sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Dezanove Minutos - Jodi Picoult [Opinião]

Título: Dezanove Minutos
Autor: Jodi Picoult
Editor: Civilização Editora
Páginas: 532

Sinopse:
Mais uma vez, Picoult aborda um assunto delicado na sociedade contemporânea, um tiroteio no liceu, levantando perguntas como: o seu filho pode tornar-se num mistério para si? O que significa ser diferente na nossa sociedade? É justificável para uma vítima ripostar? E quem - se é que alguém - tem o direito de julgar outra pessoa?

Em Sterling, New Hampshire, Peter Houghton, um estudante de liceu com dezassete anos, suportou anos de abuso verbal e físico por parte dos colegas. O seu amigo, Josie Cormier, sucumbiu à pressão dos colegas e agora dá-se com os grupos mais populares que muitas vezes instigam o assédio. Um incidente de perseguição é a gota de água para Peter, que o leva a cometer um acto de violência que mudará para sempre a vida dos residentes de Sterling.

A minha opinião: 
Peter Houghton, estudante num liceu norte-americano, sempre esteve à margem. Desde pequenino, no infantário, que é vítima de bullying e, se não fosse a sua amiga Josie Cormier ficaria sempre sozinho. 

As coisas pioram quando Josie passa para o outro lado, para o lado dos populares, os mesmos que violentam Peter...

Cada vez mais isolado e incompreendido Peter mergulha no abismo. Nada mais importa para ele. Numa manhã, decide levar um arsenal de armas para a escola e, a partir daí, dá início a um massacre. Resultado: dez mortos. 

O bullying nas escolas sempre existiu, mas pior que isso é a indiferença de todos perante tal acto. Será que ninguém vê o que se passa na escola? Ninguém denuncia? Em que posição é que ficam os professores e auxiliares? E a escola enquanto instituição?

O que passará pela cabeça de um miúdo para num acto de desespero chegar a escola e disparar para um número indiscriminado de pessoas? 

E os pais? 
"Este rapaz - que tinha entrado no liceu de Sterling esta manhã e cometido um massacre era filho de alguém" pag. 81

Como mãe nem me consigo colocar no papel destes pais que serão acusados de tudo e mais alguma coisa. Acusados de ter educado mal esta criança, mesmo sem saber o que o terá motivado a fazer tal atrocidade. Uma das partes que mais me chocou foi quando soube que tinha havido um massacre na escola a mãe de Peter corre desenfreadamente para o local para saber se o filho está entre as vítimas. Quando descobre que o filho é o assassino tudo desaba. E como qualquer mãe surgem logo as principais perguntas: onde falhei? Como é que não vi?

Apesar de ter compreendido (?) as intenções de Peter, não criei qualquer empatia com ele. Mostrou-se sempre frio, cujo único sentimento verdadeiro era por Josie, a sua amiga de infância. Aliás, quase todas as personagens são detestáveis. Desde os colegas de Peter ao seu irmão.  

Mas não é só de bullying que trata o livro. Picoult retrata bem as relações entre jovens, a violência no namoro, a esperança de pertencer aos populares e o dia a dia numa escola. 

Jodi Picoult é conhecida por trazer temas polémicos para os seus livros. Dezanove Minutos foi talvez o livro que mais me deixou a pensar. 
Composto por capítulos com pensamentos que nos enquadram melhor na história, conciliando viagens no tempo que nos fazem compreender melhor a vida de Peter, Dezanove Minutos deve ser lido por todos. 






Sem comentários: