quinta-feira, 8 de dezembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A estante está mais cheia #46

Quem me acompanha no facebook sabe que ando com pouco vontade de ler. A vontade de ler estende-se à fraca vontade de escrever. Ou seja, ando com uma preguiça pegada que faz com que depois de chegar a casa do trabalho não me apeteça fazer nada.
De certeza que, de alguma maneira ou de outra, todos já passaram por isso. Eu já passei, mas gostava que essa preguiça literária passe rápido.
Apesar de tudo esta preguiça não fez com que deixasse de receber/comprar livros.
Da Topseller chegou Na Boca do Lobo de M. J. Arlidge. Já li e a minha opinião estará brevemente no blogue.
Do Clube do Autor chegou Regresso de Aushwitz de Goran Rosenberg e A Outra Metade de Mim de Affinity Konar. Já li e a opinião também chegará em breve.
Ainda sobre a temática do Holocausto chegou Os Filhos dos Nazis de Tania Crasnianski. Oferta da Guerra e Paz e Os Bebés de Auschwitz de Wendy Holden que comprei numa promoção da Fnac.


Da Planeta chegou o terceiro livro da trilogia de Baztán, Oferenda à Tempestade de Dolores Redondo. E do Clube do Autor chegou Os Descendentes de Merlin de Rita Vilela.
Da Penguim Random House chegou este livro maravilhoso que é O Livro das Coisas Boas e Histórias Incríveis.
E da HarperCollins veio a minha leitura atual Broken - Destroçada de Karin Slaughter.

Comprei ainda Stoner de John Williams que pelas críticas que tenho lido me vai proporcionar uma excelente leitura.


Para a mais pequena cá de casa chegou o livro Trolls um livro atarefado e da Patrulha Pata chegaram O Grande Livro da Paw Patrol e Parabéns Chase!. Já foram lidos e fizeram as delícias da MM.
Obrigada à Planeta e Penguim Random House pelas ofertas dos livros infantis.

Esse agradecimento estende-se a todas as editoras parceiras que me enchem de mimos e que respondem afirmativamente aos meus pedidos.

Novidade Suma de Letras: A História Secreta de Twin Peaks de Mark Frost

Título: A História Secreta de Twin Peaks
Autor: Mark Frost
Editor: Suma de Letras
Páginas: 362

Sinopse:
O que aconteceu nos últimos 25 anos em Twin Peaks?
O que tudo isto acabará por revelar é que o mistério central de Twin Peaks só foi abordado sucintamente pela série original, e este livro será um companheiro essencial para qualquer pessoa interessada em experimentar toda a viagem, antes da estreia da nova temporada na Primavera de 2017.

Sobre o autor: 
Mark Frost, autor de sucesso e vencedor do Prémio Guild Award, foi também nomeado para os Emmy pela série de televisão A Balada de Hill Street. Foi co-criador (juntamente com David Lynch) e produtor executivo da série de culto Twin Peaks. Mark vive em Los Angeles e Nova Iorque com a sua esposa e filho.


Apresentação 'Os Pobres', de Maria Flomena Mónica




José Luís Peixoto: Prémio Oceanos 2016 com o romance «Galveias»

Mais importante prémio de literatura em língua portuguesa no Brasil

José Luís Peixoto é o vencedor da edição deste ano do Prémio Oceanos - Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, organizado pelo Itaú Cultural, no Brasil – herdeiro do antigo Prémio Portugal Telecom. O escritor português venceu o prémio com o romance Galveias, publicado pela Quetzal em Portugal, em 2014.
O anúncio foi feito na noite de ontem, em São Paulo. Peixoto foi o único escritor português consagrado nesta edição do mais importante e prestigiado prémio literário do Brasil. Para além da notoriedade da literatura portuguesa, a nível internacional, associada à atribuição deste galardão, Peixoto recebe um prémio no valor de 100 mil reais, o que corresponde a cerca de 27 mil euros.
Galveias – nome da aldeia natal de Peixoto, no Alentejo – está entre os grandes romances alguma vez escritos sobre o mundo rural português.
Um misterioso objeto cai sobre uma pequena vila do interior de Portugal – esse facto vai marcar a vida de todos os habitantes e é o ponto de arranque para um fantástico elenco de personagens que compõe este romance e que, capítulo a capítulo, desenha um mundo cheio de acontecimentos que oscilam entre o trágico e o cómico, entre o nostálgico e o dramático. Galveias é um retrato de vida, a imagem despudorada de uma realidade que atravessa o país e que, em grande medida, contribui para traçar-lhe a sua identidade mais profunda.

Sobre José Luís Peixoto, Vasco Graça Moura disse que é «um grande ficcionista e, também, um grande prosador da língua portuguesa, capaz de extraordinárias notações do real, de ritmos inovadores e até de uma relação estrutural com as formas musicais que não tem precedentes entre nós».

Sobre o autor:
José Luís Peixoto nasceu em Galveias, em 1974. É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras. Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (Irlanda) ou o Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro Gaveta de Papéis recebeu o Prémio Daniel Faria e A Criança em Ruínas recebeu o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2012, publicou Dentro do Segredo - Uma viagem na Coreia do Norte, a sua primeira incursão na literatura de viagens. Os seus romances estão traduzidos em mais de vinte idiomas.


Já se pode votar na PALAVRA DO ANO 2016

A partir das sugestões de milhares de portugueses e do trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa levado a cabo ao longo do ano pela Porto Editora, a lista das dez candidatas a PALAVRA DO ANO® 2016 é a seguinte:
brexit
Esta palavra surge associada à saída do Reino Unido da União Europeia, em resultado do referendo realizado naquele país.
campeão
Pela primeira vez, Portugal tornou-se campeão europeu de futebol, ao vencer a França na final do UEFA EURO 2016.
empoderamento
Este termo passou a ser usado com maior frequência para designar formas de obter mais controlo sobre a própria vida, através da conquista de direitos civis, independência ou equidade de géneros.
geringonça
Este foi o vocábulo usado para designar a coligação parlamentar que apoia o atual governo.
humanista
Este foi um dos adjetivos mais utilizados para qualificar António Guterres durante o processo de seleção que o levou ao cargo de Secretário-geral das Nações Unidas.
microcefalia
O risco da ocorrência desta condição patológica durante a gravidez, surgiu associado ao vírus zica, transmitido pelo mosquito Aedes.
parentalidade
Tema frequente ao longo do ano, a parentalidade aborda o conjunto de atividades desenvolvidas pelos educadores com vista a um melhor desenvolvimento das crianças.
presidente
Este título tornou-se muito frequente nas notícias desde que Marcelo Rebelo de Sousa tomou posse como Presidente da República, a 19 de março de 2016.
racismo
De forma preocupantemente crescente, têm-se multiplicado atitudes e manifestações de racismo um pouco por todo o mundo, com particular incidência na Europa, mas também nos Estados Unidos.
turismo
Os excelentes resultados da indústria do turismo têm um impacto positivo na economia do país, mas esta realidade abriu o debate em termos de sustentabilidade e qualidade de vida nas grandes cidades.

Até ao dia 31 de dezembro, os portugueses podem votar livremente através do site www.palavradoano.pt e escolher a PALAVRA DO ANO® 2016, que irá suceder a “refugiado” (2015), “corrupção” (2014), “bombeiro” (2013), “entroikado” (2012), “austeridade” (2011), “vuvuzela” (2010) e “esmiuçar” (2009). Nos primeiros dias de janeiro de 2017, será conhecida a PALAVRA DO ANO® 2016 eleita pelos portugueses.

A lista de palavras candidatas a PALAVRA DO ANO® é produto do trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa levado a cabo pela Porto Editora, através da análise de frequência e distribuição de uso das palavras e do relevo que elas alcançam, tanto nos meios de comunicação e redes sociais como no registo de consultas online e mobile dos dicionários da Porto Editora, tendo em consideração também as sugestões dos portugueses através do site www.palavradoano.pt.