sexta-feira, 17 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Depois do sucesso de Os Crimes do Bispo e Vivenda Calamidade, chega às livrarias a 23 de junho o terceiro livro da renovada coleção de policiais da Livros do Brasil: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett

Título: O Falcão de Malta
Autor: Dashiell Hammett
Tradução: Gonçalo Neves
N.º de Páginas: 280
PVP: 7,70 €
Coleção: Vampiro

Depois do sucesso de Os Crimes do Bispo e Vivenda Calamidade, chega às livrarias a 23 de junho o terceiro livro da renovada coleção de policiais da Livros do Brasil: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett. Publicado pela primeira vez em Portugal em 1950, este foi o título com o qual a Vampiro apresentou aos leitores portugueses Dashiell Hammett, um dos principais nomes da história da literatura policial, e continua a ser até hoje o mais famoso da sua obra. O Falcão de Malta foi várias vezes adaptado ao cinema, nomeadamente por John Huston em 1941, com Humphrey Bogart a interpretar o papel do carismático detetive Sam Spade.
Neste livro, uma misteriosa Miss Wonderly contrata a dupla de detetives privados Sam Spade e Miles Archer para encontrarem a sua irmã desaparecida. Mas quando Archer é assassinado, a prioridade para Spade passa a ser descobrir o culpado. Miss Wonderly revela se afinal a bela e traiçoeira Brigid O’Shaughnessy e a verdadeira perseguição faz-se por uma relíquia medieval em ouro e diamantes de valor incalculável – a estatueta de um falcão.

Sobre o autor:
Dashiell Hammett nasceu em 1894, em Maryland, EUA. Começou a trabalhar aos catorze anos para ajudar a sustentar a família e em 1915, tinha então vinte e um anos, foi contratado pela Agência de Detetives Pinkerton. Este período serviu-lhe de inspiração para a escrita de policiais. A sua carreira literária iniciou-se com a publicação de contos na revista Black Mask, protagonizados desde logo pelo investigador Continental Op, um verdadeiro «duro» com vinte anos de experiência, que seria o herói do seu livro de estreia, Colheita Sangrenta, lançado em 1929. O Falcão de Malta, publicado em 1930, é a primeira obra onde surge outra das suas personagens marcantes, o detetive Sam Spade, e continua a ser até hoje o seu livro mais famoso, tendo sido frequentemente transposto para o cinema.
Completam a obra essencial de Hammett os títulos A Maldição dos Dain (1929), A Chave de Cristal (1931) e O Homem Sombra (1934).
Juntamente com Raymond Chandler, Dashiell Hammett introduziu o realismo nas histórias de detetives e é considerado o pai do género hard-boiled. Faleceu em Nova Iorque a 10 de janeiro de 1961.

Já na coleção Vampiro:
Nº. 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
Nº. 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen


Lançamento do livro "Até Que o Amor Me Mate" de Maria João Lopo de Carvalho. Apresentado por José Gameiro


Depois da estonteante estreia com Simplesmente Nua, Raine Miller regressa com Entrega Total

Título: Entrega Total 
Autor: Raine Miller
N.º de Páginas: 240
PVP: 15,49€
Saída a 06 de junho

Sobre o livro:
Depois da estonteante estreia com Simplesmente Nua, Raine Miller dá continuação à escaldante história entre Ethan e Brynne.

«Ethan Blackstone é a personagem masculina mais arrebatadora que já encontrei. Uma mistura perfeita de romance, drama e sensualidade.» Colleen Hoover

A paixão entre Ethan e Brynne é explosiva, mas os segredos que escondem um do outro são negros e assustadores, com poder suficiente para destruírem a sua tentativa de uma vida em conjunto.
Quando Ethan quebra a confiança de Brynne e ela o deixa, ele tudo fará para voltar a possuir o coração da mulher que ama.
Com Brynne a receber ameaças anónimas Ethan tem de lutar contra o tempo para proteger a sua linda americana do perigo e ainda reconquistá-la. E ele está disposto a apostar tudo por ela.
Uma história ardente sobre o que acontece quando duas pessoas se rendem a um amor tão grande que consegue sarar as feridas do passado.

Sobre a autora:
Raine Miller é uma autora norte-americana bestseller do New York Times e do US Today que já conta com vários romances publicados. Em agosto de 2012 lançou o presente livro, primeiro volume da série O Caso Blackstone, uma mistura explosiva de erotismo, sexo, controlo e mistério. Um mês depois era já uma autora bestseller da Amazon, tendo alcançado os primeiros lugares nos rankings de romance erótico.
Para conhecer o trabalho mais recente da autora, poderá ligar-se a ela através do Facebook ou visitar o seu site em www.rainemiller.com


quinta-feira, 16 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Os 100 regressam a casa e concluem a trilogia

Título: Os 100: O Regresso a Casa
Autor: Kass Morgan
N.º de Páginas: 288
PVP: 16,99€
Saída a 06 de junho

Depois de Os 100 e Os 100: 21 Dias Depois , chega agora a conclusão desta fantástica trilogia de Kass Morgan. Adaptada à televisão em 2014, depressa de tornou num sucesso mundial. Nesta reta final, os 100 terão de lutar pela liberdade ou arriscar perder tudo o que amam.

Elogios: 
«Esta é uma das melhores séries de sempre, e que não vai querer perder.» Starlight Book Reviews
«Misterioso e excitante, uma combinação perfeita de Os Jogos da Fome com O Deus das Moscas» Booklist

Sobre o livro:
Semanas depois de os 100 terem chegado à Terra, conseguiram finalmente estabelecer um pouco de ordem num ambiente inicialmente caótico e conviver de forma pacífica com alguns dos terrestres que encontraram. No entanto, novas naves chegam do espaço, abalando o equilíbrio alcançado e ameaçando a vida de todos.
Chegou o momento de os 100 se unirem e lutarem para reaver a liberdade que encontraram na Terra.
Caso contrário, arriscar-se-ão a perder tudo e todos os que amam… de novo.

Sobre a autora:
Kass Morgan é licenciada pela Universidade de Brown, nos Estados Unidos, e tem um mestrado pela Universidade de Oxford.
Trabalha como editora e vive em Nova Iorque. O seu bestseller Os 100 foi adaptado a série de televisão. Pode segui-la no Twitter em @kassmorganbooks.
Descubra mais sobre Os 100 em the100series.com


Novidade Esfera dos Livros: Os Últimos Dias do Rei de Nuno Galopim

Corria o ano de 1932 quando um jornalista português chega a a Twickenham, em Inglaterra, mais precisamente a a Fulwell Park, a residência de D. Manuel II, que há 22 anos vive no exílio.

Apresenta-se ao monarca para o entrevistar e com o projeto de uma biografia. O rei percorre memórias dia após dia, discute o presente com o visitante... Morre inesperadamente, antes do trabalho concluído e nem a entrevista nem o livro chegam a ser publicados... Mais de oitenta anos depois, em 2016, um jovem português recebe um inesperado presente da dona da casa londrina onde está instalado: uma mala antiga cheia de papéis.

Este é ponto de partida do enredo que nos traz Nuno Galopim na sua primeira ficção. Em Os Últimos Dias do Rei, o jornalista debruça-se sobre a vida de D. Manuel II, o último rei de Portugal – que recebeu o trono aos 18 anos, após o assassínio do pai e do irmão no Terreiro do Paço - uma figura mítica para monárquicos e nostálgicos, mas completamente desconhecida dos portugueses.

À venda a 17 de junho.


Foto Nuno GalopimSobre o autor:
Nuno Galopim começou por traçar um futuro nas ciências, mas o jornalismo, a rádio e, sobretudo, a música e o cinema acabaram por falar mais alto. Com 27 anos de carreira nos media escreve hoje no Expresso, Blitz, Time Out e Metropolis e é autor dos blogues Sound + Vision e Máquina de Escrever. Tem trabalho na música (do álbum Humanos à série O Melhor do Pop-Rock Português) e no cinema (como ator, produtor, consultor e programador, estando a preparar a sua primeira obra na realização). Nos livros estreou-se, era ainda aluno de Geologia, com Vida e Morte dos Dinossáurios (1992), em co-autoria com pai, o Professor Galopim de Carvalho. É o autor dos livrosRetrovisor: Uma Biografia Musical de Sérgio Godinho (2005), Os Marcianos Somos Nós (2015) e The Gift – 20 (2015) e colaborou na Enciclopédia da Música Ligeira Portuguesa. Os Últimos Dias do Rei é a sua primeira obra de ficção.




Novo livro de Monica Murphy conta «O Segredo de Violet»

Título: O Segredo de Violet
Autor: Monica Murphy
N.º de Páginas: 384
PVP: 18,79€
Saída a 06 de junho

«Monica Murphy tem um talento incrível e continua a mostrá-lo a cada livro que escreve.» RT Book Reviews

Monica Murphy é uma autora norte-americana, cujos livros Uma Semana para Te Amar , Vou Amar-te para Sempre e Prometes Amar-me? foram bestsellers do New York Times e do USA Today.
Monica Murphy escreve ficção para jovens adultos, além de romances contemporâneos. Vive com o marido e os três filhos no sopé das montanhas de Yosemite, na Califórnia.
Adora livros e, por isso, considera que tem o melhor trabalho do mundo.
Saiba mais sobre a autora em www.monicamurphyauthor.com

Sobre o livro:
Que segredo guarda Violet Fowler?
Não sou uma mulher que habitualmente quebre regras. Sempre agi de acordo com o que esperam de mim. Sou uma filha obediente, uma irmã que consola e sabe ouvir, uma namorada paciente e dedicada, uma empresária de sucesso que irá herdar e gerir o império da família, em conjunto com o Zachary, o meu futuro marido.
Mas, assim que o meu namorado supostamente perfeito é nomeado para uma promoção, à qual se candidatara sem o meu conhecimento, tudo se desmorona. Cansada de traições constantes, falta de atenção e tanto egoísmo, acabo com tudo. E então aparece o Ryder…
Insaciável e implacável. Ryder McKay. Nada sei sobre ele. Apenas sei o que me faz sentir. Ele faz-me sentir tudo. De todas as maneiras. Ryder é como uma droga poderosa, e eu sou viciada. Pela primeira vez, a cada dia que passa, mais disposta fico a arriscar e a deixar-se dominar.
O Segredo de Violet revela-nos o poder da possessão, num romance arrebatador e repleto de sensualidade.



Novidades Marcador

Título: A ilha da Entrada
Autor: Peter May
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 480
PVP: 20€
Já à venda

O detective Sime Mackenzie é enviado desde Montreal para investigar um assassinato na remota ilha de Entry Island, a milhares de quilómetros de distância do território canadiano, atrás de si deixa uma vida de insónia e arrependimento. Mas o que parecia ser um simples caso, com uma simples resolução ganha dimensões perturbadoras quando conhece o principal suspeito, a mulher da vítima, e está convencido de que a conhece – mesmo que nunca a tenham visto antes. E quando a sua insónia é pontuada por sonhos de uma Escócia distante, situada num outro século, este crime no golfo de St. Lawrence leva-o por um caminho que ele nunca teria antevisto, forçando-o a enfrentar um conflito entre o seu dever profissional e o seu destino pessoal.
Com as noites assombradas por estas recordações de uma Escócia, a quase cinco mil quilómetros de distância, nos seus sonhos de um passado distante, a viúva da vítima tem um papel principal no desfecho. A certeza de Sime torna-se então obsessão e, apesar das provas incriminatórias, ele dá por si convencido da inocência da mulher. E como prova-lo e onde o levará esta certeza?

«Peter May é um autor que seguiríamos até aos confins da Terra.» The New York Times
«Um verdadeiro prazer na leitura.»  The Guardian
«Esta é uma das séries de romance policial mais conceituadas dos últimos anos.» The Independent

Sobre o autor:
PETER MAY nasceu e cresceu na Escócia. Aos 26 publicou o seu primeiro romance, que foi adaptado com grande para uma série da BBC. Decidiu abandonar o jornalismo e, durante os 15 anos que seguiram, foi um dos dramaturgos televisivos mais bem-sucedidos da Escócia. Decidiu depois de mais de mil episódios de várias séries escritos e produzidos, abandonar a televisão para regressar ao primeiro amor, a escrita de romances. Recebeu vários prémios literários em França e o Barry Award, nos Estados Unidos, pelo livro A Casa Negra, o primeiro dos seus best-sellers internacionais e também o primeiro volume da Trilogia de Lewis. Em 2014, recebeu o galardão Melhor Livro do Ano do ITV Specsavers Crime Thriller Book Club, pelo livro Entry Island. Peter vive no sudoeste francês com a sua mulher, a autora Janice Hally.

Título: Das Margens Nascem Flores
Autoras: Beatriz Matoso com Pilar Marques
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 320
PVP: 15€
À venda a partir de 8 Junho

Este livro é o resultado de uma experiência de voluntariado, realizada no Estabelecimento Prisional de Tires no âmbito da Associação Dar a Mão, com a finalidade de dar apoio às reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires e preparar a sua reinserção social. Das Margens Nascem Flores foi escrito a várias mãos, pela psicanalista que acompanha o grupo: Beatriz Matoso, a enfermeira: Pilar Soares Marques e claro com o contributo de algumas reclusas. Tem por objectivo promover o desenvolvimento da auto-estima e o crescimento pessoal, afectivo e laboral de cada reclusa, e incentivar o trabalho e a formação profissional.
«Será que vamos ser capazes de conter as suas angústias e levá-las a acreditar que podemos sempre melhorar a nossa vida?» - Beatriz Matoso

O que têm em comum uma psicóloga, uma enfermeira e as reclusas de um estabelecimento prisional? As “Conversas em Roda”, que tiveram início há oito anos, no Pavilhão das Condenadas, ao ritmo de uma sessão mensal, durante uma hora e meia. É um grupo aberto. Na “roda” cabe sempre mais uma. Pretende-se, deste modo, criar um clima de tolerância e liberdade, que contribua para compensar a exigência rígida da vida na prisão e incite o sentimento de que pensar pode ser libertador e transformador.

«Ultimamente tenho pensado sobre o envelhecimento. Entrei para a prisão com 39 anos, tenho 50 anos (11 e 2 meses de pena cumpridos dentro um pavilhão), e sinto que estou estou a envelhecer sem uma simples bicicleta para exercitar as pernas, (…) posso sempre recorrer às duas horas de recreio, que me são dadas por lei, mas andar voltas num quadrado rodeado de cimento faz-me sentir deprimida, (…). Hoje sinto-me como se tivesse sido colocada numa caixa esquecida, mas eu tenho vida.»  - Reclusa

Sobre as autoras:
BEATRIZ MATOSO trabalha como voluntária no E.P. de Tires há 11 anos. É psicanalista e psicoterapeuta. Licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras de Lisboa e fez a sua formação em Psicanálise no Instituto de Psicanálise da Sociedade Portuguesa de Psicanálise.

PILAR MARQUES é enfermeira especialista em Saúde Mental e Psiquiátrica. Fez a sua formação de base na Escola Superior de Enfermagem Calouste de Gulbenkian e tirou a especialidade na Escola Superior Maria Fernanda Resende.

Título: O Mercado Grita Talento
Autor: Miguel Gonçalves
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 272
PVP: 16,50€
Já à venda

O principal objectivo deste livro será ajudar os seus leitores a reflectir sobre o mercado de trabalho e sobre o seu espaço dentro do mesmo. Pois todos possuem um conjunto de competências únicas e singulares que os diferenciam de todos os outros e que muitas vezes desconhecem ou simplesmente não dão o devido valor.
Algumas pessoas nascem com o talento para influenciar pessoas e coordenar equipas, outras para processar informação, ou até para produzirem relatórios complexos. Alguns ainda podem ter como mais-valias a consistência e a regularidade do seu trabalho, ou a manutenção da calma e o sentido de humor em momentos de elevada turbulência e stress. Bem como outros podem ser munidos de uma enorme clareza de raciocínio e uma facilidade em produzir ideias e conteúdos novos.
Todas elas são capacidades, características e competências que merecem ser identificadas e incrementadas, por forma ao seu detentor alcançar o seu lugar no mercado de trabalho. De forma efectiva e com sucesso.

«Seja ele qual for [o conjunto de competências], espero que este livro te desafie a interrogar sobre qual é o teu talento, a pensar nas tuas competências, a desenhar possibilidades que ajudem a navegar a tua carreira e a reconhecer o encanto singular que há em ti.» - Miguel Gonçalves

Sobre o autor:
Miguel Gonçalves é empresário, ávido viajante e fundador da Spark Agency, uma empresa especializada em Employer Branding, Recrutamento e Gestão de Talento. Licenciado em Psicologia pela Universidade do Minho, passou os últimos anos a conduzir as operações da Spark e a construir o Pitch Bootcamp, o acelerador de carreiras que aproxima jovens universitários e empresas em universidades de referência como o Técnico de Lisboa, a Nova SBE, a FEUP, o ISCTE-IUL, o ISEG e a FCT-UNL, tendo desafiado mais de 6000 jovens a repensar as suas carreiras e a desenvolver competências. Trabalha com empresas como: Jerónimo Martins, KPMG, Fidelidade, Vodafone, Red Bull, EDP, PT, Pfizer, Deloitte, PwC, CTT, entre outras.

Título: Prometo Perder
Autor: Pedro Chagas Freitas
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 312
PVP: 17,50€

Depois do sucesso de PROMETO FALHAR e QUERES CASAR COMIGO TODOS OS DIAS, com mais de de 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro em países como Brasil, Itália (onderangeiro países como Brasil, Itália (onde 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro países como Brasil, Itália (onde 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro países como Brasil, Itália (onde 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro países como Brasil, Itália (onde 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro países como Brasil, Itália (onde 150.000 exemplares vendidos em Portugal e publicado no estrangeiro países como Brasil, Itália (onde ainda está no top de vendas há mais de 5 semanas) e de Espanha. Pedro Chagas Freitas agora mais uma obra inédita. Em mais uma viagem intimista e desconcertante, o autor caminha, em PROMETO PERDER, até ao interior da emoção: da saudade ao desejo, da rebeldia à submissão, da dor ao amor, nada ficará por tocar.

PROMETO PERDER
Voltar ao teu corpo como se voltasse a casa. Os teus lábios e um abraço. A roupa a mais quando se quer assim. Os vizinhos invejosos por alguém amar inteiro. Gosto da maneira como te guardas no interior do meu peito, os meus braços abertos e tu como se esperasses a chegada da morte. É tão inexplicável a tua pele. A vontade de chorar. Ou existe o eterno ou nada. A carne bruta e um poema no teu orgasmo. Gosto da maneira como me pedes por favor para ser humano. Existe algo de solene na forma como me fazes perder a vergonha. Ser feliz é credibilizar o pecado, e certamente pecar.

Amar é metade daquilo porque vale a pena viver. E a outra metade é ser amado.

Prometo por vezes fraquejar, por vezes cair, por vezes ser incapaz de ganhar. Nem sempre conseguirei superar, nem sempre conseguirei ultrapassar. Nem sempre poderei ser capaz de ir tão longe como tu me pedes, de te dar exactamente o que merecias que te desse. O que desesperadamente te quero dar. Nem sempre conseguirei sorrir, também.

Prometo perder.

Sobre o autor:
PEDRO CHAGAS FREITAS é um dos autores mais lidos em Portugal e é bestseller também noutros países como Itália e Brasil. É autor de vários livros, entre eles: Prometo Falhar, Queres Casar Comigo Todos os Dias, Eu Sou Deus, Ou És Tudo ou Não Vale Nada, In Sexus Veritas, etc. É criador de vários jogos de escrita e lecciona workshops de escrita criativa. Acredita que não é é parar que é parar que é morrer; é ir andando.




Os Crimes do Bispo - S. S. Van Dine [Opinião]

Título: Os Crimes do Bispo
Autor:
S. S. Van Dine
Tradução: Peri Pinto Diniz
N.º de Páginas: 328
PVP: 7,70 €

Quando um homem conhecido como Cock Robin aparece assassinado com uma flecha cravada no peito, John Markham, procurador do distrito judicial de Nova Iorque, chama para a investigação Philo Vance. Detetive amador de olho apurado e fraca crença em coincidências, Vance logo assinala a referência a uma conhecida lengalenga infantil. E rapidamente se torna claro que este será o padrão numa série de crimes extraordinários, arquitetados por um assassino de mente perversa, que mantém uma provocação constante à polícia através de cartas enviadas aos jornais, todas elas com a assinatura «O Bispo».
Num estilo simples e direto, construído pela mão hábil de S. S. Van Dine, esta é uma história recheada de mortes, de suspeitos e de detalhes surpreendentes – como as peças de xadrez ou as de teatro.
Um policial brilhante, uma obra clássica da literatura de mistério.

A minha opinião: 
Os Crimes do Bispo é o n.º 1 da mítica coleção Vampiro, relançada desde 26 de maio e que traz novamente os clássicos da literatura policial. Esta coleção não é me de todo estranha porque me lembro de a ver muito frequentemente em casa dos meus pais, e de ter lido muitos dos seus livros. Foi aí que conheci a escrita de Ellery Queen, Rex Stout, Dick Hasquins (um dos meus preferidos e que mais tarde vim a descobrir que era português). Infelizmente não sei o que é feito deles...


Este é o primeiro livro que leio de S. S. Van Dine, apesar de ter na estante um outro livro por ler do autor (O caso do colar desaparecido). Confesso que não me encheu as medidas, apesar de ter criado empatia com o detective amador Philo Vance, personagem que, pelo que percebo, praticamente presente em todas as obras do autor.

Philo Vance é chamado pelo procurador do distrito judicial logo que o corpo com uma flecha cravada no peito de Cock Robin aparece. Vance estabelece logo a referência a uma conhecida lengalenga infantil da Mãe Gansa e começa a investigar o crime a partir daí.

No entanto, o assassino revela ter uma mente perversa e mata desenfreadamente. A par de as vítimas estarem relacionadas com as lengalengas, manda cartas para os jornais locais e assina como "Bispo".

Com alguns jogos de palavras, que funcionam melhor em inglês, do que em português, no caso das lengalengas, e com vários avanços na área da física, matemática e xadrez... pensei que este primeiro livro me fosse agarrar mais. A relação que o detective estabeleceu com os suspeitos, durante os interrogatórios, foi de tal forma repetitivo que se tornou desgastante.


Crash, de J. G. Ballard, regressa às livrarias

Título: Crash
Autor: J. G. Ballard
N.º de Páginas: 240
PVP: 16,99€
Saída a 20 de junho

«Agora que o Vaughan morreu, partiremos com os outros que se
reuniram à sua volta, qual multidão atraída para um inválido
ferido cujas posturas deformadas revelam as fórmulas secretas
das suas mentes e vidas.»

Ao destruir o seu carro num acidente, assistindo à morte do condutor do outro veículo diante dos seus olhos, James Ballard, o narrador deste livro, descobre o fascínio pela confusão e caos do metal e de superfícies amolgadas, resultantes do impacto entre carros.
É a visão do seu amigo e visionário Robert Vaughan, homem que conduz uma espécie de irmandade de adoradores obcecados com  as possibilidades eróticas dos desastres de viação, que Ballard partilha connosco: o derradeiro acidente, uma colisão frontal, um vórtice de sangue, sémen e líquido refrigerante - retrato singular da dependência crescente da tecnologia como intermediária das relações humanas, em que o erótico, o mecânico e o macabro se confundem.
Publicado originalmente em 1973, Crash continua a ser um dos romances mais chocantes do século XX, tendo sido adaptado para cinema, sob o mesmo título e com igual controvérsia, por David Cronenberg.
Crash é o segundo livro de J. G. Ballard editado pela Elsinore, chancela do Grupo 20l20, depois do elogiado Arranha-Céus.

Elogios:
«Uma obra de uma originalidade poderosa. Ballard é um dos nossos melhores escritores de ficção.» Anthony Burgess
«[Ballard] possui uma imaginação aterradora e extraordinária.» The Guardian
«Ballard lembra-nos de que os sonhos são, muitas das vezes, perversos.» - Zadie Smith

Sobre o autor:
Filho de pais ingleses, nasceu em 1930 em Xangai, na China, para onde o pai tinha ido trabalhar, e morreu em 2009. Na sequência do ataque a Pearl Harbor, ele e a família foram colocados num campo de prisioneiros civis. Regressou a Inglaterra com a mãe e os irmãos em 1946.
Após dois anos em Cambridge, onde estudou Medicina sem concluir o curso, Ballard escreveu para publicidade e foi porteiro em Covent Garden antes de partir para o Canadá como piloto da Força Áerea britânica.
Começou a escrever contos na década de 1950 e estreou-se na ficção mais longa em 1962: The Drowned World é o primeiro romance de uma das mais sólidas carreiras da ficção contemporânea.
Celebrizou-se pela sua autobiografia Império do Sol (adaptada ao cinema por Steven Spielberg), mas é em romances como Crash (igualmente adaptado à Sétima Arte por David Cronenberg) e Arranha Céus (também ed. Elsinore) que se encontram os seus temas obsessivos: os efeitos psicológicos da cidade e da tecnologia na alienação do ser humano.


Showcooking com Rita Nascimento, autora do livro 'Sobremesas 555'



Showcooking com Rita Nascimento, autora do livro 'Sobremesas 555'



Mafalda Gameiro apresenta «Acredita em Ti», de Eduardo Silva



quarta-feira, 15 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

5 Sentidos - "Confia em mim", de Jennifer Armentrout

Título: Confia em mim
Autor: Jennifer Armentrout
Tradução: Clara Caldeira
Págs.: 272
PVP: 16,60 €

Chega no dia 16 de junho às livrarias, com a chancela 5 Sentidos, Confia em mim, o novo livro de Jennifer Armentrout que revela uma nova perspetiva da história do bestseller Espero por ti. Confia em mim conta a apaixonante história de amor entre Avery e Cameron, a partir do ponto de vista deste, e é a arrebatadora sequela do livro que alcançou o primeiro lugar na lista de e-books mais vendidos do New York Times e USA Today, destronando autores já consagrados. Jovem escritora americana, mas com mais de 30 livros publicados, Jennifer Armentrout tem vindo a ganhar leitores em todo o mundo, nomeadamente em Portugal, onde Espero por ti foi muito bem recebido.

Sinopse:
Cameron Hamilton está habituado a ter o que quer, especialmente no que toca às mulheres. No entanto, quando Avery Morgansten irrompe na sua vida, finalmente conhece alguém que consegue resistir aos seus encantos. A distância que a rapariga impõe entre os dois constitui um desafio perturbador e excitante, que o intempestivo jovem não tarda a abraçar. Só que Avery tem demasiados segredos, dilemas sombrios que a impedem de admitir os seus verdadeiros sentimentos por Cam. Será que a persistência, e algumas bolachas caseiras deliciosas, vão ajudar Cameron a quebrar todas as barreiras e ganhar a confiança de Avery? Ou será que os segredos que ambos guardam os afastarão em definitivo, deitando a perder a primeira e derradeira oportunidade de um tipo de amor que dura para sempre?

Primeiras páginas aqui

Sobre a autora:
Jennifer Armentrout, autora bestseller do New York Times e do USA Today, vive em Martinsburg, na Virgínia Ocidental. Para além de literatura romântica, escreve livros de ficção científica e fantasia. Espero por ti, inicialmente publicado em edição de autor no formato eletrónico, alcançou um feito inédito ao obter o 1.º lugar dos tops norte-americanos de livros digitais, superando as vendas de e-books de autores conhecidos e consagrados.
Mais informações sobre a autora em www.jenniferarmentrout.com

Imprensa:
Confia em mim é a sequela perfeita de Espero por ti […]. A escrita de [Jennifer Armentrout] é tão límpida e viciante como sempre, e deixa os leitores ansiosos por mais. RT Book Reviews
Definitivamente, o melhor livro do género que eu li até agora. Os personagens e enredo são fantásticos!... E depois há Cam [!] Ele cativou-me ao primeiro "querida". The Secret Life of a Bookworm
Uma leitura apaixonante e sexy, com uma história sensacional e personagens incríveis – o que mais poderíamos pedir? Book Passion For Life



Novidade Saída de Emergência: Os Filhos de Salazar de António Breda Carvalho

Continuando com a colecção História de Portugal em Romances, a Saída de Emergência publica o romance Os Filhos de Salazar. Um livro de António Breda Carvalho que nos leva até ao Estado Novo e retrata a vida de dois jovens que seguem caminhos diferentes. Mariana transforma-se numa mulher libertina que desafia tudo o que é sagrado para o fascismo enquanto Mariano segue as pesadas do pai, amigo íntimo de Salazar e do cardeal Cerejeira.

É acompanhando as suas vidas que assistimos a um retrato vívido do Portugal do Estado Novo: de um lado os representantes do poder, os cidadãos fascistas e a temível PIDE; do outro os inimigos do regime, incluindo os comunistas na clandestinidade.

Sinopse:
Tudo começa em 1926 quando o avião do major Varela se despenha misteriosamente no Mondego. Terá sido suicídio ou acidente? Os Filhos de Salazar conta-nos a história de Mariana e Mariano, dois jovens que crescem juntos mas seguem percursos opostos na vida. Se ela se transforma numa mulher libertina que desafia tudo o que é sagrado para o fascismo e para a Igreja, já ele segue as pegadas do pai, amigo íntimo de Salazar e do cardeal Cerejeira.

É acompanhando as suas vidas que assistimos a um retrato vívido do Portugal do Estado Novo: de um lado os representantes do poder, os cidadãos fascistas e a temível PIDE; do outro os inimigos do regime, incluindo os comunistas na clandestinidade.

Mergulhados neste conflito, Mariana e Mariano, com vidas, morais e ideologias tão incompatíveis, encontram-se e desencontram-se. O destino reserva-lhes uma surpresa que vai mudar as suas vidas. Mas quem vai sofrer a maior mudança é Portugal.

Sobre o autor:
António Breda Carvalho nasceu na Mealhada, em 1960. É professor do ensino básico e estreou-se na literatura em 1990. Até à data publicou várias obras, incluindo estudos regionais, e foi distinguido com inúmeros prémios literários de conto e de romance. Romances publicados: As Portas do Céu (Menção de Honra – Prémio Literário António Feliciano de

Castilho, Câmara de Águeda, 2000), O Fotógrafo da Madeira (obra vencedora do Prémio Literário João Gaspar Simões, Câmara da Figueira da Foz, 2010) e Os Azares de Valdemar Sorte Grande (Menção de Honra – Prémio Literário João

Gaspar Simões, Câmara da Figueira da Foz, 2012).





Novidade Nuvem de Tinta: A Rapariga que Sabia demais de M. R. Carey

Título: A Rapariga que Sabia Demais
Autor: M. R. Carey
N.º de Páginas: 438
PVP: 17,90€
Editor: Nuvem de Tinta
Nas livrarias a partir de 15 junho 

Sinopse:
Melanie é uma menina muito especial. Tem 10 anos e adora ir à escola, aprender coisas novas, falar com a professora Justineau sobre todas as coisas que fará quando crescer...
Mas a ida à escola implica aguardar todos os dias na suas cela que homens armados venham buscá-la para a levar, amarrada a uma cadeira de rodas, para a sala de aula. Brinca com eles, diz que não morde. Mas ninguém se ri. 
Melanie tem um dom, mas nem todos os dons são uma benção. Uma Humanidade moribunda e irrecuperável é o palco de "A Rapriga Que Sabia Demais", um livro ambicioso e apaixonante cuja carga emocional esmagadora o destina a ser um dos romance mais marcantes do ano, que chegará também ao grande ecrã.


Sobre o autor:
M. R. Carey, pseudónimo de Mike Carrey, é um poeta e ficcionista bretanico consagrado. Colaborou com as famosas DC e com a Marvel, neste último em publicações como X-Men e Quarteto Fantástico.

A rapariga que sabia demais, adaptado ao cinema em 2016, teve sucesso imediato, aplaudido por leitores em todo o mundo e pela critica internacional.

Sobre o livro:
”Original, empolgante, excelente.” Guardian
“Assombroso e comovente.” Vogue
“Assustador, tenso e arrebatador…, mas de uma profunda ternura.” Marie Claire
"Glorioso." The Daily Telegraph
"É fácil esquecermo-nos de respirar enquanto viramos as páginas." Booktopia
“Enigmático e absolutamente viciante.” Harper´s Bazaar







terça-feira, 14 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Sessão de lançamento de «O Que Nunca um Adulto te Disse», de Ana Amorim Dias



O Guardião Invisível - Dolores Redondo [Opinião]

Título: O Guardião Invisível
Autor:
Dolores Redondo
N.º de Páginas: 360
PVP: 17,76€


Sinopse:
Nas margens do rio Baztán, no vale de Navarra, é encontrado o cadáver nu de uma adolescente em circunstâncias que posteriormente é relacionado com um homicídio ocorrido na região meses antes. Amaia Salazar, inspectora de homicídios da Policía Foral, é encarregue de dirigir uma investigação que a levará a Elizondo, uma pequena localidade de onde nasceu e de que tentou fugir toda a vida.
Forçada a enfrentar os desenvolvimentos cada vez mais complicados do caso e com fantasmas familiares que a perseguem, a investigação de Amaia é uma corrida contra o tempo para encontrar um assassino capaz de mostrar a face mais aterradora de uma realidade brutal, evocando ao mesmo tempo as criaturas mais inquietantes das lendas e do esotérico do Norte de Espanha.

A minha opinião: 
Primeiro livro da trilogia do Baztán, O Guardião Invisível não é um policial qualquer. A base, de facto, assenta num policial, mas a sua história vai além da investigação, envolvendo a vida da detective encarregue do caso, Amaia Salazar, que regressa, desta forma, à sua terra natal.

Amaia não reúne consenso. Numa sociedade completamente machista em relação a uma mulher a liderar uma investigação policial, os seus colegas não vêem com bons olhos serem comandados pela agente Salazar. Descredibilizada em vários pontos, Amaia tem de respirar fundo várias vezes para por o grupo na ordem. Uns mais que outros.

O corpo de uma jovem é encontrado nas margens do rio Baztán. A forma como o corpo se apresenta e a forma como a jovem foi assassinada é em tudo semelhante com outros casos que ocorreram anteriormente em Elizondo, uma pequena localidade espanhola, onde Amaia nasceu e de onde saiu para só regressar agora para investigar o caso e reencontrar toda a sua família.

Ao aprofundar a investigação Amaia vai debater-se com crenças e misticismos locais em que pouco acredita, mas que a levam a pensar seriamente no que é real e no que é imaginário.
Dolores Redondo introduz assim o folclore regional de uma forma interessante, que estimula a leitura e traz um melhor desenvolvimento à investigação.

Com mistério q.b. e a resolução do caso bem fundamentada, só bem perto do fim é que consegui descortinar quem seria o assassino. Fiquei rendida a Amaia e a Dolores Redondo. Não quero perder o filme baseado no filme que já está a ser rodado, como podem ver aqui.

A Planeta já publicou o segundo livro da trilogia, O Legado nos Ossos, que espero ler muito em breve.



segunda-feira, 13 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Feira do Livro de Lisboa 2016 + Encontro de Livrólicos




Este ano consegui finalmente ir à Feira do Livro de Lisboa. Aproveitei o fim de semana prolongado e rumei à capital para o encontro do Grupo Livrólicos Anónimos (GLA) no stand da Editorial Presença.

Foto Editorial Presença
Foto GLA
Um grupo muito animado, das mais diversas partes do país, que proporcionou uma tarde muito bem passada.
Adorei conhecer pessoalmente pessoas que conhecia apenas do mundo virtual, algumas com quem já tenho uma estreita amizade e foi ainda melhor do que estava à espera.

Seguiram-se as sessões de autógrafos. Havia muitos mais livros para autografar e mais autores para conhecer mas, infelizmente, por razões logísticas foi impossível levar mais livros para a FLL.





A FLL também teve espaço para as crianças e não quis deixar de tirar umas fotografias com as mascotes


Para arranjar mais marcadores para a coleção




E Feira sem livros novos... não é Feira. Apesar de ter dito que não ia comprar nada porque tenho imensos para ler não resisti em comprar estes (os dois de cima foram oferta)


E a mais pequena também teve sorte