sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Primeiro romance de José Gardeazabal, MEIO HOMEM, METADE BALEIA, nas livrarias a 16 de Janeiro

Título: Meio Homem Metade Baleia (nas livrarias dia 16 de Janeiro)
Autor: José Gardeazabal
Companhia das Letras
N.º de Páginas: 360
PVP: 16,50€

LANÇAMENTO DIA 24 DE JANEIRO NA ALMEDINA RATO, ÀS 19H, COM APRESENTAÇÃO DE ANABELA MOTA RIBEIRO
Sobre o livro:
Num mundo em que a desumanização parece irreversível, um muro divide os homens.

Jonas e a sua jovem filha Aliss são conduzidos ao longo do imenso muro por um homem chamado Servantes. A missão é levar água aos menos favorecidos, talvez electricidade. Funcionário de uma organização internacional, Jonas debate-se com o ritmo hesitante da missão. O longo muro, o clima e a distância alimentam dúvidas sobre o significado de civilização, mas Jonas vai avançando, confortado pela pequena coragem das rotinas repetidas.

Enquanto isto, a filha torna-se mulher, devagar, tumultuosamente.

Aos desamparados, no entanto, não chegou ainda a água.

Uma desconstrução dos lugares confortáveis do Ocidente, Meio homem metade baleia é uma narrativa notável que convida a uma poderosa e necessária reflexão.

O que diz a imprensa:
«Uma poética que arrisca alimentar e transcender o esquema das oposições, num exercício invulgar, notável e vertiginoso, que conduz a literatura para um lugar novo. Há-de marcar a poesia do nosso tempo pela sua originalidade, pela sua contundência, pela qualidade, pela novidade.» José Tolentino Mendonça, a propósito de História do Século Vinte

«Um primeiro livro que já impõe o nome do autor: História do Século Vinte, de José Gardeazabal.» Nuno Júdice

«O que mais surpreende nesta História do Século Vinte, brilhante livro de estreia, distinguido com o Prémio INCM/Vasco Graça Moura, é a escala e o fôlego do seu projeto literário.» José Mário Silva, Expresso

«Uma escrita impulsiva e livre, cara a cara com os factos.» Jornal de Letras

Sobre o autor:
José Gardeazabal nasceu em Lisboa, onde vive actualmente. Trabalhou e estudou em Luanda, Aveiro, Boston e Los Angeles. Em 2013 viu o seu conto Várias versões de uma catástrofe publicado na Granta portuguesa. Em 2015 foi distinguido com o Prémio INCM/Vasco Graça Moura com o livro de poesia história do século vinte. Em 2016 publica Dicionário de ideias Feitas em Literatura, uma colectânea de prosa curta, e em 2017 lança-se na dramaturgia com a publicação de três breves peças de teatro a que chamou Trilogia do olhar. Meio Homem, Metade Baleia é o seu primeiro romance.





Sem comentários: