sábado, 5 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A partir de agora tem Sete Dias para Se Apaixonar

Título: Sete Dias para Se Apaixonar
Autor: Tessa Dare
N.º de Páginas: 320
PVP: 15,98€

Depois da publicação da série Castles Ever After (Romance com o Duque, A Noiva do Marquês e A Prometida do Capitão), a Topseller dá continuação à publicação da obra de uma das autoras preferidas das leitoras portuguesas. Depois de Uma Noite para se Render, a nova série Spindle Cove continua emSete Dias para Se Apaixonar .
Tessa Dare é uma autora norte-americana, bestseller doNew York Times e do USA Today, que já conta com vários romances históricos publicados. Os seus livros foram alvo de vários elogios e prémios, incluindo o Prémio RITA para Melhor Romance Histórico, atribuído em 2015 pela Associação Americana de Escritores de Romance, e prémios da Amazon e das revistasKirkus e RT Book Reviews.
A revista Booklist nomeou-a «uma das novas estrelas do romance histórico» e os seus livros já foram traduzidos para 12 línguas. Bibliotecária de formação e amante de livros, Tessa Dare vive na Califórnia com o marido e os dois filhos.
Saiba mais sobre a autora em www.tessadare.com.

SOBRE SETE DIAS PARA SE APAIXONAR SPINDLE COVE É UMA VILA PARA DONZELAS EM RISCO DE SEREM SEDUZIDAS PELOS CAVALHEIROS ERRADOS.
Minerva Highwood, uma inteligente e determinada geóloga, habitante de Spindle Cove, está a planear uma viagem à Escócia para apresentar uma grande descoberta num simpósio de relevo. Mas uma mulher solteira e de boas famílias não pode viajar sozinha. E só uma pessoa a poderá ajudar. Lorde Colin Payne, um conhecido libertino, está ansioso por voltar Londres, agora que a guerra acabou.
Porém, sem dinheiro, não tem como sair da vila. Minerva Highwood tem a solução para o seu problema, mas para isso ele terá de a acompanhar até Edimburgo.
ESTÃO REUNIDOS OS INGREDIENTES PARA UM VERDADEIRO ESCÂNDALO.
Estes parceiros improváveis embarcam numa viagem de quase 700 quilómetros, tentando convencer as respetivas famílias de que estão apaixonados e que fugiram para casar. Ao longo de sete dias, eles terão de partilhar uma carruagem e… uma cama, sem se matarem.
Será que vão conseguir chegar ao destino inteiros?
Ou ficarão perdidos de amor pelo caminho?


Nove personagens que podiam morar em nossa casa. Um romance de Ana Zanatti

Título: E onde é que está o Amor?
Autor:  Ana Zanatti
N.º de Páginas: 136
PVP: 9,00 €
Ficção/Romance
Nas livrarias a 9 de Novembro
Guerra e Paz Editores | Clube do Livro SIC

Sinopse
Seis mulheres e três homens reúnem-se para confessar o que lhes parece inconfessável. Casamentos falhados, amores que não se cumprem, ciúme, traição, medo, frustração, erotismo, solidão. De tudo se fala nessa tarde, num encontro transformador do qual ninguém sai como entrou.

Sobre a autora:
Ana Zanatti. Nasceu em Lisboa, em 1949. Estudou na Faculdade de Letras e cursou Teatro no Conservatório Nacional. Conta com 45 anos de actividade como actriz de teatro, cinema e televisão, apresentadora de televisão e locutora de rádio, tendo o seu trabalho sido diversas vezes premiado. É também autora de séries e programas televisivos, tradutora e adaptadora de peças teatrais, autora de canções e de crónicas em jornais e revistas, tendo escrito ainda contos e poemas publicados em diversas colectâneas e revistas literárias. É autora dos romances Os Sinais do Medo (Dom Quixote, 2003) e Agradece o Beijo (Dom Quixote, 2005). Os contos infantis O Segredo da Romã, O Planeta Adormecido e A Grande Travessia (2006, 2007 e 2008, Dom Quixote), da trilogia O Povo Luz e os Homens Sombra, e Teodorico e as Mães Cegonhas (Objectiva, 2011) são também da sua autoria. O Sexo Inútil (Sextante, 2016) é a sua obra mais recente.

Mais recente livro protagonizado por Gordiano, o Descobridor, já chegou às livrarias

Título: A Ira das Fúrias
Autor: Steven Saylor
Género: Literatura / Romance
Tradução: Paulo Barata
N.º de páginas: 344
PVP: € 16,60

Já está nas livrarias portuguesas o mais recente livro de Steven Saylor, «A Ira das Fúrias», uma prequela da série «Roma Sub Rosa». Neste novo título, o autor desafia os leitores a acompanhar o ainda jovem Gordiano, o Descobridor, numa aventura passada num autêntico cenário bélico, em 88 a.C.
Em «A Ira das Fúrias», o protagonista Gordiano, o Descobridor, encontra-se numa perigosa teia enquanto todo o mundo parece estar em guerra: o Ocidente depara-se com uma rebelião contra Roma e o Oriente assiste à conquista de províncias asiáticas romanas. Neste panorama, Gordiano tece um plano para ajudar Antípatro e para decifrar um mistério oculto deixado por este seu amigo de longa data.
À semelhança dos seus restantes livros, também neste Steven Saylor deixa transparecer o seu fascínio pela Antiguidade Clássica e pelo Império Romano que determinou o caminho civilizacional que hoje se conhece e ainda se percorre. Ao longo da sua obra, o autor assume o papel de contador de histórias, cruzando esta capacidade de recriar momentos históricos com uma enorme minúcia com a competência de criação de personagens e ambientes altamente convincentes, o que resulta em narrativas ricas em pormenores e História.
Segundo o USA Today, “(…) Este pode muito bem ser o melhor livro de Saylor, um livro que revela simpatia por todos, ao mesmo tempo que nos convida a refletir acerca da capacidade aparentemente ilimitada do ser humano para fazer coisas horríveis”.

Críticas na Imprensa Internacional:
«As características de marca de Saylor são a meticulosa recriação das animações das ruas de Roma e um leque brilhante de personagens.” The Sunday Times
«Um excelente contador de histórias, com um extraordinário talento para a reconstrução histórica.» Times Literary Supplement

Sinopse:
No ano de 88 a.C., o mundo inteiro parece estar em guerra. No Ocidente, os estados italianos rebelam-se contra Roma; no Oriente, Mitrídates marcha, conquistando as províncias asiáticas romanas. Até mesmo em Alexandria, que continua relativamente calma, um golpe de estado levou ao poder um novo faraó, instalando o caos nas ruas.
O jovem Gordiano espera, com Bethesda, o fim do caos em Alexandria, mas recebe uma mensagem cifrada do seu antigo tutor e amigo, Antípatro. Agora em Éfeso, como membro da comitiva de Mitrídates, Antípatro está convencido de que a sua vida se encontra em perigo iminente.
Para o salvar, Gordiano concebe um esquema ousado e astuto para se pôr «atrás das fileiras dos inimigos» e deixar Antípatro em segurança – porém, poderosas forças mortais têm os seus próprios planos para Gordiano. Não sabendo bem se ele próprio é um decisor ou um peão, o jovem terá de desvendar o mistério oculto na mensagem para se poder salvar a si e à pessoa que lhe é mais querida.

Sobre o autor:
Steven Saylor sempre se deixou fascinar pela Antiguidade Clássica. Este fascínio, diz o próprio, começou com os grandes épicos do cinema que povoaram a sua infância (Cleópatra, Espartacus, Ben Hur) e consolidou-se com a sua licenciatura em História pela Universidade do Texas, passando pelas suas participações no canal História como perito em política e cultura romanas. Para os leitores, os títulos que publicou na série «Roma Sub Rosa» são o melhor fruto do fascínio de Saylor por um império que começou a desbravar o caminho civilizacional que ainda hoje percorremos.
www.stevensaylor.com


sexta-feira, 4 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora: Emma Cline - A estreia mais selvagem, magnética e perturbadora dos últimos anos

Título: As Raparigas
Autor: Emma Cline
Tradução: José Vieira de Lima
Págs.: 272
PVP: 16,60 €

As Raparigas, da jovem americana Emma Cline, oferece-nos uma reflexão perturbadora sobre uma das seitas que mais chocou a América
O livro de estreia do mais jovem fenómeno do mundo literário está a chegar a Portugal. As Raparigas, de Emma Cline, é um romance que tem vindo a encantar a crítica e os leitores dos 35 países para onde os direitos de publicação foram contratados ainda antes de ser publicado nos EUA. Às livrarias nacionais chega a 10 de novembro, com chancela da Porto Editora. Nos temas centrais de As Raparigas estão as ansiedades e fragilidades da adolescência e, para o tratar, a autora inspira-se no famoso caso de Charles Manson e o seu grupo de raparigas que, apesar dos aparentes valores de paz e amor, seguem uma vida de crime.
Emma Cline, californiana de 27 anos, apresenta-nos assim um romance «elegante e inteligente, extraordinariamente bem escrito, com frases deslumbrantes» (The New Yorker) e mostra que é uma escritora «de importância e ambição» (El País).

Sinopse:
Califórnia. Verão de 1969. Evie, uma adolescente insegura e solitária, avista um grupo de raparigas no parque e fica fascinada com a aura de abandono que as envolve: vestem-se de forma descuidada, andam descalças e parecem levar uma existência feliz à margem das convenções. Dias depois, Suzanne, uma das raparigas, convida Evie a acompanhá-la até às montanhas, ao rancho isolado onde vive numa comunidade organizada em torno de Russell, músico frustrado e líder carismático. Desesperada por ser aceite, Evie mergulha numa espiral de drogas e amor livre. Porém, à medida que se vai afastando da mãe e das rotinas da vida, e à medida que a sua obsessão por Suzanne se intensifica, Evie não se apercebe de que está a um passo de uma violência inimaginável, a caminho daquele momento na vida de uma rapariga em que uma simples escolha pode determinar o futuro. Um retrato excecional da fragilidade adolescente, uma reflexão sobre as decisões que nos marcarão toda a vida e uma evocação daqueles anos de paz e amor em que germinava um lado obscuro…

Imprensa:
Cativante […] a forma como Emma Cline traça habilmente a topografia do coração devastado da adolescência. The New York Times Book Review
As Raparigas é um romance brilhante – não apenas para um escritor tão novo, mas para qualquer escritor. Richard Ford
Romances de estreia como este são raros […]. A capacidade de Emma Cline de articular as ansiedades da adolescência, numa linguagem poética que não deturpa a autenticidade da consciência de uma adolescente, é sem dúvida o maior mérito deste romance. The Washington Post
Uma autora que entende as coações tácitas subjacentes a qualquer relação. Um romance tenso, duro e profundo. The Guardian
Elegante e inteligente, extraordinariamente bem escrito, com frases deslumbrantes. Emma Cline é uma estilista de grande talento. The New Yorker
Um choque literário. Le Figaro Magazine
Deslumbrante. Paris Match

Sobre a autora:
Emma Cline nasceu em Sonoma, na Califórnia, em 1989. Trabalhou como leitora para o The New Yorker e tem publicado textos de ficção em revistas como Tin House ou a The Paris Review, que em 2014 a galardoou com o Plimpton Prize. As Raparigas, o seu primeiro romance, tem recebido uma grande aceitação internacional, tendo os direitos de tradução sido negociados já para 25 países, prevendo-se também uma adaptação cinematográfica pela mão do produtor Scott Rudin.



«Sangue Infernal», de James Rollins e Rebecca Cantrell, hoje nas livrarias

Título: Sangue Infernal
Autores: James Rollins e Rebecca Cantrell
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Miguel Freitas
N.º de páginas: 512
Data de lançamento: 04 de novembro
PVP: € 18,80

O terceiro e último livro da trilogia Sanguinistas
Suspense, surpresa, mistério e muita ação em cada página folheada. Um final explosivo para o terceiro e último livro da trilogia Sanguinistas, de James Rollins e Rebecca Cantrell.
Sangue Infernal chega às livrarias esta sexta-feira, dia 4 de novembro, sendo um livro muito aguardado por todos aqueles que acompanham a série.
Nas palavras do jornalista Mark Rubinstein, do Huffignton Post: «O passado e o presente encontram-se em Sangue Infernal. Trata-se de um romance gótico, que envolve um mistério sobrenatural e uma profecia apocalíptica. Uma vaga de homicídios macabros varre a Terra e Erin Granger tem de decifrar a verdade por detrás da profecia imortal descoberta no primeiro livro desta série, Evangelho de Sangue. Mais uma vez, a ciência, o mito, a história e a religião voltam a juntar-se neste volume final, numa demanda cheia de adrenalina em busca da salvação da humanidade.»
Numa obra-prima de mistério sobrenatural e profecias apocalípticas, James Rollins e Rebecca Cantrell, ambos autores best-sellers do New York Times, concluem a sua extraordinária trilogia, que decorre entre os mundos da sombra e da luz, da salvação e da danação…

Sinopse:
Enquanto uma escalada de homicídios assola o globo, a arqueóloga Erin Granger tem de decifrar a verdade por detrás de uma profecia imortal narrada no Evangelho de Sangue, um livro escrito por Jesus Cristo que esteve perdido durante séculos.
Na iminência do Apocalipse, Erin tem novamente de unir esforços a Jordan Stone, sargento do exército, e ao padre Rhun Korza. Juntos irão procurar um tesouro perdido há milénios. A demanda pela chave da salvação leva-os a atravessar o globo e os séculos, desde as prateleiras empoeiradas dos arquivos secretos do Vaticano até laboratórios medievais perdidos, onde alquimias antigas eram usadas com fins tenebrosos. Durante todo este tempo, são perseguidos por criaturas de uma astúcia e um talento insólitos.
À medida que as pistas vão sendo desenterradas de capelas subterrâneas e cavernas de gelo, Erin vai-se apercebendo de que a única hipótese de serem bem-sucedidos reside num ato impensável: confrontar o próprio Lúcifer.
Com O Evangelho de Sangue, o primeiro livro da série, os autores unira, a ciência, o mito e a religião, para nos apresentarem um mundo em que os milagres ganham novo significado e a luta entre o bem e o mal é bem mais complicada do que alguma vez poderíamos imaginar. Agora, nesta brilhante conclusão da série, somos conduzidos ao próprio Inferno e obrigados a enfrentar os nossos piores medos e a derradeira questão: qual é o preço que pagaríamos pela salvação?



Regresso a Auschwitz (com o filho de dois sobreviventes do Holocausto)

Este livro pode ser encarado como uma longa carta, rigorosamente baseada em factos reais, dirigida pelo autor ao pai, sobrevivente milagroso dos campos de concentração alemães da Segunda Guerra Mundial.
O autor começa por falar da sua infância, vivida numa pequena cidade do Sul da Suécia, e pretende ilustrar como o corte brutal com as raízes pode traumatizar irremediavelmente um ser humano. Foi o que sucedeu com o seu pai, cuja história é aqui revelada.

Vencedor do Prémio August de Literatura, Regresso de Auschwitz reconstrói as memórias de uma família e dá testemunho dos horrores da guerra. Centrado na história impressionante de um homem e de uma mulher (os pais do autor, que escaparam à morte num dos mais célebres campos de concentração da História, Regresso de Auschwitz narra a vida de uma família depois da libertação e a convivência com as memórias do Holocausto.
Inteligente e profundamente comovente, o autor desta obra recorda a criança que seguia as pegadas do pai, falando com ele, relembrando os seus esforços para iniciar uma nova vida nas sombras de um mundo que já não existe.
«Uma obra grandiosa, concebida de forma única e com uma escrita extraordinária, humana, generosa, devastadora e, apesar de tudo, esperançosa.» Financial Times
«Um livro comovente, uma carta de um filho para o pai… É impossível ler esta obra sem pensar nos horrores que ainda hoje se vivem.» The Wall Street Journal
• Filho de pais polacos, Gӧran Rosenberg nasceu na suécia em 1948. Aí viveu até 1961 com os pais, sobreviventes do Holocausto. Após a morte do pai, Rosenberg e a família saíram de Estocolmo para Israel, regressando à cidade natal uns anos depois. Estudou na Universidade de Estocolmo e foi jornalista na rádio e televisão sueca. Tem vários outros livros publicados.

Tradução: José Manuel Barata-Feyo
PVP:17,50 €
N.º de Páginas: 302


Planeta publica, no dia 23 o último livro da saga de O Cemitério dos Livros Esquecidos de Carlos Ruiz Zafón , O Labirinto dos Espíritos

O Labirinto dos Espíritos: O aguardado regresso de Carlos Ruiz Zafón com o desfecho da saga O Cemitério dos Livros Esquecidos. Disponível a 23 de Novembro

LANÇAMENTO EM SIMULTÂNEO EM ESPANHA E AMÉRICA LATINA

O LABIRINTO DOS ESPÍRITOS é o desenlace da saga de O Cemitério dos Livros Esquecidos que se iniciou em 2001 com A Sombra do Vento, continuou em 2008 com O Jogo do Anjo e em 2011 com O Prisioneiro do Céu. Catapultados pela crítica internacional à categoria de clássico contemporâneo, os romances da série O Cemitério dos Livros Esquecidos, converteram-se num dos universos literários mais apaixonantes deste século e Carlos Ruiz Zafón no escritor espanhol mais lido em todo o mundo, depois de Cervantes.

«Zafón reinventou o que significa ser um grande escritor. A sua habilidade visionária para narrar histórias já é um género em si mesma.» USA TODAY
«É como se Garcia Márquez, Umberto Eco e Jorge Luis Borges se fundissem num mágico e transbordante espectáculo, de uma perspicácia perturbante e definitivamente maravilhoso» THE NEW YORK TIMES

A publicação de O LABIRINTO DOS ESPÍRITOS foi precedida pelo relançamento, numa nova edição, dos três primeiros livros desta tetralogia: A Sombra do Vento, O Jogo do Anjo e O Prisioneiro do Céu, que chegaram às livrarias dia 26 de Outubro, com uma nova imagem e um formato inédito, que combina a capa dura, impressa a preto e branco, com uma sobrecapa em acetato transparente, a cores.


quinta-feira, 3 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Célula Adormecida - Nuno Nepomuceno [Opinião]

Título: A Célula Adormecida
Autor: Nuno Nepomuceno
Editor: TopBooks
N.º de Páginas: 592
PVP: 19€

Sinopse:
«Assim queira Deus, o Califado foi estabelecido e iremos invadir-vos como vocês nos invadiram. Iremos capturar as vossas mulheres como vocês capturaram as nossas mulheres. Vamos deixar os vossos filhos órfãos como vocês deixaram órfãos os nossos filhos.» Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico, 2014.

Em plena noite eleitoral, o novo primeiro-ministro português é encontrado morto. Ao mesmo tempo, em Istambul, na Turquia, uma reputada jornalista vive uma experiência transcendente. E em Lisboa, o pânico instala-se quando um autocarro é feito refém no centro da cidade. O autoproclamado Estado Islâmico reivindica o ataque e mostra toda a sua força com uma mensagem arrepiante.
O país desperta para o terror e o medo cresce na sociedade. Um grande evento de dimensão mundial aproxima-se e há claros indícios de que uma célula terrorista se encontra entre nós. Todas as pistas são importantes para o SIS, sobretudo, quando Afonso Catalão, um conhecido especialista em Ciência Política e Estudos Orientais, é implicado.
De antecedentes obscuros, o professor vê-se subitamente envolvido numa estranha sucessão de acontecimentos. E eis que uma modesta família muçulmana refugiada em Portugal surge em cena.
A luta contra o tempo começa e a Afonso só é dada uma hipótese para se ilibar: confrontar o passado e reviver o amor por uma mulher que já antes o conduziu ao limiar da própria destruição.

Com uma escrita elegante e o seu já tão característico estilo intimista e sofisticado, inspirado em acontecimentos verídicos, Nuno Nepomuceno dá-nos a conhecer A Célula Adormecida. Passado durante os 30 dias do mês do Ramadão, este é um romance contemporâneo, onde ficção e realidade se confundem num estranho mundo novo e aterrador que a todos nos perturba. Um thriller psicológico de leitura compulsiva, inquietante, negro e inquestionavelmente atual.

A minha opinião: 
Logo após o término da trilogia Freelancer que esperava com muita ansiedade e expetativa o novo livro de Nuno Nepomuceno.

Depois do enorme sucesso da trilogia será que Nuno conseguiria ver-se livre de André Marques Smith e da espionagem? Como seria o novo livro? Eram questões que me colocava frequentemente.

Quando vi que o autor ia mudar um pouco de registo (deixou a espionagem, ou nem tanto assim), fiquei ainda mais curiosa para saber se tinha feito bem.

A Célula Adormecida (que capa!) começa com o ataque a uma autocarro em Lisboa, que logo é reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico. E quase ao mesmo tempo o vencedor das eleições para o cargo de Primeiro-Ministro suicida-se. Mas será tudo assim tão linear? Será que foi mesmo o autoproclamado Estado Islâmico que esteve envolvido na explosão que mataria várias pessoas? E relativamente à morte do futuro Primeiro-Ministro? Tudo aponta para um suicídio, mas a sua mulher diz que Henrique Brandão Melo não se suicidaria...

Estas são duas das questões que vão estar no centro do thriller , tornando a sua leitura extremamente viciante.

Com uma verdadeira visita guiada pela Turquia, assim como pela cultura Árabe, este novo livro de Nuno Nepomuceno é ainda melhor do que qualquer um dos anteriores.

O seu protagonista, Afonso Catalão, um conhecido especialista em Ciência Política e Estudos Orientais, é uma personagem atrativa e com uma cultura acima da média, que ajuda o leitor a compreender melhor a religião Árabe.

Atual, A Célula Adormecida fala de terrorismo e do medo da cultura Árabe em geral presente no Ocidente, dos refugiados, (lembrando as péssimas condições a que se votam para puderem chegar a um porto seguro e a um país que os acolha bem), mas também o quão fascinante é a mesma cultura Árabe que, por ser tão diferente da nossa, a torna tão rica e misteriosa aos nossos olhos.

Recomendo sem reservas.






«Hotel Vendôme», de Danielle Steel, chega às livrarias esta sexta-feira, dia 4 de novembro

Título: Hotel Vendôme 
Autor: Danielle Steel
Género: Literatura / Romance
Tradução: Luís Santos
N.º de páginas: 336
Data de lançamento: 4 de novembro
Preço: 16,60 €

Bem-vindos a um mundo de luxo que é também a casa de uma família especial
Há lugares que se visitam e lugares que nunca se deixam para trás. Hotel Vendôme é um desses casos. Considerado um dos melhores romances de Danielle Steel, com uma trama apaixonante e personagens cativantes, a autora faz o leitor sentir-se parte integrante da história, como se estivesse realmente lá e conhecesse as personagens.
Hotel Vendôme chega às livrarias esta sexta-feira, dia 4 de novembro, com o selo da Bertrand Editora.
Danielle Steel é a autora mais lida do mundo, tendo já vendido mais de 580 milhões de exemplares.

Sinopse:
O hotel era velho, estava em mau estado. Mas para Hugues Martin, hoteleiro de origem suíça, ele é um diamante em bruto escondido numa rua sossegada de Nova Iorque. Por isso, junta todas as migalhas que consegue para comprar o edifício e transformá-lo num dos hotéis mais luxuosos do mundo.
Não tarda que o serviço e a discrição do Hotel Vendôme conquistem uma excelente reputação. É o refúgio ideal para os ricos e famosos e o lar perfeito para a família de Hugues, até que a sua jovem esposa o abandona e deixa a filha de quatro anos de ambos ao seu cuidado. Apesar disso, Heloise cresce feliz no meio de celebridades, gente da sociedade, políticos, viajantes internacionais e os inúmeros empregados do hotel, que a adoram.
À medida que os anos passam e surgem desafios inesperados, Hugues e o hotel continuam a ser o centro da vida de Heloise. É seu desejo seguir os passos do pai e um dia vir a gerir o Hotel Vendôme. As lições que ela aprende com ele vão ajudá-la pela vida fora, iluminando uma história inesquecível.
Bem-vindos ao Hotel Vendôme.

Sobre a autora:
É a mais popular das autoras contemporâneas e já entrou no Livro de Recordes do Guinness por ter tido um ou mais livros seus durante 381 semanas consecutivas na lista de best-sellers do New York Times.
Em 2002, a autora foi galardoada com a prestigiante Ordre des Arts et des Lettres pelo seu contributo de uma vida para a cultura mundial.
É ainda fundadora de duas instituições de solidariedade, em memória do seu filho Nick: a Nick Traina Foundation, que apoia doentes do foro psiquiátrico e crianças vítimas de maus-tratos, e a Yo! Angel!, que ajuda os sem-abrigo.
A autora é mãe de nove filhos e vive entre São Francisco e Paris.



Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Márquez, com prefácio de Alberto Manguel

Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Márquez, com prefácio de Alberto Manguel, é o novo livro da Coleção Essencial – Livros RTP

«Quando, depois de pôr um ponto final a Cem Anos de Solidão, em 1966, o manuscrito foi rejeitado pelo editor espanhol Carlos Barral que lhe disse que um romance como este “não se venderia”, García Márquez decidiu então propô-lo à editorial Sudamericana, de Buenos Aires, mas teve que enviá-lo por duas vezes, porque não tinha dinheiro bastante para pagar o envio do manuscrito completo.» Alberto Manguel, prefácio

Chega esta semana às livrarias portuguesas um novo livro da “Coleção Essencial – Livros RTP”. Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Márquez, prefaciado pelo ensaísta de origem argentina Alberto Manguel. é o sétimo volume da iniciativa conjunta da RTP e da LeYa. O livro está disponível em capa dura e pelo preço de 10 euros.



Sobre Cem Anos de Solidão
Aureliano Buendía haveria de recordar aquela tarde remota em que o pai o levou a conhecer o gelo.» Com estas palavras - tão célebres já como as palavras iniciais do Dom Quixote ou de À Procura do Tempo Perdido - começam estes Cem Anos de Solidão, obra-prima da literatura contemporânea, traduzida em todas as línguas do mundo, que consagrou definitivamente Gabriel García Marquez como um dos maiores escritores do nosso tempo. A fabulosa aventura da família Buendía-Iguarán com os seus milagres, fantasias, obsessões, tragédias, incestos, adultérios, rebeldias, descobertas e condenações são a representação ao mesmo tempo do mito e da história, da tragédia e do amor do mundo inteiro.

Sobre o autor:
Gabriel García Márquez nasceu a 6 de março de 1927, em Aracataca, Colômbia, e faleceu a 17 de abril de 2014, na Cidade do México. Considerado o pai do realismo mágico latino-americano, foi essencial para o reconhecimento da literatura americana em língua castelhana no resto do mundo, principalmente depois da atribuição do Prémio Nobel de Literatura, em 1982. O caráter universal da sua obra coloca-o entre os maiores escritores de sempre. É autor de uma vasta bibliografia que a LeYa/Dom Quixote tem vindo a publicar regularmente em Portugal, incluindo o primeiro volume da autobiografia Viver para Contá-la, O Aroma da Goiaba (conversas com Plinio Apuleyo de Mendoza) e a reedição de Olhos de Cão Azul, com três contos inéditos em Portugal, para além dos famosíssimos Cem Anos de Solidão e O Amor nos Tempos de Cólera.



«A Morte Usa Uma Máscara de Beleza» nas livrarias a 4 de novembro

Título: A Morte Usa Uma Máscara de Beleza
Autor: Mary Higgins Clark
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Ana Cunha Ribeiro
N.º de páginas: 320
Data de lançamento: 4 de novembro
Preço: 16,60 €

A grande dama dos thrillers americanos está de regresso com o livro: A Morte Usa uma Máscara de Belez

Uma coleção ímpar de 10 mistérios, que revela o enorme talento de Mary Higgins Clark como autora Nº1 do The New York Times
Com mais de 150 milhões de livros vendidos em todo o mundo, Mary Higgins Clark está de regresso com o livro A Morte Usa Uma Máscara de Beleza. Este livro é uma coleção de dez mistérios absolutamente incríveis, todos eles com enredos, estruturas, ambientes, locais e personagens diferentes, mas que irão fazer o leitor ficar rendido às suas histórias.
A Morte Usa Uma Máscara de Beleza é o primeiro dos mistérios e que dá nome a este livro. Este conto começou a ser escrito em 1972 e 40 anos mais tarde a autora decidiu terminá-lo. Entre os contos consta ainda O Passageiro Clandestino, que foi a primeira história que Mary Higgins Clark publicou. Como a própria autora faz questão de explicar: «Este livro representa os meus primeiros anos enquanto escritora, mas espero que não represente ainda o fim.»

Sobre a autora
Mary Higgins Clark é uma autora solidamente publicada no nosso país, com vários títulos best-sellers na Bertrand Editora.
«Esta coleção ilustra bem a paleta de Clark e o seu talento superlativo como contadora de histórias» - Publishers Weekly –

Sinopse:
Em 1974, Mary Higgins Clark começou a escrever uma novela inspirada no mundo da moda nova iorquino. Interrompeu-a para escrever o seu primeiro romance, Onde Estão as Crianças?, que a projetou para o sucesso internacional.
Quarenta anos mais tarde, a autora regressa a essa novela para a concluir e surpreender todos mais uma vez com o seu talento ímpar como contadora de histórias.
Desde o seu primeiro conto publicado a histórias clássicas onde figuram algumas das personagens mais inesquecíveis da autora, A Morte Usa Uma Máscara de Beleza é uma primorosa coleção de contos que nos emociona e nos deixa o coração a bater mais depressa, como é característico da Rainha do Suspense.


Livros de Hemingway e Rex Stout são novidades da Livros do Brasil e Vampiro respectivamente

Título: Verão Perigoso
Autor: Ernest Hemingway
Tradutor: Eduardo Saló
N.º de Páginas: 160
PVP: 13,30 €
Coleção: Dois Mundos

A arte do toureio por Ernest Hemingway
Verão Perigoso foi o último grande livro do escritor e resultou da estada em Espanha no verão de 1959

A Livros do Brasil publica a 10 de novembro, Verão Perigoso, aquele que foi o último trabalho de fôlego realizado por Ernest Hemingway.
Em 1959, a revista Life encarregou Ernest Hemingway de fazer a cobertura de um acontecimento extraordinário que ia ter lugar em
 Espanha, durante esse verão. Com efeito, estava previsto que aí se defrontassem, na arena, dois dos mais célebres toureiros de todos os tempos, Antonio Ordóñez e Luis Miguel Dominguín. Durante meses,
Hemingway viveu junto destes carismáticos matadores, acompanhou os seus esplendorosos triunfos e as suas derrotas dolorosas. O livro que nasceu dessa encomenda, Verão Perigoso, é uma das obras de referência sobre a arte do toureio, mas é também o testemunho melancólico de um homem que, aos sessenta anos, sabe que se aproxima da morte e regressa a um palco que tanto o havia cativado na sua juventude.

Sobre o autor
Ernest Hemingway nasceu em Oak Park, no Illinois, a 21 de julho de 1899, e suicidou-se em Ketchum, no Idaho, em julho de 1961.
Em 1953 ganhou o Prémio Pulitzer, com O Velho e o Mar, e em 1954 o Prémio Nobel de Literatura. Romances como O Adeus às Armas ou Por Quem os Sinos Dobram, além do já citado O Velho e o Mar, consagraram-no como um dos grandes nomes da literatura do século XX.

Título: A Liga dos Homens Assustados
Autor: Rex Stout
Tradução: Fernanda Pinto Rodrigues
N.º de Páginas: 304
PVP: 7,70 €
Coleção: Vampiro

O novo número da coleção Vampiro da Livros do Brasil é A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout, e chega às livrarias a 10 de novembro.
A Liga dos Homens Assustados é a segunda história da dupla Wolfe e Goodwin e permanece hoje como um dos mais influentes trabalhos de literatura policial. Surgiu pela primeira vez nas páginas do jornal The Saturday Evening Post, entre 15 de junho e 20 de julho de 1935, e foi publicada em livro nesse mesmo ano, tendo, dois anos depois, sido adaptada ao cinema.

Sinopse:
Quando no rescaldo de um jantar de antigos alunos de Harvard o grupo se vê ensombrado por duas mortes e um desaparecimento, todos os olhos se viram para Paul Chapin, sujeito controverso, amigo das três vítimas, que fora nesses tempos de universidade seu companheiro na chamada Liga da Expiação – e que às suas mãos ficara severa e irreversivelmente magoado após uma partida infeliz.
Estará Chapin por fim a procurar vingança? Os membros da agora Liga dos Homens Assustados pedem a ajuda de Nero Wolfe, mas à medida que as mortes se sucedem o carismático detetive intui que o rancor de Chapin está longe de ser a única ameaça que o grupo tem de enfrentar.

Sobre o autor:
Rex Stout nasceu a 1 de dezembro de 1886 na cidade americana de Noblesville, Indiana. Após uma breve passagem pela Universidade do Kansas, alista-se na Marinha em 1906 e durante dois anos serve a bordo do iate Mayflower, do Presidente Roosevelt, como subtenente.
Em 1916 cria um sistema bancário escolar que seria implementado em mais de quatrocentos estabelecimentos de ensino e que lhe garantiu lucros confortáveis, mas em 1927 abandona os negócios e passa a dedicar-se inteiramente à escrita. Publica três romances, que obtiveram críticas favoráveis, mas é com a sua primeira obra policial que alcança o reconhecimento do grande público: Picada Mortal surgiu em 1934 e com ela surgiu a personagem de Nero Wolfe, detetive excêntrico, amante de boa comida e de belas orquídeas, que, juntamente com o jovem assistente Archie Goodwin, viria a protagonizar dezenas de histórias. Em 1959, Rex Stout recebeu a distinção de Grande Mestre pela Mystery Writers of America. Morreu a 27 de outubro de 1975, em Danbury, no Connecticut, cerca de um mês após a publicação do seu último romance, Um Caso Familiar.

Já na coleção Vampiro:
N.º 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
N.º 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen
N.º 3: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett
N.º 4: O Imenso Adeus, de Raymond Chandler
N.º 5: Picada Mortal, de Rex Stout
N.º 6: O Mistério dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen



Brandon Sanderson em Lisboa


Brandon Sanderson vai estar em Lisboa no próximo dia 7 de novembro para uma sessão com os fãs. Para assinalar o facto, a Saída de Emergência tem um passatempo a decorrer no facebook da SDE, que podem ver aqui: https://www.facebook.com/edicoessaidadeemergencia/posts/1306454949386671


terça-feira, 1 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A estante está mais cheia #45

Outubro foi um mês em grande no que diz respeito a aquisições. O mês de novembro vai ser mais contido porque daqui a nada não tenho onde colocar tantos livros. Além disso, o meu tempo para ler tem sido diminuto, embora as leituras que tenha optado por fazer tenham sido mesmo muito boas.
De Mons Kallentoft comprei Anjos Perdidos em Terra Queimada e Segredo Oculto em Águas Turvas, uma coleção que quero completar. Ainda dos livros que estavam há algum tempo na minha wishlist vieram para a estante Tornado de Sandra Brown, Assim Nasceu Portugal, os dois volumes, de Domingos Amaral, Ausente na Primavera de Agatha Christie, O Homem que Escrevia Azulejos de Álvaro Laborinho Lúcio, e Segunda Vida de S. J. Watson. Alguns foram compras em segunda mão, outros aproveitei promoções da Note!
Comprei ainda os quatro livros da Sábado, de Dick Haskins, a um preço simbólico e que não podia deixar de ter. A Noite Antes do Fim, Estado de Choque, Labirinto e o Espaço Vazio.
Outubro também trouxe o novo livro de Nuno Nepomuceno, A Célula Adormecida, que já li e dei 5 estrelas. Muito bem escrito, atual e empolgante. Brevemente haverá a minha opinião mais completa sobre o livro no blogue. Obrigada ao autor por me ter oferecido esta preciosidade.
Da Guerra e Paz chegou a sequela de Mulherzinhas, que já tive oportunidade de ler. Boas Esposas de Louisa May Alcott vai ser um livro igualmente bom, tenho a certeza.
Da Asa chegou o novo livro Tiago Rebelo, A Magia do Acaso e vinha com surpresa. Assim como o novo livro de Sveva Casatti Modignani, Como Vento Selvagem. Obrigada pelos mimos.

Da Porto Editora chegou ainda O Mistério dos Fósforos Queimados de Ellery Queen, pertencente à coleção Vampiro.
Da Topseller chegaram O Carrasco do Medo de Chris Carter, cuja minha opinião está aqui e Mademoiselle Chanel de C. W. Gortner.
Da Penguin Random House chegaram Matéria Escura de Blake Crouch, (a minha leitura atual) e O Crente de Joakin Zander, o mesmo autor de O Nadador, um livro que gostei tanto de ler.

Para a mais pequena, mas que também fez as minhas delícias, chegaram No Reino de Gorjuss, seis histórias de encantar. Que livro tão bonito! Os novos livros de Masha e o Urso e Patrulha Pata e um livro de jogos que vai reunir toda a família.
O meu muito obrigada às editoras parceiras que me enchem de mimos.


segunda-feira, 31 de outubro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

O Carrasco do Medo - Chris Carter [Opinião]

Título: O Carrasco do Medo
Autor: Chris Carter
Editor: TopSeller
Páginas: 416

Sinopse:
Imagine o seu pior medo… e depois conheça o seu pior pesadelo. Quando a Unidade Especial de Homicídios da Polícia de Los Angeles é enviada a uma pequena igreja da cidade, depara-se com um cenário no mínimo aterrador. O padre foi decapitado, o seu corpo dilacerado, e no seu peito lê-se ainda o número 3 desenhado a sangue. A violência é impiedosa e nada parece fazer grande sentido neste crime horrendo. Perante este quadro macabro, o detetive Robert Hunter e o seu parceiro acreditam que se trata de um crime ligado a algum ritual religioso. Mas a investigação parece não avançar e as respostas não surgem. E à medida que mais corpos e crimes são revelados, o pavor espalha-se por toda a cidade. O que une realmente estes crimes, para além do terror e brutalidade de todas as mortes resultarem dos seus maiores medos? Será este o maior desafio de Robert Hunter? E será que não ter respostas é o seu maior pesadelo?

A minha opinião: 
A sinopse de O Carrasco do Medo saltou-me à vista e quis logo pegar nele. Não li o primeiro livro de Chris Carter, mas nem isso me fez demover de ler o seu segundo livro publicado em Portugal, pela Topseller. 

A violência é o prato principal de O Carrasco do Medo. Começa pelo assassinato de um padre com requintes que excedem o impensável. O padre, querido pela comunidade, é decapitado e, no lugar da sua cabeça, está uma cabeça de cão. 

O detective chamado para a cena do crime já é conhecido dos leitores por ter aparecido no primeiro livro do autor de origem brasileira, mas para os estreantes como eu foi uma excelente surpresa. Gostei bastante de Hunter que mostra, e prova, ser um detective inteligente, com uma cultura geral acima da média, e com quem é fácil trabalhar. 

A vida pessoal, como a maior parte dos detectives que se dedicam de corpo inteiro ao trabalho em policiais do género é um desastre total. 

À medida em que a história avança os crimes não diminuem e a atrocidade em que eles são cometidos também não, levando a crer que o assassino em série tem um objectivo bem definido desde o início. 

A crueldade das mortes e o sangue frio do assassino podem afectar os leitores mais sensíveis, mas para quem gosta do género este é um livro a não perder.






Quem são as "Personagens Malditas da História"?

Na próxima semana a Saída de Emergência publica o livro Personagens Malditas da História de André Canhoto Costa. 30 biografias de figuras controversas da história universal. Assassinos sanguinários, filósofos, excêntricos, líderes impiedosos ou fanáticos religiosos.

Fique a conhecer a história de vida de revolucionários como Estaline, Bin Laden ou Mao Tse Tung ou os projectos de carismáticos como Salazar, Marquês de Pombal ou George Bush, passe pelos totalitários como Nero, Adolf Hitler ou Mussolini e divirta-se com os conspiradores como a nossa Leonor Teles, Carlota Joaquina ou Henry Kissinger. Também vai conhecer a vida de chefes militares como Napoleão, D. Sebastião ou Átila e de pensadores como Maquiavel, Marquês de Sade ou Karl Marx.

Sobre o autor: 

ANDRÉ CANHOTO COSTA , nasceu em Oeiras a 17 de Outubro de 1978. Estudou Artes no Liceu de Oeiras, onde frequentou a pequena e confortável biblioteca. Após dois anos no curso de História da Universidade de Évora, regressou a Lisboa para concluir os estudos na FCSH da UNL e o Doutoramento em História Económica no ISEG da UL. Gosta de futebol e de livros. Em 2016 publicou o seu primeiro romance, Os Quatro Cantos do Império.


Da sanita à noite de núpcias: a vida das mulheres no glamoroso século XIX

Título: Indecoroso
Autor: Therese Oneill
N.º de Páginas: 328
PVP: 18,80 €
Não Ficção/História
Nas livrarias a 2 de Novembro
Guerra e Paz Editores

Sinopse
O GUIA DA DAMA VITORIANA PARA O SEXO, CASAMENTO E CONDUTA

No interior deste livro vai encontrar capítulos com títulos tão surpreendentes como estes: «Fazer a corte: como conquistar o coração de um homem sem abrir a boca», «A noite de núpcias, ou um ganso mal afogado» e ainda «O teu útero gordo e preguiçoso precisa de amor». Este não é um livro de mexericos, é uma viagem à vida quotidiana das mulheres na época vitoriana. É uma obra inteligente que espreita pelo buraco da fechadura. E que se vê do lado de lá da porta? Donzelas trituradas por espartilhos, espigas de milho para limpar as vergonhas, púdicas e quietas virgens na noite de núpcias. E quando a ti'Xica descia para lhe fazer uma visita? Um desastre completo! Não chega? Ainda há mais. Camas separadas para evitar a tentação. Cosméticos à base de chumbo. Enfim, um sem número de loucuras inventadas por sisudos doutores, cuja única preocupação era as partes íntimas da pobre mulher vitoriana.

Esta foi uma época retratada romântica e sonhadoramente em filmes, livros e séries de televisão. Com este livro, chega-nos uma visão delirante. Leia e descubra se ainda quer ser uma princesinha adorável enrolada em incontáveis folhos? Pense duas vezes.

Sobre o autor:
Therese Oneill. Vive no Oregão, nos EUA, numa pequena cidade que está na moda, entre muitos amigos e uma adega. Casou-se há mais de uma década e tem dois filhos. Embora viva um casamento feliz, as refeições são feitas em frente da televisão, o que não é motivo de orgulho, diz a autora. Escreve textos de humor e artigos sobre História em diversas publicações, como Mental Floss, The Week, The Atlantic e Jezebel, entre outras. Indecoroso é o seu primeiro livro.




As cartas de Jorge de Sena e Eugénio de Andrade. Um acontecimento literário

Título: Correspondência 1946-1978
Jorge de Sena e Eugénio de Andrade
Organização Mécia de Sena
N.º de Páginas: 608
PVP: 26,00 €
Não Ficção/Correspondência
Nas livrarias a 2 de Novembro
Guerra e Paz Editores

Sinopse
Este livro reúne a correspondência que, de 1949 a 1978, Jorge de Sena e Eugénio de Andrade trocaram um com o outro. São as cartas em que dois grandes poetas – tão diferentes nos seus temas e na essencialidade da sua obra –, de uma forma franca e sem subterfúgios, falam da literatura, que era o centro das suas vidas. Mas estas cartas são também testemunho de uma límpida e surpreendente amizade, porta aberta à partilha das dificuldades da vida, dificuldades familiares ou profissionais. São cartas emotivas, retrato da vida social e política portuguesa, e nelas vemos, década a década, o rosto de Portugal, o rosto da literatura, o rosto da vida, mudar, ruga a ruga, letra a letra.

Sobre os autores:
Jorge de Sena. É natural de Lisboa. Inicia intensa actividade literária no final dos anos 30, envolve-se na luta contra a Ditadura e acaba por auto-exilar-se no Brasil. É nesse país, e mais tarde nos Estados Unidos, que lecciona em várias universidades. Foi ensaísta, poeta, dramaturgo, contista e romancista. Revolucionou os estudos sobre Fernando Pessoa e Luís de Camões e escreveu, entre muitos outros textos, o intemporal romance Sinais de Fogo. Portugal não soube conceder -lhe em vida a consagração que a sua obra merecia.

Eugénio de Andrade. Um dos grandes poetas portugueses, nos seus livros encontramos, disse Sena, uma «poesia do ser e do amor, entre a carne e o espírito, lá onde as almas não existam para torturar-se e os corpos não saibam o que seja traírem-se». O seu primeiro livro é de 1939, mas é com As Mãos e os Frutos (1948) que ganha consagração crítica. É certo que foi funcionário público e viveu no Porto, para onde se mudou em 1950, até ao fim dos seus dias, mas a sua autêntica vida foi a poesia, esse lugar onde, disse ele, «o desejo ousa fitar a morte nos olhos». Publicou dezenas de obras, das quais se destacam Os Amantes sem Dinheiro (1950), As Palavras Interditas (1951), Escrita da Terra (1974), Matéria Solar (1980), Rente ao Dizer (1992), Ofício da Paciência (1994), O Sal da Língua (1995) e Os Lugares do Lume (1998).


Porto Editora publica novo livro de Philip Kerr. Nova investigação do treinador e detetive Scott Manson

Título: A Mão de Deus
Autor: Philip Kerr
Tradutor: Carlos Sousa de Almeida
Págs.: 376
PVP: 17,70 €

Nova investigação do treinador e detetive Scott Manson em A Mão de Deus
A morte de um jogador no estádio do Olympiacos marca o início do novo thriller de Philip Kerr

Philip Kerr, um dos mestres do policial britânico, regressa com o segundo volume da série Scott Manson, desvendando como ninguém os segredos que se trocam nos corredores mais obscuros do futebol de elite, desta vez em Atenas. A Mão de Deus, que a Porto Editora publica a 3 de novembro, é um thriller de violência, crime e desporto, complementado por uma visão da Grécia em tempos de crise económica, ódio entre equipas rivais e hooliganismo. Jogadores, empresários, dirigentes de clubes e instituições, ninguém escapa à investigação de Manson.
Mercado de Inverno, o primeiro livro desta série, foi publicado no ano passado pela Porto Editora.

Sinopse:
O London City FC, clube que pela mão de um misterioso oligarca ucraniano chegou ao topo do futebol inglês, vai a Atenas jogar uma partida de acesso à Champions, no terreno do Olympiacos. Se um jogo no reduto grego de Karaiskakis se assemelha a uma batalha épica digna de guerreiros de outras eras, a morte em pleno relvado de uma das maiores estrelas do plantel é algo que ultrapassa o futebol.
Uma paragem cardíaca ou a suspeita de algo mais? A anarquia tomou conta das ruas e Atenas está a ferro e fogo… Perante os constantes bloqueios à investigação das autoridades gregas, Manson, treinador e agora detetive, procurará também ele descobrir o que realmente aconteceu. O jogo fora das quatro linhas não conhece regras e Manson terá de se movimentar num universo onde o dinheiro permite as maiores loucuras e silencia todos os tabus…

Sobre o autor:
Philip Kerr nasceu em Edimburgo, em 1956, e é o autor bestseller dos célebres thrillers em torno da personagem Bernie Gunther (no catálogo da Porto Editora figuram já O Projecto Janus e Se os mortos não ressuscitam), pelos quais recebeu, em 2009, os prémios CWA Ellis Peters Historical e RBA International for Crime Writing. Para além dos catorze romances publicados, escreveu uma série de livros juvenis com o pseudónimo de P. B. Kerr. Colabora assiduamente em publicações como o Sunday Times, o Evening Standard e o New Statesman. Um dos nomes mais consagrados do policial britânico, é traduzido em 25 idiomas e várias das suas obras foram adaptadas ao cinema e à televisão. Um adepto de longa data do Arsenal, vive agora em Londres.
Página do autor: www.philipkerr.org


Novidades Planeta para novembro

Título: LADY MIDNIGHT
Série Os Artifícios Negros 1
Autor: Cassandra Clare
N.º de Páginas: 656
PVP: 21,95€
Disponível a partir de 2 de Novembro

Paixão, determinação e criaturas diabólicas nesta nova e tão aguardada trilogia da autora best-seller da série Caçadores de Sombras.

«Prepare-se para ser enfeitiçado» Entertainment Weekly

Os Caçadores de Sombras de Los Angeles voltam com novas aventuras.
Lady Midnight é o primeiro volume da saga Artifícios Negros, de Cassandra Clare, uma aventura vertiginosa pelos caminhos tortuosos de uma vingança ancestral a que só o mais intrépido Caçador de Sombras conseguirá fazer face.
Os fãs de Os Caçadores de Sombras e Origens têm agora a oportunidade de ler as novas aventuras das suas personagens e conhecer novas.
Cassandra Clare vai tornar a apaixonar os leitores: uma trama envolvente, mais apaixonante do que nunca. Recheada de romance, lutas, superação, aventura, suspense...
Este livro situa-se cinco anos depois dos acontecimentos da Cidade do Fogo Celestial, que conduziram os Caçadores de Sombras ao esquecimento.

«É um livro inacreditável. Uma vez que comece a ler, vai ser muito difícil pôr o livro de lado.» The Guardian

Se o amor de Clary e Jace foi apaixonante e tempestuosa, num mundo habitado por criaturas diabólicas Emma e Julian encontram-se no mesmo caminho. Ou até pior. Como é apanágio da autora ficamos perante um amor muito conturbado.
A narrativa e personagens seguem o mesmo padrão que a bemsucedida série Caçadores de Sombras.
A personagem central que conta a história, Emma, é uma heroína sem poderes fora do normal, é uma Caçadora de Sombras empenhada em ser a melhor.
A edição original nos EUA (Março de 2016) entrou directamente no top de vendas do The New York Times.

Num reino à beira-mar...
Passaram cinco anos desde que o mundo dos Caçadores de Sombras esteve à beira da extinção. Emma Carstairs já não é uma criança de luto, mas uma jovem guerreira determinada a descobrir quem matou os seus pais e a vingar a sua perda.
Ao lado do seu parabatai, Julian Blackthorn, Emma terá de seguir o rasto de um assassino demoníaco nas ruas agitadas de Los Angeles e no mar encantado das praias de Santa Monica, onde o amor é uma ameaça tão grande como o ódio do seu pior adversário.
Para tornar tudo ainda mais complicado, o irmão de Julian, Mark levado pela Caçada Selvagem cinco anos antes é devolvido à família como moeda de troca.
As faeries estão desesperadas por descobrir quem anda a matar os seus e precisam da ajuda dos Caçadores de Sombras. Só que o tempo, em Faerie, flui de maneira diferente, e Mark mal envelheceu e não reconhece os seus irmãos.
Conseguirá Mark ajudá-los e regressar ao seio da família?
Ou será o apelo da Caçada Selvagem mais forte do que o próprio sangue?

Sobre a autora
CASSANDRA CLARE é a autora da série Caçadores de Sombras e da trilogia Caçadores de Sombras, As Origens, ambas best-sellers do The New York Times, USA Today, Wall Street Journal e Publishers Weekly.
Vendeu mais de trinta milhões de livros em todo o mundo e as suas obras foram traduzidas em mais de trinta e cinco línguas. Cassandra vive no Massachusetts ocidental.
Pode visitá-la em: www.cassandraclare.com.
Saiba mais a respeito do mundo dos Caçadores de Sombras em www.shadowhunters.com.

Título: Maravilhosamente Imperfeito, Escandalosamente Feliz
Autor: Walter Riso
N.º de Páginas: 216
PVP: 16,50 €
Nas livrarias a partir de 2 de Novembro

Liberte-se de todas as ideias limitadoras.
Descubra os dez erros mais comuns na sua forma de pensar que o impedem de ser feliz.

Exige demasiado a si mesmo?
Compara-se constantemente com os outros?
Tem a sensação de que não está à altura?
Sente-se stressado, mal-humorado, triste, ansioso quando não lhe sai tudo bem?
Bem-vindo ao clube: é vítima do perfeccionismo irracional, um modo de estar que o limita e do qual Walter Riso ajudará a libertar-se.
O psicólogo que revolucionou meio mundo com a aplicação da psicologia cognitiva explica dez premissas libertadoras que ajudarão a enfrentar as crenças irracionais, que nos incutem desde crianças e que tantos danos provocam ao nosso desenvolvimento pessoal.
Eis algumas das ideias libertadoras que Riso propõe com conselhos directos e eficazes:
Rompa com a escravidão de «o que dirão os outros»,
Liberte-se do permanente controlo das suas emoções,

Acabe com a rigidez mental que impossibilita a dúvida e a mudança de opinião,
Rejeite a autocrítica impiedosa,
Combata o desejo de alcançar padrões absurdos de excelência,
Num estilo próximo e irreverente, este livro dirige-se a todos os leitores que se sentem pouco aptos numa sociedade que exige que se seja sempre «o número um» e contém dez ideias revolucionárias para alcançar a plenitude individual – e a felicidade.

Sobre o autor
Walter Riso nasceu em Itália, em 1951.
Era ainda muito jovem, quando a família emigrou para a Argentina e aí cresceu num bairro multiétnico, no seio de uma comunidade de emigrantes italianos.
Estudou psicologia na Universidade de Colômbia, movido pela sua constante curiosidade e inquietação.
Especializou-se em terapia cognitiva e fez um mestrado em bioética.
Desde há trinta anos, exerce psicologia clínica, actividade que alterna com o exercício da cátedra universitária e a realização de publicações científicas e de divulgação em diversos meios.
Os seus livros cumprem o objectivo a que se propôs: o de criar uma vacina contra o sofrimento humano, ao propor estilos de vida saudáveis nas diferentes etapas da vida.
Para mais informacões: www.walter-riso.com


Título: Tua Para Sempre 
SÉRIE HACKER 5
Autor: Meredith Wild
N.º de Páginas: 264
PVP: 17,76 €
Nas livrarias a partir de 2 de Novembro

Nesta fascinante conclusão da série Hacker, Blake parece ter desistido.
Mas, Erica lutará com todas as suas forças pelo seu relacionamento, o seu futuro e pelos frutos desse amor. Custe o que custar.
Uma história sexy, repleta de segredos, mentiras, traições e vícios, no mundo da alta tecnologia.
Esta nova autora-sensação do romance erótico deste ano, começou por autopublicar a sua obra, com um impacto estrondoso junto das leitoras.
Mais de 1 milhão de e-books vendidos e 2 milhões de livros impressos
Várias semanas no top do The New York Times

Dias após o casamento, Blake e Erica Landon embarcam para a lua-de-mel, uma viagem que aprofunda a sua ligação e promete fazer desaparecer as cicatrizes do passado.
Quando os problemas parecem estar a desaparecer, o escândalo envolvendo o governador Daniel Fitzgerald ameaça a paz recém-descoberta.
De regresso a casa, Blake vê-se no centro da controvérsia, assombrado pelas transgressões do seu passado hacker, que não tem qualquer desejo de reviver.
Será que Blake vai permitir que o passado ganhe?
Ou consegue Erica convencê-lo de que pela nova vida juntos vale a pena lutar, agora mais do que nunca...

«Se existir um espaço no seu coração para outro bilionário sensual, o hacker Blake Landon vai preencher esse vazio.” Publish News
«Este livro fez-me apaixonar por Meredith Wild. Super sexy e perturbador, assim que se começa a ler o primeiro livro não se consegue parar até se acabar toda a série.» Sexy Book Reviews

Sobre a autora
Meredith Wild é a autora best-seller do New York Times e do USA Today.
Vive nas em New Hampshire com o marido e três filhos, Meredith define-se como techie, apreciadora de uísque e romântica incurável.
Quando não está no mundo de fantasia das suas personagens, Meredith pode ser encontrada em:
www.facebook.com/meredithwild
Pode saber mais sobre os seus projectos em: www.meredithwild.com