quarta-feira, 31 de maio de 2017

O Que Viram as Flores - Julia Heaberlin [Opinião]

Título: O Que Viram as Flores
Autor: Julia Heaberlin
Editor: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 376

Sinopse:
Sou estrela de cabeçalhos de jornal e de histórias assustadoras à roda da fogueira. Sou uma das quatro raparigas das susanas-de-olhos negros. A que teve sorte. Aos 16 anos, Tessa foi encontrada num campo do Texas, quase morta e só com alguns fragmentos de memória em relação à sua chegada ali. A imprensa chama-lhe a única «rapariga das susanas-de-olhos negros» que sobreviveu a um serial killer. O testemunho de Tessa mandou um homem para o corredor da morte.

Passados 20 anos, Tessa é artista e mãe solteira. Num dia de fevereiro, abre a janela do seu quarto e depara com um magnífico canteiro de susanas-de-olhos-negros diante de si, embora se trate de flores de verão. Será que o homem que espera a morte é inocente? E andará o serial killer atrás dela? Ou, pior ainda, da sua filha?

A minha opinião: 
Tessa foi uma das vítimas de um serial killer. A única que conseguiu sobreviver.

Dezassete anos depois volta a fazer um depoimento do que se passou em 1995. Isto porque o suspeito, que está no corredor da morte, está prestes a ser executado, e com o avanço das ciências forenses, dúvidas surgiram, constatando-se que, muito provavelmente, se condenou um inocente.

Terrell Darcy Goodwin, o acusado "está no corredor da morte porque a Susana-de-olhos-negros que depôs estava completamente aterrada."

Julia Heaberlin dá-nos uma verdadeira lição sobre os avanços da ciência em matérias de investigação, de como funciona o sistema jurídico no estado do Texas, como são as prisões para condenados à morte, assim como nos vai dando referências de alguns assassinos em série reais, dando mais consistência e veracidade à história por si criada.

De facto, são muitos os condenados que se vem a constatar que estão inocentes. Ou porque as testemunhas são induzidas em erro durante o julgamento, denunciando um presumível culpado, colocando-o no local do crime, quando muitas vezes ele nem sequer por lá perto passou. Certo é que mesmo assim consegue ser condenado.

Infelizmente esses erros acontecem com bastante frequência, quer seja nos EUA como no nosso país. Recentemente li o livro Condenados de Sofia Pinto Coelho, que retrata na perfeição o nosso sistema judicial, dando demasiados exemplos de como a justiça pode ter falhas. No caso do Texas o erro ainda é pior porque a maior parte dos condenados acaba no corredor da morte.

Inicialmente achei o livro um pouco parado, sentia que a história não desenvolvia como era esperado, mas ao fim de umas páginas já estava completamente rendida.
 
Apesar de todas as fragilidades próprias de uma pessoa vítima de rapto e tentativa de assassinato, Tessa vive com as dúvidas de ter condenado um homem injustamente. A par disso sente que o assassino ainda anda à solta e que, por isso, vive em permanente perigo.

À medida que avançamos com a leitura vamos conhecendo ainda outras personagens preponderantes para a trama. Charlie, a filha de Tessa, uma jovem igual a tantas outras, Bill o advogado que pretende ajudar, quer Tessa, quer Terrell a descobrir a verdade, e a misteriosa Lydia, sem dúvida uma das personagens que mais me fascinou. Dotada de uma inteligência acima da média e com gostos peculiares, Lydia é uma personagem que facilmente nos desperta interesse.

Muito bom.





Sem comentários: