quinta-feira, 16 de março de 2017

Sextante Editora - "Para onde vão os gatos quando morrem?" - Luís Cardoso com novo romance

Título: Para onde vão os gatos quando morrem?
Autor: Luís Cardoso
Págs.: 272
PVP: € 16,60

No dia 23 de março é publicado o mais recente romance de Luís Cardoso, a grande voz da literatura timorense contemporânea. Para onde vão os gatos quando morrem? acompanha o trajeto de formação de uma criança até à idade adulta, num percurso que é também o do seu país, Timor. Este livro conta com prefácio de Frei Bento Domingues e posfácio de Carlos Reis.
A sessão de lançamento de Para onde vão os gatos quando morrem? realiza-se no dia 26 de março, domingo, no Jardim de Inverno do São Luiz – Teatro Municipal, às 18:30. A apresentação estará a cargo de Catherine Dumas e Frei Bento Domingues.
Os romances de Luís Cardoso estão traduzidos para diversas línguas nomeadamente inglês, francês, italiano, holandês, alemão e sueco.

Sobre o livro: 
«Acabo de chegar à ilha onde vivi durante a minha infância, à procura de uma pessoa.»
O regresso a Ataúro, terra da infância, «terra do nunca», é o início desta nova viagem ao revés, de Luís Cardoso, um romance veloz, poético e emotivo, que percorre a infância e a idade de formação do narrador, a diáspora, as lutas, as desilusões, as traições, as perdas, o regresso, cruzando-o com uma plêiade de personagens extraordinárias. Uma viagem que, naturalmente, corre ao lado da história de Timor Leste, com a fantasia e a ironia que marcam desde sempre a voz do autor e nos fazem suspirar por essas terras misteriosas e de aterradora beleza.
Prefácio de Frei Bento Domingues

Sobre o autor:
Luís Cardoso nasceu em Kailako, uma vila no interior de Timor que aparece por diversas vezes referenciada nos seus romances. É filho de um enfermeiro que prestou serviço em várias localidades de Timor, razão pela qual conhece e fala diversos idiomas timorenses. Estudou nos colégios missionários de Soibada e de Fuiloro e, posteriormente, no seminário dos jesuítas em Dare e no Liceu Dr. Francisco Machado em Díli. Licenciou-se em Silvicultura no Instituto Superior de Agronomia de Lisboa. Desempenhou as funções de Representante do Conselho Nacional da Resistência Maubere em Portugal. É autor dos romances Crónica de Uma Travessia (1997), Olhos de Coruja Olhos de Gato Bravo (2002), A Última Morte do Coronel Santiago (2003), Requiem para o Navegador Solitário (2007) e O ano em que Pigafetta completou a circum-navegação (2013).




J. Rentes de Carvalho: prémio para o Melhor Livro de Ficção

O prémio de Melhor Livro de Ficção, relativo a 2016, da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), foi atribuído ao romanceO Meças, de J. Rentes de Carvalho, publicado pela Quetzal. O anúncio foi feito durante a Gala da Sociedade Portuguesa de Autores/RTP, realizada ontem à noite, no Centro Cultural de Belém, com a presença do Presidente da República e do Ministro da Cultura.

O romance O Meças conta uma história de violência e vingança, a de António Roque, homem atormentado, possuído pelo demónio das suas próprias memórias. As imagens do passado transformam-no num monstro capaz dos piores atos, maltratando a família e os mais próximos. Depois de anos emigrado na Alemanha, António Roque – o Meças – regressa à sua aldeia de origem. Com ele vivem o filho (que detesta) e a nora (a quem deseja, mas inferniza a vida), atemorizando, de resto, todos os que com ele se cruzam. Uma história de violência, em que a progressiva definição dos contornos da memória revelará novas e dolorosas verdades.

A Quetzal publicará em breve o romance A Sétima Onda.

J. Rentes de Carvalho reagiu à atribuição do prémio de Melhor Livro de Ficção da Sociedade Portuguesa de Autores desta maneira:
«É muito o que se pode aprender na escola, e importante, se não essencial, o que se aprende no dia-a-dia. Esta afirmação faço-a eu sem autoridade nem experiência, antes por ouvir dizer.
Na escola fui por vezes cábula e repontão, mas, sorte que me coube, entrei na vida e tenho andado neste mundo com passaporte de turista, alegremente e à ligeira. É assim que há quase nove décadas por cá passeio, interessado em ver, divertir-me e maravilhar-me, mas pouco hábil em participar, tendo apenas feito o indispensável para, sem grande embaraço meu ou irritação alheia, dar pouco nas vistas e manter uma aparência de funcionamento normal em sociedade.
Por conseguinte, espero que desculpem o meu laconismo, dado que, pelos motivos acima, é quase nula a experiência que tenho da recepção de prémios. Deram-me um em 1939, ao terminar a quarta classe – uma caderneta da Caixa com 50 escudos – e o segundo vim a recebê-lo em 2012, setenta e três anos depois.
Razão de sobra para agradecer à SPA o ter premiado O Meças, tanto mais que tenho ouvido dizer que é um mau livro, cheio de sombras e violência, mostrando um Portugal que não existe, e que nem um único dos seus personagens desperta uma ponta de simpatia.»

José Rentes de Carvalho nasceu em 1930, em Vila Nova de Gaia. Obrigado a abandonar o país por motivos políticos, viveu no Rio de Janeiro, em São Paulo, Nova Iorque e Paris, trabalhando para vários jornais. Em 1956, passou a viver em Amesterdão, onde se licenciou e foi docente de Literatura Portuguesa, entre 1964 e 1988. Dedica-se, desde então, exclusivamente à escrita e a uma vasta colaboração em jornais portugueses, brasileiros, belgas e holandeses, além de várias revistas literárias. A sua extensa obra ficcional e cronista tem sido publicada na Holanda – e finalmente em Portugal – e recebida com grande reconhecimento, quer por parte da crítica, quer por parte dos leitores em geral, tendo alguns títulos alcançado o estatuto de bestseller.

Os seus livros Com os Holandeses, Ernestina, A Amante Holandesa, Tempo Contado, La Coca, Os Lindos Braços da Júlia da Farmácia, O Rebate, Mazagran e Mentiras e Diamantes, O Meças e A Ira de Deus Sobre a Europa estão atualmente disponíveis na Quetzal, que continuará a publicar o conjunto das suas obras.

J. Rentes de Carvalho foi distinguido, em 2012, com o Prémio APE – Associação Portuguesa de Escritores de Escrita Biográfica (com o livro Tempo Contado) e, em 2013, com o Prémio APE – Associação Portuguesa de para de Crónica, com Mazagran.


Palavras que mudaram o mundo: os mais dramáticos discursos de sempre

Título: Grandes Discursos da História
Autor: Henrique Monteiro
N.º de Páginas: 208
PVP: 16,00 €
Não Ficção/História
Nas livrarias a 22 de Março
Guerra e Paz Editores

Sinopse
De Platão a Obama, deixe-se guiar pela história ouvindo a voz dos seus grandes protagonistas, homens e mulheres que juntaram a mais sincera emoção à mais refinada arte oratória. Descubra o exemplo de não-violência de Gandhi, o espírito de resistência de Churchill, que prometia sacrifícios ao povo britânico para o livrar da barbárie nazi ou a indomável Passionaria, Dolores Ibárruri, gritando nas barbas dos fascistas: No Passarán!
Viva alguns dos momentos mais dramáticos e importantes da longa caminhada da humanidade. O mundo seria outro se o Sermão da Montanha não tivesse sido proferido, pregando a bondade entre os homens, ou se Urbano II se tivesse calado, abstendo-se de pregar as ignóbeis cruzadas. A história é assim feita de palavras – das que nos inspiram, mas também das que nos causam repulsa: importa conhecê-las.
Organizada por Henrique Monteiro, reconhecido jornalista e cronista, esta é uma selecção das melhores peças de oratória que séculos e séculos de luta política legaram à humanidade. Uma leitura necessária para um leitor informado.

Sobre o autor
Henrique Monteiro. 60 anos, é jornalista profissional há quase 40. Foi repórter em mais de 30 países, incluindo cenários de guerra em Moçambique, Angola e Irão. Foi ainda repórter político e parlamentar. É cronista, assinando desde 1990, na revista do Expresso, a coluna Cartas do Comendador; faz, desde 1995, comentário político no caderno principal do mesmo jornal e, desde 2011, comentários diários na sua versão digital.
É ainda comentador na SIC Notícias e na Rádio Renascença.
Foi subdirector do Expresso de 1995 a 2005 e depois disso director até 2011. Actualmente, é Director Geral Adjunto de Informação do Grupo Impresa, que inclui a SIC, o Expresso e a Visão, entre outras publicações.
Publicou cinco livros, entre os quais duas colectâneas das Cartas do Comendador e ainda os romances Papel Pardo, Toda uma Vida e O Repórter do Kiribati.


Novidade Topseller: Rendida ao Amor, de Jill Shalvis

Título: Rendida ao Amor
N.º de Páginas: 320
PVP:17,69€
Saída a 20 de março

«Apaixone-se por Jill Shalvis. Ela é uma leitura obrigatória para tudo o que envolva amor e humor.» Susan Mallery, autora bestseller do New York Times
A nossa casa é onde está o nosso coração.
E Jacob vai descobri-lo da forma mais apaixonante possível.
Jill Shalvis está de volta, e com ela regressa o amor, o desejo e todas aquelas situações delirantes que deixam qualquer leitora agarrada da primeira à última página.

Depois de uma missão no estrangeiro, o oficial do exército, Jacob Kincaid, volta a casa, a Cedar Ridge, para recomeçar a sua vida. Após anos sem qualquer contacto com a família, ele não sabe o que esperar deste regresso. O que não imaginava era encontrar uma mulher linda e misteriosa a viver num barco atracado na sua doca.
Sophie Marren é bonita, vistosa e determinada, mas está sem dinheiro, sem objetivos, sem futuro, e a morar no único bem que possui: um barco. Está perdida na vida e encontrou um porto de abrigo quando mais precisava. Não contava é que a doca onde atracou pertencesse ao militar. Jacob e Sophie perdem-se na excitante e incontrolável viagem entre o desejo e a paixão e, ao contrário das expectativas de ambos, descobrem que o amor estava mesmo à porta de casa, porque a nossa casa é onde está o nosso coração.

Sobre a autora:
Autora norte-americana bestseller do New York Times e do USA Today, já publicou dezenas de livros e foi nomeada diversas vezes para o Prémio RITA de Melhor Romance Feminino. Vive na Califórnia com o marido e os três filhos.

Saiba mais sobre a autora em www.jillshalvis.com.


Novidades Gradiva para março

Título: A Ilha do Dia Antes
Autor: 
Umberto Eco
Colecção «Fora de Colecção», n.º 487
N.º de Páginas: 472 
PVP: €19,90

Verão de 1643. Roberto de la Grive naufraga nos Mares do Sul e depara‑se com uma ilha que não consegue alcançar. O maravilhamento junta‑se à suspeita de que por lá pairam múltiplas ameaças. Umberto Eco, magistral contador de histórias, cria uma viagem de aventura e conhecimento, construindo um fascinante enredo que entrelaça a realidade com a ficção de um modo ímpar. Aqui também não faltam o bem conhecido humor e a reconhecida erudição do autor, conjugados numa das suas mais surpreendentes obras.



Título: ‘Bora, Mimi!
Autor: Laura Owen e Korky Paul
Colecção «Gradiva Júnior» n.º 163
N.º de Páginas: 96 
PVP: €7,50

Quatro novas histórias da Mimi. Quatro grandes razões para os mais pequenos não quererem deixar de ler. A Mimi quer ir de férias para longe, mas acaba onde menos se esperava. Recebe as crianças no seu jardim, num dia de varinha murcha. Com isto, podemos garantir que magia também fica baralhada! Depois chega a hora do chá e até o bule se quebra em cacos. Imagine‑se o resto. O melhor é descontrair e participar numa corrida de cavalos. ‘Bora, pessoal?





quarta-feira, 15 de março de 2017

Apresentação do livro Lágrimas de Sal e exibição do documentário Fogo no Mar


E se o seu filho, sem nunca falar, lhe ensinasse a maior lição da sua vida?

Título: Silêncios de Amor 
N.º de Páginas: 304
PVP: 17,69€
Saída a 20 de março

«Impressionante. Uma montanha-russa de emoções que passa pela tristeza, comédia e raiva.» The Guardian
«Uma história extraordinária e comovente.» The Observer
«Um romance, claramente, autobiográfico. Muito bem escrito, com um humor brilhante. Duro, mas terno. A não perder!»
The Sunday Times
«Por vezes, por medo ou vergonha, guardamos no nosso coração o que deveria ser partilhado. Esta criança, sem nada dizer,
comunica as suas necessidades eloquentemente. Um relato, sem palavras, maravilhoso.» Financial Times
«Chocante, sombrio e maravilhoso. Todos de uma só vez!» The Sun
«Jem Lester conta-nos uma história memorável, cheia de humor negro e de mágoa, acerca do vínculo entre pai e filho.
Toca-nos no fundo do coração, como poucos o conseguem.» Sunday Mirror
«Um livro que nos parte o coração e no minuto seguinte nos leva às lágrimas com tantas gargalhadas!» Woman and Home

E se o seu filho, sem nunca falar, lhe ensinasse a maior lição da sua vida?
Os Jewell podiam ser uma família comum, mas as suas relações disfuncionais e as sombras de um passado desconhecido não o permitem.
Ben Jewell bateu no fundo do poço. O seu filho de dez anos, Jonah, sofre de autismo profundo, e tanto ele como Emma, a mãe exausta, começam a não conseguir lidar com a doença. Para que o filho seja aceite numa escola adaptada às suas necessidades, decidem forjar uma separação. As lembranças de um casamento feliz são agora meras memórias, perdidas por entre os silvos e os ataques de Jonah. Ben muda-se para casa do seu pai Georg e leva Jonah consigo. E a partir desse momento, o silêncio que habitava entre as três gerações de homens desaparece. A aura quase mágica de Jonah vai mudar o triste fado da sua família para sempre.

Sobre o autor:
Iniciou a sua carreira como jornalista. Nove anos depois optou pelo ensino de Inglês e Jornalismo.
É pai de Eloise e Jonah, o segundo severamente autista. Jem Lester encontrou na sua própria vida o mote perfeito para escrever um livro. Silêncios de Amor é a sua primeira obra.
Atualmente, Jem Lester vive em Londres com a sua companheira e os filhos desta. Os seus próprios filhos já saíram do ninho: ela estuda na Universidade de Manchester e Jonah vive, finalmente, numa incrível escola residencial para autistas.




Um rasto de sangue e morticínio: a França invade Portugal

Título: El-REI JUNOT
Autor: Raul Brandão
N.º de Páginas: 336 páginas
PVP: 19,00 €
Ficção/Literatura Portuguesa
Nas livrarias a 22 de Março
Guerra e Paz Editores

Sinopse
Corre o ano de 1807 e Portugal é invadido pelos exércitos francês e espanhol. À cabeça das tropas invasoras vem Junot, militar francês que sonha com a glória. A Corte portuguesa, com medo, foge para o Brasil, e o país vê-se ocupado durante quase um ano. À volta de Junot agrupa-se uma nova corte, chega-se a projectar aclamá-lo como rei. Às atrocidades dos invasores sucedem-se violações, mortes, roubos. Mas o povo revolta-se e juntamente com forças inglesas, Junot é derrotado.

Esta é a história de um dos episódios mais dramáticos de Portugal, narrado por um dos seus melhores escritores. Mais do que um livro de História, mais do que romance, este é um livro único. Um clássico quase esquecido que importa recuperar.


Sobre o autor:
Raul Brandão. Nasceu no Porto, em 1867, numa família de pescadores, e morreu em Lisboa, em 1930. Chegou a estudar no Curso Superior de Letras, mas acabou por se inscrever na Escola do Exército, em 1889, seguiu a carreira militar como oficial e reformou-se com o posto de major em 1812. Impressões e Paisagens, publicado em 1890, é o seu primeiro livro. Colaborou regularmente com a imprensa ao longo de toda a vida, sendo um dos fundadores da Seara Nova. Foi também sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa.

Escreveu um dos maiores clássicos da língua portuguesa, Húmus, em 1917, bem como outros títulos igualmente importantes, nomeadamente A Morte do Palhaço e o Mistério da Árvore e Os Pescadores, entre outros. Autor de uma obra multifacetada, tendo publicado romances, contos, teatro, história e memórias.


Porto Editora: A viagem de uma vida em "O Feitiço de Marraquexe"

Título: O feitiço de Marraquexe
Autora: Rosanna Ley
Tradução: Ana Maria Chaves, Márcia Montenegro, Maria da Luz Rodrigues
Págs.: 416
Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €

No dia 16 de março, a Porto Editora publica O feitiço de Marraquexe, o novo romance de Rosanna Ley.
Depois de apresentar as longínquas paisagens de Myanmar, em Regresso a Mandalay, este livro da autora britânica promete transportar os leitores para as ruas de Marraquexe, numa inebriante jornada pelos aromas e cores de souks e bazares.
Num romance de leitura compulsiva e apaixonante, a descoberta de uma cultura e de um país exótico transforma-se na viagem de uma vida, quando Nell e Amy percebem que o que procuram se encontra no coração de Marrocos.

Sinopse:
No coração da histórica Medina de Marraquexe, entre os animados souks e bazares, encontra-se um grupo de europeus, desfrutando a tranquilidade de um riad. Ali dão os primeiros passos no conhecimento da inebriante gastronomia marroquina. Entre eles, Nell, uma jovem que sonha abrir um restaurante na sua Cornualha natal e Amy, uma fotógrafa que reúne material para editar um livro de cozinha e pretende levar a cabo uma exposição sobre Marrocos na sua galeria de arte, no Dorset.
Nell procura dar sentido à sua vida, depois da morte da mãe; Amy procura Glenn, um primo americano, cujo último paradeiro conhecido é algures em Marrocos. E, assim, ambas embarcam numa viagem de descoberta das suas próprias raízes que surpreendentemente se encontram ligadas.
Em O feitiço de Marraquexe, os coloridos souks e bazares são descritos por Rosanna Ley com tal vivacidade que provocam no leitor uma irresistível vontade de deambular pela histórica Medina de Marraquexe.

Sobre a autora:
Rosanna Ley é professora de Escrita Criativa e é autora de inúmeros artigos e histórias publicados em diversas revistas no Reino Unido. Os seus romances estão publicados em 15 países.
Rosanna Ley passa férias em locais que lhe servem de inspiração e quando não está a viajar, vive no West Dorset, junto ao mar.



Penguin Random House publicará em Portugal os livros de Barack e Michelle Obama

Markus Dohle, CEO da Penguin Random House, anunciou esta semana que todas as operações da companhia a nível mundial uniram esforços para publicar os próximos livros do Presidente Barack Obama e da ex-Primeira-Dama Michelle Obama. Em cada um dos países, os livros terão o seu próprio plano e data de publicação. A Penguin Random House obteve os direitos mundiais da publicação dos dois livros no passado mês de Fevereiro.

Além dos Estados Unidos e do Canadá, onde os livros serão publicados pela Crown, entre os países onde a Penguin Random House publicará as edições de língua inglesa, encontram-se: Reino Unido, Austrália, Índia, Nova Zelândia e África do Sul, através da editora britância Viking, que faz parte do grupo.

Penguin Random House Grupo Editorial publicará os livros em espanhol, português e catalão em dois continentes nos seguites países: Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguais e Portugal. Haverá também uma edição especial em espanhol para os Estados Unidos, publicada pela Penguin Random House.

No Brasil, os livros serão publicados pela Companhia das Letras.

A filial da Penguin Random House na Alemanha, Verlagsgruppe Random House, propriedade da Bertelsmann e dirigida por Markus Dohle, publicará ambos os livros em alemão, em coordenação total com a Penguin Random House

Markus Dohle, CEO da Penguin Random House, afirmou: “As equipas da Penguin Random House em todo o mundo são compostas pelos editores mais respeitados e considerados da indústria e, juntos, esperamos contar com o nosso profundo conhecimento editorial, experiência e alcance para providenciar ao Presidente Obama e sua mulher uma plataforma e audiência globais para os seus livros.”





Novidade Booksmile: Os Pecados de Lorde Cameron, de Jennifer Ashley

Título: Os Pecados de Lorde Cameron 
N.º de Páginas: 320
PVP: 18,79€
Saída a 20 de março

«Os leitores vão adorar Ainsley, uma personagem forte e astuta, que calcula bem as suas escolhas em vez de esquecer a sensatez sempre que Lorde Cameron a tenta.» Publishers Weekly

Cameron Mackenzie é um afamado libertino com apenas dois interesses na vida: cavalos e mulheres — e se estas forem casadas, melhor ainda!
Ainsley Douglas é uma mulher com a missão de salvar a Rainha de Inglaterra de um escândalo, resgatando as suas cartas comprometedoras — mesmo que para isso tenha de se infiltrar nos aposentos privados de um homem de reputação duvidosa.
O problema é que, ao apanhá-la em flagrante, Lorde Cameron não quer saber das explicações de Ainsley para tal ousadia. O único interesse dele é tê-la finalmente à sua mercê, agora que ela está viúva e novamente disponível.
Todavia, este jogo de sedução acarreta também os seus perigos. Apesar de tudo, Lorde Cameron Mackenzie é um homem com um passado conturbado e razões para não confiar em nenhuma mulher…
Conseguirá Ainsley convencê-lo a quebrar as suas próprias regras?

Sobre a autora:
É uma autora norte-americana, bestseller do New York Times e do USA Today, que já conta com de 80 obras publicadas. Os seus livros têm recebido vários elogios e prémios, incluindo o Prémio RITA para Melhor Romance, atribuído pela Associação Americana de Escritores de Romance, e o Prémio Romantic Times Reviewer’s Choice, entre muitos outros.
Os seus livros já venderam mais de cinco milhões de exemplares, tendo sido traduzidos para dez línguas. Os Pecados de Lorde Cameron é o terceiro livro da série The Mackenzies & McBrides.


Apresentação do livro «Coração Mais Que Perfeito», de Sérgio Godinho - 23/03, às 18h30, livraria Ler Devagar



Novidade Oficina do Livro: Peregrinação de Leonor Xavier

Título: Peregrinação
Autor: Leonor Xavier
PVP: 14,50€ 
e-book 10,98

Peregrinação - Testemunhos que nos unem, o novo livro da jornalista e escritora Leonor Xavier, chega às livrarias, amanhã, terça-feira. No ano em que se comemoram os 100 anos das aparições de Fátima, a autora teve a ideia de pedir um testemunho sobre peregrinação a crentes e não crentes, pessoas públicas de várias gerações, de posições e alinhamentos políticos diversos, acreditando que, nas tantas diferenças de ânimos e crenças, modos e falas, poderiam estas personalidades ser suas cúmplices. No vasto conjunto de pessoas entrevistadas encontramos, por exemplo, Alice Vieira, Cuca Roseta, Fátima Campos Ferreira, Inês Pedrosa, Jaime Nogueira Pinto, Leonor Silveira, Lídia Jorge, Manuel Arouca, Maria do Céu Guerra, Maria João Avillez, Maria João Lopo de Carvalho, Maria Teresa Horta, Miguel Real, Patrícia Reis, Rui Horta ou Viriato Soromenho Marques, entre muitos outros, bem conhecidos do grande público.

“A minha maior peregrinação é a viagem da qual não se sabe o fim. É uma busca que pode ser mística ou artística” Jorge Martins

“As minhas peregrinações são sempre co os outros ou em direcção aos outros” Alice Vieira

“A arte é uma peregrinação porque é um caminhar e um olhar novo. A própria vida é um movimento em espiral, como a História” Inês de Medeiros

No ano em que o Papa Francisco visita Fátima o tema da peregrinação e da espiritualidade adquire mais interesse daí que este livro, que dá a conhecer um lado mais íntimo e pessoal de diversas figuras públicas, chega em boa altura e convida o leitor a pensar sobre o seu próprio percurso de vida.

A apresentação do livro fica a cargo de José Tolentino Mendonça, a realizar-se no dia 26 de Março, em Lisboa.

Sobre o autor:
Leonor Xavier, jornalista, licenciada em Filologia Românica, viveu no Brasil entre 1975 e 1987. No Rio de Janeiro, foi correspondente do Diário de Noticias, colaboradora da revista Manchete e do Jornal do Brasil, redatora do jornal Mundo Português. Por duas vezes recebeu o Prémio de Melhor Jornalista da Comunidade Portuguesa no Rio de Janeiro e, em 1987, foi-lhe atribuída a Ordem do Mérito, pelo seu trabalho sobre temas luso-brasileiros.



Vais adorar conhecer a Alice, uma menina que adora viver uma aventura diferente todos os dias!


A Alice vai conquistar todas as meninas que gostam de descobrir coisas novas. A Alice é uma menina como todas as meninas que adoram viver uma aventura diferente todos os dias. Os pais nem sempre a deixam fazer o que ela quer, mas são os melhores pais do mundo. E, às vezes, a escola parece-lhe uma chatice…

Rita Vilela (texto) e Ana Valente (ilustração) dão vida a esta nova coleção feita de histórias que transmitem valores como a amizade, a confiança e a sinceridade. Estes são os três primeiros títulos desta divertida e pedagógica coleção. Em maio e outubro, a Booksmile edita mais quatro títulos.

Alice, Uma Nova Amiga - ​É bom regressar à Vila do Farol depois das férias grandes. As aulas recomeçaram e a Alice está muito feliz por reencontrar os amigos. Há até uma colega nova, a Mariana, e a Alice quer muito ser sua amiga. Mas a Mariana está triste porque tem saudades da sua terra.
​ ​A Alice quer mesmo ajudar a nova amiga e não vai descansar enquanto não mostrar à Mariana que a Vila do Farol é o lugar mais fantástico do mundo.

​Alice, Um Gatinho em Casa - ​Os colegas da turma da Alice estão eufóricos com a novidade: a D. Clara, a gata que vive no recreio da escola, teve gatinhos. E são tão fofinhos! O Diretor é que não acha muita graça e avisa que não os quer por perto.
​ A Alice e os amigos vão ter de arranjar um lar para os bebés, e a Alice até fica com um. Mas ter um animal de companhia não é tarefa fácil. Será que a Alice está à altura de tamanha responsabilidade?

​Alice, Uma Visita à Quinta - professora Fátima escolheu a Quinta do Moinho para a visita de estudo da turma. A Alice está muito feliz, pois a quinta pertence à sua Tia Filomena e é um lugar fantástico.
​ Os alunos são recebidos com alegria e iniciam uma viagem de carroça através do pomar. Terão tempo para dar de comer aos animais, aprender​
​ a fazer pão, brincar e muito, muito mais. De uma coisa podem ter a certeza: será um dia em cheio!




domingo, 12 de março de 2017

Resultado do passatempo Aamir

Obrigada a todos que participaram no passatempo "Aamir - Um Pária em Lisboa de Ricardo Gomes realizado pelo Marcador de Livros, o autor e a Chiado Editora.

A feliz contemplada com um exemplar do livro é:
Maria Inês Silva da Amadora

Além do seu nome figurar no blogue, o contemplado foi ainda avisado através de email.

Presença: Jodi Picoult regressa com novo romance: O Poder das pequenas coisas

Título: O Poder das pequenas coisas
Autor: Jodi Picoult
Coleção: Grandes Narrativas nº 656
Tema: Ficção e Literatura
Título Original: Small Great Things
Tradução: Manuela Madureira
PVP: 19,90 €
Páginas: 512

Sinopse:
Bestseller do New York Times
Direitos para cinema já adquiridos
Ruth Jefferson é uma enfermeira obstetra com mais de vinte anos de experiência. Um dia, durante o seu turno , começa uma avaliação de rotina a um recém-nascido. Minutos depois é informada de que lhe foi atribuído outro paciente. Os pais do bebé são supremacistas brancos e não querem que Ruth, afro americana, toque no seu filho. O hospital acede a esta exigência, mas no dia seguinte o bebé enfrenta complicações cardíacas. Ruth está sozinha na enfermaria. Deve ela cumprir as ordens que lhe foram dadas ou intervir? O que se segue altera a vida de todos os intervenientes e põe em causa a imagem que têm uns dos outros.
Com uma empatia, inteligência e simplicidade notáveis, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão num livro magistral sem respostas fáceis.

Sobre a autora:
Jodi Picoult é a autora de 26 romances bestsellers muito apreciados internacionalmente. Os seus livros estão publicados em 35 países, tendo já vendido mais de 40 milhões de exemplares. Jodi Picoult tirou o curso de Escrita Criativa na Universidade de Princeton e obteve uma pós-graduação em Harvard. É uma escritora agraciada com vários prémios literários e distinções de grande prestígio. Quatro dos seus romances deram origem a telefilmes e My Sister's Keeper foi adaptado ao grande ecrã, com realização de Nick Cassavetes , tendo passado nas salas portuguesas com o título Para a Minha Irmã. Os seus últimos oito livros entraram diretamente para o primeiro lugar na lista de bestsellers do New York Times. Tempo de Partir foi publicado em 2015 pela Presença. Jodi Picoult vive nos Estados Unidos da América com o marido e os três filhos .

Citações: 
«O romance mais importante de Jodi Picoult. Irá desafiar os leitores e reforçar o debate sobre racismo e preconceito.» The Washington Post
«Uma leitura empolgante do princípio ao fim, como Jodi Picoult já nos habituou. Este romance mantém um ritmo rápido e constante, difícil de interromper.» San Francisco Book Review
«Nenhum livro poderia ser mais oportuno do que este. Uma história que me obrigou a analisar as minhas próprias convicções e preconceitos.» Metro
«Este livro é perturbador e comovente, mas absolutamente brilhante. Merece ser lido por um público vasto.» Sun
«Jodi Picoult é a melhor na sua arte, e a tolerância é aquilo que melhor faz.» Sunday Telegraph

Público-Alvo
Leitores de ficção contemporânea

Autora com mais de 40 milhões de livros vendidos e obra publicada em 35 países. Bestseller do New York Times, com direitos cinematográfica adquiridos pela Amblin Partners. Conta com Viola Davis e Julia Roberts nos principais papeis.

Mais informações no site da Presença

Estejam atentos porque haverá passatempo no blogue


Chega no dia 16 de março às livrarias o mais recente livro de João Pedro Marques, Vento de Espanha

Título: Vento de Espanha
Autor: João Pedro Marques
Págs.: 336
PVP: 17,70 €

Chega no dia 16 de março às livrarias o mais recente livro de João Pedro Marques, Vento de Espanha.
A sessão de lançamento está agendada para dia 29 de março, às 18:30, no El Corte Inglés de Lisboa, e a apresentação estará a cargo de João Soares.
Ritmo empolgante, rigor histórico e emoção são os ingredientes dos romances de João Pedro Marques, que desde a sua estreia, em 2010, tem vindo a conquistar os leitores. Desta vez, em Vento de Espanha, o autor leva-nos, pela mão do casal de protagonistas da história, até à década de 30, dos bairros tradicionais lisboetas, ao epicentro da Guerra Civil espanhola.

Sobre o livro:
Custódio é um camponês beirão que decide vir para Lisboa estudar.
Lurdes, uma lisboeta da Mouraria que sempre conseguiu recompor-se dos duros golpes da vida. Quando o caminho dos dois se cruza, a vida de ambos mudará para sempre. A sua história inicia-se em Portugal e estende-se, depois, a uma Espanha mergulhada na Guerra Civil. É aí que Custódio e Lurdes vão entrelaçar os seus destinos com três outros personagens: o violento Zanelli, o tenente fascista para quem o brado ¡Viva la Muerte! é um lema de vida; a corajosa Maria del Carmen, uma madrilena das classes altas que se guia por princípios de humanidade num tempo em que a moderação desapareceu; e o sagaz Vorobiov, coronel soviético profundamente desiludido com os rumos da revolução bolchevique.
Vento de Espanha é um romance sobre amor e coragem, arrependimento e expiação. É também uma impressionante viagem à década de 1930. Seja nos bairros populares de Lisboa, seja na Espanha rasgada em dois, o leitor visitará as ilusões e desilusões políticas daqueles anos de ferro. E irá ver, acima de tudo, os encontros e desencontros das pessoas num mundo em profunda convulsão.

Sobre o autor: 
João Pedro Marques nasceu em Lisboa, em 1949. Foi professor do ensino secundário e, depois, durante mais de duas décadas, investigador do Instituto de Investigação Científica Tropical e Presidente do Conselho Científico desse Instituto, em 2007-2008. Doutorado em História pela Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou durante a década de 1990, é autor de dezenas de artigos sobre temas de história colonial, e de vários livros, dois dos quais publicados em Nova Iorque e Oxford (The Sounds of Silence, 2006; e, em coautoria, Who Abolished Slavery? A debate with João Pedro Marques, 2010). Publicou o seu primeiro romance, Os Dias da Febre, em 2010.


Quetzal abre o ano Bolaño com o tão esperado inédito «O Espírito da Ficção Científica»

Título: O Espírito da Ficção Científica
Autor: Roberto Bolaño
Género: Literatura / Romance
N.º de páginas: 224
Data de lançamento: 10 de março
PVP: € 17,70

A Quetzal abre o ano Bolaño com o livro inédito póstumo, escrito pelo autor nos anos 80, O Espírito da Ficção Científica, que chegou no dia 10 às livrarias.
Este é um livro com todas as características ímpares que definem a escrita de Roberto Bolaño e que aborda várias temáticas: a literatura, o amor, o sexo, a juventude, a amizade, o humor, a rebelião e as pesquisas detectivescas.
Sobre O Espírito da Ficção Científica, o jornal El Mundo diz que «A abundância de frases felizes e de paisagens deslumbrantes é a prova da imensa virtude de O Espírito da Ficção Científica: há aqui um tom, um estilo e um grande escritor.»
Já o jornal El Periódico diz que «Além de ser um romance de iniciação literária, é também de iniciação sexual.»
O livro foi apresentado no ano passado na Feira do Livro de Guadalajara, no México, considerada a mais importante feira do livro de língua espanhola do mundo.
Ainda este ano será lançado outro inédito, Pátria, volume que reúne três novelas. Pela primeira vez em língua portuguesa será publicado Putas Assassinas e também será publicada uma nova tradução de Detetives Selvagens bem como uma edição especial de 2666.
A tradução ficou a cargo de Cristina Rodriguez e Artur Guerra, a dupla de tradutores que já havia traduzido obras anteriores do mesmo escritor.

Sobre o autor:
Roberto Bolaño nasceu em 1953, em Santiago do Chile. Aos quinze anos mudou-se com a família para a Cidade do México. Durante a adolescência leu vorazmente e escreveu poesia. Fundou com amigos o Infrarrealismo, um movimento literário punk-surrealista, que consistia na «provocação e no apelo às armas» contra o establishment das letras latino-americanas. Nos anos 70, Bolaño vagabundeou pela Europa, após o que se instalou em Espanha, na Costa Brava, com a mulher e os filhos. Aí, dedicou os últimos dez anos da sua vida à escrita. Fê-lo febrilmente, com urgência, até à morte (em Barcelona, em julho de 2003), aos cinquenta anos. A sua herança literária é de uma grandeza ímpar, sendo considerado o mais importante escritor latino-americano da sua geração – e da atualidade. Entre outros prémios, como o Rómulo Gallegos ou o Herralde, Roberto Bolaño já não pôde receber o prestigiado National Book Critics Circle Award, o da Fundación Lara, o Salambó, o Ciudad de Barcelona, o Santiago de Chile e o Altazor, todos atribuídos a 2666, unanimemente aclamado o maior fenómeno literário da última década.