de Joël Dicker. Dicker consegue fazer-nos desfrutar de uma leitura como ninguém.» Culturebox
«Neste retrato de família adivinhamos a verde de Woody Allen, que já se perfilava n' A Verdade sobre o Caso Harry Quebert.» Le Temps
«Dicker aplica a mesma excelência mecânica - o mecanismo de relojoaria, uma vez que é suíço -, com os iscos de um romancista, para manter o suspense.» Leer
«Uma vez mais, Dicker demonstra o seu talento para prender o leitor.» RTL
«Dicker confirma o seu talento e regressa com um romance cativante e inteligente.» Tribune de Genève
«Dicker conseguiu encaixar na perfeição todas as peças do puzzle. Prende, tem ritmo e está muito bem construído.» Metrotime
«O Livro dos Baltimore tem a dose perfeita de suspense, que prende e surpreende o leitor a cada página.» Info-Culture
«Presos pelas inúmeras reviravoltas, deixamo-nos enredar numa teia complexa onde a emoção é ainda maior do que no livro anterior.» Télé Loisirs

O que disse a crítica portuguesa:
«Desde Stieg Larsson que não se via uma loucura assim. De repente, um thriller deixa as pessoas acordadas toda a noite.» Expresso
«Um thriller viciante. Puro entretenimento. Um livro capaz de destronar, com todo o mérito, os últimos grandes bestsellers.» Público
«Absolutamente imperdível.» Diário Digital 

Sobre o autor:
Joël Dicker nasceu em Genève, Suíça, em 1985. 
O Livro dos Baltimore é o terceiro romance do aclamado autor de A verdade sobre o caso Harry Quebert e Os Últimos Dias dos Nossos Pais, ambos publicados pela Alfaguara em Portugal. 
Com mais de 3 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, o seu segundo romance, A verdade sobre o caso Harry Quebert arrecadou, entre outros, o reconhecido Prémio da Academia Francesa, assim como o Prémio Goncourt des Lycéens e o prémio da revista Lire para Melhor Romance em língua francesa.
Descubra mais sobre o autor e sobre a sua obra em www.joeldicker.com

O autor estará em Lisboa:
Para autógrafos na Feira do Livro, no dia 29 de maio, às 17h
Para o Lançamento d' O Livro dos Baltimore, na Fnac Colombo, dia 30, 18h30. 

 

Gosto de Gostar novo livro de Helena Sacadura Cabral

Título: Gosto de Gostar
Autor: Helena Sacadura Cabral
Editor: Objectiva
Páginas: 164
PVP: 15,90€

«Gosto de gostar dos meus filhos, gosto de gostar dos meus amigos, gosto de gostar do meu trabalho, até gosto de gostar de mim. Enfim, “gosto de gostar” é, de facto, muito mais do que gostar.»
Sol numa manhã de Outono, o cheiro a alfazema das gavetas das nossas avós, uma tarde entre amigos, o calor da família. Pessoas, lugares, canções, perfumes, recordações: são inúmeras as coisas de que gostamos de gostar e que tornam as nossas vidas mais plenas. É de como “gostar de gostar” preenche a nossa vida que Helena Sacadura Cabral fala nestas páginas.

Sobre a autora:
Helena Sacadura Cabral é licenciada em Economia, tendo obtido o prémio para o melhor aluno do Instituto Superior de ciências Económicas e Financeiras. Desempenhou vários lugares de chefia na Administração Pública, tendo sido a primeira mulher a ser admitida nos quadros técnicos do Banco de Portugal. Além de colunista de diversos jornais e revistas, mantém colaboração regular em televisão. Autora de duas dezenas de livros, concilia ainda a participação activa com a atualização dos seus quatros blogues.






Novidade Arena: Dicionário dos Sonhos de Pamela Ball

Título: Dicionário de Sonhos
Autor:
Pamela Ball
Editor: Arena
Encadenação: Capa dura
Páginas: 356
PVP: 15,90€

O livro-agenda onde o leitor pode anotar os seus próprios sonhos e fazer a sua leitura

Sinopse:
Os sonhos podem dizer-nos muito sobre nós. Se quiser descobrir o que os seus sonhos estão a tentar dizer-lhe, deixe-se guiar por este livro que lhe oferece uma prática secção de A-Z com sonhos comuns e as ferramentas para a sua interpretação instantânea. Este livro será a sua chave para o conhecimento.

Sobre a autora:
Conceituada autora de livros sobre sonhos, Pamela Ball desenvolveu a sua carreira profissional no campo do desenvolvimento pessoal, ajudando centenas e centenas de pessoas a melhorarem em todos os aspectos das suas vidas. A autora considera a interpretação de sonhos como crucial para o progresso de cada indivíduo a todos os níveis da consciência; reside nos sonhos a chave para o processo de desenvolvimento pessoal. Autora de vasta obra sobre sonhos, é agora editada pela primeira vez em Portugal.