sexta-feira, 15 de julho de 2016

Obra Essencial de Camilo a partir de amanhã com o Expresso



Datas de lançamento em banca:

Amor de Perdição + Caixa Arquivadora Grátis – 16 Julho

Eusébio Macário – 23 Julho

A Brasileira de Prazins - 30 Julho

A Queda de um Anjo – 6 Agosto

Novelas do Minho – 13 Agosto

O que Fazem Mulheres – 20 Agosto

O Retrato de Ricardina – 27 Agosto

Vinte Horas de Liteira – 3 Setembro

"A Dança das Fúrias - A Europa e a Eclosão da Primeira Guerra Mundial" de Michael. S. Neiberg no PNL

"A Dança das Fúrias - A Europa e a Eclosão da Primeira Guerra Mundial" de Michael S. Neiberg, primeiro título da coleção "História A Ferro e Aço", entrou para as listas do PNL de 2016 em "Apoio a Projectos de História Universal" para o Ensino Secundário e em "Sugestões de Leitura" para Formação de adultos.

Uma obra traduzida por António Sousa Ribeiro, Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.




«A Menina dos Ossos de Cristal» chega ao Plano Nacional de Leitura

Ana Simão nasceu com Osteogénese Imperfeita, uma doença rara com nome complicado, popularmente conhecida por “doença dos ossos de vidro”. Ossos que se partem com tanta facilidade que o simples facto de posicionar mal um pé pode resultar numa fractura e muitas horas de fisioterapia.
Ana Simão, autora do livro A Menina dos Ossos de Cristal, publicado pela Guerra e Paz, em 2014, vê agora a singularidade da sua doença também reconhecida pelo Plano Nacional de Leitura (PNL), que acaba de incluir o livro na selecção para 2016/2017. Com esta medida, o Plano Nacional de Leitura dá voz a um caso pessoal e dramático, relatado com mestria e imaginação, contribuindo assim para a formação de adultos mais conscientes e tolerantes, valorizando uma cultura solidária de entreajuda e compreensão.





Novidade Esfera dos Livros: Vejo-te no Céu

E quando o nosso animal de estimação parte, quando nos separamos do companheiro de tantas brincadeiras, que percebia quando estávamos tristes ou felizes, que nos recebia com alegria quando chegávamos a casa? Sentimos uma dor imensa e profunda e não queremos acreditar que tudo acabou.

Se bem que, geralmente, não se acredite que os animais tenham alma, numerosas investigações revelam que sentem amor e ódio, são solidários e inteligentes, distinguem o bem e o mal e, inclusivamente, chegam a manifestar alguma transcendência. A partir desta nova perspetiva, se existe um Além para os humanos, porque não para os animais? Os autores — jornalistas que colaboram em diversos meios de comunicação — recolhem aqui testemunhos emotivos acerca da ligação a partir do outro lado e comunicações entre o mundo dos espíritos e o nosso, facilitadas pelo carinho e a proximidade emocional com os nossos animais de estimação. Pretendem assim partilhar informação sobre um assunto que quase ninguém chega a debater e sobre o qual investigaram profundamente.

JÁ À VENDA



principal-miguel-pedrero-es_med
Miguel Pedrero, escritor e jornalista, é redator e repórter da revista internacional Año Cero, membro da equipa do popular programa de rádio La rosa de los vientos (Onda Cero) e colaborador de Levántate y Cárdenas, o famoso morning show de Europa FM. Escreveu centenas de reportagens de investigação sobre temas tão diversos como o mundo da espionagem, enigmas históricos, conspirações, sociedades secretas ou fenómenos inexplicáveis, e também foi repórter dos programas Espacio en Blanco (Radio Nacional de Espanha) e Milenio (Radio Galega).




principal-carlos-g-fernandez-es_med
Carlos G. Fernández é escritor e jornalista. Atualmente trabalha no jornal galego Diario dePontevedra e colabora semanalmente no programa Milenio da Radio Galega. É autor de centenas de artigos e reportagens sobre temas relacionados com mitos e crenças, assim como sobre fenómenos insólitos.





Onde Todos Observam - o romance de estreia de Megan Bradbury em forma de carta de amor a Nova Iorque

Título: Onde Todos Observam
Autor: Megan Bradbury
N.º de Páginas: 288
PVP: 17,69€
Saída a 18 de julho

Nova Iorque. A capital do século XX. A cidade inspiradora, que seduz, onde todos observam, onde todos estão atentos ao que irá acontecer a seguir.
1967. Robert Mapplethorpe sabe que é artista. Na sua casa de infância, em Queens, anseia pelo calor, pela excitação da cidade, pelos corpos de outras pessoas. Quer ser visto, quer ser célebre. 1891. Walt Whitman já é famoso. Acomodou-se a uma forma de velhice muito sua. Ainda inocente, ainda deslumbrado, viaja com o seu amigo e biógrafo Bucke para a cidade que sempre amou, palco dos seus grandes triunfos e rejeições.
1922. Robert Moses é um homem com uma ideia em mente. Observando à distância a silhueta de Manhattan, antecipa o futuro da cidade. É ele quem vai construir a Nova Iorque moderna.
2013. Edmund White está de regresso à cidade da sua juventude, da sua vida e das suas paixões. No quarto de hotel, recorda com prazer os dias lascivos e as noites de euforia do passado. Mas, entretanto, passaram os anos, cumpriu-se o volver do tempo…
Este é um romance em forma de carta de amor a Nova Iorque, escrito a partir das vidas dos homens e das mulheres que a fazem - as suas vozes e obras de arte são urdidas com tal sensibilidade por Megan Bradbury, que a cidade se eleva das páginas do livro perante os nossos olhos: complexa, tentadora, sempre mutável.

ELOGIOS
«Num livro que é, ele próprio, uma espécie de cidade de palavras, eis uma reflexão bonita e polifónica sobre a sublimação e a transformação do desejo em arte.» Simon Richardson, BBC
«Lindíssimo, caleidoscópico.» Eimear McBride, autora de Uma Rapariga É Uma Coisa Inacabada

Sobre a autora:
Nasceu nos Estados Unidos da América e cresceu no Reino Unido. Licenciou-se em 2005 na University of East Anglia, especializando-se em escrita criativa. Em 2013, recebeu o prémio Escalator Literature pela Writers’ Centre Norwich e uma bolsa de criação artística, com a qual financiou a escrita de Onde Todos
Observam, o seu romance de estreia.
«Acredito que tem de existir uma forma de escrever ficção sobre o real que nos oferece algo que os textos de não-ficção não nos conseguem dar. Quando comecei este romance, senti que, se queria escrever sobre uma Nova Iorque verdadeira, teria de enfrentar a realidade, pois de outra forma a cidade seria somente um espaço geográfico no qual eu faria mexer as personagens.»



quinta-feira, 14 de julho de 2016

«O Silêncio do Mar» finalmente nas livrarias portuguesas

Título: O Silêncio do Mar
Autor:  Yrsa Sigurdardóttir
Género: Literatura / Romance Policial 
N.º de páginas: 448
PVP: € 18,80

O mais assustador e poderoso romance de Yrsa Sigurdardóttir decorre numa viagem entre Lisboa e Reiquejavique.

Sexta-feira, 22 de julho, chega às livrarias portuguesas O Silêncio do Mar, de Yrsa Sigurdardóttir. Segundo a crítica internacional, este é o melhor e mais assustador dos romances da escritora islandesa. Best-seller em todos os países onde já foi publicado, cruza o policial com o sobrenatural.

Em O Silêncio do Mar, a «rainha do noir nórdico» envolve o leitor no mistério de um iate de luxo que chega a Reiquejavique sem a família e a tripulação que nele seguiam a bordo desde Lisboa. Uma nova história da aclamada série de thrillers com a advogada Thóra Gudmundsdóttir no papel de protagonista.

«– Mamã morta. – A vozinha límpida da criança era desconfortavelmente clara. Era a última coisa que Brynjar e, sem dúvida, os outros queriam ouvir naquele momento. – Papá morto. – E ainda piorou. – Adda morta. Bygga morta. – A criança suspirou e agarrou-se à perna da avó. – Todos mortos – concluiu, e começou a soluçar baixinho.»

Foram recentemente adquiridos os direitos para a adaptação cinematográfica de alguns dos livros de Yrsa Sigurdardóttir, sendo que este é apontado como o mais cinematográfico da autora.

O Silêncio do Mar foi galardoado com o Prémio Petrona 2015, que distingue anualmente o melhor romance policial dos países nórdicos.

Sinopse:
«Ægir e a família falaram com a Islândia quando o iate estava a deixar o porto de Lisboa, mas nunca mais se soube deles desde então.»

Um iate de luxo abandona o porto de Lisboa tendo como destino Reiquejavique, na Islândia. Despedindo-se das temperaturas agradáveis da capital portuguesa, a bordo seguem sete pessoas que enfrentarão o frio mar daquele inverno, a caminho do norte.

Porém, daí a alguns dias, quando o barco entra no porto de Reiquejavique, ninguém é encontrado a bordo. O que aconteceu à tripulação e à jovem família que seguia nele ao zarpar de Lisboa? O que se teria passado em Lisboa, ou durante a viagem, que possa explicar o desaparecimento?

Este é o cenário do melhor e mais assustador romance escrito até hoje pela rainha do policial nórdico, Yrsa Sigurdardóttir – um mistério sobre o mar, Lisboa, a família, a fama, negócios obscuros e, como sempre, o mal e a conspiração do ódio.

Sobre a autora:
Yrsa Sigurdardóttir vive com a família em Reiquejavique. É diretora de uma das maiores empresas de engenharia da Islândia. Os seus livros elevam-se aos topos das listas de best-sellers em todo o mundo. Muitos deles estão a ser adaptados ao cinema e à televisão. 




terça-feira, 12 de julho de 2016

Planeta: Novidades Julho

Ficção

Título: A RAPARIGA DO CALENDÁRIO - Livro 2
Autor: Audrey Carlan
1.º livro
N.º de páginas: 368 páginas
PVP: 17,99€
A partir de 20 de Julho

O FENÓMENO DO ANO!
Uma nova história de êxito na auto-publicação.
Mais de 2.500.000 exemplares vendidos da série nos EUA.
1.º LUGAR NO TOP DO THE NEW YORK TIMES,
DURANTE 4 SEMANAS.
Direitos do livro vendidos para 27 países e para série televisiva, pelos mesmos produtores de Gossip Girl.
Audrey Carlan autopublicou online o seu primeiro livro, em Agosto de 2015. O sucesso foi imediato.
A editora norte-americana Waterhouse descobriu o fenómeno e publicou-o em livro - em quatro volumes -, tendo alcançado os tops de venda mais importantes, como o The New York Times e USA Today.
1.º LIVRO – Já à Venda 3.º LIVRO – Setembro 2.º LIVRO – 20 de Julho 4.º LIVRO – Outubro

12 MESES. 12 VIDAS. 1 AMOR
A jornada de Mia Saunders, acompanhante por força das circunstâncias, continua neste segundo volume de A Rapariga do Calendário! Nos três meses que se seguem, Mia viaja para Boston, Oahu e Washington DC.
Em Abril, faz-se passar pela namorada do mulherengo Mason Murphy, um jogador de basebol profissional que precisa de melhorar a sua imagem, e acaba por descobrir que ele não é exactamente aquilo de que estava à espera.
Maio encontra Mia a incendiar o sangue de Tai Niko, modelo fotográfico e intérprete da dança do fogo samoano, enquanto participa numa campanha publicitária que tem como objectivo demonstrar que a beleza não é uma questão de tamanho.
Em Junho, a missão de Mia é servir de enfeite de braço a Warren Shipley, membro do grupo conhecido como Um por Cento.
Enquanto finge ser uma caçadora de fortunas, descobre que Warren tem de facto um coração de ouro. Pena é que o atraente filho, Aaron, senador pela Califórnia, não seja em nada parecido com o pai.
Uma série sedutora, doce e tão escaldante que o seu livro pode derreter.
«Fresca, divertida, e incrivelmente sexy, a série A Rapariga do Calendário vai fazer com se apaixone uma e outra vez e morra de ansiedade por ler o próximo volume.» Meredith Wild, autora da série Hacker, n.º1 do The New York Times

Sobre a autora
Audrey Carlan é autora best-seller do New York Times, USA Today, e Wall Street Journal. Escreve histórias de amor sensuais e eróticas de forma a dar ao leitor uma experiência romântica e sexy. Vive em California Valley com os dois filhos e o amor da sua vida. Quando não escreve, ensina ioga, bebe vinho com suas souls sisters ou está com o nariz enfiado num romance ímpio.

Não Ficção
Título: LISBOA À MESA/COMER EN LISBOA
Guia
Autor: Miguel Pires
N.º de Páginas: 136
PVP: 13,95 €
A partir de 20 de Julho

Esta edição em castelhano é recomendada pelo conhecido chef Quique Dacosta e pelos críticos gastronómicos espanhóis José Carlos Capel e Carlos Maribona.
«Este Lisboa à Mesa, de Miguel Pires, é uma tentativa genuína de apresentar o melhor que Lisboa tem (e esconde) nesta área. E por isso não é um caso raro: é único. Nenhum livro oferece uma uma lista tão actualizada dos restaurantes, lojas, talhos, mercados e até espaços de take-away que vale a pena conhecer em Lisboa. E com uma escrita fluente e informal.» João Cepeda, Time Out Lisboa
Muito mais do que um guia de restaurantes, Lisboa à Mesa é um verdadeiro guia gastronómico da cidade, com os melhores sítios onde comer e onde comprar os melhores produtos e ingredientes, ideal para os residentes e os milhares de turistas que visitam a capital.
Nesta edição em língua espanhola, há 150 entradas com a descrição, a pontuação e a opinião do autor, um dos mais activos e destacados críticos gastronómicos da e um dos responsáveis do blogue Mesa Marcada.
O Guia está organizado por 15 zonas geográficas de Lisboa, e com um sistema de índices para encontrar tudo o que precisa.

Sobre o autor
Nasceu em 1969, em Rio Maior, e vive em Lisboa há mais de 20 anos. Expublicitário, é actualmente blogger, jornalista e crítico de gastronomia. Além de co-autor do blogue Mesa Marcada (mesamarcada.blogs.sapo.pt), cozinheiro amador e activista no Instagram, escreve no jornal Público, nas revistas Wine – Essência do Vinho, Up (TAP) e Prazeres da Mesa (Brasil).
Em 2011 publicou na Planeta a 1.ª edição do presente livro e foi argumentista do programa TV Gosto de Portugal, do canal 24 Kitchen.



ORVIL - O livro ao contrário que os mais pequenos não vão largar!

Título: ORVIL – O Livro ao Contrário 
N.º de Páginas: 144
PVP: 9,99€
Saída 18 julho 

ORVIL – O Livro ao Contrário - é um hilariante e criativo livro de atividades que incentiva os leitores a esquecerem tudo o que sabem para apenas se divertirem, o ideal para as férias de verão! Um livro, ups, um orvil que vai transformar as tuas tardes numa verdadeira diversão.
Achas que consegues escrever o alfabeto, do fim para o princípio e com as letras ao contrário? E desenhar um círculo usando linhas retas? É possível desenhares o teu autorretrato sem levantares a caneta do papel? Estas são apenas algumas das muitas divertidas atividades deste Orvil.
Isto pode parecer um livro (sim, nós sabemos, os livros são uma seca!), mas isto não é um livro, é ao contrário, é um Orvil!
Tens de pensar de cabeça para baixo e de etnerf arap sárt quando estiveres a fazer as atividades. Liga o teu cérebro no modo certo e começa por escrever a mensagem Prometo pensar ao contrário quando usar este Orvil com a mão esquerda, se fores destro, ou com a mão direita, se fores esquerdino!
Vá ENGATA o teu cérebro em marcha-atrás, deixa de ser certinho e vira o mundo do avesso!


«À Margem - A Minha Vida na Intriga Internacional» chega às livrarias a 15 de julho

Título: À Margem - A Minha Vida na Intriga Internacional
Autor: Frederick Forsyth
Género: Memórias
N.º de páginas: 368
Data de lançamento: 15 de julho
PVP: € 17,70

Na próxima sexta-feira, chega às livrarias «À Margem - A Minha Vida Na Intriga Internacional», o livro de memórias de Frederick Forsyth que revela as suas aventuras emocionantes ao longo da sua carreira como espião.
Durante mais de 40 anos, Frederick Forsyth escreveu livros sobre espionagem e intriga e, agora, chega um dos livros mais aguardados pelos leitores: a sua história. Em «À Margem - A Minha Vida Como Espião», o autor conta a sua experiência como piloto da Royal Air Force, jornalista internacional, escritor e espião, passando por situações de enorme perigo ocorridas em períodos marcantes do século XX.
Com um enorme reconhecimento internacional, Frederick Forsyth escapou por pouco à ira de um traficante de armas em Hamburgo, foi metralhado durante a guerra civil da Nigéria e aterrou na Guiné-Bissau a meio de um sangrento golpe de Estado, entre muitos outros episódios igualmente fascinantes.
«A tudo isto assisti de dentro, mas estive sempre à margem», afirma o autor no prefácio de «À Margem - A Minha Vida Como Espião». «Durante anos rejeitei sugestões para escrever uma autobiografia. E continuo a fazê-lo. Isto não é a história de uma vida e muito menos uma justificação pessoal. Mas tenho consciência de que estive menos em demasiados lugares e que vi demasiadas coisas: umas divertidas, outras medonhas, umas comoventes, outras assustadoras.»
«A comparação com James Bond é pertinente… pode muito bem ser o melhor livro escrito pelo autor.» - Daily Mail
«Se há um livro de memórias para ler, este será a extraordinária história de vida de Frederick Forsyth. À Margem, que se lê como um livro do James Bond.» - Irish Independent
«Montes de sexo e subterfúgios, perigos iminentes e escapadelas in extremis, sugestões de envolvimentos com os serviços secretos. Se anda à procura de ação e emoção, aqui tem.» - Country Life

Sinopse:
Frederick Forsyth viu tudo. E viveu para contar.
Aos dezoito anos, Forsyth foi o piloto mais jovem a entrar na Royal Air Force.
Aos vinte e cinco, foi destacado para Berlim Oriental como jornalista durante a Guerra Fria.
Antes dos trinta, estava em África a fazer a controversa cobertura da guerra civil mais sangrenta de que há memória.
Passados três anos, sem dinheiro e sem trabalho, escreveu o seu primeiro romance, aquele que haveria de mudar tudo: Chacal. Nunca olhou para trás.
Forsyth viveu em primeira mão alguns dos momentos mais emocionantes do século passado e viajou pelo mundo, uma e outra vez ao serviço (secreto) de Sua Majestade. Foi baleado, foi preso, foi até seduzido por uma agente secreta.
Esta é a sua história.

Sobre o autor:
Frederick Forsyth tem uma vida cheia de ação, à semelhança do que sucede nos seus livros. Aos 19 anos tornou-se o piloto mais jovem da Royal Air Force, mas depois decidiu seguir uma carreira no jornalismo e juntou-se à Reuters, tendo vivido na Europa continental durante quatro anos. Em 1965 começou a trabalhar na BBC e foi enviado como correspondente de guerra para o Biafra. Em 1969, escreveu o seu primeiro livro, Chacal, baseado na sua experiência como repórter da Reuters em França. Este livro vendeu mais de 10 milhões de exemplares até ao momento e foi
adaptado ao cinema. A partir de então, Frederick Forsyth tornou-se um dos grandes nomes do thriller internacional. Na sua escrita, o autor investiga minuciosamente e usa as suas experiências pessoais e profissionais.


«Crónicas De Uma Pequena Ilha» nas livrarias a 15 de julho

Título: Crónicas de Uma Pequena Ilha
Autor: Bill Bryson
Género: Literatura de Viagem
N.º de páginas: 416
Data de lançamento: 15 de julho
PVP: € 17,70

A Bertrand Editora, a 15 de julho, disponibiliza nas livrarias portuguesas a reedição de «Crónicas de uma Pequena Ilha», um dos títulos de maior sucesso de Bill Bryson.
O livro conta a viagem do autor na Grã-Bretanha, assim como suas as impressões sobre a região e o seu povo. Com um tom descontraído e uma abordagem humorística, Bill Bryson retrata as excentricidades, características e traços de personalidade dos Ingleses neste livro que faz um retrato cultural e social desta pequena ilha.
«O primeiro contacto que tive com a Inglaterra foi em março de 1973, numa noite de nevoeiro, ao chegar no ferry da meia-noite vindo de Calais.», começa o autor por explicar no prólogo. «Durante cerca de vinte minutos, a estação terminal ficou numa perfeita azáfama de carros e transportes de carga em movimento, pessoal da alfândega afadigado no exercício das suas funções e todos a dirigirem-se para a estrada que ia dar a Londres. Depois, subitamente, fez-se silêncio e dei comigo a vaguear por ruas adormecidas, quase sem luz e cheias de nevoeiro, tal como num filme do Bulldog Drummond. Era maravilhosa a sensação de ter uma cidade inglesa só para mim.»
Escrito em 1995, «Crónicas de uma Pequena Ilha» torna-se a companhia ideal para este verão!

Sinopse:
Antes de deixar o Yorkshire para regressar com a família aos Estados Unidos por alguns anos, Bill Bryson insiste em fazer uma última viagem por Inglaterra. O seu objetivo é apreciar os aspetos mais públicos e privados desta fantástica ilha, bem como identificar com exatidão o que é que ele tanto adora no país que inventou a Marmite, em que um
herói do exército tem como último desejo ser beijado na boca por um colega chamado Hardy, ou em que as pessoas dizem «Aahh, que adorável» quando veem uma chávena de chá e um pratinho com bolachas.

Sobre o autor:
Bill Bryson nasceu no Iowa. Viveu em Inglaterra durante vinte anos, altura em que trabalhou no Times e no Independent e escreveu para as principais publicações britânicas e norte-americanas. A sua obra inclui livros de viagens, como Nem Aqui Nem Ali, Crónicas de Uma Pequena Ilha, Diário Africano e Por Aqui Por Ali, livros de divulgação, como Breve História de Quase Tudo, e uma biografia: Shakespeare. Vive nos Estados Unidos, em Hanover, com a mulher e os quatro filhos.
www.billbryson.co.uk


No dia 14 de julho a Porto Editora publica Moonlight Mile, de Dennis Lehane

Título: Moonlight Mile – A última causa
Autor: Dennis Lehane
Tradução: Maria Lúcia Lima
Págs.: 288
PVP: 16,60 €

No dia 14 de julho a Porto Editora publica Moonlight Mile, um novo livro de Dennis Lehane, autor de bestsellers como Mystic River, Shutter Island, e um dos grandes nomes da literatura policial contemporânea americana.
No estilo veloz e sombrio a que Lehane habituou os seus leitores, Moonlight Mile remete à tradição iniciada por Dashiell Hammett e Raymond Chandler. Doze anos depois de levar a cabo a busca pelo paradeiro de Amanda, o detetive de Gone, Baby, Gone (romance que foi adaptado ao cinema por Ben Affleck) regressa neste novo livro para voltar a procurar essa mesma rapariga, agora adolescente. De acordo com o The New York Times, Moonlight Mile é «um prazer renovado frase após frase. Estamos nas mãos de um mestre. E sabemo-lo».

Sinopse:
«Lembra-se de mim?», interroga, do outro lado da linha, a voz que arranca Patrick Kenzie do sono profundo. Uma voz feminina e uma frase em jeito de ameaça: «Encontrou-a uma vez. Volte a encontrá-la. Deve-me isso.»
No dia seguinte, eis que ela surge de novo, no cimo das escadas do metro. Um rosto marcado pelo tempo e pela mão severa do destino. Um rosto que Kenzie não esperava rever. Há doze anos aquela mulher pedira-lhe que encontrasse a sobrinha Amanda, de quatro anos, que desaparecera. Os detetives privados Kenzie e Angie Gennaro tiveram sucesso, mas o caso deixou-lhes um amargo de boca: a menina foi devolvida aos cuidados de uma mãe negligente e alcoólica; e os raptores que, afinal, não queriam mais do que entregá-la a uma família que cuidasse bem dela, foram sentenciados a duras penas de prisão.
Por isso agora que Amanda, com dezasseis anos, desapareceu novamente, Kenzie sente-se obrigado a investigar. Mais a maisporque também ele sabe o que é ter uma filha e o que um pai está disposto a fazer para a ver feliz. A sua investigação será o começo de uma viagem ao coração de um mercado sombrio, onde se traficam identidades e adoções. Um mundo onde o bem pode assumir os contornos do mal, e o mal camuflar-se de bem. Um precipício do qual é melhor não nos aproximarmos muito.

Sobre o autor:
Dennis Lehane nasceu e foi criado em Dorchester, Massachusetts. Antes de se dedicar à escrita a tempo inteiro, trabalhou com crianças com deficiências mentais e vítimas de abusos, foi empregado de mesa, motorista de limusinas, livreiro e carregador. Várias vezes premiadas e traduzidas em 22 línguas, algumas das suas obras foram também adaptadas ao cinema em filmes de grande êxito junto do público e da crítica, como Mystic River, Shutter Island e Gone, Baby, Gone.

Imprensa:
Lehane é brilhante quando escreve sobre laços familiares e sobre o bulício febril de uma cidade. The Guardian
Apesar de anos separarem a publicação de Gone, Baby, Gone e Moonlight Mile, Dennis Lehane não enferrujou a sua escrita. O final é surpreendente e deixa o leitor ansioso por mais. Bookreporter
É impossível dizermos se foi divertido escrever Moonlight Mile; mas que as personagens principais do livro o tornam divertido de ler, disso não há dúvida – mesmo quando a tensão aumenta. Moonlight Mile tem tudo aquilo que os leitores de Lehane esperam: um enredo intricado, muitas reviravoltas, e uma escrita agradável que torna a leitura verdadeiramente compulsiva. A história termina cedo de mais – mas não porque o final seja abrupto ou pouco convincente; aliás, é fantástico. É apenas cedo de mais para abandonarmos a dupla Kenzie e Gennaro. The Denver Post
Um thriller que também é uma sublime história de amor sobre o que realmente importa no grande esquema das coisas. USA Today




Leituras Marcador para o verão

Título: As Rochas
Autor: Peter Nichols
Nº de Páginas: 384
PVP: 18,50€
À venda a partir de 20 de Julho

«O livro deste verão. Uma história de amor literária. Uma inesquecível saga familiar sob o sol do Mediterrâneo.» - The New York Times

Tendo como cenário uma assombrosa e bela paisagem mediterrânica, com os seus olivais a perder de vista, o romance As Rochas recupera um confronto familiar entre expatriados na ilha de Maiorca e procura descobrir um segredo com décadas: qual terá sido o acontecimento misterioso e catastrófico que levou à separação de dois noivos em lua-de-mel, em 1948, de uma forma tão repentina e definitiva que nunca mais voltaram a falar-se, embora ficassem a viver na mesma ilha por mais sessenta anos?

Título: Confissões de Uma Médica
Autora: Sofia Serrano
Nº de Páginas: 248
PVP: 15€
À venda a partir de 20 de Julho

«Ninguém vai ficar indiferente.» Dra. Maria do Céu Santo

PREFÁCIO DO Dr. MÁRIO CORDEIRO

Confissões de uma Médica, escrito na primeira pessoa por uma médica obstetra, leva-nos para a intimidade de alguém que tem a assombrosa missão de trazer ao mundo, todos os dias, novas vidas – tantas vezes salvando aquelas que estão em risco. Relata as peripécias rocambolescas e cómicas de quem passa tanto tempo num hospital, como os amantes que visitam as grávidas antes dos maridos ou as mulheres que se julgam gordas, quando estão, de facto, grávidas de gémeos. Mas, mais do que tudo, é um relato fiel e empolgante de alguém que é apaixonado pelo ofício que escolheu: ajudar a dar à luz, a trazer vida ao mundo – um milagre que nunca deixa de nos espantar.

Título: PORTUGAL DAS MARAVILHAS
Autor: Enrique Pinto-Coelho
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 240
PVP: 17,50€
Já à venda

Um país desconcertante esmiuçado por estrangeiros Enrique Pinto-Coelho é filho de mãe portuguesa e de pai espanhol, criado em Madrid, sempre quis saber mais sobre este lado da fronteira. Como jornalista, pôde percorrer Portugal de lés a lés, aprendendo a desactivar os clichés que aprendera em Espanha sobre os portugueses, e olhando para o país, as suas manias e os seus defeitos e virtudes. Entrelaçando observações pertinentes e humorísticas dos tiques nacionais com relatos históricos que explicam um pouco quem somos este é um livro sobre como os estrangeiros vêem e vivem em Portugal, e um retracto particular das décadas de democracia e de União Europeia.


Título: Furiosamente Feliz
Autor: Jenny Lawson
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 320
PVP: 18,50€

A autora deste livro é realmente “doida” diagnosticada, e como se isso não chegasse, teve que viver com o Pai, taxidermista, a maior parte da sua vida no Texas. Assim decidiu primeiro num blogue e depois com este livro, falar sobre, como essa condição se pode tornar o mote para uma vida (ainda) mais feliz. Nestas páginas carregadas de um humor sagaz e de uma escrita que vai prender o leitor, Jenny consegue por a pensarnos em coisas sérias sempre com um sorriso nos lábios e com uma esporádica lágrima.

Centenas de pessoas conscientes poderiam mudar toda a vida sobre a terra, diz Gurdjieff. Se queremos tornar-nos pessoas conscientes, devemos aprender como mudar-nos a nós mesmos. Com a ajuda do autoconhecimento e uma compreensão da nossa relação com o universo, podemos despertar para um nível mais elevado de ser. Todos os princípios e métodos de transformar o intelecto, emoções e corpo, no sistema conhecido como o Quarto Caminho fundamentais de Gurdjieff, são apresentados neste livro nas suas próprias, palavras claras e precisas preservadas pelos seus alunos mais próximos.
À venda a partir de 3 de Agosto.


O Acordo - o novo livro da estrela do thriller jurídico

Título: O Acordo
Autor: Steve Cavanah
N.º de Páginas:384
PVP: 18,79€

Steve Cavanagh é considerado a nova estrela do thriller jurídico. E o facto de ser um proeminente advogado de Direito Civil confere aos seus livros um realismo entusiástico, que tem conquistado as críticas da imprensa internacional.
O seu romance de estreia – A Defesa – também publicado pela Topseller, valeu-lhe ser considerado uma Amazon Rising Star em 2015.
«Steve Cavanagh oferece-nos tudo o que podemos desejar num thriller!» Publishers Weekly
«Uma trama inteligente, repleta de ação a um ritmo alucinante!» The Times
O Acordo é um livro trepidante, pleno de ação genialmente orquestrada, e que vem confirmar Steve Cavanagh como o novo grande mestre do thriller jurídico.
Uma prestigiada empresa de advocacia nova-iorquina, a Harland & Sinton, há muito que pratica fraudes graves a nível global. Quando David Child, um grande cliente desta firma, é preso e acusado de homicídio, o FBI procura Eddie Flynn para que este aceite a defesa de Child e o convença a testemunhar contra a empresa.
Eddie Flynn não é o tipo de homem, nem de advogado, que se preste a defender alguém culpado. Mas o FBI reuniu provas incriminatórias contra a sua própria mulher, que trabalha na Harland & Sinton…
A ética pela qual Eddie se rege ganha, de súbito, novos contornos. Se não aceitar, será ela a pagar. David Child tem de aceitar um acordo. É a única forma de a mulher de Eddie ficar longe das ameaças, quer do FBI quer da própria empresa. E Eddie fará tudo para que isso aconteça.

Sobre o autor:
Nasceu e cresceu em Belfast, na Irlanda do Norte, e aos 18 anos mudou-se para Dublin onde estudou Direito, por engano. A sua decisão era seguir Marketing e Gestão mas uma confusão nos horários das matrículas fê-lo inscrever-se no curso errado. Este poderá ter sido um engano com sentido, já que Steve Cavanagh se tornou um proeminente advogado de direito civil, envolvido em casos de especial relevância.
Steve também dá palestras sobre temas legais, mas do que ele gosta mesmo é de contar piadas. É casado e tem dois filhos. A Defesa é o seu romance de estreia, que lhe valeu ser considerado uma Amazon Rising Star em 2015.



segunda-feira, 11 de julho de 2016

Assim começou a Reconquista - A Grande Aventura do Reino das Astúrias

O nascimento do reino das Astúrias no seio da Espanha muçulmana foi uma empresa titânica de resistência e sobrevivência. Uma das aventuras mais fascinantes, não só da história de Espanha, mas também da história Universal. Se bem que pareça inconcebível que um punhado de rebeldes cristãos conseguisse formar um reino independente no norte da Península face ao maior poder do seu tempo, e, depois, estendê-lo para sul num tenaz labor de repovoação, foi isso que aconteceu em torno de Covadonga, entre as Astúrias e a Cantábria, a partir do ano 722.

Como foi possível semelhante proeza? Quem foram os seus autores? Como se chamavam os heróicos pioneiros que começaram a conquistar terras para sul, mais graças às suas enxadas do que às suas espadas? José Javier Esparza submerge-nos naquela época extraordinária, onde todos os dias se jogava a sobrevivência de uma civilização.


Sobre o autor: 

principal-jose-javier-esparza-es_medJosé Javier Esparza (Valencia, 1963) é jornalista e escritor. Há anos que, através da escrita, tem-se empenhado em reconstruir a identidade espanhola a partir da sua História.

O sucesso da sua trilogia A Reconquista (de que este livro é o primeiro volume) é prova disso mesmo, pois vendeu dezenas de milhares de exemplares em Espanha.

Na mesma linha tem inúmeros romances sobre os primeiros tempos da Reconquista.






No próximo dia 14 de julho, a Porto Editora publica Eva, o novo romance de Wm. Paul Young


Título: Eva
Autor: Wm. Paul Young
Tradução: Leonor Bizarro Marques
Págs.: 264
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

No próximo dia 14 de julho, a Porto Editora publica Eva, o novo romance de Wm. Paul Young. No estilo que conquistou milhares de leitores com A Cabana, em que questionava a relação com Deus e a influência da sua bondade, Eva revisita o mito bíblico do Génesis e dos primeiros habitantes do Jardim do Éden. Neste romance, o autor promete desafiar a perceção sobre a história da Humanidade e também sobre a visão da relação entre homem e mulher, tal como é “vista pelo Criador”.
Recorde-se que A Cabana, o livro que colocou Wm. Paul Young nas listas de autores bestseller, foi escrito em 2005, para explicar aos seis filhos de que forma lidou com as tragédias da sua própria vida. Originalmente uma edição de autor para familiares e amigos, tornou-se num êxito avassalador, lido e discutido em todo o mundo. Em março de 2017, a história deste sucesso continua, com a chegada da adaptação ao cinema.

Sinopse:
Lilly Fields é encontrada quase sem vida, muito maltratada, física e emocionalmente. Quando acorda, não reconhece o lugar onde está e não se lembra do seu passado. Aos poucos descobre que está no Refúgio, um lugar especial, diferente de tudo o que conhecera, e que John está a cuidar da sua recuperação.
Ao longo de um difícil processo de cura, Lilly vive uma experiência inimaginável: testemunha a Criação e o Pecado Original. Em pleno Jardim do Éden, lado a lado com os personagens do Livro do Génesis, percebe que a história de Adão e Eva, que condenou a Mulher ao sofrimento eterno e trouxe ao Mundo todos os males, não se passou exatamente da forma como a conhecemos.
O que Lilly descobre promete desafiar a crença na história da Humanidade e transformar a relação entre o Homem e a Mulher.

Sobre o autor:
Wm. Paul Young nasceu no Canadá e foi criado pelos pais missionários no seio de uma tribo indígena da antiga colónia holandesa da Nova Guiné Ocidental. Sofreu grandes perdas durante a infância e o início da idade adulta, mas atualmente vive «em estado de graça» com a família, no Noroeste dos EUA.
É autor dos bestsellers do The New York Times, A Cabana, obra recordista de vendas, e A Travessia.


Salva-me, o novo livro da autora bestseller Maya Banks

Título: Salva-me 
Autor: Maya Banks
N.º de Páginas: 368
PVP: 18,79€

Depois da publicação de Protege-me, o primeiro volume da série Slow Burn, Salva-me é o novo livro de uma das escritoras de romances eróticos mais vendida em Portugal.

«A escrita de Maya Banks é qualquer coisa indescritível!» Examiner.com
«Mal posso esperar pela próxima “viagem” com a Maya Banks!» USA Today

Salva-me tem um pulsar intenso que perpassa toda a história. Uma leitura arrebatadora e compulsiva.
Abandonada à porta de um casal milionário e influente quando era apenas um bebé, Arial Rochester cresceu num mundo cheio de privilégios, sem qualquer ligação à sua família biológica ou ao seu passado.
Algo único diferenciava-a das pessoas que conhecia, e também a isolava: o poder psíquico que possuía e do qual ninguém, além dos pais adotivos, tinha conhecimento. Embora solitária, Arial tinha uma vida calma e feliz até os seus pais adotivos desaparecerem e Beau Devereaux entrar na sua vida.
Contratado por Arial, Beau é surpreendido pelo desejo avassalador que sente pela sua cliente. O que começa como um simples trabalho de segurança, rapidamente se transforma em algo pessoal, e Beau descobre que está disposto a tudo para a proteger. Mesmo que isso lhe custe a própria vida.

Sobre a autora:
Maya Banks é uma autora norte-americana que conta com mais de cinquenta livros publicados ao longo da sua carreira.
Os seus livros têm sido presença constante nas listas de bestsellers do New York Times e do USA Today, mantendo-se nos tops de vendas durante semanas consecutivas.
Depois de Protege-me, Salva-me é o segundo volume de Slow
Burn, a nova série da autora.
Saiba mais em www.mayabanks.com.




No Rasto das Medusas - Uma maravilhosa viagem pelas grandes descobertas da vida

Título: No Rasto das Medusas
Autor: Ali Banjamin
N.º de Páginas: 288
PVP: 14,99€

No Rasto das Medusas , o primeiro livro de Ali Banjamin, depressa conquistou o público e se tornou um bestseller do New York Times, chegando a finalista do National Book Award e do GoodReads Choice Award. Um livro intenso e emocionante. Uma maravilhosa viagem pelas grandes descobertas da vida.
A Suzy sempre foi uma rapariga inteligente e curiosa, e sabe coisas que os outros nem imaginam. Ela é capaz de explicar os padrões de sono das formigas. Sabe que há 150 milhões de picadas de medusas todos os anos. Sabe que em todos nós há cerca de 20 mil milhões de átomos shakespearianos. No entanto, não consegue compreender como é que a vida da sua melhor amiga, a Franny, foi interrompida tão repentinamente…sem explicação.
Ao contrário do que todos dizem, a Suzy está convencida de que a explicação para o desaparecimento da Franny está relacionada com a picada de uma espécie de medusa muito especial. Mas a pessoa que pode ajudá-la a provar a sua teoria vive do outro lado do mundo. Ainda assim, isso não demove a Suzy e, enquanto planeia a sua viagem, recolhe-se num mundo de silêncio, onde aprende coisas maravilhosas sobre o universo que a rodeia e as pessoas à sua volta. A Suzy até pode ter os seus próprios planos, mas o universo também lhe reservou algo que vai mudar a sua vida.
Ainda que nem todas as histórias tenham um final feliz, há sempre novas histórias à espera de acontecer, por vezes onde menos esperamos.

Sobre a autora:
«Um brilhante exemplo dos altos e baixos do início da adolescência.» Publishers Weekly
«Comovente e escrito de forma inteligente, este primeiro livro da autora estende-se muito além do público mais jovem.» Kirkus Reviews
«A sensibilidade de Ali Benjamin é extraordinária. (…) Os leitores vão mergulhar completamente nesta história sincera e soberbamente escrita.» School Library Journal
«A narrativa intimista e escrita na primeira pessoa torna a leitura absorvente.» Booklist
«Muitos jovens podem beneficiar com este livro, e ainda ficarão deslumbradas com ele.»New York Times Book Review

Elogios: 
Ali Benjamin cresceu na periferia de Nova Iorque, numa antiga e invulgar casa que os vizinhos achavam estar assombrada. Em criança, passava horas a caçar insetos e sapos. Já em adulta, escreveu para as revistas The Boston Globe Magazine eMartha Stewart’s Whole Living, e para o famoso programa infantilRua Sésamo.
No Rasto das Medusas, o seu primeiro livro, surgiu precisamente do seu fascínio pelo mundo natural. É um bestseller do New York Times e chegou a finalista do National Book Award e do GoodReads Choice Award. Atualmente, vive num idílico ambiente rural, no Massachusetts, com o marido, dois filhos e um cão. Sabe mais sobre a autora em: www.alibenjamin.com

Sarah MacLean revela-nos quem é o Anjo Caído

Título: Um Anjo Caído
Autor: Sarah MacLean
N.º de Páginas: 384
PVP: 18,79€

Depois da publicação de Um Marquês Irresistível, Um Conde Apaixonante (ambos vencedores do Prémio RITA para Melhor Romance Histórico) e Um Duque Glorioso, Um Anjo Caído completa a publicação da série Rules of Scoundrelds, da autora bestseller que já conquistou as leitoras portuguesas.

«Os leitores vão ficar surpreendidos com a revelação deste livro e vão aplaudir o arrebatador final.» Publishers Weekly
«Brilhante, sedutor e intensamente envolvente.» Library Journal «Best Books of 2014»
«Uma extraordinária série com um enredo inteligente, uma escrita apurada e uma sensualidade exuberante. Um final em grande.» Kirkus Reviews
«Inteligente, sexy e sempre romântica.» Julia Quinn, autora bestseller internacional

Durante o dia, Lady Georgiana é conhecida pela aristocracia como a irmã de um duque, rejeitada pela família por ter caído em desgraça com o pior tipo de escândalo possível: ter-se apaixonado por um homem sem título e dele ter tido uma filha. Mas a verdade é muito mais chocante do que isso!
Nos recônditos mais obscuros de Londres, Lady Georgiana é Chase, o misterioso e temido fundador do clube de jogo mais exclusivo da cidade, O Anjo Caído. Circulando disfarçada todas as noites pelo clube, ela conhece os piores segredos das figuras da sociedade e tem-nas na palma da mão. Durante anos a sua dupla identidade nunca foi descoberta… Até agora!
Brilhante, inteligente e irresistível, o jornalista Duncan West está intrigado com esta bela mulher, que descobre estar ligada a um mundo de trevas e pecado. Ele sabe que Georgiana é mais do que aparenta ser e promete descobrir todos os segredos deste «anjo caído», expondo o seu passado, ameaçando o seu presente e pondo em risco tudo o que ela tem de mais valioso. Incluindo o seu coração.

Sobre a autora:
Sarah MacLean nasceu em Rhode Island, na costa leste dos Estados Unidos. Autora bestseller do New York Times e do USA Toda, desde adolescente que desejou ser romancista. O seu amor pela ficção histórica levou-a a formar-se em História da Europa no Smith College, em Massachusetts, e em Ciências da Educação, na Universidade de Harvard. Mudou-se para Nova Iorque para se dedicar à carreira na escrita.
É colunista no Washington Post e venceu duas vezes o Prémio RITA para Melhor Romance Histórico, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance, com os livros Um Marquês Irresistível e Um Duque Glorioso (Topseller). Publicada em mais de 20 línguas, Sarah MacLean rapidamente conquistou as leitoras portuguesas, tendo o livro Um Marquês Irresistível esgotado rapidamente.



Quetzal Editores lança «Bicha» de William S. Burroughs

Título: Bicha
Autor: William S. Burroughs
Género: Literatura / Romance
N.º de páginas: 192
Data de lançamento: 8 de julho
PVP: € 16,60

Na passada sexta-feira, chegou às livrarias portuguesas o desconcertante Bicha/Queer, um dos romances mais importantes da carreira de William S. Burroughs. Escrito em 1952, depois da morte acidental da sua mulher por uma arma de fogo, Bicha foi publicado apenas em 1985, acabando por se tornar num clássico da Geração Beat.
Com uma enorme carga pessoal e uma forte componente política, este livro acompanha um homem na procura da identidade e reconhecimento na sociedade. Mas Bicha é muito mais do que a procura do «eu»: é uma narrativa que mergulha na fantasia e no inesperado, deixando o leitor desconcertado e indignado, mas capaz de soltar as mais autênticas gargalhadas.
Passada no México dos anos 40, Bicha conta uma história de amor não correspondido, no qual Lee, o protagonista, tenta chamar a atenção de Eugene, outro jovem norte-americano. A história desenrola-se em torno de vários bares e pontos de encontro homossexuais nos quais Lee passa os seus dias entre bebidas e drogas. Prendendo a atenção com um humor inusitado e inteligente, Bicha/Queer tornou-se um livro de leitura obrigatória.

Sinopse
É implacavelmente pessoal, mas também deslumbrantemente político, uma narrativa de aspeto realista que irrompe nas mais fantásticas fantasias, incluindo matérias de tom tão indeterminado que é difícil saber se havemos de desatar aos uivos de riso ou de consternação. Uma vez que não há livros «convencionais» [straight] na obra de Burroughs – cada um deles podia intitular-se Queer – o seu segundo romance é perversamente típico e corresponde ao significado do título como substantivo (homossexual – usado pejorativamente ou com orgulho), adjetivo (esquisito, falso, dúbio), e verbo (frustrar,irritar, desorientar). É verdade que, desde a sua escrita em 1952 até à sua publicação tardia em 1958 e à reputação que o acompanhou ao longo dos vinte e cinco anos que se seguiram, tudo em Queer é desconcertante.
O tiro que matou Joan Vollmer teve um peso imenso na lenda de Burroughs e dos círculos Beat por razões óbvias, mas a associação dessa morte ao segundo romance só veio a fazer-se por volta de 1985, graças a duas linhas, que são mais citadas do que quaisquer outras que Burroughs tenha escrito: «O livro é motivado e moldado por um acontecimento que nunca é mencionado, antes é de facto cuidadosamente evitado: a morte acidental da minha mulher, Joan, com um tiro, em setembro de 1951»; e: «Sou forçado a chegar à perturbante conclusão de que nunca viria a tornar-me escritor se não fosse a morte de Joan.» [Da introdução, de Oliver Harris]

«O humor negro, a energia avassaladora e a visão inquietante deste escritor empurraram-no para dentro da nossa consciência e da nossa história da literatura.» - The New York Times -

Sobre o autor
William S. Burroughs nasceu em 1914 no Missouri. O seu primeiro e mais autobiográfico romance, Junky, é o retrato clássico do constante ciclo da dependência das drogas de que foi vítima toda a sua vida. Em 1951, ao fazer o número de um Guilherme Tell bêbado e exibicionista, matou acidentalmente a mulher com quem era casado. Membro fundador do movimento Beat, Burroughs celebrizou-se através do cut-up, método de escrita que utilizou no romance Naked Lunch (Festim Nu), mas também da sua intervenção noutras área, como a pintura, ou as artes performativas. Morreu em 1997. A Quetzal publicou anteriormente E os Hipopótamos Cozeram nos Seus Tanques e Cidades da Noite Vermelha.


Novidade Topseller: O Fim do Silêncio não vai deixar ninguém indiferente

Título: O Fim do Silêncio
Autor: Suzanne Redfearn
N.º de Páginas: 320
PVP: 17,69€

«Este romance cinematográfico, com um ritmo intenso, sobre uma família disfuncional moderna, contém doses de ação, ansiedade e medo. Uma narrativa inteligente e repleta de suspense.» Publishers Weekly
«No seu romance de estreia, Suzanne Redfearn aumenta a tensão de página em página. Cada personagem esconde algo e cada revelação surpreendente adensa o enredo.» Kirkus Reviews
«Recheado de diálogos claros e eficientes, e de cenas verosímeis, este livro conta uma história universal. Com partes iguais de suspense e ação, a história flui facilmente dentro de um enredo bem definido, tornando este romance uma impressionante e cativante leitura.» RT Book Reviews

Sobre o livro:
Para escrever este livro de ficção, a autora inspirou-se na história bem real de uma amiga.
“Tenho uma vida, mas… e se? As palavras mais provocadoras, causa de contemplação e reflexão infindáveis, e inspiração para O Fim do Silêncio.
Todos pensam que ela tem o casamento perfeito.
Só ela sabe que é mentira.
Jillian tem uma carreira sólida, o casamento perfeito, um marido que todas invejam e dois filhos lindos. Ela é um exemplo para todos.
Só que nem tudo é o que parece, e a realidade dela é assustadora. Violência doméstica, desprezo emocional, alcoolismo... A vida de Jill é um filme de terror constante.
Subitamente, o seu pior pesadelo torna-se realidade: num ato de desespero, vê-se obrigada a fugir com os dois filhos, sem dinheiro ou plano de fuga.
Quando o marido a acusa de sequestro, tem início um duelo desigual, em que de um lado está a polícia e agentes federais que procuram os menores raptados, e do outro uma mulher determinada a fazer tudo para proteger aqueles que mais ama.
A única arma de Jillian é a verdade, mas ninguém parece acreditar nela...

Sobre a autora:
Suzanne Redfearn nasceu e cresceu na costa leste dos EUA, tendo-se mudado para a Califórnia com quinze anos. Mora com o seu marido, dois filhos, um cão e um gato.
Antes de enveredar pela escrita, Suzanne era arquiteta especialista em espaços residenciais e comerciais.
Saiba mais sobre a autora em www.suzanneredfearn.com


VOGAIS: Rainhas Trágicas: Quinze Mulheres que Moldaram o Destino da Europa

Uma viagem pelos perigos e paixões das mulheres que dominaram a Europa, do século XVI ao século XIX.

Uma rainha deveria ser recatada, inspirar respeito e ser modelo de virtude para todas as mulheres do reino. Enquanto princesa, recebia uma educação que a preparasse para servir ao marido e ao Estado. Uma vez esposa do monarca reinante, a sua principal obrigação era prover a coroa de herdeiros varões.

Contudo, algumas soberanas decidiram romper com o padrão de retidão feminina que lhes fora imposto, adotando uma nova conduta social, o que implicou uma reavaliação de papéis dentro da própria instituição.

Em Rainhas Trágicas: Quinze Mulheres que Moldaram o Destino da Europa (Vogais l 384 pp l 18,79€), o historiador Renato Drummond Neto traz ao leitor a vida de 15 soberanas que deixaram a sua marca na História, tais como Ana Bolena, Mary Stuart, Maria Antonieta, Maria I de Portugal ou Carlota Joaquina, e mostra de que forma transcenderam as regras do período em que viveram, pagando, por vezes, um preço demasiado alto. São diferentes perfis de mulher que, apesar de parecerem distintos, se complementam, mostrando, assim, a força e o poder feminino no regime monárquico.

Conheça as vidas de:
• Isabel de York • Margarida de Valois • Isabel I de Castela

• Vitória I do Reino Unido • Joana I de Castela

• Maria I de Portugal • Ana Bolena • Maria I de Inglaterra

• Elizabeth I • Mary Stuart • Catarina de Médici

• Maria Antonieta de Habsburgo-Lorena

• Carlota Joaquina de Bourbon • Maria Leopoldina da Áustria

• Amélia de Leuchtenberg

A VOGAIS disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

  



Sobre o autor:
Renato Drummond Neto é historiador, licenciado pela Universidade Estadual de Santa Cruz e mestrando em Memória: Linguagem e Sociedade, pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Mantém, desde 2012, o site Rainhas Trágicas, dedicado à vida de mulheres célebres que deixaram a sua marca na História, além de colaborar com outras publicações relativas ao tema. Saiba mais em www.rainhastragicas.com.