terça-feira, 18 de abril de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novo romance de Francisco Moita Flores comemora 35 anos de vida literária

O escritor Francisco Moita Flores comemora 35 anos de vida literária com a publicação do romance histórico O Mensageiro do Rei que a Casa das Letras/Leya coloca hoje à venda.

É a história de amizade entre D. Manuel II, o nosso último rei, e o seu mensageiro, e os amores de ambos, que aqui se contam. Após o regicídio, quando mataram o pai, D. Carlos, e o príncipe real Luís Filipe, em 1908, tinha apenas 18 anos. Teve seis governos e a obrigação de casar com uma princesa mas os reis europeus recusaram-lhe filhas e netas, antevendo a queda da realeza, e à falta de princesa, apaixonou-se por uma deusa francesa: a actriz Gaby Deslys. O amor entre os dois acabou por ser o único legado coerente do seu reinado de apenas 30 meses. Rigoberto era o mensageiro que lhe levava notícias desse amor distante. Também ele apaixonado por Gardénia.

Moita Flores conta as histórias desses amores em O Mensageiro do Rei que é, simultaneamente, um romance e um filme, uma espécie de síntese dos vários caminhos que o escritor e antigo inspector da Poliícia Judiciária percorreu ao longo dos últimos 35 anos. Um dos autores de língua portuguesa mais conhecidos, quer seja pela sua obra literária, que inclui títulos como O Dia dos Milagres, A Fúria das Vinhas, Segredos de Amor e Sangue, A Opereta dos Vadios e Mataram o Sidónio!, entre muitos outros, quer seja pelos trabalhos que escreveu para cinema e televisão, onde se recordam A Ferreirinha, Ballet Rose, Alves dos Reis, O Processo dos Távoras.