quinta-feira, 23 de março de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora - João Céu e Silva - "Fátima – A profecia que assusta o Vaticano"

Título: Fátima – A profecia que assusta o Vaticano
Autor: João Céu e Silva
Págs.: 272
PVP: 15,50 €

Fátima – A profecia que assusta o Vaticano é o novo livro do jornalista João Céu e Silva
A pouco tempo da celebração do centenário das aparições de Fátima ainda há muito por explicar, nomeadamente a razão pela qual todos os papas após Paulo VI se sentiram obrigados a deslocar-se pessoalmente ao Santuário. No epicentro dessa decisão está o terceiro segredo dos Pastorinhos, revelado por João Paulo II e uma das maiores ameaças ao Vaticano: o anúncio da morte de um «bispo vestido de branco». Este mistério é um dos assuntos tratados no novo livro do jornalista João Céu e Silva, Fátima – A profecia que assusta o Vaticano, que a Porto Editora publica a 30 de março.
Recorrendo a depoimentos dos mais altos responsáveis do Santuário, bem como de teólogos reputados, historiadores e especialistas em questões religiosas, João Céu e Silva apresenta toda a história deste século em que a Cova da Iria se tornou um dos principais centros de peregrinação mundial e explica como a construção do mito de Fátima se impôs a toda a Igreja Católica e o culto se propagou em todas as direções.

Sinopse:
A 13 de maio de 1917 três pastorinhos analfabetos tornaram-se o símbolo de uma Mensagem, já comparada pela Igreja aos textos da Sagrada Escritura, e fizeram de Fátima um santuário que atrai milhões de peregrinos todos os anos, superando os grandes centros de fé mundiais.
Esta mensagem continha uma profecia tão ameaçadora que o papa Pio XII depositou o envelope onde está escrita no Arquivo Secreto do Santo Ofício e proibiu a sua divulgação. O Segredo tem obrigado todos os sumos pontífices (desde a eleição de Paulo VI) a vergarem--se às exigências de Lúcia e a prestarem vassalagem pessoalmente à Senhora da Cova da Iria.
Desde então nenhum papa deixou de ir à Praça Branca – assim chamada por oposição à Praça Vermelha de Moscovo –, ou de submeter o seu pontificado à proteção de Nossa Senhora, como fez o papa Francisco nos dias imediatos à sua nomeação. Já antes, enquanto teólogo, Bento XVI elaborara uma polémica explicação para a terceira parte do Segredo.
Nesta sua investigação, João Céu e Silva procura explicar Fátima em toda a sua dimensão, enriquecendo-a com depoimentos de teólogos portugueses e estrangeiros, bem como de responsáveis do próprio Santuário. E revela a razão que teima em assustar o Vaticano relativamente à terceira parte do Segredo, que João Paulo II tão bem utilizou para explicar o atentado de que foi vítima.

Sobre o autor:
João Céu e Silva nasceu em Alpiarça, em 1959, licenciou-se em História durante os anos em que viveu no Rio de Janeiro e é, desde 1989, jornalista do Diário de Notícias.
Fátima – A profecia que assusta o Vaticano é a sua terceira investigação histórica, após 1961 – O ano que mudou Portugal e 1975 – O ano do furacão revolucionário, que se seguiram à série de investigação literária Uma longa viagem com os escritores José Saramago, António Lobo Antunes, Álvaro Cunhal, Manuel Alegre e Miguel Torga. Em 2013 recebeu o Prémio Literário Alves Redol pelo romance A Sereia Muçulmana, uma das suas obras de ficção publicadas.


Porto Editora: David Walliams apresenta "Sr. Pivete"

Título: Sr. Pivete
Autor: David Walliams
Ilustrações: Quentin Blake
Tradução: Rita Amaral
Págs.: 232
Capa: dura
PVP: 15,50 €

No próximo dia 23 de março, a Porto Editora faz chegar às livrarias um novo e hilariante livro de David Walliams: Sr. Pivete.
A vida de Chloe não é muito fácil: a mãe e a irmã odeiam-na e é, talvez, a menina mais solitária do mundo. Até que conhece e decide ajudar o Sr. Pivete, o misterioso sem-abrigo que anda pelas ruas perto de sua casa e que parece ser a única pessoa do planeta que a trata com simpatia.
Uma fábula muito divertida, em que as gargalhadas das situações criadas por David Walliams se aliam à mensagem sobre o valor da amizade verdadeira, que não se intimida por aparências nem circunstâncias.
Até há poucos anos conhecido como comediante e jurado do programa televisivo Britain’s got talent, David Walliams transformou-se numa das referências no que diz respeito à ficção juvenil: os seus livros venderam mais de 17 milhões de exemplares desde 2008 e está já traduzido em mais de 46 línguas. Foi também distinguido em três ocasiões com o único prémio inglês decidido por crianças, o The Red House Children’s Book Award.

Sinopse:
Chloe é talvez a menina mais solitária do mundo. E, então, conhece o Sr. Pivete, o sem-abrigo que anda pelas ruas perto de sua casa. Sim, ele cheira um pouco mal – mas é também a única pessoa que trata Chloe com alguma simpatia. Por isso, quando o Sr. Pivete precisa de um sítio para ficar, Chloe decide escondê-lo no barraco do jardim.
Mas Chloe depressa descobre que há segredos que prometem sarilhos. E, por falar em segredos, talvez o Sr. Pivete tenha um que te deixe com a pulga atrás da orelha! (Literalmente…)

Sobre o autor: 
David Walliams nasceu em Inglaterra em 1971, e é um ator britânico de comédia, conhecido pela parceria com Matt Lucas, na série Little Britain. Em 2008, tomou o mundo da literatura infantil de assalto. Avozinha Gângster entrou diretamente para o primeiro lugar no top britânico e vendeu mais de um milhão de exemplares até à data. David é atualmente o autor de crescimento mais exponencial no Reino Unido, com vendas superiores a 17 milhões de exemplares. Os livros do autor, traduzidos em cerca de 50 línguas, obtiveram um impacto sem precedentes na crítica, que o compara a um dos mais emblemáticos autores de sempre no género, Roald Dahl.


Gastronomia ‘À Moda do Porto’ fala inglês

Gastronomia ‘À Moda do Porto’ fala inglês

No próximo dia 6 de abril, às 18h30, o Chef Hélio Loureiro apresenta o seu mais recente livro de receitas, À Moda do Porto – Gastronomia com história ao alcance de todos, agora também com versão inglesa. A apresentação será realizada na Casa do Infante, estará a cargo do escritor Mário Cláudio e contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

O Chef Hélio Loureiro é desde sempre um amante da sua cidade natal, o Porto, e um grande investigador da sua história e dos seus paladares. Na obra À Moda do Porto são reunidos todos os clássicos da gastronomia portuense, tornando-os acessíveis a todas as mesas. Imbuída de curiosidades históricas sobre a vivência e a tradição de cada prato, esta obra abre as portas para uma viagem fantástica pelos sabores do Porto. Ao Chef Hélio Loureiro juntam-se também alguns dos chefs mais proeminentes desta cidade, como António Vieira, Camilo Jaña, José Cordeiro, Inês Diniz, João Pupo Lameiras, Luís Américo, Marco Gomes e Rui Paula. Todos eles partilham uma receita inspirada nesta terra maravilhosa, criando verdadeiras obras de arte.


Clube do Autor reforça aposta na literatura com Imaculada de Paula Lobato de Faria

Imaculada, nas livrarias a partir de 6 de Abril, é o romance de estreia de Paula Lobato de Faria e a grande aposta da editora Clube do Autor no segundo trimestre deste ano. Paula Lobato de Faria, doutorada em Direito e professora da Universidade Nova de Lisboa, tem várias publicações internacionais nas áreas do direito da saúde, bioética e direitos humanos mas este é o seu primeiro livro de ficção.

Habilmente ambientado no Portugal profundo dos anos 50, Imaculada é uma obra na linha dos nossos melhores romances de época e um retrato crítico da condição humana. Paula Lobato de Faria surge assim como um novo nome a seguir com atenção na literatura portuguesa.

Para Teresa Matos, coordenadora-geral, “a publicação deste romance vem reforçar a aposta da editora na literatura nacional, presente desde sempre na nossa estratégia de diversificação editorial”.

Paula Lobato de Faria vem assim juntar-se a nomes como João Felgar, António Brito, João Morgado, João Paulo Guerra, Jorge Sousa Correia e Paulo Ramalho, entre outros.

Teresa Matos salienta também o trabalho de continuidade no que diz respeito à publicação de autores estrangeiros e destaca um dos últimos sucessos da editora.

“O Leitor do Comboio, recém-chegado às livrarias, está a ser muito bem-recebido tanto pelos livreiros como pelos leitores portugueses e esse feedback é muito animador.”

Já na área da não ficção, a editora mantém a aposta nos livros de História, Economia e Política com edições previstas dos livros Os Bárbaros (Canal de História), Dirty Secrets - How Tax Havens Destroy The Economy, um livro sobre o impacto dos offshore na nossa economia, e USA - Modo de Usar, de Clara Ferreira Alves, ainda no primeiro semestre deste ano.





quarta-feira, 22 de março de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

«Entre as Linhas», de Jodi Picoult e Samantha Van Leer, é um romance encantador dirigido ao leitor young adult


Título: Entre as linhas
Autor: Jodi Picoult e Samatha Van Leer
Género: Literatura / Romance Juvenil
Tradução: Rita Carvalho e Guerra
N.º de páginas: 408
Data de lançamento: 17 de março
PVP: € 16,60


Jodi Picoult, autora nº 1 do New York Times, chega-nos com Entre as Linhas, uma incursão na literatura juvenil e que recebeu boas críticas internacionais. A escritora nova-iorquina escreveu este livro juntamente com a sua filha, Samantha Van Leer. O prestigiado jornal The Washington Post tece rasgados elogios a esta obra, assim como o Los Angeles Times. «Um livro que promete deliciar todos, cuja imaginação nos leva a perguntar se a realidade será mais real do que o faz-de-conta», refere aquela publicação norte-americana.
Entre as Linhas é um romance encantador, mágico e ideal para todas as idades, apesar de ser dirigido ao leitor young adult. É um livro que está repleto de personagens maravilhosas, com uma premissa intrigante, um estilo de escrita espirituoso e envolvente. Entre as Linhas tem a hábil capacidade de levar o leitor a dar largas à sua imaginação e de voltar a acreditar no fantástico poder dos contos de fadas.

Referências na imprensa internacional:
«Picoult e a filha, Van Leer, criaram um universo de múltiplas camadas onde aquilo que é real depende do olhar do leitor.» - Voya -
«É mais do que provável que os amantes de livros vão adorar estas fronteiras ténues entre a personagem e o leitor, entre o facto e a ficção.» - Kirkus Reviews -

Sinopse:
Oliver: um príncipe retirado de um conto de fadas, literalmente, e levado para o mundo real. Delilah: a rapariga que quis que Oliver existisse mesmo. É um milagre que a princípio parece perfeito… mas depois fica tudo virado do avesso. Poderá esta história ter um final feliz?

Sobre as autoras:
Jodi Picoult é autora de mais de vinte livros, muitos dos quais chegaram ao número 1 de vendas do New York Times. Com a filha Samantha Van Leer, escreveu Entre as Linhas, também número 1 do New York Times, bem como Off the Page, que retoma a história das personagens Oliver e Delilah. Jodi vive em New Hampshire, nos Estados Unidos da América, como o marido e os três filhos.
www.jodipicoult.com

Samantha van Leer é estudante universitária de Psicologia e Desenvolvimento Humano. É coautora de Entre as Linhas e Off the Page com a sua mãe, Jodi Picoult.
Jodi e Samantha têm quatro cães: Alvin, Harvey, Dudley e Oliver, que deu o nome ao príncipe desta história.


Sérgio Godinho é o convidado da 54.ª edição do Porto de Encontro

No próximo sábado, dia 25 de março, o auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett é o palco escolhido para a 54.ª edição do Porto de Encontro. A partir das 17:00, Sérgio Godinho é o convidado em destaque desta sessão do ciclo de conversas com escritores promovido pela Porto Editora, que conta ainda com a participação especial de Manuela Azevedo.
Sérgio Godinho é um dos músicos portugueses mais influentes dos últimos quarenta anos e o seu percurso espelha uma vocação de “homem dos sete instrumentos”. Cantautor, compositor, poeta, autor de guiões de cinema, peças de teatro, crónicas, Coração Mais que Perfeito é o seu primeiro romance e vai estar em destaque nesta conversa com o jornalista Sérgio Almeida.
Promovido pela Porto Editora desde 2011, este ciclo de conversas reuniu quase 15.000 espectadores em 53 edições realizadas em diversos espaços da cidade, como a Casa da Música, o Teatro Rivoli, a Casa das Artes ou o Teatro Nacional São João.
A 54.ª edição do “Porto de Encontro” conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, do Jornal de Notícias, da Antena 1, das Livrarias Bertrand e da Arcádia.
Esta iniciativa está a ser divulgada no sítio do Porto de Encontro em www.portoeditora.pt/portodeencontro e também em www.facebook.com/portodeencontro.

segunda-feira, 20 de março de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

Passatempo O Poder das pequenas coisas

O Marcador de Livros, em conjunto com a Editorial Presença tem para oferecer, em passatempo, um exemplar de O Poder das pequenas coisas de Jodi Picoult.

Podem ver mais sobre o livro aqui

domingo, 19 de março de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porque hoje é o dia do pai... sugestão de leituras Eu adoro o meu pai

Título: Eu adoro o meu Pai
Autor: Giles Andreae
N.º de Páginas: 32
PVP: 10,99€

Giles Andreae, um dos autores infantis de maior sucesso da atualidade, com mais de três milhões de livros vendidos em todo o mundo, traz-nos uma história divertida e pedagógica, perfeita para o Dia do Pai.
Eu Adoro o meu Pai é a prenda ideal para os mais pequenos oferecerem ao melhor pai do mundo, nesta data tão especial. E depois, de livro na mão, fortalecerem laços e partilharem momentos de boa disposição.
Com textos simples e em rima, e ilustrações encantadoras, de Emma Dood, Eu Adoro o Meu Pai é a leitura ideal para partilhar, ler e reler em qualquer momento.
Um livro ternurento que mostra que a chave para a felicidade está nas coisas mais simples. Uma celebração do amor entre filhos e pais.
Um livro inspirador, mágico e inesquecível!

A minha opinião: 
Porque hoje se comemora o Dia do Pai nada mais indicado falar deste pequeno, grande, livro que li muito recentemente à minha filha. Li eu, leu o pai, porque temos por hábito contar uma história todas as noites quando ela vai para a cama. 
Tem poucas palavras, mas acertadamente verdadeiras. Como eu me revi, enquanto filha naquele livro, e como revi a minha filha com o pai dela. 

É tão bonito, que me emocionei ao lê-lo. Sou de lágrima fácil, é certo, mas para quem gosta de histórias infantis com frases tocantes, e com imagens ainda mais bonitas não vai resistir a comprar e ler este maravilhoso livro. 
É lindo!
E, maravilha, também há o livro Eu adoro a minha mãe. Vou ter de comprar. 


O Anjo da Morte - M. J. Arlidge [Opinião]

Título: O Anjo da Morte
Autor: M. J. Arlidge
Editor: TopSeller
Páginas: 336

Sinopse:
UMA CELA FECHADA.
UM CORPO ESCRUPULOSAMENTE MUTILADO
JAZ NO SEU INTERIOR…
Helen Grace, até aqui considerada a melhor detetive do país, é acusada de homicídio e aguarda julgamento na prisão de Holloway. Odiada pelas restantes prisioneiras e maltratada pelos guardas, Helen tem de enfrentar sozinha este pesadelo. Tudo o que deseja é conseguir provar a sua inocência. Mas, quando um corpo aparece diligentemente mutilado numa cela fechada, essa revela ser, afinal, a menor das suas preocupações.

Os macabros crimes sucedem-se em Holloway e o perigo espreita em cada cela ou corredor sombrio. Helen não pode fugir nem esconder-se por atrás do distintivo.
Precisa agora de ser rápida a encontrar o implacável serial killer… se não quiser tornar-se a sua próxima vítima.

A minha opinião: 
Para quem é fã de M. J. Arlidge e ainda não teve oportunididade de ler o livro anterior da série Helen Grace não deve ler a sinopse deste seu mais recente livro porque revela tudo o que se passa no final de A Boca do Lobo.

Esta é uma série que necessita ser lida pela ordem.

O Anjo da Morte é completamente passado numa prisão feminina. Lá, Helen Grace vai defrontar-se com o assassinato de prisioneiras. Mulheres que estão presas por terem assassinado outras pessoas, mas que de alguma forma ou de outra, se estavam a redimir dos "pecados".

Sem querer entrar muito na história porque isso iria revelar muito quer deste livro, quer do livro anterior, O Anjo da Morte revela o dia a dia de uma prisão feminina. Embora estejamos já um pouco habituados em ver nas diversas séries e filmes policiais que passam no cinema ou na tv, alguns histórias não deixam de ser surpreendentes.
Grupos organizados dentro da prisão, rivalidades entre as prisioneiras, mulheres que, apesar do seu passado, se tornam mais humanas e que até querem mostrar ao mundo que mudaram.

O livro foca sobretudo a fragilidade de quem está preso, quer seja porque há imensa solidão, quer pela pouca camaradagem finalizando nas saudades do mundo lá fora e de quem deixaram para trás. Essa saudade é ainda maior nas mulheres que têm filhos e que não têm mais esperança de vê-los, em liberdade.

Retrata ainda o outro lado, o lado dos guardas prisionais e a forma como a prisão é gerida, o que torna o livro bem mais interessante.

Mais uma vez não consegui descobrir quem era o assassino, embora as minhas suspeitas iniciais sobre determinadas personagens se concretizassem.

E o companheirismo e fidelidade de Charlie para com Helen é de realçar.

Mais uma vez, Arlidge apresenta-nos um livro com suspense desde o início do livro até ao seu final, capítulos curtos o que imprime mais urgência em terminar o livro porque o leitor quer sempre saber o que se passará a seguir, e personagens fantásticas.

Excelente.





«1917 – o ano que mudou o mundo», de Angelo D’Orsi chega amanhã a Portugal

Título: 1917 – o ano que mudou o mundo
Autor: Angelo D’Orsi
Género: História / História em geral
Tradução: José J. C. Guerra
N.º de páginas: 320
Data de lançamento: 17 de março
PVP: € 17,70

Chega amanhã às livrarias portuguesas «1917 – o ano que mudou o mundo», de Angelo D’Orsi, um livro que analisa os acontecimentos mais marcantes e determinantes ao longo de cada um dos 12 meses desse ano que sugerem ligações e estabelecem paralelos com os nossos dias.
Capítulo a capítulo, e mês a mês, o autor constrói uma narrativa que une esses eventos e e que contribui para se compreender a importância de 1917 nas ideias políticas e mundiais e o percurso da História. Miguel Real, prefaciador deste livro, afirma que se trata de «(…) oportuna leitura, contribuindo de um modo decisivo para a consciencialização dos traços fundamentais da história internacional do século XX.»
Em «1917 – o ano que mudou o mundo», são abordados de forma pormenorizada os seguintes episódios:
 Janeiro: A guerra submarina.
 Fevereiro: A revisão da Constituição Mexicana; o conflito com a Igreja Católica.
 Março: «Revolução de Fevereiro» na Rússia; o Czar Nicolau é forçado a abdicar pelos Mencheviques.
 Abril: Entrada dos EUA na I Guerra Mundial; publicação das «Teses de Abril», de Lenin, no Pravda.
 Maio: As aparições de Fátima; os três pastorinhos; a Igreja Católica e a intensificação do culto mariano, o mês sobrenatural.
 Junho: Pesadas derrotas para os aliados; guerra aérea intensifica-se; a Grécia entra na Guerra.
 Julho: Formação da Jugoslávia.
 Agosto: Papa Bento XV toma uma posição pública contra o «massacre inútil» que banha o Mundo de sangue; fica conhecido como o primeiro papa pacifista.
 Setembro: Manifestações pacifistas ani-guerra alastram por várias cidades europeias.
 Outubro: Mata Hari é executada em Paris; as tropas italianas são derrotadas em Caporetto, memória que viria a servir a retórica de Mussolini.
 Novembro: Aprovação da Declaração de Balfour, primeiro passo para a fundação do Estado de Israel e para uma nova organização do Médio Oriente.
 Dezembro: Nasce o Fascio Parlamentare di Difesa Nazionale, partido precursor do fascismo de Mussolini.

«Nestas páginas (…) encontram-se as histórias das aventuras políticas de personagens destinadas a serem imortalizadas, como a da ascensão de Lenine, mas também episódios fundamentais da Cristandade que nunca foram totalmente esclarecidos, como o da aparição de Fátima aos três pastorinhos.» Nuovo Quotidiano de Puglia

«Um livro a ler, se quisermos conhecer as origens de um passado que se crê enterrado, mas que continua a crescer e a expandir-se no presente.» Diario del Web, Maurizio Pagliassotti

Sinopse:
Em março, uma força revolucionária «democrática» obriga o Czar Nicolau II a abdicar. Em abril, os EUA entram na Primeira Guerra Mundial. Em maio, três pastorinhos veem uma «Senhora» vestida de branco em Fátima. Em julho, nasce a Jugoslávia. Em agosto Bento XV insurge-se contra o «massacre inútil» que assola a Europa e o Mundo. Em setembro, diferentes cidades manifestam-se contra a Guerra. Em outubro, Margaretha Zelle – a bailarina conhecida por Mata Hari – é executada em Paris e meros dias depois as tropas italianas são derrotadas em Caporetto. Em novembro, dá-se o primeiro passo para a criação do Estado de Israel e para uma nova organização do Médio Oriente. Em dezembro, cerca de 200 deputados nacionalistas italianos organizam-se no Fascio Parlamentare di Difesa Nazionale, um precursor do fascismo de Mussolini. Dividido em 12 capítulos, um por cada mês, este livro acompanha detalhadamente os acontecimentos de um ano turbulento e marcante para a nossa História atual, sugerindo ligações e estabelecendo paralelos com os nossos dias, nos quais ainda vivemos, de diversas formas, as consequências desse legado.

Sobre o autor:
Angelo D’Orsi é um professor de História do Pensamento Político na Faculdade de Ciências Políticas da Universidade de Turim. Foi o fundador da Historia Magistra – Associação pelo Direiro à História, que preside ao FESTIVALSTORIA. É diretor das revistas Historia Magistra. Rivista di storia critica e Gramsciana. Rivista Internazionale di studi su Antonio Gramsci. Tem vários livros publicados e é colaborador do jornal La Stampa. Ao longo da sua carreira, tem desempenhado diversos cargos de promoção e divulgação cultural.