terça-feira, 15 de agosto de 2017

Não me Apanhas - Lisa Gardner [Opinião]

Título: Não me apanhas
Autor: Lisa Gardner
PVP: 17,49€

Sinopse: 
Duas mulheres face a face. Qual delas é a vítima? Qual é a assassina?
A detetive D.D. Warren não se surpreende facilmente. Mas uma mulher junto ao local do crime que investiga faz-lhe uma proposta surpreendente. Charlene acredita piamente que vai ser assassinada dali a quatro dias e quer que seja a melhor detetive de Boston a dirigir a investigação sobre a sua própria morte. D.D. depressa percebe que não é uma vulgar vítima. Charlene não está disposta a desaparecer sem oferecer resistência − dispara, luta e corre melhor do que ninguém em Boston. O que leva à pergunta: Charlene é a próxima vítima ou a assassina? Ao tentar descobrir quem anda a matar pedófilos em Boston, D.D. estuda os homicídios das amigas de Charlene, esperando encontrar a resposta antes do próximo e sinistro dia 21 de janeiro. Charlene corre perigo ou guarda um segredo medonho que pode afinal ser a maior ameaça de todas?

A minha opinião: 
Sou fã confessa dos livros de Lisa Gardner e Tess Gerritsen, ambos publicados pelo Círculo de Leitores. Logo que saem tenho de os comprar no imediato. 

Sexto livro da série D. D Warren, Não me Apanhas talvez tenha sido o que mais me agradou. Com bastante suspense, uma personagem que não sabemos se será vítima ou a assassina até praticamente à última página, uma história bem conseguida, faz com este livro tenha sido uma excelente leitura de férias. 

Violência gera violência e no caso do assassino deste novo romance de Gardner isso é por demais evidente. O que nos transforma em maus da fita? Sim, porque qualquer um de nós é um potencial assassino, caso se despolete alguma coisa que nos faça fazer tal atrocidade. 

Charlenne é uma mulher misteriosa. Aparece junto à detective, numa cena de crime, para lhe pedir ajuda. A jovem deseja que seja a detective, e agora mãe, que investigue a sua morte, que terá lugar dali a quatro dias. Surpreendida com tal interpelação D. D. Warren vai investigar um pouco mais da vida de Charlenne e do porquê desta dizer que será assassinada no próximo dia 21 de janeiro. E o que descobre deixa-a muito intrigada. 

Paralelamente vamos também assistindo à investigação de um assassino em série que mata pedófilos. 
E é aterrador como é que eles conseguem chegar à fala com os miúdos. Ninguém está a salvo e mesmo as crianças que parecem estar mais protegidas e bem vigiadas não escapam. Dá muito que pensar. 

D. D. Warren está mais madura. Mostra ser a detective perspicaz de sempre, mas agora não vive apenas para a esquadra de polícia. O bebé que teve há duas semanas é a sua principal preocupação e o apoio de Jack é primordial. No entanto, a maternidade fez-lhe bem e regressou em força na investigação. 

De realçar o início do livro que me deixou arrepiada. A doença mental, caso não seja acompanhada devidamente, faz com que se comentam crimes e pequenos inocentes são claramente as vítimas mais frequentes.

Tudo reunido faz com que Não me Apanhas seja um livro que não se quer largar. Tem ingredientes mais que suficientes para prender o leitor, deixá-lo a pensar em diversas questões como o caso da pedofilia e da demência, da maternidade e do amor pela família e a amizade. Excelente! 



Sem comentários: