domingo, 12 de novembro de 2017

Jogos Cruéis - Angela Marsons [Opinião]

Título: Jogos Cruéis
Autor: Angela Marsons
Editor: Quinta Essência
Páginas: 400

Sinopse:
A inspetora detetive Kim Stone está de volta. Em causa está a morte macabra de um violador. À primeira vista, não é um caso complicado, pois tudo aponta para a vítima da violação. Mas, para a incansável detetive, há algo que não bate certo...
A sua intuição rapidamente prova estar certa. As mortes sucedem-se. Por detrás de todas elas, um só motivo: vingança. Kim tem pela frente um adversário admirável. Alguém que está a realizar fantasias letais. Um sociopata que parece conhecer intimamente as fraquezas da detetive. E que não planeia parar.

Kim percebe que se deixou enredar num perigoso jogo do rato e do gato... e que terá de descer ao inferno para solucionar este caso. E desta vez… é pessoal.

Angela Marsons, a estrela em ascensão do policial britânico, regressa com um romance que o vai fazer desconfiar de tudo e de todos...

A minha opinião: 
Não, não li o primeiro livro de Angela Marsons, publicado em Portugal no ano passado. Mas acho que não fiquei a perder muito na história de detetive principal Kim Stone, já que a sua vida passada é explanada completamente neste segundo livro da série. Mas o facto de ter começado por Jogos Cruéis não quer dizer que não deseje ler Gritos Silenciosos. Muito pelo contrário. A leitura fantástica que este livro me proporcionou só faz com que deseje ler o anterior. 

Até onde vai a sociopatia?
Será possível esses genes serem herdados?
Será possível exercer-se uma influencia tão grande sobre o outro que o leve a matar?

Kim tem de resolver vários crimes. O primeiro passa por um crime de pedofilia no seio familiar. Vão ser levantadas várias questões que só serão desvendadas bem no fim do livro. 

Pelo meio somos confrontados com a morte de um violador, muito tempo depois de ter sido condenado. Cá fora e completamente reabilitado, acaba morto num motivo claro de vingança. 

À medida que a investigação avança também Kim revela um pouco mais de si, o que leva a que o leitor crie um carinho especial pela detetive. A pessoa que está por detrás dos variados crimes, que vão suceder à morte do violador, faz com que Kim encontre uma pessoa pérfida e maléfica que consegue enganar quase todos. Quase, porque Kim não se deixa convencer. Nem Kim, nem uma outra personagem que vai ser determinante para condenar o criminoso. 

Angela Marsons foi uma autêntica surpresa e confesso ter ficado bastante agradada com este livro.

 








Sem comentários: