sábado, 25 de novembro de 2017

Para lá do inverno - Isabel Allende [Opinião]

Título: Para lá do inverno
Autor:
Isabel Allende
Tradução: Ângela Barroqueiro
Capa: mole com badanas
N.º páginas: 336
PVP: 18,80€

Sinopse:
«No meio do inverno, aprendi por fim que havia em mim um verão invencível»
Isabel Allende parte da célebre frase de Albert Camus para nos apresentar um conjunto de personagens próprios da América contemporânea que se encontram «no mais profundo inverno das suas vidas»: uma mulher chilena, uma jovem imigrante ilegal guatemalteca e um cauteloso professor universitário.
Os três sobrevivem a uma terrível tempestade de neve que se abate sobre Nova Iorque e acabam por perceber que para lá do inverno há espaço para o amor e para o verão invencível que a vida nos oferece quando menos se espera.
Para lá do inverno é um dos romances mais pessoais da autora: uma obra absolutamente atual que aborda a realidade da migração e a identidade da América de hoje através de personagens que encontram a esperança no amor e nas segundas oportunidades.

A minha opinião: 
Um pequeno acidente em pleno inverno na cidade de Nova Iorque vai juntar três personagens completamente diferentes: Um professor universitário, uma imigrante ilegal, e uma mulher vinda do Chile com um contrato provisório. 

Richard é um homem solitário. Sovina, tem por companhia quatro gatos que alimenta e dá tecto, mas cujo carinho é praticamente inexistente. Lúcia, uma chilena que está em Nova Iorque provisoriamente, até terminar o seu contrato na Universidade. E Evelyn, guatemalteca, que se encontra nos EUA ilegalmente. 

Numa manhã fria de inverno, numa tempestade de neve, os três vão unir-se numa aventura, numa viagem a si próprios, numa espécie de expiação de pecados passados.

Durante três dias, e praticamente dentro de um carro, vamos conhecendo cada uma destas três personagens a fundo. O seu passado sombrio, que os transformou noutras pessoas no presente, e a vontade de querer mudar. A história de Evelyn foi a que mais me tocou, mas a cada página lida comecei a nutrir mais carinho pelo frio Richard. Um homem ferido pelo passado, que transformou o seu coração completamente em gelo. 

"Aos necessitados não se pergunta quem são nem de onde vêm, Richard. Na desgraça somos todos iguais."

É fácil gostar da escrita de Allende. As descrições, que para alguns leitores podem ser um pouco exageradas, são fundamentais para conhecermos a fundo as suas personagens, sempre ricas em histórias, sobretudo histórias de países sul americanos. 

O drama de se nascer num país pobre leva muitos jovens a ingressar em cartéis de droga, opção nada feliz para muitos deles, nem para as suas famílias. A dificuldade de fugirem de toda esta infelicidade e pobreza faz com que muitos outros arrisquem a vida, numa travessia penosa e longínqua para os levar para a terra das grandes oportunidade, onde tudo é mais fácil e onde podem ser felizes. Mas será a América isso tudo? 

Allende apresenta-nos uma história plena de esperança, companheirismo e amor, mas também com críticas duras à nova política de Donald Trump. Esta foi sem dúvida uma leitura dura, mas plena de intensidade. 
O amor, o envelhecimento, a pobreza, a devoção aos animais, problemas políticos, tudo isto é abordado por Allende, transformando Para Lá do Inverno um livro excepcional. A não perder. 

 






Sem comentários: